Universidade Federal Fluminense - UFF by N612k8O

VIEWS: 33 PAGES: 122

									Universidade Federal Fluminense - UFF
       Prof. Jose Carlos Abreu


  MERCADO FINANCEIRO & CAPITAIS
  APOSTILA & LISTAS DE EXERCICIOS



      Ano 2011 – Primeiro Semestre
      MEC / UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
  FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS
          DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO


                             PLANO DE DISCIPLINA

Disciplina: T. E. em Administração Financeira I Mercado Financeiro e de Capitais
Código: STA 04066
Data da organização: 13 de janeiro de 2011
Data da atualização: 13 de fevereiro de 2011
Carga horária total: 60 horas
Carga horária semanal: 4 horas
Número de créditos: 4
Professor: Jose Carlos Abreu
Telefone celular; (21) 7892-9988 email; jose.abreu.uff@gmail.com


EMENTA
Mercado Financeiro e de Capitais
Mercado Financeiro. Sistema Financeiro Nacional. Orgãos Normativos. Entidades
Supervisoras. Operadores. Bancos, historia, função social, atualidade. Política
monetária, fiscal, cambial e de rendas. Acordo da Basiléia e as regras prudenciais.
Mercado de Capitais. Mercado de Renda Variável, Mercado de Renda Fixa. Mercados
Derivativos.
Fundos de Investimento. Comissão de Valores Mobiliários – CVM. Ações, ordinárias e
preferenciais. Pregão, bolsas de valores. Home broker. Escola Tecnica e Escola
Fundamentalista. Estratégias de Operações no mercado de Derivativos. Estrutura do
Termo da Taxa de Juros.


OBJETIVOS GERAIS
Apresentar aos alunos o Mercado Financeiro, o Mercado de Capitais e seus órgãos
reguladores. Capacitar o aluno a entender o funcionamento do mercado financeiro e do
Mercado de Capitais. Orientar o aluno a entender a lógica e as estratégias do mercado
de capitais.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EM UNIDADES DE ENSINO

Unidade 1: Mercado Financeiro
Objetivo Específico:
Apresentar aos alunos o mercado financeiro nacional e o sistema financeiro nacional sua
hierarquia e seus órgãos reguladores. Apresentar aos alunos uma breve historia dos
bancos e suas premissas tradicionais e sua função social atual.

Subunidades
 Sistema Financeira nacional – SFN. Orgãos Normativos e Entidades Supervisoras.
 Operadores. Autoridades Monaterais.
 Histórico. Banco Central. Banco de Brasil. Conselho Monetário Nacional – CMN.
 Principais leis que regulamentam o sistema financeiro
 Bancos, Historia e sua função Social.
 Prestação de serviços. Arrecadação de impostos e pagamentos de benefícios


Unidade 2: Política monetária, fiscal e cambial. Acordo da Basiléia e as regras
prudenciais.
Objetivo Específico:
Apresentar aos alunos o que é a Política monetária, fiscal e cambial. Apresentar aos
alunos as regras prudenciais as responsabilidades e obrigações das instituições
financeiras

Subunidades
 Políticas Monetária, Fiscal, Cambial e de Rendas.
 Acordos da Basiléia. Políticas de prevenção a lavagem de dinheiro
 Compliance


Unidade 3: Marcado de Capitais.
Objetivo Específico:
Apresentar aos alunos os diversos fundos de investimento que existem
Subunidades
 Mercado de Renda Fixa
 Mercado de Renda Variável
 Mercados Derivativos
 Fundos de Investimento
 Calculo da relação risco retorno e da eficiência do Gestor
Unidade 4: Risco e Retorno. Escolas. Estratégias de Investimento
Objetivo Específico:
Apresentar uma visão panorâmica de como o mercado trabalha com o Risco e Retorno.
Escolas. Estratégias de Investimento. Apresentar o Mercado de Derivativos. Mercado a
Termo. Mercado Futuro. Mercado de opções. Conta margem. Opções de compra e
opções de venda

Subunidades
 Comissão de Valores Mobiliários – CVM.
 Ações, Debentures, O pregão eletronico, bolsas de valores. Home broker.
 Escola Grafista X Escola Fundamentalista. Compra e venda de ações.
 Estrategias de operações nos mercados derivativos.
 Calculos dos Indices
 Estrutura do Termo da Taxa de Juros
 Calculo dos valores dos contratos a terno e contratos futuros
 Apresentação do modelo de Black e Schooles



Metodologia
O curso terá breves exposições, trabalhos de grupos, apresentações, documentários e
debates. Será solicitada a maior participação possível. Entende-se como participação o
levantamento de questões relativas ao ponto em discussão ou aspectos correlatos,
comentários críticos, apresentação de textos ou outro recurso que contribua para o
rendimento do curso. As leituras indicadas devem ser consideradas como referência.
Aconselham-se outras leituras, a critério dos participantes. A leitura deve ser prévia e os
participantes devem trazer os livros de consulta, preferentemente de autores variados.


Avaliação
A avaliação será através de listas de exercícios em grupo (4 pontos) e 2 provas escritas
(6 pontos).



Bibliografia
Livro texto:
FORTUNA, Eduardo – Mercado Financeiro – Campos - 2010

Complementar:
GITMANN, Lawrence – Administração Financeira – Bookmann – 2010

HULL, John – Opções, Futuros e outros derivativos – BMF – 2010
                    Universidade Federal Fluminense - 2011
Disciplina: Mercado Financeiro e Mercado de Capitais
Prof. Jose Carlos Abreu




PARTE I
Mercado Financeiro
O Mercado Financeiro
O mercado financeiro é o mercado onde os recursos excedentes da economia
(poupança) são direcionados para o financiamento de empresa e de novos projetos
(investimento). No mercado financeiro tradicional, o dinheiro depositado em bancos
por poupadores é utilizado pelas instituições financeiras para financiar alguns setores da
economia que precisam de recursos. Por essa intermediação, os bancos cobram do
tomador do empréstimo (no caso as empresas) uma taxa – Spread- a título de
remuneração, para cobrir seus custos operacionais e o risco da operação. Quanto maior
for o risco de o banco não receber de volta o dinheiro, maior será o Spread.

O Mercado de Capitais
O mercado de capitais faz parte do mercado financeiro. Nele, os recursos dos
poupadores são destinados à promoção do desenvolvimento econômico de forma direta,
isto é de projetos e empresas. É no mercado de capitais que as empresas que precisam
de recursos conseguem financiamento, por meio da emissão de títulos, vendidos
diretamente aos poupadores/investidores, sem intermediação bancária. Dessa forma os
investidores acabam emprestando o dinheiro de sua poupança a empresas, também sem
a intermediação bancária.

Mercado Financeiro X Mercado de Capitais – Diferenças Básicas
Entre o mercado de capitais e o mercado financeiro tradicional existem duas diferenças
básicas, que tornam o primeiro mais eficiente do que o segundo:
No mercado de capitais a captação de recursos por empresas é mais barata, pois não há
necessidade do pagamento da spread aos bancos. O captador recebe os recursos
diretamente do investidor. O investidor pode vender o titulo no mercado para outro
investidor e receber de volta seus recursos a qualquer tempo.

No mercado financeiro a captação de recursos por empresas é mais cara, pois há
necessidade do pagamento de spread aos bancos. O captador recebe os recursos do
banco e o banco capta os recursos junto aos investidores. O investidor para receber de
volta seus recursos de vê negociar com o banco onde investiu.
 Para o investidor é vantajoso, pois ele pode desfazer-se do título a qualquer momento, o
 que não seria possível num empréstimo tradicional. Ou seja, se o investidor mudar de
 opinião quanto ao risco de investir em determinada empresa, pode vender os títulos no
 mercado. Essa liquidez (facilidade de compra e venda) reduz o seu risco de perda.
 Assim, o mercado de capitais faz com que o repasse de recursos dos poupadores às
 empresas seja mais interessante para ambas as partes.

 Importância do Mercado de Capitais
 O mercado de capitais é fundamental para o crescimento de um país, pois sem ele
 muitos projetos não conseguiriam sair do papel por falta de capital e financiamento.
 Muitas empresas perderiam sua competitividade e dificilmente conseguiriam
 desenvolver-se. Poucas sobreviveriam num ambiente sem a injeção de capital de
 investidores.

 SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL
 Sistema Financeiro Nacional; É preciso conhecer quais são as instituições que
 compõem, que regulam, fiscalizam e executam as operações no mercado financeiro
 nacional. É preciso tomar conhecimento das regras do jogo, dos termos técnicos e dos
 tipos existentes de operações possíveis para saber efetivamente implementar uma
 decisão. A leitura de jornais especializados e a participação de reuniões técnicas fazem
 parte do dia a dia dos profissionais desta área e você deve estar preparado para tudo isto.

 Estrutura do sistema financeiro nacional
 O sistema financeiro brasileiro é composto de três órgãos normativos, quatro entidades
 supervisoras e um conjunto de operadores, conforme apresentado no quadro a seguir:

  Órgãos            Entidades                                 Operadores
normativos         Supervisoras
                                                        Demais
                                      Instituições
                                                        instituições
                                      financeiras
                  Banco Central do                      financeiras
                                      captadoras de
  Conselho        Brasil - Bacen
                                      depósitos à                      Outros intermediários
  Monetário                                             Bancos de
                                      vista                            financeiros e administradores
  Nacional -                                            Câmbio
                                                                       de recursos de terceiros
    CMN           Comissão de
                                      Bolsas de
                  Valores                               Bolsas de
                                      mercadorias e
                  Mobiliários -                         valores
                                      futuros
                  CVM
  Conselho
                                                                                         Entidades
 Nacional de        Superintendência                                       Sociedades
                                                            Sociedades                   abertas de
   Seguros              de Seguros       Resseguradores                    de
                                                            seguradoras                  previdência
  Privados -         Privados - Susep                                      capitalização
                                                                                         complementar
    CNSP
  Conselho          Superintendência
 Nacional de           Nacional de       Entidades fechadas de previdência complementar
 Previdência           Previdência       (fundos de pensão)
Complementar         Complementar -
   - CNPC                PREVIC
Fonte: Internet: Site do Banco Central do Brasil (http://www.bcb.gov.br/?SFNCOMP) de 01/10/2010
Os órgãos Normativos têm a função de editar normas que definam parâmetros para a
transferência de recursos dos possuidores ou poupadores de recursos aos tomadores de
recursos. Eles traçam as políticas e diretrizes de todo o sistema financeiro. As entidades
supervisoras são as entidades que executam as políticas traçadas pelos Conselhos, além
de controlarem e fiscalizarem o funcionamento das instituições operadoras. As
instituições chamadas ―Operadoras‖ formam um subsistema de Intermediação que
efetivamente operacionaliza a transferência de recursos entre os agentes, seguindo regras
estabelecidas pelos órgãos normativos e, eventualmente, também por instituições do
próprio subsistema de intermediação (auto-regulação).

A seguir são apresentadas as funções e responsabilidades dos órgãos normativos e
supervisores, de acordo com o Banco Central do Brasil. [Fonte: Internet: Site do Banco Central
do Brasil (http://www.bcb.gov.br/?SFNCOMP - de 01/10/2010]:


 Órgãos Normativos
 Conselho Monetário Nacional (CMN), instituído pela Lei 4.595, de 31/12/1964, é o
 órgão responsável por expedir diretrizes gerais para o bom funcionamento do SFN
 (Sistema Financeiro Nacional). Órgão normativo, não é executivo. Age como conselho
 de política econômica. Fixa diretrizes das políticas monetárias, creditícia e cambial do
 país. Compõem o CMN: o Ministro da Fazenda (Presidente), o Ministro do
 Planejamento, Orçamento e Gestão e o Presidente do Banco Central do Brasil.

 Suas funções são: adaptar o volume dos meios de pagamento às reais necessidades da
 economia; regular o valor interno e externo da moeda e o equilíbrio do balanço de
 pagamentos; orientar a aplicação dos recursos das instituições financeiras; propiciar o
 aperfeiçoamento das instituições e dos instrumentos financeiros; zelar pela liquidez e
 solvência das instituições financeiras; coordenar as políticas monetária, creditícia,
 orçamentária e da dívida pública interna e externa.‖

 Responsável pelas seguintes atribuições
 Autorizar as emissões de papel moeda
 Aprovar os orçamentos monetários preparados pelo BC

 2- Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) - órgão responsável por fixar as
 diretrizes e normas da política de seguros privados.
 Compõem o CNSP: o Ministro da Fazenda (Presidente), representante do Ministério da
 Justiça, representante do Ministério da Previdência Social, Superintendente da
 Superintendência de Seguros Privados, representante do Banco Central do Brasil e
 representante da Comissão de Valores Mobiliários.
 Suas funções são: regular a constituição, organização, funcionamento e fiscalização dos
 que exercem atividades subordinadas ao SNSP, bem como a aplicação das penalidades
 previstas; fixar as características gerais dos contratos de seguro, previdência privada
 aberta, capitalização e resseguro; estabelecer as diretrizes gerais das operações de
 resseguro; prescrever os critérios de constituição das Sociedades Seguradoras, de
 Capitalização, Entidades de Previdência Privada Aberta e Resseguradores, com fixação
 dos limites legais e técnicos das respectivas operações e disciplinar a corretagem de
 seguros e a profissão de corretor.‖
3- Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) é um colegiado que
integra a estrutura do Ministério da Previdência Social
     Suas funções são: regular o regime de previdência complementar operado pelas
     entidades fechadas de previdência complementar (fundos de pensão).‖


 Entidades Supervisoras:
 1) Banco Central do Brasil (Bacen) é uma autarquia vinculada ao Ministério da
 Fazenda. Foi criada pela Lei 4.595, de 31/12/1964. Órgão Executivo. Cabe ao BACEN
 cumprir me fazer cumprir as disposições e normas do CMN. O BACEN é sediado em
 Brasília e tem representações regionais em;
     Belém
     Belo Horizonte
     Curitiba
     Fortaleza
     Porto Alegre
     Rio de Janeiro
     São Paulo

   É o principal executor das orientações do Conselho Monetário Nacional e
   responsável por garantir o poder de compra da moeda nacional.

   Seus objetivos são muitos: zelar pela adequada liquidez da economia; manter as
   reservas internacionais em nível adequado; estimular a formação de poupança; zelar
   pela estabilidade e promover o permanente aperfeiçoamento do sistema financeiro.
   São suas atribuições: emitir papel-moeda e moeda metálica; executar os serviços do
   meio circulante; receber recolhimentos compulsórios e voluntários das instituições
   financeiras e bancárias; realizar operações de redesconto e empréstimo às instituições
   financeiras; regular a execução dos serviços de compensação de cheques e outros
   papéis; efetuar operações de compra e venda de títulos públicos federais; exercer o
   controle de crédito; exercer a fiscalização das instituições financeiras; autorizar o
   funcionamento das instituições financeiras; estabelecer as condições para o exercício
   de quaisquer cargos de direção nas instituições financeiras; vigiar a interferência de
   outras empresas nos mercados financeiros e de capitais e controlar o fluxo de capitais
   estrangeiros no país. Determinar, via COPOM, a taxa de juros de referencia – taxa
   SELIC

 Desta forma o BACEN pode ser considerado
     O Banco dos Bancos
     Gestor do Sistema Financeiro Nacional
     Executor da Política Monetária
     Banco Emissor
     Banqueiro do Governo
     Centralizador do Fluxo Cambial

 Resumo = É por meio do BACEN que o Estado intervém no sistema financeiro e
 indiretamente na Economia do Brasil.
Independência do Banco Central
Em países como Alemanha, Japão, Estados Unidos, o modelo de Banco Central é
independente, ou seja, seus diretores são designados pelo Congresso, eleitos com
mandato fixo e renovável.


2) Comissão de Valores Mobiliários (CVM) também é uma autarquia vinculada ao
Ministério da Fazenda, instituída pela Lei 6.385, de 07/12/1976, para regular e fiscalizar
o Mercado de Capitais, Bolsas de Valores, Bolsas de Mercadorias e Futuros, e entidades
do mercado de balcão organizado, entidades de compensação e liquidação de operações
com valores mobiliários.

   Suas funções são: assegurar o funcionamento eficiente e regular dos mercados de
   bolsa e de balcão; proteger os titulares de valores mobiliários; evitar ou coibir
   modalidades de fraude ou manipulação no mercado; assegurar o acesso do público a
   informações sobre valores mobiliários negociados e sobre as companhias que os
   tenham emitido; assegurar a observância de práticas comerciais eqüitativas no
   mercado de valores mobiliários; estimular a formação de poupança e sua aplicação
   em valores mobiliários; promover a expansão e o funcionamento eficiente e regular
   do mercado de ações e estimular as aplicações permanentes em ações do capital
   social das companhias abertas.‖

O que são VALORES MOBILIÁRIOS
    Ações, debêntures e bônus de subscrição
    Cupons, direitos, recibos de subscrição, certificados de desdobramento de
       valores mobiliários
    Certificados de depósitos de valores mobiliários
    Cédulas de debêntures
    Cotas de fundos de investimento
    Notas comerciais
    Contratos futuros de opções e outros derivativos

3) Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) - autarquia vinculada ao
Ministério da Fazenda;
   É responsável pelo controle e fiscalização do mercado de seguro, previdência privada
   aberta e capitalização. Dentre suas atribuições estão: fiscalizar a constituição,
   organização, funcionamento e operação das Sociedades Seguradoras, de
   Capitalização, Entidades de Previdência Privada Aberta e Resseguradores, na
   qualidade de executora da política traçada pelo CNSP; atuar no sentido de proteger a
   captação de poupança popular que se efetua através das operações de seguro,
   previdência privada aberta, de capitalização e resseguro; zelar pela defesa dos
   interesses dos consumidores dos mercados supervisionados; promover o
   aperfeiçoamento das instituições e dos instrumentos operacionais a eles vinculados;
   promover a estabilidade dos mercados sob sua jurisdição; zelar pela liquidez e
   solvência das sociedades que integram o mercado; disciplinar e acompanhar os
   investimentos daquelas entidades; cumprir e fazer cumprir as deliberações do CNSP
   e prover os serviços de Secretaria Executiva do CNSP.‖
4) Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC) Autarquia
vinculada ao Ministério da Previdência Social,
   É responsável por fiscalizar as atividades das entidades fechadas de previdência
   complementar (fundos de pensão). A Previc atua como entidade de fiscalização e de
   supervisão das atividades das entidades fechadas de previdência complementar e de
   execução das políticas para o regime de previdência complementar operado pelas
   entidades fechadas de previdência complementar, observando, inclusive, as diretrizes
   estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional e pelo Conselho Nacional de
   Previdência Complementar.‖


Operadores
Os operadores que estão na linha do Banco Central são instituições autorizadas a
operarem com o público em geral no segmento de depósitos (à vista e a prazo), crédito
(diversas formas), câmbio e empréstimos. São divididas pelo Bacen em dois grupos:
    1- Instituições financeiras captadoras de depósitos à vista, que agregam:
         Bancos Comerciais
         Bancos Múltiplos com carteira comercial
         Caixas Econômicas
         Cooperativas de Crédito

   2- As demais instituições financeiras:
       Agências de Fomento
       Associações de Poupança e Empréstimo
       Bancos de Câmbio
       Bancos de Desenvolvimento
       Bancos de Investimento
       Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)
       Companhias Hipotecárias
       Cooperativas Centrais de Crédito
       Sociedades Crédito, Financiamento e Investimento
       Sociedades de Crédito Imobiliário
       Sociedades de Crédito ao Microempreendedor
       Bancos de Câmbio

Na linha da CVM estão os operadores chamados Bolsas. Instituições prestadoras de
serviços de intermediação financeira que criam condições propícias de mercado para
negociação de títulos e valores mobiliários (ações e debêntures) na Bolsa de Valores ou
de commodities e contratos de derivativos (na Bolsa de Mercadoria e de Futuros).
Sob as normas do CMN ainda existem alguns operadores que estão sujeitos à
fiscalização de ambos, o Bacen e a CVM, naquilo que compete a cada um. São eles:
          Administradoras de Consórcio
          Sociedades de arrendamento mercantil
          Sociedades corretoras de câmbio
          Sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários
          Sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários
Na linha de atuação do CNSP e da Susep estão as seguintes operadoras:
  Resseguradores, basicamente o Instituto de resseguros do Brasil (IRB), uma
    sociedade anônima que têm por objeto exclusivo a realização de operações de
    resseguro e retrocessão. O resseguro é uma espécie de operação de seguro para as
    seguradoras, que visa a mitigação do risco global do sistema de seguros.
  Sociedades Seguradoras, que são instituições seguradoras para atendem ao
    público em geral na área de bens, seguro de vida, responsabilidades, co-seguro e
    resseguro, planos de pecúlio e de assistência médico-odontológico, planos de
    benefícios complementares ou assemelhados aos da Previdência social.
  Sociedades de Capitalização, que são sociedades anônimas que negociam títulos
    de capitalização, que são contratos de uma forma de poupança programada com
    direito a concorrer a sorteios de prêmios durante a sua vigência.
  Entidades abertas de previdência complementar. Estas entidades são sociedades
    anônimas com o objetivo de operar planos de benefícios previdenciários concedidos
    na forma de renda continuada ou pagamento final único e vendidos ao público em
    geral. Por serem ―abertas‖, não trabalham na forma de um Fundo de Pensão,
    portanto, não há relação entre os participantes ou beneficiários.
  Entidades fechadas de previdência complementar. Estas entidades não são
    sociedades anônimas, mas sim organizadas sob a forma de fundação ou sociedade
    civil sem fins lucrativos. São chamadas de Fundo de Pensão e seus participantes
    são, exclusivamente, empregados de uma empresa ou grupo de empresas ou
    servidores públicos. Existe uma ligação entre o participante (empregado) e o
    patrocinador (empresa), muitas vezes com contribuições compartilhadas, e não está
    aberta à inclusão de pessoas fora desta ligação, excluindo-se, portanto o público em
    geral.

Mecanismos de funcionamento do mercado financeiro
O mercado financeiro funciona basicamente pela troca de mãos de títulos financeiros
entre os agentes. Estes títulos representam um direito de receber recursos no futuro
àqueles que os comprou, e uma obrigação de pagamento futuro para aqueles que
receberam estes recursos. Em termos de emissão eles são classificados em duas classes:
Mercado Primário e Mercado Secundário.

O Mercado Primário engloba os títulos de primeira emissão, ou seja, quando eles são
emitidos e vendidos ao público pela primeira vez. A partir desta emissão, qualquer outra
negociação com este título será realizada no Mercado chamado Secundário. Estas
negociações secundárias podem ocorrem em Bolsas ou no mercado de Balcão.


AUTORIDADES MONETÁRIAS DE APOIO
   Banco do Brasil - BB
   Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES
   Caixa Econômica Federal – CEF ou Caixa
   Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional - CRSFN
Banco do Brasil - BB
Ate 1986 o BB funcionava como autoridade monetária, quando foi suprimida a conta
movimento. Hoje o BB é um conglomerado financeiro de ponta, que vem se ajustando a
estrutura de um banco múltiplo tradicional.

Embora ainda opere como agente financeiro do Governo Federal em muitos casos
   Executa a política oficial de credito rural
   Administra a câmara de compensação de cheques
   Aquisição e financiamento dos estoques de produção exportável
   Agenciamento dos pagamentos e recebimentos fora do País
   Opera fundos de investimento setorial; pesca e reflorestamento, por exemplo,
   Executa política de preços mínimos dos produtos agropastoris
   Executa o serviço da divida publica
   Realiza por conta própria operações de compra e venda de moeda estrangeira


Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES
É a instituição responsável pela política de investimentos de longo prazo do Governo
Federal. É a principal instituição de fomento do País.

Tem como objetivos básicos
    Impulsionar o desenvolvimento econômico e social do País
    Fortalecer o setor empresarial nacional.
    Atenuar os desequilíbrios regionais, criando novos pólos
    Promover o desenvolvimento integrado das atividades agrícolas, industriais e de
      serviços
    Promover o crescimento e diversificação das exportações

Para atingir estes objetivos o BNDES conta com um conjunto de fundos e programas
especiais de fomento. Foi durante os governos Collor, Itamar e FHC o gestor do
processo de privatização das empresas estatais.


Caixa Econômica Federal – CEF ou Caixa
É a instituição responsável pela execução de políticas habitacionais e de saneamento
básico do Governo Federal.

A Caixa capta recursos em cadernetas de poupança, depósitos judiciais, e a prazo para
aplicação em empréstimos para financiamento habitacional.

A Caixa capta recursos do FGTS para financiamento de saneamento básico e infra
estrutura urbana.
A Caixa administra as loterias, fundos e programas tais como
    Loterias Federais
    Loteria Esportiva
    Fundo de Compensação Variações Salariais – FCVS
    Programa de Integração Social – PIS
    Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Social – FAS
    Fundo de Desenvolvimento Social – FDS

Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional - CRSFN
A sua principal atribuição é julgar os recursos interpostos das decisões relativas a
aplicações de penalidades administrativas do BACEN e da CVM




Leis de formação do Sistema Financeiro Nacional
Ate 1964 o Sistema Financeiro Nacional – SFN não apresentava uma estrutura racional
nem adequada as necessidades e carências da sociedade. Uma serie de leis possibilitou o
ordenamento

      Lei da Correção Monetária – Lei 4.357 de 1964
      Lei do Plano Nacional da Habitação – Lei 4.380 de 1964
      Lei da Reforma do Sistema Financeiro Nacional – Lei 4.595 de 1964
      Lei do Mercado de Capitais – Lei 4.728 de 1965
      Lei da CVM – Lei 6.385 de 1976
      Lei da S.A. – Lei 6.404 de 1976
      Nova Lei das S.A. – Lei 10.303 de 2001. Decreto 3.995 e MP 8 de 31/10/2002.
      Resolução CMN 3.040 de 28/11/2002

Lei da Correção Monetária – Lei 4.357 de 1964
Historicamente a inflação brasileira superava os 12% ao ano e a lei da usura (com base
no direito canônico) limitava os juros a 12% ao ano. Empresas e indivíduos preferiam
deixar de pagar suas obrigações (contas e tributos) e aplicar seus recursos.
A nova lei separava o que era juros reais e o que era inflação, criando títulos públicos
com clausula de correção monetária ORTN.

Lei do Plano Nacional da Habitação – Lei 4.380 de 1964
A recessão econômica dos anos 60 aumentou em muito a massa de trabalhadores
desempregados e sem qualificação. Aliado a um histórico déficit habitacional. Uma
alternativa seria a criação de empregos na construção civil.
Foi então criado o BNH destinado a fomentar construção de casas e obras de
saneamento e infra-estrutura urbana.

Lei da Reforma do Sistema Financeiro Nacional – Lei 4.595 de 1964
A gestão da política monetária, crédito e finanças públicas concentravam-se no
Ministério da Fazenda e no Banco do Brasil. Essa estrutura não atendia as exigências de
encargos, responsabilidade e eficiência. Foi criado o CMN e o BACEN, bem como
estabelecidas as normas, regras e rotinas, aos quais as instituições financeiras deveriam
se subordinar.
Lei do Mercado de Capitais – Lei 4.728 de 1965
A nítida preferência dos investidores era por aplicações em imóveis e por aplicações em
reserva, renda e guarda de valores. A evolução dos níveis de investimento exigia o
direcionamento dos investimentos e da poupança interna para investimentos produtivos.
A lei do mercado de capitais estabeleceu normas e regras para estruturação de um
sistema de investimentos destinado a apoiar o desenvolvimento nacional atendendo a
demanda crescente por credito empresarial.

Lei da CVM – Lei 6.385 de 1976
Faltava uma entidade para regulação e fiscalização do mercado de capitais em particular
as sociedades de capital aberto. Foi criada a CVM para regulamentar e fiscalizar o
mercado de valores mobiliários (ações e debêntures).

