UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - Download as DOC

Document Sample
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - Download as DOC Powered By Docstoc
					UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
 FACULDADE DE COMUNICAÇÃO




      (www.taradoprato.com.br)

                por

 DAIANE NEVES e LUCIANE VIVAS

 Prof. Orientador: HELOÍSA SAMPAIO



                   Memória do trabalho de conclusão do
                   curso de Graduação em Jornalismo –
                   2003.1




             2003
       SALVADOR - BAHIA
                                                                                 2


AGRADECIMENTOS




   A todos que dividiram conosco direta e indiretamente a realização desse projeto.
                A professora Heloísa Sampaio e ao co-orientador Alberto Oliveira.
                                            Aos nossos pais, pelo apoio de sempre.
     Aos nossos amigos e a todos aqueles que, de alguma forma, contribuíram para
                                                               chegarmos até aqui.
                                                                   Muito obrigada.
                                                                                        3


RESUMO


Este    trabalho    é    a    memória      descritiva    do      site   Tara   do   Prato
(www.taradoprato.com.br), e faz parte do projeto experimental de conclusão do
curso de graduação em jornalismo da Faculdade de Comunicação da Universidade
Federal da Bahia.


A idéia principal foi a da criação de um site sobre a gastronomia na Bahia para suprir
uma carência do gênero e, com tal abrangência na rede, que forneça aos internautas
as mais diversificadas informações sobre o tema como curiosidades, histórias,
receitas, dicas, guia de restaurantes, notícias e artigos etc.
                                                                                                                4


ÍNDICE


Introdução ...........................................................................................     5

1 A Rede ..............................................................................................   7

2 A Culinária na Bahia ....................................................................               10
     2.1 A Culinária Baiana ............................................................                  13

3 Procedimentos .................................................................................         15
      3.1 - Escolha do produto .........................................................                  15
      3.2 - Público-alvo .....................................................................            15
      3.3 – Justificativa do meio .......................................................                  16
      3.4 - Manutenção do site .........................................................                  16

4 Construção do site ................................... .......................................          18
      4.1 – Estética .............................................................................        18
     4.2 - Escolha do software .........................................................                  19
      4.3 - Seleção de elementos gráficos .......... ..............................                        20
      4.4 - As etapas do projeto ........................................................                 22

Conclusão ............................................................................................    24

Referências Bibliográficas ................................................................               25

Anexo (1) – Arquitetura da Informação ........................................                            27

Anexo (2) - Créditos ..........................................................................           28

Anexo (3) - Justificativa da entrega apenas da memória .............                                      29
                                                                                           5


INTRODUÇÃO


O Tara do Prato é um web site voltado para a divulgação de informações da culinária
na Bahia. Embora a idéia inicial tenha sido a elaboração de um site sobre a culinária
baiana, surgiu a oportunidade de construirmos um site mais abrangente englobando
todas as informações das culinárias encontradas na Bahia.


O projeto tem como proposta, na sua construção e manutenção, a prática do
jornalismo on-line, oferecendo aos internautas um site interativo, recebendo
colaborações enviadas pelos visitantes.


Ouvir os usuários é sempre bom. Assim como os especialistas em marketing
recomendam que as empresas ouçam seus clientes, acontece a mesma coisa na
Internet. Através das críticas e sugestões um site pode sofrer modificações que o
aproxime mais de seu público e melhore a qualidade do produto final.


No caso do Tara do Prato, destacam-se dois tipos de público. Um irá consultar o site
em busca das informações e outro poderá ainda cadastrar informações,
encaminhando receitas que poderão enriquecer ainda mais o conteúdo.


É importante que as pessoas encontrem novidades nas páginas. Na Internet, onde o
tempo é medido em anos web (três meses), as mudanças devem ser coisas cotidianas,
explica Tom Vassos1.


O objetivo do Tara do Prato é oferecer aos internautas um produto atual e de
qualidade. Este memorial aborda os principais elementos da página, tais como
conteúdo e design, entre outros. Os aspectos que nortearam a elaboração e construção
do site também aqui estão descritos, com explicações teóricas sobre o meio e
justificativas.



1
    VASSOS, Tom. Marketing Estratégico na Internet.São Paulo: Makron Books, 1997. 270 p.
                                                                                    6

A escolha deste projeto surgiu a partir, sobretudo, da identificação pessoal de ambas
as alunas com assuntos relativos à culinária e da constatação da inexistência de sites
relacionados à diversidade da gastronomia baiana.


Como produtora e diretora do Programa Arte na Mesa, da TV Salvador, Daiane
Neves sempre teve muito contato com profissionais, temas e, sobretudo sites de
culinária. Luciane Vivas contou com importante experiência profissional na
elaboração de textos para o web site do Sindicato dos Trabalhadores do Ramo
Químico e Petroleiro (www.sind.org.br), um dos sindicatos mais importantes e
representativos da Bahia, além de incursões particulares na gastronomia.


Experiências acadêmicas também despertaram interesse sobre esse tipo de
comunicação, sobretudo na disciplina Comunicação e Tecnologia, que nos fez refletir
como as novas tecnologias surgem influenciando diretamente a comunicação no
mundo moderno. O período de construção e elaboração do projeto também nos
possibilitou um maior aprofundamento de teorias aprendidas durante o curso, ao
empregarmos alguns conhecimentos adquiridos durante o período de Faculdade,
aliados às nossas experiências profissionais (estágios).


