Trabalho de gradua��o - DOC

Document Sample
Trabalho de gradua��o - DOC Powered By Docstoc
					Universidade Estadual Paulista – UNESP
 Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá




 CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA




  REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR




              Guaratinguetá
                  2006
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica




1. Justificativa

         Este documento apresenta uma proposta de Estruturação Curricular e Projeto
Pedagógico para o Curso de Graduação em Engenharia Elétrica da Faculdade de
Engenharia do Campus de Guaratinguetá que deve substituir a atual que é regida
pela Resolução UNESP n° 10 de 19/01/1995, alterada pela Resolução UNESP n° 3
de 07/01/2005.

         Este projeto de Reestruturação Curricular é o resultado de um profícuo
processo de discussões com nossa comunidade. Dessas discussões participaram
alunos, funcionários e professores do Campus além de convidados que apresentaram
suas experiências em assuntos relacionados a busca de uma melhora do ensino de
engenharia em nosso país.

         As discussões se iniciaram devido a necessidade de adequar os cursos de
engenharia da UNESP a nova Diretriz Curricular emitida pelo Conselho Nacional de
Educação em 2002 (Resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002). Com este
objetivo foram realizadas diversas reuniões, cada vez em um dos Campus da UNESP
onde existem Cursos de Engenharia, com participação dos coordenadores de curso.
Nestas reuniões, que ocorreram entre outubro de 2001 e dezembro de 2003, além
das discussões envolvendo a reestruturação curricular, diversos outros assuntos
relativos aos Cursos de Engenharia foram discutidos.

         Nestas discussões levou-se também em consideração as posições que a
ABENGE (Associação Brasileira de Ensino de Engenharia) e o CREA (Conselho
Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia) emitiram em função da elaboração
das Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia (PARECER
CNE/CES 1362/2001).

         Como resultado destas discussões efetuou-se em um primeiro momento uma
pequena adequação na estrutura do Curso de Engenharia Elétrica do Campus de
Guaratinguetá da UNESP que era regido pela Resolução UNESP n° 10 de
19/01/1995. Esta alteração, formalizada através da Resolução UNESP n° 3 de
07/01/2005, tratou principalmente de adequar as cargas horárias de Estágio
Supervisionado e Trabalho de Graduação, ao exigido pela nova Diretriz Curricular do
Conselho Nacional de Educação.




UNESP/FEG/CGEE                                                                   2
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


         Embora a adequação tenha sido feita, as discussões continuaram no âmbito do
Campus de Guaratinguetá, identificando problemas ligados a todos os cursos de
engenharia do Campus. A principal mudança sugerida pela comunidade a partir
destas discussões está ligada a alteração do Regime de Matrícula. Decidiu-se passar
do Regime Seriado de Matrícula adotado atualmente para o Regime de Matrícula por
Disciplina ou por Conjunto de Disciplinas (Crédito). Deve-se ressaltar que esta
decisão foi fruto de longas a calorosas discussões que se desenrolaram por mais de
um ano no Campus.

         Em      paralelo,       cada      Conselho      de   Curso     passou   também   a     discutir
detalhadamente os problemas ligados aos cursos por eles gerenciados. No caso
particular da Engenharia Elétrica, identificaram-se como principais, os seguintes
problemas:

             Algumas disciplinas apresentavam ementas com conteúdo sobreposto.

             Algumas disciplinas apresentavam carga horária em excesso ou não
              disponibilizavam tempo suficiente para apresentação do conteúdo que
              deveria ser abordado.

             Na proposta vigente, a disciplina Eletrônica Digital é oferecida no primeiro
              ano como disciplina motivadora. Embora a disciplina fosse motivadora, o
              fato de ser oferecida no início do curso, conduziu a uma dificuldade de
              aprofundamento no ensino de alguns tópicos, como por exemplo, os ligados
              a compreensão de diversos conceitos de famílias lógicas (TTL e CMOS)
              dos circuitos integrados ou aos módulos de interface, como diodos
              emissores de luz (LED's) e display. A nova estrutura proposta altera esta
              característica do curso, introduzindo como disciplina motivadora no lugar de
              Eletrônica Digital, a disciplina Introdução a Engenharia Elétrica. Na nova
              proposta, Eletrônica Digital será oferecida após Eletrônica I, onde os
              conceitos básicos de semicondutores e os principais componentes
              semicondutores serão explorados, eliminando, portanto o problema citado.
              Acredita-se        também          que   Introdução   a   Engenharia   Elétrica    possa
              desempenhar efetivamente o papel de disciplina motivadora.

             Ainda em relação a disciplina Eletrônica Digital, observou-se que como esta
              disciplina estava sendo oferecida no primeiro ano, algumas disciplinas não
              estavam sendo oferecidas na seqüência julgada ideal. A alteração da



UNESP/FEG/CGEE                                                                                       3
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


              seriação de Eletrônica Digital levou a uma reestruturação profunda na
              seqüência com as qual as disciplinas chave da formação profissional serão
              apresentadas.

             Observou-se que os alunos apresentavam algumas deficiências para o
              acompanhamento de disciplinas que envolviam uma utilização aprofundada
              de cálculo, como as disciplinas Eletromagnetismo, Telecomunicações e
              Análise e Controle de Sistemas Dinâmicos. Para solucionar este problema
              foi introduzida na estrutura curricular a disciplina Matemática Aplicada a
              Engenharia Elétrica.

         Esta proposta de Reestruturação Curricular se justifica portanto, pois, além de
apresentar soluções a cada um dos problemas elencados acima, conduz a uma
atualização do curso em função do dinamismo das atividades científicas e
tecnológicas e da conjuntura sócio econômica mundial.

         O restante deste documento está organizado do seguinte modo:

             Avaliação do curso atual: apresenta um histórico do curso e resultados do
              processo de avaliação do curso que se está reestruturando.

             Projeto Pedagógico do Curso: inicialmente se apresenta o perfil do
              profissional a ser formado, então os objetivos do projeto, na seqüência se
              apresenta o regime de matrícula a ser adotado pelo curso, a nova
              estruturação curricular proposta, com o programa das disciplinas, a
              distribuição das disciplinas por departamento, a seqüência aconselhada
              para o curso, com os pré e/ou co-requisitos de cada disciplina, os critérios
              para a integralização curricular e para finalizar as características do Estágio
              Supervisionado e do Trabalho de Graduação;

             Corpo Docente: apresenta-se para cada departamento do campus
              envolvido no curso, sua lista de docentes, e as disciplinas pelas quais o
              departamento é responsável.

             Corpo Técnico Administrativo: apresenta-se para cada seção a lista de
              funcionários envolvidos com o curso.

             Previsão de Despesas: apresenta-se a previsão de despesas associada a
              este processo de reestruturação.




UNESP/FEG/CGEE                                                                            4
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


             Implantação Curricular: apresenta-se como se pretende implantar a nova
              proposta curricular.


2. Avaliação do Curso Vigente

         A Faculdade de Engenharia do Campus de Guaratinguetá foi criada em 1966 e
está sediada na cidade de Guaratinguetá – SP. Possui seis cursos de Engenharia
(Civil, Elétrica, Materiais, Mecânica Integral e Noturno e Produção Mecânica), cursos
de Bacharelado e Licenciatura em Física e Licenciatura em Matemática. Possuis
também programas de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica (Mestrado e
Doutorado) e em Física (Mestrado e Doutorado) e um colégio técnico industrial.
         O curso de Engenharia Elétrica teve início em 1986 com 40 vagas anuais e
deste modo em 1991, graduou a sua primeira turma de Engenheiros Eletricistas. O
curso é reconhecido através da Portaria MEC n° 1449, de 01.10.1992, do MEC,
renovado através da Portaria nº 366/2002, de 16.09.2002, publicada em 18.09.2002.
Até o final do ano de 2005 formaram-se no curso 381 Engenheiros Eletricistas.

         Em 1995 o curso passou por um processo de reestruturação. Esta
reestruturação, regida pela Resolução UNESP n° 10 de 19/01/1995, alterada pela
Resolução UNESP n° 3 de 07/01/2005 está em vigência até hoje. Alterações
estruturais foram introduzidas com esta reestruturação: houve uma mudança do
Regime de Matrícula por Disciplinas, ou por Conjunto de Disciplinas (Crédito) para o
Regime Seriado de Matrícula e as disciplinas em sua maioria passaram a ser anuais.

         O Campus de Guaratinguetá acolhe principalmente, na ordem, alunos de: São
Paulo e Grande São Paulo, do Vale do Paraíba Paulista, do Sul de Minas, da Região
de Campinas, da Região de Sorocaba, do Litoral Norte e do Vale do Paraíba
Fluminense. As características sócio-econômicas dos alunos matriculados na área de
exatas da UNESP nos últimos três anos são apresentadas a seguir.




UNESP/FEG/CGEE                                                                    5
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


                                                        Sexo

                         100%

                          80%

                          60%
                                                                                        Feminino
                                                                                        Masculino
                          40%

                          20%

                           0%
                                      2003          2004               2005




         A figura acima mostra a distribuição de sexo, que não tem se alterado nos
últimos anos, com aproximadamente 30% de alunos do sexo feminino.

         A figura a seguir mostra a distribuição de idades dos inscritos nos três últimos
vestibulares. A média é de aproximadamente 19 anos, mas a classe modal é de 18
anos e a classe com 17 anos ou menos tem freqüência maior do que 20%.

                                                        Idade

                         100%
                          90%
                          80%                                                 25 ou mais
                          70%                                                 21 a 24 anos
                          60%
                                                                              20 anos
                          50%
                          40%                                                 19 anos
                          30%                                                 18 anos
                          20%                                                 17 anos ou menos
                          10%
                           0%
                                     2003        2004           2005




         Quanto à freqüência do ensino fundamental, aproximadamente metade cursou
integralmente em escola pública. Mas parece que a tendência dos últimos anos é o
crescimento da parcela que cursou integralmente ou parcialmente em escola
particular, como mostra a figura a seguir.




UNESP/FEG/CGEE                                                                                      6
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica



                                        Onde cursou o ensino fundamental

                         100%
                          90%                                                     Maior parte em escola
                          80%                                                     particular
                          70%
                                                                                  Maior parte em escola
                          60%
                                                                                  pública
                          50%
                                                                                  Todo em escola
                          40%
                                                                                  particular
                          30%
                          20%                                                     Todo em escola pública
                          10%
                           0%
                                    2003              2004           2005




           As escolaridades de pais e mães são bastante similares entre si, como
mostram as figuras abaixo. Conforme se pode observar, quase metade dos pais
iniciou ou completou o ensino superior.

                    Escolaridade da mãe                                                     Escolaridade do pai

    100%                                                                100%
                                               Superior completo                                                  Superior completo
                                                                            90%
     80%                                                                    80%                                   Superior incompleto
                                               Superior incompleto
                                                                            70%
     60%                                       Ensino médio                 60%                                   Ensino médio
                                               completo                     50%                                   completo
     40%                                       Ensino fundamental           40%                                   Ensino fundamental
                                               completo                     30%                                   completo
     20%                                       Ensino fundamental           20%                                   Ensino fundamental
                                               incompleto                   10%                                   incompleto

      0%                                       Analfabeta                   0%                                    Analfabeto
             2003      2004      2005                                             2003        2004     2005




           A distribuição da renda familiar aparece abaixo. A partir dela pode-se estimar a
renda média, que é de aproximadamente 9,5 salários mínimos.

                                                        Renda familiar

                         100%
                          90%
                          80%                                                            20,0 SM ou mais
                          70%                                                            De 15 a 19,9 SM
                          60%
                                                                                         De 10,0 a 14,9 SM
                          50%
                          40%                                                            De 5,0 a 9,9 SM
                          30%                                                            De 2,0 a 4,9 SM
                          20%                                                            Até 1,9 SM
                          10%
                           0%
                                        2003            2004           2005




UNESP/FEG/CGEE                                                                                                                   7
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


         A profissão de Engenheiro Eletricista tem se mantido em destaque no cenário
nacional e internacional. Entretanto, o foco de atuação deste engenheiro deslocou-se
ao longo do tempo de uma atuação inicial centrada na geração, transmissão e
distribuição de energia elétrica para outras áreas. Deve-se ressaltar entretanto que a
matriz energética do país e as necessidades de investimentos na área de geração,
transmissão e distribuição de energia elétrica estão recolocando em evidência esta
área de atuação. Ao longo do tempo a profissão evoluiu, levando os engenheiros
eletricistas a atuarem em diferentes áreas, como computação e telecomunicações
entre outras. A convergência entre a elétrica, eletrônica e computação produziu
também a necessidade de um engenheiro capaz de atuar nesta área. A formação
dada ao Engenheiro Eletricista graduado na Faculdade de Engenharia do Campus de
Guaratinguetá privilegia esta área de atuação. Esta formação permite que o
Engenheiro formado possa atuar efetivamente em resposta às necessidades
regionais (Vale do Paraíba onde a escola está situada e que apresenta um alto grau
de industrialização) e nacionais (país que almeja alcançar um lugar de destaque no
cenário mundial onde a tecnologia se impõe como caminho para a soberania).

