XVI_SIC_CCH__Administra__o by keralaguest

VIEWS: 6 PAGES: 32

									UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   958
_________________________________________________________________________

A INTERNACIONALIZAÇÃO DAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS (PMES)
MOVELEIRAS DE MINAS GERAIS: PROCESSO E DIFICULDADES

BOAVENTURA, Leonardo da Silva (Bolsista-IC); BARBOSA, Telma Regina da C. G.
(Orientador)

O estado de Minas Gerais é o segundo maior exportador do Brasil, sendo que 33% das firmas
exportadoras são classificadas como micro e pequenas (MPEs). Entre as exportações dessas, o
setor de fabricação de móveis e indústrias diversas se destaca com uma representatividade de
37,4%. Esse estudo tem por objetivo principal contribuir para confirmar um modelo de
internacionalização de PMEs baseado em redes de relacionamento, ora em desenvolvimento.
Além disso, visa identificar as particularidades do processo de internacionalização das PMEs
mineiras. O estudo está sendo realizado em duas etapas: a primeira etapa, em andamento,
constitui-se de uma pesquisa qualitativa baseada em entrevistas e a segunda etapa constituirá
de uma survey realizada via questionários. Com base em análise preliminar, constatou-se que,
na decisão de mercado estrangeiro, as PMEs contam com contatos em feiras; indicação de
agentes, tradings e representantes; indicação de clientes e da Federação das Indústrias do
Estado de Minas Gerais. A obtenção de informações sobre o mercado, concorrentes e sobre a
necessidade de modificações do produto é feita junto aos órgãos de comércio exterior, pessoas
amigas, empresas no exterior, bem como através de visitas. A entrada das PMEs no país
estrangeiro se dá através de despachante para cuidar da documentação; das tradings, agentes e
representante. A gestão da exportação (obtenção de clientes, venda, logística e estratégias de
entrada) é feita pelos agentes e tradings e, em alguns casos, pelo gerente de exportação. As
principais dificuldades que as PMEs enfrentam são: a falta de informações sobre o mercado,
que é amenizada da forma acima mencionada; a concorrência cada vez maior com os produtos
chineses, que obriga às empresas a reduzirem a sua margem de lucro ou saírem do mercado; e
a queda do dólar nos últimos tempos, que está inviabilizando financeiramente e
economicamente muitas exportações. (PROBIC/FAPEMIG)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   959
_________________________________________________________________________

A RELAÇÃO ENTRE OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA GERENCIAL E AS MICRO
E PEQUENAS EMPRESAS DE VESTUÁRIO E CALÇADOS DO MUNICÍPIO DE
VIÇOSA-MG

ALVES, Simone Tiêssa de Jesus (Bolsista); ARAÚJO, Djair Cesário de (Orientador)

No atual contexto econômico, o segmento das micro e pequenas empresas (MPEs) tem
despertado a atenção dos analistas. Essas empresas possuem significativa participação na
economia dos países de uma forma geral e, principalmente, nos emergentes, como o Brasil.
Entretanto, elas apresentam altas taxas de mortalidade. Estudos demonstram que 79% das
MPEs que encerram suas atividades apontam falhas gerenciais como principais razões para o
fechamento. Diante da necessidade de auxílio administrativo às MPEs, a prestação de
assistência gerencial se torna uma alternativa aliada à sobrevivência e desenvolvimento dessas
empresas. Essa pesquisa teve caráter exploratório-descritivo, objetivando o estudo dos fatores
de motivação e de resistência das MPEs do Município de Viçosa em relação às consultorias
administrativas privadas. A coleta de dados foi realizada em duas etapas: 1) uma survey com
os micros e pequenos empresários dos setores de Vestuário e Calçadista, onde os dados foram
coletados através de entrevistas estruturadas; 2) uma pesquisa exploratória nas empresas
consultoras através de entrevistas semi-estruturadas. Constatou-se que os motivos mais
relevantes da não procura de consultoria foram a falta de percepção da necessidade do serviço
(49%) e a falta de informação e dificuldade de acesso ao serviço (22%). Dentre as empresas
que percebem a necessidade desse serviço, 67% apontaram o preço como razão da não
procura. Entre as empresas que já procuraram uma consultoria, a relação custo-benefício foi
considerada satisfatória (66%) ou muito satisfatória (25%). As empresas de consultoria
ressaltaram a relevância deste serviço na orientação sobre o negócio, prevenção de problemas
futuros e desenvolvimento das MPEs. Contudo os consultores alegaram que o sucesso da
consultoria depende do comprometimento da empresa e, contrariamente, verificou-se que na
maioria dos casos a consultoria só é solicitada para remediar problemas, e os empresários, por
sua vez, possuem resistência em confiar nas técnicas de gestão empresarial. (CNPq)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   960
_________________________________________________________________________

ANÁLISE COMPARATIVA DOS MODELOS DE OTIMIZAÇÃO DE PORTFOLIOS
MINIMAX E MINIMAX PONDERADO NO MERCADO DE AÇÕES BRASILEIRO.

OLIVEIRA, Anderson Luiz (Estudante); FARIA, Evandro Rodrigues (Estudante);
SILVEIRA, Suely de Fatima Ramos (Orientador); FERREIRA, Marco AurélioMarques
(Professor)

Todo investidor racional procura alocar seu capital da melhor forma possível, de maneira que
propicie o maior retorno. Assim, é importante que o investidor identifique com clareza quanto
alocar de seu capital nas diversas opções que o mercado oferece e determinar quando fazê-lo .
Markowitz (1952) desenvolveu o modelo de Média-variância (MV), considerado como marco
inicial da Teoria do Portfólio, que buscava selecionar sempre as melhores opções do mercado
para o investidor, entretanto, devido a sua dificuldade de aplicação, pesquisadores vêm desde
então desenvolvendo várias técnicas e modelos na tentativa de melhorar a relação
aplicabilidade/retorno. Nesse estudo, foram usados dois modelos com uma formulação
diferente do modelo MV, beneficiando-se da facilidade de aplicação da programação linear: o
modelo Minimax e, sua variação, o modelo Minimax ponderado. Avaliou-se a aplicação
desses modelos com 20 ações representativas da Bolsa de Valores de São Paulo para o
período de janeiro de 2003 a dezembro de 2005, em que se procurou responder se as carteiras
geradas por esses modelos realmente eram mais eficientes e rentáveis que outras opções do
mercado. Os dois modelos, durante quase todo o período avaliado, apresentaram resultados
superiores aos indicadores de mercado, IBOVESPA e IBRX – 50. O modelo Minimax
ponderado se destacou por ter quase sempre apresentado os melhores resultados e, a carteira
sugerida por este, alcançou o maior valor acumulado ao final do período. O trabalho também
se propôs a realizar um exemplo de aplicação dos modelos, ou seja, uma simulação, em que
os custos de transação foram considerados na formação das carteiras (o que não ocorre na
proposição inicial)e identificar quais são as perdas de rentabilidade quando se compara os
resultados de sua aplicação prática com os resultados obtidos teoricamente. Dos resultados da
simulação pôde-se constatar que a eficiência da aplicação dos modelos na composição de
carteiras de investimento se confirmou. Concluiu-se que apesar da eficiência e facilidade de
aplicação dos modelos no mercado, o importante seria que os custos de transação fossem
considerados já na modelagem do problema.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   961
_________________________________________________________________________

ANÁLISE DA APLICABILIDADE DO BALANCED SCORECARD                                        NA
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA BRASILEIRA – UM ESTUDO DE CASO

ROSA, Marina Gomes (Bolsista); SILVEIRA, Suely de Fátima Ramos (Orientador);
VEIGA,Sorele Carpanez (Estudante); GOMES, Ricardo Correa (Professor)

A análise do desempenho de empresas privadas tem ocupado esforços de cientistas sociais em
todo o mundo desde a década de 80. O objetivo consistia em descobrir os determinantes do
desempenho e formas de avaliá-lo. O grande desafio dos cientistas sociais que investigam
essas organizações é gerar uma ferramenta onde estejam presentes, tanto dados necessários à
tomada de decisão, quanto dados que atendam aos critérios de avaliação de desempenho dos
stakeholders. Neste sentido, este trabalho teve como principal objetivo testar se uma
ferramenta amplamente utilizada no setor privado, o Balanced Scorecard (BSC), obterá o
mesmo desempenho ao ser aplicada em organizações públicas brasileiras, mais precisamente
em prefeituras. Assim, essa pesquisa investigou se o BSC mostra-se adequado e com reais
possibilidades de utilização no setor público brasileiro. As dimensões de desempenho
propostas no BSC, financeira, clientes, aprendizagem e crescimento e processos internos,
atendem adequadamente aos padrões de desempenho de uma prefeitura brasileira? O tipo de
pesquisa utilizado, quanto aos meios (Vergara, 1997), foi a pesquisa-ação, desenvolvida
através de um estudo de caso em uma prefeitura de um município de pequeno porte. Como
estratégia de coleta de dados foi utilizada a entrevista semi-estruturada com alguns dos
secretários municipais. Concluiu-se que, para o caso estudado, o BSC apresentou viabilidade
na sua aplicação. Entretanto, devido à necessidade de adaptação da ferramenta, houve
dificuldade de construir um BSC para cada secretaria, em razão de alterações no mapa de
stakeholders de cada uma. Mas este fato apenas reforçou a flexibilidade da ferramenta.
Contudo, cabe ressaltar que, pelo fato de a pesquisa ter sido realizada sob a forma de caso
único em um município de pequeno porte, não se deve afirmar que os resultados obtidos
poderiam ser generalizados para outras prefeituras, exceto, se as condições de implantação
não forem alteradas. (CNPq)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   962
_________________________________________________________________________