O trabalho certamente ampliou nossos conhecimentos e será, sobretudo, uma
experiência extremamente enriquecedora.
                                                                                  7


1 - A REDE


A Internet, rede mundial de informação ligada por computadores, foi criada na
década de 60 pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, com a função de se
constituir numa rede indestrutível e descentralizada de informação, e seu uso estava
restrito a fins militares, dado seu caráter secreto e voltado para o mundo das
operações pós-guerra. A potencialização das trocas comunicativas aconteceu com a
criação das páginas www (iniciais de World Wide Web), na Suíça. A integração da
parte multimídia da rede, que reúne som, imagem e animação, ao serviço de notícias
personalizadas, contribui para a popularização do meio. Nenhum outro setor da
comunicação registra um crescimento como o do que a Internet vem alcançando.


“O advento da World Wide Web, em 1989, foi decisivo para este boom de publicações
na Internet, possibilitando uma melhor adaptação de jornais e revistas ao suporte
digital. Pela primeira vez, a rede ganhava uma interface gráfica amigável, baseada
em hipertexto e multimídia, que permitia aos usuários acessarem qualquer
informação com um simples clique do mouse. Já não era mais preciso aprender uma
série de comandos complicados para navegar na Internet” 2.


A cada dia que passa o uso da Internet se amplia e se diversifica. Os argumentos
sobre os impactos sociais produzidos pela rede são os mais diversos e às vezes até
antagônicos. Seja qual for o argumento, o que prevalece é o fato de que ao contrário
da comunicação de massa, a Internet, enquanto comunicação informatizada, facilita
escolhas individuais. É nesse sentido que a cada dia que passa as possibilidades de
escolha se multiplicam. As pessoas são apresentadas a temas e serviços do seu
interesse de forma cada vez mais atraente.


Do correio eletrônico à home page ou simplesmente página, a Internet coloca à
disposição do usuário a possibilidade de consultar bibliotecas e visitar museus em


2
 MANTA, André. Guia do Jornalismo na Internet. In:
<http://www.facom.ufba.br/pesq/cyber/manta/Guia/cap02.html> (10/04/2003)
                                                                                     8

todo o mundo; acessar os mais variados tipos de lazer; ter acesso a informações
instrumentais técnicas e científicas; desenvolver atividades profissionais executivas
sem sair de casa; ter à disposição o lazer que vai desde assistir a grandes espetáculos
de ópera à possibilidade de adotar um cãozinho virtual; fazer compras, sem esquecer
o que parece ser a possibilidade mais lembrada pelos jovens: a possibilidade de
conversar, fazer amizades, enviar e receber fotos, desenhos, programas para outros
jovens de sua cidade e do mundo inteiro em tempo real.


Segundo a pesquisa realizada pelo IBOPE, em junho de 2003, o Brasil já ultrapassou a
marca dos 7,922 milhões de pessoas com acesso residencial à Internet, maior número
desde o início das medições em setembro de 2000. Os usuários residenciais
brasileiros bateram dois recordes: 1) de tempo de navegação de 11 horas e 26
minutos; 2) alcance do eCommerce, já que pela primeira vez desde o início das
medições, 44% dos internautas ativos usaram este serviço. Segundo Alexandre
Sanches Magalhães, analista de Internet do IBOPE eRatings.com, não é novidade o
crescimento do número de horas navegadas, isto porque o Brasil é líder mundial na
navegação de crianças e jovens, e usa-se cada vez mais a web, em todas as faixas
etárias. Este crescimento é fortemente influenciado pela adoção crescente da banda
larga, que permite que o internauta navegue muito mais horas, veja mais páginas e
faça mais visitas.


Em Salvador, a Internet se tornou mais popular no ano de 1995. A ampla divulgação
dos meios de comunicação e os convênios estabelecidos entre a Telebahia e
provedores baianos, barateou e possibilitou o acesso de um maior número de
usuários à rede (www). Hoje, o meio é bem mais difundido na capital baiana, tanto
entre pessoas físicas como nas empresas. Assim como em todas as partes do mundo,
a web é utilizada para a publicação ou pesquisa de diversos tipos de informações,
compras, operações bancárias e principalmente para o envio e recebimento de
mensagens (e-mail).
                                                                                                     9

A capacidade de utilização de recursos multimidiáticos - vídeo, som, imagem e
hipertexto - e a possibilidade de interação em tempo real tornaram a Internet ainda
mais atrativa, contribuindo para a sua explosão. Desde que textos, imagens, vozes e
animações passaram a ser transportados pelas redes, a combinação de bits passou a
ser a grande tradutora do mundo na contemporaneidade digital. Dentre as
possibilidades trazidas pelo ambiente multimidiático, definido como resultado da
expressão interativa de todas as tecnologias existentes até agora, podemos destacar,
segundo Landow3, os seguintes parâmetros: multivocalidade, descentralização,
interatividade, intratextualidade, intertextualidade e navegabilidade.