         Os profissionais formados no curso de graduação em Engenharia Elétrica da
Faculdade de Engenharia do Campus de Guaratinguetá têm sido muito bem aceitos
tanto pelo mercado de trabalho como pelos programas de Pós-Graduação de
universidades brasileiras de destaque no cenário nacional.
         A relação candidato/vaga no vestibular tem se mantido elevada, acima de treze
candidatos por vaga nos últimos anos. Isto possibilita que se tenha alunos com notas
elevadas, sendo que a menor nota obtida por um alunos ingressante nos últimos anos
tenha sido 58,53 (2002: 64,79, 2001: 64,50, 2004: 58,53, 2005: 63,64) 1. O índice de
evasão do curso tem se mantido em patamares razoáveis, em torno de 3 % nos
últimos anos (2001: 4,04 %, 2002: 1,21 %, 2003: 2,78 %, 2004: 6,37 %, 2005: 0,03 %)
         Nos recentes processos de avaliação externa aos quais o curso, ou seus
alunos se submeteram o desempenho alcançado foi exemplar. No Exame Nacional de
Cursos (Provão), salvo uma nota B obtida no ano de 1998, todas as outras notas, de
1999 a 2003 foram notas A, o que nos coloca como um dos sete melhores cursos de
Engenharia Elétrica do país. As Condições de Oferta avaliadas pelo INEP produziram
a seguintes avaliação:


1
    As maiores notas obtidas no mesmo período foram, 2002: 76,41, 2003: 80,45, 2004: 72,52 e 2005:
    74,83.


UNESP/FEG/CGEE                                                                                 8
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


             Corpo Docente: CMB;
             Instalações: CMB;
             Organização Didático-Pedagógica: CMB.
         O acompanhamento de egresso no mercado de trabalho é realizado na
atualidade pela Associação de Ex-Alunos da Faculdade de Engenharia de
Guaratinguetá (AEXAFEG). Esta proposta de reestruturação determina como uma
das obrigações do Conselho de Curso (c.f. Seção 7.3.3) elaborar um processo efetivo
de acompanhamento dos egressos do curso.
    Pretende-se com esta proposta de reestruturação fornecer os meios, para que
mesmo em face da constante evolução tecnológica pela qual passa o mundo, o curso
de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia do Campus de Guaratinguetá,
continue a apresentar o desempenho de excelência que o caracterizou ao longo dos
últimos anos.


3. Projeto Pedagógico do Curso

         Nesta seção se irá apresentar a nova proposta de Projeto Pedagógico que
deverá ser adotado com este projeto de Reestruturação Curricular.


3.1. Perfil do Profissional a ser Formado
         Segundo definido no artigo 4º da Resolução CNE/CES 11, de 11 de Março de
2002 que instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em
Engenharia, “A formação do engenheiro tem por objetivo dotar o profissional dos
conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades
gerais:

         1. Aplicar         conhecimentos        matemáticos,   científicos,   tecnológicos   e
              instrumentais à engenharia;

         2. Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;

         3. Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;

         4. Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de
              engenharia;

         5. Identificar, formular e resolver problemas de engenharia;

         6. Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;


UNESP/FEG/CGEE                                                                                9
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


         7. Supervisionar a operação e a manutenção de sistemas;

         8. Avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas;

         9. Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;

         10. Atuar em equipes multidisciplinares;

         11. Compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais;

         12. Avaliar o impacto das atividades da engenharia no contexto social e
              ambiental;

         13. Avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia;

         14. Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.”

         Em relação a sua atuação profissional, o Engenheiro Eletricista (como qualquer
outro engenheiro) tem suas atribuições e caracterização do âmbito de atuação
definidas pelo Sistema CONFEA / CREA (Conselho Federal de Engenharia,
Arquitetura e Agronomia / Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e
Agronomia) através da Resolução nº 1.010, de 22/08/2005.

         O Engenheiro que se pretende formar a partir desta nova estrutura curricular e
projeto pedagógico deve ser um profissional que atenda ao disposto nas Diretrizes
Curriculares e que tenha uma sólida formação técnico-científica. Ele deverá ter uma
formação generalista que o habilite a atuar com competência na interface
Eletrotécnica-Eletrônica, umas das áreas em maior evidência no cenário industrial.

         Além disso, espera-se também que nosso aluno ao final do curso tenha se
tornado uma pessoa mais completa, uma pessoa que tenha a ética como um de seus
pilares e que compreenda seu papel como transformador da sociedade e como Ator
no processo de construção de um país mais justo.

         Tendo por base estes princípios, o engenheiro formado deve:

             Ter um conhecimento sólido dos conteúdos das ciências básicas que o
              habilite a compreender e desenvolver tecnologia ligada a sua área de
              atuação. Isto deverá ser alcançado através das competências que serão
              adquiridas através das disciplinas do núcleo básico do curso.

             Ter uma formação sólida nas áreas de Eletrotécnica e Eletrônica e na
              interface entre as duas, sendo capaz de aplicar conceitos destas áreas em
              sua atuação como Engenheiro Eletricista. Isto deverá ser alcançado através



UNESP/FEG/CGEE                                                                       10
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


              das competências que serão adquiridas através das disciplinas dos núcleos
              de conteúdos específico e profissionalizante.

             Ter uma base sólida dos princípios da ciência da computação, sendo capaz
              de desenvolver ferramentas computacionais que possam auxiliar sua
              atuação profissional. Isto deverá ser alcançado através das competências
              que serão adquiridas através das disciplinas ligadas à área de informática
              presentes no núcleo de conteúdos básicos.

             Ser capaz de, a partir dos conhecimentos recebidos, efetuar um contínuo
              processo        de     atualização   profissional,   capacitando-se   ao   uso   das
              tecnologias emergentes em sua área de atuação. Isto deverá ser alcançado
              através da forte base formal que se espera os alunos terão ao final do
              curso.

             Comunicar-se corretamente de forma verbal e escrita, sabendo trabalhar
              em grupo de forma ética. Deve também ser capaz de manter em seu
              ambiente de trabalho um bom relacionamento interpessoal. Isto deverá ser
              alcançado através das diversas atividades ligadas à execução das
              atividades práticas de diferentes disciplinas (preparação de relatórios,
              projetos em grupo) e também através do conteúdo que será apresentado na
              disciplina motivadora Introdução a Engenharia Elétrica.

             Compreender sua importância como agente preservador do meio ambiente.
              Isto deverá ser alcançado através das competências que serão adquiridas,
              particularmente através da disciplina, Ciências do Ambiente, mas também
              através da apresentação de exemplos práticos nas diferentes disciplinas
              dos conteúdos específico e profissionalizante.


3.2. Objetivos
         A partir do perfil esperado para o Engenheiro Eletricista que se pretende
formar, a nova estrutura curricular é proposta com os seguintes objetivos:

         1. Oferecer uma formação sólida nos conteúdos do núcleo básico (física,
              química, matemática, mecânica dos sólidos, fenômenos de transporte,
              informática, ciências humanas e sociais.) que são comuns a todas as
              modalidades de engenharia;




UNESP/FEG/CGEE                                                                                 11
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


         2. Dar uma formação sólida e abrangente nos núcleos de conteúdos
              específico e profissionalizante do curso de Engenharia Elétrica, que incluem
              circuitos elétricos, eletromagnetismo, eletrônica     analógica e digital,
              conversão de energia e máquinas elétricas, comunicações, sistemas
              elétricos de potência, instrumentação, controle e automação industrial e
              eletrônica de potência;
         3. Preparar o estudante para uma vida profissional de atualização constante;

         Na proposta de reforma universitária, bastante contestada e discutida pela
comunidade acadêmica, encontramos também alguns pontos que acreditamos,
possam nortear, embora sem dirigir, os objetivos que se espera alcançar com esta
proposta de reestruturação.

         Na ótica desta proposta, nós educadores, devemos ter como missão o
“desenvolvimento da nação”. Aqui cabe ressaltar que não se trata unicamente de
possibilitar que nossos alunos tenham excelente conhecimento técnico que conduza
ao desenvolvimento da nação. Eles devem ter como princípio diretor um
Comportamento Ético que permita que atuem como Atores deste desenvolvimento.

         Um esclarecimento desta abordagem é apresentado a seguir através da
transcrição da manifestação proferida pelo Professor, André Lázaro, professor da UFF
e assessor do MEC em Reunião Regional da SBPC que ocorreu em dezembro de
2004 em Feira de Santana: “cabe a Universidade e ao Curso criar, desenvolver,
sistematizar e difundir conhecimentos, em suas áreas de atuação, a partir da
liberdade de pensamento e de opinião, tendo como meta participar e contribuir para o
desenvolvimento social, econômico, cultural e científico da nação, promovendo a
inclusão da diversidade étnico-cultural e a redução das desigualdades sociais e
regionais do país, garantindo, na formação de seus estudantes, valores éticos diante
da sociedade e do conhecimento”.

         Estas características só podem ser obtidas se pudermos formar um aluno que
seja capaz de agir e refletir, pois segundo Paulo Freire (Educação e Mudança. Rio de
Janeiro: Paz e Terra, 1979), “a primeira condição para que um ser possa assumir um
ato comprometido está sem ser capaz de agir e refletir”. Para que isto possa ser
obtido é necessário termos um Educador comprometido. Assim, esta proposta tem
como objetivo conduzir nossos educadores de tal modo que eles possam se
comprometer com a formação de um Cidadão que por sua vez possa contribuir para a
construção de uma sociedade mais justa. Espera-se que isso seja alcançado através

UNESP/FEG/CGEE                                                                         12
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


dos programas de formação de docentes em implantação pela Pró-Reitoria de
Graduação.

         Segundo uma orientação freireana, para que isto ocorra é necessário que o
educador seja capaz de orientar seu discurso e seu silêncio de uma forma equilibrada
e harmoniosa, possibilitando a criação de um clima de diálogo e escuta entre ele e o
educando; ele deve ser humilde para aceitar as idéias, indagações e curiosidades que
os educandos lhe apresentam sendo também capaz de manter uma atitude coerente
e objetiva numa perspectiva flexível, ajudando o educando a descobrir ao longo do
tempo a coerência das coisas através da incoerência das mesmas.

                              "A educação na prática da liberdade, não é estender algo da ‘sede do
           saber’ até a ‘sede da ignorância’, para salvar, com este saber, aos que naquele
           habitam. Ao contrário, a educação na prática da liberdade, é tarefa daqueles que
           sabem que pouco sabem,- por isso sabem que sabem algo - e podem assim, chegar
           a saber mais, em diálogo com aqueles que, quase sempre, pensam que nada
           sabem, para que estes, transformando seu pensar que nada sabem em pensar que
           pouco sabem, possam igualmente saber mais."

                                                                                       Paulo Freire


3.3. Regime de Matrícula
         Conforme citado na Seção 1 o regime de matrícula a ser adotado por esta
proposta é o de Matrícula por Disciplina ou Conjunto de Disciplinas (Crédito)
definido pela Resolução UNESP n° 44 de 10/07/1995. As disciplinas serão
preferencialmente anuais e o curso deverá ser realizado em Período Integral.


3.4. Estruturação Curricular Proposta
         A estrutura curricular compreende quatro grupos de disciplinas (núcleo de
conteúdo básico, núcleo de conteúdo profissionalizante, núcleo de conteúdo
específico e núcleo das disciplinas optativas), trabalho de graduação, estágio
curricular       obrigatório         e     atividades   complementares    (iniciação    científica,
aproveitamento de estudos realizados no país ou no exterior, inclusive com
possibilidade de dupla diplomação, programas de extensão universitária, etc.).

         A Tabela 1 apresenta a organização curricular completa proposta para o curso.
A Tabela 2 apresenta as disciplinas do núcleo básico. A Tabela 3, as disciplinas do
núcleo profissionalizante, a Tabela 4 as disciplinas do núcleo de conteúdo específico



UNESP/FEG/CGEE                                                                                 13
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


enquanto a Tabela 5 lista todas as disciplinas optativas. O aluno deverá escolher três
entre as disciplinas oferecidas por todos os departamentos do Campus ao curso.

