INSTITUTO PAULO FREIRE by 2gO5xO

VIEWS: 386 PAGES: 61

									2
                 INSTITUTO PAULO FREIRE




                UNIFREIRE
                    UNIVERSITAS PAULO FREIRE
                     (COMUNIDADE FREIRIANA NO MUNDO)

                         (Orgs. Jason Mafra e Moacir Gadotti)




                      Movimento Universitas Paulo Freire
                              (UNIFREIRE)
    R. Cerro Corá, 550 - 2º andar - sala 22 - CEP 05061-100 - São Paulo - SP - Brasil
                      Tel.: (11) 3021-5536 - Fax.: (11) 3021-5589
                     E-Mail: unifreire@institutopaulofreire.org.br
                              website: www.paulofreire.org
                                                                                                                          3
                                               SUMÁRIO
   APRESENTAÇÃO ..................................................................................................... 04

   1. ORIGEM E TRAJETÓRIA DO MOVIMENTO UNIVERSITAS

                PAULO FREIRE .......................................................................................... 05

   2. ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA UNIFREIRE............................. 08

       2.1.     Ações permanentes .................................................................................... 08

       2.2.     Institucionalização da UNIFREIRE ........................................................ 10

   3. A UNIFREIRE E O INSTITUTO PAULO FREIRE (IPF) .............................. 12

   4. REALIZAÇÕES DA UNIFREIRE .................................................................... 14

       4.1.     Agenda e Plano de Ação da UNIFREIRE ............................................... 15

       4.2.     A UNIFREIRE e a Universidade Popular dos Movimentos Sociais ..... 15

   5. SEDE MUNDIAL DO INSTITUTO PAULO FREIRE
           – HISTÓRICO INSTITUCIONAL .......................................................... 17

   6. A COMUNIDADE FREIRIANA MUNDIAL ..................................................... 24

       6.1.     O IPF pelo mundo ....................................................................................... 24

       6.2.     Cátedras Paulo Freire ................................................................................ 30

       6.3.     Comunidade Freiriana no Brasil ............................................................... 33

       6.4.     Comunidade Freiriana no mundo .............................................................. 44

7. ANEXO – CARTA DE BOLOGNA .......................................................................... 56
4
                                               APRESENTAÇÃO

             O rompimento progressivo das barreiras técnicas da comunicação, corolário do processo globalizador, se
por um lado cria feições opressoras, porque homogeneizante, excludente etc., por outro, remete-nos a uma dimensão
ancestral da história humana: o mundo sem fronteiras.
             Simbolicamente, essa contingência revisita o momento em que o planeta não se encontrava ainda loteado,
fragmentado em estados freqüentemente rivais, como hoje. Parafraseando a conhecida afirmação de Marx, tudo o que é
sólido (fronteira) se desmancha no espaço virtual – desterritorializando-se na rede.
             A realidade da expansão dos recursos de comunicação global, aproximando grupos, tribos, ONGs,
movimentos, redes de redes e de movimentos, ainda que limitada a uma pequena parcela do planeta, abre outras
possibilidades no processo civilizatório.
             A ampliação do diálogo intertranscultural se materializa em propostas concretas de liberdade e libertação
numa outra forma de globalização, construindo um novo sentido de planetaridade e de planetarização. Outro sujeito
individual (pessoa) e outro sujeito coletivo (movimento) emergem nesse novo contexto.
             As necessárias críticas aos paradigmas clássicos, numa ótica pós-moderna progressista, sejam no campo das
humanidades, sejam no campo das ciências da natureza, que, num dado momento provocaram tensões e incertezas sobre
as reais condições de transformações históricas, hoje, apontam para uma redescoberta da esperança e da utopia.
             Paradoxalmente ao que se convencionou chamar de crise de ideologias, pseudo-epílogo da História no final
do século XX, assistimos a uma explosão de movimentos sociais e organizações civis, nunca antes vista na história
humana.
             Encontros, fóruns, congressos, colóquios, das mais variadas áreas e segmentos sociais, marcam uma real
ocupação civil do espaço público não-governamental, em todo o planeta.
             Tendo sua primeira edição no ano de 2001, o Fórum Social Mundial tornou-se símbolo político e marco
histórico na configuração de uma outra ordem de organização da sociedade civil, funcionando como mola propulsora
dos movimentos sociais.
             No espírito desse fórum, contrapondo-se à lógica do fórum econômico neoliberal (Davos), surgiram outros
fóruns prospectivos rumo a uma nova sociedade.
             Os fóruns sociais são uma realidade nas diversas instâncias do mundo contemporâneo. Além de sua
dimensão mundial, organizam-se em níveis continental (como Fórum Social das Américas), nacional (ex. Fórum
Social Chileno), regional (como o Fórum Social do Triângulo Mineiro), municipal (Fórum Social de Boston) e até
mesmo local (como o Fórum Social Sul, da Zona Sul da cidade de São Paulo).
             Apenas em 2004, dezenas de países realizam os seus fóruns sociais. Entre eles, Argentina, Áustria, Brasil,
Chile, China, Colômbia, Congo, Cuba, Equador, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, Guiné, Índia, Mali, Nigéria,
Paquistão, Peru, Reino Unido e Venezuela. Cada qual com suas especificidades, apontam para uma afirmação comum, a
certeza de que outro mundo é possível de ser construído.
          O enfrentamento da falsa inexorabilidade da história, em situações-limite, nos faz afirmar com muita
contundência alternativas reais ao campo das humanidades. A possibilidade como categoria histórica redimensiona a
esperança e as formas de intervenções sociais. É tempo de inéditos-viáveis. Reaprendemos que tantas outras coisas são
possíveis: outra economia, outra política, outra história, outro planeta. Mas, outro mundo não é possível sem outra
educação.
          Uma nova educação requer outros paradigmas, outra escola, outra universidade. Não é factível imaginar uma
outra educação com as mesmas concepções e práticas da universidade atual, excludente, seja na produção, pelo seu
caráter burocrático-credencialista, seja na publicização dos saberes, limitados a uma elite social.
          A construção coletiva da Plataforma Mundial de Educação, redimensionando o sentido social do conhecimento
e dos saberes, não é apenas uma alternativa, mas a única possibilidade de reverter o caráter opressor da universidade, a
instância mais seletiva do afunilamento da exclusão educacional.
          A Carta da Terceira Edição do Fórum Mundial de Educação (Porto Alegre, julho de 2004) afirma o “direito
universal a uma educação emancipatória (...) pública, gratuita, de qualidade social para todos(as)”, fundando-se no
princípio de que           “é     um direito       humano      prioritário e inalienável, por toda a vida”
(http://www.portoalegre.rs.gov.br/fme/).
          É nesse contexto de transformações, de buscas, de inéditos-viáveis que surge e se organiza o Movimento
Universitas Paulo Freire (UNIFREIRE).
          Este caderno é um primeiro levantamento da caminhada do Movimento Universitas Paulo Freire
(UNIFREIRE), iniciado por ocasião do II Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire, realizado em Bolonha (Itália),
no ano de 2002. Entre outros, este documento objetiva a: a) contextualizar o Movimento Universitas Paulo Freire –
UNIFREIRE; b) apresentar um primeiro levantamento da Comunidade Freiriana no mundo; c) contribuir para o
debate sobre as estruturações e atividades internacionais dos Institutos Paulo Freire.
                                                                                                                       5
1. ORIGEM E TRAJETÓRIA DO MOVIMENTO UNIVERSITAS PAULO FREIRE
          O Movimento Universitas Paulo Freire foi lançado no II Encontro do Fórum Internacional Paulo Freire
realizado na cidade de Bolonha, em 2000. Trata-se de uma ação coletiva de educadoras/educadores que, identificados
com o pensamento libertador-progressista, fundamentalmente o freiriano, trabalham para a construção da Universidade
Paulo Freire (UNIFREIRE).
          É um movimento pela aprendizagem solidária e cooperativa, participando de uma organização nova da
sociedade baseada na solidariedade ativa (sociedades pós-capitalistas), criando redes de colaboração solidária em todos
os níveis (locais, regionais e mundiais) e buscando a construção democrática de uma alternativa pós-capitalista à
globalização excludente. Constitui-se num conjunto de compromissos e princípios assumidos por pessoas empenhadas
em realizar a utopia de uma universidade consubstanciada pelas idéias de universalidade e de pluralidade, condições
éticas para edificar a cidade do saber da nação freiriana e de todos os que com ela se identificam.
          A UNIFREIRE é uma universidade internacional para o empoderamento de pessoas e instituições, uma
cooperativa social para o conhecimento, registrada no Brasil e inspirada no legado de Paulo Freire, lutando pela justiça,
pelo amor, pela beleza, pelos/com os oprimidos, os marginalizados, os pobres, as vítimas de injustiças, de racismo e de
toda forma de exclusão etc.
          Revela-se, assim, num centro articulador, transnacional, configurado pela utilização educativa do espaço
virtual e presencial, onde a informação e o conhecimento sejam mediados pelos ideais e pela ética freiriana e, ao mesmo
tempo, norteados pelo rigor científico e pela radicalidade na democratização de sua disseminação. Todos são,
simultaneamente, educandos e educadores. Portanto, todos podem e devem aprender e ensinar, aprendendo a aprender e
aprendendo a ensinar.
          A UNIFREIRE se configura numa rede virtual em autoconstrução (autopoiesis), promotora de uma
inteligência coletiva, constituindo-se e constituída pela Nação Freiriana Planetária. É, portanto, uma comunidade
virtual desterritorializada e livre para a produção e difusão do conhecimento por meio de uma nova maneira de ler e
de transformar o mundo. Uma cidade educativa virtual que, ocupando o ciberespaço da informação, assume a Terra
como paradigma maior, isto é, o planeta como uma única comunidade: um planeta, um povo, uma comunidade.
          Nesse sentido, a UNIFREIRE é entendida como um espaço que, na era da informação, anima a construção
coletiva do conhecimento onde todos podem “dizer sua palavra” (Paulo Freire), oferecendo possibilidades concretas de
libertação. Ela ocupa um espaço público não-estatal, ou no sentido habermasiano, uma esfera pública cidadã,
conectando grupos, redes e movimentos, formando para e pela cidadania.
          Identificando-se com as concepções e princípios de Universidade Livre, seus pressupostos fundamentais
podem ser sintetizados nas seguintes idéias:
          a) informação e conhecimento são direitos humanos fundamentais, pois permitem o acesso a outros
              direitos;
          b) como direito, o acesso às informações e ao conhecimento deve ser livre e gratuito em todos os níveis e
              formas;
          c) todos podem aprender algo, todos podem ensinar algo. Nesse sentido, a palavra Obuchenia de
              Vigotsky, significando, ao mesmo tempo, “ensino e aprendizagem”, é muito apropriada para esse princípio
              da UNIFREIRE;
          d) informação e conhecimento são os únicos bens de que todos precisam e que não se perdem quando
              compartilhados; ao contrário, são válidos apenas quando socialmente democratizados.

