Slide 1 by UtR7cvEB

VIEWS: 14 PAGES: 24

									Colégio Estadual Antônio Gonçalves
Data de entrega: 05 de Setembro
Turma: 2003
Série: 2º ano do 2º grau
Professor: Jarbas
Ano letivo: 2008
“Melhor a vida...




     ...ou a morte?”
              “O QUE É ABORTO?”
Um aborto ou interrupção da gravidez é a
remoção ou expulsão prematura de um embrião
ou feto do útero. Isto pode ocorrer de forma
espontânea ou artificial, provocando-se o fim da
gestação, mediante técnicas médicas,
cirúrgicas entre outras.
Após 180 dias (seis meses) de gestação,
quando o feto já é
considerado viável, o
processo tem a designação
de parto prematuro.
          Tipos de aborto induzido:
*Aborto Espontâneo
*RU-486 (5-7 semanas)
*Metotrexato (5-9 semanas)
*Aspiração - Sucção (6-16 semanas)
*Dilatação e Curetagem (6-16 semanas)
*Dilatação e Evacuação (13-20 semanas)
*Envenenamento salino (16-32 semanas)
*Injeção intra – cardíaca (20-32 semanas)
*Diu – Dispositivo intra – uterino
*Histerotomia (24-38 semanas)
*Dilatação e Extração (20 semanas - até o fim
da gravidez)
*Prostaglandina (16-38 semanas)
*Dilatação e Evacuação (13-20 semanas)
*Pílula do dia seguinte
      Algumas das Conseqüências do Aborto
  Esterilidade         Exaustão
  Remorso              Choques e comas
  Perda de peso        Dor intensa
  Impulsos suicidas    Perda de apetite
  Útero perfurado      Insônia,
  Hemorragias e        entre outras mais.
   infecções
 ~>Aborto Espontâneo
Como o próprio nome indica, o aborto
espontâneo não é um método de aborto
induzido, ocorrendo geralmente sem qualquer
aviso ou sem qualquer indicação prévia. Por
norma acontece quando o feto não é viável ou
a gravidez não tem as condições necessárias
ao correto desenvolvimento do feto. É uma
reação natural do próprio organismo da mãe.
A grande parte destes abortos não coloca a
vida da mãe em perigo. Verifica-se por vezes
uma perda de sangue ou uma perda parcial do
feto/placenta que torna necessária uma...
...hospitalização para se realizar uma
intervenção médica de modo a remover o que
resta da placenta e que está em processo de
degradação dentro do útero.
~>RU-486
É uma droga que é tomada quando a mulher
se apercebe que o seu período falta e não
pretende prosseguir com a gravidez. Esta
droga, que tem como função induzir o aborto,
pode ser tomada até ao segundo mês de
gestação. O seu funcionamento consiste em
bloquear a progesterona, uma hormona com
um papel crucial durante a gravidez. Sem esta
hormona, o revestimento uterino não fornece
alimento, fluidos e oxigênio ao feto em
desenvolvimento, que nestas condições não
consegue sobreviver. Este método abortivo...
...continua, então, pela ingestão de uma
segunda droga, a prostaglandina que vai
estimular a contração do útero para que o feto
seja expelido. As mulheres que abortam
recorrendo à droga RU-486 experimentam
náuseas, cãibras agudas, vômitos e
hemorragias. A RU-486 tem sucesso entre 60
a 80% das vezes.




                               (Aborto por RU-486).
~>Metotrexato
É um antagonista do ácido fólico [vitamina
produzida pelas plantas; é um fator de maturação
das células, especialmente nas células da medula
óssea; desempenha um papel primordial na síntese
de certos ácidos nucléicos ] interferindo na
síntese do ADN. A administração desta droga
mata o feto numa altura em que o seu coração
já bate. Tem um tempo de ação muito
semelhante ao RU-486, mas trabalha de um
modo diferente. Enquanto que a RU-486
acaba por provocar a morte ao feto por fome,
esta droga é um veneno que atua diretamente
no feto em desenvolvimento, matando-o.
~>Aspiração – Sucção: neste método, o anel
muscular cervical [abertura do útero] tem de ser
distendido com a ajuda de um espéculo. Este
processo é difícil porque o anel ainda não está
pronto a abrir, uma vez que se encontra duro
ou “verde”. A pessoa que executa o aborto
insere depois no útero um tubo plástico oco
com a extremidade semelhante a uma faca. A
força da sucção despedaça o corpo do feto. A
placenta que se encontra enraizada
profundamente no útero é então cortada da
parede uterina e é aspirada juntamente com o
feto. É o método mais comum nos abortos...
...realizados durante o primeiro trimestre de
vida. A força de sucção dos aparelhos utilizados
nesta prática chega a ser 29 vezes mais forte do
que a sucção de um aspirador caseiro.
Possíveis complicações resultantes deste
método incluem infecção, laceração [ lesão
resultante de um rasgamento de pele até ao tecido
subcutâneo ] cervical e perfuração do útero.