                                       Tabela 1 – Organização Curricular
ANO                         DISCIPLINAS                         TEOR.    TEOR.    TEÓR.    PRÁT.    PRÁT.    PRÁT.
                                                                 1o S.    2O S.    Total    1o S.    2o S.   Total

       Cálculo Diferencial e Integral I                          90       90       180        0       0       0
       Álgebra Linear e Cálculo Vetorial                         45       45       90         0       0       0
       Física I                                                  60       60       120        0       0       0
       Física Experimental I                                      0        0        0        30      30      60
       Química Geral                                              0       60       60         0       0       0
       Química Geral Experimental                                 0        0        0         0      30      30
1o     Introdução à Engenharia Elétrica                          30       30       60         0       0       0
       Programação de Computadores I                             30       30       60        15      15      30
       Desenho Técnico Básico                                     0        0        0        30      30      60
       Ciências do Ambiente                                      30        0       30         0       0       0
       Direito e Cidadania                                       30                30         0       0       0
       Totais Parciais                                           315      315      630       75      105     180
                                       o
                         TOTAL DO 1 ANO                                              810 horas

       Cálculo Diferencial Integral II                           90        0       90         0       0       0
       Matemática Aplicada à Engenharia Elétrica                  0       45       45         0      15      15
       Física II                                                 60       60       120        0       0       0
       Física Experimental II                                     0        0        0        15      15      30
       Programação de Computadores II                            15       15       30        15      15      30
       Eletrônica I                                               0       45       45         0      30      30
2o     Circuitos Elétricos                                       60       60       120       30      30      60
       Cálculo Numérico                                           0       45       45         0       0       0
       Estática e Introdução a Resistência dos Materiais         45       45       90         0       0       0
       Materiais Elétricos                                       30        0       30         0       0       0
       Estatística                                               30       30       60         0       0       0
       Totais Parciais                                           330      345      675       60      105     165
                         TOTAL DO 2o ANO                                             840 horas

       Controle Linear                                           60       60       120      15       15      30
       Eletromagnetismo                                          45       45       90       15       15      30
       Fenômenos de Transportes                                   0       60       60        0        0       0
       Engenharia de Software                                    15        0       15       30        0      30
3o     Eletrônica Digital                                        45       45       90       30       30      60
       Eletrônica II                                             60       60       120      30       30      60
       Máquinas Elétricas                                        60       60       120      15       15      30
       Transitórios em Circuitos Elétricos                       30        0       30        0        0       0
       Totais Parciais                                           315      330      645      135      105     240
                         TOTAL DO 3o ANO                                             885 horas

       Controle Discreto                                          0       30       30         0       0       0
       Sistemas Microprocessados                                 45       45       90        30      30      60
       Eletrônica Industrial I                                   45       45       90        30      30      60
       Telecomunicações                                          45       45       90        15      15      30
       Análise de Sistemas de Potência                           60       60       120        0       0       0
       Instalações Elétricas Industriais                         45       45       90         0       0       0
       Economia e Administração                                  30       30       60         0       0       0
       Instrumentação Industrial                                 30        0       30         0       0       0
       Totais Parciais                                           300      300      600       75      75      150
                         TOTAL DO 4o ANO                                             750 horas

      Automação Industrial                                       30        0       30        30       0       30
      Sistemas Microcomputadorizados                             15        0       15        30       0       30
      Acionamentos Elétricos                                     30        0       30        15       0       15
      Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica    60       60       120        0       0        0
      Totais Parciais                                            135      60       195       75       0       75
                         TOTAL DO 5o ANO                                             270 horas




UNESP/FEG/CGEE                                                                                                14
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica

                            2
 Carga Horária Mínima a ser Integralizada no Curso de Engenharia Elétrica             3.960 horas
 Disciplinas Obrigatórias                                                              3.555 horas
 Disciplinas Optativas                                                                 135 horas
 Trabalho de Graduação                                                                  90 horas
 Estágio Supervisionado                                                                180 horas


                                Tabela 2 – Disciplinas do Núcleo Básico

           Área                                      Disciplina                      Créditos
Administração; Economia               Economia e Administração                          4
Ciências do Ambiente                  Ciências do Ambiente                              2
Expressão Gráfica                     Desenho Técnico Básico                            4
Fenômenos de Transporte               Fenômenos de Transporte                           4
Física                                Física I                                          8
                                      Física Experimental I                             4
                                      Física II                                         8
                                      Física Experimental II                            2
Humanidades, Ciências                 Direito e Cidadania                               2
Sociais e Cidadania
Informática                           Programação de Computadores II                    4
                                      Cálculo Numérico                                  3
Matemática                            Cálculo Diferencial e Integral I                  12
                                      Álgebra Linear e Cálculo Vetorial                 6
                                      Cálculo Diferencial e Integral II                 6
                                      Matemática Aplicada à Engenharia Elétrica         4
                                      Estatística                                       4
Mecânica dos Sólidos                  Estática e Introdução a Resistência dos           6
                                      Materiais
Metodologia Científica e              Introdução à Engenharia Elétrica                  4
Tecnológica; Comunicação
e Expressão
Química                               Química Geral                                     4
                                      Química Geral Experimental                        2
                                 Total de Créditos em Disciplinas do Núcleo Básico      93




         2
             Os alunos podem desenvolver atividades complementares que podem ser contabilizadas
             como créditos extra.


UNESP/FEG/CGEE                                                                                  15
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica




                         Tabela 3 – Disciplinas do Núcleo Profissionalizante

              Área                                         Disciplina                 Créditos
Algoritmos e Estruturas de            Programação de Computadores I                      6
Dados
Circuitos Elétricos                   Circuitos Elétricos                               12
                                      Transitórios em Circuitos Elétricos                2
Circuitos Lógicos                     Sistemas Microprocessados                         10
Controle de Sistemas                  Controle Linear                                   10
Dinâmicos
                                      Controle Discreto                                  2
Conversão de Energia                  Máquinas Elétricas                                10
Eletromagnetismo;                     Eletromagnetismo                                   8
Eletrônica Analógica e Digital        Eletrônica I                                       5
                                      Eletrônica Digital                                10
                                      Eletrônica II                                     12
Instrumentação                        Instrumentação Industrial                          2
Materiais Elétricos                   Materiais Elétricos                                2
Telecomunicações                      Telecomunicações                                   8
                      Total de Créditos em Disciplinas do Núcleo Profissionalizante     99


                    Tabela 4 – Disciplinas do Núcleo de Conteúdo Específico

              Área                                       Disciplina                   Créditos
                                      Engenharia de Software                             3
                                      Análise de Sistemas de Potência                    8
                                      Instalações Elétricas Industriais                  6
                                      Automação Industrial                               4
                                      Sistemas Microcomputadorizados                     3
                                      Acionamentos Elétricos                             3
                                      Geração, Transmissão e Distribuição de             8
                                      Energia Elétrica
                                      Eletrônica Industrial I                           10
             Total de Créditos em Disciplinas do Núcleo de Conteúdo Específico          45


                                      Tabela 5 – Disciplinas Optativas

              Área                                         Disciplina                 Créditos
                                      Administração de recursos humanos                  2
                                      Análise de Circuitos Eletrônicos Usando SPICE      3
                                      Auditoria Energética                               3
                                      Banco de Dados                                     3
                                      Circuitos de Comunicações                          3
                                      Complementos de Termodinâmica                      3


UNESP/FEG/CGEE                                                                                   16
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica




                           Tabela 5 – Disciplinas Optativas – continuação.

              Área                                         Disciplina                      Créditos
                                      Confiabilidade de Sistemas Elétricos de Potência        3
                                      Cogeração                                               3
                                      Desenvolvimento de Aplicações para a Internet           3
                                      Eletrônica Industrial II                                3
                                      Empreendedorismo                                        3
                                      Introdução ao Projeto de Circuitos Integrados com       3
                                      Transistores MOS
                                      Linguagem de Programação Visual                         3
                                      Microcontroladores                                      3
                                      Projeto de Sistemas Digitais com VHDL – I               3
                                      Projeto de Sistemas Digitais com VHDL – II              3
                                      Psicologia aplicada ao trabalho                         2
                                      Racionalização industrial e sociedade                   3
                                      Refrigeração, Ventilação e Ar Condicionado              3
                                      Relações humanas no Trabalho                            3
                                      Sistemas de Comunicações Móveis                         3
                                      Sistemas de Informação WEB                              3
                                      Televisão Digital                                       3
                                      Teoria e Otimização de Sistemas                         3
                                      Tópicos Especiais em Energia                            3


3.4.1 Programas das Disciplinas


3.4.1.1 Disciplinas Obrigatórias

         No Anexo A se apresenta o programa completo de cada uma das disciplinas
obrigatórias que compõem o curso.



3.4.1.2 Disciplinas Optativas

         Para completar a Carga Total do Curso que é de 264 Créditos (c.f. Seção 3.5),
deve-se       considerar         as     três     Disciplinas     Optativas    que   cada   aluno      deve
obrigatoriamente cursar, cada uma correspondendo a 3 créditos e perfazendo
portanto 9 créditos. Estes 9 créditos somados aos 237 de disciplinas obrigatórias e
aos créditos do Trabalho de Graduação (6 créditos) e do Estágio Curricular




UNESP/FEG/CGEE                                                                                         17
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


(12 créditos) perfazem o total de 264 créditos que correspondem às 3.960 horas de
carga horária mínima a ser integralizada.

         Estas disciplinas optativas poderão ser escolhidas a partir do Elenco de
Disciplinas oferecidas por todos os departamentos da Faculdade de Engenharia do
Campus de Guaratinguetá, aos alunos do Curso de Engenharia Elétrica. Às
disciplinas apresentadas na Tabela 5, outras poderão ser adicionadas a partir de seu
oferecimento pelos departamentos do Campus.

         No Anexo B se apresenta o programa completo de cada uma das disciplinas
optativas apresentadas nesta proposta.


3.4.2 Distribuição das Disciplinas por Departamento

         A seguir, no Quadro 1, apresenta-se a distribuição das disciplinas obrigatórias
do curso em relação a cada um dos Departamentos da Unidade Universitária.

Quadro 1 - Distribuição das disciplinas por departamento
U.U.: Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá
Curso: Engenharia Elétrica
     Departamento                                        Disciplina                      Créditos
 Engenharia Elétrica           Acionamentos Elétricos                                       3
                               Análise de Sistemas de Potência                              8
                               Automação Industrial                                         4
                               Circuitos Elétricos                                         12
                               Controle Discreto                                            2
                               Controle Linear                                             10
                               Eletromagnetismo                                             8
                               Eletrônica Digital                                          10
                               Eletrônica I                                                 5
                               Eletrônica II                                               12
                               Eletrônica Industrial I                                     10
                               Engenharia de Software                                       3
                               Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica      8
                               Instalações Elétricas Industriais                            6
                               Instrumentação Industrial                                    2
                               Introdução à Engenharia Elétrica                             4
                               Máquinas Elétricas                                          10
                               Matemática Aplicada à Engenharia Elétrica                    4
                               Materiais Elétricos                                          2
                               Sistemas Microcomputadorizados                               3




UNESP/FEG/CGEE                                                                                  18
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


Quadro 1 - Distribuição das disciplinas por departamento– continuação
U.U.: Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá
Curso: Engenharia Elétrica
     Departamento                                         Disciplina                         Créditos
 Engenharia Elétrica           Sistemas Microprocessados                                       10
                               Telecomunicações                                                 8
                               Transitórios em Circuitos Elétricos                              2
                                             Total do Departamento de Engenharia Elétrica      146
         Energia               Fenômenos de Transporte                                          4
                                             Total do Departamento de Engenharia Energia        4
   Engenharia Civil            Ciências do Ambiente                                             2
                                                 Total do Departamento de Engenharia Civil      2
   Física e Química            Física I                                                         4
                               Física Experimental I                                            2
                               Física II                                                        8
                               Física Experimental II                                           8
                               Química Geral                                                    4
                               Química Geral Experimental                                       2
                                                 Total do Departamento de Física e Química     30
       Matemática              Álgebra Linear e Cálculo Vetorial                                6
                               Cálculo Diferencial e Integral I*                               12
                               Cálculo Diferencial e Integral II                                6
                               Cálculo Numérico                                                 3
                               Programação de Computadores I                                    6
                               Programação de Computadores II                                   4
                                                     Total do Departamento de Matemática       37
        Mecânica               Desenho Técnico Básico                                           4
                               Estática e Introdução a Resistência dos Materiais                6
                                                       Total do Departamento de Mecânica       10
        Produção               Direito e Cidadania                                              2
                               Economia e Administração                                         4
                               Estatística                                                      4
                                                       Total do Departamento de Produção       10
                                                                                     Total     237



3.4.3 Seqüência Aconselhada

         A seguir, no Quadro 2, apresenta-se a seqüência aconselhada, na qual cada
uma das disciplinas que compõem a grade curricular deve ser cursada. Os Pré e Co-
Requisitos das disciplinas são também apresentados.




UNESP/FEG/CGEE                                                                                       19
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


Quadro 2 - Seqüência aconselhada.
U.U.: Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá
Curso: Engenharia Elétrica                       Ano: 1
                                                                 3
  N° de                Disciplina                         C.H.           Pré-Requisitos             Co-Requisitos
 Ordem
     1         Cálculo Diferencial e Integral I            180
     1         Álgebra Linear e Cálculo Vetorial           90
     1         Física I                                    120
     1         Física Experimental I                       60                                   Física I
     1         Química Geral                               60
     1         Química Geral Experimental                  30                                   Química Geral
     1         Introdução à Engenharia Elétrica            60
     1         Programação de Computadores I               90
     1         Desenho Técnico Básico                      60
     1         Ciências do Ambiente                        30
     1         Direito e Cidadania                         30
                                        Total Ano 1:                                810 Horas
Curso: Engenharia Elétrica              Ano: 2
  N° de                Disciplina                         C.H.          Pré-Requisitos              Co-Requisitos
 Ordem
    2      Cálculo Diferencial Integral II                90         Cálculo Diferencial e
                                                                     Integral I e Álgebra
                                                                     Linear e Cálculo
                                                                     Vetorial
     2         Matemática Aplicada à Engenharia           60         Cálculo Diferencial e
               Elétrica                                              Integral II
     2         Física II                                  120        Física I e Cálculo
                                                                     Diferencial e Integral I
     2         Física Experimental II                     30         Física Experimental I      Física II
     2         Programação de Computadores II             60         Programação de
                                                                     Computadores I
     2         Eletrônica I                               75         Cálculo Diferencial e      Circuitos Elétricos
                                                                     Integral I
     2         Circuitos Elétricos                        180        Cálculo Diferencial e
                                                                     Integral I
     2         Cálculo Numérico                           45         Programação de
                                                                     Computadores I
     2         Estática e Introdução a                    90         Álgebra Linear e
               Resistência dos Materiais                             Cálculo Vetorial,
                                                                     Desenho Técnico
                                                                     Básico
     2         Materiais Elétricos                        30         Química Geral
     2         Estatística                                60         Cálculo Diferencial e
                                                                     Integral I
                                        Total Ano 2:                                840 Horas
Quadro 2 - Seqüência aconselhada – continuação.