          Paulo Freire insistia na idéia de que “primeiro a gente faz, depois dá o nome”. Por isso, mesmo antes de sua
institucionalização, a UNIFREIRE já se constituía como uma realidade em construção. Ela resulta, na verdade, de uma
caminhada que, em grande medida, representa o sonho do próprio Paulo Freire, visto que sua origem remonta à época
em que ele ainda se encontrava entre nós. A alfabetização foi o ponto de partida de Freire e, certamente, a Universidade,
em seu sentido mais dialógico possível, era o seu ponto de chegada. Isto significa, a afirmação do direito humano
universal à educação permanente e de qualidade social.
          O projeto UNIFREIRE tem origem na constituição das cátedras Paulo Freire. Segundo Jacinto Ordõnez, as
freqüentes conversas entre ele, Francisco Gutierrez e Paulo Freire, no início dos anos 90, sobretudo nos encontros
educacionais que tiveram pela América Latina, deram origem a um sonho: criar um centro de estudos, pesquisa e
docência que atendesse as demandas da educação popular e libertadora na América Latina.
          Esse centro chamar-se-ia Centro Internacional de Prospectiva em Educação e Comunicação Paulo Freire e
teria três núcleos, na Costa Rica, em Los Angeles e em São Paulo.
          Jacinto coordenaria as demandas acadêmicas em seu caráter docente (cursos de especialização e pós-
graduação), na Costa Rica; Carlos Alberto Torres, em Los Angeles, seria o responsável pela Biblioteca e Moacir
Gadotti coordenaria as Publicações do respectivo centro no núcleo de São Paulo.
          As principais lideranças intelectuais e políticas, comprometidas com as causas dos oprimidos, em todos os
setores, seriam convidadas a se envolver nesse trabalho, cujo objetivo maior consistia em fazer um diagnóstico
6
  profundo dos problemas e apresentar projetos e ações concretas de soluções às políticas governamentais da América
Latina.
          Formariam-se cátedras de estudos e trabalhos em toda América Latina. De início, as cátedras - Paulo Freire,
Herbert McLuhan, Oscar Romero e Rigoberta Menchú – dariam impulso a esse projeto.
          Em 1996, em decorrência da grande procura por parte de educadores, educadoras e instituições a respeito da
teoria freiriana, por razões objetivas – como os limites impostos pelas constantes viagens e por almejar atender um
número maior de pessoas – Paulo Freire propôs que se criassem, no Instituto Paulo Freire, Cursos de Especialização
visando a atender demandas de pessoas que, de várias partes do mundo, solicitavam sua presença formativa.
          Inspirados nos formatos das Cátedras Livres e com vistas à formação de uma Cátedra Livre Paulo Freire no
Brasil, tais cursos constituir-se-iam num programa de pesquisas e de estudos prospectivos em nível de pós-graduação
objetivando formar docentes e pesquisadores do campo pedagógico. As atividades estariam, inicialmente, sob a
Coordenação de Moacir Gadotti, Donaldo Macedo e Carlos Alberto Torres, sob a orientação geral do próprio Paulo
Freire.
          A primeira proposta estruturou-se em torno de um curso de especialização para estudantes estrangeiros sobre o
Pensamento de Paulo Freire, contando com a presença de Paulo Freire, como um dos docentes. Os alunos teriam aulas
de manhã e à tarde. No primeiro período, Paulo Freire coordenaria os debates em torno das questões levantadas pelo
grupo de estudos. No segundo, eles participariam, de grupos de trabalho e discussões com outros professores para
consolidação das teses discutidas pela manhã e para o início do processo de orientação. Essa foi a proposta de curso
apresentada por Paulo Freire e discutida pela equipe da sede central do IPF.
          Os alunos participariam também de visitas a projetos locais que se fundamentam na pedagogia freiriana e
realizariam pesquisas nos Arquivos Paulo Freire na sede do IPF-São Paulo. Seria um curso de 100 horas, que, em nível
de pós-graduação e nos moldes acadêmicos, corresponderiam a 10 créditos. O Curso teria início na segunda quinzena
do mês de maio de 1997. Infelizmente, o projeto foi abortado, visto que Paulo Freire falecera no dia 02 de maio desse
mesmo ano.
          No ano seguinte, no primeiro Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire, realizado em 30 de abril de 1998,
elaborou-se um primeiro documento-manifesto, a “Carta de São Paulo”, cujos princípios, rediscutidos e aprofundados,
tornar-se-iam idéias integrantes do compromisso ético para o surgimento do Movimento Universitas Paulo Freire.
Assim, como afirma José Eustáquio Romão, a “certidão de nascimento” da UNIFREIRE foi selada na Carta de
Bolonha, dois anos depois, no segundo Encontro do mesmo Fórum, realizado na Itália, entre 29 de abril a 1º de maio de
2000.
          Em essência, os dez compromissos da Universitas Paulo Freire contidos na Carta de Bolonha foram os
seguintes:
     1. trabalhar para criar, em cada Instituição de Ensino Superior, um núcleo da Universitas Paulo Freire
          (UNIFREIRE);
     2. voltar-se para a formulação e concretização dos princípios e dimensões da planetaridade, do processo
          civilizatório, da eticidade e da democracia;
     3. buscar, além da cibercultura e dos recursos que a eletrônica colocou à disposição da telecomunicação, outros
          procedimentos que permitam a construção do saber;
     4. tomar o saber instituído apenas como ponto de partida para o instituinte, através de processos dinâmicos de
          incorporação da sabedoria de todos os segmentos sociais, compreendendo os universos simbólicos de
          construção da existência dos oprimidos como contextos geradores dos seus próprios processos pedagógicos;
     5. ter como meta a reinvenção do espírito universitas da instituição, como estratégia para neutralizar o caráter
          corporativo;
     6. desenvolver-se na linha da Escola Superior Cidadã, portanto, inspirada no princípio de que a informação é
          um direito primário fundamental;
     7. recusar o status de verdade definitiva das afirmações e observações que se dizem “imparciais”, visto que
          quem afirma e observa sempre o faz de determinado ponto de vista;
     8. condenar toda e qualquer forma de discriminação, dominação e exclusão;
     9. observar os seguintes princípios: aprender precede a ensinar e ensinar se dilui na experiência fundante de
          aprender; não se ensinam apenas conteúdos, mas a aprender, isto é, a pensar certo; pensar certo é estar sempre
          em dúvida com as próprias certezas, a partir da observação do mundo; a curiosidade ingênua deve ser
          substituída pela curiosidade epistemológica;
     10. reconhecer todas as titulações e certificações de quem, formal ou informalmente, concluir estudos, pesquisas e
          práticas caracterizadas pelos princípios contidos nesta Carta.

