S�nodo dos Bispos by 2M2QJ2u

VIEWS: 4 PAGES: 22

									Sínodo dos Bispos
Introdução
 Tema: “A Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja”.
 XII Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos –
    Bento XVI.
   Dirigida a todos no mundo que seguem e amam a Jesus
    Cristo.
   A finalidade é por em prática a Palavra que está tão próxima
    de nós.
   A Palavra deve ser escutada e guardada com toda a atenção.
   O Sínodo propõe a todos uma viagem espiritual na Palavra.
01. A Voz da Palavra: A Revelação
 O Senhor falou com o som de sua Palavra e não de sua
    figura.
   Era o som já do princípio da criação, no silêncio do
    nada.
   No princípio já existia o Verbo e o Verbo era Deus.
   Tudo foi feito por Ele e nada foi feito sem Ele.
   É Palavra que vence o nada e cria o ser.
01. A Voz da Palavra: A Revelação
 O Senhor falou e tudo foi criado; ordenou e tudo
    começou a existir.
   Deus dá a vida aos mortos e chama à existência o que
    não existe.
   Agora, por toda a terra caminha o eco da Palavra de
    Deus.
   Esta Palavra está também na raiz da história humana.
   Como imagem e semelhança de Deus, temos
    característica divina.
01. A Voz da Palavra: A Revelação
 Isto está na nossa capacidade de decisão, de liberdade.
 Como escolhemos o mal, a Palavra de Deus salva e
  julga.
 É Palavra que penetra, transforma a história e liberta.
 Existe uma presença divina nas ações humanas,
  desígnio de salvação.
 A Palavra é Deus que vem ao encontro de suas
  criaturas.
01. A Voz da Palavra: A Revelação
 Essa Palavra foi colocada por escrito, como no
  Decálogo a Meisés.
 A Palavra é inspirada, precede a bíblia com palavra
  divina eficaz.
 No centro não está um livro, mas a História da
  Salvação.
 A bíblia hoje é a transmissão do testemunho da Palavra
  na Tradição.
02. O Rosto da Palavra: Jesus Cristo
 O Verbo, a Palavra é o coração da fé cristã.
 É a Palavra eterna e divina entrando no espaço e no
  tempo.
 Palavra que assume um rosto e uma identidade
  humana.
 As palavras sem um rosto não são perfeitas.
 Cristo é o Verbo, junto de Deus e é Deus.
02. O Rosto da Palavra: Jesus Cristo
 Ele é também história, frágil, moral e humano.
 Ele ressuscitou, testemunhando sua realidade
  divino/humana.
 A bíblia é “carne”, com palavras concretas.
 Deve ser interpretada sem fundamentalismo.
 Não podemos negar a encarnação da Palavra divina na
  história.
02. O Rosto da Palavra: Jesus Cristo
 A linguagem humana deve ser decifrada com critérios
  humanos.
 É também Palavra divina e eterna, compreendida com
  o Espírito Santo.
 De um lado, conhecimento científico; de outro, com
  ação do Espírito Santo.
 Por isto, é necessária a tradição viva de toda a Igreja e
  da fé para compreendê-la.
02. O Rosto da Palavra: Jesus Cristo
 Não podemos fazer uma interpretação vaga e
  espiritualista ou psicologista.
 O centro da interpretação é Jesus Cristo, homem e
  Deus.
 No centro da Revelação está a Palavra divina que
  adquiriu um rosto.
03. A Casa da Palavra: a Igreja
 A Igreja é a casa da Palavra de Deus, sentinela,
    anunciadora e intérprete.
   Paulo admoesta-nos que a fé provém da escuta e a
    escuta diz respeito à Palavra.
   É da Igreja que sai a voz do arauto e propõe o anúncio
    primário e fundamental.
   A Igreja faz ressoar a catequese à luz da Palavra para
    iluminar as pessoas.
   O ápice do anúncio da Palavra de Deus acontece na
    homilia.
03. A Casa da Palavra: a Igreja
 Anúncio, catequese e homilia supõem uma leitura e
  uma compreensão.
 Esta leitura e compreensão referem-se à Palavra e à