         3
             C.H. Carga Horária


UNESP/FEG/CGEE                                                                                                        20
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


U.U.: Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá
Curso: Engenharia Elétrica                       Ano: 3
  N° de                Disciplina                         C.H.      Pré-Requisitos             Co-Requisitos
 Ordem
    3      Controle Linear                                150    Matemática Aplicada
                                                                 à Engenharia Elétrica,
                                                                 Circuitos Elétricos
     3        Eletromagnetismo                            120    Matemática Aplicada
                                                                 à Engenharia Elétrica,
                                                                 Física II
     3        Fenômenos de Transporte                     60     Cálculo Diferencial
                                                                 Integral II, Física I
     3        Engenharia de Software                      45     Programação de
                                                                 Computadores II
     3        Eletrônica Digital                          150    Eletrônica I
     3        Eletrônica II                               180    Eletrônica I, Circuitos
                                                                 Elétricos
     3        Máquinas Elétricas                          150    Circuitos Elétricos        Eletromagnetismo
     3        Transitórios em Circuitos Elétricos         30     Matemática Aplicada
                                                                 à Engenharia Elétrica,
                                                                 Circuitos Elétricos
                                        Total Ano 3:                             885 Horas
Curso: Engenharia Elétrica                       Ano: 4
  N° de                Disciplina                         C.H.      Pré-Requisitos             Co-Requisitos
 Ordem
    4      Controle Discreto                              30     Controle Linear
     4        Sistemas Microprocessados                   150    Eletrônica Digital,
                                                                 Eletrônica II
     4        Eletrônica Industrial I                     150    Eletrônica II
     4        Telecomunicações                            120    Eletrônica II
     4        Análise de Sistemas de Potência             120    Máquinas Elétricas
     4        Instalações Elétricas Industriais           90     Máquinas Elétricas
     4        Economia e Administração                    60     Estatística
     4        Instrumentação Industrial                   30
                                        Total Ano 4:                             750 Horas
Curso: Engenharia Elétrica                       Ano: 5
  N° de                Disciplina                         C.H.      Pré-Requisitos             Co-Requisitos
 Ordem
    5      Automação Industrial                           60     Instalações Elétricas
                                                                 Industriais
     5        Sistemas Microcomputadorizados              45     Sistemas
                                                                 Microprocessados
     5        Acionamentos Elétricos                      45     Eletrônica Industrial I,
                                                                 Máquinas Elétricas
     5        Geração, Transmissão e                      120    Análise de Sistemas
              Distribuição de Energia Elétrica                   de Potência
                                        Total Ano 5:                             270 Horas




UNESP/FEG/CGEE                                                                                                 21
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


Quadro 2 - Seqüência aconselhada – continuação.
U.U.: Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá
Curso: Engenharia Elétrica                       Disciplinas Optativas
  N° de                Disciplina                          C.H.     Pré-Requisitos           Co-Requisitos
 Ordem
              Administração de recursos                    30   Economia e
              humanos                                           Administração
              Análise de Circuitos Eletrônicos             45   Eletrônica II
              Usando SPICE
              Auditoria Energética                         45   Fenômenos de
                                                                Transporte
              Banco de Dados                               45   Programação de
                                                                Computadores II
              Circuitos de Comunicações                    45   Eletrônica II
              Cogeração                                    45   Fenômenos de
                                                                Transporte
              Complementos de Termodinâmica                45   Fenômenos de
                                                                Transporte
              Confiabilidade de Sistemas                   45                             Análise de Sistemas
              Elétricos de Potência                                                       de Potência
              Desenvolvimento de Aplicações                45   Programação de
              para a Internet                                   Computadores II
              Eletrônica Industrial II                     45   Eletrônica Industrial I
              Empreendedorismo                             45
              Introdução ao Projeto de Circuitos           45   Eletrônica I
              Integrados com Transistores MOS
              Linguagem de Programação                     45   Programação de
              Visual                                            Computadores II
              Microcontroladores                           45   Sistemas
                                                                Microprocessados
              Projeto de Sistemas Digitais com             45   Eletrônica Digital
              VHDL – I
              Projeto de Sistemas Digitais com             45   Projeto de Sistemas
              VHDL – II                                         Digitais com VHDL – I
              Psicologia aplicada ao trabalho              30
              Racionalização industrial e                  45
              sociedade
              Refrigeração, Ventilação e Ar                45   Fenômenos de
              Condicionado                                      Transporte
              Relações humanas no Trabalho                 45
              Sistemas de Comunicações                     45   Eletromagnetismo
              Móveis
              Sistemas de Informação WEB                   45   Programação de
                                                                Computadores II,
                                                                Banco de Dados
              Televisão Digital                            45   Eletromagnetismo
              Teoria e Otimização de Sistemas              45   Estatística
              Tópicos Especiais em Energia                 45   Fenômenos de
                                                                Transporte




UNESP/FEG/CGEE                                                                                               22
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


                A Figura 1 apresenta resumidamente a Grade de Pré e Co-Requisitos de todas
as disciplinas do curso.
      1ª Ano
                 CDI-I              ALCV                    DTB                  CA                 DC                   IEE                    F-I                   FE-I                QG                QGE                 PC-I

               6-0          A    3-0         A          0-2       A        2-0         2S      2-0       2S        2-0          A         4-0         A           0-2         A         4-0    1S         0-2   1S         2-1         A
      2ª Ano




                CDI-II             MAEE                  EIRM                   EL-I                CE               EST                   F-II                  FE-II                 MEL            PC-II                CN

               6-0      1S       3-1       2S         3-0        A         3-2        2S       4-2       A         2-0        A          4-0      A          0-1         A        2-0     1S        1-1     A        2-1        2S
      3ª Ano




                     FT                ELM                  CL                   ED                  EL-II                    TCE                     ME                    ESW

               4-0          2S    3-1        A         4-1       A         3-2         A        4-2          A            2-0        1S         4-1         A           1-2       1S
      4ª Ano




                     I IN               CD                   SMP                  EI-I                TEL                ECADM                    ASP                       IEI

               2-0          1S    2-0        2S          3-2         A         3-2         A       3-1        A         2-0          A          4-0         A         3-0         A
      5ª Ano




                                                SMC                   TG             ESTÁGIO                  ACE               GTDEE                       AI

                                           1-2        1S         0-3       A         0-6       A         2-1       1S          4-0        A           2-2        1S

                 1° Ano                                          2° Ano                                          3° Ano                                            4° Ano                                       5° Ano
CDI-I - Cálculo Diferencial e Integral I         CDI-II - Cálculo Diferencial e Integral II    FT - Fenômenos de Transporte                     I IN - Instrumentação Industrial               OPT – Optativa
ALCV - Álgebra Linear e Cálculo Vetorial         MAEE - Matemática Aplicada à Engenharia       ELM - Eletromagnetismo                           CD – Controle Discreto                         SMC - Sistemas Microprocomputadorizados
DB - Desenho Técnico Básico                      Elétrica.                                     CL - Controle Linear                             SMP - Sistemas Microprocessados                TG - Trabalho de Graduação
CA - Ciências do Ambiente                        EIRM - Estática e Introdução a Resistência    ED - Eletrônica Digital                          EI-I - Eletrônica Industrial I                 ACE – Acionamentos Elétricos
DC – Direito e Cidadania                         dos Materiais                                 EL-II - Eletrônica II                            TEL - Telecomunicações                         GTDEE - Geração, Transmissão e
IEE - Introdução a Engenharia Elétrica           EL-I – Eletrônica I                           TCE - Transitório em Circuitos Elétricos         ECADM – Economia e Administração               Distribuição de Energia Elétrica
F-I - Física I                                   CE – Circuitos Elétricos                      ME - Máquinas Elétricas                          ASP - Análise de Sistemas de Potência          AI - Automação Industrial
FE-I - Física Experimental I                     EST - Estatística                             ESW - Engenharia de Software                     IEI - Instalações Elétricas Industriais
QG - Química Geral                               F-II - Física II                                                                               OPT – Optativas
QGE - Química Geral Experimental                 FE-II - Física Experimental II
PC-I - Programação de Computadores I             MEL – Materiais Elétricos
                                                 PC-II Programação ed Computadores – II
                                                 CN - Cálculo Numérico




                                             Figura 1 – Grade de Pré e Co-Requisitos do Curso.




UNESP/FEG/CGEE                                                                                                                                                                                                                       23
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica




3.5. Critério para Integralização Curricular
         A seguir apresentam-se os requisitos mínimos necessários, em termos de
créditos e carga-horária, para a integralização curricular. Apresentam-se também
prazos para integralização e os limites máximo e mínimo de carga horária semanal.


3.5.1 Etapas Curriculares

                      Tipo                                   Créditos   Carga Horária
Disciplinas Obrigatórias                                       237          3.555
Disciplinas Optativas                                           9            135
Trabalho de Graduação                                           6            90
Estágio Supervisionado                                          12           180
                                            Total do Curso     264          3.960

3.5.2 Prazos para Integralização do Curso

Prazo mínimo para integralização curricular                                5 anos
Prazo máximo para integralização curricular                                9 anos

3.5.3 Limites de Carga Horária

Limite máximo de carga horária semanal                                    40 horas
Limite máximo de carga horária diária                                     15 horas


3.6. Estágio Supervisionado
         O Estágio Supervisionado é uma atividade que deve estar presente em toda
grade curricular. Segundo as Diretrizes Curriculares Parecer n° CNE/CES 1362/2001,
sua duração mínima deve ser de 160 (cento e sessenta) horas efetivamente
trabalhadas. Nesta proposta, ao Estágio Supervisionado são atribuídos 12 créditos e
os alunos devem, obrigatoriamente, comprovar no mínimo 180 (cento e oitenta) horas
efetivamente trabalhadas. Para que o aluno possa efetivar sua matrícula operacional
em Estágio Supervisionado é necessário que o mesmo já tenha integralizado no
mínimo 200 (duzentos) créditos.

         O Estágio Supervisionado é caracterizado pelo desenvolvimento de atividades
de pesquisa, metodologia de trabalho, aplicação de técnicas e projetos. Ele poderá
ser desenvolvido junto aos Departamentos e Unidades da UNESP ou junto a
empresas ou instituições. O estágio é uma atividade extremamente importante na
complementação da formação profissional do engenheiro eletricista, pois introduz o
aluno no mercado de trabalho, permitindo que o mesmo adquira uma atitude de

UNESP/FEG/CGEE                                                                          24
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


trabalho sistematizado e fazendo com que ele possa desenvolver uma consciência de
produtividade.

         O Estágio Supervisionado irá permitir também que o aluno se aprimore a partir
da aplicação dos conhecimentos recebidos, mas também a partir da descoberta de
deficiências em sua formação. Permitirá também que o mesmo tome consciência de
seu papel enquanto agente do processo de desenvolvimento do país.

         O desenvolvimento dos Estágios Supervisionados será acompanhado pelo
Setor de Estágio e pelas Comissões de Estágio do Curso de Graduação em
Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia do Campus de Guaratinguetá da
UNESP. Cada aluno deverá ter um orientador de estágio ao qual caberá acompanhar
o desenvolvimento do trabalho desempenhado pelo aluno. Ao final do estágio o aluno
deverá entregar, para avaliação do orientador, um relatório detalhado com as
atividades desenvolvidas.


3.7. Trabalho de Graduação
         O Trabalho de Graduação é obrigatório e a ele serão atribuídos seis créditos.
Sua elaboração consiste no desenvolvimento, pelo aluno, de uma Monografia que
relate uma atividade de pesquisa ou de desenvolvimento tecnológico. Para que o
aluno possa realizar seu Trabalho de Graduação é necessário que o mesmo já tenha
integralizado no mínimo 200 (duzentos) créditos.

         Seu principal objetivo é capacitar o estudante a implementar trabalhos de
caráter científico e/ou tecnológico, permitindo que o mesmo desenvolva uma atividade
de síntese e de integração do conhecimento que lhe foi apresentado, ou de parte
dele.

         Projetos de Iniciação Científica com bolsas poderão ser convertidos em
Trabalho de Graduação.

         O trabalho de graduação deverá ser avaliado por uma banca examinadora
formada pelo orientador e mais dois membros convidados pelo próprio orientador.
Não é obrigatório que o orientador ou que os membros da banca sejam professores,
do Departamento de Engenharia Elétrica do Campus de Guaratinguetá (DEE) ou de
qualquer outro departamento da UNESP, bastando que os mesmos possuam título de
Curso Superior. Caso o orientador não seja membro do DEE, um co-orientador do
DEE deverá ser designado. A avaliação do Trabalho de Graduação se dará a partir da



UNESP/FEG/CGEE                                                                     25
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


análise, pelo orientador (ou co-orientador), de relatórios parciais e pela banca a partir
do relatório final, na forma da Monografia, e argüição oral após a apresentação pelo
candidato do trabalho desenvolvido.

         Um forte encorajamento será dado ao aluno para que ele congregue o
desenvolvimento de seu Estágio Supervisionado com seu Trabalho de Graduação.
Isto trará um duplo benefício: ao aluno, pois permitirá que seu trabalho de síntese e
integração de conhecimento seja realizado tendo por base um problema real. Por
outro lado permitirá que os professores, que deverão atuar como co-orientadores
neste caso, possam interagir na solução de problemas reais existentes no mercado
de trabalho.