Um aspecto interessante do uso da Internet é o fato de apresentar um ambiente em
que o usuário tem a liberdade de escolher o que deseja buscar ou examinar. As
diferentes possibilidades de navegação são capazes de transformar a forma de
apresentação e apreensão de informações até então linear. Esta opção de escolha do
percurso da leitura é viabilizada pelo hipertexto, caracterizado pela presença de links,
que permitem acesso a outras páginas dentro do mesmo web site, intratextualidade,
ou fora dele, intertextualidade.


Um recurso muito utilizado em páginas web são os links para acesso a outros sites. A
sua utilização pode ocorrer para conduzir o usuário a um outro site recomendado,
seja por seu conteúdo, originalidade ou serviço prestado. Para Tom Vassos 4, o uso
dos links em uma página deve ser avaliado com bastante cuidado, a fim de que eles
não permitam a evasão de visitantes para outros web sites.


O importante é conhecer os elementos que podem fazer parte de um web site e utilizá-
los sempre dentro de um contexto e com um objetivo. No Tara do Prato os links
serão utilizados quando necessários como fonte de informações complementares
para um determinado assunto e também como indicação. Porém os links não serão o
elemento principal da página nem a fonte de seu conteúdo.

3
  LANDOW, G. P. Hipertexto. The Convergence of Contemporay Critical Theory and Tecnology; The John
Hopkins University Press. Baltimore and London, 1992.
4
  VASSOS, Tom. Op. Cit. 82 p.
                                                                                                      10


2 - A CULINÁRIA NA BAHIA


A culinária no Brasil tem influências principalmente dos africanos, indígenas e do
branco europeu. Em cada região do país, houve maior interferência de um desses
povos. De Portugal, veio a apreciação dos brasileiros por doces. Dos índios, veio a
importância da mandioca, que faz parte da culinária típica de quase todos os estados.
As escravas africanas também contribuíram muito, já que grande parte delas
trabalhava na cozinha das fazendas.


Considerando a amplitude do território do país, a culinária brasileira apresenta
pratos ou comidas de todos os gêneros, espécies ou tipos praticados na arte culinária
universal: crus, grelhados, guisados, cozidos, curtidos ao sol, aerados, avinhados,
avinagrados, massas, saladas, apimentados, quentes, frios, embrulhados, picados,
refogados, cozidos, recheados, temperados com alho e sal, condimentados,
empanados, à milanesa, desidratados, feitos em banho maria, rescaldados,
caramelados, tostados, flambados, entre tantos outros.


Segundo o antropólogo Vivaldo Lima5, na Bahia, no fim do século XVIII, com o
processo de organização dos escravos em comunidades religiosas foram recriadas
muitas das comidas cotidianas dos homens e dos santos. Esse foi o tempo do
cozinheiro e da cozinheira escravos, que reproduziam o cardápio basicamente
português, mas já substituindo, trocando ingredientes, colorindo os ensopados com o
vermelho do dendê, inventando variedades de moquecas; usando o inhame, a
banana cozida ou frita no azeite; recriando o caruru, o vatapá. Pratos novos com um
sabor antigo - que era o deles - e um gosto novo - que eles aprendiam.


No século XX, aumenta a diversidade de meios de transporte e, assim, o turismo.
Surgem duas tendências mundiais: uma de montar restaurantes com um pouco da




5
    COSTA LIMA, Vivaldo. As Dietas Africanas no Sistema Alimentar Brasileiro. Salvador: PEA. 1997. 06 p.
                                                                                   11

cozinha típica de cada país e outra, de valorizar a regionalização. Utilizando
produtos típicos locais, a produção fica mais barata e os turistas são atraídos.


Mais modernizada, a Bahia, sobretudo Salvador, incrementou o turismo e, entre os
aspectos positivos, podemos ressaltar que o povo da terra descobriu a força de sua
cultura e que as mais simples manifestações culturais poderiam atrair o turismo. A
comida baiana, “comida étnica” foi uma das manifestações culturais de maior
destaque nesse processo. Valorizou-se, tornou-se grife.


Vale ressaltar que a mundialização das culturas é um processo inevitável. Já se faz
presente, nesse contexto, a comida baiana como forte traço cultural, se inserindo no
paradigma das novas exigências estabelecidas pela globalização. Com toda a sua
originalidade, se desterritorializa para se colocar como instrumento das relações
públicas, contribuindo para a difusão da cultura baiana e do turismo.


Além da culinária baiana, amplia-se na Bahia o número de estabelecimentos
especializados em outras culinárias. Estas, porém, acabam sofrendo influência do
“gosto” baiano; há também uma interferência da culinária internacional na baiana,
muitas vezes no intuito de adapta-la ao paladar dos turistas.


O cenário da cidade de Salvador ilustra de forma exemplar a convivência de dois
pólos antagônicos: a tradição e a modernidade. Podemos observar isso desde o seu
conjunto arquitetônico, aos hábitos cultuados pelo baiano, inclusive os alimentares
que também vêm se modificando com o tempo.