Lei da S.A. – Lei 6.404 de 1976
Era necessário atualizar a legislação. Foram então estabelecidas regras claras quanto às
características, forma de constituição, composição acionaria, estrutura das
demonstrações financeiras, obrigações societárias, direitos e obrigações dos acionistas, e
órgãos estatutários e legais.

Nova Lei das S.A. – Lei 10.303 de 2001. Decreto 3.995 e MP 8 de 31/10/2002.
O mercado de capitais perdia espaço para o exterior pela ausência de proteção ao
acionista minoritário e insegurança quanto as aplicações financeiras. Foram então
consolidados os dispositivos da Lei da CVM e da Lei das S.A. dando proteção ao
minoritário e força a atuação da CVM, que inclui a fiscalização a fundos de
investimento e mercados de derivativos.

Resolução CMN 3.040 de 28/11/2002
Era necessário criar regras para o BC analisar abertura de novas instituições financeiras,
tais como padrões de governança, estudo de viabilidade econômico financeira, área de
atuação e controles internos. Foram estabelecidas regras para disciplinar funcionamento,
transferência de controle, reorganização e cancelamento de autorização para operar no
país.


ESTRUTURA ATUAL
A Lei da Reforma bancaria, ou seja, a Lei da Reforma do Sistema Financeiro Nacional
– Lei 4.595 de 1964, define Instituição Financeira

Artigo 17; Consideram-se instituições financeiras, para efeitos da legislação em vigor,
as pessoas jurídicas públicas e privadas, que tenham como atividade principal ou
acessória a coleta, a intermediação ou a aplicação de recursos financeiros próprios ou de
terceiros, em moeda nacional ou estrangeira, e a custódia de valor de propriedade de
terceiros

Parágrafo Único; Para efeitos desta Lei e da legislação em vigor, equiparam-se as
instituições financeiras as pessoas físicas que exerçam qualquer das atividades referidas
neste artigo, de forma permanente ou eventual.
Instituições Financeiras, dois grupos:

i) Intermediários financeiros
Emitem seus próprios passivos, ou seja, captam recursos diretamente dos investidores e
aplicam por sua iniciativa, responsabilidade. Ex = bancos e sociedades de credito

ii) Instituições auxiliares
Visam colocar em contato poupadores e investidores. Ex = Bolsas de valores,
corretoras, distribuidoras,




Lista 1-a de exercícios
Responder as seguintes perguntas
   a) O que é o mercado Financeiro
   b) O que é o mercado de Capitais
   c) Quais são as principais diferenças




Lista 1-b de exercícios
Fazer uma pesquisa sobre o Sistema Financeira nacional. Devem ser abordados os
seguintes temas;
   d) Histórico do Sistema Financeira Nacional
   e) Estrutura atual do Sistema Financeira Nacional
   f) Autoridades Monetárias e de apoio
BANCOS Retrospectiva Histórica
O banco tradicional
O modelo Europeu foi adotado no Brasil durante o Império. As atividades básicas dos
bancos eram
   a) Operações de Deposito e guarda de valores
   b) Operações de Credito (empréstimos e descontos)

A fase intermediaria
Entre os anos de 1920 ate 1965 o Brasil viveu sua fase intermediaria do setor bancário.
Em 1920 foi crida a Inspetoria Geral de Bancos – IGB. Mais de 500 bancos foram
criados. Em 1945 o decreto lei 7.293 criou a Sumoc (Superintendência de Moeda e
Credito), que substituiu os critérios inadequados de fiscalização da IGB. Este decreto
criou também o controle do volume de credito e dos meios de pagamento e o deposito
compulsório. Muitos bancos sofreram processo de fusões e aquisições. A matriz
bancaria brasileira foi enxugada e solidificada.

O banco atual
No inicio dos anos 60 havia uma controvérsia sobre qual modelo o Brasil deveria adotar

Modelo Europeu: Os bancos europeus eram (na época) as principais peças do sistema
financeiro, operando em todas as modalidades de intermediação financeira

Modelo Americano: Os bancos americanos focavam na especialização em setores
específicos da intermediação financeira.

A Lei da Reforma bancaria (Lei 4.595 de 31/12/64) e a Lei da Reforma do Mercado de
Capitais (Lei 4.728 de 14/07/65) definiram a política para as instituições financeiras.
Esta reforma institucional criou o Banco Central do Brasil – BACEN e o Conselho
Monetário Nacional.

A partir destas reformas, desde os anos 60, os bancos ficavam com o segmento de
capital de giro e outras operações de curto prazo. A partir das empresas de credito,
financiamento e investimento, que existiam desde 1959, criaram-se os bancos de
investimento, em 1965, e as associações de poupança e empréstimos, em 1969. Na área
oficial existia o BNCC – Banco Nacional de Credito Cooperativo, criado em 1951, e o
BNDES criado em 1952. O Banco Nacional da Habitação - BNH foi criado em 1964.
Poucos anos depois o BNCC foi extinto e o BNH foi absorvido pela Caixa Econômica
Federal – CEF.

O Banco do Brasil, o Banco da Amazônia, e o Banco do Nordeste – BNB (criado em
1962) foram transformados em bancos comerciais mistos.

A lei 6.385 de 07/02/1976, criou a Comissão de Valores Mobiliários – CVM.

A Resolução 1.524 de 22/09/1988, abriu as instituições financeiras a possibilidade das
instituições financeiras se organizarem como uma única instituição, ou seja banco
múltiplo.
A globalização, a abertura econômica e o Plano Real, provocaram a adesão do Brasil
aos acordos de Basiléia. Isto resultou em um processo de saneamento, privatização e
fusão de instituições bancarias que iniciou uma revolução nos métodos e praticas da
atividade bancaria brasileira para melhor.

O Plano Real, ao terminar com a inflação que chegou a 80% ao mês, decretou o fim dos
ganhos fáceis com o floating bancário. Os bancos precisaram buscar novas fontes de
receita.

Os bancos passaram a segmentar e classificar a clientela. Com a identificação de hábitos
e características foi possível a criação de inúmeros novos produtos bancários. Um fator
muito importante no surgimento destes novos produtos foi a introdução do Sistema de
Pagamentos Brasileiro – SPB, das Transferências Eletrônicas Disponíveis – TED e dos
Boletos Eletrônicos de Cobrança, compensados em tempo real.



Função Social dos Bancos
Prestação de serviços
Procurando atrair mais clientes os bancos passaram a oferecer serviços mais rápidos,
sofisticados, baratos e seguros
Carnes de pagamento, pagamento de folhas de salários, pagamento de fornecedores,
caixas automáticos – ATM, cartões de credito, cheques especiais, custodias, ordens de
pagamento, fundos de investimento, seguros, aplicações financeiras, poupança, home
banking, e inúmeros outros.

Ate os anos 60 as empresas de serviços públicos (luz, água, gás e telefone) tinham
órgãos próprios e específicos para receberem as taxas e pagamentos.

Em 1994 (antes do Plano Real) a receita dos bancos com seguros, taxas de
administração de fundos, anuidades dos cartões de credito, fornecimento de talões de
cheques era da ordem de 4%. Em 2002 já atingia cerca de 20%.

A receita total com serviços em 1994 era suficiente para pagar 40% da folha de
pagamento dos salários dos funcionários dos bancos. Em 2002 muitos bancos já
atingiam 100%.


Arrecadação de tributos e pagamentos de benefícios
Ate os anos 60 toda relação do poder publico com o contribuinte era direto. Cada
repartição e cada entidade governamental tinha uma estrutura própria para arrecadação
de tributos e impostos, ou para o pagamento de benefícios a população.

Isto significava altíssimos custos para os órgãos do governo e para os contribuintes uma
extraordinária perda de tempo e crescentes dificuldades logísticas na execução de
pagamentos e no recebimento de benefícios.

Com estes serviços repassados para a extensa rede bancaria, e os resultados decorrentes
dos ganhos de escala, tudo melhorou e muito para as partes envolvidas.
Com a tecnologia da teleinformática disponível e com a autorização do BACEN, a
figura do correspondente bancário viabilizou a disseminação de pontos de atividade
bancaria em 5.560 municípios brasileiros. Ou seja, mais pontos de atendimento tais
como loterias, lojas, farmácias, supermercados, correios e outros.

Ao final de 2006 tínhamos no Brasil mais de 60.000 pontos de atendimento. Para efeito
de comparação ao final de 2002 no Japão tinha 28.000 pontos, França tinha 17.000
pontos e Alemanha tinha 14.000 pontos.


Principais papéis negociados no Mercado Financeiro
Títulos públicos
Podem ser emitidos pelos governos, Federal, Estadual e Municipal
O objetivo desses papéis reside em:
- Execução de política monetária
- Financiar o déficit público

Ações
Títulos de renda variável, emitidos por sociedades anônimas, que representam a menor
fração do capital da empresa emitente. As ações são negociadas em bolsas de valores ou
no mercado de balcão.

Commercial papers
É como uma nota promissória de curto prazo para financiar capital de giro das empresas

Debêntures
Títulos emitidos por empresas do tipo S/A (Sociedades Anônimas), seus recursos são
destinados principalmente para capital fixo das empresas, paga juros, participações nos
lucros, etc. As debêntures são títulos de médio prazo.

Letras de câmbio
Forma de captação de financeiras. São a base de captação de recursos das Sociedades de
Crédito e Financiamento, as conhecidas financeiras.

CDBs - Certificados de Depósitos Bancários
Forma de captação dos bancos comerciais e de investimentos

CDIs - Certificados de Depósitos Interfinanceiros ou Interbancários
Certificados de depósitos que ocorrem entre instituições financeiras deficitárias com as
superavitárias para equilibrar o caixa do dia.


Lista 2 de exercícios
Fazer uma pesquisa sobre os bancos. Devem ser abordados os seguintes temas;
   Historia dos bancos
   Evolução dos banco ao longo da historia
   Papel atual dos bancos na sociedade moderna
Políticas Monetária, Fiscal, Cambial e de Rendas
Os objetivos fundamentais destas quatro políticas se identificam com a política
econômica do Governo, que consiste em
    promover o desenvolvimento econômico
    garantir o pleno emprego e sua estabilidade
    equilibrar o volume financeiro das transações econômicas com o exterior
    garantir a estabilidade de preços e o controle da inflação
    promover a distribuição da riqueza e das rendas
.
O Produto Interno Bruto – PIB é a soma de todas as riquezas produzidas pelo País.
Um das formas de medir o PIB é pela renda gerada pelos diferentes setores da economia

Y = C(y) + I(r) + G + {[X – M] (x)}

Y = é a renda agregada como medida do PIB
C(y) = é o consumo das famílias                            Política de RENDAS
I(r) = é o investimento das empresas                       Política MONETARIA
G = é o gasto liquido do governo                           Política FISCAL
[X–M](x) = saldo de exportações (X) e importações (M)      Política CAMBIAL


1) POLÍTICA MONETÁRIA
É o controle da oferta de moeda e das taxas de juros de curto prazo que garanta a
liquidez ideal a cada momento. O executor dessas políticas é o BACEN com
     Deposito compulsório
     Redesconto ou empréstimo de liquidez
     Mercado aberto (open market)
     Controle e seleção de credito

Deposito compulsório
Regula o multiplicador bancário imobilizando uma parte maior ou menor dos depósitos
bancários e dos recursos de terceiros, restringindo ou alimentando os meios de
pagamento.

Redesconto ou empréstimo de liquidez
É socorro que o BC fornece aos bancos para atender suas necessidades momentâneas de
caixa.

Mercado aberto (open market)
É o mais ágil instrumento de regulação da oferta monetária e do custo primário do
dinheiro na economia. São operações por um dia através de overnight.

Controle e seleção de crédito
Impõe restrições ao livre funcionamento do mercado, estabelecendo e fixando limites e
condições dos créditos
Meios de Pagamento e Base Monetária
A Base Monetária (B) compõe-se do papel moeda emitido e a das reservas bancarias em
deposito no BC

Meios de pagamento (M1) compõe-se do papel moeda em poder do publico mais os
depósitos a vista nos bancos comerciais públicos e privados

M1 – Dinheiro que tem liquidez total e não gera rendimentos. São ativos monetários
M2 – Conceito de moeda que inclui alem do M1, os depósitos remunerados
M3 – Conceito de moeda que inclui alem do M2, as cotas dos fundos RF
M4 – Conceito de moeda que inclui alem do M3, os títulos públicos federais (Selic),
estaduais e municipais.

Metas de Inflação
O Comitê de Política Monetária – COPOM


2) POLÍTICA FISCAL
É a política de receitas e despesas do governo. Envolve a definição e a aplicação da
carga tributaria, bem como a definição dos gastos do governo. Obviamente tem forte
impacto na política monetária e sobre o credito. Quando o governo gasta mais do que
arrecada, ele é obrigado a recorrer ao endividamento, absorvendo recursos do setor
privado e prejudicando o financiamento do setor produtivo.

Relação Dívida/PIB e o Risco País
O desbalanceamento entre receitas e despesas do governo, o obriga a se financiar via
mercado financeiro, pela emissão de títulos pela Secretaria do Tesouro Nacional.
A relação Dívida/PIB é um bom indicador da solvência do Estado.
Outros indicadores utilizados para avaliar a situação de solvência e liquidez de um país
são, superávit primário, relação déficit público/PIB, divida externa, saldo da balança
comercial e volume das reservas internacionais.

Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO
A LDO de cada ano inicia com o Plano Plurianual (PPA) e se estende ate a Lei
Orçamentária Anual (LOA), obedecendo a LRF.
A LDO fixa os objetivos e parâmetros a serem observados na elaboração da LOA para o
exercício fiscal do ano seguinte. Todos os gastos do governo deverão seguir
rigorosamente sua programação.

Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF
A Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF, Lei Complementar 101 de 04/05/2000,
estabelece normas de finanças publicas voltadas para a responsabilidade na gestão
fiscal, mediante ações de planejamento, controle, transparência e responsabilização em
que se previnam riscos e se corrijam desvios, com vistas ao equilíbrio das contas
publicas. A LRF implanta uma nova cultura na gestão dos recursos públicos.
3) POLÍTICA CAMBIAL
É fundamentalmente baseada na administração da taxa de cambio e no controle das
operações cambiais. A política cambial tem forte impacto na política monetária. Por
exemplo, um aumento nas exportações gera um ingresso de divisas que convertida para
Reais expande a emissão de moeda, com impacto inflacionário.

Idêntica expansão ocorre quando cresce o volume de recursos captados via emissão de
títulos no exterior ou via ingresso para aplicações nas bolsas de valores. Assim o
aumento da entrada de dólares aumenta o custo do governo que é obrigado a aumentar a
divida publica em títulos, para enxugar a moeda que entra em circulação pela troca de
dólares por reais. Tal fato faz crescer o volume das reservas em dólar no BC.

O cambio flutuante é em si um bom regulador. Quando entram muitos dólares a cotação
da moeda cai, tirando incentivo de entrar mais dólares, quando muitos dólares saem a
cotação da moeda sobe, ficando mais caro o dólar e ajudando portanto a regular o
mercado.


4) POLÍTICA DE RENDAS
O governo exerce sua política de rendas, estabelecendo controles diretos sobre a
remuneração dos fatores de produção; salários, depreciações, lucros, dividendos e
preços de produtos.

Os bens e serviços de uma economia podem ser classificados em
TRADEABLES (transacionáveis com o exterior) – cujos preços dependem das
condições dos mercados internacionais e do cambio. NON-TRADEABLES (não
transacionáveis com o exterior) – cujos preços dependem das condições de oferta e
demanda internas (alugueis e tarifas públicas por exemplo).

O Plano Real estabeleceu, inicialmente, em 1994, uma política cambial que ancorou o
cambio e administrando de forma parcimoniosa as tarifas publicas e os salários, que
representavam na época 90% dos preços da economia, deixou a inflação dependente
apenas dos preços dos non-tradebales.

A partir de 1999, o regime cambial (administrado por bandas) passou para cambio
flutuante. Com isto consolida-se a estabilidade da moeda. A estabilidade da moeda
exterminou o imposto inflacionário. Sem imposto inflacionário houve melhoria da
renda.

Exemplo
Um empregado do campo acertou um salário de $300,00. Afinal de um mês com
inflação de 30% ao mês, o seu poder compra foi corroído pelo imposto inflacionário em
$90,00. Com o Plano Real e uma inflação de 0,5% ao mês, o imposto inflacionário leva
apenas $1,50. Isto representa, em nosso exemplo um ganho efetivo de $88,50. Por esta
razão aumentou o consumo de comida, roupa, remédios e lazer.

Lista 3 de exercícios
Fazer uma resumo do que são as políticas Monetária, Fiscal, Cambial e de Rendas.
O ACORDO DE BASILÉIA E AS REGRAS PRUDENCIAIS

O processo de globalização da economia obrigou o CMN a regulamentar, em
17/08/1994 através da resolução 2.099, os limites mínimos de Capital Realizado e de
Patrimonio Liquido para as instituições financeiras.

O objetivo é enquadrar o mercado financeiro aos padrões de solvência e liquidez
internacionais, que foram definidos em julho de 1988 no acordo assinado na
BASILÉIA, Suíça, pelos bancos centrais dos países que compõe o grupo dos DEZ.

A resolução 2.099, em seus 4 anexos, consolida a mais importante mudança realizada
no mercado financeiro nos últimos 30 anos.

O anexo I apresenta as regras para funcionamento, transferência, reorganização das
instituições financeiras.

O anexo II especificou os novos limites mínimos de capital e patrimônio de referencia
para o funcionamento das instituições financeiras autorizadas a funcionar pelo BC
conforme a tabela a seguir

O anexo III disciplinou a instalação e funcionamento das dependências das instituições
financeiras autorizadas pelo BC.

O anexo IV fixou as normas de determinação do Patrimonio de Referencia (PR) que
passou a ser calculado proporcionalmente ao grau de risco da estrutura dos ativos de
cada instituição

Acordo de BASILÉIA – Limites de Capital Realizado - Anexo II a resolução 2.099/94

Instituições (1)                                   Limites mínimos
Bancos Comerciais                                  R$17.500.000,00
Caixa Economica                                    R$12.500.000,00
Bancos de Investimentos                            R$12.500.000,00
Bancos de Desenvolvimento                          R$12.500.000,00
Bancos de Cambio                                   R$7.000.000,00
Sociedades de Credito Imobiliário                  R$7.000.000,00
Soc. de Credito Financiamento e Investimento       R$7.000.000,00
Soc. Arrendamento Mercantil                        R$7.000.000,00
Soc. Corretoras (2)                                R$1.500.000,00
Soc. Distribuidoras (2)                            R$1.500.000,00
Soc. Corretoras (3)                                R$550.000,00
Soc. Distribuidoras (3)                            R$550.000,00
Soc. Corretora de Cambio                           R$350.000,00

(1) – Para os bancos múltiplos o capital mínimo depende das suas carteiras
(2) – Que administrem fundos de investimentos regulados pelo BC
(3) – Não incluídos em (2)
OS RISCOS E AS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS
Risco de credito – A exposição ponderadas pelo fator de risco - EPR
Representa a possibilidade de perda pelo não pagamento de algum tipo de divida,
assumida por qualquer contraparte com uma instituição financeira. Pode surgir por
exemplo, em operações de empréstimos, aquisição de títulos ou operações com
derivativos.

Risco de Mercado
Origina-se de qualquer mudança de valor nos ativos e passivos detidos por uma
instituição financeira, quer sejam vinculados a taxa de juros, taxa de cambio, ao
mercado imobiliário, ao mercado de ações.

Risco de Liquidez
Surge da eventual dificuldade de comercializar ativos financeiros nos mercados pro
dificuldade de encontrar compradores e investidores.

Risco Operacional
É a possibilidade de perda originada por falhas na estrutura organizacional da instituição
financeira, seja em nível de sistemas, procedimentos, recursos humanos, éticos,
corporativos ou tecnológicos.

Risco Legal
Ocorre pelo descuido ou incompetência de instituição financeira em cumprir
determinações legais e regulamentares relacionadas as suas operações.


O ACORDO DE BASILÉIA II
A fragilidade financeira a que fica exposto o sistema financeiro internacional, a partir
das possibilidades de especulação desestabilizadora, ou mesmo de manipulação, exige
medidas fiscalizadoras e regulatórias de abrangência global. Este acordo esta baseado
em TRES PILARES

PILAR 1 – Requerimento de capital Mínimo
Seu objetivo é garantir uma melhor alocação de capitais para cobrir as exposições das
instituições aos riscos assumidos em suas operações, e dessa forma garantir a
manutenção de níveis confortáveis de capitalização.

PILAR 2 – Supervisão Bancária
Seu objetivo é estimular a supervisão bancária a agir no sentido de garantir que as
instituições financeiras tenham os processos internos necessários e suficientes para
identificar e gerenciar, da melhor forma possível as exposições aos riscos.

PILAR 3 – Disciplina de Mercado
Seu objetivo é estimular a transparência das instituições financeiras, enfatizando a ética
e a disciplina de atuação em mercado através de um conjunto de princípios, exigências e
ações.

Para efeito de comparação o acordo de Basiléia de 1998, cobria apenas parcialmente o
pilar 1.
REGRAS PRUDENCIAIS
Compliance
Define-se as responsabilidades dos integrantes da instituição, separa as atividades
atribuídas aos integrantes das instituições de forma a evitar conflitos de interesses e
testa periodicamente a segurança dos sistemas e processo em especial os eletrônicos.

O Comitê de Auditoria
O comitê de auditoria visa dar maior transparência sobre a situação dessa instituições. O
comitê ajuda a detectar erros ou praticas contábeis ilegais, tanto por parte dos bancos
como de suas auditorias independentes. Pelas regras os comitês deverão ser formados
por 3 profissionais com conhecimento na área e terão mandatos de no máximo 5 anos.


Lavagem de Dinheiro
A orientação é fazer com que os bancos detectem e analisem os clientes que se
enquadrem em uma das varias situações consideradas como suspeitas, como previstas
na carta-circular, relacionadas com operações em dinheiro vivo ou em cheques de
viagem, com a manutenção e movimentação de contas correntes e com atividades
internacionais de seus clientes.

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras – COAF, órgão com jurisdição em
todo território nacional estabelece as regras que dão poder ao governo para combater a
lavagem de dinheiro no Brasil. O COAF como objetivo coordenar as atividades para
evitar e prevenir a lavagem de dinheiro.

 As instituições financeiras estão obrigadas a comunicar as autoridades operações
consideradas como suspeitas, por exemplo:
     Movimentações em espécie acima de R$10.000,00
     Aumentos substanciais no volume de depósitos bancários, incompatíveis com o
        correntista
     Quantidades expressivas de pequenos depósitos que, somados, resultem em
        grandes valores
     Numerosas contas correntes de um mesmo cliente
     Utilização sistemática de cofres de aluguel
     Solicitação freqüente de elevação de limites de credito
     Aquisição de ações por cliente sem patrimônio compatível
     Compra ou venda de ativos por preço significativamente diferentes ao do
        mercado
     Operação realizada por pessoa física ou jurídica domiciliada em Paraíso Fiscal.
     Pagamento de imóvel com cheque de agencias bancarias fronteiriças ou
        localizadas no exterior.


Lista 4 de exercícios
Fazer um resumo do que é o acordo da Basiléia e as regras prudenciais.
GOVERNANÇA CORPORATIVA
Governança corporativa (português brasileiro) ou governo das sociedades ou das
empresas (português europeu) é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis,
regulamentos e instituições que regulam a maneira como uma empresa é dirigida,
administrada ou controlada. O termo inclui também o estudo sobre as relações entre os
diversos atores envolvidos (os stakeholders) e os objetivos pelos quais a empresa se
orienta. Os principais atores tipicamente são os acionistas, a alta administração e o
conselho de administração. Outros participantes da governança corporativa incluem os
funcionários, fornecedores, clientes, bancos e outros credores, instituições reguladoras
(como a CVM, o Banco Central, etc.) e a comunidade em geral.



RESPONSABILIDADE SOCIAL
No cenário mundial contemporâneo percebe-se o processar de inúmeras transformações
de ordem econômica, política, social e cultural que, por sua vez, se adaptam aos novos
modelos de relações entre instituições e mercados, organizações e sociedade. No âmbito
das atuais tendências de relacionamento, verifica-se a aproximação dos interesses das
organizações e os da sociedade resultar em esforços múltiplos para o cumprimento de
objetivos compartilhados.
REVISÃO DE MATEMATICA FINANCEIRA e
ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

REGIME DE JUROS SIMPLES
Partindo do CONCEITO:        Valor Futuro = Valor Presente + Juros

Definindo os JUROS no regime SIMPLES como sendo o produto do valor principal
(VP) vezes a taxa de juros (i) vezes o prazo (n): Juros = VP . i . n

A fórmula que relaciona valor presente VP, taxa de juros i, prazo n e o valor futuro VF
é:                          VF = VP + VP . i . n

ou seja:                     VF = VP ( 1 + i . n )



Exercícios Mat Fin 1 – Juros Simples

1) Se você aplicar, hoje, R$ 100,00 em um título de renda fixa que pague juros simples,
com uma taxa de 15% ao ano, quanto deverá valer a aplicação em 1 ano? e em 2 anos?
Resposta: Sua aplicação deverá valer R$ 115,00 em um ano e R$ 130,00 em dois anos.

2) Suponha que você deveria pagar hoje R$ 100,00 para quitar uma dívida junto ao
departamento de crédito de uma loja. A única multa por atraso no pagamento é
calculada a juros simples, com uma taxa de 20% ao ano sobre a dívida não paga no
vencimento. Se você não pagar essa dívida, quanto estará devendo em 3 anos?
Resposta: Você estará devendo R$ 160,00.

3) Professor Julião recebeu $1.000,00 e aplicou a juros simples (taxa de 2% ao mês)
antes de entrar de férias. Ao voltar das férias prof. Julião encontrou um saldo de
$1.060,00. Quanto tempo ele esteve de férias?
Resposta: Professor Julião tirou 3 meses de férias.

4) Suponha que você queira aplicar R$ 100,00 a uma taxa de 10% ao mês pelo prazo de
1 mês. Quanto você deverá receber de juros?
Resposta: Os juros que você deve receber totalizam R$ 10,00.
REGIME DE JUROS COMPOSTOS
Partindo do CONCEITO:        Valor Futuro = Valor Presente + Juros

A fórmula que relaciona valor presente VP, taxa de juros i, prazo n e o valor futuro VF
quando a capitalização é composta é:              VF = VP (1 + i )n

ou seja:                     VF = VP ( 1 + i )n

Exercícios Mat Fin 2 – Juros Compostos

1) Suponha que você tenha pedido emprestados R$ 1.000,00, hoje, para pagar esse
empréstimo com juros de 10% ao ano, capitalizados de forma composta. Qual será o
valor de sua dívida em 1 ano?


2) Suponha que você tenha pedido emprestados R$ 1.000,00, hoje, para pagar esse
empréstimo com juros de 10% ao ano, capitalizados de forma composta. Qual será o
valor de sua dívida em 2 anos?


3) Suponha que você tenha pedido emprestados R$ 1.000,00, hoje, para pagar esse
empréstimo com juros de 10% ao ano, capitalizados de forma composta. Qual será o
valor de sua dívida em 3 anos?


