Your Federal Quarterly Tax Payments are due April 15th Get Help Now >>

modelo_boletim39_WEB_color copy.indd by JimmyPavel

VIEWS: 9 PAGES: 4

									                                                                                                    Boletim ICVSM
                                                                                                        Índice do Custo de Vida de Santa Maria


                                                                                                                                                                   nº 39
                                                                                                                                                                   Agosto/2009

Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) – Área de Ciências Sociais
Laboratório de Práticas Econômicas – Curso de Economia

   EQUIPE TÉCNICA:

   Professores: José Maria Dias Pereira (Coordenador Geral), Valduino Estefanel (Coordenador de Estatística), Herton Castiglioni Lopes e Marcelo Arend (Analistas Econômicos)
   Acadêmicos: Antônio Ricardo Sones Henriques, Ana Paula de Medeiros da Silva, Felipe Spiazzi do Nascimento, Lucas Martin Arruda, Paula Fernanda Wachholz Jardim e Luciana da Silva Feliciane
   (Pesquisadores/Bolsitas PRPGPE)

   CPD – Centro de Processamento de Dados da UNIFRA
   Prof. Elton Regis C. Spode (Coordenador de Programação), Gláucia L. de Oliveira (Programadora), Camila Monego Moreira (Webmaster)




     EVOLUÇÃO DO CUSTO DE VIDA EM SANTA MARIA EM JULHO DE 2009

    O Índice do Custo de vida de Santa Maria – ICVSM -                                                              1,60


registrou variação de +0,39% no mês de julho de 2009.                                                               1,40

                                                                                                                    1,20
Trata-se da menor variação positiva desde o mês de fevereiro                                                        1,00
                                                                                                     Variação (%)




desse ano, quando o índice variou +0,21% (ver Figura 1). É                                                          0,80

o segundo mês consecutivo que se observa uma alta mais                                                              0,60

moderada no índice de preços da cidade, pois no mês passado                                                         0,40


(junho) a variação nos preços médios dos produtos e serviços                                                        0,20

                                                                                                                    0,00
que compõem o ICVSM foi de +0,47%. Conforme se observa                                                                      Fev      Mar     Abr       Mai         Jun         Jul

na Tabela 1, o acumulado no ano apresenta-se em + 4,86 e dos                                         Figura 1. Variação percentual mensal do Índice do Custo de
últimos 12 meses em +7,52%.                                                                          Vida de Santa Maria, RS (ICVSM) nos últimos seis meses.



   Tabela 1. Variação e contribuição do Índice do Custo de Vida de Santa Maria (ICVSM) em Julho de 2009 (base: dezembro de 2005)*.


                                                  Peso                    Índice                   Variação no                    Contribuição     Variação em            Últimos 12
                Grupo                              (%)                                              mês (%)                        no mês (%)       2009 (%)              meses (%)
                                                                  Junho             Julho

 1) Alimentação                                  25,12            143,4             144,5                           0,81              0,24             6,69                   11,51
 2) Habitação                                    26,07            117,6             118,3                           0,64              0,16             5,09                    7,24
 3) Artigos residência                            3,03             93,4             93,0                            -0,44            -0,01             -3,00                   0,09
 4) Vestuário                                     5,26            120,7             119,7                           -0,87            -0,05             1,03                    1,44
 5) Transporte                                   16,21            109,7             109,4                           -0,29            -0,04             4,16                    4,41
 6) Saúde e Cuidados pessoais                     7,32            116,8             116,8                           -0,02             0,00             -0,52                   3,59
 7) Despesas pessoais                             5,75            137,2             138,0                           0,56              0,04            13,11                   14,49
 8) Educação                                      2,90            120,2             120,2                           -0,02             0,00             4,43                    8,06
 9) Comunicação                                   8,34             98,1             98,8                            0,75              0,05             2,24                    3,96

 Geral                                           100,0           121,73           122,20                            0,39              0,39             4,86                   7,52


*Valores sujeitos a retificações.