As mudanças nos hábitos alimentares é uma questão inerente ao mundo moderno
que hoje já apresenta profundas modificações com as refeições rápidas feitas em fast-
foods. Apesar disso, os restaurantes valorizam detalhes simples, numa busca de
melhores formas de apresentação, como por exemplo, a utilização de fogareiros e
alguidares de barro, tanto para o cozimento como para servir, resgatando o valor da
tradição.
                                                                                          12

Renato Ortiz6 fala sobre a mundialização da cultura e aborda a questão do alimento
como cultura, apontando as conseqüências mais emergentes da modernidade sobre
os hábitos alimentares. Segundo o autor, este hábito de comer fora é coisa bem
recente em nossa sociedade, e se constitui numa das imposições do mundo moderno.
Ortiz esclarece que o fast-food é reflexo das novas exigências no ritmo da alimentação,
e por isso, “a instituição refeição se desestrutura, se fragmenta”.


A adoção dos novos hábitos alimentares vem modificando a tradicional rotina da
família, acostumada a reunir-se em torno da mesa para comungar o alimento e
reverenciar a figura paterna, ritual bastante comum nos lares baianos. Para Renato
Ortiz7, hoje cada um tende a coordenar seu tempo em função de suas próprias
atividades. Acontece assim uma deslocalização do ato de comer.


A referida “deslocalização do ato de comer” abre espaço para o surgimento de uma
multiplicidade de restaurantes, com cardápios destinados a vários paladares e
condições econômicas definidas pelo peso dos alimentos. Criam-se novos pratos,
novos sabores, buscam-se novas receitas das cozinhas internacionais e nacionais, com
o intuito de oferecer algo diferente. Os “sushis” da cozinha japonesa estão em voga
no mundo inteiro e para os baianos esta é uma novidade recente, comparada a outras
culinárias, porém a cidade já conta com vários restaurantes que oferecem esta opção
gastronômica.


Como podemos constatar, os hábitos se modificam, os alimentos migram em função
das novas necessidades, mas o ato de comer é em qualquer instância um momento
de prazer.




6   ORTIZ, Renato. Mundialização e Cultura. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994. 85 p.
7   Idem, ibidem.
                                                                                   13

2.1 - A CULINÁRIA BAIANA
A cozinha baiana é umas das mais diversificadas e ricas do mundo. De origem
mesclada entre o afro, o português e o indígena, a predominância é a da herança
africana, que emprega o azeite de dendê para colorir e temperar mariscos e peixes,
abundantes no litoral baiano. As famosas moquecas, vatapá, caruru, os derivados de
mandioca são de influência indígena. Típicas são, também, as comidas tradicionais
do sertão da Bahia, como a carne-de-sol com pirão de leite, o feijão verde com
manteiga de garrafa, o queijo coalho derretido na brasa, o bode assado, além de
outros do gênero. De sobremesa, deliciosos doces e cocadas, e as lusitanas ambrosia
ou baba-de-moça, à base de ovos.


A origem da culinária baiana é do período da escravidão, quando os senhores
juntavam restos da mesa ou do dia anterior para dar aos escravos. As mulheres
relembravam seu treino em culinária na África, quando juntavam partes de
ingredientes na panela com leite de coco e óleo da palmeira dendê. Com o passar dos
anos, essas misturas se transformaram em receitas que ganharam nomes, tornando-se
o que é hoje a comida baiana.


Azeite de dendê, leite de coco, pimenta e camarão seco são os ingredientes típicos da
nossa cozinha e todos esses condimentos dão cor, exuberância, beleza e sabor únicos,
conquistando os turistas de todo o mundo. Como atesta o chef Nivaldo Galdino, do
restaurante-escola do Senac Pelourinho: "Na cozinha baiana o que encanta o turista é
a variedade, o cheiro e o colorido dos pratos, além do tempero, é claro". E Nivaldo
revela que no tempero o importante é a dosagem, para não deixar a comida "pesada",
principalmente por causa do dendê. Nas moquecas em geral, o leite de coco é um
ingrediente importante. O coco foi introduzido na região pelos portugueses a partir
do ano de 1535. Desde então, tornou-se um importante alimento para o nordestino,
sendo bastante utilizado na culinária.


Os pratos baianos são peculiares, de sabor forte, belas cores e cheiro atrativo. São o
resultado da reunião do que havia de melhor na cozinha negra, branca e índia unidas
                                                                                 14

desde o tempo da colonização. O coco, azeite de dendê e a pimenta são comuns à
culinária africana; o peixe e a batata são comuns à culinária portuguesa; o milho, a
farinha de mandioca e a cachaça são típicos da culinária indígena.


Conhecer a culinária baiana é, sem dúvida, um meio de entender toda a mistura de
grupos que formaram o povo e a cultura da Bahia.
                                                                                 15


3 - PROCEDIMENTOS


3.1 - ESCOLHA DO PRODUTO
A escolha do produto ocorreu devido ao fato da Internet ainda não possuir muitas
informações sobre a gastronomia na Bahia. A partir de uma pesquisa realizada nos
principais sites de busca, concluiu-se que era possível centralizar num site,
informações gastronômicas, com variedade e riqueza de informações, capaz de
suprir esta lacuna.


Uma busca entre sites do gênero existentes na web serviu como referência para o
trabalho. Esta pesquisa de mercado teve o objetivo de apontar caminhos pelo qual o
Tara do Prato poderia trilhar, assim como ajudar na criação de elementos
diferenciais. Durante a pesquisa, não observamos a existência de sites que
englobassem todos os assuntos, os quais abordamos no Tara do Prato. Alguns se
limitavam a receitas, dicas, como por exemplo os sites Culinária onLine, o Cyber
cook, o Bol na mesa e o Arte & Cozinha e outros a fornecer dicas e ser um guia da
cidade como o Veja Salvador, Guia dos restaurantes e o Click sabor.


