Administra��o de Recursos Materiais e Patrimoniais by MS1r0nLl

VIEWS: 28 PAGES: 35

									 Administração de Recursos
  Materiais e Patrimoniais
Subsistema de Administração de Materiais.

    Gisely Mesquita / Marlúcia Alves.
                Introdução.
   A aquisição de recursos ou bens
    materiais, quer seja produtivos ou não
    produtivos é tratada pelas empresas por
    meio de seus departamento de compras ou
    suprimento.

   Recursos materiais são itens ou
    componentes que uma empresa utiliza em
    suas operações do dia-a-dia.
Planejamento de Necessidades
        de Materiais.
O  processo de reposição de materiais tem
 inicio com uma demanda de um cliente.

O órgão de planejamento de materiais
 deve verificar se existe estoque do
 material e se o material deve ser
 comprado ou produzido.
    Especificações de Materiais.
   A perfeita especificação é a certeza de uma
    compra exata.

   É através da especificação que o comprador
    vai adquirir mercadorias e serviços que vão
    atender as demanda internas da empresa, com
    eficiência, evitando atrasos na execução das
    operações.
     Especificações de Materiais.
    Na compra de um item ou serviço de um
     fornecedor, vários fatores estão incluídos no
     pacote comprado.
    Eles devem ser considerados quando as
     especificações estão sendo desenvolvidos em
     três categorias amplas:
1.   Exigências da quantidade.
2.   Exigências de preço.
3.   Exigências funcionais.
Especificações de Materiais:
 Exigência de Quantidade
• A demanda de mercado determina as quantidades
  necessárias.
• A quantidade é importante porque influenciará o
  modo como o produto será projetado,
  especificado ou fabricado.
•   Por exemplo:
    Se a demanda de um item, ele seria projetado para ser
    fabricado num custo mínimo, ou então um item
    padronizado adequado seria selecionado. Entretanto, se a
    demanda fosse de vários milhares, o item seria projetado
    para tirar proveito de escala, satisfazendo assim às
    necessidades funcionais a um preço melhor.
  Especificações de Materiais.
 Exigências  de Preço.
 A especificação do preço representa o
 valor econômico que o comprador atribui
 ao item – a quantia que está disposto a
 pagar.
        Especificações de
           materiais
   Exigências Funcionais.
   As exigências funcionais estão relacionadas com a
    utilização final do item e com seu desempenho
    esperado.
   Por sua própria natureza, as especificações
    funcionais são as mais importantes de todas,
    governando todas as outras categorias.
    Em certo sentido, as especificações funcionais são
    as mais difíceis de definir.
   Para obter o sucesso, elas devem satisfazer a
    necessidade ou o propósito real do item.
  Especificações de Materiais.
  Exemplo:
 Um casaco serve para manter quem o usa aquecido, mas
  em quais circunstancias ele o faz e que outras funções se
  espera dele?
 Quanto frio precisa fazer para que a pessoa precise de um
  casaco?
 Em que ocasiões ele será usado?
 Trata-se de uma peça para trabalhar ou passear?
 Em que cor ou estilo deveria ser feito?
 Que necessidades emocionais se espera que ele satisfaça?
 Da mesma forma, podemos perguntar que necessidades
  práticas e estéticas uma maçaneta de porta ou um
  espelho lateral de carro devem satisfazer?
    Especificações de Materiais.
 Especificações funcionais e qualidade.
 As especificações funcionais estão intimamente
  ligadas à qualidade de um produto ou serviço.
 Todos sabem, ou supõem que sabem, o que é
  “qualidade” mas há vários mal entendidos sobre o
  que a qualidade é ou deixa de ser.
   Se alguém for interrogado sobre o que quer dizer
    “qualidade”, as respostas prováveis serão:
    –   O melhor que há.
    –   Perfeição.
    –   Grau de excelência.
    –   Muito Bom.
Especificações de Materiais.
   Especificações funcionais e qualidade.
    • Há muitas definições de qualidade, mas todas giram em
      torno da idéia de satisfação do usuário.
    • Portanto, podemos dizer que um item tem a qualidade
      exigida quando satisfaz a necessidade do usuário.
    • Fornecer satisfação ao cliente implica em:
     Qualidade e planejamento do produto;
     Qualidade e projeto do serviço.
     Qualidade e produção.
     Qualidade e utilização.
Especificações de Materiais.
 Qualidade e planejamento do produto.
• O planejamento do produto é responsável por decisões
  sobre que produtos e serviços uma empresa deve colocar
  no mercado.
• Esse planejamento deve decidir sobre:
    •   Qual seguimento de mercado servir.
    •   As características do produto e o nível de qualidade.
    •   O preço.
    •   O volume esperado de vendas.
•   O sucesso do produto depende da eficiência da
    administração nessa função.
•   É tarefa do projetista de produto acrescentar ao projeto o
    nível de qualidade descrito na especificação geral
Especificações de materiais.
   Qualidade e produção.
    • Para produtos manufaturados, é responsabilidade da
      produção, no mínimo, satisfazer as especificações
      determinadas pelo projeto do produto.