                                                                                                                                                                                         1
                                                                                                                                                                                         1
Boletim nº 39: Índice do Custo de Vida de Santa Maria

     A menor variação positiva do índice geral reflete o com-      cadeiras de sala (+7,38%), geladeira (+6,24%) e forno elétrico
portamento dos preços médios dos produtos e serviços que           (+6,02%).
compõem os nove grupos de análise. De acordo com a Tabela 1,            No grupo transporte (-0,29%) as reduções de preços ocor-
nenhum dos grupos componentes do índice geral teve variação        reram em rádios para automóvel (-19,06%), estacionamento
maior que 1%. Mesmo assim, o grupo com maior contribuição          (-15,09%), bicicleta (-6,47%), lavagem (-3,03%) e automóveis
positiva para o ICVSM em julho foi alimentação, com variação       de passeio (-2,23%). As maiores altas ocorreram em passagens
de +0,81% em relação ao mês anterior. As maiores altas de          de avião (+8,52%) e de ônibus inter-estadual (+7,04%) e
preços foram observadas em produtos que pouco impactam no          pneus (+ 1,49%).
orçamento do consumidor santa-mariense. É o caso do brócolis            Os grupos saúde e cuidados pessoais (-0,02%) e educa-
(+28,57%), do repolho (+17,05%), dos temperos (+16,67%),           ção (-0,02%) tiveram contribuição pouco significativa para o
do caqui (+16,67%) e da cebola (+16,31%). As maiores varia-        índice geral. No primeiro caso, reduziram-se os preços dos re-
ções negativas ficaram por conta do abacaxi (- 19,33%), da         médios estimulantes (-13,56%), dos esmaltes, bases e aceto-
beterraba (- 17,76%), da rúcula (-16,46%), das tortas e rocam-     nas (-12,55%), dos analgésicos e anti-térmicos (-11,08%), dos
boles (-16,33%) e dos melões (-15,91%). Em síntese, as maiores     broncodilatadores (-9,28%) e remédios anti-anêmicos (-8,99%).
variações no grupo alimentação, sejam positivas ou negativas,      Aumentaram os preços do remédio anti-ácido (+17,95%), do
ocorreram, na maior parte dos casos, em frutas e verduras que      preservativo masculino (+15,49%), dos remédios anti-helmín-
tem sua oferta ampliada ou reduzida nessa época do ano.            ticos (+11,01%), das mensalidades de musculação (+10%) e
     O grupo habitação apresentou variação positiva de             dos remédios anti-inflamatórios e anti-reumáticos (+9,57%).
+0,64%. Apesar da variação relativamente baixa, o maior            No segundo grupo, o destaque foi o aumento nos preços dos
destaque para o desempenho do grupo, em termos de con-             lápis e canetas (-1,79%). Os demais produtos e serviços que
tribuição, foi o reajuste no preço das tarifas de água e esgoto.   compõem o grupo educação mantiveram-se praticamente com
Até o dia 30 de junho, o preço do metro cúbico residencial         preços estáveis no mês de julho.
(tarifa básica) era de R$ 2,97, passando para R$ 3,11 a partir          As figuras 2 e 3 mostram uma síntese dos produtos e
do dia 1º de julho. Um reajuste de +4,71%, que se reflete mais     serviços com maiores altas e baixas de preços no mês de julho
significativamente no grupo devido ao seu peso no orçamento        de 2009.
dos santa-marienses. Outros produtos e serviços também au-
mentaram de preços. São eles: tinta (+20,37%), lâmpadas                                      Brócolis

(+14,42%), aparelhos sanitários (+11,26%), detergente líqui-                                 Repolho

do (+10,48%) e carvão (+7,69%). Por outro lado, reduziram-                   Tempero (tipo Arisco)

se de preço: alvejante (-10,48%), tijolo (-9,35%), ferragens                                      Caqui

(-8,47%), álcool doméstico (-6,77%) e amaciante (-5,88%).                                     Cebola

     O grupo comunicação (+0,75%) e despesas pessoais                                                          Melão


(+0,56%) tiveram altas mais moderadas. No primeiro caso, os                                                    Torta, rocambole,...
                                                                                                               Rúcula
destaques são o aumento no preço da tarifa de telefonia resi-
dencial (+1,55) e a redução no preço dos aparelhos de telefone                                                 Beterraba


celular (- 5,43%). No segundo caso, aumentaram o preço de                                                      Abacaxi


produtos e serviços como: revelação e cópia de fotos (+6,25%),       -20              -10                  0                     10                 20         30

brinquedos de plástico (+5,20%), seguros de vida (+4,86%) e                                                        Variação (%)

megasena e supersena (+2,94%).                                         Figura 2. Produtos alimentícios com maiores altas e baixas de preço
     Dentre os grupos com variação negativa nos preços médios          em Santa Maria em Julho de 2009.
o destaque é o vestuário, com variação de - 0,87%. Redu-
ziram-se os preços do tênis para homem e mulher (-17,18%),                                                     Tintas

da roupa de banho feminina (-14,05%), do conjunto de calça                                  Calçado para homens


e camisa infantil (-10,31%), de jóias (-10%) e dos óculos sem                           Aquisição de liquidificador


grau (- 8,02%). Aumentaram os preços do calçado para homens                                   Remédios anti-ácido