4) Suponha que você tenha pedido emprestados R$ 1.000,00, hoje, para pagar esse
empréstimo com juros anuais, capitalizados de forma composta. Supondo que você deva
pagar, para quitar o empréstimo, R$ 1.210,00, daqui a 2 anos, qual é a taxa de juros que
incide sobre esse empréstimo?
Dica: Não se esqueça de colocar na maquina VP com sinal diferente do VF


Resposta 1): O valor da dívida será de R$ 1.100,00.
Resposta 2): O valor da dívida será de R$ 1.210,00.
Resposta 3): Podemos concluir que R$ 1.331,00 é o valor equivalente a R$ 1.000,00,
aplicados durante 3 anos a uma taxa de 10% ao ano. Por quê? Porque, se aplicarmos R$
1.000,00, durante 3 anos, a uma taxa de 10% ao ano, teremos R$ 1.331,00.
Resposta 4): A taxa de juros é de 10% ao ano.
EQUIVALÊNCIA DE TAXAS DE JUROS

CAPITALIZAÇÃO SIMPLES
Fórmulas de equivalência no tempo – Juros Simples: I mensal x 12 = I anual
       Ou: im x 12 = ia
       Onde: im é a taxa de juros mensal e ia é a taxa de juros anual.
Tratando-se de Juros Simples, a equivalência é, de fato, simples. Por exemplo: se você
tem uma taxa mensal de 1%, a taxa semestral equivalente é simplesmente 1% x 6 = 6%.
Observe: tratando-se de Juros Simples, o que ocorre é uma simples proporcionalidade.
Você pode efetuar os cálculos por regra de três, se quiser.
Generalizando:
Taxa mensal (im) para taxa anual (ia)                ia      =      im x 12
Taxa mensal (im) para taxa semestral (is)            is      =      im x 6
Taxa diária (id) para taxa mensal (im)               im      =      id x 30
Taxa anual (ia) para taxa mensal (im)                im      =      ia / 12
Taxa mensal (im) para taxa diária (id)               id      =      im / 30

CAPITALIZAÇÃO COMPOSTA
Fórmulas de equivalência no tempo – Juros Compostos: (1 + im)12 = (1 + ia)
Onde: im é a taxa de juros mensal e ia é a taxa de juros anual.
Observe: tratando-se de Juros Compostos, o que ocorre NÃO é uma simples
proporcionalidade. Você NÃO pode efetuar os cálculos por regra de três.
Generalizando:
Taxa mensal (im) para taxa anual (ia):                (1 + im)12 = (1 + ia)
Taxa mensal (im) para taxa semestral (is):            (1 + im)6 = (1 + is)
Taxa diária (id) para taxa mensal (im):               (1 + id)30 = (1 + im)
E assim sucessivamente.


EXEMPLO A:
Calculando taxas equivalentes, utilizando a fórmula:
Se você quiser encontrar, por exemplo, a taxa composta anual equivalente a 1% com
juros compostos ao mês, deve realizar as seguintes operações:
A fórmula para conversão é:                 (1 + im)12 = (1 + ia)
substituindo os valores:                    (1 + 0,01)12 = (1 + ia)
calculando:                                 (1,01)12 = (1 + ia)
                                            1,12682503 = 1 + ia
                                            1,12682503 – 1 = ia
invertendo os lados:                        ia = 0,12682503 = 12,6825% ao ano

Na prática:
Podemos calcular, de modo bastante simples, taxas equivalentes de juros compostos,
utilizando a calculadora financeira:
Se você quiser encontrar, por exemplo, a taxa anual composta equivalente a 1% com
juros compostos ao mês com auxílio da calculadora:
tecle 100 PV  porque utilizando 100 torna-se mais fácil interpretar o montante;
digite 1      i     que é a taxa mensal de juros, expressa no enunciado;
digite 12     n      para repetir 12 vezes a taxa mensal;
digite 0      PMT  pois não existe nenhum depósito ou retirada antes de t =12;
        FV = ? = – 112,6825
Em resumo: quem investiu 100 e tem 112,6825, ganhou 12,6825% ao ano.


Exemplo B: Qual é a taxa mensal equivalente a 12% ao ano, no regime simples e no
regime composto?
Solução:           100 PV                       – 112 FV
                   12     n                     0     PMT
                   i = ? = 0,9488%
Resposta: a) Regime simples: 1% ao mês. b) Regime Composto: 0,9488% a mês


Exemplo C: Qual é taxa de inflação anual se a taxa mensal se mantiver estável em 4%
ao mês pelos próximos 12 meses.
Solução:            100 PV                       4      i
                    12     n                     0      PMT
                    FV = ? = – 160,10
Resposta: 60,10% a.a.


Exemplo D: Você paga prestações anuais a uma taxa de 32% a.a. Você quer trocar para
prestações mensais. Qual seria a taxa de juros equivalente mensal?
Solução:             100 PV                         – 132 FV
                     12      n                      0      PMT
                     i = ? = 2,3406%
Resposta: 2,3406% a.m.


Exercícios Mat Fin 3– Equivalência de Taxas de Juros:
1) Qual é a taxa semestral composta equivalente a uma taxa mensal de 1%?
2) Qual é a taxa anual equivalente a uma taxa mensal com capitalização simples de 2%
ao mês?
3) Qual é a taxa anual equivalente a uma taxa mensal de 3% no regime de capitalização
composta?
4) Qual é a taxa anual equivalente a uma taxa mensal de 3% no regime de capitalização
Simples?



Resposta 1): A taxa de juros semestral equivalente é de 6,15201506% a s.
Resposta 2): A taxa anual equivalente é de 24% a a.
Resposta 3): A taxa anual equivalente é de 42,576% a a.
Resposta 4): A taxa anual equivalente é de 36% a a.
TAXA NOMINAL e TAXA EFETIVA
A nomenclatura das taxas de juros não é difícil, basta sabermos o que cada uma
significa. Neste capitulo veremos as suas definições e teremos alguns exemplos e
exercícios.

Taxas Nominais são as taxas expressas para um período inteiro, que pode ou não
coincidir com o período da capitalização. Devemos fazer a equivalência das taxas
nominais para o seu período de capitalização pela proporcionalidade dos Juros Simples.

Exemplo: Desta forma um taxa nominal de 24% ao ano com capitalização mensal
significa que a taxa efetiva é 2% ao mês. Desta forma uma taxa nominal de 12% ao ano
com capitalização mensal significa que a taxa de juros efetiva é 1% ao mês.




Taxa Efetiva é a taxa que nos fornece o valor dos juros produzidos a serem
efetivamente pagos ou recebidos. Se temos uma taxa de 1% ao mês com capitalização
mensal temos uma taxa efetiva de 1% ao mês. Se desejarmos obter a taxa equivalente
anual devemos fazer a equivalência para o novo período de capitalização no regime
composto.

Exemplo: A taxa anual equivalente a 1% ao mês com capitalização mensal é 12,6825%
ao ano, efetivos.

Taxas Nominais são transformadas em taxas efetivas sendo levadas para o período de
capitalização no regime de capitalização simples:
Taxa Mensal x 12 = Taxa Anual
Taxa Mensal x 6 = Taxa Semestral

Resumo:
Taxa NOMINAL não pode ser usada em nossas contas, pois é dada em um período e a
capitalização em outro. Taxa EFETIVA é a taxa pronta para ser usada em nossas contas


Convertendo
Taxas Nominais                              Taxas Efetivas
       em                                          em
Taxas Efetivas                              Taxas Efetivas



Regime SIMPLES                              Regime COMPOSTO
EXEMPLO
Qual é a taxa efetiva que obteremos se aplicarmos $100,00 a uma taxa nominal de 24%
ao ano com capitalização mensal por um período de um ano?

Solução:
Primeiro devemos trazer a taxa nominal para o período de capitalização no regime de
capitalização simples
Taxa efetiva mensal: 24% / 12 = 2% ao mês efetivos
Segundo devemos calcular normalmente a aplicação
PV = 100,00                        I = 2%
N = 12 meses                       PMT = 0
FV = -126,8242
Resposta: Obteremos uma taxa efetiva anual de 26,8242% .



Exercícios Mat Fin 4– Taxas Nominais e Efetivas

1) Calcular a taxa efetiva anual para uma taxa anunciada da seguinte forma:
* Taxa de 3% ao mês para calculo de prestações mensais*

2) A caderneta de poupança em seu contrato apresenta uma taxa de juros de 6% ao ano.
Esta é uma taxa nominal ou uma efetiva? Qual seria a taxa efetiva mensal? E qual seria
a taxa efetiva anual paga pela caderneta de poupança?

3) Prestação da Casa Própria. Você quer comprar um imóvel avaliado em $200.000,00.
Você vai dar de entrada $80.000,00 e financiar a diferença em 10 anos com prestações
semestrais, iguais, a uma taxa de juros de 24% ao ano. Qual é o valor de cada
prestação?

4) Você trabalha no banco. A taxa de juros do cheque especial é 7% a.m. cobrada
mensalmente. Qual seria a taxa de juros NOMINAL anual e EFETIVA anual do cheque
especial ? Qual destas taxas você usaria para fazer os anúncios do banco ?




Resposta 1): Taxa efetiva anual é 42,576% anuais
Resposta 2): A taxa efetiva mensal é 0,5% ao mês. A taxa efetiva anual é 6,17% aa.
Resposta 3): A prestação semestral é $ 16.065,45
Resposta 4): Nominal 84%, Efetiva 125,21%. Usar taxa mais baixa para atrair clientes
TAXAS DE JUROS REAL, PREFIXADA E PÓS FIXADA
Taxas de Juros REAL
Toda aplicação financeira paga uma determinada taxa efetiva (taxa i) de retorno ao
investidor. Entretanto a taxa real de retorno é menor devido aos efeitos da inflação. A
formula que relaciona taxa de retorno aparente, taxa real e taxa de inflação é a seguinte:

(1 + taxa Real) (1 + Taxa Inflação ) = (1 + Taxa i )
O significado de taxa de juros real pode ser melhor compreendido a partir dos conceitos
e taxas apresentados a seguir. Todas as taxas referem-se a um mesmo período.

Exemplo:
Num determinado período seu salário de $1.000,00 foi reajustado em 50%. Sabendo-se
que a inflação no mesmo período foi de 40%, em quanto aumentou ou diminuiu seu
poder de compra do salário (ganho u perda real) no período, em termos de taxa e valor?

Solução:
Dados do problema; I = 50% , inflação = 40%.

( 1 + taxa Real) ( 1 + Taxa Inflação ) = ( 1 + Taxa i )
( 1 + taxa Real) ( 1 + 0,4 ) = ( 1 + 0,5 )
Taxa Real = 0,0714 = 7,14%

Em outras palavras
Seu salário de $1.000,00 passou a ser $1.500,00
Para poder comprar $1.000,00 em bens agora você necessita de $1.400,00
O ganho Real foi de 1.500 – 1.400 = 100,00


Taxas de Juros Prefixada e Pós-fixada
As operações de mercado podem ser classificadas em:
   a) operações de renda fixa (títulos ou fundos por exemplo)
   b) operações de renda variável (ações por exemplo).

Uma operação de renda fixa pode ser:
  a) prefixada
  b) pós-fixada
Renda Prefixada
O aplicador e o devedor conhecem, no dia da transação a taxa de retorno e também o
valor do titulo no dia do resgate (encerramento).

Renda Pós fixada
O aplicador e o devedor só conhecerão no dia da liquidação (encerramento) da
transação a taxa de retorno e também o valor do titulo.

Exemplo:
Um investidor vai ao BANCO e se depara com as seguintes alternativas de taxas de
juros para aplicação de um capital por um período de 1 ano:

   a) Taxa efetiva prefixada de 24% aa
   b) Taxa Real de 6,5% aa mais inflação do ano

Qual a melhor taxa?
Resposta: Não sabemos. Depende da taxa de inflação que vier a ocorrer no futuro.
Somente vamos saber de verdade qual é a melhor taxa quando soubermos qual terá sido
a inflação do período.

Solução:
Dados do problema; Taxa I = 24% aa , Taxa Real = 6,5% aa.
A taxa Real é a taxa acima da inflação

Posto que o Banco considera alternativas as duas taxas. Vamos calcular qual a taxa de
inflação que o Banco implicitamente esta usando em seus cálculos ao oferecer como
alternativas iguais estas duas taxas.

Os números do banco
( 1 + taxa Real) ( 1 + Taxa Inflação ) = ( 1 + Taxa i )
( 1 + 0,065) ( 1 + Taxa Inflação ) = ( 1 + 0,24 )
Taxa Inflação = 16,43% aa

Ou seja se a inflação deste período futuro fuçar abaixo de 16,43% aa (previstos pelo
banco) terá sido melhor aplicar em prefixado. Caso contrario em pós fixado.
No jargão do mercado a taxa efetiva de um aplicação em renda fixa prefixada é
chamada taxa aparente

Resumindo: Para o APLICADOR decidir entre taxa PRÉ e taxa PÓS

       Taxa de                        Taxa Prevista               Taxa de
       Inflação                       de Inflação                 Inflação
       Menor                                                      Maior

       PRÉ                                                        PÓS
Exercícios Mat Fin 5 – Taxas Real, Prefixada e Pós fixada

1) No período de um ano seu salário de $2.000,00 foi reajustado em 10%. Sabendo-se
que a inflação no ano foi de 12%, em quanto aumentou ou diminuiu seu poder de
compra do salário (ganho u perda real) no período, em termos de taxa e valor?

2) Um investidor se depara com as seguintes alternativas de taxas de juros para
aplicação de um capital por um período: Taxa efetiva prefixada de 12% a.a ou
alternativamente Taxa pós-fixada Real de 4% ao ano. Considerando que a inflação deste
ano seja de 7,5%, qual seria a melhor alternativa, pré ou pós?

3) No período de um ano seu salário de $3.000,00 foi reajustado em 12%. Sabendo-se
que a inflação no ano foi de 8%, em quanto aumentou ou diminuiu seu poder de compra
do salário (ganho ou perda real) no período, em termos de taxa e valor?

4) Um investidor se depara com as seguintes alternativas de taxas de juros para
aplicação de um capital por um período: Taxa efetiva prefixada de 14% a.a ou
alternativamente Taxa pós-fixada Real de 6% ao ano. Considerando que a inflação este
ano seja 8%, qual a melhor alternativa, pré ou pós?




Resposta 1): Taxa Real = – 1,786% (negativa). A perda Real foi de – $40,00
Resposta 2): A melhor alternativa é investir em prefixado, pois a taxa de inflação que
igualaria as duas aplicações é 7,69% ao ano.
Resposta 3): Taxa Real = 3,7%. O ganho Real foi de $120,00
Resposta 4): A melhor alternativa é investir em pós-fixado, pois a taxa de inflação que
igualaria as duas aplicações é 7,547% ao ano.
CORREÇÃO MONETÁRIA – CM
A correção monetária foi criada para corrigir as distorções geradas pela inflação e, desta
forma, diminuir os riscos de um investimento. Assim, os investidores tem uma maior
proteção de seus ativos, uma vez que podem indexar os valores através de um índice
que, a critério, represente menor risco de perda monetária.

Exemplos de Indexadores: CDI, TR, TJLP, IGP-M e outros

Exemplo:
Um empréstimo de $100.000,00 será pago pelo sistema de amortização francês em 5
prestações mensais postecipadas. A taxa e juros é 5% a.m. Considere que foi estipulada
uma clausula de correção monetária de acordo com a variação do IGP-M

Taxa de variação mensal do IGP-M
Mês Variação IGP-M
1            1,2%
2            1,3%
3            0,8%
4            0,6%
5            1,0%

Fazendo inicialmente as contas SEM correção Monetária
Mês Prestação       Juros        Amortização Saldo devedor
0     0,00          0,00         0,00        100.000,00
1     23.097,48     5.000,00     18.097,48   81.902,52
2     23.097,48     4.095,13     19.002,35   62.900,17
3     23.097,48     3.145,01     19.952,47   42.947,70
4     23.097,48     2.147,38     20.950,10   21.997,60
5     23.097,48     1.099,88     21.997,60   0,00
Soma                             100.000,00


Fazendo inicialmente as contas COM correção Monetária
Mês Prestação SEM Correção            Prestação Corrigida
0            0,00                            0,00
1            23.097,48                23.097,48 * (1 + 0,012) = 23.374,65
2            23.097,48                23.374,65 * (1 + 0,013) = 23.678,52
3            23.097,48                23.678,52 * (1 + 0,008) = 23.867,95
4            23.097,48                23.867,95 * (1 + 0,006) = 24.011,16
5            23.097,48                24.011,16 * (1 + 0,01) = 24.251,27

Observação:
Nosso exemplo acima foi meramente ilustrativo pois a legislação em vigor somente
permite indexação para contratos com prazos superiores a 1 ano.
Exercícios Mat Fin 6
Um empréstimo de $1.400.000,00 será pago pelo sistema de amortização francês em 6
prestações mensais postecipadas. A taxa e juros é 2% a.m. Considere que foi estipulada
uma clausula de correção monetária de acordo com a variação do IGP-M . Determinar o
valor de cada prestação corrigida.

Taxa de variação mensal do IGP-M
Mês Variação IGP-M
1            0,7%
2            0,6%
3            0,8%
4            0,6%
5            0,7%
6            0,5%



Resposta
Mês Prestação SEM Correção                Prestação Corrigida
0          0,00                           0,00
1          249.936,14               249.936,14 * (1 + 0,007) = 251.685,69
2          249.936,14               251.685,69 * (1 + 0,006) = 253.195,81
3          249.936,14               253.195,81 * (1 + 0,008) = 255.221,37
4          249.936,14               255.221,37 * (1 + 0,006) = 256.752,70
5          249.936,14               256.752,70 * (1 + 0,007) = 258.549,97
6          249.936,14               258.549,97 * (1 + 0,005) = 259.842,72
Lista Mat Fin 7 de exercícios
1) Você vai aplicar $1.000,00 em um fundo de RENDA
FIXA que paga uma taxa de 20% ao ano. Quanto você
poderá receber desta aplicação ao final de 2 anos?

Solução:      Formula                      Calculadora
VF = VP ( 1 + i ) n                 1000 VP
VF = 1.000 ( 1 + 0,2 ) 2            20     i
VF = 1.000 ( 1,2 ) 2                2      n
VF = 1.000 ( 1,44)                  0      PMT
VF = 1.440                          FV = ? = -1440


2) Aplicação em Titulo do Governo Federal. O Governo Federal emitiu hoje um titulo
com valor de $1.000.000,00 a ser pago no prazo de 1 ano. A taxa de Juros é 12,5% ao
ano, na data da emissão deste titulo. Qual deve ser o valor presente para negociação
deste titulo hoje no mercado? Se a taxa subir ou descer o que acontece com o valor
deste titulo no mercado?
Resposta: O valor deste titulo hoje é $888.888,88.


3) Comprei o livro Relatório Secreto da CIA por $25,00 no aeroporto. Dentre algumas
coisas interessantes e algumas baboseiras encontrei o seguinte; O PIB Chinês vai
ultrapassar o PIB dos US ate 2030.

Evolução dos PIBs
PIB (US$)             1991                 2005
PIB Brasil            407.731              792.683
PIB China             406.090              2.224.811
PIB US                5.995.925            12.485.725
Qual é a taxa media de crescimento do PIB destes países nestes últimos anos?
Ceteris Paribus onde estarão estes PIBs em 2030 ?

Solução
A taxa de crescimento médio do PIB entre 1991 e 2005 foi para cada pais:
Brasil               4,86%
PIB China            12,92%
PIB US               5,38%

A taxa de crescimento médio do PIB entre 1991 e 2005 foi para cada pais:
                     Taxa de crescimento         Ano de 2030
Brasil               4,86%                       2.596.246
PIB China            12,92%                      46.405.008
PIB US               5,38%                       46.277.364

Agora responda, Porque não vai acontecer?
4) Considere um titulo cujo valor de resgate daqui a 1 ano seja $1.000.000,00. Este
titulo não paga juros periodicamente e é vendido, hoje, com um desconto sobre o valor
de resgate, tal que proporciona a seu detentor uma taxa de juros de 10% ao ano.

Pede-se
a) Qual é o VP (preço hoje) deste titulo para venda no mercado considerando que as
taxa de juros hoje seja 10% ao ano.

b) Suponha agora que estamos no mês 3. Faz 3 meses que o titulo foi adquirido.
Determine o preço deste titulo nesta data, valor de marcação a mercado, e considerando
a hipótese que a taxa vigente seja 8%. Repita a mesma questão para as seguintes
hipóteses para as taxas vigentes; 9%, 10%, 11% e 12%.
PARTE II
Mercado de Capitais
Divisões do Mercado de Capitais
1.     Mercado de Renda Variável
2.     Mercado de Renda Fixa
3.     Mercado de Câmbio
4.     Mercado de Derivativos



1.    Mercado de Renda Fixa (títulos)
      – Títulos públicos
      – Títulos privados
      – Títulos Pré Fixados
      – Títulos Pós Fixados


2.    Mercado de Renda Variável (ações)
      – Mercado Primário
      – Mercado Secundário


3.    Mercado de Câmbio
      – Mercado de Câmbio no Brasil
      – Operações de arbitragem


4.    Mercado de Derivativos
      – Mercado a termo
      – Mercado de futuro
      – Mercado de Derivativos
      – Opções de ações
      – SWAPS
Fundamentalmente temos as seguintes operações no mercado de capitais
    Operações de Investimento
    Operações de Especulação
    Operações de Arbitragem
    Operações de Manipulação (é ilegal, é fora da lei)


Investidor: O investidor compra porque deseja ser sócio, participar nos lucros e no
crescimento. O Objetivo é maximizar valor para os acionistas. Não
obrigatoriamente o lucro, mas sim a riqueza dos investidores. O valor é focalizado
com as decisões de investimento, quais projetos como são financiados e como é a
política de dividendos.

Especulador: Não quer o ativo. Não esta preocupado com valor. O especulador
acredita que os preços serão corrigidos (para cima ou para baixo), e quer obter
vantagem dessa correção de preços. A partir de sua certeza (ou esperança) investe
tomando então a ponta de compra ou de venda.

Arbitrador: O Arbitrador não deve ser considerado um investidor. O arbitrador
não esta preocupado com valor nem com qualquer outra forma de avaliação, posto
que esta apenas interessado em "travar" uma posição de lucro certo, sem risco e sem
investimento.

Manipulador: Atividade criminosa onde o manipular, distorce, manipula e interfere
nas informações, de forma a enganar compradores e vendedores sobre a real situação
de determinado bem. Visa obter lucro as custas de subsidiar decisões enganosas aos
outros.



Mercado de Renda Fixa versus Renda Variável
O repasse dos recursos de poupadores/investidores às empresas pode ser feito de duas
formas:

Dívida: Os investidores compram títulos emitidos pelas empresas que precisam de
dinheiro. Esses títulos dão aos investidores o direito de receber a quantia emprestada,
mais juros previamente determinados. Os títulos são chamados de títulos de dívidas e
esse mercado é conhecido como o mercado de renda fixa.

Ações: Também aqui os investidores compram títulos emitidos por empresas. Mas os
títulos não garantem remuneração fixa aos investidores. A remuneração dos títulos são
os dividendos – parte do lucro que uma empresa de capital aberto distribui entre seus
acionistas. Os investidores tornam-se sócios da empresa.Esses títulos são chamados
ações e o mercado é conhecido como mercado de renda variável.
Mercado de Capitais
Aplicações em Renda Fixa

RENDA FIXA
Títulos Pré Fixados Com Cupom
Títulos Pré Fixados Sem Cupom (valor presente dado)
Títulos Pré Fixados Sem Cupom (valor futuro dado)
Títulos Pós Fixados sem Cupom
Títulos Pós Fixados com pagamento periódico de juros e CM (com Cupom)


Títulos Pré Fixados Com Cupom
Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros pré
fixadas de 10% ao ano, com pagamentos periódicos dos juros (com cupom), e com
prazo de vencimento de 4 anos.

O perfil de pagamentos deste titulo é
T=0            t=1           t=2           t=3            t=4
-1.000         100           100           100            1.000 + 100


Títulos Pré Fixados Sem Cupom (valor presente dado)
Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros pré
fixadas de 10% ao ano, sem pagamentos periódicos dos juros (sem cupom), e com prazo
de maturidade (vencimento) de 4 anos. Este titulo paga ao investidor no final do prazo
de maturidade o valor de face mais os juros acumulados do período.

O perfil de pagamentos deste titulo é
T=0            t=1           t=2           t=3            t=4
-1.000         0             0             0              1.000 + 464,10


Títulos Pré Fixados Sem Cupom (valor futuro dado)
Um titulo com valor de resgate $1.000,00 paga uma taxa de juros pré fixadas de 10% ao
ano, sem pagamentos periódicos dos juros (sem cupom), e com prazo de vencimento de
4 anos. Colocação do titulo no mercado na data do seu lançamento é com desconto. É
deste desconto no pagamento inicial que vem o retorno do investidor.

O perfil de pagamentos deste titulo é
T=0            t=1           t=2           t=3            t=4
-683,01        0             0             0              1.000
Títulos Pós Fixados sem Cupom
Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros de 8% ao
ano, mais correção monetária pelo IGP, sem pagamentos periódicos dos juros (sem
cupom), e com prazo de maturidade (vencimento) de 4 anos. Este titulo paga ao
investidor no final do prazo de maturidade o valor de face mais os juros acumulados do
período e mais a correção monetária. Os juros e a correção monetária são capitalizados
anualmente.

Considere que a taxa de inflação medida pelo IGP foi de
Ano 1 – 6%
Ano 2 – 5,7%
Ano 3 – 5,2%
Ano 4 – 5,5%

O perfil de pagamentos deste titulo é
T=0            t=1           t=2           t=3            t=4
-1.000         0             0             0              1.691,78


Títulos Pós Fixados com pagamento periódico de juros e CM (com Cupom)
Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros de 8% ao
ano, mais correção monetária pelo IGP, anualmente e com prazo de maturidade
(vencimento) de 4 anos. Este titulo paga ao investidor periodicamente ao final de cada
período os juros do período e mais a correção monetária. Os juros e a correção
monetária são capitalizados anualmente. Ao final do prazo de maturidade, o titulo paga
ao investidor o principal mais os juros do ultimo período.

Considere que a taxa de inflação medida pelo IGP foi de
Ano 1 – 6%
Ano 2 – 5,7%
Ano 3 – 5,2%
Ano 4 – 5,5%

O perfil de pagamentos deste titulo é
T=0            t=1           t=2           t=3            t=4
-1.000         144,80        141,56        136,16         1.139,40
TÍTULOS INDIVIDUAIS E CARTEIRAS DE TÍTULOS
Quando o investidor investe em um titulo individual não precisa de gestor. Quando o
investidor investe em uma carteira composta por vários titulo individual não precisa de
gestor. A gestão de uma carteira tem custo. Existem prós e contras entre investir em um
titulo ou investir em uma carteira.

Investindo em um TÍTULO
Vamos exemplificar analisando este titulo abaixo
Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros pré
fixadas de 10% ao ano, com pagamentos periódicos dos juros (com cupom), e com
prazo de vencimento de 4 anos.

O perfil de pagamentos deste titulo é
T=0            t=1           t=2            t=3           t=4
-1.000         100           100            100           1.000 + 100

Se você ficar com o titulo ate o vencimento recebera exatamente o que foi acordado e
fixado na data de compra do titulo. Entretanto se você precisar se desfazer deste titulo
antes do vencimento poderá mais ou menos, vai depender das taxas de juros do mercado
na data da venda.

a) Simulação 1
Suponha que você precisa vender o titulo em t=1. Agora o seu titulo tem um prazo de
vida ate o vencimento de 3 anos (não mais 4 anos). Considere que as taxas de juros
vigentes no mercado em t=1 para títulos com 3 anos de prazo seja 12% ao ano.

Você vai vender este titulo no mercado secundário para um outro investidor que queira
um titulo com 3 anos para o vencimento. Como seus juros são pré fixados e a taxa de
juros neste momento é 12% o valor presente deste titulo será

FV = 1.000                   Pmt = 100
I = 12%                      N=3
PV = ?

Usando a calculadora financeira obtemos PV = $951,56


b) Simulação 2
Suponha que você precisa vender o titulo em t=1. Agora o seu titulo tem um prazo de
vida ate o vencimento de 3 anos (não mais 4 anos). Considere que as taxas de juros
vigentes no mercado em t=1 para títulos com 3 anos de prazo seja 10% ao ano.