3.8. Atividades Complementares
         Diferentes atividades complementares poderão ser contabilizadas no histórico
dos alunos. Algumas delas (as três primeiras) poderão ser integralizadas como
integrantes do Critério para Integralização Curricular (c.f. Seção 3.5) e outras como
atividades extra-curriculares. A seguir, lista-se estas atividades.


3.8.1 Duplo Diploma com o Institut National Politechnique de
Grenoble - INPG

         A Faculdade de Engenharia do Campus de Guaratinguetá mantém um
programa de intercâmbio com o Institut National Politechnique de Grenoble - INPG na
França. Este acordo possibilita inclusive o desenvolvimento de um Programa de
Duplo Diploma. A participação dos alunos neste programa de intercâmbio será
garantida pela Resolução UNESP-125, de 22-10-2003, ou qualquer outra que venha a
substituí-la. O Estágio no INPG deverá permitir:

         1. Convalidação de disciplinas cursadas no exterior como disciplinas optativas
               após análise pelo Conselho de Curso;
         2. Aproveitamento               de      Estágios   Supervisionados   e/ou   Trabalhos   de
               Graduação após análise pelo Conselho de Curso.
         No caso de desenvolvimento de programa de Duplo Diploma, o aluno deverá
seguir um programa de estudo preparado previamente. A partir do cumprimento deste
programa de estudo as disciplinas cursadas no INPG poderão ser convalidadas como
disciplinas obrigatórias ou optativas. Os termos particulares do programa de Duplo
Diploma são definidos em acordo próprio aprovado pela UNESP. Caso o aluno


UNESP/FEG/CGEE                                                                                   26
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


desenvolva com sucesso o programa, ao seu final ele poderá receber diplomas de
Engenheiro Eletricista pela UNESP e pelo INPG.


3.8.2 Bolsas de Iniciação Científica Concedidas por Agências de
           Fomento

         O trabalho de pesquisa desenvolvido através de Bolsas de Iniciação Científica
concedida por agências de fomento, poderá, após análise do Conselho de Curso, ser
considerado como uma das disciplinas optativas que o aluno deve cursar segundo o
Critério para Integralização Curricular (c.f. Seção 3.5).


3.8.3 Convalidação de Disciplinas Cursadas em Outras Instituições
           de Ensino Superior

       A partir do segundo ano de seu curso de graduação, o aluno poderá, durante um
período máximo de 1 (um) ano e respeitando o prazo de integralização do curso,
cursar disciplinas de graduação em outro Campus da própria UNESP ou das outras
Universidade Pública do estado de São Paulo (USP ou Unicamp) ou em qualquer
outra instituição de ensino superior de reconhecido padrão de qualidade (a critério do
Conselho de Curso).

       A convalidação de créditos das disciplinas cursadas será efetivada após análise
do Conselho do Curso de Graduação em Engenharia Elétrica com base nos seus
conteúdos programáticos e carga horária, seguindo ainda a Resolução UNESP n° 41
de 01/06/2001 ou qualquer outra resolução que a substitua.


3.8.4 Convalidação de Disciplinas Cursadas em Cursos de Pós-
           Graduação da UNESP e outros Cursos de Pós-Graduação
           Credenciados pela CAPES

         A integração entre os cursos de graduação e pós-graduação vem sendo
incentivada pelo meio acadêmico, sendo extremamente interessante para ambos.
Considerando-se este aspecto, é facultado ao aluno de graduação, que tenha
integralizado pelo menos duzentos créditos, cursar disciplinas regulares em
Programas de Pós-Graduação recomendados pelas CAPES. Estas disciplinas
poderão, após análise do Conselho de Curso, serem listadas no histórico dos alunos
como disciplinas optativas de três créditos. Os créditos atribuídos desta forma, não
poderão ser contabilizados entre os nove créditos de disciplinas optativas que os



UNESP/FEG/CGEE                                                                     27
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


alunos devem cursar segundo o Critério para Integralização Curricular (c.f. Seção
3.5).


3.8.5 Cursos de Extensão Universitária

         Disciplinas cursadas em Cursos de Extensão Universitária devidamente
reconhecidos pela UNESP segundo a Resolução UNESP-73, de 14-08-2002, ou
qualquer outra que a substitua, poderão, após análise pelo Conselho de Curso, ser
considerados como créditos de Disciplinas Optativas. Para cada 15 horas de Curso
de Extensão Universitária devidamente comprovadas, será computado um crédito
como Disciplina Optativa. Os créditos atribuídos desta forma, não poderão ser
contabilizados entre os nove créditos de disciplinas optativas que os alunos devem
cursar segundo o Critério para Integralização Curricular (c.f. Seção 3.5).


3.8.6 Desenvolvimento de Atividades de Monitoria

         As atividades desenvolvidas pelo aluno enquanto Monitor de atividades de
ensino, articuladas com as de pesquisa e de extensão, poderão, após análise pelo
Conselho de Curso, ser considerados como créditos de Disciplinas Optativas de três
créditos. Os créditos atribuídos desta forma, não poderão ser contabilizados entre os
nove créditos de disciplinas optativas que os alunos devem cursar segundo o Critério
para Integralização Curricular (c.f. Seção 3.5).


3.8.7 Participação em Empresa Júnior

         Empresas Júnior são entidades jurídicas legalmente estabelecidas com o apoio
da UNESP que prestam serviços à comunidade em projetos de engenharia,
consultorias e assessorias. O desenvolvimento destes projetos é realizado com
orientação dos docentes e não deve abordar áreas normalmente atendidas por
empresas de engenharia e profissionais liberais da região. A participação de um aluno
no desenvolvimento de um projeto contratado à Empresa Junior, poderá, após análise
pelo Conselho de Curso, ser considerada como uma Disciplina Optativa de três
créditos. Os créditos atribuídos desta forma, não poderão ser contabilizados entre os
nove créditos de disciplinas optativas que os alunos devem cursar segundo o Critério
para Integralização Curricular (c.f. Seção 3.5).




UNESP/FEG/CGEE                                                                    28
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


3.8.8 Desenvolvimento de atividades de pesquisa e/ou extensão
           com        Bolsas         de     Extensão   Universitária   e/ou   Bolsas   de
           Assistência ao Estudante – PAE

         A participação de um aluno em atividades de pesquisa e/ou extensão, através
de Bolsas de Extensão Universitária (destinadas a incentivar o aluno que atua em
programas, projetos ou atividades de extensão) ou de Bolsas de Assistência ao
Estudante – PAE (bolsas financiadas pela Reitoria a alunos com carência econômica
vinculadas) poderá, após análise pelo Conselho de Curso, ser considerada como uma
Disciplina Optativa de 3 créditos. Os créditos atribuídos desta forma, não poderão ser
contabilizados entre os 9 créditos de disciplinas optativas que os alunos devem cursar
segundo o Critério para Integralização Curricular (c.f. Seção 3.5).


3.8.9 Participação na Semana das Engenharias Matemática e Física

         Esta semana, que vem acontecendo no Campus da UNESP de Guaratinguetá
desde 2000 (de forma integrada desde 2005), com organização exclusiva dos alunos
através dos Centros Acadêmicos dos cursos, desenvolve um ciclo de palestras e mini
cursos de profissionais de outras Universidades e/ou Empresas poderá, após análise
pelo Conselho de Curso, ser considerada como uma Disciplina Optativa de 3 créditos.
Os créditos atribuídos desta forma, não poderão ser contabilizados entre os nove
créditos de disciplinas optativas que os alunos devem cursar segundo o Critério para
Integralização Curricular (c.f. Seção 3.5).

3.8.10 Outras atividades de extensão e/ou pesquisa

         Através de solicitação do aluno, e após análise do Conselho de Curso,
atividades de extensão e/ou pesquisa diferentes das listas acima, poderão ser
consideradas como uma Disciplina Optativa de três créditos. Os créditos atribuídos
desta forma, não poderão ser contabilizados entre os nove créditos de disciplinas
optativas que os alunos devem cursar segundo o Critério para Integralização
Curricular (c.f. Seção 3.5).

3.9. Acompanhamento e Avaliação
         A seguir apresenta-se as ações que serão implantadas como formas de
acompanhamento e avaliação dos alunos, do próprio curso e do processo de
implantação da reestruturação curricular proposta.




UNESP/FEG/CGEE                                                                         29
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


3.9.1 Avaliação Docente

             No Campus de Guaratinguetá desenvolve-se a alguns anos um programa de
   avaliação docente. Através deste programa consegue-se colher principalmente a
   opinião dos alunos sobre o curso e suas disciplinas.

             Este processo avaliativo é realizado utilizando-se um Sistema Web no qual
   inicialmente os Coordenadores de Curso definem as diversas questões que serão
   respondidas pelos alunos. Algumas questões têm sido definidas para serem
   respondidas por todos os cursos permitindo assim uma análise unificada dos
   alunos sobre pontos comuns a diferentes cursos.

             Após a resposta dos alunos, o sistema realiza um tratamento estatístico e
   elabora gráficos para que os dados sejam então analisados pelos Conselhos de
   Curso. Após discussões no Conselho, as avaliações são enviadas aos professores
   das disciplinas e deverão ser analisadas conjuntamente em uma Assembléia de
   Classe da qual deverão participar os membros do Conselho de Curso, e os
   professores e alunos envolvidos.


3.9.2 Sistemática de Avaliação da Aprendizagem

         O processo de avaliação da aprendizagem a ser aplicado nas disciplinas pode
ser definido de forma individual por cada professor do curso para as disciplinas por
ele ministradas. Entretanto, todo processo deve ser coerente, avaliando efetivamente
o apresentado ao aluno.

         O processo de avaliação deverá ser contínuo e não concentrado em momentos
precisos (provas e exames). O processo de avaliação não deverá ser utilizado
unicamente para a atribuição de notas, devendo também ser utilizado para detectar
problemas de aprendizagem dos alunos, permitindo que estes possam eliminar suas
dificuldades.

         Além de avaliações pontuais individuais através de provas e/ou testes, com ou
sem consultas, os professores deverão, sempre que possível, realizar processos
avaliativos em que a atividade de grupo esteja presente (desenvolvimento de
trabalhos, seminários ou projetos).




UNESP/FEG/CGEE                                                                     30
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


4. Corpo Docente

         A seguir, apresenta-se a lista dos Departamentos envolvidos com esta
proposta de Reestruturação Curricular. Para cada Departamento apresenta-se uma
lista das disciplinas ministradas pelo departamento e uma lista de docentes, com sua
Titulação, Cargo ou Função e Regime de Trabalho.


4.1. Departamento de Energia
         O Quadro 3 detalha o corpo docente do Departamento de Energia da
Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, que será responsável pela disciplina
Fenômenos de Transporte, na implantação deste processo de reestruturação. A
critério do Conselho do Departamento os docentes serão alocados à disciplina que o
departamento deve oferecer.


Quadro 3: Docentes do Departamento de Energia.
                                                                 Cargo ou   Regime de
                        Docente                   Titulação
                                                                  Função     Trabalho
Carlos Daniel Ebinuma                            Livre Docente     MS-6       RDIDP
Guilherme Eugênio Filippo F. Filho               Livre Docente     MS-5       RDIDP
João Andrade de Carvalho Júnior                  Livre Docente     MS-6       RDIDP
Joaquim Antonio dos Reis                           Doutorado       MS-3       RDIDP
José Antonio Perrella Balestieri                 Livre Docente     MS-5       RDIDP
José Luz Silveira                                Livre Docente     MS-5       RDIDP
José Nédilo Carrinho de Castro                     Doutorado       MS-3       RDIDP
Luiz Roberto Carrocci                            Livre Docente     MS-6       RDIDP
Maurício Araújo Zanardi                          Livre Docente     MS-5       RDIDP
Paulo Magalhães Filho                            Livre Docente     MS-6       RDIDP
Pedro Magalhães Sobrinho                         Livre Docente     MS-3       RDIDP
Petrônio Masanobu Tanisho                          Doutorado       MS-3       RDIDP


4.2. Departamento de Engenharia Elétrica
         O Quadro 4 detalha o corpo docente do Departamento de Engenharia Elétrica
da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, que será responsável pelas
disciplinas enumeradas a seguir, na implantação deste processo de reestruturação. A
critério do Conselho do Departamento os docentes serão alocados às respectivas
disciplinas do curso.

