Rotinas Funcionais do Respons�vel T�cnico

Document Sample
Rotinas Funcionais do Respons�vel T�cnico Powered By Docstoc
					Rotinas Funcionais do
Responsável Técnico
  REBECCA DUNG DE ANDRADE, M.V.
     REBECCADUNG@GMAIL.COM
     Funções do Responsável Técnico

  As atividades exercidas pelos responsáveis técnicos dentro dos estabelecimentos
  podem ser divididas, de forma didática e estratégica, em dois tipos:

 Rotinas Funcionais
  São aquelas atividades que por definição legal constituem o básico do exercício
  funcional do RT, ou são atribuições obrigatorias inerentes à esta função
  Ex: Controle de prazos de validade dos medicamentos



 Rotinas Acessórias
  São aquelas atividades que constituem o diferencial proposto em nosso curso, o
  que seria um adicional, um plus em um primeiro momento, o que qualificaria
  os RTs em consultores de negócios para seus contratantes.
  Ex: Definição de estratégias em um evento promocional do estabelecimento
“O Responsável Técnico é o profissional cuja missão é referendar ao
consumidor a qualidade do produto final ou do serviço prestado, de modo
que responde CIVIL e PENALMENTE por eventuais danos que possam
ocorrer ao consumidor decorrentes de sua conduta profissional, uma vez
caracterizada sua culpa, seja por negligência, imprudência, imperícia ou
omissão”.


“...presumindo que o consumidor é leigo em sua essência...e, por não saber
diferenciar produtos e serviços com vícios e defeitos de qualidade, necessita
invariavelmente da assistência de um especialista”.


“Em última análise, o responsável técnico é uma espécie de tutor, um fiscal
do consumidor, e sua principal função é orientar preventivamente e treinar,
com competência técnica, funcionários e empreendedores”.

(Manual de Orientação para o Exercício da Responsabilidade Técnica – CRMV MG)
           Para começo de conversa....

 LIMITES DE CARGA HORÁRIA: (RJ)
Mínima: 6 horas semanais
Máxima: 56 horas semanais



 CAPACITAÇÃO PARA ASSUMIR A
 RESPONSABILIDADE TÉCNICA:
 Graduação universitária
 Treinamento específico na área em que assumir a
 responsabilidade técnica
 IMPEDIMENTOS PARA ASSUMIR A
 RESPONSABILIDADE TÉCNICA:
 Servidores públicos com atribuições de fiscalização em
 determinados serviços ou áreas tais como Vigilância
 Sanitária, Defesa Sanitária Animal, Serviço de Inspeção
 Estadual (SIE), Serviço de Inspeção Federal (SIF) e Serviço
 de Inspeção Municipal (SIM)
 Militares
 Regime de trabalho com dedicação exclusiva
 LIVRO DE REGISTRO DO RESPONSÁVEL
  TÉCNICO
  Recomendações e orientações prestadas aos funcionários,
  proprietários e clientes
 FISCALIZAÇÃO DOS ESTABELECIMENTOS E
  CONSTATAÇÃO DE IRREGULARIDADES PELO
  CRMV
 RESPONSÁVEL TÉCNICO (RT) QUE É
  PROPRIETÁRIO DA EMPRESA
  Clínica médica versus RT
 NOME E FUNÇÃO AFIXADOS NO LOCAL DE
  TRABALHO
 COBRANÇA DE HONORÁRIOS:
 HORAS SEMANAIS                 SALÁRIOS MÍNIMOS
     06                                1
     12                                2
     18                                3
     24                                4
     30                                6
     36                                7
     42                                8
     48                                9

       Não levando em conta (INSS, FGTS, 13º SALÁRIO, FÉRIAS, ETC)
 OBRIGAÇÃO DE COMUNICAR A BAIXA DA
 ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA
   Estabelecimentos que Industrializem e Comercializem
     Produtos de Uso Veterinário e Pequenos Animais