Você vai vender este titulo no mercado secundário para um outro investidor que queira
um titulo com 3 anos para o vencimento. Como seus juros são pré fixados e a taxa de
juros neste momento é 10% o valor presente deste titulo será

FV = 1.000                   Pmt = 100
I = 10%                      N=3
PV = ?
Usando a calculadora financeira obtemos PV = $1.000,00
Ou seja se não houver mudanças nas taxas de juros você recebera o valor de $1.000,00
do seu titulo, nem mais nem menos.


c) Simulação 3
Suponha que você precisa vender o titulo em t=1. Agora o seu titulo tem um prazo de
vida ate o vencimento de 3 anos (não mais 4 anos). Considere que as taxas de juros
vigentes no mercado em t=1 para títulos com 3 anos de prazo seja 8% ao ano.

Você vai vender este titulo no mercado secundário para um outro investidor que queira
um titulo com 3 anos para o vencimento. Como seus juros são pré fixados e a taxa de
juros neste momento é 8% o valor presente deste titulo será

FV = 1.000                   Pmt = 100
I = 8%                       N=3
PV = ?

Usando a calculadora financeira obtemos PV = $1.051,54


Investindo em uma CARTEIRA DE TÍTULOS
Em uma carteira com muitos títulos o gestor (pelo menos em teoria) nunca vai precisar
liquidar um titulo antes da data do vencimento, pelas seguintes razões:.

a) Todos os dias haverão títulos vencendo e pagando na conta do fundo de títulos o
valor esperado.
b) Todos os dias haverão novos investidores aplicando novos recursos.
c) Todos os dias haverão antigos investidores querendo sacar recursos do fundo

Uma das funções do gestor de um fundo de títulos (carteira) é gerenciar todos os dias
esta conta:
     Recebimento dos resgates com vencimento no dia
     Recebimento das novas aplicações
     Pagamento dos saques solicitados pelos investidores antigos
     Aplicação do Saldo do dia em novos títulos

Para realizar estas e outras funções o gestor recebe um premio percentual sobre o
rendimento dos fundos sob sua gestão.

Concluindo
Investindo em um titulo, diretamente, o investidor pode ganhar uma taxa de retorno
maior se ficar ate a data da maturidade (vencimento) do titulo. Investindo em uma
carteira de títulos o investidor ganha uma taxa de retorno menor, porem não precisa se
preocupar com a variação nas taxas de juros. Alem disto quando vende um titulo, o
investidor vende o titulo todo. Quando vende uma cota de um fundo vende a apenas a
parte necessária, não precisa vender tudo.
Lista 6 – Exercícios de Títulos
1) Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros pré
fixadas de 12% ao ano, com pagamentos periódicos dos juros (com cupom), e com
prazo de vencimento de 5 anos. O perfil periódico de pagamentos deste titulo é.....


2) Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros pré
fixadas de 9% ao ano, sem pagamentos periódicos dos juros (sem cupom), e com prazo
de maturidade (vencimento) de 5 anos. Este titulo paga ao investidor no final do prazo
de maturidade o valor de face mais os juros acumulados do período. O perfil periódico
de pagamentos deste titulo é.....


3) Um titulo com valor de resgate $1.000,00 paga uma taxa de juros pré fixadas de 14%
ao ano, sem pagamentos periódicos dos juros (sem cupom), e com prazo de vencimento
de 4 anos. Colocação do titulo no mercado na data do seu lançamento é com desconto. É
deste desconto no pagamento inicial que vem o retorno do investidor. O perfil
periódico de pagamentos deste titulo é.....


4) Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros de 8%
ao ano, mais correção monetária pelo IGP, sem pagamentos periódicos dos juros (sem
cupom), e com prazo de maturidade (vencimento) de 4 anos. Este titulo paga ao
investidor no final do prazo de maturidade o valor de face mais os juros acumulados do
período e mais a correção monetária. Os juros e a correção monetária são capitalizados
anualmente.

Considere que a taxa de inflação medida pelo IGP foi de
Ano 1 – 4,2%                 Ano 2 – 4,7%
Ano 3 – 4,0%                 Ano 4 – 3,9%
O perfil periódico de pagamentos deste titulo é..............


5) Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros de
12% ao ano, mais correção monetária pelo IGP, anualmente e com prazo de maturidade
(vencimento) de 4 anos. Este titulo paga ao investidor no final do prazo de maturidade
o valor de face mais os juros acumulados do período e mais a correção monetária. Os
juros e a correção monetária são capitalizados anualmente.

Considere que a taxa de inflação medida pelo IGP foi de
Ano 1 – 5,3%
Ano 2 – 4,7%
Ano 3 – 4,2%
Ano 4 – 4,5%

O perfil periódico pagamentos deste titulo é ...............
6) Um titulo é lançado hoje e custa $1.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros pré
fixadas de 9% ao ano, com pagamentos periódicos dos juros (com cupom), e com prazo
de vencimento de 4 anos.

Se você ficar com o titulo ate o vencimento recebera exatamente o que foi acordado e
fixado na data de compra do titulo. Entretanto se você precisar se desfazer deste titulo
antes do vencimento poderá mais ou menos, vai depender das taxas de juros do mercado
na data da venda.

6 a)Suponha que você precisa vender o titulo em t=1. Agora o seu titulo tem um prazo
de vida ate o vencimento de 3 anos (não mais 4 anos). Considere que as taxas de juros
vigentes no mercado em t=1 para títulos com 3 anos de prazo seja 11% ao ano.

Você vai vender este titulo no mercado secundário para um outro investidor que queira
um titulo com 3 anos para o vencimento. Como seus juros são pré fixados e a taxa de
juros neste momento é 11% o valor presente deste titulo será...........

6 b) Suponha que você precisa vender o titulo em t=1. Agora o seu titulo tem um prazo
de vida ate o vencimento de 3 anos (não mais 4 anos). Considere que as taxas de juros
vigentes no mercado em t=1 para títulos com 3 anos de prazo seja 13% ao ano.

Você vai vender este titulo no mercado secundário para um outro investidor que queira
um titulo com 3 anos para o vencimento. Como seus juros são pré fixados e a taxa de
juros neste momento é 13% o valor presente deste titulo será ........

6 c)Suponha que você precisa vender o titulo em t=1. Agora o seu titulo tem um prazo
de vida ate o vencimento de 3 anos (não mais 4 anos). Considere que as taxas de juros
vigentes no mercado em t=1 para títulos com 3 anos de prazo seja 7% ao ano.

Você vai vender este titulo no mercado secundário para um outro investidor que queira
um titulo com 3 anos para o vencimento. Como seus juros são pré fixados e a taxa de
juros neste momento é 7% o valor presente deste titulo será .........
Mercado de Capitais
Aplicações em Renda Variável

Mercado Primário X Mercado Secundário
Quando uma empresa quer levantar recursos no mercado vendendo ações, as vende no
chamado mercado primário. É no mercado primário que as empresas vendem suas
ações. Quando um acionista (pessoa física ou jurídica) tem ações de uma empresa e
quer vende-las para outro investidor as vende no mercado chamado de mercado
secundário. É no mercado secundário que as ações trocam de mais entre os investidores.
Quando uma empresa que não tem ações na bolsa, vai pela primeira vez ao mercado
primário levantar recursos colocando (vendendo) ações no mercado diz se que a
empresa esta abrindo o capital ao público pela primeira vez. Quando essa colocação é
feita pela primeira vez, no caso de ações, por exemplo, diz-se que a empresa está sendo
listada em bolsa ou fazendo uma IPO. (em inglês IPO- Initial Public Offering)

No Brasil temos:
    As bolsas de valores para negociação de ações.
    A Cetip (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos Privados )
      para negociação dos títulos de dívida das empresas.
    O Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia de Títulos públicos
      Federais) para negociação dos títulos públicos federais.


Mercado de Renda Variável – O que são Ações?
       Ações são as menores parcelas do capital de uma empresa. As ações são títulos
que não garantem remuneração predeterminada aos investidores. Como parte do capital
de uma empresa, tem sua remuneração determinada pela capacidade da empresa gerar
lucro.

        Os detentores de ações são sócios da empresa e, como tal, correm o risco de
sucesso ou fracasso das estratégias adotadas pela mesma. Se o investidor mudar de
opinião quanto à capacidade da empresa em conseguir lucro no mercado, pode comprar
ou vender os papéis. Essa negociação é feita nas bolsas de valores, um mercado livre e
aberto. O funcionamento desse mercado é regulado pela Comissão de Valores
Mobiliários (CVM), cujo objetivo é garantir transparência nos negócios realizados em
bolsa e das informações fornecidas pelas empresas.

Tipos de Ação
        Ordinárias (ON) – Conferem a seu detentor, chamado de acionista, o direito de
voto nas assembléias de acionistas da empresa. Na assembléia são definidas as
estratégias de negócios, são escolhidos os conselheiros e os diretores da empresa. Os
dividendos (parte do lucro que a empresa distribui entre seus acionistas) podem não ser
prioritários para esse tipo de ação.

        Preferenciais (PN) – O acionista preferencial não vota. Ou seja ele não
participa, como acionista, nas decisões estratégicas da empresa, mas por outro lado tem
prioridade no recebimento de dividendos. Também em situações em que a empresa
entra em processo de falência ou de dissolução, esse acionista tem prioridade no
recebimento dos recursos oriundos da venda dos ativos da companhia. As ações
preferenciais são as mais procuradas por investidores, apresentando maior liquidez
(facilidade de compra e de venda no mercado). Por isso, é comum as ações preferenciais
terem preço superior ao das ordinárias.


Negociação
       Formação de preço – O preço das ações está diretamente relacionado à oferta e
à procura. Quando as perspectivas de crescimento dos lucros de uma empresa
aumentam, ampliando suas chances de valorização no mercado, a procura pelas ações
da empresa também cresce e, consequentemente, seu preço.
As perspectivas envolvem fatores como a política econômica, estratégias da empresa,
lançamentos, inovações tecnológicas e aumento da competitividade dentro de seu setor.
Fusões, aquisições ou a possibilidade de fechamento de capital (recompra de todas as
ações em circulação no mercado) também influenciam no preço das ações.

Lotes redondos e fracionados
Ao comprar ações na bolsa de valores por meio de corretoras é preciso determinar a
quantidade de ações, isto é, os lotes que se quer adquirir. Em geral são negociados lotes
com 1.000 ações. Isso significa que o preço de negociação em bolsa se refere a 1.000
ações. Apenas algumas ações são negociadas em lotes unitários. Os lotes fechados são
chamados no mercado de lotes redondos. Há ainda a opção de compra de lotes menores
do que os mínimos. São os lotes fracionados. O mercado fracionário tem liquidez
menos, alem de preços menos atraentes para o investidor.



Tipos de ordem de compra e venda
1) Ordem a mercado: O investidor especifica apenas a quantidade e o tipo de ação que
quer comprar ou vender, sem estabelecer o preço, definido pelo mercado.

2) Ordem Administrada
Quando o investidor especifica a corretora a quantidade de ações de uma empresa que
deseja vender, SEM FIXAR o preço e deixa a critério da corretora aguardar o melhor
momento para realizar a operação.

3) Ordem limitada: O investidor limita o preço de compra e venda das ações para a
corretora, que só executará o pedido se o mercado estiver operando de acordo com os
limites estabelecidos.

4) Ordem casada: O investidor especifica uma ordem de compra ou de venda de ações
a um determinado valor, que só será executada se ambas as ordens forem atendidas.

5) Ordem de financiamento: o Investidor especifica uma ordem de compra ou de
venda de uma ação e outra ao mesmo tempo de venda ou de compra da mesma ação, no
mesmo mercado ou em outro
Bolsa de Valores
A bolsa de valores é um local, físico ou eletrônico, onde são negociados títulos e valores
mobiliários emitidos por empresas. As ações são os títulos mais comprados e vendidos
em bolsas.
Como local físico (pregão), a bolsa de valores pode ser comparada a uma feira livre,
onde os vendedores gritam os preços pelos quais estão dispostos a vender seus títulos. A
freguesia também grita os preços que quer pagar pelos títulos. Dessa forma, a aparente
confusão que se imagina existir no pregão das bolsas de valores nada mais é do que
compradores e vendedores tentando chegar a um acordo quanto ao preço das ações.
No caso da bolsa eletrônica, as ordens de compra e vendas são enviadas eletronicamente
pelas corretoras. O fechamento da operação somente se dá no momento em que os dois
preços (de compradores e vendedores) coincidem.

Exemplo
Supondo que uma corretora envie uma ordem de compra de uma ação mo valor de R$
100,00. Essa ordem é registrada no sistema e fica a espera da primeira ordem de venda
coincidir com a de compra, o negocio será automaticamente fechado.

É importante ter em mente que Bolsa não é o cassino. Por isso não deve ser vista como
tal. Como descrito no item Mercado de Capitais, os investidores compram ações com o
objetivo de tornarem-se sócios de uma empresa.


Bovespa
A Bovespa é a bolsa de valores de São Paulo, fundada em agosto de 1890. Sua sede
administrativa fica na Rua XV de Novembro, 275, no centro da cidade de São Paulo.
Atualmente, a Bovespa é a instituição com maior destaque no mercado acionário
brasileiro por abrigar o maior centro de negociação dentre as nove bolsas de valores do
País. A Bovespa é uma instituição formada por associações civis sem fins lucrativos,
com autonomia administrativa, financeira e patrimonial. Toda regulamentação é
supervisionada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
A Bovespa é integrada por sociedades corretoras que operam por meio de dois sistemas:
o físico (pregão – Viva Voz) e o eletrônico (Megabolsa). Além de ações, a Bovespa
negocia também outros valores mobiliários, como debêntures, notas promissórias
(commercial-paper), opções, bônus de subscrição e cota de fundos. Pela sua importância
na América do Sul, a Bovespa também compra e vende certificados de depósitos de
ações de empresas do Mercosul, chamados BDRs (Brazilian Depositary Receipts),
negociados de forma semelhante às ADRs.

Comissão de Valores Mobiliários
A Comissão de Valores Mobiliários ( CVM) é responsável pela regulamentação e
fiscalização do mercado de capitais no Brasil. Como autarquia, sua administração é
autônoma, embora a nomeação de seu presidente e de seus quatro diretores seja feita
pelo Presidente da Republica. A principal função da CVM é garantir aos investidores do
mercado de capitais segurança em suas operações. Essa segurança é possível por meio
de normas, de maneira que as empresas possam ter suas ações negociadas em bolsa. A
CVM também normatiza operações societárias (mudanças na estrutura acionário) e
financeiras que possam colocar em risco a correta avaliação das empresas abertas
(listadas em bolsa) por parte dos acionistas minoritários.
Índices da Bolsa
O objetivo de um índice de preços de um ativo qualquer, é de um modo geral, nos
indicar o histórico de comportamento dos preços deste ativo. Exemplo de elaboração da
construção de um índice simples para medir desempenho médio de um grupo de ações.


O Índice Ibovespa
O índice BOVESPA é o mais importante indicador do desempenho médios das cotações
do mercado de ações brasileiro.

O BOVESPA é o valor atual em moeda corrente, de uma carteira teórica de ações,
constituída inicialmente em 02/01/1968, a partir de uma aplicação hipotética. Supõe
não ter sido feito qualquer investimento adicional, e a reinversão total dos dividendos e
direitos de subscrição, splits e bonificações recebidos.

O Índice do Ibovespa, como o nome diz, é um índice que serve para mostrar a evolução
da media das cotações da ações negociadas na Bolsa de São Paulo.

O Índice do Ibovespa é formado a partir de uma carteira hipotética composta pelo
conjunto das ações que movimentaram 80% do volume transacionado na bolsa, no
ultimo ano.

Sua finalidade básica é servir como indicador médio do comportamento do mercado.
Para tanto, as ações que fazem parte do índice representam mais de 80% do número de
negócios e do volume financeiro negociados no mercado à vista. Como as ações que
fazem parte dessa carteira têm grande representatividade, podemos dizer que se a
maioria delas estiver subindo, o mercado, medido pelo Índice Bovespa, está em alta, e
se estiver caindo, está em baixa.

Aproximadamente 60 empresas têm suas ações fazendo parte do ibovespa, estas ações
representam mais de 80% do volume de negócios. O número de ações que forma o
índice varia ao longo do tempo. Ele é reavaliado de quatro em quatro meses.

Mas o que são os pontos? O que significa dizer que o Ibovespa chegará a 60 mil pontos
ou mais?
O Ibovespa é uma carteira teórica. É como se um investidor tivesse adquirido um
número arbitrário de ações das empresas que formam o índice. Os pontos equivalem ao
valor da cotação de cada uma delas, multiplicado pela quantidade de ações.

Então é mais simples do que parece: se o Ibovespa está em 60 mil pontos significa que,
se você possuísse a mesma carteira hipotética que o forma, teria exatamente R$
60.000,00 em ações.

A diferença básica entre o mercado de Bolsa e o Mercado de Balcão é que no primeiro
as negociações possuem mais transparência, são divulgadas e operacionalizadas de
forma padronizada, com contratos, registros e algumas garantias aos participantes. No
caso do mercado de Balcão, as operações são realizadas diretamente entre comprador e
vendedor, sem intermediação ou padronização de contratos, com pouca transparência ao
público e com um risco maior de crédito e de liquidez. Existem algumas modalidades de
negociação de balcão que estão sendo organizadas em entidades específicas que
pretendem aumentar a liquidez e segurança aos investidores, como é o caso do SOMA
(Sociedade Operadora do Mercado de Ativos S/A). Apesar de sua característica de
menor transparência, é no mercado de balcão que são realizadas a maior parte de
transações em todo o mundo, especialmente de derivativos, como swap e termo.

Ações x Debêntures
Os títulos ou ativos que mais se destacam nas negociações são as ações e as debêntures.
Estes títulos são emitidos por sociedades anônimas registradas na CVM com o objetivo
de captar recursos para financiar suas atividades, expansão ou eventualmente realinhar
sua estrutura de dívida. Um investidor interessado em aplicar recursos em uma empresa
pode optar por tornar-se sócio dela, neste caso adquirindo suas ações, ou pode optar por
ser um de seus credores, neste caso emprestando dinheiro por um prazo predeterminado,
adquirindo debêntures. Tanto se optar pela aquisição de ações quanto pela aquisição de
debêntures, o investidor pode fazê-lo no mercado primário, se estes títulos estiverem
sendo oferecidos diretamente pela empresa, ou no mercado secundário, se não houver
oferta direta. Neste caso, compraria das mãos de outro investidor que as possui e esteja
interessado em vendê-las (via bolsa ou balcão, conforme o caso).
As ações representam o capital da empresa. Uma ação é uma fração do capital. Assim,
aquele (indivíduo ou empresa) que possuir mais de 50% do total de ações emitidas será
dito controlador da empresa, os demais são chamados de investidores minoritários. Na
verdade, não é necessário deter 50% de todas as ações emitidas, pois existem dois tipos
de ações: as ações ordinárias, que dão direito a voto nas assembléias da empresa e,
portanto, a controla; e as ações preferenciais, que não têm voz ativa nas assembléias. As
ações preferenciais não votam, mas em troca possuem preferência nas distribuições de
dividendos e na devolução de capital em caso de falência. Assim sendo, para se ter o
controle da empresa basta deter mais de 50% do total de ações ordinárias e não do total
emitido.
O retorno financeiro de um investidor em ações é chamado dividendo. Ele representa
uma parcela do lucro auferido pela empresa na proporção da quantidade de ações
possuídas.
Já no caso da debênture, ela representa um contrato de empréstimo que o investidor faz
à empresa, com data preestabelecida de re-pagamento futuro, com juros e condições
pactuados. O investidor não ganhará mais se a empresa der lucros maiores nem menos
se der prejuízo.

Mercado Primário
Considere uma empresa de capital limitado (Ltda.) com apenas dois sócios. Esta cresceu
e tem novos projetos com excelentes perspectivas de retorno, mas que precisa de novos
investimentos pesados. Suponha que estes dois sócios não queiram arcar sozinhos com
este aporte adicional de recursos. Eles podem não possuir este volume de dinheiro ou,
mesmo se possuírem, podem não estar dispostos a alocá-lo neste projeto diretamente.
Uma alternativa seria tomar financiamento bancário. Neste caso, a empresa pagaria
juros previamente acordados e fixo. Com isto, os sócios permaneceriam únicos, sem
necessidade de dividir a gestão ou dar satisfações a outros investidores.
Outra alternativa poderia ser a de abrir o capital da empresa, emitindo novas ações e
trazendo novos sócios. Neste caso, o recurso recebido pela empresa não pagaria juros
nem teria que ser devolvido em prazo preestabelecido. A contrapartida seria a divisão
do capital com mais sócios, pagamento de dividendos e atendimento de exigências
legais de distribuição mínima, transparência maior de informações e possibilidade de
perder o controle na gestão.


A decisão entre um empréstimo bancário e uma emissão de ações deve estar,
basicamente, na percepção de risco do novo projeto e em seu retorno esperado.
Considerando que o retorno esperado seja superior à taxa de financiamento e o risco do
projeto seja considerado baixo, existiria uma vantagem em tomar financiamento, pois
haveria uma alavancagem financeira inteiramente favorável. A partir do momento que o
risco do novo projeto seja considerado elevado, a opção de abrir o capital para novos
participantes começa a ser mais atraente. Caso os resultados positivos não se
concretizem, um financiamento continuaria a exigir o pagamento dos juros, podendo até
a aumentar conforme haja percepção do aumento do risco da empresa por um eventual
problema no projeto, o que não é o caso da captação por emissão de ações. Além disso,
um retorno abaixo do esperado, ou mesmo com prejuízo, também seria dividido entre os
novos participantes.
Decidida a abertura do capital e emissão de novas ações pode ser feita por oferta
pública, chamada IPO (Initial Public Offering) que vai requerer registro na CVM e o
cumprimento de um ritual de procedimentos na elaboração de seu prospecto preliminar.
Geralmente as ofertas públicas são conduzidas por bancos de investimento ou corretoras
que recebem uma comissão pelos serviços. A subscrição de ações também é chamada
Underwriting.

A condução das vendas no Mercado Primário podem ser feitas fundamentalmente de 3
formas. Estas ações seriam lançadas no Mercado Primário nas formas de:

  Garantia Firme (Straight Underwriting): Nesta modalidade o Banco contratado,
   responsável pelo underwriting, subscreve integralmente a emissão para revendê-la
   posteriormente ao público. Com esta alternativa, a empresa garante a entrada de
   recursos e o risco de colocação é do intermediário financeiro.

  Melhores esforços (Best Efforts): Neste caso, o Banco contratado se compromete a
   realizar os ―melhores esforços‖ para a colocação dos títulos no mercado. Não há,
   por parte do intermediário financeiro, nenhuma garantia de colocação da totalidade
   das ações do IPO. O risco de não conseguir colocar todos as ações fica com a
   empresa e, se isto ocorrer, não vai conseguir aumentar o seu capital no montante
   pretendido.

  Residual (Stand by Underwriting): É determinado um prazo para colocação
   (período de subscrição). Ao final deste prazo, caso ainda hajam sobras, o Banco
   contratado se compromete ficar com o total das ações não colocadas. Decorrido o
   prazo, o risco de mercado é do intermediário financeiro.
Emitidas as ações, os recursos $$$$$ irão direto para o caixa da empresa.

                                      Exemplo
     Suponhamos uma empresa limitada que possua um capital de R$1.000.000,00,
     divididos apenas entre dois sócios. Estes sócios pretendem investir em um novo
     projeto de expansão que exigirá investimentos vultosos e para tal decidiram abrir
     o capital e transformar a empresa em S/A (Sociedade Anônima), colocando ações
     em negociação em Bolsa de Valores.

     Estes sócios não querem perder o controle da empresa e para isso, precisarão deter
     pelo menos 50% mais uma das ações Ordinárias emitidas. Para este trabalho é
     contratado um Banco de investimento que aconselha a emissão de 2.000.000 de
     ações ordinárias e mais 2.000.000 de ações preferenciais, cada uma ao preço de
     R$1,00. Assim, o novo capital será de R$4.000.000,00. Os dois sócios originais
     poderão permanecer com mesmo capital atual, mantendo ainda o controle,
     detendo a metade da emissão das ações ordinárias (mais uma ação). A empresa
     receberá novos R$3.000.000,00 provenientes dos novos sócios. Este novo recurso
     será subscrito e incorporado inicialmente ao caixa da empresa para ser utilizado
     no novo projeto de expansão.
     A venda das novas ações será tão atrativa aos novos investidores quanto maior for
     o potencial de retorno do projeto percebido pelo mercado. Com o auxílio do
     Banco de Investimento contratado, a empresa poderá preparar uma apresentação
     que mostra a situação atual da empresa, os objetivos com a implantação do novo
     projeto, o fluxo de caixa projetado e seu VPL estimado. Esta apresentação pode
     ser realizada pessoalmente por profissionais da empresa, em conjunto com os
     especialistas do Banco, a grupos de investidores potenciais. A esta apresentação
     chamamos Road Show. Este Road show pode ser complementado com net shows
     (apresentação virtual via internet) que abrange um número maior de investidores.
     A forma de garantia da colocação é negociada entre os contratantes (sócios
     originais) e a instituição contratada (Banco de Investimento). O tipo escolhido
     será baseado no risco analisado do novo projeto e da percepção da aceitação pelo
     público. Obviamente que o custo de contratação também estará ligado à forma de
     subscrição negociada (Garantia Firme, melhores esforços ou residual).


Mercado Secundário
Concluída a emissão primária, caso ainda haja interessados em adquirir estas ações, eles
não poderão mais recorrer à empresa diretamente, mas ainda têm chances de comprá-las
no mercado secundário, via Bolsas de Valores (caso as ações sejam registradas em
Bolsa) ou no mercado de balcão. Na verdade, o mercado secundário inclui todas as
operações de compra e venda de ações realizadas fora da empresa. Esta operação pode
ser feita por qualquer investidor, pequeno, médio ou grande, por intermédio de uma
corretora de títulos e valores imobiliários ou bancos que funcionam como
intermediários destas corretoras.
Estas transações são facilmente operacionalizadas via telefone ou sites na internet,
bastando apenas o preenchimento de um cadastro e autorização para operações. O
mecanismo mais comum de operação é o home broker, que consiste de uma página na
internet onde o investidor envia ordens de compra ou de venda, acompanha as
negociações, verifica a posição de sua carteira e mantém custódia e demais serviços
afins.
As Bolsas de Valores mantém diariamente um sistema eletrônico de negociações de
ações no período das 10 às 17 horas (pregão regular) e mais uma extensão noturna das
17:30h às 19 horas, chamada Aftermarket (estes horários geralmente variam por ocasião
de horários de verão).


Operações com ADRs
O governo com o intuito de incentivar o mercado de ações autorizou as empresas a
lançar os ADR (American Depositary Receipt) O ADR é um papel emitido e negociado
em bolsas no exterior, com lastro em ações em outros países.

Para lançar ADR a empresa deve emitir ações, depositando os papeis em um banco
local que atuará como custodiante. Com lastro nestas ações, um banco no exterior, o
depositário, emite o ADR que poderá ser negociado na bolsa deste outro pais.


Tag along
Tag Along é uma expressão utilizada no mercado para designar um mecanismo de
defesa e proteção dos acionistas minoritários de uma empresa com ações em bolsa. O
Tag Along garante aos acionistas minoritários o direito de deixarem uma sociedade,
caso o controle da companhia seja adquirido por novo investidor. O tag along obriga
que o novo investidor, comprador das ações dos controladores, faça uma oferta pública
aos acionistas minoritários, por pelo menos 80% do valor pago pelas ações dos
controladores, ações ON. Os acionistas minoritários, ON, podem ou não, aceitar a
proposta.

