EDUCAR PARA A DIVERSIDADE E PARA A CIDADANIA:

Document Sample
EDUCAR PARA A DIVERSIDADE E PARA A CIDADANIA: Powered By Docstoc
					     EDUCAR PARA A
      DIVERSIDADE
  E PARA A CIDADANIA:
   SUPERANDO O RACISMO, AS
DISCRIMINAÇÕES, INTOLERÂNCIAS,
    HOMOFOBIA E XENOFOBIA
          DIVERSIDADE HUMANA


   UMA    SÓ   RAÇA;

   DIFERENTES POVOS;

   MÚLTIPLAS ETNIAS.
“O Belo   e   o Feio: uma questão de olhar”
      O QUE VEMOS
     NAS ESCOLAS ?
ILUSTRAÇÕES COLETADAS DURANTE
  ATIVIDADE coleta DE DADOS PARA
        PESQUISA EM ESCOLA
CARTÕES DIA DAS MÃES
CARTÕES DIA DAS
     MÃES
PAINEL DO FEREITÓRIO   PAINEL DA RECEPÇÃO
PAINEL DO AUDITÓRIO
FESTA JUNINA – PÁTIO
        DIA DOS PAIS




CORAL DE ALUNAS – PAINEL AO FUNDO
ILUSTRAÇÃO CADERNO DE
       ALUNO
Compreendendo e discutindo
    Alguns conceitos
      fundamentais

    para a construção

      da diversidade
            PRECONCEITO

   Conjunto de idéias e concepções pré
    adquiridas e geralmente carregadas
    de      sentidos      negativos      e
    desvalorativos.   Esses      conceitos
    podem entranhar-se de tal modo na
    consciência do sujeito que acabam
    por    ser   considerados     corretos
    verdadeiros e naturais.
             RACISMO
 Refere-se à idéia de hierarquização
  dos povos a partir do pressuposto da
  existência     de     raças    humanas
  inferiores e superiores. Combinam
  violência física e psicológica
 É a negação do(a) outro(a) como ser,

  como pessoa, podendo levar à
  eliminação       física e cultural do
  vitimado. Ex: o nazismo e o
  escravismo, o apartheid etc.
           DISCRIMINAÇÃO
   É a prática do preconceito e do racismo.
    Enquanto esses dois situam-se mais no
    campo das idéias, a discriminação efetiva-
    se na prática. Quando os indivíduos são
    colocados em situação de desvantagem ou
    até mesmo impedidos de participarem em
    pé de igualdade das oportunidades e dos
    bens sociais.
           INTOLERÂNCIA
   Doutrina que não admite opiniões
    divergente das suas em questões
    religiosas, políticas, sociais e
    culturais.

   Intransigência.
           HOMOFOBIAS
   Aversão, ódio generalizado contra
    pessoas      homossexuais,  gays,
    lésbicas, travestis etc..

   Repulsa face às relações afetivas e
    sexuais entre pessoas do mesmo
    sexo.
               XENOFOBIA
   Aversão      a    estrangeiros,  imigrantes,
    refugiados. Fenômeno comum nos países
    europeus contra imigrantes de países
    asiáticos, africanos ou latinos.

   As discriminações regionais como dos
    sulistas em relação aos nordestinos é uma
    espécie de xenofobia nacional.
  COMO SE REPRODUZEM E SE

CONSOLIDAM OS PRECONCEITOS

E AS DISCRIMINAÇÕES NO ESPAÇO

         ESCOLAR ?