ANÁLISE   DA    VIABILIDADE FINANCEIRA     EM  INVESTIMENTOS
IMOBILIÁRIOS: ABORDAGEM DETERMÍNISTICA E SIMULAÇÕES DE RISCO

PAZZINI, Felipe Luis Santiago (Estudante); SILVA, Francimar Natalia; FERREIRA, Marco
Aurélio Marques (Orientador); ABRANTES, Luiz Antônio (Professor)

Atualmente, o mercado imobiliário é um dos setores mais significativos da economia
brasileira sendo considerado grande gerador de emprego e renda. Este possibilita movimentar
grandes volumes de recursos financeiros, devido seu elevado grau de inter-relação setorial.
Deste modo, o sucesso do investimento em empreendimentos imobiliários é fundamental,
pois esta é uma atividade-chave para o desenvolvimento nacional. Para isso faz-se necessário
uma análise prévia de viabilidade financeira para que o empreendedor tenha maior segurança
na sua tomada de decisão. Contudo, existem poucos trabalhos ligados especificamente ao
setor imobiliário. Assim, o presente estudo teve como objetivo realizar uma análise de
viabilidade financeira, complementada por simulações de risco de um projeto de investimento
imobiliário, o qual consiste na construção de três edifícios residenciais no município de
Viçosa. A análise financeira foi realizada mediante os métodos de avaliação de projetos
imobiliários e, para a análise de risco utilizou-se a técnica de simulação de Monte Carlo,
mediante o programa @RISK. A taxa mínima de atratividade (TMA) considerada no estudo
de caso foi de 1,5%. A partir da análise financeira estimou-se a obtenção dos seguintes
resultados: payback no 19º mês; valor presente líquido (VPL) de R$250.688,57; taxa de
retorno interna (TIR) de 5,42% ao mês e índice de lucratividade (IL) de 1,27. O resultado das
simulações realizadas, indicou para as variáveis de saída, VPL, TIR e IL valores médios de
R$ 194.899,30, 5% ao mês e de 1,26, respectivamente. A partir desta análise, pode-se ainda
observar que o desvio padrão do VPL foi de R$ 43.228,72 e o da TIR de 1%. Já pelas
distribuições de probabilidades acumuladas conclui-se que esse projeto de investimento
imobiliário é viável financeiramente e possui baixo risco. Como conclusão, ressalta-se a
importância das técnicas de simulação na geração de informações imprescindíveis para a
tomada de decisões.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   963
_________________________________________________________________________

ANÁLISE DAS VANTAGENS E PERDAS TRAZIDAS PELA MODALIDADE DE
LICITAÇÃO POR PREGÃO ELETRÔNICO NA PREFEITURA MUNICIPAL DE
VIÇOSA E NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA

FARIA, Evandro Rodrigues (Bolsista); REIS, José Roberto (Orientador); OLIVEIRA,
Anderson Luiz (Estudante); FERRAZ, Thiago Danziato (Estudante); MACABEU, Alan
Antunes Vieira (Estudante)

Com esta pesquisa buscou-se analisar a eficiência da modalidade de licitação "Pregão
Eletrônico" para compras de materiais e serviços, levantando as vantagens e perdas trazidas
para a Administração Pública, a partir da sua implantação. Como unidades de análise e coleta
de dados foram escolhidos a Prefeitura Municipal de Viçosa e a Universidade Federal de
Viçosa. A primeira pouco utiliza do Pregão para suas compras, e que, por outro lado, a
Universidade somente realiza suas compras através do pregão eletrônico. O objetivo principal
da pesquisa foi levantar os custos e o tempo gasto com licitações nos dois órgãos assim como,
outros benefícios e perdas que os vários modelos de compras apresentam. A partir dos dados
coletados e análises realizadas fez-se uma comparação entre os resultados obtidos nas duas
instituições para, após uma análise comparada, apontar a modalidade de licitação que
apresenta maior eficiência. Após a análise dos dados, verificou-se que a implantação do
Pregão Eletrônico trouxe maior economia em 5 dos 6 grupos de compras estudados e, ainda,
observou-se que esta modalidade exige menos tempo para o processo de compras. Diante
disso, conclui-se que o Pregão Eletrônico é a modalidade de licitação mais vantajosa para a
Administração Pública. Além de ser mais transparente, proporciona maior agilidade no
processo de compra o que proporciona maior economia para o governo, consequentemente,
uma utilização mais adequada dos recursos públicos. Porém, esta modalidade exige
preparação e treinamento dos envolvidos antes de sua implantação. Ressalta-se que a
modalidade "Pregão Presencial" tem também a sua eficiência e que por isso, pode ser
utilizada pela Prefeitura Municipal de Viçosa, até que se estruture adequadamente para
utilizar de forma eficiente o Pregão Eletrônico. (PIBIC/CNPq)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   964
_________________________________________________________________________

ANÁLISE DESCRITIVA DAS INFLUÊNCIAS DE STAKEHOLDERS                                       NO
PROCESSO DE GESTÃO DE ADMINISTRAÇÕES LOCAIS

GOMES, Rachel Leão (Bolsista-IC); GOMES, Ricardo Correa (Orientador); GOMES,
Ricardo Miorin (Bolsista-IC); REIS, Tatiane Aparecida Amin (Estudante); BRANDALIA,
Roberta Carolina Menegatto (Estudante); LIMA, Afonso Augusto Teixeira de Freitas de
Carvalho (Professor)

Desde meados da década de oitenta a Teoria dos Stakeholders vem encontrando espaço tanto
em organizações públicas como privadas. Esta teoria pode contribuir efetivamente para o
processo de gestão participativa de recursos públicos à medida que identifica e observa de
forma democrática os principais atores do processo, garantindo um melhor planejamento e
mapeando pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades além de garantir uma atuação
eficiente na busca por seus objetivos. Assim, o objetivo principal deste estudo é analisar o
relacionamento existente entre os stakeholders e gestores municipais dentro do processo de
tomada de decisão das prefeituras, mais especificamente no processo orçamentário. Para isso,
foi feito um estudo de caso nos municípios de Rodeiro e Visconde do Rio Branco (Zona da
Mata Mineira). Na coleta de dados foram aplicadas entrevistas, grupos de foco e análise
documental. Na análise foram utilizados métodos de análise de conteúdo e análise cross-case
que identifica e compara as similaridades e diferenças entre os casos. Este estudo evidenciou
o tipo de influência dos principais stakeholders no processo de gestão das prefeituras. Nos
dois casos observou-se o prefeito como principal decisor no estabelecimento de prioridades e
divisão de recursos; a Câmara como grande influenciadora e fiscalizadora; o Governo como
provedor de recursos; o Tribunal de Contas como fiscalizador do cumprimento das normas
legais. Já a participação comunitária é distinta nos casos estudados: em Visconde do Rio
Branco é grande e muito benéfica; em Rodeiro a participação popular é pequena e a sociedade
em geral demonstra pouco interesse por assuntos políticos. Como conclusão, torna-se claro
que o administrador deve manter um bom relacionamento com seus stakeholders, bem como
criar formas para monitorar seus relacionamentos otimizando seu processo decisório e
evitando possíveis ameaças. (FAPEMIG)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   965
_________________________________________________________________________

ANÁLISE DESCRITIVA DO AMBIENTE EM QUE ADMINISTRAÇÕES LOCAIS
TOMAM DECISÕES: QUAL O PAPEL DOS STAKEHOLDERS NO PROCESSO?