A idéia do Tara do Prato é de não ser um site restrito, abrangendo um assunto ou
outro, mas que abarque o maior número possível de informações sobre a
gastronomia na Bahia. Dentre os sites pesquisados, o que mais se aproxima da
proposta do Tara do Prato e que serviu como inspiração, é o português
Gastronomias.com, que além de fornecer receitas separadas por regiões e tipos de
comida, contém informações sobre as mais variadas bebidas, o guia de restaurantes,
crônicas relacionadas à gastronomia, críticas a restaurantes, anedotas, entre tantos
outros assuntos. É como eles chamam, um Roteiro Gastronômico de Portugal.


3.2 - PÚBLICO ALVO
O público alvo deste site é formado não apenas por apreciadores e profissionais de
culinária, mas também por todos aqueles que têm acesso à internet e que buscam
                                                                                     16

dicas de bons restaurantes e de etiqueta, curiosidades, onde comprar alguns
ingredientes em Salvador etc.


O Tara do Prato tem como público alvo os moradores da cidade, mas oferecerá
também informações úteis aos turistas.




3.3 - JUSTIFICATIVA DO MEIO
O motivo da escolha da utilização da Internet foi o fato da rede oferecer algumas
vantagens sobre o formato impresso, além de possuir maior alcance de público. A
atualização on-line também exige menos gastos e pode ser realizada sem grandes
dificuldades. A Internet oferece também a vantagem da interação em tempo real com
o internauta, além de possibilitar a utilização de diversos recursos midiáticos - vídeo,
áudio, texto e fotografia.


Outro fator que também foi levado em consideração para o Tara do Prato ser on-line
foi a instantaneidade do veículo. Para se obter o resultado desejado (informar com
atualidade) nos meios impressos seria necessária uma periodicidade no máximo
semanal. No entanto os elevados custos e operações envolvidas (edição, impressão e
distribuição entre outros processos) inviabilizariam o projeto.


Fazer uma publicação capaz de recolher todas as informações da semana, levá-la
para gráfica e ainda chegar a tempo na mão dos leitores antes que as informações se
tornem defasadas, implica nem tanto em uma estrutura muito grande, uma vez que
há vários serviços que podem ser terceirizados. No entanto para se fazer uma
publicação consistente e com grande tiragem, despende-se muito capital, além de ser
necessário um departamento comercial eficiente.


3.4 - MANUTENÇÃO DO SITE
O site será atualizado sempre que surgirem novidades, notícias, novos fatos
relacionados à gastronomia na Bahia, além de serem incluídas novas receitas
                                                                                      17

resultantes da nossa constante busca e da contribuição dos internautas. É válido
destacar que o site não propõe ser uma revista on-line, com periodicidade definida.


O site deverá veicular anúncios publicitários para ajudar na contenção dos custos, já
que, inicialmente é preciso desembolsar uma determinada quantia para a compra de
equipamentos (o que varia muito a depender do que se pretenda adquirir e do
fabricante) e registro do endereço na Internet, entre outros. Entretanto depois, os
custos se tornam mais estáveis, são apenas para a manutenção do site (hospedagem
da página no provedor, acesso mensal à Internet, conta de telefone e custos
adicionais como manutenção de equipamentos) e remuneração dos profissionais.


Todos os textos e atualizações serão elaborados por Daiane Neves e Luciane Vivas,
além da contribuição da Professora Heloísa Sampaio com a coluna Comes&Bebes,
embora a intenção é que posteriormente outros colunistas possam enriquecer e
ampliar ainda mais as opções para o site Tara do Prato.
                                                                                           18


4 - CONSTRUÇÃO DO SITE


4.1 – ESTÉTICA
Como qualquer produto, informativo ou não, o design, a diagramação e a
“embalagem” são fatores de peso. É preciso que o produto, por melhor que seja o seu
conteúdo, tenha uma apresentação atraente, ou ao menos razoável, para que o
consumidor se interesse pelo mesmo.


No caso específico de produtos informativos virtuais, o conteúdo, a objetividade, a
boa leitura e a facilidade com que se encontra o que se procura, além do design, são
fatores importantes para o sucesso de um site, embora nem sempre determinantes.
Há outros aspectos a serem considerados tais como a publicidade, atualização das
informações, o atendimento das "necessidades" (demanda) do público alvo e a
conjuntura do momento.


De acordo com o autor americano Jeffrey Zeldman8, o design consiste em organizar o
conteúdo de maneira prática, conceitual e (sempre) agradável. Para Zeldman,
construir um web site consiste primordialmente em comunicar de uma forma clara,
prática e estruturada, o que significa que a primeira parte do processo de design é a
organização do material.