    • Se o item for comprado, é responsabilidade do
      departamento de compras garantir que o fornecedor
      possa oferecer o nível de qualidade exigido.

    • Para as funções de compra e produção, qualidade
      significa conformidade com as especificações ou
      exigências.
Especificações de Materiais.
   Qualidade e utilidade.
    • Para o usuário final, a qualidade está relacionada com
      a expectativa do desempenho do produto.

    • Os clientes não se preocupam em saber por que um
      produto ou serviço apresenta defeitos.

    • O que eles esperam é satisfação.

    • Se o produto é o que os consumidores desejam, bem
      projetado, bem feito, com a assistência adequada, a
      qualidade é satisfatória.
Especificações de Materiais.
   Especificações Funcionais.
    • As especificações funcionais devem definir o nível de
      qualidade necessário.
    • Devem descrever todas as características de um produto
      determinadas por seu uso final.
    • Função, quantidade, serviço e preço são fatores inter-
      relacionados.
    • É difícil especificar um desses elementos sem levar em conta
      os outros.
    • Na realidade, a especificação final é um equilíbrio, entre
      todos eles, e a especificação bem sucedida é a melhor
      combinação do conjunto.
    • Entretanto, as especificações finais são, em última análise,
      aquelas que orientam as outras.
Especificação de Materiais
 Descrição  da Especificação funcional.
 A especificação funcional pode ser descrita
 dos seguintes modos, ou por uma
 combinação deles:
    • Por marca.
    • Por especificações e características físicas e químicas,
      material e método de produção e / ou desempenho.
    • Por desenho de engenharia.
    • Outros.
Especificações de Materiais.
   Descrição por Marca.
    • A descrição por marca é freqüentemente usada no atacado
      ou no varejo, mas é também extensivamente nas
      seguintes circunstâncias:
        Os itens são patenteados, ou o processo é secreto.
        O fornecedor tem sobre o produto um conhecimento especializado
         que o comprador não tem.
        A quantidade comprada é tão pequena que para o comprador não
         vale a pena o esforço de desenvolver especificações.
        O fornecedor, por meio de um esforço de publicidade ou venda
         direta, faz os clientes preferirem seus produtos.


    • Na compra por marca, o cliente deposita sua confiança na
      reputação e na integridade do fornecedor.
Especificações de Materiais.
   Descrição por marca.
    • A suposição é de que o fornecedor quer manter a
      reputação da marca e manterá e garantirá a qualidade
      do produto, de modo que, adquirindo o produto de
      novo, o comprador tenha a mesma satisfação.

    • A maioria das objeções à compra por marca está
      centrada nos custos.