       Em 17 de agosto do mesmo ano, o Conselho Internacional Diretivo do IPF e o Colegiado da Sede Mundial do
IPF, em São Paulo, indicando às deliberações do III Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire, discutiram o
Movimento e apontaram as seguintes diretrizes e encaminhamentos relativos à estrutura e funcionamento da
UNIFREIRE:
                                                                                                              7
1.   A UNIFREIRE, segundo os princípios definidos na Carta de Bologna, é, acima de tudo, um movimento. A
     sua institucionalização deverá respeitar o seu caráter de movimento;
2.   O Instituto Paulo Freire, como órgão responsável por este movimento, coordena, articula e mobiliza suas
     atividades; Para isso, o Conselho Internacional constituiu um Comitê Diretivo formado por José Eustáquio
     Romão (Coordenador - Brasil), Fausto Telleri (Itália), Azril Bacal (Suécia), Ângela Antunes (Brasil), Jason
     Mafra (Brasil) e Margarita Gómez (Argentina-Brasil); Para criar um núcleo da Universitas Paulo Freire,
     Instituições e movimentos interessados deverão enviar uma proposta de trabalho ao Comitê Diretivo da
     UNIFREIRE que poderá submetê-la à apreciação do Conselho Internacional de Assessores do IPF.
3.   A proposta de trabalho pode ser tanto de nível de pós-graduação quanto de educação continuada e deverá ter
     por base os princípios do legado de Paulo Freire, da Carta de São Paulo e da Carta de Bologna.
4.   A proposta de trabalho deverá conter: um histórico que demonstre a relação dela com os princípios da
     UNIFREIRE bem como um plano de desenvolvimento, acompanhamento, avaliação, formas e fontes de
     financiamento.
5.   Para facilitar o seu funcionamento, a UNIFREIRE será estruturada através de um campus virtual em rede, em
     permanente autoconstrução, com o objetivo de edificar a cidade educativa virtual da nação dos cidadãos que
     comungam com os ideais de Paulo Freire em qualquer parte do mundo.
6.   A Terra constitui-se o paradigma da UNIFREIRE, entendendo-a como uma única comunidade, onde os seres
     humanos dividem o mesmo território com outros seres.
8
                      2. ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA UNIFREIRE
         O caráter formativo refere-se tanto ao nível interno, destinado aos seus próprios quadros de educadores e
educadoras, como ao nível externo, visando à comunidade, em geral. A formação deve alcançar todos os níveis da
educação, da alfabetização ao ensino superior, incluindo a graduação, especialização, lato sensu, mestrado, doutorado e
pós-doutorado. Assim, é possível formar a partir da organização de uma cátedra de alfabetização de adultos camponeses
e, ao mesmo tempo, de um curso de especialização em teoria freiriana numa cátedra Paulo Freire na Universidade de
São Paulo, no Instituto Paulo Freire ou em qualquer outra instituição universitária, pertencente à Rede UNIFREIRE.
         A perspectiva é que a formação se dê em quatro dimensões: virtual, presencial e virtual-presencial e
presencialidade mediada.
     a) Formação Virtual
         Estrutura-se a partir da educação a distância, lançando mão de atualizados meios e tecnologias da
comunicação, com destaque para o campus virtual da rede mundial de computadores. Aqui se trata de, a partir de
nossas experiências e do conhecimento de propostas de outras instituições que já avançaram nessa direção, elaborar um
projeto de formação permanente pelo meio virtual. O TelEduc, desenvolvido em conjunto pelo Núcleo de Informática
Aplicada à Educação (Nied) e pelo Instituto de Computação (IC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), os
cursos virtuais do Clacso, de algumas faculdades e outras instituições educacionais exemplificam esse formato. Além de
cursos regulares, criaremos o “Círculo de Cultura Virtual”, uma lista de discussão da comunidade freiriana, cujo
objetivo é, a exemplo de vários grupos de discussões, alimentar cotidianamente o diálogo sobre a temática educacional,
no Brasil e no mundo, e sobre o legado de Paulo Freire. Uma lista de discussão é espaço de disseminação e elaboração
permanente de saberes. De um lado, uma lista pode ser um simples bate-papo, mas de outro, promovendo e ampliando
as discussões, se aproxima muito da concepção dialógica de educação, favorecendo a construção coletiva de
conhecimentos.
     b) A Formação presencial
         Embora com uma sede mundial, a formação presencial se organizará em todos os lugares onde for possível
estabelecer um núcleo de formação da UNIFREIRE. O Instituto Paulo Freire e a Casa da Cidadania Planetária são
locais já indicados para os cursos de formação presencial. A idéia é que em muitos lugares, dentro e fora do Brasil,
possa haver espaços que se configurem como núcleo de formação. No momento, os espaços privilegiados de formação
têm sido os Institutos Paulo Freire e as cátedras Paulo Freire, que cedem instalações ou se convertem em espaços de
formação da UNIFREIRE.
         Importa destacar que a rede freiriana de educadores é tecida por pessoas de muitos países, representando um
capital humano que, articulado aos propósitos da Universitas, é a grande estrutura humana do movimento.
     c) Formação virtual e presencial
         Organizada a partir dos dois recursos: o presencial e o virtual. Nesse formato, as horas de atividades seriam
distribuídas em aulas e encontros promovidos na própria UNIFREIRE e/ou em parceria com outras instituições
pertencente à rede. Os cursos seriam todos diretivos, com um currículo programado e distribuído em atividades
desenvolvidas em alguns encontros nas instituições e, em outros, por meio do ciberespaço. Além disso, propõem-se
parcerias da UNIFREIRE com outras universidades. Por esse meio, organizaríamos um curso de mestrado, orientado a
distância, com os créditos feitos no Brasil e com a defesa da dissertação feita numa universidade portuguesa, por
exemplo.
     d) Formação presencial mediada
         A presencialidade mediada consiste em aulas com características de teleconferências ministradas de uma sede
central a vários lugares, ao mesmo tempo, conectados pelo sistema de transmissão via-satélite, Internet e telefone. As
aulas podem ser ao vivo ou gravadas, utilizando-se os variados recursos multimídia. Os professores organizam e
ministram o curso a partir de um local específico. Em cada sala de aula, em diferentes lugares, há um professor
mediador que encaminhará e orientará os alunos, promovendo a interação dos mesmos.
         A formação presencial mediada, com tecnologia e metodologia apropriadas, cria a possibilidade de
deslocamento de centros eméritos de conhecimento às regiões mais periféricas. A questão central passa pelo acesso e
apropriação desse recurso tecnológico por parte de educadores/as e educandos/as de forma a promover, cada vez mais, o
diálogo intertranscultural na construção do conhecimento.

                                       2.1. AÇÕES PERMANENTES
          É missão da UNIFREIRE dar intencionalidade ao Movimento Universitas. Intencionalidade aqui é entendida
como o conjunto de meios e fins que, mediados por uma ética, por uma epistemologia e uma estética, orientam as
ações das entidades da Comunidade Freiriana no mundo. Nas palavras de Paulo Freire, isso se expressa por meio de
concepções e práticas guiadas à construção de outro mundo “menos feio, menos malvado e mais humano”. Ou, numa
leitura atual que reinventa e amplia o seu legado, trata-se da construção de uma cultura propositiva às idéias de justipaz,
sustentabilidade e de cidadania planetária.
                                                                                                                        9
          Não cabe, contudo, ao Universitas, exercer controle ideológico sobre entidades. Se a essência da proposta de
Freire é a educação como prática da liberdade, o que se deve fazer não é cercear instituições, mas explicitar cada vez
mais, na práxis do diálogo com as mesmas, a ética, a epistemologia e a estética que orientam a comunidade freiriana no
mundo.
          Contudo, é preciso cuidar para que nenhum grupo, apropriando-se do nome dessa instituição ou de outras
instituições freirianas legítimas, desvirtue o movimento ou dele tire proveito de qualquer ordem ou natureza que
venham a ferir sua ética fundadora. A UNIFREIRE, portanto, deve manter sempre olhar crítico sobre o uso de seu nome
nas atividades dos projetos e instituições a ela vinculadas e, no limite, estabelecer parâmetros para esse procedimento.
          Nesse sentido, em relação à Comunidade Freiriana, a função da UNIFREIRE é, convivendo, respeitando e
aprendendo com as diferenças, especificidades e autonomias, orientar e potencializar a intencionalidade do
Movimento Universitas Paulo Freire.
          Organizando o Movimento Universitas, a UNIFREIRE constrói a conectividade dessa comunidade, por meio
de três grandes ações permanentes e inter-relacionadas:

     a) sistematização, caracterização, mapeamento e disponibilização de informações de instituições e pessoas
         Dada a dinâmica e o crescimento da comunidade esse trabalho está sempre em construção. No momento, já
temos o registro das principais atividades do movimento, o contato das pessoas e informações gerais de seus trabalhos.
É preciso, no entanto, criar uma metodologia que nos possibilite organizar as informações de forma mais operacional e
manter uma atualização interna permanente das mesmas, bem como sua disponibilização imediata na Home page da
UNIFREIRE.
         Para tanto, entre outras coisas, é necessário que todos os projetos e movimentos do IPF, Educação de Jovens e
Adultos, Escola Cidadã, Cidadania Planetária e Universitas Paulo Freire, trabalhem de forma articulada. Esses
movimentos são as principais vias de contatos e informações da Comunidade Freiriana e, conseqüentemente, uma das
mais importantes fontes de alimentação de informações e dados da Universitas. Há, atualmente, 24 computadores
ligados aos quatro movimentos do IPF, recebendo, a todo instante, informações de instituições e pessoas de muitas
lugares. A UNIFREIRE deve otimizar esses dados por meio de categorias de informação que sejam úteis à Comunidade
e retroalimentadoras dos movimentos. Por exemplo, a criação de uma base de dados do Centro de Informações de
Educação de Jovens e Adultos. Nesse espaço, disponibilizar-se-iam a relação de todas as entidades e pessoas que
desenvolvem ações dessa natureza, sinopses, projetos e descrições de suas atividades e os seus principais contatos.

