voluntario

Document Sample
voluntario Powered By Docstoc
					“A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO
      VOLUNTÁRIO PARA O
     FORTALECIMENTO DOS
 PROGRAMAS DE QUALIDADE”


   Expositor: Profº Luciano Gomes

             Fevereiro, 2008
    Centralidade da Exposição

• Todas as Pessoas Humanas aqui
  presentes vivenciam realidades, advirto-os
  que a centralidade de minha exposição
  não é identificar o mérito da realidade de
  cada um, mas, convidá-los a um exercício
  intelectivo sobre as categorias mediadoras
  destas realidades.
               Realidade

• Mas o que seria Realidade?
• Marx, define Realidade um Concreto
  Complexo.
• “O concreto é complexo por ser a síntese
  de múltiplas determinações” (Ideologia
  Alemã).
              Concretude


• Mas, o que seriam essas determinações?

• Seriam todas as ações historicamente
  determinada e pautadas em correlações.
             Correlações

• Toda “temática” advém de situações
  fundadas por contradições e interesses.
• Mas seriam só as temáticas ou todas as
  situações por nós vivenciadas?
               Intelecção

• Nosso Exercício Intelectivo partirá das
  seguintes questões:
• Como nos pontuamos nessas situações?
• Nós fortalecemos as correlações de forças
  ou nós as minimizamos?
• Nestas correlações qual o lugar das
  Categorias de Análises?
        Categorias de Análise

As Categorias de Análises são estratégias
que utilizamos para fazermos mediações
intelectivas entre situações concretas e uma
concepção teórico metodológica, facilitando
com isso respostas e intervenções na
realidade social.
       Categorias de Análise

Em resumo, as Categorias de Análises
representam lugares concretos de onde
partirão  nossa     análise  para   a
compreensão da realidade e das
mediações que as determinam.
       Categorias de Análise

As Principais Categorias de Análise
identificadas em nossa temática foram:
INSTITUIÇÃO;         DESENVOLVIMENTO;
ORGANIZAÇÃO;          VOLUNTÁRIO       e
MILITANTE.
        Concepções Teóricas

• O modo como é interpretado e
  fundamentado teoricamente as Categorias
  de Análises é que vai dar o caráter
  aprofundado     ou    superficial, crítico
  transformador ou minimizador às nossas
  intervenções profissionais.
        Concepções Teóricas

• As Categorias de Análises podem ser
  interpretadas por várias visões sociais de
  mundo,      dentre    elas:     Positivismo,
  Funcionalismo; Fenomenologia; Visão
  Sistêmica ou Holista e a Crítico Dialética.
            Questão Social

• Nosso modo de ver e interpretar o mundo
  é legitimador de um projeto de sociedade,
  independente de estarmos engajados de
  forma consciente neste projeto.
             Questão Social

• O que me leva a ser um VOLUNTÁRIO é
  acreditar ser possível melhorar as
  relações sócio-institucionais e acreditar
  que o projeto da instituição é possibilitador
  de mudanças.
            Questão Social


• Mas que interpretação eu faço da Questão
  Social?
• O que é a Questão Social?
           Questão Social

• De Acordo com Iamamoto “A Questão
  Social é o conjunto das expressões das
  desigualdades da sociedade capitalista
  contemporânea, que tem como matriz
  comum: a produção social cada vez mais
  coletiva, onde o trabalho torna-se mais
  amplamente      social,   enquanto    a
  apropriação de seus frutos mantém-se
  privada, monopolizada por uma parte da
  sociedade”.
            Questão Social

• Essa é a contradição fundamental da
  sociedade capitalista – entre o trabalho
  coletivo e a apropriação privada da
  atividade produtiva, das condições e frutos
  do trabalho.
            Questão Social

• São das condições e frutos do trabalho,
  que o DESENVOLVIMENTO nesta
  sociedade redunda, de um lado, em uma
  enorme possibilidade de o homem ter
  acesso à natureza, à cultura, à ciência,
  enfim, desenvolver as forças produtivas
  do trabalho social.
            Questão Social

• Por outro lado, faz crescer a distância
  entre a concentração/acumulação de
  capital e a produção crescente da miséria
  e da pauperização que atinge a maioria da
  população nos vários países, inclusive nos
  industrializados.
 Expressões da Questão Social

• As minhas ações e intervenções
  cotidianas partem da Questão Social, mas
  se        materializam:     modificando
  (fortalecendo) ou transformando as
  Expressões da Questão Social?
 Expressões da Questão Social

• As Expressões da Questão social são as
  várias situações que advindas das
  correlações de força, justificam uma
  Institucionalização.
• Ex: Doença - Expressão:
• Política de Saúde – Institucionalização.
              Pontuações

• Diante do exposto:
               Instituição

• O que é a INSTITUIÇÃO e como eu a
  identifico na relação Questão e Expressão
  Social?
• Como        a    instituição formaliza  a
  reprodução das correlações de forças?
          Desenvolvimento

• O que é DESENVOLVIMENTO e como a
  INSTITUIÇÃO facilita este processo?

• O DESEVOLVIMENTO potencializa a
  participação do conjunto orgânico da
  população paraense no usufruto dos bens
  socialmente produzido, de que forma?
             Organização

• A ORGANIZAÇÃO para            além    da
  burocracia garante o que?

• Para além das estratégias administrativas
  em que a ORGANIZAÇÃO facilita na
  construção de uma sociedade mais justa?
              Voluntários

• Ser VOLUNTÁRIO é optar por uma causa,
  é ver nesta a possibilidade de mudança e
  transformação.

• Como o VOLUNTÁRIO pode potencializar
  o programa de QUALIDADE sem perder
  de vista a totalidade das relações sócio-
  institucionais?
                Militante

• Ser     MILITANTE      é    perceber-se
  responsável não só das atividades de
  montagem, implementação e gestão de
  programas de QUALIDADE, mas, nos
  impactos desses programas na vida
  cotidiana dos sujeitos envolvidos e da
  sociedade como um todo.
                Militante

• Ser MILITANTE é conhecer e lutar por um
  projeto de sociedade que tenha como
  centralidade o Sujeito em relação de
  igualdade com o Mundo (Natureza).
     Profº Luciano Gomes


Obrigado pela Presença de Todos (as).



    Que a Paz invada nosso Ser.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:4
posted:1/14/2012
language:
pages:28