REIS, Tatiane Aparecida Amin (Bolsista); GOMES, Ricardo Corrêa (Orientador)

Desde as últimas décadas do século passado, a administração pública mundial vem
enfrentando pressões para adotar práticas, até então características da administração de
empresas como paradigmas para suas operações e procedimentos. Dentre as principais idéias
do New Public Management (NPM), encontra-se a preocupação em analisar o ambiente no
qual a organização está inserida, mais especificamente, seus stakeholders . Entretanto, este é
um tema ainda adolescente da administração, principalmente na literatura brasileira. Na
tentativa de contribuir com a Teoria da Administração Pública no aspecto acima apontado, a
pesquisa visou descrever como os stakeholders se relacionam com os gestores das prefeituras.
O foco de análise está concentrado em administrações municipais da Zona da Mata do Estado
de Minas Gerais. A identificação correta e análise desse relacionamento propiciam um melhor
planejamento para este tipo de organização. Dessa forma, novas estratégias e planos podem
ser desenvolvidos ou implementados. A estratégia de pesquisa utilizada foi qualitativa
realizada através de estudos de casos comparativos. Como métodos para a coleta dos dados
utilizou-se de entrevistas não estruturadas e grupos de foco. Para realizar a análise dos dados
adotou-se a análise de conteúdo e análise cross-case . Métodos bastante utilizados em
pesquisa qualitativa que deram suporte para identificar as diferentes influências que os
principais stakeholders envolvidos na gestão municipal exercem no processo de tomada de
decisão do administrador local. Com isso foi possível chegar a um modelo estrutural que
servirá como base para administrador realizar um melhor planejamento em sua área. Finaliza-
se concluindo que as administrações municipais necessitam envolver os diferentes
stakeholders em seus processos de gestão, bem como criar mecanismos de monitoramento
destes stakeholders para que estes não se transformem em ameaças. (PIBIC/CNPq)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   966
_________________________________________________________________________

ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA E SOCIAL DA UFV-CREDI

PORTUGAL, Kelly Aparecida Lucas (Estudante); REIS, Brício dos Santos (Orientador)

A Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores da Universidade Federal de
Viçosa LTDA (UFV-CREDI) foi criada com o intuito de prestar assistência financeira e
serviços a seus associados, mediante ajuda mútua, economia sistemática e o uso adequado do
crédito, dentro das normas específicas que regem suas ações. O presente trabalho teve como
objetivo realizar análise econômico-financeira e social desta cooperativa, no período de 2002
a 2005. Assim, a metodologia teve como base levantamento bibliográfico, coleta de
informações contábeis e entrevistas. Os dados qualitativos e quantitativos foram avaliados e
interpretados de acordo e a teoria da análise de balanços aplicada às cooperativas de crédito,
além de ter sido realizada a análise da regressão. Os resultados obtidos mostram a importância
desta instituição para a sociedade e como a contabilidade pode ajudar os gestores na sua
administração, além de ter denotado a relevância da questão social para esta entidade.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   967
_________________________________________________________________________

ASPECTOS TRIBUTÁRIOS DOS CLUBES DE FUTEBOL NO BRASIL

CAPRARO, Fábio (Estudante); ABRANTES, Luiz Antonio (Professor); SANTOS, Nálbia de
Araújo (Orientador)

O objetivo principal deste estudo foi à identificação das particularidades intrínsecas dos
principais tributos federais incidentes sobre as entidades desportivas nacionais, especialmente
dos clubes de futebol no Brasil. Para tanto, realizaram-se estudos sobre as legislações
comerciais e tributárias, com a intenção de alcançar o devido enquadramento destas
agremiações e em seguida para a identificação dos tributos inerentes a atividade estudada. A
revisão bibliográfica respalda os resultados obtidos frente à legislação tributária brasileira.
Constata-se no estudo, que os clubes de futebol no Brasil são juridicamente caracterizados
como entidades sem fins lucrativos e usufruem de benefícios tributários relevantes
comparando-se as entidades de outros setores da economia. Esses benefícios referem-se aos
impostos e às contribuições sociais, como: Imposto de Renda de Pessoa Jurídica - IRPJ e à
Contribuição Social sobre o Lucro Líquido - CSLL, pois não oneram estas agremiações
desportivas. Além disso, outras contribuições como o Programa de Integração Social - PIS e a
Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - COFINS, são tratadas como casos
a parte nestas entidades. No caso do PIS, a alíquota que incide sobre o total das remunerações
pagas aos empregados, mensalmente, é de 1%, já o COFINS sua base de cálculo são as
atividades secundárias nos quais os clubes de futebol possam vir a desenvolver e não sobre
suas atividades principais. Quanto à contribuição ao INSS, o cálculo da parte patronal é 5%
sobre a renda bruta dos espetáculos esportivos, contratos de publicidade, patrocínios,
licenciamentos, uso de marcas e transmissões de espetáculos, diferentemente dos habituais
20% sobre a folha de pagamento dos empregados, comum as demais entidades. Conclui-se
que os clubes de futebol usufruem de facilidades quanto ao pagamento da carga tributaria
vigente, no entanto ressalta-se que a contribuição à previdência social, no caso dessas
entidades, é o tributo mais representativo na sua carga tributária.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   968
_________________________________________________________________________

AVALIAÇÃO DOS CUSTOS DOS AFASTAMENTOS DE FUNCIONÁRIOS POR
PROBLEMAS DE SAÚDE NA UFV: O IMPACTO DO PAS-UFV

FERRAZ, Thiago Danziato (Bolsista); SILVEIRA, Suely de Fátima Ramos (Orientador);
GOMES, Luciana de Oliveira Miranda (Professor); TIBÚRCIO, Cibele Gomes de Salles;
FARIA, Evandro Rodrigues (Estudante)

O objetivo geral desta pesquisa foi avaliar o impacto da implantação do PAS-UFV sobre os
afastamentos de servidores da UFV para tratamento de saúde. O objetivo foi averiguar se a
implantação do PAS-UFV, com a intenção de promover uma melhoria na assistência médico-
hospitalar de seus participantes, implicou em redução de custos relativos aos afastamentos por
motivos de saúde dos servidores da UFV. As técnicas de coleta de dados utilizadas foram:
entrevistas com técnicos e dirigentes da UFV, consulta aos bancos de dados da Diretoria de
Recursos Humanos -DRH/UFV, período 1989-2004, abrangendo anos anteriores e posteriores
ao surgimento do PAS-UFV. Os dados foram tratados estatisticamente, utilizando-se modelos
estatísticos aplicados à área de saúde, para avaliação quantitativa. Para complementar a
análise utilizou-se método de pesquisa qualitativa, por meio de entrevistas, visando identificar
a percepção dos gestores da UFV quanto aos efeitos do PAS-UFV sobre os servidores. Na
análise dos dados, incluíram-se as categorias servidores técnico-administrativos e docentes,
sendo possível a caracterização em relação a gênero, idade e escolaridade, além da obtenção
dos custos médios estimados por trabalhador e custos totais estimados dos afastamentos por
problemas de saúde para a UFV. Verificou-se que os custos totais com servidores afastados
por motivo de saúde durante o período analisado sofreram aumentos significativos, bem como
não ocorreram reduções no número de afastamentos de funcionários por esse motivo. Os
resultados não permitiram confirmar a relação do surgimento do PAS-UFV com diminuição
de custos para a UFV. Essa realidade demonstra que os benefícios do plano não estão
refletindo na redução dos afastamentos para tratamento de saúde. O sistema atual, operando
mais no âmbito da medicina curativa, não tem contribuído para uma redução significativa do
número de afastamentos por problemas de saúde. Outros fatores não identificados nesta
pesquisa podem estar influenciando os afastamentos dos servidores da UFV. Os resultados da
pesquisa demonstram a necessidade de implantação de políticas de Recursos Humanos pela
UFV, em conjunto com o AGROS, focadas nos grupos onde se identificaram maiores índices
de afastamentos. Sugere-se ao PAS-UFV um maior enfoque para a medicina preventiva, que
poderia resultar em maiores benefícios para os funcionários e para a UFV.
(PROBIC/FAPEMIG)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   969
_________________________________________________________________________

AVALIAÇÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA DOS MUNICÍPIOS MINEIROS À LUZ
DA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL NO PERÍODO DE TRANSIÇÃO DE
GOVERNO

COSTA, DANIELLE MARTINS DUARTE (Bolsista); FARONI, WALMER (Orientador)

