REESTRUTURA��O DO PROJETO POL�TICO PEDAG�GICO DA ESCOLA

Document Sample
REESTRUTURA��O DO PROJETO POL�TICO PEDAG�GICO DA ESCOLA Powered By Docstoc
					REESTRUTURAÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA
MUNICIPAL ANTONIO GONÇALVES DE CARVALHO FILHO: Desafios para uma
reelaboração coletiva
                                                               1
                                                                Marcia Cristina Lima Nunes


Resumo
O presente artigo faz uma conceituação sobre o Projeto Político Pedagógico,
especialmente sobre o seu processo de reelaboração dentro de uma unidade
educacional destacando a sua importância e visando sua melhoria no sentido de
valorizar e sistematizar o trabalho que é realizado nela. Buscou-se enfatizar como é
importante o envolvimento de uma comunidade que realmente se sente responsável
pela sua escola e o quanto o trabalho que é realizado de forma coletiva, pode ser
mais rico e mais valorizado. Assim, o estudo reflete sobre os desafios enfrentados
durante o processo de reelaboração coletiva do PPP da Escola Municipal Antonio
Gonçalves de Carvalho Filho, uma vez que, a escola é formada por diferentes
segmentos e envolver a comunidade escolar se tornou um grande desafio, pois a
grande maioria ainda não se sentia capaz ou mesmo responsável por esse
processo, mas como resultado, percebeu-se que houve uma conscientização sobre
a importância da reelaboração desse documento para assim melhorar a qualidade
dos serviços prestados à comunidade com base na realidade da escola.


Palavras Chave: Projeto Político Pedagógico. Participação. Reelaboração.




1

Graduada em Pedagogia pela Fundação Universidade de Gurupi – UNIRG, pós graduada em
Pedagogia Escolar pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Extensão – IBPEX em 2005 e Docência do
Ensino Superior pelo Instituto Tocantinense de Pós-Graduação – ITOP em 2008. Atualmente,
Orientadora Educacional da Escola Municipal Antônio Gonçalves de Carvalho Filho em Palmas – To.
marcialimanunes@yahoo.com.br.
                                                                                   2




       ABSTRACT

This article presents a conceptualization of the Pedagogical Political Project,
especially about the process of reworking within an educational unit highlighting its
importance and its improvement in order to value and systematize the work done on
it. We tried to emphasize how important the involvement of a community that really
feels responsible for her school and how the work is done collectively, can be richer
and more valuable. Thus, the study reflects on the challenges faced during the
process of redesigning the PPP conference of the Municipal School Antonio
Goncalves de Carvalho Filho, since the school is made up of different segments and
involve the school community became a major challenge due to majority still did not
feel able or even responsible for this process, but as a result, it was noticed that
there was an awareness of the importance of reworking this document to thereby
improve the quality of services rendered to the community based on the reality of
school.




Key-Words: Pedagogical Political Project. Participation. Reworking
                                                                                  3



INTRODUÇÃO

             O presente artigo tem por objetivo refletir sobre o processo de
reelaboração do Projeto Político Pedagógico (PPP) da Escola Municipal Antonio
Gonçalves de Carvalho Filho em Palmas – To, esse processo foi possível por meio
da realização de pesquisa ação numa perspectiva coletiva buscando o envolvimento
de toda a comunidade escolar e dos diversos membros que fazem parte da rotina da
instituição. Acredita-se que, para que o PPP seja realmente a identidade da escola,
ele precisa ser realizado por aqueles que convivem e conhecem os problemas e as
fraquezas existentes na instituição, e também seja um espaço em que haja
discussão e analise sobre as melhores respostas para os diversos questionamentos
que surgem no grupo escolar.
             Assim, a pesquisa foi fundamentada em referências como, Pedro
Demo (1994), Ilma Passos Veiga (2004), Maria Aparecida Lima (2006), Celso dos
Santos Vasconcelos (2004), Moacir Gadotti (2000), Paulo Roberto Padilha (2003),
dentre outros, assim como documentos legais, entre eles a Lei de Diretrizes e Bases
da Educação Nacional, Lei 9.394/96.
             Como apontado inicialmente, o objetivo desse estudo pautou-se no
processo de reelaboração do PPP da Escola Municipal Antonio Gonçalves de
Carvalho Filho, por compreender que esse processo de reconstrução deve sempre
ser revisto, pois o sistema educacional e as ações da escola estão em constantes
mudanças, mudanças estas que poderiam ser vistas de forma positiva pelos
integrantes atuantes na Unidade Escolar. Assim, a pesquisa buscou realizar um
estudo mais aprofundado sobre a reconstrução do PPP, uma vez que o documento
é de grande importância para nortear as ações da escola e, no caso dessa, este
encontrava-se muito desatualizado. Evidenciou-se que a comunidade escolar ainda
não se sentia totalmente parte integrante do processo que envolve decisões e
participações dentro da unidade escolar, pois percebeu-se que o envolvimento nos
encontros para as discussões, ainda aconteciam de forma bem tímida.
             O método aplicado para o levantamento das questões utilizou-se de
reuniões para discussões das ações necessárias para a melhoria da instituição e por
meio de aplicação de questionários destinados à comunidade e pela equipe de
funcionários. As reuniões foram realizadas para apresentação do projeto já existente
e discussão das possíveis mudanças, se adequando à realidade atual da escola e a
                                                                                              4