     b) articulação, organização, divulgação e/ou promoção dos encontros da Comunidade Freiriana
         Encontros e fóruns, presenciais ou não, são espaços privilegiados de articulação da comunidade.
Reaproximando pessoas e renovando o espírito de luta social, esses espaços promovem a gestação de projetos e
parcerias institucionais e de grupos. A UNIFREIRE deve articular a conectividade dessas pessoas, promovendo ou
ajudando na organização de encontros das mesmas sobretudo por meio dos fóruns educacionais e sociais. Destacamos
aqui o Fórum Paulo Freire (virtual e presencial), os encontros de educação brasileiros e internacionais (Fórum
Mundial de Educação São Paulo, Fórum Mundial de Educação Porto Alegre, Colóquio Paulo Freire de Recife, Encontro
Internacional "Presença de Paulo Freire”, em Cuba, Fórum Mundial de Porto Alegre, entre outros) e os fóruns sociais
(Fórum Social Mundial, Fórum Social Brasileiro, Fórum Social de Belo Horizonte, Fórum Social do Triângulo Mineiro,
Foro Social Triplice Frontera, La Coruña etc.).

    c)    Atendimento às demandas da Rede
          Os inúmeros contatos provenientes dos movimentos do instituto Paulo Freire produzem grande demanda de
pessoas e instituições, freqüentemente, relacionadas à teoria e práticas em educação em geral, ou mais especificamente,
da educação numa perspectiva libertadora. Essas questões são encaminhadas aos IPF e à UNIFREIRE, por meio de
cartas, e-mails, telefones, visitas à instituição e pelos contatos que os educadores do IPF estabelecem em suas atividades
de formação. Cabe à UNIFREIRE responder a tais demandas, recorrendo à sua equipe permanente, ou encaminhá-las
aos membros da comunidade para que sejam atendidas suas necessidades. Diariamente, pessoas nos procuram por
inúmeras razões, entre outras:
      solicitando permissão para o “uso do nome ou da imagem de Paulo Freire”, na organização de uma entidade ou
          de um evento ;
      desejando esclarecimento sobre alguma tese ou conceito freirianos;
      almejando nossa presença ou que enviemos algum texto para inauguração de alguma entidade Paulo Freire ou
          ação pedagógica;
      solicitando pareceres sobre textos relativos à educação (livros, dissertações, teses, projetos de pesquisas);
      apresentando moção de apoio a alguma causa, ou, repúdio a variadas questões;
      convidando-nos à parcerias de formação ou para que nos envolvamos em algum movimento ou ação cultural;
      requisitando visitas de grupos às nossas instituições;
      pedindo orientações sobre os procedimentos necessários à organização de uma entidade freiriana (cátedra,
          núcleo de estudo, IPF etc.);
10
               desejando fazer cursos em nossa instituição;
            requisitando entrevistas com pessoas do Instituto Paulo Freire;
            pretendendo conhecer os projetos desenvolvidos por nossas instituições;
            oferecendo trabalho voluntário à instituição;
            desejando realizar pesquisa acadêmica no IPF ou em outras entidades Paulo Freire.

          Existem ainda muitas outras demandas do Movimento. A maneira pela qual são atendidas é determinante na
legitimação da ética institucional. Cabe ressaltar que o atendimento a todas essas solicitações não são atividades de
caráter meramente formal ou tarefístico, mas, essencialmente, formativo, educacional. Daí o cuidado em, encaminhando
tais atividades, ter sempre a clareza de que são momentos político-pedagógicos que, por convicção e compromisso ético
e institucional, exigem de nós posturas e práticas de educadores, permanentemente, comprometidos com a educação
libertadora.

