Trauma como doen�a

Document Sample
Trauma como doen�a Powered By Docstoc
					  Trauma
como doença

          Milton Steinman
 Disciplina de Cirurgia do Trauma
             HCFMUSP
 Quandoocorre um trauma grave com
 ameaça a vida, esperamos ser
 prontamente atendidos.
 através de uma rápida resposta do
 serviço pré-hospitalar
 quesejamos transportados para um
 hospital capaz de oferecer cuidados
 médicos adequados
 que conte com médicos e enfermeiras
 treinadas,
 e,   que talvez possam nos salvar
 e,se necessário, nos oferecer um
 bom serviço de reabilitação.
Estamos   preparados??
“ May you live in interesting times “
                  Provérbio chinês
        Avanços médicos no
            século XXI
 Recursos diagnósticos
 Recursos terapêuticos
 Qualidade de vida
            OBJETIVOS
 Números do trauma
 Determinantes
 Características
 Tratamento
                TRAUMA
 Intencional
 Não intencional
         TRAUMA

Éuma doença!!!!
Não é acidente!!!!
                  TRAUMA

Acidente
 O   que é casual, fortuito, imprevisto
   Causas de morte violenta
           Mundo
 Acidentes   de trânsito-1,2 milhões
   feridos……
 Suicídios -                     815 mil
 Homicídios                      520 mil
                       OMS 2000
   Causas de morte violenta
           Mundo

 Afogamentos-           450        mil
 Envenenamentos-        315        mil
 Guerras e conflitos-   310        mil
 Quedas-                283        mil
 Queimaduras-           238        mil
                         OMS 2000
   Causas de morte violenta
           Mundo

 Acidentes   de trânsito- 2020

 2.400.000   pessoas
Proporção        Estimativas
1 óbito                   354000


20 admissões            7 milhões


50 consultas           18 milhões


100 feridos          > 35 milhões



               Sudeste asiático- OMS
Proporção      Estimativas
1 óbito            149000

20 admissões      3 milhões


50 consultas     7,5 milhões


100 feridos       > 14 milhões



                      Brasil
    Características dos óbitos- trânsito

 Pedestres
 Motociclistas
 Ciclistas
 Ocupantes de veículos
     Não   proprietários
        Custos do trauma- trânsito
    REGIÃO            PIB        CUSTO
   Africa            370        3,7
   Asia              2454       24,5
   America Latina    1890       18,9
   Oriente Médio     495        7,4
   Europa Central    659        9,9
                   Custos
   90% do impacto global relacionados a
    acidentes de trânsito, origina-se nos
    países pobres e em desenvolvimento
Taxa de mortalidade- trânsito
    Armas mataram mais 550 mil no
     Brasil em 24 anos, diz Unesco
 "O ritmo do crescimento das mortes por
  armas de fogo no Brasil é infernal",
  informa o relatório, intitulado "Mortes
  Matadas".
 Em 24 anos, as vítimas de armas de fogo
  cresceram 461,8%, enquanto a população
  do país cresceu apenas 51,8%.
          Arma de fogo- Brasil
   Em 1979, as mortes por arma de fogo
    representavam 1% do total de óbitos do
    país e passaram para 3,9% em 2003.
        Arma de fogo- Brasil
 População que mais sofre com a
  propagação do uso das armas de fogo é a
  dos jovens, entre 15 e 24 anos de
  idade.
 Das 550 mil mortes provocadas por
  disparos de armas de fogo, 206 mil
  foram de vítimas dessa faixa etária.
          Arma de fogo- Brasil
   "Entre os jovens a taxa de mortes por
    armas de fogo aumentou de 7,9% (1979)
    para 34,4% (2003)“

                        Unesco- 2003
          Arma de fogo- Brasil
   Só em 2003, mais de 39 mil pessoas
    morreram no país vítimas de homicídios,
    acidentes ou suicídios envolvendo armas
    de fogo.
Mortes por violência-Brasil
     Mortes violentas- Brasil


O número total de mortes violentas
(incluem suicídios e acidentes de
trânsito) nesses 20 anos foi de
2.069.866     brasileiros   (82,2%
homens).
     Mortes violentas- Brasil


O  aumento dos homicídios, é o
 principal fator que explica o crescimento
 do número de mortes violentas no país.
   Na década de 80, o brasileiro morria
    mais de acidente de trânsito do que de
    homicídio, padrão que se inverteu na
    década de 90.
   Mortes por causas externas
          Brasil- 2004

 TOTAL  -158000
 1 óbito a cada 30 minutos
 Faixa etária predominante
   15 a 44 anos
             Conceitos
 Trauma  é uma doença
  Causas identificadas
  Fisiopatologia
  Complicações
  Mortalidade
           Trauma




Quais   os fatores de risco?
    Fatores de risco-Trauma

Comportamento
 Velocidade
 Álcool
 Violência
 Dispositivos   de segurança
        Fatores de risco

Estradas   e ruas
Veículos
           Fatores de risco

Sociais
Atendimento   ao trauma
 inexistente ou inadequado
        Trauma




Qual   é o tratamento?
       Trauma- Tratamento
 Prognóstico –
 1º Mundo X 2º Mundo X 3º Mundo
   35%          55%       63%


                         Mock et al. J. Trauma, 1998
        Trauma- Tratamento
 Prognóstico –
 ISS > 15
 6%                        36%


                      Mock et al. J. Trauma, 1993
            Trauma- Sequelas
   1º Mundo-
     TCE
     Trauma   raquimedular
   3º Mundo
     Trauma   de extremidades



                             MacKenzie et al, J. Trauma, 1988
                            Mock et al. Trauma Quarterly, 1999
Por que ?
Sistema de Trauma
          Sistema de trauma
               O que é ?