    • Itens de marca, como um grupo, geralmente tem níveis
      de preço mais altos que aqueles que não são
      caracterizados por uma marca.
Especificações de Materiais.
   Descrição por especificação.
    • Desempenho.
      Esse método é utilizado quando o comprador está
      principalmente interessado no desempenho que se
      exige do produto, e está preparado para fazer com que
      o fornecedor decida como atingir esse desempenho.

      Por exemplo:
      Uma bomba d’água pode ter a especificação de
      capacidade de bombear tantos litros por minuto.
      As especificações de desempenho são geralmente fáceis
      de preparar e tiram vantagem do conhecimento
      específico do fornecedor.
           Especificações de Materiais.
   Descrição por especificação.
    Qualquer que seja o método de especificação, a descrição
    por especificação tem várias características.
    • Para serem úteis as especificações devem ser cuidadosamente
      desenvolvidas.
    • Se são descritas de forma muito vaga, podem não determinar um
      produto muito satisfatório.
    • Se são demasiadamente detalhadas e elaboradas, seu desenvolvimento
      é custoso, sua inspeção é difícil, podendo estes fatores desencorajar
      possíveis fornecedores.
    • As especificações devem permitir múltiplas fontes e licitações
      competitivas.
    • Se forem usadas as especificações de desempenho, o comprador tem a
      garantia de que, se o produto não apresentar os resultados
      necessários, o vendedor será responsabilizado.
    • Esse tipo de especificação fornece um padrão para medir e verificar os
      materiais fornecidos.
Especificações de Materiais.
   Descrição por especificação.
    • Nem todos os itens se prestam a especificações.
      Por exemplo, pode não ser muito fácil especificar
      esquema de cores ou aparência de um item.

    • Um item descrito por especificações pode ser mais caro e
      , apesar disto, não ser o mais adequado que um produto
      padronizado oferecido pelo fornecedor.

    • Esse tipo de especificação será utilizado quando houver
      um volume suficiente de compras que compense o custo,
      ou quando não for possível descrever o que se deseja de
      nenhuma outra forma.
Especificações de Materiais.
Fontes   de especificação.
Especificações  do comprador.
Desenvolvidas pelo comprador são geralmente caras e seu
desenvolvimento exige muito tempo. As empresa normalmente
não usam este método , a não ser que não haja especificações
padronizadas adequadas, ou quando o volume de trabalho o
torne economicamente viável.

Especificações    Padronizadas.
Têm sido desenvolvidas com resultado de muito estudo e
esforço por parte das agencias governamentais e não
governamentais.
Geralmente, aplicam-se a matérias-primas ou produtos ainda
não finalizados, a parte componentes ou à composição do
material.
Especificações de Materiais.
   Desenhos de engenharia.
    • Os desenhos de engenharia descrevem detalhadamente a
      exata configuração das peças e do conjunto.
    • Fornece informações sobre o acabamento, as tolerâncias e
      o material a ser usado.
    • Esses desenhos são um método importante de especificar o
      que se deseja, sendo amplamente usados quando não há
      nenhuma outra maneira de descrever a configuração das
      peças ou o modo como elas se encaixam.
    • São produzidas pelo departamento de desenho de
      engenharia, e seu desenvolvimento implica altos custos.
    • Apesar disto, essas especificações fornecem uma exata
      descrição da peça exigida.
Especificações de Materiais.
   Outras.
     existem vários outros métodos de especificações, inclusive a
      famosa frase: Quero um igualzinho aquele último”.

     Algumas vezes usam-se amostras, quando as cores ou
      padrões devem ser especificados.

     Muitas vezes, são usados vários métodos, e o comprador
      deve escolher o melhor.

     O método de descrição é a comunicação com o fornecedor.
      Sua qualidade afetará o sucesso da compra e, algumas
      vezes o preço a ser pago.
Especificações de Materiais.
   Principal Objetivo
    Reduzir as incertezas na compra.