O tag along é previsto na legislação brasileira (Lei das S.A., Artigo 254-A) e assegura
que a venda (alienação), direta ou indireta, do controle acionário de uma empresa
(companhia) somente poderá ocorrer sob a condição de que o acionista adquirente se
obrigue a fazer oferta pública de aquisição das demais ações ordinárias, de modo a
assegurar a seus detentores o preço mínimo de 80% do valor pago pelas ações
integrantes do bloco de controle. Algumas companhias, voluntariamente, estendem o
direito de tag along também aos detentores de ações preferenciais e/ou asseguram aos
detentores de ações ordinárias um preço superior aos 80%.


Trabalho para casa
Elaborar uma redação com o tema = O Mercado de Capitais (maximo 10 paginas)

Esta redação deve ser escrita usando termos leigos e basicamente voltada para um
publico que conhece finanças nem administração. A redação deverá endereçar os
seguintes aspectos
    O que é o mercado de capitais
    Para que serve
    Quais são os principais atores
    Quem regulamenta e quem fiscaliza
    Quais são os principais produtos
    Fornecer exemplos numéricos de produtos
Aplicações – Mercado de Renda Variável
Uma ação representa uma parcela do capital de uma empresa (sociedade por ações)
As ações podem ser
    ordinários, com direito a voto
    preferenciais, com preferencial na distribuição dos lucros

O mercado de ações é dividido em dois segmentos
    Mercado Primário; ações novas emitidas pela primeira vez da empresa para o
      investidor
    Mercado Secundário; ações já anteriormente emitidas são negociadas entre
      investidores

Originalmente as bolsas de valores eram associações civis sem fins lucrativos
constituídas pelas corretoras de valores para fornecer a infra-estrutura do mercado de
ações. As resoluções 2.690 de 28/01/2000 e 2.709 de 30/03/2000, do BACEN, criaram
novas regras pelas quais as bolsas de valores poderiam deixar de ser entidades sem fins
lucrativos e se transformarem em sociedade anônima caso quisessem. Deste processo
resulta a abertura do capital das bolsas de valores e a emissão de suas ações. Com este
processo as corretoras deixaram de ser integrantes de uma associação e se tornam sócias
de uma empresa, a bolsa de valores.

Valores mobiliários são títulos tais como ações debêntures e outros.
A única bolsa de valores em operação no Brasil é a bolsa de valores de São Paulo, com
ações emitidas e negociadas no pregão.

Empresas de Capital Aberto são empresas cujas ações estão registradas em bolsas de
valores. Uma empresa de capital aberto deve fornecer uma serie de informações ao
publico e se sujeitar ao um conjunto de regras de disclosure junto aos seus acionistas,
regulamentadas pela instruções CVM 369 de 11/06/2002 e 379 de 12/11/2002.

O preço de negociação de uma ação no pregão de uma bolsa de valores é fruto das
condições do mercado, oferta e demanda. Estas condições de mercado refletem a
economia, o setor onde opera a empresa e principalmente a própria empresa.
Normalmente o preço das ações traduz a expectativa dos agentes econômicos em
relação as perspectivas do pais, da economia, do setor e da empresa.

As tendências dos preços das ações são estudadas por duas escolas
    Escola Gráfica (ou escola Técnica)
    Escola Fundamentalista
Escola Gráfica (ou escola Técnica)
Baseia-se na analise gráfica, quer seja pelo método de barras ou pontos, tendo como
base os volumes e os preços pelos quais foram comercializadas as ações nos pregões
anteriores. Tem como premissa que o gráfico representa a soma de todos os
conhecimentos, esperanças e expectativas sobre uma determinada ação. Ele reflete
quanto o mercado esta disposto a pagar (naquele momento) por uma ação. E através de
suas técnicas indica a tendência futura.

O método grafista é muito usado para determinar o melhor momento, market timing,
para comprar ou vender ação de determinada empresa.

Escola Fundamentalista
Baseia-se nos resultados setoriais e específicos de cada empresa, dentro do contexto da
economia nacional e internacional. A escola fundamentalista é importante para, stock
picking, determinar a empresa cuja ação deve ser adquirida.

A escola fundamentalista se baseia na analise cuidadosa dos indicadores da empresa,
das analises das demonstrações financeiras, das projeções futuras de negociações,
contratos, vendas e preços.

Veremos agora com usar as formulas do modelo de Gordon e a relação P/L para
calcular os valores das ações.
                                VP = FC1 / (k - g)
Onde
VP = valor presente da ação
FC1 = Fluxo de caixa do final do ano 1
k = taxa de desconto apropriada ao risco da ação
g = taxa de crescimento dos fluxos de caixa provenientes da ação

O Pregão
É o recinto onde se reuniam (antigamente) os operadores da bolsa de valores para
executar fisicamente as ordens de compra e venda dadas pelos investidores a suas
respectivas corretoras. Era o pregão Viva Voz na BOVESPA.
A tecnologia da informática permite hoje que sejam realizados pregões totalmente
automatizados, sem interferência de operadores. Agora é o pregão eletrônico,
MEGABOLSA, na BOVESPA. Esta tecnologia permitiu em 1999 ser criado o Home
Broker, negociação via internet.

Grupos de Ações segundo a liquidez
Grupos de Alta Liquidez – Fácil de negociar pois existem freqüentes negócios
Grupos de Baixa Liquidez- Difícil de negociar pois existem raros negócios

Home Broker e After Market
Devido a Internet e as novas tecnologias da Internet, foi criado em 1999 no Brasil, os
conceitos de Home Broker e do After Market.

Home Broker
Os clientes operam eletronicamente, via Internet, através dos sites das corretoras de
valores.
After Market
Estende-se o horário do pregão eletrônico, que passa a funcionar após as 18 horas ate as
22 horas, para atender o Home Broker. Algumas regras foram estabelecidas
    Somente podem ser negociadas ações no mercado a vista e no mercado de
       opções
    As ações são negociadas pelo sistema MegaBolsa.
    O limite de ordens é $100 mil por investidor
    O preço das ordens só podem variar em até 2% em relação ao fechamento do
       pregão no horário normal da Bovespa.
    O índice da Bovespa é calculado sobre os negócios realizados no horário normal.
    Qualquer variação no índice acumula para o dia seguinte.

Caixa de Liquidação ou Câmara de Compensação
O CLEARING ou caixa de liquidação é o sistema elaborado pelas bolsas para registrar
as operações e controlar as posições, fazer os ajustes diários e liquidação física e
financeira dos negócios, ate administrar as garantias vinculadas as operações.

O Serviço de Custodia da CBLC atua como agente fiduciário, todas as ações são
mantidas na custodia sob forma escritural. Antigamente os investidores levavam para
casa um papel, que era a ação.


MERCADO A VISTA
Uma operação a vista é a compra ou venda em pregão de determinada quantidade de
ações para liquidação imediata (D+3). A liquidação física, entrega dos títulos é feita em
D+2, a liquidação financeira em D+3.

Operação Day Trade
É permitida no mercado a vista, a realização de operações de compra e venda de uma
mesma ação em um mesmo pregão, por uma mesma corretora e um mesmo investidor.

Principais tipos de ORDEM de Compra e Venda
    Ordem a Mercado
    Ordem Administrada
    Ordem Limitada
    Ordem Casada
    Ordem de Financiamento

Ordem a Mercado
Quando o investidor especifica a corretora a quantidade de ações de uma empresa que
deseja vender, SEM FIXAR o preço. A sua execução deve ser imediata na cotação que
o mercado estiver praticando na hora para aquele papel.

Ordem Administrada
Quando o investidor especifica a corretora a quantidade de ações de uma empresa que
deseja vender, SEM FIXAR o preço e deixa a critério da corretora aguardar o melhor
momento para realizar a operação.
Ordem Limitada
Quando o investidor especifica a corretora a quantidade de ações de uma empresa que
deseja vender, FIXANDO o preço. A operação somente vai ocorrer se o preço atingir o
valor fixado pelo investidor, ou preço melhor.

Ordem Casada
Quando o investidor quer mudar de posição vendendo ações de uma empresa e
comprando ações de outras empresa. A ordem somente será executada se ambas
puderem ser executadas simultaneamente.

Ordem de Financiamento
Quando o investidor especifica a corretora uma ordem de comprar de um titulo em uma
data e a venda de outro titulo de mesmo tipo em outra data.
RISCO E RETORNO.
Determinação da taxa adequada ao risco de um projeto
A taxa de retorno adequada ao risco de um ativo é determinada pelo modelo CAPM

Para determinar a taxa de retorno adequada a um ativo do mercado financeiro e de
capitais usamos o modelo CAPM (Capital Asset Pricing Model)

Modelo CAPM: Ki = RF + i (ERm - RF)
Onde:         RF = Taxa aplicação em Renda Fixa
              Beta = (β) = Risco do ativo
              Erm = Retorno do Mercado

Observação 1: (Erm – RF) é Mais ou Menos Constante
              (Erm – RF) varia entre 6% e 8%
              Você pode considerar como uma boa aproximação Erm – RF = 7%

Observação 2: Beta é uma medida relativa de risco.
              Investimento sem risco significa beta zero
              Investimentos muito arriscados tem beta 2
              A media das empresas do mercado tem risco beta 1

Exemplo: Seja o risco Beta da metalúrgica X, Beta = 1,6, Erm = 20%. Considere a taxa
RF = 12%. Qual deve ser a taxa K para retorno da metalúrgica X ?
Solução:
K = RF + Beta (Erm – RF)
K = 0,12 + 1,6 (0,20 – 0,12) = 0,2480
Resposta:      K = 24,80%



Lista 7 – Exercícios de taxa K – por CAPM
1) Você vai montar um laboratório de analises clinicas com um medico seu amigo. Vocês
já escolheram ate o nome ALFA. Você precisa calcular a taxa de retorno apropriada para
este tipo de negocio. Assuma ERm = 14% e RF = 8%. Calcule a taxa de retorno requerido
para o laboratório ALFA que tenha risco Beta igual a 0,7.
Resposta: A taxa K é 12,2%


2) Você presta serviços de consultoria. A sua empresa é a consultora SIGMA Ltda. Você
pesquisou no bloomberg e descobriu que o beta para firmas de consultoria iguais a sua
giram em torno de 1,0. Determine a taxa de retorno adequada para a empresa SIGMA.
Considere a taxa RF = 8%.
Resposta: K = 15%.
AVALIAÇÃO DE AÇÕES:

              Valor da Ação = Dividendo (1) / (Ks – g)
Demonstrativo simplificado:
Vendas (quantidade)                                        Q
Preço                                                 x    P
Faturamento                                           =    PQ
Custo Variável                                        –    CV Q
Custo Fixo                                            –    CF
Lucro antes dos juros e do imposto de renda           =    LAJIR
Juros que é a Divida x taxa de juros (Kd)             –    Juros
Lucro antes do imposto de renda                       =    LAIR
Imposto de Renda (alíquota do IR x Base tributável)    –   IR (base)
Lucro Liquido                                         =    Lucro Liquido
Reinvestimento                                        –    Reinvestimento
Dividendo Total                                       =    Dividendo
Lista 8 – Exercícios sobre Avaliação de ações:
1) Seja uma ação com dividendos projetados para o próximo período no valor de
$20,00, a taxa de crescimento dos dividendos (g) é igual a 5% por período, em regime
de perpetuidade, a taxa apropriada para desconto dos dividendos desta ação é Ks = 15%.
Qual é o preço justo desta ação? Resposta: $200,00

2) Seja uma ação com dividendos projetados para o próximo período no valor de
$20,00. Esta ação tem previsão de crescimento em seus dividendos de 5% ao ano. O
regime é perpetuidade. A taxa apropriada para desconto dos dividendos desta ação é Ks
= 15%. ao ano. Qual é o preço justo desta ação?
Resposta: $200,00
Considere que esta mesma ação não tivesse previsão de crescimento em seus
dividendos. Qual seria o preço justo desta ação nesta nova condição?
Resposta: $133,33

3) Suponha que você queira avaliar o valor das ações da Cia PELOTAS. Você acredita que
o Beta igual a 1,8 reflete de modo correto a volatilidade relativa das ações da cia Pelotas. A
taxa esperada de retorno do mercado como um todo é 14% ao ano. A taxa RF é de 4% ao
ano. Você telefona para a Cia Pelotas e lhe informam que o dividendo projetado para ser
pago no próximo período é $3,00 e a taxa histórica de crescimento dos dividendos da
Pelotas é 2% de ano para ano. Qual é o valor de cada ação da Cia. Pelotas?
Resposta: $15,00

4) Você deseja avaliar o valor de uma ação negociada na bolsa de valores.
Suponha que você quer avaliar (preço justo teórico) o valor das ações da Cia. Amarela,
firma estatal, negociadas em bolsa de valores. Assuma que o valor dos dividendos
(dividendo é o fluxo de caixa para o investidor em ações) esperados para os próximos
exercícios (próximos anos) sejam de $2,40 por ação. Assuma também que o risco Beta
para estas ações seja 1,0. O esperado retorno do mercado é 10% ao ano. A taxa RF é 4%
ao ano. Qual deve ser o valor desta ação?     Resposta: $24,00

5) Se a ação da Cia Amarela estiver sendo negociada na bolsa cotada a $26,00, você
compra ou vende?

6) Suponha agora que você ficou sabendo que a Cia Amarela (mesma firma do exercício
anterior) fechou novos contratos que permitiram que os dividendos cresçam 2% ao ano; ou
seja D1 = $2,400 D2 = 2,448 D3 = 2,497 e assim sucessivamente. Qual deve ser o valor
das ações da Cia Amarela?             Resposta; $30,00

7) Se a ação estiver sendo negociada na bolsa cotada a $26,00, você compra ou vende?

8) Suponha seja anunciado que a Cia Amarela será privatizada, este ano. Analistas
calculam que o crescimento dos dividendos poderá ser de 4% ao ano após a privatização.
Qual deve ser o valor das ações da Cia Amarela? Resposta; $40,00

9) O que você acha que vai acontecer com a cotação das ações da Cia Amarela, cotadas
ontem a $26,00, após o anuncio da privatização?
DIREITOS E PROVENTOS DE UMA AÇÃO
    Dividendos
    Juros sobre capital próprio
    Subscrição
    Bonificação
    Desdobramento ou SPLIT
    Agrupamento ou INPLIT


Dividendos
É a distribuição dos lucros ou parte dos lucros de uma empresa. Por lei no mínimo 25%
dos lucros devem ser distribuídos.

Juros sobre capital próprio
A empresa esta autorizada a remunerar o capital do acionista ate o valor da TJLP. O
valor pago como juros pode ser descontado do IR da empresa. Este valor é imputado no
total dos dividendos para efeitos da distribuição mínima de 25%.

Subscrição
Direitos aos acionistas de adquirir novas ações por aumento de capital, com preço e
prazos determinados.

Bonificação
Distribuição gratuita de novas ações aos acionistas como aumento de capital por
incorporação de reservas.

Desdobramento ou SPLIT
Distribuição gratuita de novas ações aos acionistas, pela diluição do capital com o
objetivo de dar maior liquidez aos títulos no mercado.

Agrupamento ou INPLIT
Concentração do capital em um numero menor de ações com conseqüente aumento do
valor das ações no mercado. Serve para valorizar a sua imagem no mercado.
CARTEIRAS DE AÇÕES
Ações são ativos onde investimentos de forma diversificada. Ou seja não devemos
colocar todos os OVOS na mesma cesta. Ou seja investimentos em ações são
investimentos TIPICOS de ser ter em forma de carteira diversificada.

Por esta razão precisamos usar certas técnicas para determinar o retorno esperada de
uma carteira composta por diversos títulos.

A distribuição de probabilidade da taxa de retorno r, seria então:
E(Retorno da Carteira) =       Peso na carteira (*) Esperado retorno (*)

Exemplo A) Investindo em ações SEM pagamentos de dividendos
Você vai investir $100.000,00 em uma carteira de ações composta por ações de 2
empresas. Empresa A cujas ações custam $20,00 cada uma e empresa B cujas ações
custam $15,00 cada uma. Você pretender ter 40% dos seus recursos aplicados em ações
da empresa A e o restante em ações da empresa B. A valorização anual esperada para as
ações da empresa A é de 17%. A valorização anual esperada para as ações da empresa B
é de 14%. Estas empresas não deverão pagar dividendos nos próximos anos.
Determinar o retorno esperado desta carteira após 1 ano de aplicação.

Solução
PRIMEIRO vamos ver quanto de capital vamos colocar em cada empresa.
Investimento de $100.000,00 sendo 40% em ações da empresa A, ou seja $40.000,00.
Teremos então investimentos de $60.000,00 na empresa B.

SEGUNDO vamos calcular quantas ações vamos poder comprar de cada empresa com
estes recursos.
Investindo $40.000,00 na empresa A cuja ações custam $20,00 cada uma.
Poderemos adquirir 2.000 ações da empresa A.
Investindo $60.000,00 na empresa B cuja ações custam $15,00 cada uma.
Poderemos adquirir 4.000 ações da empresa B.

TERCEIRO vamos calcular o valor esperado para as ações de cada empresa A e B, ao
final de 1 ano.
Valor atual da ação da empresa A é $20,00. Considerando uma valorização de 17% as
ações da empresa A deverão estar valendo em 1 ano $20,00 (1 + 0,17) = $23,40.
Valor atual da ação da empresa B é $15,00. Considerando uma valorização de 14% as
ações da empresa B deverão estar valendo em 1 ano $15,00 (1 + 0,14) = $17,10.

QUARTO vamos calcular quanto nossa carteira de investimentos devera estar valendo
ao final de 1 ano.
Temos 2.000 ações da empresa A que esperamos valer $23,40 cada. O investimento nas
ações da empresa A deverão estar valendo $46.800,00.
Temos 4.000 ações da empresa B que esperamos valer $17,10 cada. O investimento nas
ações da empresa B deverão estar valendo $68.400,00.
Conclusão
A carteira devera estar valendo $46.800,00 + $68.400,00 = $115,200,00

Investindo $100.000,00 e 1 ano depois obtendo $115.200,00 a taxa percentual de
retorno anual é 15,20%.

Resposta: O retorno esperado desta carteira é de 15,20% ao ano.

Solução Alternativa
Obviamente podemos resolver este problema de outra maneira.

E(Retorno da Carteira) =    Peso na carteira (*) Esperado retorno (*)
E(Rc) = 40% (17%) + 60% (14%)
E(Rc) = 0,4 x 0,17 + 0,6 x 0,14
E(Rc) = 0,1520 = 15,20 % ao ano

Resposta: O retorno esperado desta carteira é de 15,20% ao ano.
Exemplo B) Investindo em ações COM pagamentos de dividendos
Você vai investir $100.000,00 em uma carteira de ações composta por ações de 2
empresas. Empresa A cujas ações custam $20,00 cada uma e empresa B cujas ações
custam $15,00 cada uma. Você pretender ter 40% dos seus recursos aplicados em ações
da empresa A e o restante em ações da empresa B. A valorização anual esperada para as
ações da empresa A é de 17%. A valorização anual esperada para as ações da empresa B
é de 14%. A empresa A devera pagar dividendos de $1,20 por ação no final do próximo
ano. A empresa B devera pagar dividendos de $0,80 por ação no final do próximo ano.
Determinar o retorno esperado do investimento nesta carteira após 1 ano de aplicação.

Solução
PRIMEIRO vamos ver quanto de capital vamos colocar em cada empresa.
Investimento de $100.000,00 sendo 40% em ações da empresa A, ou seja $40.000,00.
Teremos então investimentos de $60.000,00 na empresa B.

SEGUNDO vamos calcular quantas ações vamos poder comprar de cada empresa com
estes recursos.
Investindo $40.000,00 na empresa A cuja ações custam $20,00 cada uma.
Poderemos adquirir 2.000 ações da empresa A.
Investindo $60.000,00 na empresa B cuja ações custam $15,00 cada uma.
Poderemos adquirir 4.000 ações da empresa B.

TERCEIRO vamos calcular o valor esperado para as ações de cada empresa A e B, ao
final de 1 ano.
Valor atual da ação da empresa A é $20,00. Considerando uma valorização de 17% as
ações da empresa A deverão estar valendo em 1 ano $20,00 (1 + 0,17) = $23,40.
Valor atual da ação da empresa B é $15,00. Considerando uma valorização de 14% as
ações da empresa B deverão estar valendo em 1 ano $15,00 (1 + 0,14) = $17,10.

QUARTO vamos calcular quanto nossa carteira de investimentos devera estar valendo
ao final de 1 ano.
Temos 2.000 ações da empresa A que esperamos valer $23,40 cada. O investimento nas
ações da empresa A deverão estar valendo $46.800,00.
Temos 4.000 ações da empresa B que esperamos valer $17,10 cada. O investimento nas
ações da empresa B deverão estar valendo $68.400,00.

QUINTO vamos calcular quanto de dividendos estaremos recebendo pela aplicação
nestas ações.
Adquirimos 2.000 ações da empresa A, que prometem pagar $1,20 de dividendo por
ação. Isto é esperamos receber um total de $2.400,00 a titulo de dividendos.
Adquirimos 4.000 ações da empresa B, que prometem pagar $0,80 de dividendo por
ação. Isto é esperamos receber um total de $3.200,00 a titulo de dividendos.

Conclusão
A carteira deverá estar valendo $46.800,00 (ações A) + $68.400,00 (ações B) +
$5.600,00 (dinheiro proveniente de pagamento de dividendos) = $120,800,00
Investindo $100.000,00 e 1 ano depois obtendo $120.800,00 a taxa percentual de
retorno anual é 20,80%.
Resposta: O retorno esperado desta carteira é de 20,80% ao ano.
Exemplo C) Investindo em ações COM pagamentos de dividendos e COM
bonificação.
Você vai investir $100.000,00 em uma carteira de ações composta por ações de 2
empresas. Empresa A cujas ações custam $20,00 cada uma e empresa B cujas ações
custam $15,00 cada uma. Você pretender ter 40% dos seus recursos aplicados em ações
da empresa A e o restante em ações da empresa B. A valorização anual esperada para as
ações da empresa A é de 17%. A valorização anual esperada para as ações da empresa B
é de 14%. A empresa A devera pagar dividendos de $1,20 por ação no final do próximo
ano. A empresa B devera pagar dividendos de $0,80 por ação no final do próximo ano.
Considere também que a empresa A realize, junto com os dividendos, uma distribuição
de ações como bonificação na proporção 1 para 5. Considere também que a empresa B
realize, junto com os dividendos, uma distribuição de ações como bonificação na
proporção 1 para 4. Determinar o retorno esperado do investimento nesta carteira após 1
ano de aplicação. (OBS as ações bonificadas ou as subscritas são sempre EX
dividendos, isto é esta ações não pagam dividendos no ano, em outras palavras é como
as suas ações após os pagamentos dos dividendos, só pagarão dividendos no próximo
exercício).

Solução
PRIMEIRO vamos ver quanto de capital vamos colocar em cada empresa.
Investimento de $100.000,00 sendo 40% em ações da empresa A, ou seja $40.000,00.
Teremos então investimentos de $60.000,00 na empresa B.

SEGUNDO vamos calcular quantas ações vamos poder comprar de cada empresa com
estes recursos.
Investindo $40.000,00 na empresa A cuja ações custam $20,00 cada uma.
Poderemos adquirir 2.000 ações da empresa A.
Investindo $60.000,00 na empresa B cuja ações custam $15,00 cada uma.
Poderemos adquirir 4.000 ações da empresa B.

TERCEIRO vamos calcular o valor esperado para as ações de cada empresa A e B, ao
final de 1 ano.
Valor atual da ação da empresa A é $20,00. Considerando uma valorização de 17% as
ações da empresa A deverão estar valendo em 1 ano $20,00 (1 + 0,17) = $23,40.
Valor atual da ação da empresa B é $15,00. Considerando uma valorização de 14% as
ações da empresa B deverão estar valendo em 1 ano $15,00 (1 + 0,14) = $17,10.

QUARTO vamos calcular quanto nossa carteira de investimentos devera estar valendo
ao final de 1 ano.
Temos 2.000 ações da empresa A que esperamos valer $23,40 cada. O investimento nas
ações da empresa A deverão estar valendo $46.800,00.
Temos 4.000 ações da empresa B que esperamos valer $17,10 cada. O investimento nas
ações da empresa B deverão estar valendo $68.400,00.
QUINTO vamos calcular quanto de dividendos estaremos recebendo pela aplicação
nestas ações.
Adquirimos 2.000 ações da empresa A, que prometem pagar $1,20 de dividendo por
ação. Isto é esperamos receber um total de $2.400,00 a titulo de dividendos.
Adquirimos 4.000 ações da empresa B, que prometem pagar $0,80 de dividendo por
ação. Isto é esperamos receber um total de $3.200,00 a titulo de dividendos.

SEXTO vamos calcular quanto esperamos ganhar com as bonificações.
Empresa A paga bonificação de 1 para 5. Adquirimos 2.000 ações vamos ganhar 400
ações. Considerando uma cotação de $23,40 por ação o valor total desta bonificação
seria $9.360,00.
Empresa B paga bonificação de 1 para 4. Adquirimos 4.000 ações vamos ganhar 1.000
ações. Considerando uma cotação de $17,10 por ação o valor total desta bonificação
seria $17.100,00.

Conclusão
A carteira deverá estar valendo $46.800,00 (ações A) + $68.400,00 (ações B) +
$5.600,00 (dinheiro proveniente de pagamento de dividendos de A e B) + $9.360,00
(bonificação A) + $17.100,00 (bonificação B) = $147,260,00

Investindo $100.000,00 e 1 ano depois obtendo $147.260,00 a taxa percentual de
retorno anual é 47,26%.

Resposta: O retorno esperado desta carteira é de 47,26% ao ano.
Exemplo D) Investindo em ações COM pagamentos de dividendos e COM
bonificação e COM subscrição.
Você vai investir $100.000,00 em uma carteira de ações composta por ações de 2
empresas. Empresa A cujas ações custam $20,00 cada uma e empresa B cujas ações
custam $15,00 cada uma. Você pretender ter 40% dos seus recursos aplicados em ações
da empresa A e o restante em ações da empresa B. A valorização anual esperada para as
ações da empresa A é de 17%. A valorização anual esperada para as ações da empresa B
é de 14%. A empresa A devera pagar dividendos de $1,20 por ação no final do próximo
ano. A empresa B devera pagar dividendos de $0,80 por ação no final do próximo ano.
Considere também que a empresa A realize, junto com os dividendos, uma distribuição
de ações como bonificação na proporção 1 para 5. Considere também que a empresa B
realize, junto com os dividendos, uma distribuição de ações como bonificação na
proporção 1 para 4. Considere que a empresa A venha a realizar, ao final de um ano,
uma subscrição de 7 ação para cada 10 ações possuídas a um custo para o investidor de
$10,00 por ação. Considere que a empresa B venha a realizar, ao final de um ano, uma
subscrição de 6 ação para cada 10 ações possuídas a um custo para o investidor de $5,00
por ação. Determinar o retorno esperado do investimento nesta carteira após 1 ano de
aplicação. (OBS as ações bonificadas ou as subscritas são sempre EX dividendos, isto é
esta ações não pagam dividendos no ano, em outras palavras é como as suas ações após
os pagamentos dos dividendos, só pagarão dividendos no próximo exercício).

Solução
PRIMEIRO vamos ver quanto de capital vamos colocar em cada empresa.
Investimento de $100.000,00 sendo 40% em ações da empresa A, ou seja $40.000,00.
Teremos então investimentos de $60.000,00 na empresa B.

SEGUNDO vamos calcular quantas ações vamos poder comprar de cada empresa com
estes recursos.
Investindo $40.000,00 na empresa A cuja ações custam $20,00 cada uma.
Poderemos adquirir 2.000 ações da empresa A.
Investindo $60.000,00 na empresa B cuja ações custam $15,00 cada uma.
Poderemos adquirir 4.000 ações da empresa B.