Tendo como base a gestão fiscal responsável, a Lei de Responsabilidade Fiscal surgiu como
instrumento regulador das finanças públicas, objetivando aprimorar a transparência na gestão
dos gastos públicos e exigir maior responsabilidade dos administradores. Procurou-se analisar
sua influência sobre a situação econômico-financeira dos municípios mineiros, dando ênfase
ao período de transição de governo. Assim, foram selecionados 87 municípios. No texto,
foram analisados os componentes de ajuste fiscal, indicadores da estrutura de receitas,
despesas, ativo, gestão pública e endividamento. Foi observada a obediência à Lei quanto à
apresentação dos relatórios por ela estabelecidos. Os quadros demonstrativos dos municípios
foram elaborados com base nas informações disponíveis do FINBRA/STN, em conjunto com
as informações populacionais do IBGE e agrupados por macrorregião e classe populacional,
abrangendo o período de 1995 a 2004. Destarte, notou-se resultado satisfatório com relação à
busca pelo superávit primário e nominal e ao cumprimento dos limites fixados para o
endividamento. Embora se tenha notado elevação nas despesas, tal evolução foi compensada
pelo crescimento das receitas. Observou-se maior dependência dos municípios de menor porte
quanto aos recursos estaduais e federais. Diferente da análise dos índices de receitas e
despesas, os gastos com investimento e pessoal tiveram elevações nos anos de transição de
governo. O mesmo foi observado com os índices de gestão da dívida ativa e restos a pagar.
Esta análise confirma uma cultura ainda praticada pelos prefeitos em último ano de mandato,
embora em menor proporção aos anos anteriores. Não se constataram alterações significativas
nos indicadores de ativos e de liquidez nos respectivos anos eleitorais, embora tenha havido
melhora deles. Quanto à transparência das contas públicas, apenas em 2000 todos os
municípios enviaram seus relatórios para o STN. No entanto, o percentual dos entes públicos
que divulgaram suas contas depois da LRF foi maior que nos anos anteriores à ela. (CNPq)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   970
_________________________________________________________________________

CAPITAL INTELECTUAL COMO INCENTIVO FISCAL

PINTO, Fernanda Calderaro Guimarães (Estudante); ABRANTES, Luiz Antônio (Orientador)

O conhecimento torna-se fator decisivo no ambiente empresarial à medida que a performance
de qualquer empresa depende da capacidade de transformação de seus negócios via
conhecimento das fontes de informação e de vantagens competitivas do mercado. Neste
aspecto, a qualidade dos ativos humanos nas organizações, concepção esta alterada via
ascenção do capital intelectual, tornam se fator fundamental para atingir este objetivo. O
Código Civil busca regulamentar a atividade que envolve a propriedade intelectual, sua
comercialização, criação e transferência e também estabelece medidas de incentivo à
inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo, com vistas à
capacitação e ao alcance da autonomia tecnológica e ao desenvolvimento industrial do País. A
União, os Estados, o Distrito Federal, os municípios e as respectivas agências de fomento
poderão estimular e apoiar a constituição de alianças estratégicas e o desenvolvimento de
projetos de cooperação envolvendo empresas nacionais, e organizações de direito privado sem
fins lucrativos voltados para atividades de pesquisa e desenvolvimento, que objetivem a
geração de produtos e processos inovadores. Assim o objetivo deste trabalho consiste em
verificar, baseado na legislação vigente, as políticas de incentivo fiscal relacionadas à
capacitação e aprimoramento técnico dos recursos humanos e dos investimentos em inovações
tecnológicas. Constatou-se que ainda não são contempladas propostas que incentive a
formação do capital intelectual nas empresas. Ainda não se definiu o percentual a ser aplicado
para dedução da base de cálculo do Imposto de Renda, sendo verificado como única vantagem
do investimento em capital intelectual, a dedução, via despesa operacional, dos gastos
realizados com a formação profissional de empregados”.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   971
_________________________________________________________________________

DESVIO DE FUNÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DA
UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA

FERREIRA, Marcella Cristiane Vasconcelos (Estudante); OLIVEIRA, Adriel Rodrigues
(Orientador); ABREU, Simone Martins (Estudante)

Atualmente, as organizações devem ser ágeis e eficientes para se adaptarem ao ambiente
dinâmico. Quando a estrutura de cargos é flexível, estes são ajustáveis e abertos. Entretanto,
nas instituições públicas a estrutura é rígida e os cargos são fechados e delimitados,
dificultando o gerenciamento da força de trabalho. Tal rigidez leva ao surgimento do desvio
de função, situação na qual o servidor exerce atividades distintas daquelas para as quais fora
originalmente contratado. Para este trabalho, realizou-se um estudo de caso na Universidade
Federal de Viçosa, com os objetivos de verificar a dimensão do problema, identificar as
principais causas e averiguar as ações institucionais implementadas. Para tanto, foi realizada
pesquisa documental e entrevistas a diretora e ex-diretores de Recursos Humanos da UFV. A
população estudada compreende 100% dos servidores que oficializaram a situação de desvio
em processo judicial, correspondendo a 10% do quadro total. Verificou-se como resultado,
que apesar do RJU proibir o desvio de função, novos casos surgiram devido às necessidades
institucionais de adequar-se a novas demandas e às necessidades pessoais e profissionais dos
servidores. Observou-se, ainda, que a maior concentração de desvio ocorre na Pró-Reitoria de
Administração, órgão que agrega maior número de servidores no nível de apoio. Os cargos
com maior incidência são: Auxiliar Operacional, de Agropecuária e Servente de Obras, que
juntos representam aproximadamente 50% do total. Dentre os cargos pleiteados, destacam-se:
Auxiliar em Administração, de Agropecuária, Laboratorista e Contínuo, somando 35% do
global. Em mais de 60% dos casos analisados, o servidor parece estar motivado pela
possibilidade de ascensão de carreira. Em 65% dos processos, foi determinado o retorno do
servidor para o cargo original e os demais casos encontram-se em avaliação. Diante do
exposto, sugere-se uma reflexão sobre os paradigmas norteadores da estrutura de cargos e
pessoal no funcionalismo público, para melhor gerenciamento de pessoal. (PET/CAPES)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   972
_________________________________________________________________________

ICMS: UM ENFOQUE NA PRODUÇÃO DO LEITE IN NATURA NO ESTADO DE
MINAS GERAIS

ESCOURA, Juliane (Estudante); ABRANTES, Luiz Antônio (Orientador)

A excessiva carga fiscal onera os contribuintes e afeta a demanda dos produtos.Considerando
este aspecto,a questão tributária torna-se fator preocupante quando se fala em
competitividade. Considerando que o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços
(ICMS) é um dos principais tributos incidentes na comercialização dos produtos e serviços, o
estudo de sua incidência nos segmentos que compõe as cadeias produtivas é de fundamental
importância para se idendificar a performance financeira e econômica da atividade. Assim, o
objetivo deste estudo consistiu em analisar a legislação tributária pertinente ao referido tributo
no segmento produtor da cadeia do leite no Estado de Minas Gerais. Identificou-se todos os
custos relacionados aos insumos, mão-de-obra e fatores indiretos de produção e verificou-se
toda a sistemática de incidência tributária no custo total de produção e comercialização.
Observou-se que no Estado de Minas Gerais as operações com leite in natura destinado a
indústria laticinista estão com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)
diferido. Neste caso o produtor não recupera o crédito no momento da venda, devendo ser
anulado através do estorno. Conclui-se que devido as mais variadas formas de incidência do
ICMS nas mercadorias, o cálculo da margem de lucro com base no preço de compra deveria
ser acrescido do valor do imposto, para que este não seja prejudicado na recuperação do
imposto pago.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   973
_________________________________________________________________________

IDENTIFICAÇÃO DO NÍVEL DE UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS GERENCIAIS EM
MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA

SANTANA, Gislaine Aparecida da Silva (Bolsista); TAVARES, Bruno (Orientador);
SEDIYAMA, Marcelo Yuto N. (Estudante); LIMA, Afonso A.T.F.C. (Professor);
SILVEIRA, Suely de Fátima Ramos (Professor)

Micro e pequenas empresas (MPE’s) contribuem para o desenvolvimento sócio-econômico
produzindo parte substancial do PIB, gerando emprego e renda, incentivando a concorrência e
introduzindo inovações. Neste cenário, destacam-se as Empresas de Base Tecnológica
(EBT’s), organizações que apresentam alto grau de inovação em seus produtos e têm no
capital intelectual, substancial parcela de seus recursos humanos. Não obstante elevada
competência técnica, muitas delas carecem de competência gerencial, o que têm restringido
seu desempenho competitivo. Embora o senso comum indique que estas empresas não adotam
uma gestão tecnicamente profissional não foi encontrada, na bibliografia especializada,
pesquisa acadêmica que descreva cientificamente esta realidade. Assim, esta pesquisa
objetivou identificar o uso de procedimentos e técnicas gerenciais no processo de decisão nas
MPE’s, particularmente as EBT’s, de modo a permitir a proposição de um modelo conceitual
de gestão adequado. Para tanto, foram aplicados questionários em uma escala linear não
estruturada a uma amostra de 103 MPE’s vinculadas a 16 incubadoras de base tecnológica do
estado de Minas Gerais. Constatou-se que a área de marketing é a priorizada pelos gestores de
EBT’s seguida das áreas de finanças, recursos humanos e produção. Os elementos
considerados mais relevantes em cada uma das áreas funcionais foram, em Marketing,
segmentação, definição e posicionamento de mercado, produto/serviço, preço e estratégia; na
área de Finanças, custos, planejamento e controle do fluxo de caixa, planejamento financeiro
e ponto de equilíbrio; para a Gestão de Pessoas, treinamento e desenvolvimento, recrutamento
e seleção de pessoal, legislação trabalhista e avaliação de desempenho; e na área de
operações, competitividade e estratégias de produção, sistemas de informação gerencial,
gerenciamento de projetos e análise e mensuração de processos. Em virtude disto, conclui-se
que estas variáveis devem ser priorizadas na descrição de um modelo gerencial específico
para as MPE’s de Base Tecnológica. (FAPEMIG)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   974
_________________________________________________________________________