(+18,79%), do conjunto esportivo de mulher (+14,63%), da                                    Preservativo masculino



bolsa e carteira de feminina (+12,08%), das bermudas e shorts
                                                                                                                            Aquisição de armário de cozinha

                                                                                                                            Roupa de banho para mulher
para mulher (-8,65%) e das meias masculinas (+7,54%).                                                                       Preço do estacionamento

     Artigos de residência sofreu variação de – 0,44%. As                                                                   Tênis para homem e mulher

maiores reduções de preços ocorreram em: armários para                                                                      Rádio para automóvel

cozinha (-13,97%), conjunto de som acoplado (-11,86%),                 -20      -15         -10           -5            0            5         10        15   20    25

máquina de lavar roupas (-8,71%), ferro elétrico (-8,26%) e                                                             Variação (%)


estante para sala (-5,43%). Já as maiores altas foram observa-        Figura 3. Produtos não alimentícios com maiores altas e baixas de
das em: liquidificador (+18,54%), guitarra (+8,17%), mesas e          preço em Santa Maria em Julho de 2009.


 2
                                                                                                    Boletim nº 39: Índice do Custo de Vida de Santa Maria
                                                                                                                                          Agosto de 2009
ECONOMIA & FINANÇAS

 A crise das finanças públicas
     Em meio a declarações do governo federal de que “fomos os últimos a                                                      Tabela 3 - Receitas e despesas da União (em R$ bilhões)
entrar na crise e os primeiros a sair dela”, foram fechados os dados das con-
tas públicas do primeiro semestre do ano. Os números mostram os efeitos                                    Receitas e Despesas                                           1º sem.2008                         1º sem.2009
devastadores da crise sobre a arrecadação do governo, o que indica o en-
curtamento do raio de manobra da atual política anticíclica de aumento de
                                                                                               Receita Líquida total (1)                                                     281.706                             276.634
gastos. A rigor, o governo se encontra prisioneiro de uma armadilha: se fizer
um ajuste rápido, poderá frear a recuperação (se é que, de fato, ela está em                   Despesa com servidores                                                            59.601                          72.136
marcha); se deixar para o ano que vem, arrisca a sofrer um revés político por                  Custeio                                                                           57.840                          68.914
ser ano eleitoral.
                                                                                               Investimentos                                                                     9.871                           12.025
            Tabela 2 - Arrecadação dos principais tributos federais (em R$ bilhões)
       Impostos/Con-              1º sem.2008            1º sem.2009             Variação %    Despesa da Previdência Social                                                     91.658                          103.241
         tribuições
                                                                                               Gasto do Banco Central                                                            0.972                            1.222
                                                                                               Despesa total (2)                                                             220.328                             258.071
 Imposto Importação                    7.937                7.857                 -1,0
                                                                                               Superávit Primário (1-2)                                                          61.378                          18.563
 IPI                                  19.497               13.945                -28,5
                                                                                               Superávit Primário em proporção                                                    4,40                             1,28
 Imposto de Renda                    101.667               96.530                 -5,1         do PIB (em %)