         Nesta proposta de Reestruturação Curricular, o Departamento de Engenharia
Elétrica será responsável pelas seguintes disciplinas:



UNESP/FEG/CGEE                                                                      31
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


         1. Acionamentos Elétricos

         2. Análise de Sistemas de Potência

         3. Automação Industrial

         4. Circuitos Elétricos

         5. Controle Discreto

         6. Controle Linear

         7. Eletromagnetismo

         8. Eletrônica Digital

         9. Eletrônica I

         10. Eletrônica II

         11. Eletrônica Industrial I

         12. Engenharia de Software

         13. Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica

         14. Instalações Elétricas Industriais

         15. Instrumentação Industrial

         16. Introdução à Engenharia Elétrica

         17. Máquinas Elétricas

         18. Matemática Aplicada à Engenharia Elétrica

         19. Materiais Elétricos

         20. Sistemas Microcomputadorizados

         21. Sistemas Microprocessados

         22. Telecomunicações

         23. Transitórios em Circuitos Elétricos




UNESP/FEG/CGEE                                                         32
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica



Quadro 4: Docentes do Departamento de Engenharia Elétrica.
                                                                 Cargo ou   Regime de
                        Docente                   Titulação
                                                                  Função     Trabalho
Agnelo Marotta Cassula                             Doutorado       MS-3       RDIDP
Carlos Alberto Baldan                              Doutorado       MS-3        RTP
Durval Luiz Silva Ricciulli                        Doutorado       MS-3       RDIDP
Everson Martins                                    Doutorado       MS-3       RDIDP
Fernando Selles Ribeiro                          Livre Docente     MS-6        RTC
Francisco Antonio Lotufo                           Mestrado        MS-2       RDIDP
Galdenoro Botura Júnior                          Livre Docente     MS-5       RDIDP
Inácio Bianchi                                     Doutorado       MS-3       RDIDP
Jader Alves de Lima Filho                        Livre Docente     MS-5       RDIDP
Jânio Itiro Akamatsu                               Doutorado       MS-3       RDIDP
José Celso Freire Júnior                           Doutorado       MS-3       RDIDP
José Feliciano Adami                               Mestrado        MS-2        RTC
Leonardo Mesquita                                  Doutorado       MS-3       RDIDP
Luiz Octávio Mattos dos Reis                       Doutorado       MS-3        RTC
Márcio Abud Marcelino                            Livre Docente     MS-5       RDIDP
Maysa Nunes Alves                                Livre Docente     MS-5       RDIDP
Oscar Armando M. Astorga                         Livre Docente     MS-5       RDIDP
Ronaldo Rossi                                      Doutorado       MS-3        RTC
Samuel Euzédice de Lucena                          Doutorado       MS-3       RDIDP
Teófilo Miguel de Souza                            Doutorado       MS-3       RDIDP


4.3. Departamento de Engenharia Civil
         O Quadro 5 detalha o corpo docente do Departamento de Engenharia Civil da
Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, que será responsável pela disciplina
Ciências do Ambiente, na implantação deste processo de reestruturação. A critério do
Conselho do Departamento os docentes serão alocados à disciplina que o
departamento deve oferecer.




UNESP/FEG/CGEE                                                                      33
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica



Quadro 5: Docentes do Departamento de Engenharia Civil.
                                                             Cargo ou   Regime de
                       Docente                   Titulação
                                                              Função     Trabalho
Antonio Wanderley Terni                          Doutorado     MS-3       RDIDP
Auro Tanaka                                      Doutorado     MS-3       RDIDP
Cleiton Manfredini                               Mestrado      MS2        RDIDP
Enos Arneiro Nogueira da Silva                   Doutorado     MS-3       RDIDP
George de Paula Bernardes                        Doutorado     MS-3       RDIDP
João Ubiratan de Lima e Silva                    Doutorado     MS-3       RDIDP
José Bento Ferreira                              Doutorado     MS-3       RDIDP
José Carlos Mendieta Chávez                      Mestrado      MS2        RDIDP
Juércio Tavares de Mattos                        Doutorado     MS-3       RDIDP
Luiz Eduardo de Oliveira                         Doutorado     MS-3       RDIDP
Márcio Joaquim Estefano de Oliveira              Doutorado     MS-3        RTC
Marinalda Claudete Pereira                       Mestrado      MS-2        RTP
Sílvio Jorge Coelho Simões                       Doutorado     MS-3       RDIDP
Wellinton Cyro de Almeida Leite                  Doutorado     MS-3       RDIDP
Yzumi Taguti                                     Mestrado      MS-2       RDIDP


4.4. Departamento de Física e Química
         O Quadro 6 detalha o corpo docente do Departamento de Física e Química da
Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, que será responsável pelas disciplinas
enumeradas a seguir, na implantação deste processo de reestruturação. A critério do
Conselho do Departamento os docentes serão alocados às respectivas disciplinas do
curso.

         Nesta proposta de Reestruturação Curricular, o Departamento de Física e
Química será responsável pelas seguintes disciplinas:

         1. Física I

         2. Física Experimental I

         3. Física II

         4. Física Experimental II

         5. Química Geral

         6. Química Geral Experimental




UNESP/FEG/CGEE                                                                  34
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica



Quadro 6: Docentes do Departamento de Física e Química.
                                                                  Cargo ou   Regime de
                        Docente                    Titulação
                                                                   Função     Trabalho
Alberto Gaspar                                     Doutorado        MS-3       RDIDP
Álvaro de Souza Dutra                            Livre Docência     MS-5       RDIDP
Antonio Soares de Castro                         Livre Docência     MS-5       RDIDP
Carlos Eduardo Silva de Amorim                     Doutorado        MS-3       RDIDP
Carlos Renato Zacharias                            Doutorado        MS-3       RDIDP
Déborah Cristina Ribeiro dos Santos                Doutorado        MS-3        RTP
Denis Dalmazi                                    Livre Docência     MS-5       RDIDP
Eduardo Norberto Codaro                            Doutorado        MS-3       RDIDP
Fernando Luiz de Campos Carvalho                   Doutorado        MS-3       RDIDP
Hamilton de Felipe                                 Doutorado        MS-3       RDIDP
Isabel Cristina de Castro Monteiro                  Mestrado        MS-2        RTC
Jeferson de Lima Tomazelli                         Doutorado        MS-3       RDIDP
José Lourenço Cindra                               Doutorado        MS-3       RDIDP
José Marques Luiz                                  Doutorado        MS-3       RDIDP
Konstantin Georgiev Kostov                         Doutorado        MS-3       RDIDP
Marcelo Batista Hott                             Livre Docência     MS-5       RDIDP
Márcio Antonio Augelli                             Doutorado        MS-3       RDIDP
Marisa Andreata Whitaker                           Doutorado        MS-3       RDIDP
Marivone Nunho Sousa                               Doutorado        MS-3        RTP
Maurício Antonio Algatti                         Livre Docência     MS-5       RDIDP
Milton Eiji Kayama                               Livre Docência     MS-5       RDIDP
Odete Pacubi Baierl Teixeira                       Doutorado        MS-3       RDIDP
Roberto Yzumi Honda                              Livre Docência     MS-5       RDIDP
Roberto Zenhei Nakazato                            Doutorado        MS-3       RDIDP
Rogério Pinto Mota                               Livre Docência     MS-5       RDIDP
Sandra Aparecida Vestri Alvarenga                  Doutorado        MS-3       RDIDP
Tânia Cristina A. M. de Azevedo                    Doutorado        MS-3       RDIDP


4.5. Departamento de Matemática
         O Quadro 7 detalha o corpo docente do Departamento de Matemática da
Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, que será responsável pelas disciplinas
enumeradas a seguir, na implantação deste processo de reestruturação. A critério do
Conselho do Departamento os docentes serão alocados às respectivas disciplinas do
curso.

         Nesta proposta de Reestruturação Curricular, o Departamento de Matemática
será responsável pelas seguintes disciplinas:

         1. Álgebra Linear e Cálculo Vetorial

         2. Cálculo Diferencial e Integral I

         3. Cálculo Diferencial Integral II

         4. Cálculo Numérico



UNESP/FEG/CGEE                                                                       35
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


         5. Programação de Computadores I

         6. Programação de Computadores II


Quadro 7: Docentes do Departamento de Matemática.
                                                                 Cargo ou   Regime de
                        Docente                   Titulação
                                                                  Função     Trabalho
Ana Paula Marins Chiaradia                         Doutorado       MS-3       RDIDP
Cassilda Maria Ribeiro                             Doutorado       MS-3       RDIDP
Edson Luiz França Senne                          Livre Docente     MS-5       RDIDP
Ernesto Vieira Neto                                Doutorado       MS-3       RDIDP
Galeno José de Sena                                Doutorado       MS-3       RDIDP
Geraldo Pompeu Júnior                              Doutorado       MS-3       RDIDP
Júlio Santana Antunes                              Doutorado       MS-3       RDIDP
Marcos Antonio Pereira                             Doutorado       MS-3       RDIDP
Maria Cecília de F. P. Santos Zanardi            Livre Docente     MS-5       RDIDP
Maria Tereza de Lima C. Nogueira                   Doutorado       MS-3       RDIDP
Othon Cabo Winter                                Livre Docente     MS-5       RDIDP
Roberto Artur Cornetti Silva                       Doutorado       MS-3       RDIDP
Rodolpho Vilhena de Moraes                         Doutorado       MS-3       RDIDP
Sonia Regina Dal-Ri Múrcia                         Doutorado       MS-3       RDIDP
Sílvia Maria Giuliatti Winter                    Livre Docente     MS-5       RDIDP
Tânia Maria Vilela Salgado Lacaz                   Doutorado       MS-3       RDIDP
Vera Lia Marcondes C. de Almeida                   Doutorado       MS-3       RDIDP


4.6. Departamento de Mecânica
         O Quadro 8 detalha o corpo docente do Departamento de Mecânica da
Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, que será responsável pelas disciplinas
enumeradas a seguir, na implantação deste processo de reestruturação. A critério do
Conselho do Departamento os docentes serão alocados às respectivas disciplinas do
curso.

         Nesta proposta de Reestruturação Curricular, o Departamento de Mecânica
será responsável pelas seguintes disciplinas:

         1. Desenho Técnico Básico

         2. Estática e Introdução a Resistência dos Materiais




UNESP/FEG/CGEE                                                                      36
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica



Quadro 8: Docentes do Departamento de Mecânica.
                                                                 Cargo ou   Regime de
                        Docente                   Titulação
                                                                  Função     Trabalho
Álvaro Manoel de Souza Soares                      Doutorado       MS-3        RTC
Angela Dias Velasco                                Doutorado       MS-3       RDIDP
Araildo Lima da Silva                              Doutorado       MS-3       RDIDP
Celso Pinto Morais Pereira                       Livre Docente     MS-5       RDIDP
Fernando de Azevedo Silva                        Livre Docente     MS-5       RDIDP
Francisco José Grandinetti                         Doutorado       MS-3        RTC
João Alberto de Oliveira                           Doutorado       MS-3       RDIDP
João Zangrandi Filho                             Livre Docente     MS-5       RDIDP
José Elias Tomazini                                Doutorado       MS-3       RDIDP
José Geraldo Trani Brandão                         Doutorado       MS-3       RDIDP
Marcelo Augusto Santos Torres                      Doutorado       MS-3        RTC
Mauro Hugo Mathias                                 Doutorado       MS-3       RDIDP
Mauro Pedro Peres                                Livre Docente     MS-5       RDIDP
Nazem Nascimento                                 Livre Docente     MS-6       RDIDP
Tamotsu Hirata                                   Livre Docente     MS-5       RDIDP
Victor Orlando Gamarra Rosado                      Doutorado       MS-3       RDIDP


4.7. Departamento de Produção
         O Quadro 9 detalha o corpo docente do Departamento de Produção da
Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, que será responsável pelas disciplinas
enumeradas a seguir, na implantação deste processo de reestruturação. A critério do
Conselho do Departamento os docentes serão alocados às respectivas disciplinas do
curso.

         Nesta proposta de Reestruturação Curricular, o Departamento de Produção
será responsável pelas seguintes disciplinas:

         1. Direito e Cidadania

         2. Economia e Administração

         3. Estatística




UNESP/FEG/CGEE                                                                      37
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica



Quadro 9: Docentes do Departamento de Produção.
                                                                         Cargo ou     Regime de
                        Docente                            Titulação
                                                                          Função       Trabalho
Antonio Fernando Branco Costa                            Doutorado         MS-3         RDIDP
Edgard Dias Batista Júnior                               Doutorado         MS-3         RDIDP
Edson Cocchieri Botelho                                  Substituto        MS-3          RPT
Fernando Augusto Silva Marins                          Livre Docente       MS-5         RDIDP
Fernando César Mendes Barbosa                            Mestrado          MS-2          RTP
Grasiele Augusta F. Nascimento                           Substituto        MS-2        24 horas
Maurício César Delamaro                                  Doutorado         MS-3         RDIDP
Messias Borges Silva                                     Doutorado         MS-3          RTC
Renato Rocha Lieber                                      Doutorado         MS-3          RTC
Rosaura de Menezes Selles Ribeiro                        Doutorado         MS-3         RDIDP
Ubirajara Rocha Ferreira                                 Doutorado         MS-3         RDIDP
Valério Antonio Pamplona Salomon                         Doutorado         MS-3         RDIDP


5. Corpo Técnico-Administrativo
         A seguir apresenta-se no Quadro 10 a lista dos funcionários diretamente
envolvidos com o curso. Por diretamente envolvidos entende-se aqueles que de
alguma forma estão ligados a atividades de ensino.


Quadro 10: Lista dos Funcionários Diretamente Envolvidos com o Curso.
          Funcionário                    Cargo ou Função      Órgão de Atividade Desempenhada
                                                              Lotação
Maria Claudia J. Ribeiro              Assistente               SAEPE Participar do planejamento,
                                      Administrativo                   organização, execução,
Eliana Freitas C. G. Silva            Assistente                SGD    distribuição, controle e
                                      Administrativo                   orientação das atividades
Sonia Regina F. Silva                 Assistente                DEE    administrativas e de
Andrade                               Administrativo                   desenvolvimento da área
                                                                       de atuação.
Ada Sansevero dos Santos Diretor Técnico de                     DTA    Dirigir as atividades sob
                         Divisão                                       sua responsabilidade,
                                                                       planejando, organizando
                                                                       acompanhando,
                                                                       supervisionando e
                                                                       analisando as mesmas
                                                                       para assegurar os
                                                                       resultados fixados e
                                                                       assistir à administração da
                                                                       Unidade.