TERCEIRO vamos calcular o valor esperado para as ações de cada empresa A e B, ao
final de 1 ano.
Valor atual da ação da empresa A é $20,00. Considerando uma valorização de 17% as
ações da empresa A deverão estar valendo em 1 ano $20,00 (1 + 0,17) = $23,40.
Valor atual da ação da empresa B é $15,00. Considerando uma valorização de 14% as
ações da empresa B deverão estar valendo em 1 ano $15,00 (1 + 0,14) = $17,10.

QUARTO vamos calcular quanto nossa carteira de investimentos devera estar valendo
ao final de 1 ano.
Temos 2.000 ações da empresa A que esperamos valer $23,40 cada. O investimento nas
ações da empresa A deverão estar valendo $46.800,00.
Temos 4.000 ações da empresa B que esperamos valer $17,10 cada. O investimento nas
ações da empresa B deverão estar valendo $68.400,00.
QUINTO vamos calcular quanto de dividendos estaremos recebendo pela aplicação
nestas ações.
Adquirimos 2.000 ações da empresa A, que prometem pagar $1,20 de dividendo por
ação. Isto é esperamos receber um total de $2.400,00 a titulo de dividendos.
Adquirimos 4.000 ações da empresa B, que prometem pagar $0,80 de dividendo por
ação. Isto é esperamos receber um total de $3.200,00 a titulo de dividendos.

SEXTO vamos calcular quanto esperamos ganhar com as bonificações.
Empresa A paga bonificação de 1 para 5. Adquirimos 2.000 ações vamos ganhar 400
ações. Considerando uma cotação de $23,40 por ação o valor total desta bonificação
seria $9.360,00.
Empresa B paga bonificação de 1 para 4. Adquirimos 4.000 ações vamos ganhar 1.000
ações. Considerando uma cotação de $17,10 por ação o valor total desta bonificação
seria $17.100,00.

SETIMO vamos calcular quanto esperamos ganhar com a subscrição
Empresa A realizará subscrição de 7 para 10. O custo é $10,00 por ação subscrita.
Adquirimos 2.000 ações poderemos subscrever 1.400 ações. Vamos pagar $14.000,00
Considerando uma cotação de $23,40 por ação o valor total destas ações subscritas seria
$32.760,00.
Empresa B realizará subscrição de 6 para 10. O custo é $5,00 por ação subscrita.
Adquirimos 4.000 ações poderemos subscrever 2.400 ações. Vamos pagar $12.000,00
Considerando uma cotação de $17,10 por ação o valor total destas ações subscritas seria
$41.040,00.

Conclusão
A carteira deverá estar valendo $46.800,00 (ações A) + $68.400,00 (ações B) +
$5.600,00 (dinheiro proveniente de pagamento de dividendos de A e B) + $9.360,00
(bonificação A) + $17.100,00 (bonificação B) + ($32.760,00 – $14.000,00)(subscrição
A) + ($41.040,00 – $12.000,00)(subscrição B) = $195.060,00

Investindo $100.000,00 e 1 ano depois obtendo $195.060,00 a taxa percentual de
retorno anual é 95,06%.

Resposta: O retorno esperado desta carteira é de 95,06% ao ano.
Lista 9 – Exercícios de Carteiras de Ações:


1) Você vai investir $50.000,00 em uma carteira de ações.
As ações abaixo estarão em sua carteira nas respectivas proporções

               cotação           proporção $   rentabilidade esperada   dividendos
Ação           hoje              na carteira    (ao ano na cotação)     esperados no
                                                                        fim do ano
BBPN           $32,00            34%                  12%               $2,00
Petrobras PN   $25,80            23%                  18%               $2,40
Vale PN        $50,00            27%                  14%               $3,17
Usiminas PN    $42,00            16%                  13%               $1,25

Pede-se
Se a rentabilidade esperada for realmente confirmada, quanto você terá em 12 meses?




2) Você vai investir $100.000,00 em uma carteira de ações.
As ações abaixo estarão em sua carteira nas respectivas proporções

               cotação           proporção     rentabilidade esperada   dividendos
Ação           hoje              na carteira    (ao ano na cotação)     esperados no
                                                                        fim do ano
Gerdau PN               $36,00          27%           16%               $2,30
Bradesco PN             $27,80          18%           14%               $2,80
Gol PN                  $35,00          12%           12%               $0,00
Souza Cruz PN           $78,00          43%           18%               $3,25

Pede-se
Se a rentabilidade esperada for realmente confirmada, quanto você terá em 12 meses?
3) Você vai investir $10.000,00 em um grupo de ações.
As ações abaixo estarão em sua carteira nas respectivas proporções

              cotação        proporção $    rentabilidade esperada       dividendos
Ação          hoje           na carteira     (ao ano na cotação)         esperados no
                                                                         fim do ano
Bradesco      $22,00         31%                    14%                  $3,00
Taurus PN     $17,80         17%                    13%                  $1,40
Gerdau PN     $12,40         29%                    12%                  $0,00
Cirellla PN   $39,00         23%                    16%                  $1,00

Pede-se
Qual será o retorno esperado para esta carteira?
Qual será a rentabilidade esperada para 12 meses?
Quanto você terá ao final de 12 meses?




4) Você vai investir $200.000,00 em um grupo de 4 ações.
Qual devera ser o valor esperado de sua carteira ao final de 12 meses?
Qual será a rentabilidade esperada para 12 meses?
Quantas ações de cada empresa você terá em sua carteira ao final de 1 se receber as
bonificações e subscrições oferecidas.

Empresa                      Banco A        Lojas X       Sider N        Telef I
Cotação                      $32,00         $8,40         $78,50         $2,41
Peso na carteira             12%            20%           38%            30%
Valorização na cotação       5%             4%            6%             5%
Dividendos esperados         $1,20          $0,14         $3,10          $0,16
Bonificação                  2:10           3:10          2:10           3:10
Subscrição                   7:10           8:10          5:10           10:10
Custo da subscrição          $10,00         $6,00         $40,00         $2,00
Respostas Lista   9 – Exercícios de Carteiras de Ações:

Resposta 1): Caso a rentabilidade esperada for confirmada, a sua carteira vai
proporcionar uma taxa de retorno da ordem de 20,53% ao ano. Você terá $60.266,26.


Resposta 2): Caso a rentabilidade esperada for confirmada, a sua carteira vai
proporcionar uma taxa de retorno da ordem de 21,35% ao ano. Você terá $121.349,62


Resposta 3): Caso a rentabilidade esperada for confirmada, a sua carteira vai
proporcionar uma taxa de retorno da ordem de 19,864% ao ano. Você terá ao final
$11.986,40


Solução 3)
Primeiro = Vamos ver quanto deveremos investir em cada ação
Bradesco     3.100
Taurus PN    1.700
Gerdau PN 2.900
Cirellla PN 2.300

Segundo = Vamos ver quantas ações de cada poderemos comprar
Bradesco    3.100 / 22,00 = 140,91
Taurus PN   1.700 / 17,80 = 95,51
Gerdau PN 2.900 / 12,40 = 233,87
Cirellla PN 2.300 / 39,00 = 58,97

Terceiro = Vamos ver os ganhos de capital
Bradesco     3.100 * (1 + 14%) = 3.534,00
Taurus PN    1.700 * (1 + 13%) = 1.921,00
Gerdau PN 2.900 * (1 + 12%) = 3.248,00
Cirellla PN 2.300 8 (1 + 16%) = 2.668,00

Quarto = Vamos ver os ganhos de dividendos
Bradesco    3.100 / 22,00 = 140,91 * 3,00        = 422,73
Taurus PN   1.700 / 17,80 = 95,51 * 1,40         = 133,71
Gerdau PN 2.900 / 12,40 = 233,87 * 0,00          = 0,00
Cirellla PN 2.300 / 39,00 = 58,97 * 1,00         = 58,98

Quinto = Vamos ver os ganhos totais
Bradesco    3.534,00 + 422,73 = 3.956,73
Taurus PN   1.921,00 + 133,71 = 2.054,71
Gerdau PN 3.248,00 + 0,00 = 3.248,00
Cirellla PN 2.668,00 + 58,98 = 2.726,97

Total Esperado a receber = 11.986,41
Resposta 3): Caso a rentabilidade esperada for confirmada, a sua carteira vai
proporcionar uma taxa de retorno da ordem de 19,864% ao ano. Você terá ao final
$11.986,41



Resposta 4)
O valor esperado de sua carteira ao final de 12 meses será de $328.380,61
A rentabilidade esperada para 12 meses é de 64,19%
Você terá em sua carteira ao final de 1, após receber as bonificações e subscrições
oferecidas as seguintes ações.

Numero de ações              1.425          10.000         1.646          57.261
Valor esperado das ações     47.880,00      87.360,00      136.952,00     144.900
Dividendos recebidos         900,00         666,67         3.001,27       3.983,40
Total                        48.780,00      88.026,67      139.953,27     148.883,40
Criação de um Índice para medir o desempenho da Bolsa de
Valores - IBV
Suponha que em um longínquo reino, existe um mercado de capitais e uma bolsa de
valores onde os habitantes do reino podem comprar e vender ações das empresas locais.
Os habitantes deste reino vêem as cotações das ações subirem e descerem ao longo do
tempo, algumas ações sobem outras caem, as vezes a maioria das ações esta com as
cotações em queda, as vezes em alta. Uma pergunta sempre fica; ―Na media as
cotações das ações estão subindo ou caindo?‖

A resposta é .............. precisamos ter um índice que meça o desempenho das cotações
para poder saber se o mercado esta em alta ou em baixa. Vamos então construir um
índice da bolsa de valores (IBV), passo a passo, para entendermos como funciona.

Construindo um indice
Primeiro – Precisamos determinar quais são as ações mais representativas deste
mercado. Ou seja as ações que movimentam pelo menos uns 80% do volume financeiro
deste mercado. Suponha que as ações mais representativas são Plim, Plom, Plam, Plum,
e Plem.

Segundo – Vamos ver o peso ponderado do movimento financeiro de cada uma destas
ações neste mercado. Para isto precisamos determinar as cotações das ações, e quanto
em volume financeiro percentual estas ações movimentam no mercado, e então sua
propor;ao em nosso índice. Suponha que obtivemos os seguintes dados;

Ação          Cotação        % do mercado           % no Índice
Plim          R$ 3,20        30,00%                 37,50%
Plom          R$ 50,00       25,00%                 31,25%
Plam          R$ 8,00        15,00%                 18,75%
Plum          R$ 32,00       6,00%                  7,50%
Plem          R$ 12,00       4,00%                  5,00%

Terceiro – Vamos investir $1.000,00 na compra de uma carteira hipotética, constituída
destas 5 ações, com suas respectivas proporções. Quanto vamos alocar de recursos em
cada ação?

% no Indice           Em $        Numero de ações
37,50%                R$ 375,00    117,1875      ações da empresa Plim
31,25%                R$ 312,50    6,2500        ações da empresa Plom
18,75%                R$ 187,50    23,4375       ações da empresa Plam
7,50%                 R$ 75,00     2,3438        ações da empresa Plum
5,00%                 R$ 50,00     4,1667        ações da empresa Plem
100,00%               R$ 1.000,00 investidos na carteira hipotetica

Pronto – Nosso índice da bolsa de valores, IBV, esta pronto !
Vamos fazer um teste. Considere que criamos este índice no dia Zero.
Suponha que em no dia 1 a cotação das ações no mercado seja
Ação Cotação         Calculo do indice composto          Valor de mercado
     no mercado
Plim R$ 3,30         x 117,18 ações da empresa Plim      = 386,72
Plom R$ 52,00        x 6,25 ações da empresa Plom        = 325,00
Plam R$ 8,37         x 23,44 ações da empresa Plam       = 196,17
Plum R$ 32,00        x 2,34 ações da empresa Plum        = 75,00
Plem R$ 11,90        x 4,17 ações da empresa Plem        = 49,58
                                                 Total   1032,47

O nosso índice que é uma carteira hipotética, que representam 80% do movimento
financeiro deste mercado, onde foi investido R$1.000,00 agora vale R$1.032,47. Nossa
carteira (nosso índice) subiu 3,247%. Podemos dizer que a bolsa do reino esta operando
em alta de 3,247%. Nosso índice funciona !!!
Mercado de Derivativos
Tipos mais comuns de Derivativos
       a. Contratos Futuros
       b. Contratos a Termo
       c. Contratos de Opções

1) CONTRATO FUTURO:
* Padronização (diferente do contrato a Termo, que não é padronizado)
* Câmara de Compensação (garantia para ambas as partes)
* Comprador e vendedor não tem obrigações um com o outro
       Garantia de cumprimento das obrigações
       Exigência de margens
* Ajuste diários das margens (marking to market)

Contrato futuro é um compromisso de comprar ou vender determinado ativo numa
data especifica no futuro, por um preço previamente estabelecido.

Exemplo: Suponha dois investidores, um de São Paulo que deseja comprar 10 toneladas
de milho para entrega (recebimento) em julho, e outro do Paraná que deseja vender 10
toneladas de milho para entrega (envio) em julho. Ambos através de seus corretores
fecham o negocio no pregão.

O investidor que assumiu o compromisso de compra, esta "comprado" ou "longo" em
futuros. O investidor que assumiu o compromisso de venda esta "vendido" ou "curto"
em futuros. O préço acertado é chamado de preço futuro.

A história dos mercados futuros iniciou-se na idade média. Originalmente foram
desenhados para atender às necessidades de produtores (vendedores) e comerciantes
(compradores). Considere a posição de um produtor no mês de abril, que fará sua
colheita no mês de julho. Ele não tem certeza do preço de seu produto em julho.
Considere também a posição de um comerciante no mês de abril, que precise de grãos
em julho. O comerciante também não sabe qual preço devera pagar pelo produto em
julho.

Estamos assumindo que não haverá problema de disponibilidade do produto, pois em
caso de existir um numero elevado de compradores que possam provocar a escassez do
produto, a elevação nos preços permitiria a obtenção de qualquer quantidade do
produto, nem que tenha que vir de fornecedores distantes. E por raciocínio análogo se
houver excesso de vendedores (ou poucos vendedores com excesso de oferta) o preço
cairá, ate atingir novo equilíbrio entre oferta e demanda.

Neste ponto nasceu o mercado de futuros; o comerciante e o produtor podem já em abril
"fechar" suas compras e vendas com acerto do preço, garantindo para ambos a transação
desde já (neste caso abril), eliminando os riscos da variação de preços. Esta operação é
conhecida como Hedge.
A Bolsa, Chicago Board of Trade - CBOT foi criada em 1848 com o objetivo de unir
produtores e comerciantes. Quando o objeto da negociação é uma mercadoria o contrato
é um contrato futuro de mercadorias, quando o objeto é um ativo financeiro o contrato é
um contrato futuro financeiro. Com o passar do tempo outros investidores passaram a
atuar nas pontas de comprar e venda, não apenas os compradores que efetivamente
precisavam dos produtos nem apenas os fornecedores que efetivamente dispunham do
produto. No Brasil estas negociações são realizadas através da BMF, Bolsa de
Mercadorias & Futuros, em São Paulo.

Compromisso é Simétrico. Ambas as partes signatárias do contrato futuro tem que
honrar suas posições (longos e curtos). Não existem custos para se realizar um contrato
futuro, somente as margens para manter posição, e as comissões dos agentes.

VISUALIZAÇÃO GRÁFICA

Lucro de uma posição longa em futuros


              Lucro




                                                          Preço do ativo base




Lucro de uma posição curta em futuros


              Lucro




                                                          Preço do ativo base
2) CONTRATOS A TERMO
Um contrato a termo é um acordo entre o comprador e o vendedor para executar um
negocio em alguma data no futuro.

Uma transação à vista "spot" é um negocio liquidado num período máximo de dois dias;
uma transação a termo "forward" é uma negociação cuja liquidação ultrapassa este
período. O Principio: Compra agora e pague depois

Contrato a termo:
       * Vendedor conhece e confia no comprador
       * A entrega é feita ao final (no vencimento)
       * Deve-se encontrar um outro parceiro que deseje fazer a operação oposta
       com o mesmo volume e com a mesma data do vencimento
       * Difícil encerrar o contrato antes do vencimento, a menos que a outra
       parte concorde
       * Ha grande risco de credito, pois quando no vencimento, ocorrem grandes
       perdas para uma das partes, esta tende a não honrar o compromisso


A BASE A CONVERGÊNCIA
Convergência:      A propriedade que tem os preços futuro e a vista de
                   convergirem à medida que se aproxima o
                   vencimento do contrato futuro

Base:                       Diferença entre preço à vista e futuro

Custo de carregamento:      Custo de manutenção da mercadoria em estoque



MERCADO FUTURO E A TERMO

O Mercado a Termo
No mercado a termo o investidor se compromete a comprar ou vender uma certa
quantidade de ações, por um preço fixado e dentro de um prazo determinado. O prazo
típico é ate 30 dias. Porem podem haver outros prazos.


Calculo do Valor para liquidação antes do prazo.

                       VPC = VFC / (1 + i/100) n/30
Onde
VPC = valor pro rata diário do contrato
VFC = valor final contratado
i = taxa de juros efetiva mês (30 dias)
n = numero de dias a decorrer ate o vencimento
ESTRATÉGIAS DE APLICAÇÃO NO MERCADO A TERMO
a) Expectativa de ALTA de uma mercadoria ou de uma ação
No mercado a vista o investidor teria que pagar agora o valor total da aquisição.
No o mercado a termo o investidor investe hoje apenas a margem, deixando em
aplicação de renda fixa os recursos ate data do vencimento do termo.

b) Expectativa de BAIXA de uma mercadoria ou de uma ação
No mercado a vista o investidor teria que entregar agora o titulo objeto da venda.
No o mercado a termo o investidor vende hoje, a descoberto, e quando mercado cair ele
compra a ação mais barata e entrega na data do vencimento do termo.

c) Operações de Financiamento
É uma operação de arbitragem sem risco, caracterizando uma operação de renda fixa.
Ela só é possível quando as taxa de juros implícita na operação a termo (It) é MAIOR
do que a taxa de juros cobrada pala obtenção de recursos no mercado financeiro (If). O
investidor compra as ações a vista utilizando recursos de terceiros ao custo If e as vende
no mercado a termo, cobertas, e ganha o diferencial de juros It – If. Atenção para os
custos operacionais e fiscais da transação.

d) Operação Caixa
É uma operação de arbitragem sem risco, caracterizando uma operação de renda fixa.
Ela só é possível quando as taxa de juros implícita na operação a termo (It) é MENOR
do que a taxa de juros cobrada pala obtenção de recursos no mercado financeiro (If). O
investidor vende as ações a vista, fazendo entrada de caixa e as recompra no mercado a
termo para pagar em 30 dias. . Utilizando estes recursos para aplicar no mercado
financeiro a taxa If. Na data do vencimento estes recursos serão suficientes para cobrir o
valor a ser pago pela recompra das ações. Atenção para os custos operacionais e fiscais
da transação.

e) Operações de Arbitragem entre vencimentos
Quando as taxas de juros implícitas nas cotações de dois vencimentos se afastam o
investidor pode assumir posições contrárias nesses vencimentos. Compra o papel, com
taxa implícita mais baixa e vende o papel com taxa implícita mais alta.



MERCADO FUTURO DE AÇÕES OU MERCADORIAS
É um aperfeiçoamento do mercado a termo, permitindo aos participantes reverter suas
posições. É um mercado onde se negociam as ações ou mercadorias com datas de
liquidação futura. Para permitir esta negociação com liquidez no mercado os lotes são
padrão, as datas de vencimento são padronizadas e são poucas as ações autorizadas para
tal mercado. São autorizadas operações day trade. A liquidação no mercado futuro é
sempre em D+1.

VALOR DO AJUSTE DIÁRIO
Para garantir as operações no mercado futuro existe o ajuste diário. O valor do ajuste
VA, que pode ser credito ou debito, é calculado considerando a variação do preço
médio diário da ação objeto e a quantidade de posições assumidas pelo investidor.
Objetivo é não permitir uma posição perdedora muito grande.
Todos os dias os investidores que estão em posição perdedora devem depositar na conta
margem o valor da sua perda.

                           VA = (PAd – PAd-1) x Q
Onde
PAd = Preço no dia d
PAd-1 = Preço no dia menos 1 (ontem)
Q = Quantidade negociada de ações

Considere que quantidade mínima para negociação de cada contrato seja de 100
unidades do ativo base.


Lista 10 – Exercícios de Futuros:
1) Você comprou hoje um contrato futuro para comprar ações da Petrobras. Data do
vencimento dos contratos futuros é daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no
mercado é R$30,00. O valor pactuado neste contrato futuro é R$30,00 (1+i)n por cada
ação da Petrobras. Onde n = 2 meses e i é 1% ao mês (taxa RF).

Pede-se
1) O valor pactuado para este contrato futuro. OU seja o valor que será pago (ou
recebido) pela ação em 60 dias.

2) Considere que a ação da Petrobras subiu 4% no dia seguinte ao fechamento deste
contrato. Determinar o VA, valor de ajuste diário.

3) Considere que na data do vencimento o valor de mercado da ação da Petrobras seja
R$40,00. Qual será o valor do seu contrato futuro nesta data. Você perdeu ou ganhou
dinheiro com esta operação. Qual foi sua taxa de retorno?

4) Considere que na data do vencimento o valor de mercado da ação da Petrobras seja
R$22,00. Qual será o valor do seu contrato futuro nesta data. Você perdeu ou ganhou
dinheiro com esta operação. Qual foi sua taxa de retorno?


2) Você comprou hoje um contrato futuro para você vender ações da Petrobras. Data do
vencimento dos contratos futuros é daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no
mercado é R$31,50. Você fechou no contrato um valor de R$34,00 para pagar por esta
ação da Petrobras. Qual é a taxa de juros implícita neste contrato?

Pede-se
a) Qual o valor que você deve ter pago para entrar neste contrato hoje. Se no dia do
vencimento a ação estiver cotada a R$38,00, qual seria o valor do seu contrato futuro?
Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

b) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$30,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

c) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$44,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?
d) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$58,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

e) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$20,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

f) Desenhe um gráfico do valor deste contrato futuro versus a cotação da ação da
Petrobras


3) Você vendeu hoje um contrato futuro para você vender ações da Petrobras. Data do
vencimento dos contratos futuros é daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no
mercado é R$31,50. Você fechou no contrato um valor de R$34,00 para pagar por esta
ação da Petrobras. Qual é a taxa de juros implícita neste contrato?

Pede-se
a) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$38,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

b) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$30,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

c) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$44,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

d) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$58,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

e) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$20,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

f) Desenhe um gráfico do valor deste contrato futuro versus a cotação da ação da
Petrobras


4) Você comprou hoje um contrato futuro para você poder comprar ações da Petrobras.
Data do vencimento dos contratos futuros é daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no
mercado é R$31,50. Você fechou no contrato um valor de R$34,00 para pagar por esta
ação da Petrobras. Qual é a taxa de juros implícita neste contrato?

Pede-se
a) Considere que no dia seguinte a seu contrato as ações da Petrobras subiram 3,5%.
Qual será o valor do ajuste diário?

b) Considere que no dia seguinte a seu contrato as ações da Petrobras Caíram 2,5%.
Qual será o valor do ajuste diário?

c) Considere que no dia seguinte a seu contrato as ações da Petrobras mantiveram a
mesma cotação do dia anterior. Qual será o valor do ajuste diário?
5) Voce comprou há 30 dias dez contratos futuros para compra de café. Cada contrato
de café (100 sacas) foi contratado a um valor futuro de R$6.000,00. Ontem cada
contrato estava cotado a $6.120,00 hoje esta cotado a $6.150,00.

Pergunta-se
a) Qual o VA, valor do ajuste diário?
b) Qual foi o montante acumulado ate agora de margem (VA) desde que você assinou
este contrato? A taxa RF é 1% ao mês.
Mercado de Opções
3) CONTRATOS DE OPÇÕES:
São mais recentes, historicamente falando, Existem dois tipos de opção; as opções de
compra e as opções de venda.

Uma opção de Compra da ao investidor o direito, não a obrigação, de comprar um
ativo em determinada data futura, por determinado preço.
Uma opção de Venda da ao investidor o direito, não a obrigação, de vender um ativo
em determinada data futura, por determinado preço.
Preço de Exercício é o preço acertado para compra ou venda do ativo
Data de Exercício é a data futura onde expira o prazo para a opção ser exercida ou não.

Compromisso é Assimétrico. Uma das partes, o emitente da opção, tem a obrigação de
honrar sua posição, caso seja exercido, enquanto que a outra parte, o comprador da
opção, tem a opção de exercer ou não exercer a opção. Se o comprador não exercer a
opção o emitente da opção esta liberado de sua obrigação.

Existem quatro posições possíveis para um participante assumir no mercado de
opções;

a) Compradores de opções de compra          b) Vendedores de opções de compra
b) Compradores de opções de venda           d) Vendedores de opções de venda


EXEMPLO DE OPERAÇÃO COM OPÇÕES, PASSO A PASSO:
Suponha que um investidor deseje comprar ações da Telebrás que estão cotadas a
$150,00. Este investidor acredita que os preços irão subir, mas não dispõe do capital
necessário para investir nas ações da Telebrás, e não quer perder a oportunidade de
comprar Telebrás antes que suba de preço. O investidor somente terá o capital
disponível para investir em 2 meses.

Uma alternativa, é este investidor comprar uma opção de compra de ações da Telebrás,
opção esta que de a ele, investidor, o direito de comprar a ação da Telebrás por $150 em
60 dias. Obviamente para se obter este direito devera ser pago um custo, chamado preço
da opção. Desta forma em 60 dias quando tiver o capital disponível o investidor poderá
exercer o direito que a opção lhe da, e comprar a ação por $150,00, independente do
preço de mercado que esteja sendo praticado nessa data futura (daqui a 60 dias)

Estando resolvido o problema do investidor que quer comprar, como seria o problema
do investidor que emitiria uma opção? Fundamentalmente este investidor não acredita
que o preço da ação suba no período destes 2 meses. Suponha que um investidor que
possua as ações da Telebrás esteja interessado em vender apenas se o preço atingir
$160, este investidor pode emitir uma opção de venda com preço de exercício de $160 e
receber o prêmio pela venda da opção. Se a ação atingir $160 ou mais certamente será
exercido e recebera os $160 acrescidos ao prêmio que já teria recebido por ocasião da
venda da opção. Se o valor da Telebrás não atingir $160 ele não será exercido e ficara
com o prêmio da opção.
Objetos de Negociação:       Opções sobre ações
                             Opções de Moedas
                             Opções de Índices
                             Opções sobre Futuros

Especificação das opções sobre ações:       Data de vencimento
                                            Preço de exercício

Uma opção, como o próprio nome diz é uma opção ou seja um direito, não uma
obrigação.

Uma opção de COMPRA (em inglês CALL OPTION) é um contrato que dá ao detentor
(titular, investidor) desta opção o direito de comprar uma certa quantidade de ações, a
um preço pré fixado ate uma determinada data. O vendedor (também chamado de
lançador) de uma opção de compra tem a obrigação de vender a ação caso o comprador
desta opção decida exercer seu direito de comprar.

Uma opção de VENDA (em inglês PUT OPTION) é um contrato que dá ao detentor
(titular, investidor) desta opção o direito de vender uma certa quantidade de ações, a um
preço pré fixado ate uma determinada data. O vendedor (também chamado de lançador)
de uma opção de venda tem a obrigação de comprar a ação caso o comprador desta
opção decida exercer seu direito de vender.