   É através da especificação que o comprador vai
    adquirir mercadorias e serviços que vão atender as
    demandas internas da empresa.
     Se detalhada e completa, evita a compra de materiais em
      desacordo com as necessidades;
     Evita a distribuição de amostras para cotação.
Especificações de Materiais.
   Condições básicas:
    – Realizar consultas em;
        Catálogos.
        Padrões de descrição
        Normalização.


   Principais Critérios:
    – Ser sempre no singular
    – Prender-se as especificações do produto e não da
      embalagem
    – Determinar uma única descrição para os materiais de
      mesma natureza
    – Utilizar abreviaturas devidamente corretas.
Especificações de Materiais.
   Estrutura básica:
     • Nome básico:                Ex. Lâmpada
     • Nome modificador:           Ex. Lâmpada Fluorescente.
     • Características físicas e químicas

   Elementos Auxiliares:
     • Unidade metrológica – unidade de fornecimento
     • Medidas – potencia, tensão, etc.
     • Características de fabricação – acabamento,etc
     • Características de operação – garantias, testes
     • Cuidados em relação ao manuseio e armazenagem
     • Embalagem
       Padronização de Materiais.
   A especificação sempre nos conduz a
    padronização, que pode ser definida como:
    • Análise de materiais assim de permitir seu
      intercâmbio,possibilitando a redução de
      variedades e conseqüente economia.

    • Segundo o dicionário é:
      Redução dos objetos do mesmo gênero a um só
      tipo, unificando, simplificando, segundo um padrão
      ou modelo preestabelecido
        Padronização de Materiais
   Objetivos da Padronização:
    •   Diminuir o número de itens
    •   Simplificar materiais
    •   Permitir a compra de grandes lotes
    •   Diminuir o trabalho de compra
    •   Diminuir o custo de estocagem
    •   Reduzir a quantidade de itens estocados
    •   Adquirir materiais com mais rapidez
    •   Obter qualidade e uniformidade
              Normalização.
   Atividade que estabelece, em relação a
    problemas existentes ou potenciais,
    prescrições destinadas ‘a utilização
    comum e repetitiva com vistas ‘a obtenção
    do grau ótimo de ordem em um dado
    contexto (emprego adequado)
                 Nornalização.
   É o documento elaborado segundo
    procedimentos e conceitos emanados do
    SINMETRO
     SINMETRO - Sistema Nacional de Metrologia,
    Normalização e Qualidade
     CONMETRO - Conselho Nacional de Metrologia e
    Qualidde Industrial (e seu órgão normativo)
    INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia,
    Normalização e Qualidade Industrial (órgão
    executante).
               Nornalização.
   As normas brasileiras são o consenso nos
    diferentes fóruns do sistema, cujo universo
    atinge, governo, setor, produtivo, comercio
    e os consumidores.

   Finalidade:
    Formular e executar a política nacional de
    metrologia, normalização industrial e
    certificação de qualidade dos produtos
    industriais
                 Nornalização.
   Objetivos.
    • Economia.
      Proporcionar a redução da crescente variedade de
      produtos e procedimentos

    • Comunicação.
      Proporcionar meios mais eficientes na troca de
      informações entre o fabricante e o consumidor,
      melhorando a confiabilidade das relações
      comerciais e de serviços.
                 Nornalização.
   Objetivos.
    • Segurança.
      Proteger a vida humana e a saúde.

    • Proteção do consumidor.
      Prover a sociedade de meios eficazes para aferir
      a qualidade dos produtos
                  Nornalização.
   Objetivos.
    • Eliminação de barreiras técnicas e
      Comerciais
      Evitar a existência de regulamentos conflitantes
      sobre produtos e serviços em diferentes paises,
      facilitando assim, o intercâmbio comercial.

      Na pratica, a Normalização está presente na
      fabricação dos produtos , na transparência de
      tecnologia, na melhoria da qualidade de vida
      através de normas relativas a saúde, ‘a segurança
      e a preservação do meio ambiente.

								
To top