UNESP/FEG/CGEE                                                                                 38
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica



Quadro 10: Lista dos Funcionários Diretamente Envolvidos com o Curso –
           continuação.
          Funcionário                    Cargo ou Função        Órgão de Atividade Desempenhada
                                                                Lotação
Darci Hasmann                         Oficial Adm.               SAEPE Participar do planejamento,
                                      Universitária                      organização, execução,
Regina Célia F. da Silva              Oficial Adm.                SGD    distribuição, controle e
Souza                                 Universitária                      orientação das atividades
                                                                         desenvolvidas na área de
                                                                         atuação
Stella Costa Staut                    Oficial Administrativo     SAEPE Executar serviços de apoio
Alessandra Maria Pinelli              Oficial Administrativo      SGD    administrativo, conforme a
Maia                                                                     área de atuação, visando o
Maria Teresa Maia                     Oficial Administrativo      SGD    atendimento das rotinas e
                                                                         sistemas estabelecidos,
Darci Teixeira Balieiro               Oficial Administrativo      STA    bem como auxiliar no
Galvão                                                                   planejamento,
Licemara Maria Montagna               Oficial Administrativo      STA    organização, controle e
Bertho                                                                   análise das atividades
Maria Aparecida R.                    Oficial Administrativo      DMT    administrativas em geral.
Vasconcelos
Joe Martins de Almeida                Técnico de Laboratório      DEE     Desenvolver e executar
Laércio Jose Cardoso                  Auxiliar de Laboratório     DEE     atividades de apoio
Ferreira                                                                  técnico, destinados ao
Marcio Honório                        Técnico de Laboratório      DEE     ensino, pesquisa e
                                                                          extensão.
Valdir dos santos Siqueira            Técnico de Laboratório      DEE
Conceição A. Matsumoto                Auxiliar Acadêmico          DFQ
Dutra
Fátima Aparecida Peixoto              Auxiliar Acadêmico          DFQ
Silva
Jose Benedito Galhardo                Técnico de Laboratório      DFQ
Marcelo de Orsen                      Técnico de Laboratório      DFQ
Marcelino
Maurílio Alencar de Souza             Técnico de Laboratório      DFQ
Tiago Raimundo da Silva               Técnico de Laboratório      DFQ
Ana Cristina F. Loureiro              Auxiliar de biblioteca      SAT     Planejar, organizar,
Ana Lucia D. da Silva                 Auxiliar de biblioteca      SAT     orientar e executar
Rabelo                                                                    trabalhos técnicos relativos
Gracia Luiza Novais da                Bibliotecário               SAT     às atividades
Silva                                                                     biblioteconômicas, visando
                                                                          o processamento, o
Luciana Máximo                        Bibliotecário               SAT     armazenamento, a
Márcia A. Querido Moreira             Auxiliar de biblioteca      SAT     recuperação e a
                                                                          disseminação da
                                                                          informação.
Cleri de Cássia S. S.                 Auxiliar de Informática     STI     Realizar as tarefas
Casella                                                                   necessárias ao perfeito
Ilza Helena Carvalho F.               Auxiliar de Informática     STI     funcionamento do Serviço
Castro                                                                    Técnico de Informática
Leila de Campos                       Auxiliar de Informática     STI     quanto às necessidades
                                                                          dos alunos.




UNESP/FEG/CGEE                                                                                     39
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


6. Previsão de Despesas

         A princípio não estão previstas despesas para implementação do processo de
Reestruturação Curricular. Entretanto, dada a idade avançada de boa parte dos
laboratórios didáticos, uma atenção especial, em função da disponibilidade de verbas,
deve ser dada a atualização desses laboratórios.

         Uma questão fundamental é que o esforço de reposição dos quadros docentes
deve continuar, visando dar sustentabilidade aos cursos, com um grau de qualidade
aceitável. Outra questão fundamental é que seja desenvolvido um sistema de
informações gerenciais para os Conselhos de Curso. Isso é importante para
maximizar a capacidade de planejamento, acompanhamento, controle e avaliação dos
Conselhos. Para tanto, deve-se considerar que uma parte considerável dos recursos
podem advir da capacidade e conhecimento já acumulados dentro da universidade.


7. Implantação Curricular

         A implantação da nova estruturação curricular será feita de forma gradual para
os alunos ingressantes a partir do primeiro semestre de 2007. Dessa forma, a
implantação total desta nova estruturação só será efetivada em 2011. A Tabela 6
apresenta de forma esquemática como deverá se desenrolar o processo de
Implantação Curricular.

                                     Tabela 6 – Implantação Curricular

                                            1 ° Ano       2007
                                            2 ° Ano       2008
                                            3 ° Ano       2009
                                            4 ° Ano       2010
                                            5 ° Ano       2011

         Conforme se pode observar, as disciplinas da nova estruturação curricular
serão oferecidas gradativamente, conforme se der a implantação do curso. O aluno
que tiver ingressado antes de 2007 e que desejar, poderá optar, em caráter
irreversível, pela nova estruturação curricular. Neste caso, a opção não garantirá o
oferecimento das disciplinas da nova estruturação curricular em período anterior ao
previsto em seu cronograma de implantação (1°Ano – 2007, 2°Ano – 2008, 3°Ano –
2009, 4°Ano – 2010, 5°Ano – 2011).



UNESP/FEG/CGEE                                                                      40
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


         Para os alunos que optarem pela nova estrutura, deverá ser adotado o quadro
de equivalência entre disciplinas obrigatórias da estrutura curricular atual, (aprovada
pela Resolução UNESP n° 10 de 19/01/1995, alterada pela Resolução UNESP
n° 3 de 07/01/2005) e a estruturação curricular proposta, como apresentado no
Quadro 11. Os alunos que optarem pela nova estruturação, deverão neste caso,
cursar todas as disciplinas para as quais não houver equivalência no currículo
vigente. Os casos omissos serão analisados um a um pelo Conselho de Curso.

         Com relação às disciplinas optativas os alunos deverão, tanto os que
ingressarem na nova estruturação, como os que optarem pela nova estruturação, ou
aqueles que continuarem na estrutura atual, cursar três disciplinas optativas da
estrutura curricular a qual estiverem ligados. Equivalências entre disciplinas optativas
das duas estruturas serão analisadas pelo Conselho de Curso.


Quadro 11: Equivalência entre as disciplinas da nova e antiga estruturas curriculares.
       Disciplinas do Currículo Vigente                      Disciplinas do Currículo Proposto
          Disciplina                      Créd.   Ano            Disciplina                Créd.   Ano
Cálculo Diferencial e Integral I            8      1    Cálculo Diferencial e Integral I    12      1
Matemática Aplicada e                       2      1
Computacional (2° Semestre)
Álgebra Linear e Cálculo                    6      1    Álgebra Linear e Cálculo            6       1
Vetorial                                                Vetorial
Física Geral I                              8      1    Física I                            8       1
Física Experimental I                                   Física Experimental I               4       1
Química Geral e Tecnológica                 6      1    Química Geral                       4       1
Química Experimental                        4      1    Química Geral Experimental          2       1
                                                        Introdução à Engenharia             4       1
                                                        Elétrica
Computação e Cálculo                        4      2    Programação de                      6       1
Numérico (1° Semestre)                                  Computadores I
Matemática Aplicada e                       2      1
Computacional (1° Semestre)
Desenho Técnico Básico                      4      1    Desenho Técnico Básico              4       1
Ciências do Ambiente                        2      5    Ciências do Ambiente                2       1
Direito                                     2      5    Direito e Cidadania                 2       1
Cálculo Diferencial e Integral II           2           Cálculo Diferencial e Integral      6       2
                                                        II
                                                        Matemática Aplicada à               4       2
                                                        Engenharia Elétrica
Física Geral II                             8      2    Física II                           8       2
Física Experimental II                      4      2    Física Experimental II              2       2
Linguagem de Programação                                Programação de                      4       2
Java (Optativa)                                         Computadores II
Dispositivos Eletrônicos                    4      2    Eletrônica I                        5       2



UNESP/FEG/CGEE                                                                                     41
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica



Quadro 11: Equivalência entre as disciplinas da nova e antiga estruturas curriculares
           - continuação.
       Disciplinas do Currículo Vigente                      Disciplinas do Currículo Proposto
          Disciplina                      Créd.   Ano             Disciplina          Créd.   Ano
Laboratório de Dispositivos                 2      2
Eletrônicos
Eletrotécnica Geral                         8      2    Circuitos Elétricos            12        2
Laboratório de Eletrotécnica                2      2
Computação e Cálculo                        4      2    Cálculo Numérico                3        2
Numérico (2° Semestre)
Estática e Introdução a                     6      2    Estática e Introdução a         6        2
Resistência dos Materiais                               Resistência dos Materiais
Materiais Elétricos                         3      2    Materiais Elétricos            2         2
Probabilidade e Estatística                 4      2    Estatística                    4         2
Análise e Controle de                       8      3    Controle Linear                10        3
Sistemas Dinâmicos
Lab. de Análise e Controle de               2      3
Sistemas Dinâmicos
Eletromagnetismo                            8           Eletromagnetismo               8         3
Fenômenos de Transporte                     4      3    Fenômenos de Transporte        4         3
Engenharia de Software                      3      3    Engenharia de Software         3         3
Eletrônica Digital                          6      1    Eletrônica Digital             10        3
Lab. de Eletrônica Digital                  4      1
Circuitos Eletrônicos                       8      3    Eletrônica II                  12        3
Laboratório de Circuitos                    4      3
Eletrônicos
Transformadores e Máquinas                  8      3    Máquinas Elétricas             10        3
Elétricas
Lab. de Transformadores e                   2      3
Máquinas Elétricas
Transitórios em Circuitos                   3      3    Transitórios em Circuitos       2        3
Elétricos                                               Elétricos
Controle Discreto                           4      4    Controle Discreto              2         4
Microprocessadores                          10     2    Sistemas Microprocessados      10        4
Eletrônica Industrial I                     6      4    Eletrônica Industrial I        10        4
Laboratório de Eletrônica                   4      4
Industrial I
Princípios de Comunicações                  8      4    Telecomunicações                8        4
Análise de Sistemas de                      8      4    Análise de Sistemas de          8        4
Potência                                                Potência
Instalações Elétricas                       8      4    Instalações Elétricas           6        4
Industriais
Economia de Empresa                         4      4    Economia e Administração        4        4
Organização da Produção                     4      5
Instrumentação Industrial                   5      5    Instrumentação Industrial       2        4
Interfaceamento e Controle                  6      5    Automação Industrial            4        5
Eletro-Eletrônico




UNESP/FEG/CGEE                                                                                   42
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica



Quadro 11: Equivalência entre as disciplinas da nova e antiga estruturas curriculares
           - continuação.
       Disciplinas do Currículo Vigente                          Disciplinas do Currículo Proposto
            Disciplina                    Créd.       Ano             Disciplina          Créd.   Ano
Sistemas                                    3          3     Sistemas                       3      5
Microcomputadorizados                                        Microcomputadorizados
Acionamentos Elétricos                      4          4     Acionamentos Elétricos         3        5
Geração e Transmissão de                    6          5     Geração, Transmissão e         8        5
Energia Elétrica                                             Distribuição de Energia
                                                             Elétrica


         A carga horária e os conteúdos programáticos que diferem entre as disciplinas
da Resolução UNESP n° 10 de 19/01/1995, alterada pela Resolução UNESP n° 3 de
07/01/2005, e as correspondentes à nova estrutura curricular, serão complementadas
pelo docente responsável pelas respectivas disciplinas da estrutura curricular
proposta através de um programa de ensino complementar onde devem ser previstos
estudos dirigidos, trabalhos e projetos extra sala de aulas, bem como critérios de
avaliação e bibliografias específicas para fins de complementação de conteúdos.


7.1. Acompanhamento                               e        Análise     da     Implantação            da
         Reestruturação Curricular
         A implantação desta proposta de reestruturação curricular se estenderá de
2007 a 2011. No início de cada ano, a partir de 2008 e até 2012, o Conselho de Curso
deverá realizar um processo avaliativo cumulativo sobre os erros e acertos da
proposta de reestruturação.

         Em 2012, após análise aprofundada, o Conselho de Curso deverá propor se
necessário, as adaptações necessárias à correção dos problemas identificados.


7.2. Critério Único de Aproveitamento
         O critério de avaliação será por disciplina. Nos termos do artigo 80 do
Regimento Geral da UNESP, será considerado aprovado, com direito aos créditos da
disciplina, o aluno que além da exigência da freqüência, obtiver nota igual ou superior
a 5,0 (cinco inteiros).

         As disciplinas semestrais serão avaliadas levando em consideração três notas.
Para aprovação, a média em disciplina semestral (MFS) calculada segundo a fórmula
abaixo deverá ser maior ou igual a 5,0 (cinco inteiros).


UNESP/FEG/CGEE                                                                                       43
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


                                                      N1  N 2  2  N 3
                                             MFS 
                                                              4

         onde, N1 representa a nota do primeiro bimestre, N2 a nota do segundo
bimestre e N3 a nota da avaliação dos tópicos mais representativos e relevantes do
conteúdo da disciplina. As notas N1 e N2 podem ser compostas de uma ou mais
avaliações a critério do professor.