  Eucaristia.
 A força da Palavra está na oração dos cristãos celebrada
  na liturgia.
 A liturgia propicia o encontro com Jesus Cristo, palavra
  divina viva.
03. A Casa da Palavra: a Igreja
 Um destaque para a lectio divina: texto, meditação,
  oração e contemplação.
 Na experiência de vivência da Palavra encontramos o
  perfil de Maria.
 Maria conservava todas estas coisas, meditando-as no
  seu coração.
 A koinonia, a comunhão fraterna (ágape) também
  sustenta a Igreja.
03. A Casa da Palavra: a Igreja
 Isto supõe ouvir e colocar em prática a Palavra de Deus.
 A escuta autêntica é fazer prosperar na vida a justiça e
  o amor.
 Unir Palavra de Deus e a vida, a fé e a retidão, o culto e
  o compromisso social.
 No testemunho de comunhão com Deus e os irmãos a
  Palavra se faz vida.
 A vida do cristão, no encontro com o ressuscitado, deve
  tornar-se Evangelho vivo.
04. Os caminhos da Palavra: a missão
  De Sião sai a lei, e de Jerusalém a Palavra de Deus
   (Is 2,3).
  Esta Palavra percorre os caminhos do mundo e chega a
   nós.
  Ela faz acontecer a verdade, a justiça e a paz na terra.
  No meio da indiferença e incredulidade, ela traz
   esperança.
04. Os caminhos da Palavra: a missão
  Perpassa os caminhos evangelizadores da Igreja.
  “Ide e fazei discípulos a todas as nações... ensinando-
   as”.
  Para a bíblia, a Igreja não pode ficar calada. Deve
   clamar com força.
  Deve proclamar sobre os telhados (Mt 10, 27).
  A voz da palavra deve ressoar através dos MCS.
04. Os caminhos da Palavra: a missão
  Usar os símbolos e as parábolas como Jesus
     (Mt 13, 3.34).
    Exemplo de Jesus: “Homem algum falou como este
     homem” (Jo 7, 44-46).
    A família é espaço propício para a comunicação da
     Palavra.
    Ela deve atingir a criança, os jovens e os adultos.
    Há terrenos árduos, pedregosos, que sufocam a Palavra
     (Mt 13, 3-7).
04. Os caminhos da Palavra: a missão
  A Palavra ajuda a superar o mistério da iniqüidade.
  Jesus anuncia a esperança para os últimos da terra.
  Nele está um princípio de libertação e de salvação.
  O Senhor quer que todos cheguem ao conhecimento
   da verdade (I Tm 2, 4).
  A Palavra de Deus faz acontecer um mundo mais justo
   e pacífico.
04. Os caminhos da Palavra: a missão
  Da Palavra, diz João Paulo II, surgiram a cultura e a
   arte cristã.
  A bíblia é o grande código da cultura universal.
  A inspiração de muitos artistas vem dos textos
   sagrados.
  A bíblia é imprescindível e constitutiva da nossa
   civilização.
04. Os caminhos da Palavra: a missão
  Ela dá o perfil de beleza e de fecundidade humana e
     cultural.
    É uma Palavra que não se deixa acorrentar (I Tm 2, 9).
    Na inculturação, ela deve penetrar-se na
     multiplicidade da cultura.
    A Igreja deve fazer resplandecer os valores da Palavra
     de Deus.
    A inculturação deve ser reflexo da Encarnação do
     Verbo (João Paulo II).
Conclusão
 A Palavra deve ser tomada, comida e digerida
    (Ap 10, 8-11).
   Somos chamados a aproximarmo-nos da mesa da
    Palavra.
   Não viver só de Pão, mas também da Palavra
    (Dt 8, 3; Mt 4, 4).
   A Palavra de Deus pode preencher todas as nossas
    necessidades.
   Ela é doce, é lâmpada, é fogo
    (Sm 19, 11; 119, 15; r 23, 29).
Conclusão
 Além disto, é como chuva que fecunda a terra
    (Is 55, 10-11).
   É Palavra viva, penetrante e eficaz (Hb 4, 12).
   São felizes os perseguidos por causa da Palavra
    (Ap 6, 9).
   O testemunho dos mártires é força da Palavra
    (Rm 1, 16).
   Ouçamos eficazmente a Palavra de Deus.

								
To top