       E NA SOCIEDADE?
    1- Um instrumento importante no processo de
    elaboração dos conceitos, pré-conceitos, valores
    e estereótipos acerca das pessoas, dos grupos
    sociais e do mundo são as linguagens: verbais
    e não-verbais. Implícita e subjacente.
   1.1. A gestual, a cenográfica, etc.).
   1.2. Os brinquedos e brincadeiras;
   1.3. As histórias infantis
   1.4. Os padrões estéticos de pessoa e de beleza
   1.5. Os conteúdos escolares
   1.6. As expectativas em relação aos alunos
      Linguagem verbal: escrita ou falada
   Branco. “Diz-se do indivíduo da raça
    branca.   Sem mácula, inocente, puro,
    cândido, ingênuo: alma branca” (Aurélio
    1986).
   Negro: "Diz-se do indivíduo da raça negra;
    Sujo, encardido. Maldito, perverso.
    Escravo" (op. cit.).
   Assim também refere-se aos derivados da
    palavra como por exemplo negrada,
    definido como “grupos de indivíduos
    dados a pândegas ou desordens".
Linguagem não-verbais
          Brinquedos e brincadeiras
Canções I              Canção II
   Boi, boi, boi       Plantei uma cebolinha
   Boi da cara preta   no meu quintal
   Pega essa menina    Nasceu um neguinha de
                         avental
   Que tem medo de
    careta             Dança neguinha
                       Eu não sei dançar
                       Pega o chicote que essa
                       nega dança já.
    “Processo de Ensino e
Aprendizagem de Matemática e a
   Abordagem Pedagógica da
História e Cultura Africana, Afro-
     brasileira e Indígena”.
 LEI Nº 11.645, DE 10 MARÇO DE 2008
Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro
  de 1996, modificada pela Lei 10.639, de
  9 de janeiro de 2003, que estabelece as
 diretrizes e bases da educação nacional,
 para incluir no currículo oficial da rede de
   ensino a obrigatoriedade da temática
     “História e Cultura Afro-Brasileira e
                  Indígena”.
 O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço
    saber que o Congresso Nacional
  decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1° O art. 26-A da Lei no 9.394, de 20
 de dezembro de 1996, passa a vigorar
         com a seguinte redação:
   “Art. 26-A. Nos estabelecimentos de
 ensino fundamental e de ensino médio,
      públicos e privados, torna-se
   obrigatório o estudo da história e
    cultura afro-brasileira e indígena.
  § 1º O conteúdo programático a que se
refere este artigo incluirá diversos aspectos
 da história e da cultura que caracterizam a
 formação da população brasileira, a partir
   desses dois grupos étnicos, tais como o
      estudo da história da África e dos
  africanos, a luta dos negros e dos povos
    indígenas no Brasil, a cultura negra e
  indígena brasileira e o negro e o índio na
       formação da sociedade nacional,
    resgatando as suas contribuições nas
      áreas social, econômica e política,
        pertinentes à história do Brasil.
§ 2° Os conteúdos referentes à história
   e cultura afro-brasileira e dos povos
         indígenas brasileiros serão
      ministrados no âmbito de todo o
     currículo escolar, em especial nas
      áreas de educação artística e de
   literatura e história brasileiras.” (NR)
Art. 2° Esta Lei entra em vigor na data
           de sua publicação.
        Devido a nossa plurietnia e
    pluriculturalismo precisamos refletir
   sobre os conteúdos que compõem a
 matriz curricular da Educação Básica, as
 experiências trazidas pelos estudantes e
  as atividades pedagógicas propostas
     nos estabelecimentos de ensino.
Como considerar a diversidade cultural
          em sala de aula?
Como socializar, por meio do curriculo
    uma sociedade multicultural?
Na disciplina de Matemática, abordar
 conteúdos mediante a idéia de inseri-
los numa perspectiva que contemple a
   História e Cultura Africana, Afro-
 Brasileira e Indígena, encontra certas
 dificuldades devido o pouco material
 que fundamenta essas abordagens e
     dada a especificidade de cada
                conteúdo.
  No entanto, as tendências em
 Educação Matemática presentes
  nas DCE’s possibilitam várias
abordagens da História e Cultura
   Africana, Afro-Brasileira e
Indígena no encaminhamento de
    conteúdos matemáticos.
 Através de brincadeiras e jogos
   ensinados e praticados entre
comunidades ou descendentes de
  africanos ou indígenas pode-se
     explorar muitos conteúdos
    matemáticos, desenvolver o
    raciocínio lógico, percepção
            espacial, etc.
  Povos de origem africana
contribuiram de muitas formas
    nas diversas áreas do
  conhecimento: tecnologia,
   arquitetura, engenharia,
 esculturas, objetos utilitários,
              etc.
   Povos de origem indígena
  contribuiram em áreas como
agricultura, artesanato, cestaria,
 farmacologia, medicina, entre
              outras.
O estudo de simetria, geometria e os
  cálculos resultantes da investigação
de desenhos, símbolos existentes nas
   cestarias, arquitetura, escultura de
   origem africana e indígena abrem
 inúmeras possibilidades de trabalhos
    para a sala de aula, reforçando a
importância da contribuição intelectual
 desses povos na nossa formação, na
nossa cultura e nos nossos costumes.
Contudo, é preciso levar em consideração
     que o importante não é apenas a
    “valorização” da cultura africana ou
  indígena, mas oferecer uma educação
   que permita a todo e qualquer aluno o
   acesso ao conhecimento matemático
     escolar e que este conhecimento
 contribua para sua participação efetiva no
           processo de cidadania.
  Os conteúdos matemáticos e a
Abordagem Pedagógica da História e
 Cultura Africana, Afro-brasileira e
              Indígena.
         (Algumas sugestões)
Conteúdo Estruturante: Números e Álgebra

Sistemas de Numeração (Indígena:
 contagem de tempo, divisão do trabalho e
 da produção, quantificação de produção.
 Na Cultura Africana: sistemas de
 numeração de bases diferentes).
Números fracionários (culinária dos povos
 africanos e indígenas).
   Conteúdo Estruturante: Geometrias
Geometria Plana (Africanos e Indígenas:
  simetria nas composições das pinturas
 corporais e dos utensílios sendo possível
       explorar também paralelismo,
 perpendicularismo; estudo das pirâmides
            e triângulos; simetria.
    Geometria Espacial (Africanos e
 Indígenas: forma dos objetos utilitários e
   decorativos, formas dos instrumentos
 mais utilizados. Indígenas: construção de
      canoas e remos, flechas e suas
       especificidades e brinquedos).
 Conteúdo Estruturante: Grandezas e
              Medidas

Sistema Monetário (utilizados por povos
          africanos e indígenas).
   Medidas de Área, Comprimento e
  Volume (Cultura Africana e Indígena:
  quantificação - peso, altura, distância,
    tempo, capacidade, entre outras).
  Conteúdo Estruturante: Tratamento da
              Informação


Estatística (Pesquisa estatística, População
  e Amostra, Dados, Tabelas e Gráficos).

               Porcentagem
   Conteúdo Estruturante: Funções

Aplicar o conhecimento na resolução de
 situações-problema e análise de gráficos
de diferente funções envolvendo questões
        afro-brasileiras e indígena.


   Vídeo: valorização da cultura Afro-brasileira

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:65
posted:12/10/2011
language:
pages:53