IMPACTO DO PERFIL DO INVESTIDOR NA FORMAÇÃO E DESEMPENHO DE
PORTFÓLIOS

SILVA, Roseane Grossi (Estudante); SILVA, Crislene Leal (Estudante); FERREIRA, Marco
Aurélio Marques (Orientador); ABRANTES, Luiz Antônio (Professor); SILVEIRA, Suely de
Fátima Ramos (Professor)

O sistema financeiro tem grande importância para a eficiência econômica. É responsável pela
canalização de fundos entre os agentes que poupam em excesso e os que têm escassez de
recursos. O mercado de capitais permite a realização de transações de longo prazo por meio
da emissão de títulos, como as ações, que implicam um direito sobre os ganhos e os ativos de
uma empresa e são negociadas nas bolsas de ações organizadas. A formação do portfólio está
diretamente relacionada com a tolerância ao risco e a expectativa de resgate fatores
influenciados pelo perfil do investidor, que pode ser propenso, avesso ou indiferente ao risco,
condição determinante para a tomada de decisão, no advento da carteira. Como tais fatores
estão relacionados também à renda, o objetivo deste estudo foi destacar o impacto das
características do perfil do grande e pequeno investidor na formação e desempenho do
portfólio. Após coleta de dados verificou-se que atualmente o investidor busca uma função
múltipla de objetivos, e a oferta de produtos para atingir esses objetivos é diversificada.
Vários são os determinantes para a escolha desse portfólio. Os indicadores encontrados que
identificam melhor a opção de escolha da carteira de ativos, no caso específico das ações,
foram: liquidez, pulverização, dividendos, volatilidade e rentabilidade. Nesses quesitos, de
modo geral, grandes e pequenos investidores podem ser diferenciados. Os grandes
investidores, sejam pessoas físicas ou jurídicas, criam suas carteiras de investimento
buscando, prioritariamente, maior rentabilidade, já os pequenos investidores buscam maior
liquidez.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   975
_________________________________________________________________________

IMPACTOS SÓCIO-ECONÔMICOS DA POLÍTICA PÚBLICA DE GARANTIA DE
RENDA MÍNIMA: ESTUDO DE CASO DO PGRM - VIÇOSA

MONTEIRO, Doraliza Auxiliadora Abranches (Bolsista-IC); FERREIRA, Marco Aurélio
Marques (Orientador); TEIXEIRA, Karla Maria Damiano (Professor); BRUSTOLINI,
Graziele Batista (Estudante); COSTA, Elisa Maria Almeida (Estudante)

O presente estudo pauta-se na análise dos impactos sócio-econômicos da Política Pública de
Garantia de Renda Mínima do município de Viçosa-MG (PGRM), verificando sua eficácia
como alternativa de minimização dos problemas sócio-econômicos das comunidades
atendidas. Especificamente, pretende-se analisar as condições de execução, a dinâmica e os
desdobramentos do PGRM; construir indicadores sócio-econômicos que atendam ao objetivo
geral; avaliar a eficácia do PGRM, através da análise dos indicadores sócio-econômicos
construídos; verificar condições do nível e padrão de vida das famílias, antes e depois da
implementação do PGRM; sistematizar procedimentos metodológicos para a análise de
políticas de renda mínima, beneficiando outras comunidades e municípios. Atualmente, o
Programa atende cerca de 70 famílias em diversos bairros de Viçosa. Cumpre ressaltar que o
presente projeto encontra-se em execução, e, portanto, apenas parte dos objetivos foi
alcançada, até o momento. A metodologia utilizada na abordagem da investigação foi o
estudo de caso, com utilização da técnica de entrevista semi-estruturada em uma amostra de
56 famílias, distribuídas entre as comunidades atendidas, nas seguintes proporções: 30,4%
Escorpião, 19,6% Barrinha, 16,1% Córrego São João, 16,1% Buieié e 17,8% demais famílias
em diversos bairros. Os resultados descrevem que as famílias possuem, em média, 4,5
membros, totalizando 252 pessoas. A renda média familiar é de 1,053 salário mínimo vigente,
sendo que 6,6% provêm de programas sociais. Grande parte das famílias beneficiadas (82%)
aplica o dinheiro recebido, principalmente, em alimentos. A segunda maior fonte de aplicação
observada foi o vestuário, observado em 18% das famílias atendidas. Dentre os principais
alimentos que as famílias passaram a consumir, após a implementação do benefício, estão as
frutas (57,1%), o leite (46,4%), os legumes (19,6%), os iogurtes (17,9%) e as verduras
(16,1%), o que demonstra a importância desse benefício para a manutenção e ampliação da
qualidade de vida. (PROBIC/FAPEMIG)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   976
_________________________________________________________________________

IMPLICAÇÕES DA TEORIA DAS                     "NETWORKS"          NO     PROCESSO        DE
INTERNACIONALIZAÇÃO DAS PMES

GRESSI, Samuel Duarte (Bolsista); BARBOSA, Telma R. C. G. (Orientador)

Existem duas principais correntes sobre internacionalização: teorias de base econômica e
teorias de base comportamental. Ambas são deterministas, desconsideram o papel do tomador
de decisões e são baseadas em grandes corporações, limitando sua utilização para Pequenas e
Médias Empresas (PMEs). Sob a perspectiva de redes de relacionamentos, a importância das
ligações entre firmas na acumulação de conhecimento e aprendizagem é enfatizada.
Conhecimento internacional, recursos necessários à internacionalização, acesso a novos
mercados e novas networks são obtidas através de relacionamentos. A relevância dessas redes
no desenvolvimento das PMEs em mercados domésticos está estabelecida, porém a pesquisa
sobre seu papel na internacionalização das PMEs é escassa. O objetivo geral desta pesquisa é
propor a abordagem de redes de relacionamento como base para o desenvolvimento de
fundamentação teórica. Particularmente, visa explicar o papel das redes sociais ou de
negócios no processo de internacionalização das PMEs e no estabelecimento das estratégias
de internacionalização. A coleta de dados está sendo desenvolvida em duas etapas, a primeira
delas, já concluída, constituiu-se de entrevistas de profundidade com empresários-
proprietários de PMEs situadas em SP, MG, SC, PR e RS para a elaboração de casos e análise
qualitativa. O estudo até o momento evidencia a importância dos relacionamentos e das redes
na internacionalização das PMEs entrevistadas. Na extensão internacional, há maior
influência dos contatos comerciais anteriores mantidos pelo empresário e pelos contatos
realizados em feiras e exposições comerciais. Na escolha de mercados, as empresas são
passivas e reativas, agindo conforme as intenções dos parceiros, tomando decisões de comum
acordo. A pesquisa até agora confirma que a internacionalização das PMEs ocorre através de
estratégias deliberadas e conscientemente arquitetadas, mas também através de estratégias não
intencionadas e não planejadas. Permite também concluir sobre a importância das atividades
de rede na expansão internacional, ou seja, na estratégia de penetração no mercado
internacional. (CNPq)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   977
_________________________________________________________________________

INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA NO SEGMENTO DE PRODUÇÃO DA PECUÁRIA DE
CORTE

SENA, Ludiany Barbosa (Estudante); ABRANTES, Luiz Antonio (Orientador)

A atividade agropecuária é considerada estratégica na economia nacional e sua importância
está retratada na participação percentual do PIB e na absorção direta e indireta de mão-de-
obra. Este segmento é representado, principalmente pelos pequenos e médios produtores
rurais, em sua maioria formado por pessoas físicas. Dentro desta atividade, destaca-se a
pecuária de corte,que começou a ser desenvolvida no Brasil no final da década de 60,
consolidando ao longo da década de 70 e atualmente é responsável por um dos maiores
rebanhos do mundo. O produtor neste aspecto, insere-se num cenário econômico cada vez
mais exigente e competitivo, necessitando portanto adaptar-se a ele. Considerando as
características do mercado e a importância da atividade, esse estudo visou identificar, através
da legislação vigente, as políticas tributárias incidentes sobre os custos de produção e nível de
venda. Para tanto, adotou-se como objeto de análise, para coleta de dados, uma propriedade
da Zona da Mata Mineira, destinada à pecuária de corte. Após simulação nos modelos
societários de pessoa física e jurídica, constatou-se que fatores como os encargos trabalhistas
e as contribuições relacionadas ao ICMS, PIS/ COFINS, ISS, dentre outros, apesar das
políticas de incentivo fiscal para o setor, acabam por influenciar diretamente o custo de
produção e as receitas geradas, de forma diferenciada, com maior impacto para o produtor
rural pessoa jurídica.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   978
_________________________________________________________________________