De qualquer forma, autores advertem os "fazedores" de site. De acordo com o norte-
americano Roger Black9, há alguns erros fatais a serem evitados a todo custo, tais
como confundir o visitante ou deixá-lo perdido na sua página. Ilustrações grandes e
lentas (pesadas) também devem ser deixadas de lado na hora de se criar um web site
atrativo. Textos extensos e fontes pequenas também não são aconselháveis, assim
como as páginas muito longas. Abusar das cores também pode ser perigoso, adverte
Black. Estas podem ser algumas das diretrizes gerais do que "não fazer".

8 ZELDMAN, Jeffrey. JZ Presents - Ask Doctor Web: Help for Web Makers.
 In: <http://www.zeldman.com/askdrweb/design.html>, (30/04/2003)
9 BLACK, Roger. Web Sites Que Funcionam. São Paulo: Quark do Brasil Ltda, 1997. 53-57 p.
                                                                                  19

4.2 – ESCOLHA DO SOFTWARE
A fim de reduzir os custos, o design gráfico utilizado no site foi comprado de uma
empresa americana especializada na construção de softwares para Internet e, a partir
dele foram feitas alterações a fim de modelar o design com a cara e a proposta do
nosso site, para tanto foram utilizados três programas: photoshop, coreldraw e o
paintshop.


A linguagem de programação utilizada no site foi o ASP (Active Server Pages) – é o
ASP que monta as páginas que se quer criar, é tanto utilizado para possibilitar a
interatividade,          como           a      administração          do         site
(www.taradoprato.com.br/adm/adm_login.asp). Uma das grandes vantagens em se
utilizar o ASP é que o conteúdo se torna infinitamente mais atraente aos usuários,
quando comparados aos conteúdos estáticos, em virtude da constante interatividade
existente entre os usuários e as páginas. O conteúdo que se altera com cada
solicitação é chamado de conteúdo dinâmico. Além do ASP foram utilizados ainda o
Javascript e o CSS (Cascade Style Sheet).


A linguagem gráfica utilizada foi o FLASH – foi utilizado para inserir elementos de
animação, como por exemplo, a inclusão dos banners. O FLASH é uma ferramenta de
desenho, autoria e animação multimídia. Com ela é possível criar animações gráficas
de alto nível.


A linguagem de hipertexto utilizada foi a HTML, que é responsável pela real
exibição de textos e imagens na tela e possui um formato de arquivo universal.


O editor de texto utilizado foi o Dream Weaver, da Macromedia, que permite a criação
de páginas ASP.


Não foram utilizados frames em função de ser considerado desaconselhado por
dificultar a navegabilidade.
                                                                                                 20

4.3 – SELEÇÃO DE ELEMENTOS GRÁFICOS
Com a concorrência e o avanço de tecnologia, os custos envolvidos acabam se
tornando mais acessíveis para os usuários. Portanto, a tendência geral na Internet é o
crescimento do número de internautas. Ao mesmo tempo, deve-se estar atento, pois
cresce também o número de sites. Cada vez mais é preciso usar a criatividade, a
técnica e o bom senso a fim de atrair visitantes para uma página, fazer com que ele
navegue pelas informações, não se perca, fique satisfeito, volte e, se possível,
recomende a outras pessoas.


De acordo com Roger Black10, o design de um site deve ser "informativo e não
meramente decorativo". Embora se trate de um veículo que permite a utilização de
diversos recursos, como o som, geralmente o primeiro impacto provocado por uma
página é visual.


Uma prática pouco recomendada em um web site é a colocação de todos os itens em
evidência na primeira página, há itens e sub-itens. Um bom exemplo de excesso é a
mundialmente famosa página do ICQ11. No entanto, mesmo com tantos itens na
primeira página este site é uma exceção, pois é muito visitado. Neste caso as pessoas
estão atrás do produto e não do web site. Portanto, é bom lembrar que apenas
algumas empresas podem se “dar ao luxo” de fazer o que quiserem em suas páginas
sem muitos prejuízos.


O Tara do Prato é um site com muitas informações, portanto a princípio procurou-se
selecioná-las. Depois de pautar tudo o que teria o site, foram criados itens com o
objetivo de organizar as informações por blocos. Dessa forma na página principal é
possível encontrar: cinco canais principais (Na cozinha, Boas maneiras, Saia de casa,
Feira livre, Tim-tim), dois canais secundários (Tome nota e Diga aí) e ainda um tópico
(Saídas do forno).



10BLACK, Roger. Op. Cit. 29 p.
11Programa que permite a comunicação on-line entre as pessoas, independente de um site; chats, envio
de mensagens e até correio de voz. Ver o web site: http://www.icq.com.
                                                                                                   21

    Essa foi uma solução encontrada para o internauta poder ver imediatamente os
    assuntos relacionados no site e escolher o que deseja. E, como ensina Dmitry
    Kirsanov em seu artigo Designing Site Navigation12, em cada uma das páginas é
    preciso que o visitante possa responder de forma clara e objetiva a duas questões
    básicas: "onde estou?" e "para onde posso ir a partir deste ponto?".


    Conforme já foi dito, o número de informações disponíveis hoje é muito grande. As
    pessoas são bombardeadas por imagens, textos, sons, cores em todos os lugares sem
    que se tenha um controle consciente. Na Internet não poderia ser diferente. Para Tom
    Vassos13, os sites devem ter uma personalidade própria. Isto significa que “um
    conjunto de palavras e imagens sem expressão deve adquirir uma identidade”.
    Segundo o autor há alguns elementos que podem determinar o caráter de um site,
    tais como:


        linguagem escrita (formal, informal, uso de jargões),
        estilo da fonte utilizada,
        cor do texto e do fundo (background),
        gráficos, fotos e tipos de imagens,
        uso de tecnologia avançada, como arquivos de áudio, clipes de vídeo, animação e
    outros.