 IOF                                  10.291                8.724                -15,2
                                                                                               Fonte: Tesouro Nacional
 Cofins                               61.543               53.008                -13,9
 PIS/Pasep                            16.137               14.601                 -9,5
                                                                                                   Mas a crise fiscal não tem como única origem a diminuição da ar-
 CSLL (total)                         24.086               22.710                 -5,7
                                                                                              recadação. No primeiro semestre de 2009, ocorreu um aumento de 17%
 CSLL de Financeiras                   3.699                5.177                 40,0        na despesa em comparação com o mesmo período do ano anterior. Nesse
 Cide                                  3.823                1.201                -68,6        caso, o que está em discussão não é só o aumento do gasto – justificável
 Receita Previdenciária               87.790               92.918                  5,8        no âmbito de uma política anticíclica – mas a sua eficácia. Como se observa
                                                                                              pela tabela 3, a despesa com o funcionalismo cresceu 21% nos primeiros
 Fonte: Receita Federal
                                                                                              seis meses do ano em relação ao ano passado. Só a despesa com a Previ-
      A tabela 2 mostra o fraco desempenho da arrecadação fiscal no                           dência Social ficou abaixo do gasto com pessoal, que deverá alcançar este
primeiro semestre de 2009 em comparação com igual período do ano                              ano o patamar de 5% do PIB. As carreiras mais bem organizadas em com
passado. Foi registrada queda generalizada na arrecadação de impostos e                       maior poder de pressão, como delegados da Polícia Federal e auditores da
contribuições do governo federal, com exceção da receita da Previdência                       Receita, têm sido as mais beneficiadas pelos reajustes de salários.
Social e da Contribuição sobre o Lucro Líquido (CSLL) do setor financeiro,
o que, neste último caso, mostra que os bancos brasileiros são lucrativos
com ou sem crise. A estimativa é que R$ 24,5 bilhões entraram a menos
                                                                                                                                                                                                                 1,434
                                                                                                                                                               1,397             1,381            1,384

nos cofres públicos este ano – quantia suficiente para financiar o programa                                1,343
                                                                                                                              1,319
                                                                                                                                               1,345
                                                                                                                                                                                                                 1,321

Bolsa Família por mais de dois anos.                                                                       1,247
                                                                                                                              1,223            1,226
                                                                                                                                                               1,264             1,247            1,261


      Parte dessa perda de arrecadação é explicada pela política de deson-
erações fiscais, que fez com que a Receita Federal deixasse de arrecadar                                                                                                                                                  Dívida total
                                                                                                                                                                        9

                                                                                                                                                                                 09


                                                                                                                                                                                         9




R$ 13 bilhões. Está incluída nessa conta a redução do IPI para automóveis,
                                                                                                                        8




                                                                                                                                                 08




                                                                                                                                                                                                  09
                                                                                                                                8




                                                                                                                                                               09
                                                                                                     08




                                                                                                                                                                                                            09
                                                                                                               8




                                                                                                                                        08




                                                                                                                                                        08
                                                                                                                              /0




                                                                                                                                                                         0




                                                                                                                                                                                         /0
                                                                                                                     /0
                                                                                                          l/0




                                                                                                                                              v/




                                                                                                                                                                                                 /
                                                                                                                                                               n/


                                                                                                                                                                      v/


                                                                                                                                                                                /
                                                                                                   n/




                                                                                                                                                                                                          n/
                                                                                                                                      t/




                                                                                                                                                        z/
                                                                                                                      o




                                                                                                                                                                                              ai
                                                                                                                               t




                                                                                                                                                                             ar


                                                                                                                                                                                         r




                                                                                                                                                                                                                          Dívida interna
                                                                                                          ju




                                                                                                                            se




                                                                                                                                                                    fe




                                                                                                                                                                                      ab
                                                                                                                                    ou


                                                                                                                                             no


                                                                                                                                                      de


                                                                                                                                                             ja
                                                                                                  ju




                                                                                                                   ag




                                                                                                                                                                                                       ju
                                                                                                                                                                                              m
                                                                                                                                                                             m