                             2.2. INSTITUCIONALIZAÇÃO DA UNIFREIRE
          Comentando os seus princípios, Francisco Gutiérrez (e-mail de 17/06/2000) afirma que a “UNIFREIRE
requer, nestes momentos, ir preparando caminhos, relacionando-se com gente audaz, aberta, sonhadora e
desinstitucionalizada. Não podemos criar um espaço de aprendizagem dentro das coordenadas existentes. Os
referenciais são nossa imaginação e nosso amor, para que Paulo Freire siga exercendo seu magistério através de todos
os que acreditam em seu ideal e sua dimensão político-pedagógica. Aliar-se às estruturas atuais é abortar uma idéia
estupenda”.
          José Eustáquio Romão sugere (e-mail 02/06/2000) que os critérios para as representações da UNIFREIRE
sejam semelhantes aos adotados às representações do IPF. Segundo Romão, “deveriam ser de até duas categorias:
Nacionais (RN) e locais (RL). As primeiras responderiam como uma espécie de coordenação das ações do IPF em um
país, as demais seriam apenas coordenações de membros do IPF em uma localidade. Resta a indagação sobre as
obrigações de cada um. Como seria sua institucionalização. Penso que deveriam ser institucionalizadas de acordo com
as leis de cada país e cópia do registro ser enviado ai IPF em São Paulo, para se ter o conhecimento do que está
acontecendo em cada representação. Tal registro seria acompanhado da programação de atividades da representação.
Penso também que deveria ser estudada uma vinculação institucional de cada representação ao IPF central, bem como
alguma forma de aprovação da programação, para que o nome de Paulo Freire e do Instituto não sejam tomados em vão
(em planos, projetos e programas que contrariem sua filosofia e política)”.
          Walter Garcia tem opinião parecida com a de Romão: “entendemos que a idéia é interessante e bem-vinda,
mesmo porque qualquer iniciativa que pretenda preservar e ampliar as propostas de Freire, para nós são altamente
estimulantes. A forma jurídica deve ser a que melhor se adapta à estrutura jurídica do país e a forma de articulação
conosco, definiríamos depois de ouvir o que lhes parece mais interessante”. (e-mail em 02/06/2000).
          Gutiérrez nos chama a atenção para o fato de que o habitus – conjunto de disposições incorporadas,
estruturadas e estruturantes (Bourdieu) – do campo acadêmico, próprio das tradicionais instituições universitárias, seja
expurgado do projeto da universidade que queremos.
          Assim, entendemos que dar a UNIFREIRE um caráter institucional, não significa minar seu pressuposto
educativo-libertário, como encantadoramente nos alerta Gutierrez. O habitus institucional está muito mais em nossas
práticas do que na formalidade das instituições. Portanto, é nossa postura crítica e ética, no quefazer cotidiano, que nos
dará a certeza de não cairmos nas armadilhas da institucionalização, reproduzindo o velho modelo.
          Uma coisa é pensar e reproduzir os modelos de instituições opressoras (como certas escolas, igrejas,
universidades, redes de comunicação, estruturas militares, empresas privadas e governamentais etc.), outra é
referenciar-se em instituições de resistência, contra-hegemônicas (ONGs, partidos de esquerda, movimentos de
trabalhadores do campo, sindicatos, associações, comunidades de base etc.). Instituições que são essencialmente
libertadoras, e, nesse sentido, contra-institucionais às velhas práticas.
          Nessa perspectiva, existe grande diferença entre ser instituição para a reprodução e ser instituição para a
transformação. Na última, trata-se de engajamento necessário numa organização (na perspectiva orgânica de Gramsci)
dentro da sociedade que temos para a sociedade que queremos. Por esse meio, faremos caminhos de transformação.
          Na concepção que temos sobre o papel da UNIFREIRE, desinstitucionalizar é, sobretudo, no cotidiano de cada
instituição, criar uma cultura propriamente desinstitucionalizadora de forma que, garantindo que cada pessoa dizer a sua
palavra, todos sejam verdadeiramente educadores-educandos. Assumindo o seu papel na esfera pública cidadã, a
UNIFREIRE cumpre a sua missão de sujeito de transformação social
          Apesar de nos opormos ao credencialismo, tudo isso ainda tem grande peso enquanto capital cultural e
simbólico na sociedade. Não podemos ignorar essa cobrança ou superestimar o voluntarismo dos educadores e
educadoras. Por outro lado, é necessário repensar os modelos tradicionais de certificações meritocráticas
institucionalizadas.
          Como se sabe, o credencialismo, em muitos casos, tem sido obstáculo à expansão do conhecimento. Assim se
vê que muitas pessoas de grandes potencialidades e saberes ficam fora do “mundo do conhecimento” – entendido aqui
                                                                                                                           11
como escola formal. Isso porque não possuem as credenciais exigidas pelo estruturalismo acadêmico, seja para
aprender, seja para ensinar, ou, numa linguagem que desmembra o ensino-aprendizagem, para participar como docente
ou discente numa instituição de ensino superior.
          É quase norma do ensino superior a afirmação de que os saberes de experiências feitos, “sem a legitimação
científica”, não sejam incorporados ou aceitos como saberes legítimos pelas academias, a não ser quando chegam aos
espaços “alternativos” de conhecimento, como as universidades livres, da “terceira idade” etc.
          Por outro lado, salvo uma minoria, as pessoas que vão à universidade querem um resultado pragmático de seu
esforço de aprendizado. Para muitos, isso se dá na forma de certificados que sejam reconhecidos pelos trâmites
burocráticos e que lhe representem algum ganho profissional ou social. Além disso, no contexto contemporâneo, a não
certificação se torna mais um instrumento de opressão e de exclusão da maioria já oprimida.
          Se por um lado, a UNIFREIRE aderir à prática exclusiva e tradicional do credencialismo (quantitativa,
classificatória, meritocrática, etc.), nada terá feito para se diferenciar das demais instituições tradicionais. Se, por outro,
abrir mão desse recurso, não atenderá às expectativas de muitas pessoas que, mesmo sabendo que a qualidade do
conhecimento independe de certificações institucionais, buscam nas certificações meios de afirmação e inclusão social.
          Sem abrir mão da clareza de que o conhecimento está além dos trâmites burocráticos e sem condicionar seus
cursos aos credencialismos, a UNIFREIRE poderá operacionalizar suas atividades por esses dois meios: recorrendo à
certificação em parcerias institucionais, quando isso lhe for necessário e possível, e afirmando a sua qualidade por meio
de seus cursos que, socialmente reconhecidos, garantirão o seu reconhecimento e legitimações sociais.
12
                    3. A UNIFREIRE E O INSTITUTO PAULO FREIRE (IPF)
          Um dos encaminhamentos da Carta de Bolonha, foi o de “trabalhar para criar, em cada Instituição de Ensino
Superior, um núcleo da Universitas Paulo Freire (UNIFREIRE), voltado à formação de pesquisadores e educadores,
comprometidos com a causa dos oprimidos, de modo a constituir, organizar e consolidar uma rede de pólos de revisão
crítica do papel da Universidade no novo milênio”.
          Estando claro que os espaços serão constituídos na medida em que se organizam os núcleos da UNIFREIRE no
mundo, sobretudo por meio de cátedras, contudo, é necessário um espaço que venha a coordenar suas atividades
permanentes. Uma vez que o Instituto Paulo Freire é a entidade que dá o maior suporte material e humano à
organização, é ele o espaço naturalmente central da UNIFREIRE. É o lugar onde, além de promover formação, será o
pólo de articulação das atividades do Movimento Universitas Paulo Freire, em nível mundial.
          Em diversas ocasiões, discutiu-se a ingerência do IPF sobre instituições freirianas no Brasil e no mundo, em
razão das muitas solicitações de entidades para representá-lo em sua localidade.
          O Instituto Paulo Freire é uma instituição de grande referência do nome Paulo Freire, mas o legado de Freire
pertence a todos aqueles e aquelas que partilham de uma teoria e de uma prática educacional libertadora. Mas, há que se
ter clareza de que, embora jamais tenha reivindicado o “direito” de exclusividade e de qualquer “concessão” sobre o seu
patrono, muitos vêem o IPF como a instituição que tem “autoridade” sobre o legado de Freire ou como uma espécie de
sede mundial que coordena as instituições freirianas. O IPF está distante dessas pretensões e tem consciência de que sua
causa maior é a luta a partir dos oprimidos e com eles. Apenas assim, estará honrando a memória, a história e os ideais
de seu fundador.
          Porém, o fato de tantas pessoas recorrerem ao Instituto solicitando “autorização” para abrir uma instituição
com o nome de Freire mostra que o IPF, no olhar de uma parte significativa de educadores, possui legitimidade e
reconhecimento sobre o legado deixado por Freire.
          Isso se deve a um conjunto de fatores, dentre os quais:
           por ter entre os seus fundadores, o próprio patrono, Paulo Freire;
           por ter sido a primeira instituição freiriana dessa natureza (Instituto Paulo Freire);
           por relacionar a sua fundação ao trabalho de educadores muito próximos a Paulo Freire e que com ele
               viveram e/ou trabalharam (Gadotti, Romão, Gutiérrez, Walter Garcia e Carlos Torres).
           por preservar parte do patrimônio simbólico de Freire (pertences pessoais, Biblioteca pessoal, títulos
               acadêmicos, cartas e documentos variados etc.)
           por incorporar em seu quadro institucional um dos filhos do patrono da instituição, Lutgardes Freire;
           por ter no quadro de seus assessores, nos conselhos editoriais e nos vários projetos realizados ou em
               andamento, um grande número de educadores, reconhecidamente freirianos e relevantes no quadro da
               educação brasileira e mundial;
           por estar sempre atuando na organização de grandes projetos educacionais articulados em torno do ideário
               freiriano (vide o currículo institucional do IPF);
           por ter, talvez, o maior número de educadoras(es) e trabalhadoras(es) com dedicação integral a uma
               instituição que acolhe o nome e o ideário de Paulo Freire.

          O Movimento Universitas Paulo Freire, ainda que surgido como concepção por ato do próprio Instituto Paulo
Freire, incorpora essa última instituição. Considerando sua projeção e relevância no campo educacional, resultante que
é dos projetos realizados nos seus 12 anos de existência, o IPF é o epicentro do Movimento Universitas.
          O paradigma freiriano adquiriu dimensões mundiais e, por sua própria natureza, não pode ser patrimônio
restrito a nenhum grupo. Em sua essência, ele se torna legítimo quanto mais é publicizado ao mundo.
          Por outro lado, o Instituto Paulo Freire, com todas as características, responsabilidades e que lhe são próprias,
pode e deve estabelecer critérios de parcerias com outras instituições no mundo que pretendam vincular-se por
afinidade ideológica ou institucional ao IPF.
          O IPF, levando em conta a sua história, trajetória e compromissos já assumidos nas discussões dos encontros
dos Fóruns Paulo Freire e dos Fóruns Mundiais de Educação, coloca-se como Instituição que poderá fazer a
integração/articulação da Rede UNIFREIRE. Uma integração promovida não por “leis”, mas pelos princípios éticos,
estéticos e epistemológicos que caracterizam o paradigma e o espírito freirianos.
          A partir das sínteses dessas discussões e dos posteriores diálogos entre os membros do Conselho Diretivo da
UNIFREIRE, chegamos a algumas conclusões que nos ajudam a construir um delineamento mais geral para uma
primeira versão sobre a estrutura da UNIFREIRE, que apresentamos a seguir.
     a) A Universitas Paulo Freire (UNIFREIRE) foi criada durante o segundo encontro do Fórum Paulo Freire,
          realizado em Bologna, no ano 2000 e definida como uma “rede” de pessoas e instituições unida “em torno do
          legado de Paulo Freire”, a ser estruturada e mantida pelo Instituto Paulo Freire.
     b) Seguindo os princípios da “Carta de Bologna”, o IPF consolida a estrutura da UNIFREIRE, em seu Estatuto,
          criando-a como uma “instituição mantida”, com autonomia administrativa e financeira, concretizando o caráter
          internacional do IPF e suas relações com os demais Institutos Paulo Freire no mundo.
                                                                                                             13
c) A UNIFREIRE não é uma Universidade stricto sensu. É uma rede de pessoas e instituições mantida e
   coordenada pelo Instituto Paulo Freire, tendo por finalidades:
 organizar e coordenar o movimento altermundialista da Comunidade Freiriana, orientado pelo paradigma
   da sustentabilidade e da planetaridade;
 promover e possibilitar o intercâmbio entre pessoas, organizações, instituições e movimentos que, em
   distintos lugares e continentes, desenvolvem estudos, pesquisas e ações culturais e educacionais, em diversos
   níveis e modalidades, inspiradas no legado de Paulo Freire.
d) No funcionamento da UNIFREIRE, o IPF disponibilizará, em São Paulo, os meios necessários para a
   articulação da rede, respeitando a especificidade e autonomia de cada instituição que compõe a Comunidade
   Freiriana no mundo. Os Institutos Paulo Freire, criados fora do Brasil, como principais “associados
   institucionais” do IPF, serão os grandes dinamizadores da Rede UNIFREIRE em suas regiões.
e) Para vincular-se à rede UNIFREIRE os interessados devem enviar ao IPF sua proposta de adesão,
   acompanhada de documentos que manifestem a sua relação com o legado freiriano.
14
                                    4. REALIZAÇÕES DA UNIFREIRE
         Desde a Carta de Bolonha até aqui, reconhecidas as limitações materiais em termos de estrutura humana e
financeira, o Movimento Universitas amadureceu. Mesmo não institucionalizada, formalmente, a UNIFREIRE, como
projeto em construção, já existe. Seus primeiros cursos a distância para educação continuada, via Rede Mundial de
Computadores, inauguram uma de suas dimensões mais importantes: o ciberespaço do saber. Relacionamos aqui seus
primeiros trabalhos realizados ou em andamento:
          “Cruzando fronteiras: iniciação à obra de Paulo Freire” (2000);
          “Lições de Freire cruzando fronteiras: três falas que se completam" (2002);
          Metodologia do ensino da matemática (mediação pedagógica);
          Criatividade e mediação pedagógica;
          Formação de educadores de jovens e adultos.