necessidade de serem adaptadas levando em consideração as mudanças ocorridas
com o passar do tempo desde a primeira versão do PPP.


IMPORTÂNCIA DO P.P.P. PARA A UNIDADE ESCOLAR

             A   escola     precisa    preocupar-se      em    atender    às    necessidades
específicas da comunidade na qual está inserida, planejando seu trabalho a curto,
médio e a longo prazo, com a finalidade de construir uma identidade própria e não
se perder nas ações ao longo dos anos. Construir essa identidade é consolidar o
Projeto Político Pedagógico da escola, o qual é fundamental, pois é um elemento
norteador do seu trabalho. Ao ser construído o projeto da escola, se planeja o que
se tem a intenção de fazer, ou seja se antecipa um futuro diferente do presente,
como afirma Gadotti,
                       Todo projeto supõe rupturas com o presente e promessas para o futuro.
                       Projetar significa tentar quebrar um estado confortável para arriscar-se,
                       atravessar um período de instabilidade e buscar uma nova estabilidade em
                       função da promessa que cada projeto contém de estado melhor do que o
                       presente. Um projeto educativo pode ser tomado como promessa frente a
                       determinadas rupturas. As promessas tornam visíveis os campos de ação
                       possível, comprometendo seus atores e autores. (1994, p.579).

             Nesse sentido, o PPP não é apenas um simples conjunto de planos de
ensino e de atividades variadas, nem mesmo deve ser construído e posteriormente
arquivado ou simplesmente para cumprir uma norma previamente estabelecida
pelas   autoridades    educacionais      como    prova    de    cumprimento      de    normas
burocráticas. O PPP precisa ser construído e vivenciado a todo o momento com o
envolvimento de toda a comunidade escolar, de forma coletiva. Essa construção
quando acontece democraticamente, além de ser um processo de permanente
reflexão e discussão dos problemas da instituição busca uma vivência democrática
necessária para a participação de todos os membros da comunidade escolar e local,
reforçando assim o exercício da cidadania. Dessa forma a participação coletiva
envolve diversos atores da sociedade e se torna de extrema importância para
qualquer processo decisório que envolva um grupo de pessoas em busca de
melhorias para a sua comunidade. Sabe-se que a escola também é responsável por
formar opiniões e se constitui em um espaço em que o indivíduo pode participar das
relações sociais. Nela o estudante também adquire conhecimentos necessários para
se tornar um ser humano crítico, participativo e capaz de tomar decisões que
venham favorecer a melhoria do seu bairro, de sua comunidade e da sociedade em
                                                                                            5



geral, daí a grande responsabilidade da escola, principalmente no que se refere ao
incentivo da participação de todos nas decisões tomadas por ela, pois o exemplo
ainda constitui uma forma primordial de aprendizagem e ensinamentos. Acredita-se
que o incentivo na participação para a elaboração do PPP ajuda a consolidar esses
princípios. Como afirma Gadotti (2000).
                     [...] aluno aprende apenas quando se torna sujeito de sua aprendizagem. E
                     para ele tornar-se sujeito de sua aprendizagem ele precisa participar das
                     decisões que dizem respeito ao projeto de escola que faz parte também do
                     seu projeto de vida. Não há educação e aprendizagem sem sujeito da
                     educação e da aprendizagem. A participação pertence à própria natureza
                     do ato pedagógico.