eletrodomésticos e construção civil; a mudança na tabela de cálculo do im-
posto de renda e a redução do IOF para operações de crédito de pessoas                         Figura 4- Estoque da dívida pública federal (em R$ trilhões)
físicas.                                                                                       Fonte: Tesouro Nacional
      Além das desonerações fiscais, outro fator que explica a queda da ar-
recadação são as compensações tributárias. A indústria, responsável por
30% dos impostos federais, é o setor mais afetado pela crise econômica.                            Diante desse quadro, a diminuição do superávit primário (diferença
Com dificuldade para pagar os impostos, as empresas têm adotado a es-                         positiva entre receita e despesa fiscal, exceto juros da dívida) tornou-se
tratégia de calcular o imposto que pagaram a mais do que o devido e in-                       inevitável. O que assusta é o tamanho da queda, da ordem de 70%, em
formam à Receita Federal que vão usar esse crédito para quitar obrigações                     comparação com o primeiro semestre do ano passado. Como proporção
tributárias a vencer. O crédito pode também ser gerado pela mudança de                        do PIB, o superávit primário passou de 4,4%, nos primeiros seis meses de
regime tributário (de competência para caixa e vice-versa), como foi o caso                   2008, para apenas 1,28% no mesmo período de 2009. Diante disso, não
da Petrobrás, o que gerou um crédito de R$ 2,14 bilhões que a empresa                         é seguro que a meta do superávit primário global (incluindo Estados e
usou para quitar a Contribuição de Combustíveis (Cide). A Receita Federal                     municípios), que foi reduzida de 3,8% para 2,5% do PIB em 2009, seja al-
não aceitou a mudança dentro do mesmo exercício fiscal e essa polêmica                        cançada. A contrapartida da redução do superávit primário é o aumento da
entre dois órgãos federais, num momento político delicado para o governo                      dívida pública (ver Figura 4). No final de 2008, a relação dívida/PIB era de
por causa da criação da CPI da Petrobrás, teria provocado a demissão da                       38,8%. Em junho, alcançou a cifra de R$ 1.434 trilhão e deve encerrar 2009
Secretária da Receita Federal.                                                                como uma proporção de 41,4% do PIB.


                                                                                                                                                                                                                                 3
ESPECIAL
Os índices de preços estão subestimados?                                             O inusitado decréscimo no valor dos            de maior peso (60%) é o Índice de Preços por
                                                                               aluguéis, depois de um ano sem reajuste, de-         Atacado (IPA), que teve uma variação de -3,57
      O reajuste negativo dos aluguéis no mês                                  monstra a distorção causada no mercado imo-          nos últimos 12 meses até julho. Os outros com-
de julho levanta uma antiga polêmica sobre a                                   biliário pelo uso de um índice inadequado. No        ponentes do IGP-M são o Índice de Preços ao
confiabilidade dos índices de preços. Sem que                                  ano passado, por causa da alta maior do IGP-M        Consumidor (IPC), com peso de 30%, que au-
haja uma explicação técnica plausível para isso,                               em relação aos outros índices, os proprietários      mentou 4,7%, e o Índice Nacional do Custo da
a maioria dos contratos de aluguéis de imóveis                                 foram forçados a conceder descontos reduzindo        Construção (INCC), com peso de 10%, que teve
é reajustada pelo Índice Geral de Preços – Mer-                                a base de incidência do reajuste em 2009. Com        alta de 6,72, em igual período. Portanto, a dis-
cado (IGP-M), calculado pela Fundação Getúlio                                  a inversão do comportamento do IGP-M este            torção do IGP-M, em relação aos outros índices,
Vargas. Ocorre que esse índice registrou uma                                   ano, a perda dos proprietários é dupla. Daí que      é causada pela queda dos preços no atacado.
variação de -0,67% nos últimos doze meses.                                     não será surpresa se aumentarem as ações de                  jan/06

Isso significa que os inquilinos com contratos                                 retomada dos imóveis com a intenção de esta-             9

com vencimento no mês de julho, não só não                                     belecer um valor inicial mais alto para o aluguel.       8


terão acréscimo como poderão inclusive ter
                                                                                                                                        7

                                                                               Dados do Sindicato da Habitação (Secovi) de São          6

diminuição no valor do aluguel.                                                Paulo, mostram que, nos últimos três meses, o            5
                                                                                                                                        4

      Como se observa na Figura 5, o comporta-                                 aumento médio dos contratos novos de aluguéis            3


mento mensal do IGP-M é atípico: subiu mais                                    foi de 11% na capital paulista.                          2
                                                                                                                                        1

que os demais índices em 2008 e tem apresen-                                         O que chama mais a atenção é que, depois           0
                                                                                                                                            IGP-M    IPCA   INPC   IPC-Fipe   INCC-FGV   IPC-FGV