         Entre setembro de 2002 e novembro de 2003, concluiu-se um grande projeto de formação de Jovens e Adultos,
intitulado JovemPaz. Esse projeto objetivou ao fortalecimento da articulação política, a autonomia e a organização
comunitária dos jovens, desenvolvendo ações de formação de jovens e adultos para a construção da cultura da paz e da
sustentabilidade.
         No Instituto Paulo Freire, funcionam duas cátedras: a Cátedra Paulo Freire e a Cátedra do Oprimido.
         A primeira é coordenada por Jason Mafra, Ângela Antunes e Paulo Roberto Padilha. Dedica-se à formação
interna e possui uma programação estruturada até para o ano de 2006. Tem como objetivo geral atualizar o legado de
Freire por meio de estudos e produções que atendam às demandas teórico-práticas da comunidade freiriana. Além disso,
promove oficinas e encontros culturais com educadores, sobretudo de outros países, que visitam o Instituto Paulo Freire.
         A Cátedra do Oprimido, coordenada por José Eustáquio Romão, compõe-se de um grupo de pesquisadores
que, em nível de pós-graduação, dedicam-se à pesquisa dos paradigmas do Oprimido. Seu objetivo maior é perscrutar
em todos os espaços e dimensões sociais a cultura do oprimido.
         Em meados de 2002, um grupo de pesquisadores e pesquisadoras decidiu se reunir periodicamente através de
círculos de cultura, para se discutir assuntos ligados ao processo civilizatório do oprimido. O tema central de discussão
é a hipótese: quando houve avanços na humanidade, estes vieram do oprimido? Deverá, cada pesquisador e
pesquisadora procurar comprovar esta hipótese, cada um em sua área.
         A princípio foram criados dois Núcleos de trabalho, um na cidade de Juiz de Fora, no estado de Minas Gerais,
que a cada reunião cresce o número de integrantes. As dependências usadas são as salas do Núcleo de Pesquisa da pós-
graduação do Centro de Ensino Superior, que se localiza à Avenida Rio Branco, num imóvel tombado. O segundo
núcleo está instalado na moderna sede do Centro Universitário Nove de Julho, na cidade de São Paulo, também no
centro de pós-graduação do mesmo. Os primeiros encontros do grupo estabeleceram os seguintes encaminhamentos:
               Constituição e instalação da “Cátedra do Oprimido”, no contexto da UNIFREIRE;
               Formulação coletiva do Programa “Civilização do Oprimido” (PCO), que deverá desdobrar-se em
                  planos e projetos de levantamentos, estudos, pesquisas, dissertações, teses e cursos.
               Realização, no mínimo semestral, de um Círculo de Cultura, na sede do IPF em São Paulo, de todo o
                  grupo envolvido, para socialização dos resultados dos trabalhos desenvolvidos e discussão dos
                  fundamentos do PCO, da Cátedra do Oprimido, da INIFREIRE e do próprio IPF.
               Formulação e implementação de cursos da “Cátedra do Oprimido”, a partir dos resultados dos
                  projetos de levantamentos, estudos, pesquisas. dissertações e teses (maiores informações sobre a
                  Cátedra          do        Oprimido         podem           ser       encontradas        no        site:
                  http://www.paulofreire.org/unifreire/coprim.htm).
         Além dessas duas cátedras do Instituto Paulo Freire, muitas outras se formaram e estão se formando no mundo.
São instituições autônomas e, em geral, desenvolvem atividades na perspectiva de estudos para formação interna,
pesquisa, cursos, mini-cursos, palestras e ações de intervenção social, em variados níveis.
         As Cátedras Paulo Freire já se constituíram nos seguintes países e cidades: Avellaneda (Argentina), Rosário
(Argentina), Entre Rios (Argentina), Luján (Argentina) e San Luis (Argentina), Campo grande (Brasil), São Paulo
(Brasil), São Roque (Brasil), Santiago (Chile), Cartagena (Colômbia), Barranquilla (Colômbia) e Cauca-Popayán
(Colombia), Heredia (Costa Rica), Holguín (Cuba), Cienfuegos (Cuba), Valência (Espanha), Porto Rico, Chapingo
(México), Cuernavaca (México), Guadalajara (México) e Caracas (Venezuela).
         Os Institutos Paulo Freire também têm se multiplicado significativamente no mundo. Atualmente, eles estão
estabelecidos com instituições já funcionando ou ainda em fase de estruturação em 32 lugares: Alemanha (Berlin),
Alemanha (Munique), Argentina (Buenos Aires), Argentina (Chacabuco), Argentina (Rosário), Argentina (Tandil),
Brasil (Juiz de Fora), Brasil (Rio de Janeiro), Brasil (Maranhão), Brasil (São Paulo), Brasil (Ceará), Canadá (Toronto),
Chile (Santiago), Chile (Temuco), China (Hong Kong), Colômbia (Bogotá), Egito (Cairo), Escócia, Espanha
(Valência), EUA (Los Angeles), Grécia (Tessalônica), Israel (Mazkeret Batia), Índia (Calcutá), Índia (Mumbai), Itália
                                                                                                                       15
(Bolonha), Itália (Milão), Malta (Valeta), México (Cuernavaca), Portugal (Porto), República Dominicana, Uruguai
(Montevidéu) e Suécia (Estocolmo).
          Esses institutos e cátedras vêm mantendo constante diálogo entre si e com a UNIFREIRE, por meio do
Instituto Paulo Freire. Em geral, o diálogo vem se construindo em torno de propostas de trabalho em parcerias, em
relatos de experiências e realizações e na apresentação de suas preocupações e solicitações para que melhor se
organizem em termos institucionais e de projetos de trabalho.


                 4.1. AGENDA E PLANO DE AÇÃO DA UNIFREIRE (2004-2005)
        Como se vê, a UNIFREIRE é hoje um grande projeto da Comunidade Freiriana Mundial. Esses quatro anos,
desde a Carta de Bolonha, serviram para amadurecer e clarear as idéias sobre a importância, a concepção, e o papel da
UNIFREIRE no mundo contemporâneo.
        Entretanto, é preciso um plano de metas para que avancemos quantitativa e qualitativamente em nosso projeto.
Visando ao diálogo e a construção desse plano, apresentamos aqui algumas sugestões de temas que devem ser debatidos
e encaminhados no encontro IV Encontro do Fórum Paulo Freire na cidade do Porto (Portugal), em setembro de 2004:

        1) Concluir o documento de referência da UNIFREIRE, a partir das discussões acumuladas até aqui e dos
            primeiros referenciais (cartas de São Paulo e de Bolonha), onde deverá constar com máxima objetividade
            os seguintes aspectos: a) Histórico; b) Justificativa; c) Concepção; d) Princípios, e) Objetivos, f) Estrutura
            Organizacional e Operacional;
        2) Definir o caráter institucional da UNIFREIRE;
        3) Elaborar um calendário semestral das atividades da UNIFREIRE;
        4) Rediscutir o Conselho Diretivo da UNIFREIRE, ratificando-o ou retificando-o;
        5) Estabelecer uma agenda de encontros periódicos do Conselho Diretivo para avaliação e encaminhamentos
            das ações;
        6) Criar estratégias para que a UNIFREIRE seja atividade prioritária nos Institutos Paulo Freire (pensar numa
            equipe que cuidará intensamente dessa questão);
        7) Criação do Portal Virtual da UNIFREIRE linkado aos IPFs e autônomo em suas atividades;
        8) Concluir o mapeamento da Comunidade Freiriana, caracterizando quais e quem são essas pessoas,
            núcleos, grupos, cátedras e IPFs etc. e o que vêm realizando em termos de atividades, projetos, estudos e
            ações educativas na perspectiva de Freire;
        9) Organizar a Rede Mundial da Comunidade Freiriana, objetivando o estreitamento de laços, informações,
            relações e desenvolvimento de projetos com pessoas e instituições que efetivam suas concepções e práticas
            referenciadas na vida e na obra do educador Paulo Freire;
        10) Disponibilizar e atualizar os dados da nação freiriana na página eletrônica da UNIFREIRE, viabilizando
            projetos, ampliando assim a rede de relações da Comunidade Freiriana no Planeta;
        11) Biblioteca virtual: um espaço de organização e sistematização das produções da Comunidade Freiriana
            (artigos, livros, textos, em geral);
        12) Revista da Unifreire (eletrônica e impressa): espaço de publicação do Movimento Universitas Paulo
            Freire;
        13) Fontes de Financiamento: estabelecimento de uma logística de capitação de recursos para a UNIFREIRE;
        14) Discutir a relação entre a UNIFREIRE e a Universidade Popular dos Movimentos Sociais.