             Quando se tenta vender a idéia de autonomia e direito da comunidade
de intervir no futuro da escola e de seus filhos não se pode trabalhar com
imposições e sim mobilização. Como afirma Padilha quando se diz que devemos
trabalhar com a seguinte estratégia:
                     Pensar em estratégias, em uma metodologia de trabalho que reconheça
                     esse momento como uma festa da escola cidadã, ou seja, como um
                     momento que permite uma leitura de mundo no sentido de conhecer a
                     realidade local e intervir de forma democrática e participativa, para
                     efetivação desse processo. Padilha (2003, p.25)

             Analisando a parte legal o Projeto Político Pedagógico, verifica-se que
se trata de um importante instrumento de diagnóstico e transformação da realidade
escolar, o que fortalece sua construção coletiva. Não se trata apenas de elaborar um
documento, mas de forma fundamental, implantar um processo de ação – reflexão,
que exige o esforço coletivo e a vontade de uma comunidade escolar consciente da
necessidade, e da importância desse processo para a qualificação da escola, de sua
prática, como também, de que seus resultados sejam imediatos. Nesse sentido, o
PPP é visto como um processo constante de reflexão e discussão dos problemas
encontrados na escola, na busca de alternativas viáveis para a resolução dos
mesmos. É um processo democrático das decisões, com o objetivo de dialogar as
dificuldades encontradas e juntos buscar soluções para os problemas, superando as
relações competitivas e autoritárias.

             No PPP estão contidos os anseios e desejos para melhorias
necessárias para a unidade escolar, que representa uma referência norteadora em
todos os pilares da ação educativa da escola. Por esses motivos que a sua
elaboração requer a participação de todos aqueles que fazem parte da comunidade
                                                                                              6



escolar. Dessa forma, articular e construir um projeto que haja a participação de
todos é necessário, acima de tudo, a organização e sistematização para tornar esse
espaço de fato participativo. No entanto, trabalhar coletivamente, apesar de ser
muito proveitoso para a escola não é tarefa fácil, mesmo assim como destaca Veiga
(2000) é um passo importante até mesmo para que a escola aprenda a trabalhar em
conjunto e assim vencer conflitos diversos. Para Veiga (2000),
                     O Projeto Político Pedagógico, ao se constituir em processo democrático de
                     decisões, preocupa-se em instaurar uma forma de organização do trabalho
                     pedagógico que supere os conflitos, buscando eliminar as relações
                     competitivas, corporativas e autoritárias, rompendo com a rotina do mando
                     impessoal e racionalizando a burocracia que permeia as relações no interior
                     da escola, diminuído os efeitos fragmentários da divisão do trabalho que
                     reforça as diferenças e hierarquiza os poderes de decisão. (2000, p.15).


             Desse modo é possível afirmar que essa construção coletiva propicia
também uma quebra de paradigmas na instituição, tirando a responsabilidade e as
decisões somente da direção da escola e dividindo as responsabilidades com todos
os envolvidos no processo educativo, minimizando os conflitos existentes.
             O PPP da escola pode ser visto inicialmente como um processo de
mudança nos espaços escolares que estabelece princípios, diretrizes e propostas de
ação para melhor organizar, sistematizar e significar as atividades desenvolvidas
pela escola como um todo, ao desenvolvê-lo, as pessoas expõem suas
experiências, refletem suas práticas, resgatam, reafirmam e atualizam valores,
demonstram seus saberes, dão sentido aos seus projetos individuais e coletivos,
estabelecem novas relações de convivência e indicam um horizonte de novos
caminhos, possibilidades e propostas de ações. Este movimento visa à promoção da
transformação necessária e desejada pelo coletivo escolar e comunitário. Nesse
sentido, o PPP é resultado da ação humana transformadora, fruto de um
planejamento dialógico. Ele é movimento de ação-reflexão-ação, que enfatiza o grau
de influência que as decisões tomadas na escola exercem nos demais níveis
educacionais.