tado queda de preços (deflação) na maioria dos                                 de vários anos de perdas em relação a outras
meses em 2009. Em 2008, a inflação medida                                      aplicações financeiras, este ano – por causa da         Figura 6 - Evolução dos principais índices de preços
                                                                                                                                       gerais em 12 meses até junho/2009
pelo IGP-M foi de 9,81% enquanto pelo Índice                                   diminuição da taxa básica de juros (Selic) – o in-
de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), índice                                   vestimento em imóveis para aluguel finalmente             Pode ser que, mais à frente, o efeito da
oficial calculado pelo IBGE, foi de 5,9%. Já em                                se tornaria mais competitivo. Em julho, após a       queda dos preços no atacado seja sentido
2009, ocorre o contrário. Nos últimos doze me-                                 diminuição da Selic para 8,75% ao ano, a própria     nos preços ao consumidor. Entretanto, o mais
ses encerrados em junho, subiu apenas 1,5%                                     caderneta de poupança (que paga 6,25% a.a.           provável é que, ao menos em parte, a queda dos
contra alta de 4,8% do IPCA. Isso significa que                                mais a taxa referencial) se tornou uma aplicação     preços no mercado atacadista sirva apenas para
o IGP-M estava certo no ano passado e errado                                   financeira mais atrativa que os fundos DI e de       aumentar as margens de lucro do setor varejista.
este ano ou é o contrário?                                                     renda fixa (sob os quais incide imposto de renda     Seja como for, será bastante difícil para os pro-
                                                                               e taxa de administração). Ainda segundo a Se-        prietários de imóvel recuperar as perdas sofridas
                                                                               covi, a rentabilidade da locação de imóveis varia    mesmo daqui a um ano, quando houver novo
                                                                               em 8% e 12% ao ano além da valorização do            reajuste do contrato de aluguel. Isso, como visto,
                                                                               imóvel, o que torna a compra de apartamentos         levará fatalmente a uma elevação dos aluguéis
                                                                               para aluguel um bom investimento. Por causa          nos contratos novos. Por outro lado, para os in-
                                                                               da deflação do IGP-M, a expectativa de aumento       quilinos, a tendência será uma acomodação no
                                                                               da oferta de imóveis para aluguel pode ser frus-     mesmo imóvel, pois a mudança de imóvel im-
                                                                               trada.                                               plicará em aluguel muito mais alto. Não estará
                                                                                     Por que o IGP-M vem destoando tanto dos        na hora de substituir o IGP-M por um índice de
                                                                               outros índices de preços em 2009? Basicamente        preços ao consumidor como indexador dos con-
Figura 5 - Evolução do IGP-M                                                   pelas características do índice, cujo componente     tratos de locação?



      Nota técnica: O Índice do Custo de Vida de
                                                                               Número de             Número de
      Santa Maria (ICVSM), calculado pelo Núcleo    Grupo                                  Semanas
                                                                                Produtos               Preços
      Econômico de Pesquisa e Extensão (NEPE),
                                                    1) Alimentação               317          6        1902
      do curso de Economia do Centro Universi-
      tário Franciscano (UNIFRA), mede a variação                                 21          2         42
                                                    2) Habitação
      de preço de produtos consumidos por famí-                                   34          1         34
      lias residentes na zona urbana da cidade,                                  140          1        140
                                                    3) Artigos de residência
      com renda entre um e oito salários-mínimos.                                 22          5        110
      Sua estrutura foi organizada com base numa
                                                    4) Vestuário                 170          1        170
      Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF),
      executada em 2004/2005, tendo como base       5) Transporte                 64          1         64
      uma amostra extraída do cadastro do IPTU.                                   86          2        172
                                                    6) Saúde e cuidados
      O cálculo do índice é feito pela fórmula de                                  5          1         5
                                                    pessoais
      Laspeyres e sua base é dezembro de 2005                                     14          5        70
      (ver sobre a metodologia do índice no Bo-     7) Despesas pessoais          64          1         64
      letim ICVSM nº 1, no portal da UNIFRA, na
      internet). Os produtos foram divididos em     8) Educação                   53          1         53
      nove grupos, cujos preços foram coletados     9) Comunicação                25          1         25
      conforme quadro ao lado.
                                                    Totais                       1015                  2865



     EXPEDIENTE:
     Este Boletim é órgão de divulgação do Laboratório de Práticas Econômicas, do Centro Universitário Franciscano – UNIFRA. Rua Silva Jardim, 1535 – 2o andar - CEP 97010-491 SANTA
     MARIA, RS. E-mail: nepe@unifra.br. Número atual e edições anteriores ver em:www.unifra.br. Permitida a reprodução parcial ou total desde que citada a fonte
     Tiragem: 250 exemplares



    4

								
To top