ÍNDICE E CARACTERÍSTICAS DE ABSENTEÍSMO DOS                                  SERVIDORES
PÚBLICOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA (UFV)

OLIVEIRA, Gustavo Guimarães Avelar (Estudante); GRANZINOLLI, Leiza Maria
(Técnico); OLIVEIRA, Adriel Rodrigues de (Orientador)

O absenteísmo, ou faltas ao trabalho, é um problema complexo enfrentado pelas organizações,
e que traz conseqüências negativas a estas e à comunidade que se utiliza de seus bens e
serviços. Suas causas têm relação com fatores organizacionais e com características
individuais do trabalhador. As organizações precisam conhecer a sua dimensão, detectar suas
causas, definir políticas e investir em soluções que melhorem a qualidade de vida do
funcionário de forma a reduzir o absenteísmo e elevar, em conseqüência, a produtividade.
Com este estudo, visa-se apresentar os níveis de absenteísmo dos servidores da UFV, de 1996
a 2005; identificar sua natureza e apontar os cargos e as unidades acadêmico-administrativas
onde ocorrem os maiores índices. Sua base compreende o quadro de servidores e respectivas
ocorrências de freqüência. Os dados foram obtidos dos bancos de dados internos de
aproximadamente, 175.000 registros, e de entrevistas com dirigentes e técnicos da Instituição.
Os resultados preliminares indicam que o maior índice de absenteísmo ocorre entre os
servidores técnico-administrativos do nível de apoio, com 12%, seguido dos níveis
intermediário, com 10%, e superior com 5%. O menor índice ocorre entre os docentes, com
1%. Nos níveis de apoio e intermediário, a greve foi o principal motivo de ausência e, nos
demais níveis, a licença para tratamento de saúde. Conclui-se, preliminarmente, que o índice
de absenteísmo é maior entre os servidores sujeitos ao registro sistemático de freqüência
(níveis de apoio e intermediário). Portanto, considera-se que os resultados apresentados
justificam investimento da UFV em mecanismos para aprimorar o dimensionamento do
absenteísmo de seus servidores, especialmente no quadro de nível superior e docente, bem
como na implementação de políticas de pessoal para melhorar a qualidade de vida do
servidor, reduzindo assim o problema e, dessa forma, melhorando a produtividade da
organização. (PET/CAPES)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   979
_________________________________________________________________________

MUDANÇA DE OBJETIVOS: O CASO INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE
SOCIAL – AGROS

PAZZINI, Humberto Santiago (Estudante); OLIVEIRA, Adriel Rodriges de (Orientador);
CARMO, Maria Inês do (Estudante)

Os objetivos das organizações são fins que se buscam alcançar, via atividades, operações e
aplicação de recursos. Eles configuram os resultados finais aos quais as atividades são
orientadas. Sua relevância é crucial em relação ao processo administrativo das organizações.
O AGROS - Instituto UFV de Seguridade Social foi criado em maio de 1980, pela UFV, com
a finalidade de suplementar as prestações asseguradas pela previdência oficial aos grupos
familiares dos seus servidores e promover o bem-estar deles. Com o advento do Regime
Jurídico Único, a aposentadoria dos servidores federais passou a ser integral, o que fez a
função previdenciária do AGROS ficar esvaziada e aplicável apenas a casos especiais como
aposentadoria por invalidez, por velhice e pecúlio por morte. Ao esvaziar a função
previdenciária, o objetivo da Instituição ficou severamente reduzido, pois a aposentadoria por
tempo de serviço representava o principal benefício concedido por ela. Com uma guinada
estratégica, a Instituição redirecionou seus objetivos no campo da seguridade, ao instituir o
PAS/UFV, plano de saúde dirigido também aos servidores da UFV. O objetivo do trabalho foi
averiguar a dimensão e as implicações da mudança de objetivos ocorrida no AGROS. Foi
feito um estudo de caso com levantamentos de dados primários e secundários na própria
unidade de estudo, além de pesquisa bibliográfica. O que se observou foi que a criação do
plano de saúde caracterizou significativa mudança de objetivos. Esta mudança impactou
significativamente o fluxo de entrada de recursos na Entidade, afetou as atividades de maneira
geral, e provocou mudanças na estrutura organizacional, na cultura da organização e no nível
de stress dos funcionários. Conclui-se que o RJU representou mudança ambiental drástica
para o AGROS, forçando-o a adotar novos objetivos, o que lhe impôs mudanças significativas
em sua estrutura, identidade e dinâmica de trabalho. (PET/CAPES)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   980
_________________________________________________________________________

O DESAFIO DA GESTÃO DE ORGANIZAÇÕES NÃO LUCRATIVAS:
IDENTIFICAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO DOS MODELOS DE GESTÃO
UTILIZADOS POR ENTIDADES NÃO LUCRATIVAS GERIDAS COM
EFICIÊNCIA

REZENDE, Ricardo Valente (Bolsista); GOMES, Luciana de Oliveira Miranda (Orientador);
ZANI, Felipe Barbosa (Estudante)

O presente projeto teve como objetivo identificar e sistematizar os modelos de gestão
utilizados por organizações não-lucrativas geridas com eficiência na cidade de Belo
Horizonte. O estudo torna-se relevante, na medida em que não existe literatura voltada para o
setor, os materiais disponíveis às organizações não conseguem focalizar as realidades
humanas e organizacionais específicas e os gestores das entidades do terceiro setor têm
bastante resistência em utilizar os métodos oriundos do segundo setor. Para identificar quais
são as organizações geridas com eficiência na cidade de Belo Horizonte, e definir a amostra
foi utilizado o Prêmio “Bem Eficiente” oferecido, anualmente, pela “Kanitz e Associados” às
cinqüenta Organizações não lucrativas mais bem administradas do País. Para formular o
roteiro utilizado nas entrevistas durante a coleta de dados, dividiu-se a gestão em cinco áreas:
administração geral, gestão de projetos, gestão financeira, gestão de marketing e gestão de
recursos humanos. A partir daí foram elaboradas e aplicadas as entrevistas com os gestores
dessas instituições. Percebeu-se por fim, que as ONGs pesquisadas, geralmente, possuem
rotinas administrativas muito bem planejadas e executadas, porém, ainda apresentam muitas
falhas que precisam ser sanadas, verificando-se a necessidade de avançar o estudo da ciência
da Administração voltada para o Terceiro Setor. (CNPq)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   981
_________________________________________________________________________

O IMPACTO DA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL NO COMPORTAMENTO
DOS ÍNDICES DE ESTRUTURA DE RECEITAS E DESPESAS PÚBLICAS: O CASO
DOS MUNICIPIOS DA MICRORREGIÃO DE VIÇOSA

NAZARETH, Marcos Spínola (Bolsista); FARONI, Walmer (Orientador)

A Lei de Responsabilidade Fiscal, instituída pela Lei Complementar 101/00, tem por objetivo
estabelecer normas para as finanças públicas nas três esferas governamentais, visando a
responsabilidade da gestão fiscal das receitas e da realização das despesas públicas, obrigando
o setor público brasileiro a agir de forma transparente e em estrita observância aos
dispositivos estabelecidos em lei. Para os municípios, os efeitos desta lei foram mais intensos,
considerando que o relacionamento da sociedade civil com o governo municipal se dá de
forma mais estreita. Dessa forma, a avaliação do comportamento das finanças públicas nos
municípios, antes e após a implantação da referida lei, torna-se relevante à medida que se
pode detectar o seu real impacto nas contas governamentais. Considerando esses aspectos,
esse estudo teve como objetivo analisar o impacto da LRF na gestão financeira dos
municípios da microrregião de Viçosa, Minas Gerais,através de índices técnico de
desempenho. Estes municípios foram classificados em dois grupos, em relação a população
estratificada em até 10 mil habitantes e acima de 10 mil. A partir dos resultados obtidos,
observou-se que os dois estratos apresentaram, de maneira geral, evolução semelhante para os
indicadores avaliados. Destacam-se os efeitos da legislação na trajetória da participação das
receitas de capital e do financiamento dos investimentos. (PROBIC/FAPEMIG)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   982
_________________________________________________________________________