    A fonte escolhida como padrão para o Tara do Prato foi a Verdana. Se o micro do
    usuário contém chip Intel (se essa fonte não estiver instalada, usa Arial). Elas são
    casuais, arredondadas e de fácil leitura. No caso de micros com processador
    Macintosh, as fontes são Geneva e Helvética. Em casos extremos, nos quais nenhuma
    delas se encontre no micro do usuário, o site procura uma fonte sem serifa.


    A linguagem escolhida foi a coloquial, visando conquistar a simpatia do usuário.



    12 KIRSANOV, Dmitry. “Designing Site Navigation. Introduction - webreference.com”, Designing Site
    Navigation, Maio 1997, (http://www.webreference.com/dlab/9705/index.html), (06/05/2003)
    13 VASSOS, Tom. Op. Cit. 146 p.
                                                                                  22

As cores principais utilizadas no Tara do Prato são o vermelho e o laranja, cores que
sugestionam o apetite. O fundo branco com as letras pretas foram utilizadas por ser o
mais indicado para facilitar a leitura.


Foi utilizada a tabela de cores estendida, na qual o computador pode reconhecer até
65 milhões de cores diferentes. A qualidade é infinitamente melhor que a tabela
anteriormente utilizada, na qual se reconheciam apenas 256 cores, além de atender a
99% dos usuários.




4.4 – AS ETAPAS DO PROJETO
A realização do projeto experimental envolveu as seguintes etapas: escolha dos
assuntos a serem abordados, pesquisas, produção de textos, alimentação e
construção do site e produção da memória.


Segundo orientação do nosso co-orientador Alberto Oliveira, optamos por trabalhar
em etapas. A primeira a ser cumprida foi a listagem dos assuntos os quais poderiam
ser abordados no site. Em seguida, foram divididos os assuntos em canais e escolhido
seus nomes.


Já que a construção do site nos tomaria muito tempo, decidimos por comprar o design
da Template Monster, uma empresa americana especializada em desenvolvimento de
softwares. Coube à Mosaico, empresa baiana voltada à construção e manutenção de
web sites, adquirir e modificar o design do Tara do Prato. Essa modificação e a
programação ficou a cargo de um webmaster, um webdesigner e três programadores. A
nós, coube o papel de orientá-los acerca das nossas opções e intenções na concepção
gráfica do site.


Uma das etapas mais importantes do projeto foi a pesquisa, que nos auxiliou não
somente na elaboração da memória descritiva como também na alimentação do site.
Além do material bibliográfico ao qual aqui fazemos referência, realizamos inúmeras
                                                                                  23

pesquisas virtuais referentes ao suporte e ao tema, o que também nos auxiliou na
produção dos textos.


Já familiarizadas com os elementos que deveriam ser levados em conta para o
desenvolvimento de um web site e com algumas teorias sobre gastronomia,
começamos a colocar a nossa idéia em prática.


A produção da memória descritiva e analítica nos exigiu leitura bibliográfica,
levantamento de dados e disponibilidade de tempo. Ou seja, foi uma etapa
trabalhosa, visto que solicitava uma revisão do nosso percurso acadêmico. Embora
enriquecedora, a realização da memória requer afinco, requer estudo. O aluno que
opta por um trabalho prático acaba ficando sobrecarregado e estressado.


Vale   ressaltar   que   as   etapas   foram    desenvolvidas   seqüencialmente   e
simultaneamente.
                                                                                  24


CONCLUSÃO


Com a realização do projeto experimental do site Tara do Prato, tivemos a
oportunidade de pôr em prática muito do conhecimento adquirido durante o curso
de Comunicação. Foi uma experiência importante para nós, já que, a partir da prática
do jornalismo on-line e da análise de outros produtos correspondentes, fomos
capazes de desenvolver uma técnica desta modalidade jornalística.


Ao participarmos de todas as etapas do projeto, como realizadoras ou
acompanhando o processo, adquirimos novos conhecimentos sobre Internet,
jornalismo on-line, apesar da dificuldade para encontrar referências bibliográficas
sobre a relação culinária e Internet. O período de construção e elaboração do projeto
também nos possibilitou um maior aprofundamento de teorias aprendidas durante o
curso.


Por fim, o desenvolvimento do Tara do Prato foi além de uma obrigação para a
conclusão do curso de Comunicação. Durante o processo tivemos a visão real da
importância da teoria para a experiência jornalística, ao empregarmos alguns
conhecimentos adquiridos durante o período de Faculdade, aliados às nossas
experiências profissionais.


O trabalho ampliou nossos conhecimentos e foi, sobretudo, uma experiência
extremamente enriquecedora.