         4.2. A UNIFREIRE E UNIVERSIDADE POPULAR DOS MOVIMENTOS SOCIAIS
         Recentemente, o Instituto Paulo Freire foi convidado para um diálogo com o grupo que, liderado por Cândido
Grzybowski (Brasil), diretor-geral do IBASE (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas), e Boaventura de
Souza Santos (Portugal), está tomando parte das discussões e contribuindo com a proposta sobre a fundação da
Universidade Popular dos Movimentos Sociais, uma iniciativa vinculada ao Fórum Social Mundial.
          Durante o Fórum Mundial de Educação, em julho de 2004, O IPF, representado por Moacir Gadotti e Jason
Mafra, participou de uma reunião com Ramón Moncada e Beatriz González Soto, da organização Viva La Ciudadania,
os articuladores dessa discussão aqui na América Latina.
          No encontro, defendemos a posição baseada em nossas discussões e, sobretudo, nos argumentos apresentados
por José Eustáquio Romão, diretor do IPF, que, conosco, analisou os documentos da proposta da universidade.
          Entendemos que UNIFREIRE deve apoiar toda iniciativa que venha ao encontro dos interesses dos oprimidos.
A Universidade Popular dos Movimentos Sociais é legítima nesse sentido. O Instituto Paulo Freire e a UNIFREIRE
participarão desse projeto, contribuindo na elaboração de seus princípios, estatuto, estrutura etc. Poderá, inclusive,
fazer parte dessa universidade, acompanhando e desenvolvendo ações e projetos. Mas a UNIFREIRE não pode se
16
   fundir ou se diluir na Universidade Popular dos Movimentos Sociais. Ela possui uma origem e uma identidade que a
diferencia da Universidade Popular, então proposta.
          Como agenda, a UNIFREIRE, por meio de Jason Mafra (IPF), está articulando a discussão ampliada da
Universidade Popular, juntamente com a Beatriz González Soto (Viva La Ciudadania), encarregada de apresentar uma
proposta que avance nos documento anteriores.
          No dia 24 de agosto foi feita uma reunião do IPF com Pedro Santana, da qual participaram Moacir Gadotti,
Salete Valezam Camba e Kathia Dudyk. Nela ficou estabelecido que Pedro faria contato com o Cândido e Boaventura
para produzir um texto comum para a discussão, primeiramente na Cidade do Porto, no Fórum Paulo Freire, em
setembro, e, depois em novembro, em Porto Alegre, na reunião do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial.
Um grupo de discussão virtual (e-groups) foi criado pela Beatriz para alimentar essa discussão.
          A Universidade Popular está sendo construída como um espaço no Fórum Social Mundial, mas não do Fórum
Social Mundial. É um espaço de pesquisa, formação e ação, visando impulsionar o próprio Fórum Social Mundial. O
vínculo da Universidade com o Fórum Social Mundial refere-se apenas a Carta de Princípios do FMS que também
orienta a Universidade.
                                                                                                                       17
           5. SEDE MUNDIAL DO INSTITUTO PAULO FREIRE – HISTÓRICO
                                INSTITUCIONAL
          O Instituto Paulo Freire surgiu a partir de uma idéia do próprio Paulo Freire no dia 12 de abril de 1991, durante
um encontro com alguns amigos, entre eles, Moacir Gadotti, Carlos Alberto Torres (UCLA) e Pilar O'Cadiz, em Los
Angeles, EUA.
          Paulo Freire foi convidado a proferir uma conferência na Universidade da Califórnia (UCLA).Empolgado e
sensibilizado com o envolvimento dos educadores presentes, destacou a importância da existência de um Instituto que
pudesse proporcionar o encontro de pessoas e instituições que pesquisassem ou trabalhassem em torno dos mesmos
princípios que fundamentam a sua pedagogia. Desejava reunir pessoas e instituições que, movidas pelos mesmos
sonhos, pudessem aprofundar suas reflexões, melhorar suas práticas e se fortalecer na luta pela construção de um outro
mundo possível: justo e humano.
          Dessa forma, começaram os primeiros passos para a criação do Instituto Paulo Freire, cuja fundação oficial
veio a se dar em 1 de setembro de 1992.
          Desde o início, Paulo Freire acompanhou todos os momentos da história do IPF: apresentou nomes, participou
da discussão dos Estatutos e da definição da linha básica de atuação e, após sua fundação oficial, tomou parte nas
principais decisões e contribuiu sempre com suas valiosas e esclarecedoras reflexões sobre os projetos desenvolvidos.
          Hoje, o Instituto Paulo Freire (IPF), uma associação civil, sem fins lucrativos, constitui-se numa rede
internacional de pessoas e instituições com membros distribuídos em vinte e quatro países. Em 2002, durante a
realização do III Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire, em Los Angeles, foi formado um novo Conselho
Internacional de Assessores do IPF, que conta agora com 90 membros.
          O objetivo do Instituto Paulo Freire é dar continuidade ao legado de Paulo Freire, aproximando pessoas e
instituições que trabalham em torno de suas idéias e desenvolvendo pesquisas e práticas nos campos da educação, da
cultura e da comunicação que contribuam para a construção de uma sociedade mais democrática e socialmente justa.
          A fim de possibilitar a troca de experiências e aprofundar as reflexões teóricas em torno de seus campos de
atuação, o IPF desenvolve estudos e pesquisas, organiza publicações, oferece formação, consultoria e assessoria
relacionadas aos Movimentos de: Educação de Pessoas Jovens e Adultas, Escola Cidadã, e Movimento Pró-Universitas
Paulo Freire.
          Além de desenvolver estudos e pesquisas na área, oferece consultoria e/ou assessoria para implantação de
Movimentos de Alfabetização (MOVA), formulação e implantação de planos estaduais/municipais de EJA, cursos de
formação inicial e continuada, minicursos e oficinas pedagógicas para educadores de pessoas jovens e adultas das redes
municipal e estadual, de ONGs e Movimentos Populares.
          O Movimento da Escola Cidadã representa um esforço para construir parâmetros político-pedagógicos e
instrumentos concretos que viabilizem e contribuam para a democratização do acesso e melhor qualidade de ensino-
aprendizagem da creche à universidade.
          Oferece consultoria, assessoria e cursos de formação inicial e educação continuada, minicursos, oficinas e
palestras sobre: Gestão Democrática, Colegiados Escolares, Ciclos e Avaliação Dialógica, Leitura do Mundo,
Planejamento Dialógico, Projeto Político-Pedagógico, Currículo Intertranscultural, Pedagogia da Sustentabilidade,
Escola Cidadã Rural, Relações interpessoais e princípios de convivência.
          O Movimento Pró-Universitas Paulo Freire (UNIFREIRE) vem-se organizando como conjunto das Cátedras
Paulo Freire, com diferentes programas e modalidades, independentes e unidas pelo mesmo espírito freiriano.
          O programa de trabalho das Cátedras tem por base os princípios do legado de Paulo Freire, da Carta de São
Paulo e da Carta de Bologna.
          A UNIFREIRE vem sendo estruturada através de um campus virtual em rede (Movimento de Educação em
Rede), em permanente autoconstrução, com o objetivo de edificar a cidade educativa virtual da nação dos cidadãos que
comungam com os ideais de Paulo Freire em qualquer parte do mundo.
          O Movimento de Educação em Rede surgiu como resposta ao compromisso assinado pelo Movimento Pró-
Universitas Paulo Freire, no II Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire e tem como objetivo criar uma rede de
educação em cada Instituição de Ensino Superior, participante ou interessada em participar das Cátedras Paulo Freire -
UNIFREIRE. Esta rede estará voltada para a educação continuada de pesquisadores e educadores, comprometidos com
a proposta libertadora de educação. Objetiva, ainda, desenvolver educação continuada em rede atendendo,
fundamentalmente, aos Movimentos de EJA e da Escola Cidadã do Instituto Paulo Freire.

                                              FINALIDADE E OBJETIVOS
            A finalidade do IPF é, conforme o desejo daquele que inspirou sua criação, dar continuidade ao legado de
   Paulo Freire, aproximando pessoas e instituições que trabalham a partir de suas idéias. Para melhor cumprir essa
   finalidade, ou seja, sua missão institucional, o IPF busca desenvolver pesquisas, para, com as revelações e
   contribuições que elas propiciarem, fazer intervenções, ou seja, formular e implementar planos, programas e
18
     projetos nos campos da educação, da cultura e da comunicação. Assim, em suma, dentre os objetivos do Instituto
     Paulo Freire destacam-se:
     I – levantamentos, estudos e pesquisas;
     II – formulação de planos, programas e projetos de educação, ciência, cultura e comunicação;
     III – realização de cursos de formação inicial e educação continuada, minicursos e oficinas;
     IV – prestação de serviços de consultoria, com vistas ao desenvolvimento e implementação dos planos, programas e
     projetos previstos no inciso anterior;
     V – produção, edição e publicação de trabalhos referenciados no pensamento freiriano.
     VI – promoção de eventos, seminários, encontros nacionais e internacionais.