             Entretanto é importante ter em mente que a construção dele não é
apenas uma exigência legal da escola, mas deve apresentar um avanço que revela
o seu poder de organização, conquistando cada vez mais autonomia em suas
decisões, pois algo que é construído por todos aqueles que faz parte do processo
                                                                                                 7



real dos envolvidos, tem mais validade e força nas decisões e mudanças que são
necessárias para uma escola mais justa e com ensino de qualidade.
             Dessa forma é perceptível compreender que o PPP é um produto, um
plano, como freqüentemente é compreendido, ele não é algo construído para ser
arquivado, ficar nas gavetas ou ser encaminhado para as autoridades para cumprir
tarefas burocráticas. Ele é resultado de um processo de trabalho coletivo da escola e
deve ser reconstruído e vivenciado constantemente por todos os envolvidos com a
realidade escolar. Ele se constitui como algo de permanente reflexão e discussão
dos problemas, das propostas, da organicidade e da intencionalidade da escola.
Nesse sentido ele ultrapassa a mera elaboração de planos, que só se prestam a
cumprir exigências burocráticas, como apresenta Veiga (1995),

                     O Projeto Político Pedagógico busca um rumo, uma direção. É uma ação
                     intencional, com um sentido explícito, com um compromisso definido
                     coletivamente. Por isso, todo projeto pedagógico da escola é, também, um
                     projeto político por estar intimamente articulado ao compromisso sócio -
                     político e com os interesses reais e coletivos da população majoritária. (...)
                     Na dimensão pedagógica reside a possibilidade da efetivação da
                     intencionalidade da escola, que é a formação do cidadão participativo,
                     responsável, compromissado, crítico e criativo. Pedagógico, no sentido de
                     se definir as ações educativas e as características necessárias às escolas
                     de cumprirem seus propósitos e sua intencionalidade. (Veiga, 1995)

             Desse modo, esse documento pode subsidiar a organização do
trabalho pedagógico que inclui o trabalho educativo na sala de aula. Veiga (1995)
ainda destaca que o projeto político-pedagógico tem a ver com a organização do
trabalho pedagógico em dois níveis sendo um com a organização da escola como
um todo e outro como a organização da sala de aula, incluindo sua relação com o
contexto social imediato, procurando preservar a visão de totalidade, buscando
assim, a organização do trabalho pedagógico na sua globalidade.
             Na construção do PPP assumimos uma clara direção de projeto de
sociedade que queremos construir, dos sujeitos que queremos formar, a partir de
uma clara proposta pedagógica. Fazem-nos tomar posição sobre como queremos
que seja nossa escola, quais conhecimentos e qual cultura ela vai priorizar no seu
trabalho educativo, como ela vai trabalhar com o saber de experiência construído
pelos educandos e educadores, que relação ela vai estabelecer com a comunidade
onde se insere, como os diferentes atores sociais vão participar da construção e
organização do trabalho pedagógico escolar.
                                                                                            8



O PROCESSO DE REELABORAÇÃO DO PPP DA ESCOLA MUNICIPAL
ANTONIO GONÇALVES DE CARVALHO FILHO

             Conforme abordamos o PPP é uma atribuição legal conferida a escola
pela Lei de Diretrizes e Bases 9.394/96, ampliando o papel da escola diante da
sociedade e colocando-a como centro de atenção das políticas educacionais mais
gerais. Este documento ainda sugere o fortalecimento da sua autonomia, delegando
aos que fazem parte da escola (comunidade interna e externa) a tarefa da
elaboração do projeto político-pedagógico. Nos seus artigos 12 e 13 regulamenta a
participação dos docentes na elaboração da proposta pedagógica das instituições as
quais fazem parte, dando continuidade em seu Art. 14 assegura aos sistemas de
ensino a autonomia de sistematização dos seus Projetos Pedagógicos assim
exposto na lei:
                     Os sistemas de ensino definirão as normas da gestão democrática do
                     ensino público na educação básica, de acordo com as suas peculiaridades
                     e conforme os seguintes princípios: I – participação dos profissionais da
                     educação na elaboração do projeto pedagógico da escola.

             A Escola Municipal Antonio Gonçalves de Carvalho Filho localizada em
Palmas – To, em cumprimento ao disposto instituído por lei, tem procurado oficializar
sua concepção de educação e conseqüentemente de cidadão a ser formado, para a
sociedade atual. Dentro deste contexto sistematizou a reelaboração do seu Projeto
Político Pedagógico com o objetivo de construir uma identidade para a escola, definir
ações necessárias para a melhoria da instituição, bem como, organizar da melhor
forma possível, a organização do trabalho pedagógico e administrativo.