(Aborto por aspiração).            (Aborto por sucção).
~>Dilatação e Curetagem: este é um
procedimento semelhante ao da sucção,
exceto que é inserido uma cureta [ instrumento
freqüentemente em forma de colher com bordas
cortantes, utilizado para limpar o interior de uma
cavidade do organismo ] no útero em lugar do
tubo de sucção. O feto é desmembrado e a
placenta despedaçada e juntamente raspados
para um recipiente. Além da perda de sangue
massiva, este método pode ter as mesmas
complicações do aborto por aspiração. Uma
variação deste método é designada de...
...aspiração e curetagem e consiste na
aspiração do embrião seguida da raspagem da
placenta e possíveis membros do feto que
tenham ainda ficado dentro do útero materno.




              (Aborto por aspiração e curetagem)
~>Dilatação e Evacuação: este tipo de
procedimento é realizado após o terceiro mês de
gestação. O colo do útero tem de ser dilatado
antes do aborto propriamente dito. Geralmente
são introduzidas lâminas rígidas designadas de
laminarias [feitas a partir de material desidratado,
geralmente algas marinhas esterilizadas comprimidas
em lâminas grossas] no colo do útero no dia
anterior ao aborto induzido. Após serem
introduzidas, estas lâminas absorvem umidade e
expandem aumentando o seu tamanho várias
vezes, dilatando assim o colo do útero. Um
instrumento semelhante a um alicate é...
...então inserido através do colo do útero até ao
útero. A pessoa que realiza o aborto tenta
apanhar uma perna, braço ou outra qualquer
parte do corpo do feto, e num movimento
rotativo arranca-o do corpo. Este procedimento
de desmembramento desenrola-se até só ficar
a cabeça do feto. Finalmente a cabeça é
esmagada e puxada para fora. A pessoa que
executa o aborto, ou algum ajudante [geralmente
o/a enfermeiro/a], tem que depois voltar a juntar
todas as partes do corpo do feto para se
certificar que foi removido na sua totalidade.
~>Envenenamento salino: Este método, utilizado
após a 16ª semana, consiste na inserção de uma
agulha comprida através da parede abdominal da
mãe até ao saco amniótico. A solução salina
concentrada é então injetada no fluido amniótico,
e o liquido contendo a toxina mortal vai sendo
ingerida lentamente pelo feto, envenenando-o e
queimando-lhe a pele e os pulmões. O
mecanismo de morte induzido por este agente
químico tóxico é a hipernatremia [ aumento de
concentração de sódio no sangue, ultrapassando os
limites normais ] que causa espasmos,
vasodilatação generalizada, edema [ inchaço
causado pela acumulação anormal de fluidos nos...
...tecidos, especialmente nos tecidos subcutâneo
e submucoso ], congestão, hemorragia, choque,
e por fim a morte. Este processo prolonga-se por
algumas horas. Quando é realizado com
“sucesso” a mãe entra em trabalho de parto um
dia depois, dando à luz um bebê morto ou
moribundo.
“Uma vez que uma
mulher se torna
mãe, ela será
sempre mãe, tenha
ou não nascido o
seu filho.”              (Aborto por envenenamento salino)
~>Diu: vários mecanismos de ação estão
envolvidos: todos os DIU's estimulam uma
resposta inflamatória ou resposta a corpos
estranhos no útero que, por sua vez, causa uma
alteração celular e bioquímica no endométrio e
nos fluidos uterinos. O nível de prostaglandina
aumenta e a hemóstase é afetada. Vários tipos
de glóbulos brancos surgem no endométrio e
estes podem consumir o embrião e alguns
espermatozóides, por fagocitose. As alterações
do endométrio no ciclo normal podem ser
atrasadas ou perturbadas por esta reação
inflamatória, tornando-o inóspito para...
...a implantação do embrião quando este chega
vindo da trompa de Falópio. Há também ação
mecânica direta, traumatizando o endométrio e o
embrião recém implantado. O embrião é, então,
expulso. Muitas Mulheres com DIU não
conhecem o seu mecanismo de ação e pensam
ser este apenas contraceptivo. Mas a realidade é
outra: este aparelho tem taxa de aborto muito
elevada- mata um Ser Humano na sua segunda
semana de vida, iniciada no momento da
concepção- o que é inaceitável! Portanto a
colocação do DIU não é um ato médico e deve
ser abolida.
“A vida está em suas mãos”




       “Diga NÃO ao
       ABORTO e SIM
       a VIDA”
           Bibliografia
*http://www.vida.aaldeia.net/index.htm*
         *www.google.com.br*

								
To top