O MICROCRÉDITO               CONTRIBUINDO            PARA      O    DESENVOLVIMENTO
REGIONAL

FERNANDES, Nirlene Aparecida Carneiro (Estudante); FERREIRA, Marco Aurélio
Marques (Orientador); OLIVEIRA, Adriel Rodrigues de (Professor)

O presente trabalho tem como foco a investigação da realidade do Microcrédito no Estado de
Minas Gerais, tomando como objeto de estudo o Fundo de Apoio ao Empreendedorismo
Popular (FAEP), conhecido por “Banco do Povo”. O FAEP iniciou suas atividades em 1997
sendo considerado o grande responsável pela geração de renda nas regiões em que atua,
através do favorecimento à criação e manutenção de mais de seis mil postos de trabalho
propiciados pelos empréstimos concedidos aos microempreendedores. O objetivo do trabalho
foi compreender a importância do crédito produtivo na promoção do desenvolvimento
econômico regional, como fator de contribuição para o desenvolvimento sustentável e para
implantação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). O ODM foi estabelecido
em setembro de 2000, durante a Cúpula do Milênio, realizada na sede da ONU em Nova
Iorque, oficializando um pacto para priorizar a eliminação da fome e da extrema pobreza no
Planeta até 2015. Embora o ODM não fixe, formalmente, os objetivos para o setor financeiro,
os países precisam do microfinanciamento produtivo para alcançá-los. Para atingir os
objetivos do trabalho, foi realizada uma pesquisa de caráter descritivo e exploratório, através
de levantamento de dados, descrevendo operações de microcrédito, realizadas pelo FAEP no
âmbito da Zona da Mata, Sul/Sudoeste de Minas e Campo das Vertentes, procurando
compreender a importância socioeconômica do microcrédito. Os resultados permitem inferir
sobre a contribuição do FAEP ao desenvolvimento da região em análise, concorrendo
positivamente para a implantação do ODM. Observa-se, que ao criar riqueza para os
indivíduos de baixos rendimentos, o microfinanciamento cria novos consumidores e novos
mercados para as empresas, contribuindo para o desenvolvimento. Diante destes fatos,
conclui-se que o microcrédito é de fundamental importância para o crescimento e
desenvolvimento regional, concorrendo para geração de ocupação e renda aos
microempreendedores sócio-produtivos. (PET/CAPES)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   983
_________________________________________________________________________

O PONTO DE EQUILÍBRIO TRIBUTÁRIO PARA EMPRESAS OPTANTES PELO
LUCRO REAL OU LUCRO PRESUMIDO. TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO.

BISPO, Oscar Neto de Almeida (Estudante); OLIVEIRA, João Leando C. de (Estudante);
ABRANTES, Luíz Antônio (Orientador)

A carga tributaria no Brasil aproxima-se de 38% do PIB. Apesar disto a Medida Provisória
135/2003, convertida na Lei nº 10.833/04, alterou o percentual de incidência no faturamento
de 3% para 7,6% a alíquota da COFINS e de 0,65% para 3% a alíquota do PIS, instituindo
para as empresas optantes pelo lucro real o sistema de não cumulatividade e mantendo o
sistema anterior para as empresas optantes pelo lucro presumido. Assim, o objetivo deste
estudo consiste em, considerando a possibilidade de opção tributária, estimar o ponto de
equilíbrio nas duas opções. Os dados para estudo foram coletados em Supermercados na
cidade de Viçosa, onde se estabeleceu a média da receita e custo anual. Constatou-se que
empresas que agreguem 39,5% de tributos e margem em seu custo de produção, não foram
afetadas pela referida lei. Acima deste percentual as empresas de lucro real são oneradas com
a maior incidência destas contribuições. No contexto atual, em que as empresas buscam novas
estratégias para reduzir seus custos e tornar seus produtos mais competitivos, este estudo
reveste-se de grande importância ao inserir a possibilidade do planejamento tributário no
processo decisório. Observou-se que com a inserção do sistema não cumulativo para as
contribuições relacionadas ao PIS e a COFINS seja na incidência sobre as vendas ou na
formação da base de crédito na formação dos custos de produção deve ser analisada e
comparada a agregação de valor ao custo das mercadorias vendidas, para definir a melhor
opção tributária relacionada ao lucro real ou lucro presumido.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   984
_________________________________________________________________________

OPERACIONALIZAÇÃO DE MODELO DE GERÊNCIA ESTRATÉGICA DE
SISTEMA BIOECONÔMICO DE PRODUÇÃO DE LEITE

NERY, Matheus Eugênio (Estudante); LEITE, José Luiz Bellini (Orientador)

As técnicas de administração são pouco utilizadas nas fazendas leiteiras, sendo mais comum
os trabalhos relacionados à obtenção do custo de produção. Este é conseguido quando a
atividade que o gerou não pode mais ser alterada, constituindo-se em uma medida de passado
e apenas uma ferramenta de controle. O objetivo do trabalho é propor uma metodologia que
privilegie o processo de tomada de decisão, utilizando ferramentas das teorias administrativas,
com foco na evolução e na obtenção de objetivos e metas para sistemas de produção de leite.
A produção de leite é considerada um sistema bioeconômico e a metodologia contém as fases
de planejamento, organização, execução e controle, devendo ser exeqüíveis na fazenda. O
planejamento considera os níveis Institucional (estratégias de longo prazo e objetivo do
empreendimento por exemplo, faturamento almejado), Intermediário (planos táticos com
metas de médio prazo, técnicas e econômicas, requeridas para a consecução dos objetivos) e
Operacional (tarefas para cada meta técnica e econômica). Com base no conhecimento da
biologia e do comportamento animal, defini-se na fase de organização, o manejo do rebanho,
considerando o ciclo produtivo da vaca subdividido em 4 fases (produção-não-prenhe;
produção; prenhe-e-seca e, pré-parto), cada qual com metas específicas. Para a fase de
execução são utilizadas planilhas do PDPL-RV, adaptadas para as diferentes etapas da
gerência estratégica do sistema bioeconômico. Para a fase de controle foram adicionadas
funções que explicitam datas e eventos críticos que monitoram o desempenho alertando sobre
a necessidade ou não de intervenção para alcance das metas estabelecidas. Assim, fica
incorporada uma visão dinâmica de controle, que auxilia na tomada de decisão em mudar ou
manter as atividades em execução.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   985
_________________________________________________________________________

PODER E CULTURA NA UFV: UM ESTUDO DO PERFIL ACADÊMICO DOS
REITORES E PRÓ-REITORES NO PERÍODO PÓS-FEDERALIZAÇÃO.

MURTA, Paula Maria Gomes Murta (Bolsista-IC); LIMA, Afonso Augusto Teixeira De
Freitas (Orientador); OLIVEIRA, Adriel Rodrigues de (Professor)

A Universidade Federal de Viçosa foi fundada em 1922 como Escola Superior de Agricultura
e Veterinária (ESAV) e em 1948 expandiu-se como Universidade Rural de Minas Gerais
(UREMG). Apenas em 1969, ocorreu o processo de federalização, iniciando-se a expansão e
diversificação de suas atividades para outras áreas de ensino. Logo, era natural que os
dirigentes da universidade fossem então exclusivamente da área agrária. No entanto, 37 anos
após a federalização ainda se percebe a concentração do poder -no aspecto de ocupação de
cargos em órgãos da Administração Superior- nesta área, pioneira na UFV. Esta pesquisa teve
como objetivo mostrar que, embora a Universidade Federal de Viçosa não seja mais escola de
agricultura e pecuária, nem universidade rural, sua cúpula dirigente continua sendo
majoritariamente advinda das Ciências Agrárias, além de buscar relações entre a origem
acadêmica, naturalidade e quaisquer outros aspectos que possam influenciar na escolha de
ocupantes dos cargos máximos da UFV. Por meio de documentos existentes na UFV e de
depoimentos de pessoas diretamente envolvidas na Administração Superior foram levantados
aspectos importantes para se entender as razões das questões levantadas. Dois pontos
considerados importantes para este trabalho foram o Poder e a Cultura Organizacional. O
Poder está relacionado à autoridade inerente aos cargos dos executivos de alto escalão da
UFV e a Cultura organizacional é o modelo de pressupostos básicos que o grupo responsável
pela fundação cria, descobre ou desenvolve no processo de aprendizagem para lidar com os
problemas de adaptação externa e integração interna. (CNPq)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   986
_________________________________________________________________________

TRIBUTOS INDIRETOS INCIDENTES NO CUSTO DE PRODUÇÃO E DE
COMERCIALIZAÇÃO NO SEGMENTO DE PRODUÇÀO DO CAFÉ MINAS
GERAIS

MOREIRA, Rafael de Lacerda (Bolsista-IC); ABRANTES, Luiz Antônio (Orientador);
PINHEIRO, Alexandre Santos (Bolsista)