É uma relação de responsabilidade ASSIMÉTRICA. Por esta razão o vendedor
(também chamado de lançador) da opção cobra um premio para assinar tal contrato.
Se a opção não for exercida, o titular perde o direito de exercício e perde o premio pago
ao lançador.

Existem dois tipos de opções
Tipo AMERICANO = Imediatamente após o investidor comprar a opção pode exercê-
la, caso deseje, a qualquer momento ate a data do vencimento.

Tipo EUROPÉIA = O investidor titular, detentor da opção, somente poderá exercer o
direito que a opção lhe confere na data do vencimento. Nem antes e nem depois.

A Bolsa organiza e disciplina o mercado com a finalidade de dar liquidez ao mercado.
A Bolsa define as series de opções. Cada serie se caracteriza por corresponder a ações
de uma mesma empresa, com mesma data de vencimento e mesmo preço para exercício,
previamente fixado.

Exemplo
Empresa               Tipo           Serie         Data            Preço de
                      de ação        da opção      vencimento      Exercício
CVRD – Vale           PN             H      15/10/2010             $60,00
CVRD – Vale           PN             I      15/10/2010             $70,00
CVRD – Vale           PN             J      15/10/2010             $80,00
VISUALIZAÇÃO GRÁFICA
Na data do Vencimento (data de Exercício)

Representação Gráfica do Preço de uma opção de Compra Européia

      Lucro




                           X                Preço da Ação




Representação Gráfica do Preço de uma opção de Venda Européia


      Lucro




                       X                    Preço da Ação




Representação Gráfica do Lucro da aquisição de uma opção de Compra Européia


      Lucro




                               X            Preço da Ação
Representação Gráfica do Lucro da aquisição de uma opção de Venda Européia


      Lucro




                         X                  Preço da Ação




Representação Gráfica do Lucro do Lançamento de opção de Compra Européia


      Lucro




                                            Preço da Ação




Representação Gráfica do Lucro do Lançamento de uma opção de Venda
Européia


      Lucro




                                            Preço da Ação
Exemplo: Resultado com uma opção de compra:
Um investidor adquire uma opção de compra de 100 ações da Cia. Albatroz. Preço de
exercício $40. Preço hoje da ação $38. Preço atual da opção $5 (alguns dias antes do
vencimento). Investimento mínimo inicial é de um contrato o qual envolve 100 ações.
Assuma que o preço da ação da Cia Albatroz no vencimento (daqui a 1 semana) é $55.
Qual é o resultado da compra de um contrato na data do vencimento, desconsiderando o
valor do dinheiro no tempo?

Solução:
Custo do Investimento: 100 x 5 = 500
Preço de mercado é maior do que preço de exercício? SIM ($55 > $40). Então exerce
Valor de exercício: 100 x 40 = 4000
Se o investidor simultaneamente vender no mercado a vista obterá: $55 x 100 = 5500
Lucro na hora da venda : 5500 - 4000 = 1500
Ganho da operação: 1500 - 500 = 1000



Exercícios:

a- Resolva o exemplo acima supondo que o preço da ação da Cia Albatroz no
vencimento é de $35,00.

b- Resolva o exemplo acima supondo que o preço da ação da Cia Albatroz no
vencimento é de $40,00.

c- Resolva o exemplo acima supondo que o preço da ação da Cia Albatroz no
vencimento é de $60,00.
TERMINOLOGIA TÍPICA UTILIZADA NO MERCADO DE OPÇÕES

Posição travada
Investidor esta comprado (Call) em uma posição de exercício com valor mais baixo e
vendido a descoberto (Call) em uma com exercício mais alto.

Posição Financiada
Investidor compra a vista e vende opções das mesmas ações para ganhar uma taxa de
financiamento, caso exercido. Ou fica com o premio como um desconto no preço pago
caso não exercido.

Rolar Posição
Quando o investidor esta vendido em uma opção e compra esta mesma opção para zerar
a posição vendida e imediatamente vende o mesmo volume de opções com o mesmo
volume para outro exercício mais adiante ou para outro preço de exercício.

Virar Pó
Ocorrer quando a opção não é exercida e o investidor perde o valor do premio pago. A
opção após o vencimento sem ser exercida não vale nada.

Opção AT the money
É uma opção de compra ou venda (call ou put) cujo preço de exercício é IGUAL ao
preço a vista da opção.

Opção IN the money
É uma opção de compra cujo preço de exercício é MENOR que o preço a vista da
opção, ou uma opção de venda cujo preço de exercício é MAIOR que o preço a vista da
opção. Ou seja se o vencimento fosse hoje a opção certamente seria exercida. Dizemos
que a opção tem valor intrínseco.

Opção OUT OF the money
É uma opção de compra cujo preço de exercício é MAIOR que o preço a vista da opção,
ou uma opção de venda cujo preço de exercício é MENOR que o preço a vista da opção.
Ou seja se o vencimento fosse hoje a opção certamente viraria pó.

O Exercício da Opção
Uma opção só deve ser exercida quando este direito tem algum valor para o seu
detentor. Por exemplo; Uma opção de compra de ações da Petrobras ao preço unitário
de exercício de $30,00 por ação. Hoje no pregão da bolsa de valores o preço a vista da
ação da Petrobras esta a $36,00. Isto significa que; O portador de uma opção tem o
direito, não a obrigação, de comprar uma ação da Petrobras pagando $30,00. Posto que
o valor a vista no mercado é $36,00 é um excelente negocio, o detentor certamente vai
exercer este direito de pagar $30,00 para receber a ação da Petrobras.

Obviamente o contrario seria por exemplo; Uma opção de compra de ações da Petrobras
ao preço unitário de exercício de $30,00 por ação. Hoje no pregão da bolsa de valores o
preço a vista da ação da Petrobras esta a $26,00. Isto significa que; O portador de uma
opção tem o direito, não a obrigação, de comprar uma ação da Petrobras pagando
$30,00. Posto que o valor a vista no mercado é $26,00 o melhor negocio é esquecer
este direito e ir ao mercado a vista e comprar a ação da Petrobras mais barato.
FATORES QUE AFETAM OS PREÇOS DAS OPÇÕES:

                             Opção Européia               Opção Americana
                             Compra     Venda             Compra     Venda
Preço atual da ação                +          -                 +          -
Preço de exercício                 -          +                 -          +
Tempo para o vencimento            ?          ?                 +          +
Volatilidade preço ação            +          +                 +          +
Taxa rf                      +          -                 +          -
Dividendos esperados         -          +                 -          +



Valor do Premio da Opção – O Preço justo de uma Opção de Compra
Quando uma opção de compra (ou de venda) de uma determinada ação é lançada o
valor do seu premio é função de uma serie de variáveis.
Depende do preço a vista no mercado da ação objeto.
Depende do valor de exercício da opção
Depende da taxa de juros do mercado
Depende do prazo a decorrer ate o exercício
Depende da volatilidade do preço da ação objeto

O modelo matemático desenvolvido por Black e Scholes é utilizado para calcularmos o
premio da opção.

                    C = PV N(d1) - PE/(1+i)t N(d2)
Onde
C é o Preço do premio da opção de compra – Call, hoje no mercado
PV é o Preço a vista hoje no mercado
PE é o Preço de exercício acertado para a data do vencimento.
i é a Taxa de juros do mercado
t é o prazo a decorrer ate o vencimento
N(d1) e N(d2) são valores obtidos da tabela de probabilidades acumulada da
distribuição normal padrão.

Ganhos e Perdas
O titular comprador de uma opção de compra ou opção de venda perde no máximo o
valor investido no premio (perda limitada). No vencimento ganha a diferença entre o
preço de mercado e o preço de exercício, caso positivo (ganho não limitado) ou se não
exercer não ganha nada no vencimento.

O lançador de uma opção de compra ou de venda ganha o premio (ganho limitado) e
assume a responsabilidade de vender ou comprar a ação do detentor da opção pelo valor
previamente acertado, independente do valor de mercado (perda não limitada).
LIMITES MÁXIMOS E MÍNIMOS
Opção de compra: Não pode valer mais do que o valor da ação
                 Não pode valer menos do que        S – VP(Exercício)

Opção de Venda:    Não pode valer mais do que o preço de exercício
                   Não pode valer menos do que       VP(Exercício) – S



VISUALIZAÇÃO GRÁFICA

                                 Valor                             Valor
Valor da                         da Ação                           da Opção
Opção                            C=S                               C = (S-E)


                                 Intervalo possível
                                 para os valores
                                 da opção




                                        E                   Preço a Vista
                                                            da ação
PARA OS INTERESSADOS – MAIS DETALHES
O MODELO DE BLACK & SCHOLES

Para precificação de Call Européia

              C = S N(d1) - X e-rt N(d2)


               Ln ( S / X ) + (r + ½ 2) T
Onde d1 =
                      T

       d2 =   d1 -  T


       C      =      Preço da Call
       S      =      Preço do ativo objeto
       E      =      Preço de exercício
       r      =      Taxa de juros
             =      Volatilidade do ativo objeto
       T      =      Tempo ate o vencimento
       N( )   =      Distribuição Normal Acumulada (tabelada)

Esta equação não é de aplicação trivial em uma calculadora. Felizmente existe a
tecnologia. No mercado calcula-se o preço das opções por computadores através
de softwares comerciais específicos.
Lista 11 – Exercícios de Opções:
1) Você comprou hoje uma opção para comprar ações (call) da Petrobras. Valor do
premio pago hoje é R$2,00. Valor de exercício R$40,00. Data do vencimento das
opções daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no mercado é R$31,50.

Pede-se
a) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$38,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

b) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$40,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

c) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$43,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

d) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$30,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

e) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$48,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

f) Desenhe um gráfico do valor desta opção (call) versus a cotação da ação da Petrobras


2) Você comprou hoje uma opção para vender (put) ações da Petrobras. Valor do
premio pago hoje é R$2,00. Valor de exercício R$40,00. Data do vencimento das
opções daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no mercado é R$31,50.

Pede-se
a) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$38,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

b) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$40,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

c) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$43,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

d) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$30,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

e) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$48,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

f) Desenhe um gráfico do valor desta opção de venda (put) versus a cotação da ação da
Petrobras
Estratégias com Opções
Veremos agora uma serie de Estratégias possíveis de serem montadas com derivativos

Posse do Ativo Objeto + Venda de Call  Venda de Put (Sintética)




       Lucro




                            E                    Preço do
                                                 ativo Objeto




Venda do Ativo Objeto + Compra de Call  Compra de Put (Sintética)



       Lucro

                            E

                                                 Preço do
                                                 ativo Objeto




Posse do Ativo Objeto + Compra de Put  Compra de Call (Sintética)


       Lucro

                            E

                                                 Preço do
                                                 ativo Objeto
Venda do Ativo Objeto + Venda de Put  Venda de Call (Sintética)


      Lucro




                              E                 Preço do
                                                ativo Objeto




Spread de Alta usando Calls
Compra de uma Call com preço de exercício E1 (mais baixo) e venda de uma Call com
preço de exercício E2 (mais alto)


      Lucro




                         E1       E2            Preço do
                                                ativo Objeto




Spread de Alta usando Puts
Compra de uma Put com preço de exercício E1 (mais baixo) e venda de uma Put com
preço de exercício E2 (mais alto)

      Lucro

                    E1            E2

                                                Preço do
                                                ativo Objeto
Spread de Baixa usando Calls
Venda de Call com preço de exercício E1 e compra de Call com preço de exercício E2


       Lucro




                     E1          E2              Preço do
                                                 ativo Objeto




Spread de Baixa usando Puts
Venda de Put com preço de exercício E1 e compra de Put com preço de exercício E2



       Lucro




                     E1               E2         Preço do
                                                 ativo Objeto




Straddle
Compra de uma call e uma Put com o mesmo preço de exercício e vencimento


       Lucro




                             E                   Preço do
                                                 ativo Objeto
Strips
Compra de Call e duas Puts com o mesmo preço de exercício e vencimento

      Lucro




                            E                  Preço do
                                               ativo Objeto




Straps
Compra de duas Calls e uma Put com o mesmo preço de exercício e vencimento


      Lucro




                            E                  Preço do
                                               ativo Objeto




Spread de Alta com Call e Spread de Baixa com Put  Box 4 Pontas


      Lucro




                      E1          E2           Preço do
                                               ativo Objeto
Exemplos de Spreads
     de Alta: Com a mesma data de vencimento

                      Compra de opção de Compra (X menor)
                      Venda de opção de Compra (X maior)
                                          OBS: Investe caixa imediatamente

                      Compra de opção de Venda (X menor)
                      Venda de opção de Venda com (X maior)
                                          OBS: recebe caixa imediatamente

Exemplo:
a) Um investidor adquire por $3 uma opção de compra com preço de exercício de $30 e
vende por $1 uma opção de compra com preço de exercício de $35. O custo desta
carteira é $2.

O retorno deste spread será de $5 (lucro $3) se o preço da ação for superior a $35 e
Zero (prejuízo $2) se inferior a $30. Com o preço da ação entre $30 e $35 o lucro será
ST - 32.

b) Um investidor adquire por $1 uma opção de Venda com preço de exercício de $30 e
vende por $3 uma opção de Venda com preço de exercício de $35. O resultado desta
carteira é uma receita de $2.

O retorno deste spread será de $-5 (prejuízo $3) se o preço da ação for inferior a $30 e
Zero (lucro $2) se superior a $35. Com o preço da ação entre $30 e $35 o resultado será:
ST - 33

Preço ST = 29:        Recebo $30
                      Sou obrigado a pagar $35             prejuízo: 5 - 2 = $3
Preço ST = 30:        Sou obrigado a pagar $35             prejuízo: 5 - 2 = $3
Preço ST = 31:        Sou obrigado a pagar $35             prejuízo: 4 - 2 = $2
Preço ST = 32:        Sou obrigado a pagar $35             prejuízo: 3 - 2 = $1
Preço ST = 35:        Sou obrigado a pagar $35             Lucro: 2 - 0 = $2
Preço ST = 36:        Ninguém exerce                       Lucro: $2


       de Baixa: Com a mesma data de vencimento

                      Compra de opção de Compra (X maior)
                      Venda de opção de Compra (X menor)
                                          OBS: recebe caixa imediatamente

                      Compra de opção de Venda (X maior)
                      Venda de opção de Venda com (X menor)
                                          OBS: Investe caixa imediatamente
USANDO OPÇÕES PARA CRIAR POSIÇÃO EM RF:
Exemplo: Operação observada nos jornais de 18/11/10, com opções de Petrobras

Comprar        1 opção de Compra Petrobras (X = 80)       52,07
               1 opção de Venda Petrobras (X=180)         45,70
                                   Custo                  97,77

Pronto, caso exerçamos as duas opções teremos um resultado liquido de $100, se o
preço a vista da Petrobras ficar entre $80 e $180 na data do vencimento.

Se o preço a vista estiver abaixo de $80, compramos no mercado a ação da Petrobras,
somente exerceremos a opção de venda e recebermos mais do que os $100.

Se o preço estiver acima de $180, exerceremos somente a opção de compra e
venderemos a vista no mercado fazendo um lucro maior do que $100

Podemos também desprezar os ganhos provenientes dos casos extremos e fazer mais:

Vender         1 opção de Compra Petrobras (X = 180)      0,01
               1 opção de Venda Petrobras (X = 80)        0,01
                            Recebe                        0,02

O custo da carteira será então                            97,75

E o resultado será então $100 em qualquer cenário.
O resultado será uma aplicação de renda fixa onde a taxa obtida pode ser calculada.
A Data é 18/09. O vencimento é em 20/10/10
Período então é de 31 dias
Lista 12 – Exercícios de Estratégias com Opções:

1) Sua missão é montar uma carteira de Spread de Alta utilizando Calls do Banco do
Brasil. Considere que as opções da Petrobras disponíveis hoje são as seguintes.

       Premio         Exercício                    Premio         Exercício
Call   5,00           78,00                        1,00           88,00

Qual o valor de sua carteira se os preços a vista das ações da Petrobras estiverem entre
$70,00 e $85,00? Qual é o lucro ou prejuízo da sua operação neste intervalo? Monte um
gráfico no Excel para mostrar os valores do seu Spread versus o valor a avista das ações
neste intervalo.


2) Sua missão é montar uma carteira Straddle utilizando Call e Put do Banco Bradesco.
Considere que as opções da Bradesco disponíveis hoje são as seguintes.

       Premio         Exercício
Call   4,00           77,00
Put    2,00           77,00

Qual o valor de sua carteira se os preços a vista das ações da Bradesco estiverem entre
$70,00 e $85,00? Qual é o lucro ou prejuízo da sua operação neste intervalo? Monte um
gráfico no Excel para mostrar os valores do seu Spread versus o valor a avista das ações
neste intervalo.


3) Seu trabalho é montar uma operação Box 4 pontos utilizando ações do Banco do
Brasil PN. Considere que as opções do Banco do Brasil disponíveis hoje são as
seguintes. Faltam 35 dias para o vencimento das opções.

       Premio         Exercício                    Premio         Exercício
Call   6,40           78,00                        1,50           88,00
Put    1,50           78,00                        6,40           88,00

Qual a taxa de juros que você pode obter com esta operação?
Monte um gráfico no Excel para mostrar os valores do seu Box 4 versus o valor a avista
das ações neste intervalo.

Resposta; Taxa diária 0,05774% ao dia, ou seja 1,74674% ao mês.
4) Seu trabalho é montar uma operação Box 4 pontos utilizando ações do Banco da Vale
(antiga Vale do Rio Doce) PN. Considere que as opções do Banco do Brasil
disponíveis hoje são as seguintes. Faltam 28 dias para o vencimento das opções.

       Premio        Exercício                    Premio        Exercício
Call   5,45          34,00                        1,62          42,00
Put    1,32          34,00                        5,38          42,00

Qual a taxa de juros que você pode obter com esta operação?
Monte um gráfico no Excel para mostrar os valores do seu Box 4 versus o valor a avista
das ações neste intervalo.

Resposta; Taxa diária 0,04946% ao dia, ou seja 1,49449% ao mês.
ESTRATEGIAS COM OPÇÕES
BUTTERFLY e STRANGLES

Borboleta (Butterfly): Com a mesma data de vencimento
Envolve posições em opções com 3 preços de exercícios diferentes. Com a mesma data
de vencimento
É usado quando o investidor não crê em grandes oscilações no preço da ação. Podemos
fazer o inverso e obtermos uma carteira que promova resultados (limitados) se a
oscilação for grande. Como fazer? Venda das opções com exercícios alto e baixo e
Compra de duas opções com exercícios intermediários.


Butterfly com Call
Compra de uma Call com preço de exercício E1, venda de duas Calls com mesma data
de vencimento porem com preço de exercício E2 e compra de uma Call com preço de
exercício E3, também para o mesmo vencimento


      Lucro




                    E1       E2       E3        Preço do
                                                ativo Objeto




Butterfly com Put
Compra de uma Put com preço de exercício E1, venda de duas Puts com mesma data de
vencimento porem com preço de exercício E2 e compra de uma Put com preço de
exercício E3, também para o mesmo vencimento


      Lucro




                    E1       E2       E3        Preço do
                                                ativo Objeto
Strangles:    É semelhante ao straddle, pois o investidor prevê uma grande oscilação
de preço. Consiste de compra opção de Venda, compra opção de Compra.            Com
mesma data de vencimento, porem preços de exercício diferentes.


       Lucro




                         E1         E2             Preço do
                                                   ativo Objeto




Lista 13 – Exercícios de Estratégia Butterfly:
1) Sua missão é montar uma estratégia Butterfly com opção Call da XXX.

2) Sua missão é montar uma estratégia Butterfly com opção Put da XXX.

3) Sua missão é montar uma estratégia Strangle com opções da Cia da XXX.

Informações da Cia XXX
Valor de exercícios e respectivos prêmios das opções da XXX
       Premio Exercício       Premio Exercício    Premio Exercício
Call 5,45 34,00               3,52 38,00          1,62 42,00
Put    1,32 34,00             3,47 38,00          5,38 42,00

Qual o valor de sua carteira se os preços a vista das ações da XXX estiverem entre
$30,00 e $50,00? Qual é o lucro ou prejuízo da sua operação neste intervalo? Monte um
gráfico no Excel para mostrar os valores das suas diferentes carteiras (montadas para as
diferentes estratégias) versus o valor a avista das ações neste intervalo.
O RISCO DAS OPÇÕES
Foram desenvolvidos alguns índices que fornecem a dimensão do risco das opções


O Delta:
É a relação entre a mudança no preço da opção em relação a mudança no preço da ação
Delta = C / S


O Gama:
É a taxa de variação do Delta com relação ao preço da ação
Se o Gama for pequeno a variação do delta é vagarosa
Se o Gama for grande o Delta será altamente sensível
Gama =  Delta /  S


O Teta:
É a taxa de variação da opção ao longo do tempo (time decay)
Teta = C / t


O Vega:
É a taxa de variação da opção em relação a volatilidade da ação
Se Vega for elevado o valor da opção será sensível a pequenas mudanças na volatilidade
Vega = C/


O Rho
É a taxa de mudança no valor da opção com relação a taxa de juros.
Rho = C / r
O MODELO DE BLACK & SCHOLES

Para precificação de Call Européia


              C = S N(d1) - E e-rt N(d2)


               ln(S/E) + (r + ½ 2) T
Onde d1 =
                      T

       d2 =   d1 -  T


       C      =      Preço da call
       S      =      Preço do ativo objeto
       E      =      Preço de exercício
       r      =      Taxa de juros
             =      Volatilidade do ativo objeto
       T      =      Tempo ate o vencimento
       N( )   =      Distribuição Normal Acumulada (tabelada)

Esta equação não é de aplicação trivial em uma calculadora. Felizmente existe a
tecnologia. No mercado calcula-se o preço das opções por computadores através de
softwares comerciais específicos.
Estrutura do Termo da Taxa de Juros
Taxa de Juros implícita Futura

ESTRUTURA TEMPORAL DA TAXA DE JUROS
Quando uma instituição financeira oferece uma determinada taxa de juros para
aplicações por um período e outra taxa de juros diferente para outros períodos diferentes
podemos calcular as taxas de juros implícitas nos períodos futuros. A este conjunto de
taxas de juros chamamos Estrutura a Termo da Taxa de Juros.

Vamos exemplificar para facilitar o entendimento.

Exemplo 1
Considere que um banco apresenta uma taxa de juros de 15% ao ano pré fixados para
aplicações realizadas por um período de 1 ano. Considere também que este mesmo
banco paga uma taxa de juros maiores, 17% ao ano, para aplicações realizadas por um
período de 2 anos. Qual é a taxa de juros implícita que este banco estará pagando para o
segundo ano da aplicação?

Solução usando a maquina de calcular:
Consideremos primeiro a aplicação por 1 ano, quem investir por exemplo $100,00 a
taxa de 15% aa vai receber ao final deste primeiro ano $115,00.
Consideremos agora a aplicação por 2 anos, quem investir estes mesmos $100,00 a taxa
de 17% aa por 2 anos vai receber ao final de 2 anos $136,89.

A pergunta que queremos responder é: Qual é a taxa de juros que aplicada sobre os
$115,00 ao final do primeiro ano produz $136,89 ao final do segundo ano. Usando a
calculadora podemos facilmente verificar:
115,00        PV
- 136,89      FV
0             PMT
1             N

Teclando a tecla i obtemos: i = 19,0347 %
Resposta: A taxa de juros implícita para o segundo ano é 19,03% ao ano.

Solução usando formula:
Podemos fazer estes cálculos usando uma formula:
(1 + 0,17) (1 + 0,17) = (1 + 0,15) (1 + i)

Queremos saber qual é esta taxa i, do segundo ano, que em complementação a taxa de
15% do primeiro ano produz o mesmo resultado que a taxa de 17% aplicada anualmente
por dois anos. Calculando obtemos:
(1 + 0,17) (1 + 0,17) = (1 + 0,15) (1 + i)
(1 + 0,17)2 = (1 + 0,15) (1 + i)
1,3890 = 1,15 (1 + i)
(1 + i) = 1,3890 / 1,15 = 1,190347
i = 0,190347 = 19,0347 %
Conferindo:
Será que aplicando a uma taxa de juros de 15% durante o primeiro e a uma taxa de juros
de 19,0347% durante o segundo ano obteremos o mesmo resultado que aplicando direto
por 2 anos a uma taxa de juros de 17% ao ano pelos 2 anos?

a) Aplicando $100,00 a uma taxa de 15% aa no ano 1 e a taxa de 19,0347% aa no
segundo ano obteremos:
Aplicação do primeiro ano: Aplicando $100,00 obtemos 100 (1 + 0,15) = 115,00
Aplicação no segundo ano: Aplicando $115,00 obtemos 115 (1 + 0.190347) = 136,89

b) Aplicando $100,00 a uma taxa de 17% aa no ano 1 e a taxa de 17% aa no segundo
ano obteremos:
Aplicação do primeiro ano: Aplicando $100,00 obtemos 100 (1 + 0,17) = 117,00
Aplicação no segundo ano: Aplicando $117,00 obtemos 117 (1 + 0.17) = 136,89

Confirmado ! A taxa implícita para o segundo ano é mesmo 19,03% aa


Exemplo 2
As taxas de juros oferecidas por uma instituição no Rio de Janeiro são as seguintes,
observe que o valor dos juros anuais oferecidos depende do prazo da aplicação. Quanto
maior o prazo maior a taxa de juros.

Prazo         Taxa
1 ano         12,00 % aa
2 anos        13,50 % aa
3 anos        14,20 % aa
4 anos        14,70 % aa

A partir destes dados, qual é a taxa de juros implícita para o segundo ano?

Solução usando a calculadora:
Usando uma aplicação hipotética de, digamos, $100,00 podemos fazer os cálculos com
o auxilio de uma calculadora financeira:
Consideremos primeiro a aplicação por 1 ano, quem investir por exemplo $100,00 a
taxa de 12% aa vai receber ao final deste primeiro ano $112,00.
Consideremos agora a aplicação por 2 anos, quem investir estes mesmos $100,00 a taxa
de 13,50% aa por 2 anos vai receber ao final de 2 anos $128,8225.

A pergunta que queremos responder é: Qual é a taxa de juros que aplicada sobre os
$112,00 ao final do primeiro ano produz $128,8225 ao final do segundo ano. Usando a
calculadora podemos facilmente verificar:
112,00                 PV
- 128,8225             FV
0                      PMT
1                      N
Teclando a tecla i obtemos: i = 15,02%
Solução usando formula:
Podemos fazer estes cálculos usando uma formula:
(1 + 0,12) (1 + i ) = (1 + 0,135) (1 + 1,135)
(1 + 0,12) (1 + i ) = (1 + 0,135)2
1,12 (1 + i ) = 1,288225
(1 + i ) = 1,288225 / 1,12
1 + i = 1,1502
i = 0,1502 = 15,02%
Resposta: A taxa de juros implícita para o segundo ano é 15,02% ao ano.


Exemplo 3
As taxas de juros oferecidas por uma instituição no Rio de Janeiro são as seguintes,
observe que o valor dos juros anuais oferecidos depende do prazo da aplicação. Quanto
maior o prazo maior a taxa de juros.

Prazo          Taxa
1 ano          12,00 % aa
2 anos         13,50 % aa
3 anos         14,20 % aa
4 anos         14,70 % aa
A partir destes dados, qual é a taxa de juros implícita para o terceiro ano?

Solução usando a calculadora:
Usando uma aplicação hipotética de, digamos, $100,00 podemos fazer os cálculos com
o auxilio de uma calculadora financeira:
Consideremos primeiro a aplicação por 2 anos, quem investir por exemplo $100,00 a
taxa de 13,50% aa vai receber ao final do segundo ano $128,8225.
Consideremos agora a aplicação por 3 anos, quem investir estes mesmos $100,00 por 3
anos a taxa de 14,20% aa vai receber ao final de 3 anos $148,9355.