Tara do Prato foi apenas um primeiro passo, há, portanto muitos caminhos para
ainda serem percorridos. A idéia é que este não seja apenas um projeto experimental
de conclusão de curso, mas uma forma de estarmos atuando no mercado de trabalho.
Nosso intuito é dar continuidade ao projeto, não somente realizando sua
manutenção, como também fazendo as devidas atualizações a fim de torná-lo mais
abrangente.
                                                                                    25


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


VASSOS, Tom. Marketing Estratégico na Internet.São Paulo: Makron Books, 1997.


MANTA, André. Guia do Jornalismo na Internet. In:
<http://www.facom.ufba.br/pesq/cyber/manta/Guia/cap02.html> (10/04/2003)


LANDOW, G. P. Hipertexto: The Convergence of Contemporay Critical Theory and
Tecnology; The John Hopkins University Press. Baltimore and London, 1992.


COSTA LIMA, Vivaldo. As Dietas Africanas no Sistema Alimentar Brasileiro. Salvador:
PEA, 1997.


ORTIZ, Renato. Mundialização e Cultura. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.


ZELDMAN, Jeffrey. JZ Presents - Ask Doctor Web: Help for Web Makers. In:
<http://www.zeldman.com/askdrweb/design.html> (30/04/2003)


BLACK, Roger. Web Sites Que Funcionam. São Paulo: Quark do Brasil Ltda, 1997.


KIRSANOV, Dmitry. Designing Site Navigation. Introduction - webreference.com. In:
Designing Site Navigation,
<http://www.webreference.com/dlab/9705/index.html> (06/05/2003)


Principais sites pesquisados:


“ICQ”, (http://www.icq.com), (06/05/2003)


“Culinária onLine”, (www.culinariaonline.com.br), (07/06/2003)


“Cyber cook”, (www.cybercook.com.br), (07/06/2003)
                                                                          26



“Arte & cozinha”, (www.artecozinha.com.br), (07/06/2003)


“Veja Salvador”, (www.vejasalvador.com.br), (07/06/2003)


“Guia dos restaurantes”, (www.guiadosrestaurantes.com.br), (07/06/2003)


“Click sabor”, (www.clicksabor.com.br), (07/06/2003)


“Gastronomias.com”, (www.gastronomias.com), (07/06/2003)
                                                                                       27


ANEXO (1)


ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO
Nome do Site: Tara do Prato (www.taradoprato.com.br)


Canais Principais:
Na cozinha           Com links para seções com sobremesas, pratos principais,
                     entradas, doces, petiscos. Com informações, além dos
                     ingredientes, modo de fazer, tempo de preparo.
Boas maneiras        Dicas de etiqueta, como se comportar, vestir nas mais
                     diversas ocasiões.
Saia de casa         Traz informações sobre boas opções de lazer da cidade,
                     referentes à culinária, relacionando os principais restaurantes
                     e bares de Salvador, por cozinha e categoria, respectivamente,
                     com todas as informações necessárias sobre o local, custo,
                     especialidades da casa, contatos, entre outras.
Feira livre          Sugestões de feiras, supermercados e locais em geral onde
                     encontrar o melhor ingrediente ao menor custo.
Tim-tim              Canal destinado a informações gerais sobre bebidas, inclusive
                     receitas.


Canais Secundários:
Tome nota            Canal com informações sobre cursos e congressos que estejam
                     acontecendo em Salvador.
                     Espaço para o internauta interagir com a administração do
Diga aí              site.


Tópico:
Saídas do forno Notícias mais recentes sobre a gastronomia.
                                                                               28


ANEXO (2)


CRÉDITOS


Tara do Prato - Projeto Experimental em Comunicação – Habilitação Jornalismo
Faculdade de Comunicação - UFBA
Realização: Daiane Neves e Luciane Vivas
Orientação: Profª Heloísa Sampaio
Co-orientação: Alberto Oliveira
Semestre: 2003.1


Web Site:
Coordenador: Alberto Oliveira
Programação: Alberto Oliveira e Marcelo Costa
Design Visual: Template Monster e adaptado por Juliana Garrido
Textos: Daiane Neves, Luciane Vivas e Heloísa Sampaio
                                                                                 29


ANEXO (3)


JUSTIFICATIVA DA ENTREGA APENAS DA MEMÓRIA



Descrevemos aqui as razões pelas quais não estamos apresentamos as três cópias em
CD do site, conforme solicitado pelo colegiado.


Estamos entregando apenas a memória do projeto Tara do Prato em função do site só
poder ser rodado on line, isto porque ele é dinâmico, as páginas são inteiramente
montadas após a requisição feita pelo usuário. Isso inclui até mesmo a disposição da
parte gráfica. Tudo está armazenado em bancos de dados, não havendo páginas pré-
montadas. Quando o usuário solicita uma página, o sistema recorre ao banco de
dados, capta as informações nele contidas e monta toda a página, em tempo real. Em
função disso, para funcionar off-line seria necessário que todas as páginas fossem
alteradas, de modo a buscar o banco de dados no micro que estivesse exibindo a
página e não no servidor Internet; que no micro tivesse, instalado, o programa PWS
(que simula as operações de um servidor); e ainda, que o micro estivesse configurado
para rodar o PWS. Como o site, em seu estágio atual, incluindo a área de
administração, possui mais de mil páginas, seria virtualmente impossível alterar
tudo.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:29
posted:12/10/2011
language:Portuguese
pages:29