A atividade cafeeira no Brasil é considerada estratégica na economia nacional, sendo grande
geradora de divisas e empregos. Por atuar em ambiente competitivo, o crescente aumento dos
gastos com insumos e mão-de-obra, demanda do produtor a busca de alternativas para
otimização dos seus custos. Outro aspecto a ser considerado é a tributação, cuja incidência do
ICMS, Cofins, Pis, CPMF e os Encargos Sociais, onera diretamente a produção rural tanto
nos aspectos financeiros como econômicos. Assim, esse estudo busca estimar o montante da
incidência tributária na composição do preço final do café crú e suas principais implicações
na formação dos custos de produção. A metodologia adotada baseou-se em pesquisa
bibliográfica referente à legislação tributária e para a avaliação da estrutura de custos, foram
adotados os coeficientes técnicos estimados pela Cooperativa Regional dos Cafeicultores em
Guaxupé Ltda. (Cooxupé). Além disso, considerando a grande variação na utilização dos
fatores de produção, foram realizadas entrevistas com produtores, técnicos, e demais agentes
de comercialização na região, buscando adequar os coeficientes técnicos e aprofundar na
averiguação da política tributária para o setor. Os resultados mostram que apesar de uma
política de desoneração para o setor, sobretudo para o ICMS, Pis e Cofins, esse segmento é
significativamente tributado. Observou-se que grande parte dos tributos pagos nas etapas
anteriores incide em cascata, ou mesmo quando não-cumulativos, como o ICMS, não tem os
créditos aproveitados pelo produtor, devido a falta de organização contábil apresentada pela
maioria deles. Considerando a estrutura de custos utilizada, observou-se que o impacto
conjunto dos tributos e das contribuições previdenciárias onerou o custo de produção em
8,66%. Conclui-se, portanto, que os aspectos burocráticos somados a diversidade de alíquotas
e incidências dos tributos e encargos, afetam diretamente a eficiência dos agentes econômicos
dessa cadeia.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   987
_________________________________________________________________________

TRIBUTOS INDIRETOS NO SEGMENTO DE TORREFAÇÃO E MOAGEM DO
CAFÉ DE MINAS GERAIS.

PINHEIRO, Alexandre Santos (Bolsista); ABRANTES, Luiz Antônio (Orientador);
MOREIRA, Rafael Lacerda (Bolsista-IC)

Os impostos incidentes sobre os custos de produção e de comercialização impactam de forma
negativa os preços finais dos produtos e acarreta maior ônus a cada etapa da cadeia produtiva.
Neste contexto destaca-se a cadeia agroindustrial do café, cuja importância na economia
brasileira remonta ao período colonial. Assim a mensuração dos efeitos da incidência do
ICMS, IPI, ISS, PIS COFINS e CPMF no custo de produção e de comercialização do produto
processado torna-se fundamental para identificar o impacto causado pelos tributos sobre a
competitividade das empresas. Neste trabalho buscou-se verificar a incidência dos tributos
indiretos no segmento de torrefação e moagem do café em Minas Gerais, bem como
identificar como esses tributos interferem nos custos de produção e comercialização. Para
tanto, analisou-se a sistemática de incidência dos diversos impostos e contribuições sobre o
processo produtivo e de comercialização. As informações analisadas foram obtidas de fontes
secundárias como a Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC), Instituto Brasileiro de
Planejamento Tributário (IBPT), Sindicato dos Produtores de Café do Estado de Minas Gerais
- Sindicafé-MG, Secretaria da Receita Federal, Secretaria da Receita Estadual em Minas
Gerais, dentre outros. Observou-se que no caso dos insumos que não possuem compensação
de crédito relacionados a determinados tributos, principalmente ao ICMS, o custo tributário é
repassado para o estágio seguinte da cadeia produtiva, onerando o processo produtivo em
10% por kg. No caso da indústria a agregação final se deu em 46% considerando os diversos
tributos incidentes, além da margem. Conclui-se, portanto, que os tributos indiretos compõem
parte significativa dos custos de produção e comercialização do café ocorrendo perdas de
competitividade e distorções na alocação de recursos.
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   988
_________________________________________________________________________

UTILIZAÇÃO DE PORTAIS CORPORATIVOS COMO FERRAMENTA DE
GESTÃO DO CONHECIMENTO E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS EM
PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA

RODRIGUES, Michele (Bolsista-IC); DANTAS, Arthur Vinícius Maciel (Bolsista-IC);
OLIVEIRA, Ana Marcelina de (Estudante); GOMES, Luciana de Oliveira Miranda
(Orientador); FILHO, Jugurta Lisboa (Professor)

A capacidade de gerenciar, disseminar e estimular o surgimento de novos conhecimentos é
fundamental para que uma organização se coloque em posição de vantagem competitiva em
relação aos seus concorrentes. Esta capacidade vem surgindo principalmente como resultado
da revolução tecnológica e da valorização do trabalhador, o que influencia significativamente
a organização de base tecnológica, sobretudo quando diz respeito a pequenas e médias
empresas, que possuem estilo dinâmico e flexível. Daí a necessidade dos gestores
desenvolverem metodologias e ferramentas que equilibrem as relações interpessoais, facilitem
o fluxo de informação, visando o crescimento interno e o aumento do potencial de atuação.
Este projeto tem por objetivo demonstrar o potencial de utilização de portais corporativos
como ferramenta de gestão do conhecimento e gestão de recursos humanos em pequenas e
médias empresas de base tecnológica, focando a qualidade, direção e controle que podem ser
potencializados dentro da realidade destas empresas. Os portais corporativos visam integrar os
departamentos da empresa, permitindo a criação de um ambiente inovador. A metodologia
utilizada foi a de observação e análise da interação entre pessoas e organizações. Em seguida,
através de visitas técnicas foi levantada a existência de ferramentas de gestão nas empresas,
sendo analisadas suas funcionalidades, modelos e tecnologias. Com tais levantamentos está
sendo desenvolvido um modelo de portal corporativo que contenha as principais
características desejáveis e que possa atender as empresas. A partir deste modelo será
proposto um protótipo, buscando sua validação em pelo menos uma empresa estudada.
Conclui-se que os resultados desse projeto podem criar condições favoráveis para o sucesso
das pequenas e médias empresas de base tecnológica, diminuindo a taxa de mortalidade das
mesmas e contribuindo para o crescimento da produção tecnológica no Estado de Minas
Gerais e no Brasil. (FAPEMIG)
UFV     /   XVI    SIC   /   FEVEREIRO-2007      /   Administração  /   989
_________________________________________________________________________

VALIDAÇÃO DE INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO
COLETIVO INTERNO EM UM ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SANTANA, Gislaine Aparecida da Silva (Estudante); TAVARES, Bruno (Orientador);
Ferreira, Marco Aurelio Marques (Professor); LIMA, Afonso A.T.F.C. (Professor)

Muitas empresas têm buscado a flexibilidade de funcionamento por meio da atuação conjunta
com outras empresas em estratégias especificas que envolvem o compartilhamento de
recursos, mas preservam a individualidade dos parceiros (Castells, 1999). Denominados de
redes, este sistema envolve uma multiplicidade de configurações que, essencialmente,
caracterizam-se pela reunião de organizações, legal e administrativamente autônomas, que se
unem para formar parcerias a fim de enfrentarem desafios comuns, muitas vezes improváveis
de serem superados individualmente (BRITTO, 2002). Não havendo subordinação formal
entre os participantes, as redes possuem características distintas em relação à estrutura
hierárquica tradicional (FLEURY, 2002). Assim, a avaliação do desempenho das redes de
empresas exige a incorporação do desempenho coletivo interno, isto é, a relação de coesão
entre as empresas participantes entre si e destas com a rede (WEGNER e DAHMER, 2004).
Neste sentido, este estudo visou validar um sistema de avaliação de desempenho em um
arranjo produtivo local, tipo específico de rede. Como contribuição suplementar, espera-se
identificar informações relevantes para a elaboração de um Sistema de Informação Contábil-
Gerencial (SICG) em redes de empresas. Para tanto, foram aplicados questionários
estruturados aos membros de um Arranjo Produtivo Local de Tecnologia da Informação (APL
TI). Por meio do instrumento, constatou-se que o APL TI, na concepção de seus membros, se
mostrou mais eficiente nos aspectos coordenação, liderança, coesão do grupo e capacidade de
planejamento, respectivamente. Todavia, os dados indicaram baixa eficiência da rede nos
fatores existência de objetivos comuns e compartilhamento de informações. Conclusivamente,
o instrumento apresenta-se como válido uma vez que permitiu a identificação de pontos fortes
e fracos não identificáveis por meio de mecanismos de avaliação tradicional. Os quesitos
avaliados podem ser considerados relevantes teórica e empiricamente, logo devem fazer parte
de um SICG em redes de empresas.

								
To top