A pergunta que queremos responder é: Qual é a taxa de juros que aplicada sobre os
$128,8225 ao final do segundo ano produz $148,9355 ao final do terceiro ano. Usando
a calculadora podemos facilmente verificar:
128,8225               PV
- 148,9355             FV
0                      PMT
1                      N
Teclando a tecla i obtemos: i = 15,61%

Solução usando formula:
Podemos fazer estes cálculos usando uma formula:
(1 + 0,135) (1 + 0,135) (1 + i ) = (1 + 0,142) (1 + 0,142) (1 + 0,142)
(1 + 0,135)2 (1 + i ) = (1 + 0,142)3
1,288225 (1 + i ) = 1,489355
(1 + i ) = 1,489355 / 1,288225
1 + i = 1,156129
i = 0,156129 = 15,61%
Lista 14 – Estrutura do Termo da taxa de Juros
Os exercícios 1 a 4 usam os dados do Banco Japão apresentados abaixo
As taxas de juros oferecidas pelo Banco Japão são as seguintes. Observe que o valor dos
juros anuais oferecidos depende do prazo da aplicação. Quanto maior o prazo maior a
taxa de juros.

Prazo         Taxa
1 ano         11,00 % aa
2 anos        11,40 % aa
3 anos        13,00 % aa
4 anos        14,50 % aa
5 anos        14,70 % aa

1) Determine a taxa de juros implícita para o segundo ano.
2) Determine a taxa de juros implícita para o terceiro ano.
3) Determine a taxa de juros implícita para o quarto ano.
4) Determine a taxa de juros implícita para o quinto ano.


Aplicação pratica
Você estará terminando um empreendimento imobiliário em 24 meses. Você vai receber
$4.000.000,00 ao final dos 24 meses a titulo de lucro ou participação no negocio.
Pretende aplicar os recursos a serem recebidos tão logo os receba pelo prazo de 1 ano.
Você acredita que as taxas de juros para aplicações financeiras deverão cair muito nos
próximos anos. Baseado nos dados do Banco Japão. Qual a taxa de juros que você
poderia ―fechar‖ hoje para esta aplicação daqui a 2 anos? Como você estruturaria esta
operação?




RESPOSTAS
Resposta 1): A taxa de juros para o segundo ano é 11,80%
Resposta 2): A taxa de juros para o terceiro ano é 16,27%
Resposta 3): A taxa de juros implícita para o quarto ano é 19,12%
Resposta 4): A taxa de juros implícita para o quinto ano é 15,50%
TRABALHO FINAL
1) Títulos Pré Fixados Com Cupom
Um titulo é lançado hoje e custa $1.000.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros pré
fixadas de 12% ao ano, com pagamentos periódicos dos juros (com cupom), e com
prazo de vencimento de 4 anos.

O perfil de pagamentos deste titulo é .............


2) Títulos Pré Fixados Sem Cupom (valor presente dado)
Um titulo é lançado hoje e custa $100.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros pré
fixadas de 19% ao ano, sem pagamentos periódicos dos juros (sem cupom), e com prazo
de maturidade (vencimento) de 5 anos. Este titulo paga ao investidor no final do prazo
de maturidade o valor de face mais os juros acumulados do período.

O perfil de pagamentos deste titulo é ..............



3) Títulos Pré Fixados Sem Cupom (valor futuro dado)
Um titulo com valor de resgate $500.000,00 paga uma taxa de juros pré fixadas de 11%
ao ano, sem pagamentos periódicos dos juros (sem cupom), e com prazo de vencimento
de 5 anos. Colocação do titulo no mercado na data do seu lançamento é com desconto. É
deste desconto no pagamento inicial que vem o retorno do investidor.

O perfil de pagamentos deste titulo é ...............


4) Títulos Pós Fixados sem Cupom
Um titulo é lançado hoje e custa $1.000.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros de
10% ao ano, mais correção monetária pelo IGP, sem pagamentos periódicos dos juros
(sem cupom), e com prazo de maturidade (vencimento) de 4 anos. Este titulo paga ao
investidor no final do prazo de maturidade o valor de face mais os juros acumulados do
período e mais a correção monetária. Os juros e a correção monetária são capitalizados
anualmente.

Considere que a taxa de inflação medida pelo IGP foi de
Ano 1 – 5,18%
Ano 2 – 5,23%
Ano 3 – 6,29%
Ano 4 – 4,25%

O perfil de pagamentos deste titulo é .............
5) Títulos Pós Fixados com pagamento periódico de juros e CM (com Cupom)
Um titulo é lançado hoje e custa $100.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros de
12% ao ano, mais correção monetária pelo IGP, anualmente e com prazo de maturidade
(vencimento) de 3 anos. Este titulo paga ao investidor no final do prazo de maturidade
o valor de face mais os juros acumulados do período e mais a correção monetária. Os
juros e a correção monetária são capitalizados anualmente.

Considere que a taxa de inflação medida pelo IGP foi de
Ano 1 – 4,12%
Ano 2 – 5,27%
Ano 3 – 6,78%
Ano 4 – 3,18%

O perfil de pagamentos deste titulo é ..............


6) Um titulo é lançado hoje e custa $1.000.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros
pré fixadas de 8% ao ano, com pagamentos periódicos dos juros (com cupom), e com
prazo de vencimento de 4 anos. O perfil periódico de pagamentos deste titulo é.....


7) Um titulo é lançado hoje e custa $500.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros pré
fixadas de 11% ao ano, sem pagamentos periódicos dos juros (sem cupom), e com prazo
de maturidade (vencimento) de 6 anos. Este titulo paga ao investidor no final do prazo
de maturidade o valor de face mais os juros acumulados do período. O perfil periódico
de pagamentos deste titulo é.....


8) Um titulo com valor de resgate $100.000,00 paga uma taxa de juros pré fixadas de
12% ao ano, sem pagamentos periódicos dos juros (sem cupom), e com prazo de
vencimento de 5 anos. Colocação do titulo no mercado na data do seu lançamento é com
desconto. É deste desconto no pagamento inicial que vem o retorno do investidor. O
perfil periódico de pagamentos deste titulo é.....


9) Um titulo é lançado hoje e custa $1.000.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros de
14% ao ano, mais correção monetária pelo IGP, sem pagamentos periódicos dos juros
(sem cupom), e com prazo de maturidade (vencimento) de 4 anos. Este titulo paga ao
investidor no final do prazo de maturidade o valor de face mais os juros acumulados do
período e mais a correção monetária. Os juros e a correção monetária são capitalizados
anualmente.

Considere que a taxa de inflação medida pelo IGP foi de
Ano 1 – 8,14%                       Ano 2 – 5,61%
Ano 3 – 4,82%                       Ano 4 – 3,19%
O perfil periódico de pagamentos deste titulo é..............
10) Um titulo é lançado hoje e custa $10.000.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros
de 11% ao ano, mais correção monetária pelo IGP, anualmente e com prazo de
maturidade (vencimento) de 5 anos. Este titulo paga ao investidor no final do prazo de
maturidade o valor de face mais os juros acumulados do período e mais a correção
monetária. Os juros e a correção monetária são capitalizados anualmente.

Considere que a taxa de inflação medida pelo IGP foi de
Ano 1 – 6,13%
Ano 2 – 5,78%
Ano 3 – 4,22%
Ano 4 – 3,82%

O perfil periódico pagamentos deste titulo é ...............

11) Um titulo é lançado hoje e custa $1.000.000,00. Este titulo paga uma taxa de juros
pré fixadas de 10% ao ano, com pagamentos periódicos dos juros (com cupom), e com
prazo de vencimento de 5 anos.

Se você ficar com o titulo ate o vencimento recebera exatamente o que foi acordado e
fixado na data de compra do titulo. Entretanto se você precisar se desfazer deste titulo
antes do vencimento poderá mais ou menos, vai depender das taxas de juros do mercado
na data da venda.

12 a) Suponha que você precisa vender o titulo em t=1. Agora o seu titulo tem um prazo
de vida ate o vencimento de 4 anos (não mais 5 anos). Considere que as taxas de juros
vigentes no mercado em t=1 para títulos com 4 anos de prazo seja 12% ao ano.

Você vai vender este titulo no mercado secundário para um outro investidor que queira
um titulo com 4 anos para o vencimento. Como seus juros são pré fixados e a taxa de
juros neste momento é 12% o valor presente deste titulo será...........

12 b) Suponha que você precisa vender o titulo em t=1. Agora o seu titulo tem um prazo
de vida ate o vencimento de 4 anos (não mais 5 anos). Considere que as taxas de juros
vigentes no mercado em t=1 para títulos com 4 anos de prazo seja 9% ao ano.

Você vai vender este titulo no mercado secundário para um outro investidor que queira
um titulo com 4 anos para o vencimento. Como seus juros são pré fixados e a taxa de
juros neste momento é 9% o valor presente deste titulo será ........

12 c) Suponha que você precisa vender o titulo em t=1. Agora o seu titulo tem um prazo
de vida ate o vencimento de 4 anos (não mais 5 anos). Considere que as taxas de juros
vigentes no mercado em t=1 para títulos com 4 anos de prazo seja 7% ao ano.

Você vai vender este titulo no mercado secundário para um outro investidor que queira
um titulo com 4 anos para o vencimento. Como seus juros são pré fixados e a taxa de
juros neste momento é 7% o valor presente deste titulo será .........
13) Seja uma ação com dividendos projetados para o próximo período no valor de
$2,00, a taxa de crescimento dos dividendos (g) é igual a 5% por período, em regime de
perpetuidade, a taxa apropriada para desconto dos dividendos desta ação é Ks = 18%.
Qual é o preço justo desta ação?


14) Suponha que você queira avaliar o valor das ações da Cia GARFAO. Você acredita
que o Beta igual a 1,2 reflete de modo correto a volatilidade relativa das ações da cia
Garfao. A taxa esperada de retorno do mercado como um todo é 12% ao ano. A taxa RF é
de 6% ao ano. Você telefona para a Cia Garfao e lhe informam que o dividendo projetado
para ser pago no próximo período é $0,40 e a taxa histórica de crescimento dos dividendos
da Pelotas é 3% de ano para ano. Qual é o valor de cada ação da Cia. Garfao ?



15) Você vai investir $1.000.000,00 em uma carteira de ações.
As ações abaixo estarão em sua carteira nas respectivas proporções

              cotação        proporção      rentabilidade esperada         dividendos
Ação          hoje           na carteira     (ao ano na cotação)           esperados no
                                                                           fim do ano
Apple        $36,00          27%                    18%                    $2,00
Bank America $23,80          41%                    16%                    $2,40
Microsoft    $41,00          23%                    15%                    $1,17
Coca Cola    $31,00          9%                     13%                    $1,25

Pede-se
Se a rentabilidade esperada for realmente confirmada, quanto você terá em 12 meses?



16) Você vai investir $200.000,00 em uma carteira de ações.
As ações abaixo estarão em sua carteira nas respectivas proporções

              cotação        proporção      rentabilidade esperada         dividendos
Ação          hoje           na carteira     (ao ano na cotação)           esperados no
                                                                           fim do ano
Itau PN      $26,30          32%            18%                    $0,30
Bradesco PN $47,10           23%            15%                    $1,80
HSBC PN      $25,44          18%            20%                    $0,00
BB PN $48,20        27%              13%                   $3,25

Pede-se
Se a rentabilidade esperada for realmente confirmada, quanto você terá em 12 meses?
17) Você comprou hoje um contrato futuro para comprar ações da Vale. Data do
vencimento das opções daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no mercado é
R$48,50. Você fechou no contrato um valor de R$54,00 para pagar por esta ação da
Vale.

Pede-se
a) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$48,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

b) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$50,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

c) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$54,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

d) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$58,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

e) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$63,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

f) Desenhe um gráfico do valor deste contrato futuro versus a cotação da ação da Vale.



18) Você vendeu hoje um contrato futuro para você vender ações da Caemi. Data do
vencimento das opções daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no mercado é
R$11,50. Você fechou no contrato um valor de R$12,00 para pagar por esta ação da
Caemi. Qual é a taxa de juros implícita neste contrato?

Pede-se
a) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$8,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

b) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$10,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

c) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$12,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

d) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$14,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

e) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$20,00, qual seria o valor do seu
contrato futuro? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

f) Desenhe um gráfico do valor deste contrato futuro versus a cotação da ação da Caemi
19) Você comprou hoje um contrato futuro para você poder comprar ações da Petrobras.
Data do vencimento das opções daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no mercado é
R$27,50. Você fechou no contrato um valor de R$27,75 para pagar por esta ação da
Petrobras. Qual é a taxa de juros implícita neste contrato?

Pede-se
a) Considere que no dia seguinte a seu contrato as ações da Petrobras subiram 3,5%.
Qual será o valor do ajuste diário?

b) Considere que no dia seguinte a seu contrato as ações da Petrobras Caíram 2,5%.
Qual será o valor do ajuste diário?

c) Considere que no dia seguinte a seu contrato as ações da Petrobras mantiveram a
mesma cotação do dia anterior. Qual será o valor do ajuste diário?



20) Voce comprou há 30 dias dez contratos futuros para compra de café. Cada contrato
de café (100 sacas) foi contratado a um valor futuro de R$8.290,00. Ontem cada
contrato estava cotado a $8.200,00 hoje esta cotado a $8.250,00.

Pergunta-se
a) Qual o VA, valor do ajuste diário?
b) Qual foi o montante acumulado ate agora de margem (VA) desde que você assinou
este contrato?


21) Você comprou hoje uma opção para comprar ações (call) da Petrobras. Valor do
premio pago hoje é R$1,80. Valor de exercício R$42,00. Data do vencimento das
opções daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no mercado é R$36,00.

Pede-se
a) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$38,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

b) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$40,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

c) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$42,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

d) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$44,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

e) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$48,00, qual seria o valor da sua
opção de compra? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

f) Desenhe um gráfico do valor desta opção (call) versus a cotação da ação da Petrobras
22) Você comprou hoje uma opção para vender (put) ações da Petrobras. Valor do
premio pago hoje é R$1,20. Valor de exercício R$40,00. Data do vencimento das
opções daqui a 2 meses. A cotação da ação hoje no mercado é R$38,00.

Pede-se
a) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$34,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

b) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$38,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

c) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$40,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

d) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$44,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

e) Se no dia do vencimento a ação estiver cotada a R$48,00, qual seria o valor da sua
opção de venda? Quanto você ganhou ou perdeu nesta operação?

f) Desenhe um gráfico do valor desta opção de venda (put) versus a cotação da ação da
Petrobras


23) Sua missão é montar uma carteira de Spread de Alta utilizando Calls do Banco do
Brasil. Considere que as opções da Petrobras disponíveis hoje são as seguintes.

       Premio         Exercício                    Premio         Exercício
Call   5,00           78,00                        1,00           88,00

Qual o valor de sua carteira se os preços a vista das ações da Petrobras estiverem entre
$70,00 e $85,00? Qual é o lucro ou prejuízo da sua operação neste intervalo? Monte um
gráfico no Excel para mostrar os valores do seu Spread versus o valor a avista das ações
neste intervalo.


24) Sua missão é montar uma carteira Straddle utilizando Call e Put do Banco Bradesco.
Considere que as opções da Bradesco disponíveis hoje são as seguintes.

       Premio         Exercício
Call   4,00           77,00
Put    2,00           77,00

Qual o valor de sua carteira se os preços a vista das ações da Bradesco estiverem entre
$70,00 e $85,00? Qual é o lucro ou prejuízo da sua operação neste intervalo? Monte um
gráfico no Excel para mostrar os valores do seu Spread versus o valor a avista das ações
neste intervalo.
25) Seu trabalho é montar uma operação Box 4 pontos utilizando ações do Banco do
Brasil PN. Considere que as opções do Banco do Brasil disponíveis hoje são as
seguintes. Faltam 35 dias para o vencimento das opções.

       Premio        Exercício                    Premio        Exercício
Call   6,40          78,00                        1,50          88,00
Put    1,50          78,00                        6,40          88,00

Qual a taxa de juros que você pode obter com esta operação?
Monte um gráfico no Excel para mostrar os valores do seu Box 4 versus o valor a avista
das ações neste intervalo.
Resposta; Taxa diária 0,05774% ao dia, ou seja 1,74674% ao mês.


26) Seu trabalho é montar uma operação Box 4 pontos utilizando ações do Banco da
Vale (antiga Vale do Rio Doce) PN. Considere que as opções do Banco do Brasil
disponíveis hoje são as seguintes. Faltam 28 dias para o vencimento das opções.

       Premio        Exercício                    Premio        Exercício
Call   5,45          34,00                        1,62          42,00
Put    1,32          34,00                        5,38          42,00

Qual a taxa de juros que você pode obter com esta operação?
Monte um gráfico no Excel para mostrar os valores do seu Box 4 versus o valor a avista
das ações neste intervalo.
Resposta; Taxa diaria 0,04946% ao dia, ou seja 1,49449% ao mês.
Os exercícios 27 a 30 usam os dados do Banco Japão apresentados abaixo
As taxas de juros oferecidas pelo Banco Japão são as seguintes. Observe que o valor dos
juros anuais oferecidos depende do prazo da aplicação. Quanto maior o prazo maior a
taxa de juros.

Prazo         Taxa
1 ano         11,00 % aa
2 anos        11,40 % aa
3 anos        13,00 % aa
4 anos        14,50 % aa
5 anos        14,70 % aa

27) Determine a taxa de juros implícita para o segundo ano.

28) Determine a taxa de juros implícita para o terceiro ano.

29) Determine a taxa de juros implícita para o quarto ano.

30) Determine a taxa de juros implícita para o quinto ano.


Aplicação pratica
Você estará terminando um empreendimento imobiliário em 24 meses. Você vai receber
$4.000.000,00 ao final dos 24 meses a titulo de lucro ou participação no negocio.
Pretende aplicar os recursos a serem recebidos tão logo os receba pelo prazo de 1 ano.
Você acredita que as taxas de juros para aplicações financeiras deverão cair muito nos
próximos anos. Baseado nos dados do Banco Japão. Qual a taxa de juros que você
poderia ―fechar‖ hoje para esta aplicação daqui a 2 anos? Como você estruturaria esta
operação?



RESPOSTAS
Resposta 27): A taxa de juros para o segundo ano é 11,80%
Resposta 28): A taxa de juros para o terceiro ano é 16,27%
Resposta 29): A taxa de juros implícita para o quarto ano é 19,12%
Resposta 30): A taxa de juros implícita para o quinto ano é 15,50%
31) Exercício de Especulação. Você acredita que as ações da Telebras vão subir e muito
nos próximos 2 meses. O preço a vista hoje da Telebras é $130,00. O preço (prêmio) da
opção de compra com exercício de $170,00 é $13,00, cotação de hoje. Assumindo que
você dispõe de $1.300,00, você tem duas alternativas de investimento; Investir os
$1.300,00 na compra a vista da ação da Telebras ou realizar uma operação especulativa
e investir os $1.300,00 na compra de opções de compra da Telebras com exercício
previsto para $170,00. Esta operação é chamada especulativa porque você não pretende
possuir, não quer exercer, nem tem fundos para exercer e ficar com a mercadoria ( as
ações da Telebras) asseguradas pelo exercício das opções que você esta comprando.

a) Considerando que o preço a vista da Telebras na data do vencimento esteja em
$200,00. Qual o seu resultado se você tivesse optado por cada uma das alternativas,
investir os $1.300,00 na compra da ação ou na compra das opções

b) Considerando que o preço a vista da Telebras na data do vencimento esteja em
$170,00. Qual o seu resultado se você tivesse optado por cada uma das alternativas,
investir os $1.300,00 na compra da ação ou na compra das opções



32) Exercício de Operação Especulativa. Você terminou seu curso de Introdução aos
mercados Derivativos. Você acredita que o mercado esta baratíssimo. Você esta
disposta (ou disposto) a ser uma especuladora (especulador). Você dispõe de
$100.000,00 para este tipo de operação. Seu universo de alternativas é composto de
apenas duas: Mercado de ações e mercado de opções. Alem desta restrição você
somente poderá investir em dois ativos; ações da Telebras PN ou opções da Telebras
PN serie OTC-000.

Dados:
         Data: Hoje
                Preço de mercado da Telebras PN                   $135,00
                Prêmio da Opção OTC-00                            $10,00
                Valor para exercício da OTC-00                    $150,00

       Data: Vencimento
Cenário A     Preço de mercado da Telebras PN                     $135,00
Cenário B     Preço de mercado da Telebras PN                     $150,00
Cenário C     Preço de mercado da Telebras PN                     $110,00
Cenário D     Preço de mercado da Telebras PN                     $180,00

Perguntas:
a) Qual a cotação da Telebras na data do vencimento das opções que faz indiferente as
alternativas propostas acima (opções X A vista).

b) Para os cenários A ate D calcule os resultados (valor do lucro ou prejuízo) que você
obteria.
33) Exercício de Arbitragem. Assuma que não existem custos de carregamento. Você
observou que nesse exato instante, na tela de seu computador, surgem as seguintes
cotações:
Ativo W               Preço a futuro para 60 dias         240,00
Ativo W               Preço spot (A Vista)                220,00
Taxa rf       Para captação ou aplicação            24% aa.

O que você faz?
a) Conta para o colega ao seu lado
b) Conta para o agente de uma firma concorrente
c) Deixa para lá, a cotação deve estar errada
d) Deixa para lá pois não sabe o que fazer
e) Começa a sonhar com aquele BMW, enquanto realiza uma operação

Se você optou pela alternativa e), explique em detalhes, que operação é esta?
Assumindo que um BMW custe $55.000 determine todos os números envolvidos para
que você possa realizar seu desejo. Respeite o tamanho dos contratos (Assuma 100
unidades)

Qual situação no mundo real certamente ocorrera e que impossibilitara você de ganhar o
―seu‖ BMW ?


34) Exercício de Futuro de Taxas de juros. Assuma que a taxa de juros, hoje, para
aplicações ou empréstimos seja de 12% para 1 ano. Considere também que a taxa de
juros, hoje, para aplicações ou empréstimos seja de 14% para 2 anos. Como você
poderia armar uma operação para fechar a taxa de juros, hoje, para investimento
(aplicação financeira no valor de $50.000.000,00) a ser feito a partir de daqui a um ano,
por um ano. Qual é a taxa do segundo ano implícita pelas taxas atuais?

Agora suponha que seu chefe é um trapalhão e que ele se enganou. Após todos os seus
cálculos ele lhe informa que a operação desejada para daqui a um ano é tomar
emprestado os $50.000.000,00 ou seja não é aplicar. Como você deve proceder para
fechar as taxas de juros desde já?


35) Exercício de Estratégia com Opções. As opções de venda de uma ação, com preços
de exercício $30,00 e $35,00 custam $4,00 e $7,00 respectivamente. Como utilizar as
opções para montar um spread de alta e um spread de baixa? Monte uma tabela com o
lucro e o retorno de ambos.


36) Exercício de Estratégia com Opções. Três series de opções de venda de uma ação
possuem a mesma data de vencimento e preços de exercício de $55, $60 e $65. Os
preços do mercado são de $3,00, $5,00 e $8,00 respectivamente. Explique como
produzir um spread borboleta. Mostre o lucro da estratégia numa tabela. Para que
intervalo de preços da ação o spread borboleta levaria a prejuízo?
37) Exercício sobre futuro de moedas estrangeiras. Assuma que o dólar americano
pague uma taxa para aplicações rf igual a risk free rate, no valor de RF = 8% aa.
Assuma que a taxa de juros no Brasil para aplicações em rf (renda fixa) seja de rf = 24%
aa. A taxa de cambio hoje é de Real/US$ = 1,15. Qual deve ser o cambio futuro para
daqui a 4 meses, de forma a não poder haver oportunidades de arbitragem.


38) Exercício de criação de Opção Sintética. Você dispõe de algumas series de opções
de compra alem do ativo a vista negociados no mercado diariamente. Você precisa fazer
um hedging contra queda dos preços do ativo no mercado a vista, que hoje esta cotado a
$200,00. Ou seja você precisaria de ter opções de venda (put option) as quais pudesse
comprar para fazer o seu hedging, e assim garantir contra a eventual queda de preços
abaixo de $200,00. Com base nos ativos disponíveis como você criaria uma opção de
venda sintética com vencimento em Fevereiro que lhe permitisse um hedging ao preço
de $200,00? Quais os resultados numéricos de tal criação?

Ativo Disponível      Serie   Exercício     Data Vencimento
Opção de Compra       A       180           Fevereiro
Opção de Compra       B       200           Abril
Opção de Compra       C       220           Junho
Opção de Compra       D       180           Abril
Opção de Compra       E       240           Junho
Opção de Compra       F       200           Fevereiro


39) Exercício de Box 4 pontas. Monte uma operação de renda fixa, box de 4 pontas a
partir um conjunto de ativos derivativos. Assuma as seguintes cotações parta os ativos
derivativos, disponíveis abaixo:

Ativo                 Exercício     Cotação
Opção de Venda        180           $45,70
Opção de Venda         80            $0,01
Opção de Compra       180            $0,01
Opção de Compra        80           $52,07

Faltam 25 dias para o vencimento das opções, qual é a taxa efetiva obtida por essa
operação.
40) Exercício de Spread. Você acredita que o mercado vai subir? Qual operação você
montaria? Spread de alta ou spread de baixa? Considere que você vai montar sua
operação de spread usando apenas opções Call. O intervalo que você deseja cobrir com
o spread é entre $100 e $140. Como você montaria esta operação? Quais são todos os
possíveis resultados obtiveis?

Ativo derivativo      Exercício    Prêmio
Call                  90           20
Call                  100          10
Call                  110          8
Call                  120          5
Call                  130          2
Call                  140          1
Call                  150          0,8
Call                  160          0,6


41) Exercício de Teoria. Equação da paridade entre opções européias de compra e de
venda que não pagam dividendos é obtida da seguinte forma:
                                                                Valor no vencimento
Suponha Carteira A:          1 opção Call européia              max ( S – X, 0)
                             X e - r T em espécie                       X
       Valor da carteira                   max (S, X)

Suponha Carteira B:         1 opção de Venda européia           max(0, X – S)
                            1 Ação                              S
       Valor da carteira                 max (S, X)

Sendo européias não podem ser exercidas antes, tendo o mesmo valor na data do
vencimento devem valer a mesma coisa em qualquer instante anterior,
C+X e-rT=P+S

Use a paridade entre ―PUT e CALL‖ , obtida acima, para demonstrar que o custo de um
spread borboleta com opções de venda européias é idêntico ao de um spread borboleta
com opções de compra européias.


42) Exercício de Straddle. Uma opção de compra com preço de exercício de $50 custa
$6. Uma opção de venda com mesmos preço de exercício e data de vencimento custa
$4. Apresente numa tabela os lucros de um straddle. Para qual intervalo de preços da
ação o straddle resultaria em prejuízo?
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR RECOMENDADA

1. Friedman, MiltonThe Social Responsibility of Business is to Increase its Profits, The
New York Times Magazine (13-09-1970)

 2. c.f., Aquino, M.P., Nuestro Clamor por la Vida. Teología Latinoamericana desde la
Perspectiva de la Mujer (San José, Costa Rica: Departamento Ecuménico de
Investigaciones, 1992)

3. McKibben, Bill Is Corporate Do-Goodery for Real?

4. BICALHO, Aline. 2003. Responsabilidade Social das Empresas: Contribuição das
Universidades. São Paulo : Editora Peirópolis, 2003. p. 364. —. 2003. Responsabilidade
Social das Empresas:Contribuição das Universidades. São Paulo : Editora Peirópolis,
2003.

5. CARROLL, Archie B. 1999. Corporate Social Responsibility:Evolution of a
Definitional Construct. s.l. : Business & Society., 1999. pp. 268-295. Vol. XXXVIII

6. GARCIA, Joana. O negócio do social. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

								
To top