 Assegurar-se de que o estabelecimento com o qual
  assumirá ou assumiu a responsabilidade técnica
  encontra-se efetiva e legalmente habilitado ao
  desempenho de suas atividades
 Estar regularmente inscrito no órgão fiscalizador de
  sua profissão
 Assessorar a prestação de serviços que se inserem na
  esfera de sua alçada técnica
 Controlar a qualidade dos produtos e serviços e
  fiscalizar a exposição correta dos produtos à venda
 Responsabilizar-se pela saúde dos animais em
    exposição e atendidos
   Identificar-se, quando solicitado pelos consumidores
   Reciclar-se tecnicamente
   Permitir a comercialização somente de produtos
    devidamente registrados nos órgãos competentes,
    observando rigorosamente o prazo de validade;
   Garantir as condições de conservação e
    condicionamento de produtos;
 Orientar o proprietário quanto à aquisição de
  produtos veterinários junto a laboratórios, indústrias
  e/ou distribuidores, de acordo com o usualmente
  prescrito por Médicos Veterinários;
 Orientar a disposição setorizada dos produtos no
  estabelecimento;
 Dar especial atenção ao acondicionamento,
  manutenção e armazenamento de vacinas e
  antígenos e controlar rigorosamente as condições de
  temperatura dos refrigeradores;
 Garantir a retenção de receitas em que estejam
  prescritos medicamentos controlados e que somente
  podem ser comercializados com receitas, tais como:
  anestésicos, psicotrópicos, tranquilizantes, etc;
 Garantir que a substituição de medicamentos receitados por
    outro Profissional, somente seja feita sob condições legais e
    éticas.
   Orientar o consumidor sobre utilização dos produtos de
    acordo com as especificações do fabricante e sobre os riscos
    decorrentes de seu manuseio e uso;
   Conhecer a origem dos animais comercializados (cães,
    gatos,etc.);
   Manter sob vigilância o estado de saúde dos animais
    comercializados garantindo-lhe água de bebida, alimentação,
    conforto e segurança
   Orientar para que as gaiolas com animais sejam dispostas de
    tal forma que recebam iluminação natural e ventilação;
 Orientar os clientes quanto às características
  higiênico-sanitárias dos animais por eles
  adquiridos, sobre o ambiente onde serão criados
  e sobre as relações desses animais com os seres
  humanos
 Não permitir a manutenção e/ou presença de
  animais doentes no estabelecimento;
 Orientar o proprietário e funcionários que o
  atendimento clínico, vacinação e/ou prescrição
  de medicamentos no interior do estabelecimento
  é terminantemente proibido.
 Orientar sobre a importância do controle e / ou
  combate a insetos e roedores;
 Estocagem de produtos
Clínicas, Consultórios, Ambulatórios e Hospitais


 Fazer cumprir o que preceitua a Resolução CFMV
  670/2000
 Manter-se atualizado quanto aos seus conhecimentos
  profissionais
 Não permitir os dispositivos promocionais da empresa
  contra a ética profissional que se caracterizem como
  propaganda abusiva e/ou enganosa
 Orientar a empresa para que disponha de formulários
  próprios que propiciem segurança a ela e aos clientes,
  como fichas cadastrais, prontuários, recibos de
  pagamento, receituário profissional e termos de
  compromisso e consentimento
 Assegurar-se de que os animais internados sejam
  acomodados de modo a não perturbar o bem-estar
  público
 Manter em cofre ou armário fechado a chave e sob
  escrituração na forma da lei os medicamentos e
  outros produtos de uso controlado
 Supervisionar o emprego do equipamento de Raio X
  e adotar medidas de segurança contra os efeitos da
  radiação ionizante, conforme as normas do MS
 Estar atento para a renovação anual da licença para
  funcionamento da empresa
 fazer cumprir as normas de saúde pública vigentes, no que diz
    respeito à higiene do ambiente, separação, destinação de lixo
    hospitalar e estocagem dos insumos.
   ter conhecimento dos aspectos técnicos e legais a que estão
    sujeitos os diversos estabelecimentos, especialmente quanto
    aos Regulamentos e Normas.
   Notificar as autoridades competentes sobre as ocorrências de
    interesse da saúde pública, agindo em consonância com os
    órgãos envolvidos na prevenção de zoonoses
   Fazer com que sejam mantidas em bom estado as estruturas e
    instalações das empresas e em boas condições de
    funcionamento os seus equipamentos
   Exigir que os médicos veterinários e auxiliares estejam
    vestidos de forma adequada quando do atendimento
 garantir que todas as atividades realizadas por
  auxiliares e/ou estagiários sejam supervisionadas
  por Médico Veterinário;
 usar adequadamente a área de isolamento
  garantindo que animais doentes não tenham contato
  com outros;
 exigir que todos os Médicos Veterinários que atuam
  no estabelecimento estejam devidamente registrados
  no CRMV;
 Fazer cumprir o roteiro de auto inspeção da VISA
Fluxograma de Processamento de Artigos
   FLUXOGRAMA DE PROCESSAMENTO DE ARTIGOS



       Após utilizar material, deixá-lo em recipiente seco e com tampa



                             Pré - Limpeza
Imersão em desinfetante Composto de Quaternário de Amônio, por 30 minutos.



                                Limpeza
Limpeza mecânica com água corrente e detergente enzimático ou desincrostante
                       Utilização de escova SOS



                                 Secagem
                      Gravitacional sobre papel toalha
                                descartável

                             Acondicionamento
                             Em caixa metálica



                               Esterilização
                  Calor seco. Estufa.Temperatura: 170C
Tempo de Exposição: 60 minutos (sem contar o tempo de aquecimento da estufa)



                      Identificação e Armazenagem
          Uso de etiqueta com data em que foi realizado o processo
                  Controle do prazo de validade: 1 semana
         Mapa de Controle de Temperatura            Mês:   Ano:



DATA    AFERIÇÕES               VALORES AFERIDOS           RESPONSÁVEL PELA
       (Manhã / Tarde)          Mínima / Máxima (T C)         AFERIÇÃO

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:7
posted:12/8/2011
language:Portuguese
pages:25