   É    um    esforço  coordenado   e
    organizado, em um área geográfica
    definida para prover todos      os
    cuidados necessários, para todos
    pacientes traumatizados e que seja
    integrado com o sistema de saúde
    público local.
          Sistema de trauma
               O que é ?

   O verdadeiro valor do sistema de
    trauma é a transição entre cada fase
    do atendimento, integrando os
    recursos existentes para atingir o
    melhor resultado possível.
Cadeia da sobrevida em Trauma

              APH

            Hospital

           Reabilitação

            Prevenção
        Sistema de trauma

 Os sistemas de trauma devem ser
  regionalizados.
 Devem      oferecer    os     cuidados
  necessários de acordo com as
  características     específicas     da
  população, seja ela rural ou urbana.
       Sistema de trauma

Devem identificar e enfatizar a
 prevenção dos traumatismos, dentro
 do contexto da comunidade.
O    desenvolvimento nacional do
 sistema deverá ter habilidade para
 expandir e oferecer resposta as
 demandas diárias ou em casos de
 desastres e catástrofes.
          Sistema de trauma

   Deve permitir que todos os cidadãos,
    tenham acesso a um cuidado
    adequado, rápido e coordenado,
    dentro de um contexto de custo-
    benefício, em qualquer localidade.
       Necessidades do paciente
            traumatizado
 Tratamento das lesões que ameaçam a
  vida
 Tratamento de outras lesões que podem
  levar a incapacidade física, minimizar seu
  risco e maximizar o retorno ao trabalho
 Minimizar a dor e o sofrimento psicológico
      Necessidades do paciente
           traumatizado

 Reconhecer e tratar a hipoxia
 Reconhecer e tratar o pneumotórax e o
  hemotórax
 Reconhecer e tratar o choque
 Tratar a causa do sangramento
       Necessidades do paciente
            traumatizado

 Reconhecer as lesões focais e evitar danos
  secundários ao cérebro
 Reconhecer e tratar outras lesões
  abdominais
 Corrigir lesões que podem deixar sequelas
  funcionais
 Iniciar reabilitação
             Componentes
 Prevenção
 Atenção pré-hospitalar
 Atenção hospitalar
     Tratamento   definitivo
   Reabilitação
     Atencão pré-hospitalar



Doente certo no hospital certo
BANCO   DE DADOS
                 Prevenção
 Início, Meio, Fim
 Obrigatório no sistema
 Banco de dados
 Epidemiologia
 ATIVIDADE LEGÍTIMA DE PROMOÇÃO DE
  SAÚDE
     Recursos
     Reconhecimento
                 Prevenção
   Probabilidade de acidente= (velocidade)2

   Probabilidade de acidente grave=
    (velocidade)3

   Probabilidade de óbito no acidente=
    (velocidade)4
           Álcool x Trânsito
 80 mg/dL aumenta o risco em 2x
 100 mg/dL aumenta o risco em 3x
 Motocicleta- alto risco se > zero
    O que esperamos conseguir?
 Redução das mortes causadas por trauma
 Redução do número e da gravidade dos
  inválidos
 Aumentar o número de anos de vida
  produtivos
 Diminuir os custos do atendimento inicial
  e da reabilitação
 Diminuir o impacto da doença trauma na
  segunda vítima: famílias
                Metas

 Redução dos óbitos por trauma em 15%
 Redução dos acidentes automobilísticos
  em 9%
 Redução das mortes evitáveis em 25%
 Redução dos custos hospitalares em 15%
FUTURO ???
           Índice de Maturidade
          de Sistema de Trauma
 Cuidado pré-hospitalar
 Educação e Treinamento
 Recursos que participam do atendimento
     PAPÉIS   NO SISTEMA
   Programa de Qualidade
SISTEMA DE TRAUMA
    SALVA VIDAS
                Conclusões
 Trauma tem enorme impacto individual,
  familiar e social
 Demanda atenção de setores de saúde
  pública e privada, políticos, jurídicos e da
  sociedade
 Epidemia de trauma
 Evitável
         CAMPINAS EM TRAUMA
         19 a 22 de novembro de 2008

          XXI PANAMERICAN CONGRESS OF TRAUMA
           Sociedade Panamericana de Trauma (SPT)


VIII CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA
       DE ATENDIMENTO INTEGRADO
        AO TRAUMATIZADO (SBAIT)



              X CONGRESSO BRASILEIRO DAS
                 LIGAS DO TRAUMA (CoLT)
MUITO OBRIGADO

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:40
posted:12/9/2011
language:Portuguese
pages:69