             Nesse processo, por meio de nossa intervenção com a pesquisa ação,
a partir da qual desenvolvemos um projeto de intervenção na escola, partimos da
realização de uma reunião com a equipe pedagógica e administrativa da escola e o
conselho escolar para mobilização da necessidade de reelaboração do PPP,
partindo do princípio de que nossa visão de mundo sempre muda e que nossas
ações precisam ser sempre revistas. Dessa forma foi apresentado o projeto já
elaborado e como a equipe precisava se empenhar para a finalização e
reelaboração desse PPP com base no projeto de intervenção que também foi
apresentado à equipe na ocasião. Nessa fase de socialização do trabalho, foi
exposto a necessidade de reelaborar o PPP em conjunto pois ele pode apresentar
                                                                                   9



melhorias em nossa escola, por expressar o pensamento e os anseios coletivos de
toda uma equipe. No entanto vale ressaltar que contar com a participação dos pais e
comunidade em geral, acabou sendo um pouco complicado, pois a adequação de
horários para as reuniões nem sempre coincidia com o horário disponível dos pais,
pois muitos alegavam que o trabalho acabava sendo um grande empecilho para a
participação nas reuniões e conseqüentemente na vida escolar dos filhos.

             Outra ação realizada foi a aplicação de questionários aos pais da
escola tendo em média a participação de 30% dos pais, os demais foram
convidados a participar, mas observamos que ainda não se sentiam responsáveis
pela participação nessas pesquisas. No questionário havia questões para verificar se
os pais tinham conhecimento da realidade da nossa escola, saber como eles viam a
instituição e qual o modelo de escola eles gostariam para seus filhos. Na ocasião foi
explicado o objetivo do questionário e da proposta da reelaboração do PPP, bem
como sua importância para a melhoria da nossa escola.

             À medida que os questionários eram retornados à escola era feito um
levantamento dos dados e posteriormente elaborado um diagnóstico, baseado nas
respostas dadas pelos entrevistados, para assim aperfeiçoarmos as ações a serem
citadas no PPP e posteriormente realizá-las em nossa escola.

             A participação dos alunos na reeelaboração do PPP ocorreu por meio
de conversas internas e em reuniões em sala de aula por turmas. Também foi
aplicado um questionário a eles para compreender a visão que eles têm sobre a
instituição e saber o que seria necessário mudar para haver uma melhoria na escola
como um todo.

             Na segunda reunião com a equipe de sistematização do PPP, foi
pontudo situações prioritárias que na ocasião exigia mudanças em algumas ações.
Em janeiro/2010 reunimos a Associação Comunidade Escola (ACE) e o Conselho
Escolar Comunitário para a socialização do diagnóstico levantado anteriormente.
             Essas são algumas ações realizadas para a reelaboração do PPP da
Escola Municipal Antonio Gonçalves de Carvalho filho, as quais forma associadas à
estratégia de leituras teóricas e análise dos passos do PPP construído em anos
anteriores, desde o seu marco referencial teórico aos planos de ação de cada uma
                                                                                 10



das dimensões da escola, entre eles o Plano de trabalho da gestão, o plano da
supervisão escolar da orientação educacional, da coordenação de vídeo e biblioteca.
Dessa forma, considerando a leitura e análise do PPP existente e ações já
apresentadas, os aspectos que não atendiam as demandas atuais da comunidade
foram sendo reestruturadas.

             O último encontro do trabalho de reelaboração do PPP da escola
aconteceu no dia 20/01/2010, ocasião em que grande parte dos agentes da escola
esteve presente e participaram efetivamente dos trabalhos, sendo que mais de 90%
dos servidores fizeram parte desse momento de conclusão dos trabalhos, além de
contarmos com representantes de pais e da comunidade através de parte dos
membros da ACE e do Conselho Escolar comunitário.

             Uma das grandes dificuldades encontradas nesse processo foi a falta
de participação da comunidade escolar e local, pois grande parte acreditam que
esse trabalho cabe somente à equipe da escola e ainda não se sentem
responsáveis pela elaboração das ações nela desenvolvidas.