         Caso a média aritmética entre N1 e N2 for maior ou igual a 7,0 (sete inteiros) o
aluno poderá não realizar a terceira avaliação (N3) e neste caso esta média
representará a Média Final do aluno na disciplina. Caso o aluno opte por realizar esta
terceira avaliação, a mesma só poderá ser considerada caso melhore sua Média
Final. Sendo necessária, a avaliação correspondente a nota N 3 deverá ser aplicada
após o 90° (nonagésimo) dia de aula.

         As disciplinas anuais serão avaliadas levando em consideração cinco notas.
Para aprovação, a média em disciplina anual (MFA) calculada segundo a fórmula
abaixo deverá ser maior ou igual a 5,0 (cinco inteiros).

                                                 N1  N 2  N 3  N 4  4  N 5
                                      MFA 
                                                               8

         onde, N1 representa a nota do primeiro bimestre, N2 a nota do segundo
bimestre, N3 representa a nota do terceiro bimestre, N4 a nota do quarto bimestre e N5
a nota da avaliação dos tópicos mais representativos e relevantes do conteúdo da
disciplina. As notas N1, N2, N3 e N4 podem ser compostas de uma ou mais avaliações
a critério do professor.

         Caso a média aritmética entre N1, N2, N3 e N4 for maior ou igual a 7,0 (sete
inteiros) o aluno poderá não realizar a quinta avaliação (N 5) e neste caso esta média
representará a Média Final do aluno na disciplina. Caso o aluno opte por realizar esta
quinta avaliação, a mesma só poderá ser considerada caso melhore sua Média Final.
Sendo necessária, a avaliação correspondente a nota N5 deverá ser aplicada após o
180° (centésimo octogésimo) dia de aula.

         Segundo o parágrafo 3° do artigo 78 do Regimento Geral da UNESP, o aluno
que não tiver freqüentado pelo menos 70 % (setenta por cento) das atividades
escolares programadas estará automaticamente reprovado.

         O Regime Especial de Recuperação (RER) será aplicado segundo o artigo 8°
da Resolução UNESP n° 44 de 10/07/1995.


UNESP/FEG/CGEE                                                                        44
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


7.3. Responsabilidades em Relação ao Projeto Pedagógico
         O sucesso na implantação do projeto pedagógico do curso de Engenharia
Elétrica do Campus de Guaratinguetá da UNESP requer a participação de
professores, alunos, Departamentos, Conselho do Curso e da Direção da Escola,
cabendo a cada um desses agentes uma série de responsabilidades, explicitadas a
seguir. A lista aqui apresentada com certeza não é definitiva.


7.3.1 Responsabilidades dos Professores

        Ao final de cada ano atualizar e remeter, em tempo hábil, o Plano de Ensino
         para o Departamento.

        Procurar, através de exemplos dados em sala e dos trabalhos de disciplina,
         motivar o estudante para o ensino da Engenharia Elétrica.

        Cuidar, quando se aplicar, para que haja sincronização entre os ensinos teórico
         e prático.

        Participar das discussões no Departamento sobre a conduta pedagógica que
         venha implantar o método de ensino preconizado pelo Projeto Pedagógico.

        Procurar, através de sua postura, transmitir exemplos de conduta ética aos
         alunos, agindo de forma sempre correta, julgando seus alunos com eqüidade,
         demonstrando coerência nas suas atitudes, estabelecendo contratos claros e
         objetivos para condução de suas disciplinas e enaltecendo os exemplos de
         conduta ética adotados por profissionais e cientistas vinculados à sua área de
         atuação.

        Adequar a quantidade de tarefas passadas ao aluno à carga horária da
         disciplina.

        Participar dos programas de treinamento que venham a ser oferecidos no
         Campus.

        Procurar enriquecer sua formação profissional através de atividades de
         orientação de trabalhos de iniciação científica, de trabalhos de graduação (TG),
         de estágios e de trabalhos de extensão.




UNESP/FEG/CGEE                                                                        45
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


        Elaborar as avaliações acumulativas de conhecimento, procurando enfocar
         apenas tópicos fundamentas da matéria, evitando suas minúcias e cuidando
         para que o volume de matéria a ser cobrado não desestimule o aluno.

        Comparecer às Assembléias de Classe, quando convidados.

        Priorizar as atividades de ensino no seu plano de trabalho, detalhando,
         anualmente, o que pretende fazer (reestruturação de disciplina, treinamento em
         pedagogia e didática, desenvolvimento de textos didáticos, etc.).

        Preocupar-se em ampliar continuamente sua cultura geral.

        Manter atualizados os programas de disciplinas e as indicações bibliográficas.

        Cuidar para que os alunos tenham acesso imediato aos textos didáticos
         básicos utilizados nas suas disciplinas e manter atualizadas suas solicitações
         de compra de livros à biblioteca.

        Manter cópia das provas e dos testes aplicados e dos trabalhos solicitados, por
         um período mínimo de cinco anos.

        Respeitar as datas definidas para a publicação de notas de avaliações e faltas
         dos alunos.


7.3.2 Responsabilidades dos Departamentos

        Aprovar os Planos de Ensino, elaborados pelos professores, e remetê-los em
         tempo hábil para o Conselho de Curso.

        Assegurar, sempre que necessário, os meios para que os ensinos teórico e
         prático sejam desenvolvidos de forma sincronizada.

        Convocar seus docentes para participarem das discussões sobre método de
         ensino e postura pedagógica a serem coordenadas pelo Conselho de Curso.

        Fomentar a participação dos seus docentes nos programas de treinamento em
         pedagogia e didática que venham a ser oferecidos no Campus.




UNESP/FEG/CGEE                                                                       46
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


        Orientar os docentes vinculados ao ciclo profissionalizante do curso para que
         estes desenvolvam atividades de orientação de estágios e de trabalhos de
         graduação (TG).

        Priorizar as atividades de ensino quando da aprovação do plano de trabalho do
         docente.

        Analisar       as     informações       obtidas   através   do   Sistema   Integrado   de
         Acompanhamento Pedagógico (SIAP), ou qualquer outro que venha a
         substituí-lo, e encaminhar soluções visando melhorar o desempenho didático e
         pedagógico dos docentes.

        Encaminhar, junto com o Conselho de Curso, soluções para os problemas
         levantados durante as Assembléias de Classe.

        Cuidar para que o processo de renovação do seu corpo docente ocorra de
         forma suave, procurando, no mínimo, manter o aporte de conhecimento e o
         nível de experiência adquiridos pelo Departamento.

        Priorizar a capacidade didática e a experiência profissional dos candidatos nos
         processos de contratação de novos docentes

        Contribuir para que o corpo docente assimile plena e rapidamente a nova
         cultura organizacional da universidade, na qual se inserem os Conselhos de
         Curso, para que sejam reconhecidas a autoridade e a responsabilidade deste
         órgão na condução do ensino.


7.3.3 Responsabilidades do Conselho de Curso

        Interagir com os docentes e os Departamentos na fase de elaboração dos
         Planos de Ensino para garantir sua conformidade com o Projeto Pedagógico.

        Aprovar os Planos de Ensino de cada disciplina.

        Acompanhar a montagem do horário escolar, garantindo o atendimento aos
         seguintes princípios:

              o Que fixe o aluno, especialmente até a 3ª série, no Campus durante os
                   períodos matutino e vespertino;


UNESP/FEG/CGEE                                                                                  47
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


              o Que utilize todos os horários de um mesmo período do dia para
                   exposição de aulas (não deixar "janelas");

        Desenvolver e atualizar anualmente o catálogo de curso, distribuir e apresentá-
         lo aos alunos no início de cada ano letivo.

        Coordenar as atividades das Assembléias de Classe e encaminhar os seus
         resultados.

        Discutir com os Departamentos o encaminhamento de soluções para os
         problemas levantados pelas Assembléias de Classe.

        Encaminhar aos Departamentos os resultados extraídos do Sistema Integrado
         de Acompanhamento Pedagógico.

        Assegurar, sempre que necessário, os meios para que os ensinos teórico e
         prático sejam desenvolvidos de forma sincronizada.

        Assegurar que o Estágio Supervisionado a ser desenvolvido pelo aluno seja
         realizado de forma a cumprir seus objetivos acadêmicos.

        Coordenar o processo de discussão nos Departamentos sobre método de
         ensino e postura pedagógica dos docentes.

        Avaliar anualmente a situação das salas de aulas e as condições dos recursos
         didáticos e remeter sugestões de melhoria para a Comissão Permanente de
         Ensino.

        Interagir com os Departamentos na elaboração dos processos de contratação
         de novos docentes, objetivando priorizar a capacidade didática e a experiência
         profissional dos candidatos.

        Reivindicar da Direção a otimização e melhoria contínua dos ambientes de
         estudo para que os alunos se estimulem a permanecer no Campus em tempo
         integral.

        Articular, junto com a Direção do Campus, programas de treinamento didático e
         pedagógico para os docentes.




UNESP/FEG/CGEE                                                                       48
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


        Desenvolver, implantar e gerenciar o sistema de premiação e o sistema de
         acompanhamento das atividades dos alunos.

        Elaborar um procedimento de avaliação que garanta o acompanhamento dos
         egressos do curso no mercado de trabalho, de tal modo que estas informações
         possam ser úteis ao Conselho de Curso em sua atuação para a melhora
         contínua do curso.

        Sedimentar a cultura organizacional da universidade, na qual se inserem os
         Conselhos de Curso, através do desenvolvimento de um trabalho sério e
         competente, onde prevaleça sempre o diálogo e o espírito cooperativo com os
         demais órgãos da instituição.


7.3.4 Responsabilidades da Direção do Campus

        Direcionar investimentos para melhorar a infra-estrutura de ensino, adquirindo
         equipamentos didáticos e melhorando as condições ambientais e as
         acomodações físicas das salas de aula.

        Manter, e sempre que possível melhorar, os ambientes de estudo e o centro de
         convivência para estimular o estudante a permanecer no Campus em tempo
         integral.

        Viabilizar a realização dos programas de treinamento em didática e pedagogia
         para os docentes.

        Estimular as atividades da Central de Estágio, garantindo as condições para
         que cumpra seus objetivos.

        Propiciar condições para que o corpo docente desenvolva atividades nas
         empresas com o objetivo de aprimorar-se profissionalmente.

        Contribuir para que o corpo docente assimile plena e rapidamente a cultura
         organizacional da universidade, na qual se inserem os Conselhos de Curso,
         para que sejam reconhecidas a autoridade e a responsabilidade deste órgão
         na condução do ensino




UNESP/FEG/CGEE                                                                      49
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


7.3.5 Responsabilidades dos Alunos

        Inteirar-se do Plano de Ensino de cada disciplina e reivindicar do professor o
         atendimento de tudo quanto nele foi estabelecido.

        Inteirar-se do sistema de avaliação e do regime de aprovação do curso.

        Participar das Assembléias de Classe adotando sempre uma postura
         adequada ao espírito universitário.

        Fazer-se representar junto aos órgãos decisórios da Universidade nos quais os
         discentes têm assento e exigir dos seus representantes uma atuação ativa.

        Conscientizar-se de que o aluno do Curso de Engenharia Elétrica é um
         estudante em tempo integral e que as atividades do curso foram planejadas
         para uma dedicação média do aluno de cerca de 50 horas semanais.

        Freqüentar o Campus em tempo integral, pelo menos até o terceiro ano,
         procurando o acompanhamento dos docentes e monitores no desenvolvimento
         de suas tarefas.

        Atuar junto aos docentes, departamentos e Conselho de Curso para garantir
         que, sempre que necessário, os ensinos prático e teórico sejam desenvolvidos
         de forma sincronizada e com o objetivo de fazer do primeiro um reforço da
         aprendizagem da matéria contida no segundo.

        Exigir um ensino sempre de alto nível, entendendo ser este um direito legítimo
         do aluno.

        Agir sempre com extrema probidade escolar.

        Participar intensamente da vida acadêmica e do processo político da Escola.

        Atender as solicitações do Conselho de Curso quanto à realização das
         atividades relacionadas com o Sistema Integrado de Acompanhamento
         Pedagógico, usando de isenção ao responder aos questionários presentes
         neste sistema, entendendo ser este um instrumento para a melhoria contínua
         do Curso.

        Inteirar-se do sistema de premiação de alunos.


UNESP/FEG/CGEE                                                                         50
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica


8. Aprovação da Congregação

         A presente proposta de reestruturação foi aprovada pela na reunião da
Congregação de 07 de junho de 2006. Ver o ANEXO C deste documento.




UNESP/FEG/CGEE                                                             51
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica




                                                 ANEXO A

    Programas das disciplinas obrigatórias do
   Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade
  de Engenharia do Campus de Guaratinguetá
                                                 da UNESP.




UNESP/FEG/CGEE                                               52
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica




                                                 ANEXO B

Programas das disciplinas optativas do Curso
        de Engenharia Elétrica da Faculdade de
  Engenharia do Campus de Guaratinguetá da
                                                 UNESP.




UNESP/FEG/CGEE                                             53
Reestruturação do Curso de Engenharia Elétrica




                                                 ANEXO C

                    Comprovante de aprovação da
reestruturação pela Congregação do Campus.




UNESP/FEG/CGEE                                             54

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:31
posted:2/26/2012
language:Portuguese
pages:54