             Dessa forma, o nosso PPP foi reelaborado a partir do trabalho
envolvendo toda a equipe da escola, parte da ACE e do Conselho Escolar através
de representantes de pais e da comunidade.




ALGUMAS CONSIDERAÇÕES FINAIS

             O Projeto Político Pedagógico deve se constituir como uma referência
norteadora, em todos os âmbitos da ação educativa da escola e por isso, sua
elaboração requer, para ser expressão viva de um projeto coletivo, a participação de
todos aqueles que compõem a comunidade escolar. Todavia, articular e construir
espaços participativos, produzir no coletivo um projeto que diga não apenas ao que
a escola é hoje, mas também apontar para o que pretende ser, exige método,
organização e sistematização. Queremos dizer que não é apenas com “boas
intenções” ou voluntarismo que se constrói um projeto dessa natureza. É preciso
muito trabalho organizado se quisermos, de fato, que o projeto proposto
desencadeie mudanças na direção de uma formação educativa e cultural, de
                                                                                 11



qualidade, para todas as crianças e todos os jovens que freqüentam a escola
pública.
             O PPP da escola deve ser visto como uma reflexão constante de seu
cotidiano e para tanto, a instituição precisa de um determinado tempo de reflexão e
ação, e assim consolidar sua proposta e fazê-la acontecer no dia a dia da Unidade
Escolar.
             Dessa forma, por meio da reflexão e trabalho realizado, percebemos
que a construção e reconstrução do Projeto Político Pedagógico da escola não é
uma tarefa fácil. Pelo contrário, trata-se de um processo complexo com diversos
enfrentamentos de ordem individual no que se refere a situações pessoais e
profissionais, como também os interesses coletivos, é extremamente necessário a
atuação de uma equipe gestora capaz de articular bem todo o processo, envolvendo
todos os agentes da escola e a comunidade local. Percebemos, ainda, que é uma
construção fundamental, necessária ao bom andamento da escola e o mais
importante, é possível e faz parte do cumprimento da legislação educacional vigente.
             Após toda a pesquisa e realização do trabalho de reestruturação do
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Antonio Gonçalves de Carvalho
Filho concluímos que as ações que envolviam a participação coletiva não
aconteceram da forma desejada, pois como já mencionado anteriormente a
comunidade ainda não se sentia parte integrante do processo de mudança,
principalmente quando falamos especificamente da escola, a participação nas
reuniões ainda aconteceram de forma tímida, pois apesar das reuniões terem
acontecido em um horário acessível a grande maioria dos pais, os mesmos não se
fizeram presente em grande maioria. As discussões ocorreram com a presença da
equipe de funcionários, pais e o conselho escolar que compareceram sempre que
solicitado. Os questionários para levantamento de dados foram enviados aos pais
e/ou comunidade e retornado à escola. Os alunos também tiveram sua parcela de
colaboração na medida em que eram aplicados questionários solicitando a sua
opinião sobre as ações da escola e os mesmos citaram seus anseios de mudança
que foram transformadas em ações do PPP reestruturado.
             Podemos afirmar que os objetivos da pesquisa foram alcançados em
partes uma vez que a participação da comunidade ainda não aconteceu de forma
satisfatória como previsto.
                                                                                   12



             De toda forma, há que se pensar que o movimento de luta e resistência
dos educadores é indispensável para ampliar as possibilidades e apressar as
mudanças que se fazem necessária dentro e fora dos muros da escola.



REFERÊNCIAS


Lei 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Básica – LDB

GADOTTI, Moacir. Perspectivas Atuais da Educação. Porto Alegre: Artes Médicas,
2000.

LIMA, Maria Aparecida. O Projeto Político Pedagógico: uma proposta da
comunidade escolar. Bauru, SP: Edusc, 2006.

VASCONCELOS, Celso dos Santos. Coordenação do trabalho pedagógico: do
projeto político-pedagógico ao cotidiano da sala de aula. São Paulo: Libertad, 2004.

VEIGA, Ilma Passos A. (Org). Projeto político pedagógico: uma construção possível.
17. edição. Campinas: Papirus, 2004.

PADILHA, Paulo Roberto. Caminho para uma escola cidadã mais bela prazerosa e
aprendente. Pátio, Porto Alegre: Artmed, n.25, p.12-15, fev. 2003.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:35
posted:1/10/2012
language:Portuguese
pages:12