        As reflexões teóricas e as ações do IPF, orientadas pelo mesmo ponto de vista adotado por seu patrono – o
ponto de vista dos “condenados da Terra”, dos excluídos – buscam sempre diminuir as razões objetivas que levam à
desesperança e ao imobilismo.

         O IPF se pretende um amplo, fecundo e generoso encontro de instituições, de projetos, de sonhos e de pessoas
que fertilizam o inusitado, que se querem homens e mulheres sujeitos da história, portanto, seres condicionados, mas
não determinados, por isso, capazes de realizar a transformação social
                                               FÓRUM PAULO FREIRE
          O Fórum Paulo Freire consiste num espaço de estudo e atualização do legado de Paulo Freire, bem como de
fortalecimento de vínculos entre pessoas e organizações que desenvolvem trabalhos e pesquisas na perspectiva da
filosofia freiriana. Sua concretização se dá através de duas formas: encontros internacionais bienais e um fórum de
debates na Internet, dentro da página <www.paulofreire.org>.
          O I Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire foi realizado nos dias 28, 29 e 30 de abril de 1998, em São
Paulo, com o apoio da UNESCO, e teve como tema principal O legado de Paulo Freire. A Carta de São Paulo foi o
documento final resultante do I Encontro. O II Encontro do Fórum Paulo Freire foi realizado em março do ano 2000, na
Universidade de Bologna, Itália, com o tema: O Método Paulo Freire e as novas tecnologias e teve como documento
final A Carta de Bologna, que lançou o Movimento Pró-Universitas Paulo Freire (UNIFREIRE). O III Encontro
Internacional do Fórum Paulo Freire ocorreu em Los Angeles, em 2002, com o tema Educação: o sonho possível.
                                                     IPF e RAAAB
          A RAAAB - Rede de Apoio à Ação Alfabetizadora do Brasil – nasceu em 1986 como uma articulação de
centros de educação popular que mantinham convênios com a extinta Fundação Educar. Ganhou visibilidade no Ano
Internacional de Alfabetização (1990) e chegou a compor a Comissão Nacional de Educação de Jovens e Adultos até
1997. Sua face mais conhecida deve-se à promoção das Feiras Latino-Americanas de Alfabetização: a última edição
reuniu 1600 educadores em Recife, em 1997. A Rede conta com aproximadamente 100 filiados institucionais e
individuais, e publica a revista Alfabetização e Cidadania.
          Em reunião da RAAAB, realizada em 29 e 30 de março de 1999, com 25 representantes de instituições filiadas
e convidados, foi constituído um novo colegiado da Rede, ficando sob a responsabilidade do IPF o encaminhamento
das atividades da Secretaria. A prioridade atual da RAAAB é articular movimentos sociais, organizações não
governamentais, órgãos públicos e universidades envolvidas com a educação de jovens e adultos em um Fórum
Nacional.

                      SECRETARIA GERAL DA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DO CLACSO

        Com o objetivo de promover a pesquisa no campo da educação, o Instituto Paulo Freire, em 4 de novembro de
1998, tornou-se a Secretaria Geral da Comissão de Educação do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais –
CLACSO, sob a coordenação de Carlos Alberto Torres (Ver acesso à página do CLACSO através da página do IPF)
        A Comissão de Educação do CLACSO tem como propósito estudar os temas centrais da Educação Latino-
Americana e oferecer recomendações em matéria de pesquisa e política pública, em educação, para a região.
                              PRINCIPAIS PESQUISAS JÁ REALIZADAS PELO IPF
Estudo crítico e pesquisa qualitativa do Projeto de tele-escola: “Educação para a saúde”
Síntese explicativa: para o estudo crítico e análise do material, foi utilizada a metodologia do trabalho em grupo que
consistiu de: reuniões da equipe do IPF, determinação e estudo do referencial teórico, levantamento de critérios e
categorias, acompanhamento de pesquisas em estúdio com alunos, trabalhos individualizados, apreciação dos
programas de vídeo e do Caderno do aluno e Caderno do professor, estudos a partir de roteiro para avaliação do
material, elaboração de relatórios e elaboração do relatório crítico. Nesse estudo, foram considerados os seguintes
                                                                                                                    19
aspectos: a) a aprendizagem de novos conteúdos; b) a adequação da linguagem dos programas de TV; c) a adequação
da linguagem e do tratamento gráfico dos cadernos; d) as diferentes formas de utilização do material. Para a pesquisa
qualitativa, realizada através de observação de grupos de diferentes idades e características nos Estúdios da CBPA
(Companhia Brasileira de Pesquisa e Análise), foram levados em conta os seguintes objetivos: a) compreensão dos
assuntos abordados nos programas de TV; b) agradabilidade do programa, pontos fortes e fracos; c) Reações aos
assuntos, personagens, cenários etc.; d) dados de recepção: interesse nos programas, sensação de ter aprendido,
relevância do tema e credibilidade do conteúdo; e) opiniões gerais sobre os programas e sobre o assunto tratado.
Pesquisa e elaboração do livro Paulo Freire: uma biobibliografia (1996)
Fonte mais completa sobre a vida e obra de Paulo Freire, editado em parceria com a UNESCO e Editora Cortez (1996).
Foram quatro anos de estudos e pesquisas de uma equipe coordenada pelo professor Moacir Gadotti, que buscou dados
e informações em dezenas de bibliotecas universitárias e centros de estudo em diversas partes do mundo. A pesquisa e
sistematização da bibliografia de e sobre Paulo Freire apoiou-se, inicialmente, num estudo feito por Admardo Serafim
de Oliveira que dedicou mais de 20 anos a essa atividade. O livro Paulo Freire: uma biobibliografia constitui-se numa
obra básica de referência do Legado de Paulo Freire e numa fonte de pesquisa sobre uma das concepções mais vivas da
educação contemporânea. Estão no prelo as edições em espanhol (Editora Siglo XXI - México) e em inglês (Editora
ZED - Londres) e uma segunda edição, revista e ampliada, em português.

Pesquisa sobre Gestão Democrática da Escola (1996)
Preocupado em sistematizar a rica experiência brasileira no que se refere à gestão democrática do ensino público, o
Conselho Nacional de Secretários de Educação – CONSED, com o apoio da Fundação Ford, encomendou ao IPF um
estudo sobre o tema. O Instituto Paulo Freire levantou, organizou e analisou as práticas vivenciadas nos vários Estados
principalmente em relação à eleição de dirigentes escolares, à organização e implementação de Conselhos ou
Colegiados Escolares e aos processos de autonomização da gestão escolar. Para a manipulação dos dados do Sistema de
Cálculo do Custo Aluno-Ano o Instituto Paulo Freire de Juiz de Fora, em parceria com a Engine Informática de São
Paulo, precisou elaborar um software específico, que foi colocado à disposição das Secretarias de Educação.

Pesquisa sobre Custo Aluno/Ano e Regime de Colaboração (1996)
A equipe da sede do IPF em Juiz de Fora(MG) realizou ampla pesquisa bibliográfica e de campo, para desenvolver a
metodologia de cálculo do Custo Aluno/Ano (CAA), contando com a colaboração de economistas, analistas e
orçamentaristas, além do trabalho técnico da Engine Informática de São Paulo, que transformou a metodologia em um
software bastante amigável: permite calcular o custo de um aluno, por ano, de qualquer rede escolar (federal, estadual,
municipal ou particular) ou de uma escola isolada, bem como permite calcular o impacto de cada componente de custo.

Projeto Carta Escolar (1997)
A equipe do IPF da sede de Juiz de Fora (MG) desenvolveu o projeto para os municípios de Bicas, Mercês, Oliveira
Fortes, Guarará e Resende Costa, em Minas Gerais. A elaboração da Carta Escolar exigiu a pesquisa dos seguintes
itens: a) Cenário geográfico (aspectos físicos, humanos e ecológicos); b) A trama histórica desde os períodos pré-
colonial e colonial até os períodos imperial e republicano; c) Situação educacional (estrutura, rede física, pessoal
docente, desempenho escolar e escolaridade da população). Para a manipulação dos dados do Carta Escolar o Instituto
Paulo Freire de Juiz de Fora, em parceria com a Engine Informática de São Paulo, precisou elaborar um software
específico, que está sendo utilizado em projetos semelhantes em outros municípios.


                       OUTROS ESTUDOS E PESQUISAS JÁ CONCLUÍDAS (1992-2003)
“Contribuições da lingüística à educação de adultos” – Maria José Vale
“Enfoque sócio-construtivista da leitura e da escrita iniciais na alfabetização de adultos” – Maria José Vale
“Concepções de planejamento no Plano Decenal de Educação para Todos” – Paulo Roberto Padilha
“Concepções e práticas de autonomia pedagógica na escola pública” – Alice Akemi Yamasaki
“Estudo do meio e tema gerador na educação de jovens e adultos” – Luiz Marine José do Nascimento
“Perspectivas atuais da educação de jovens e adultos” – José Eustáquio Romão
“Sócio-construtivismo e Método Paulo Freire” – Sônia Couto Feitoza
“A construção do projeto político-pedagógico na perspectiva da teoria da ação comunicativa de Jürgen Habermas” –
 Bianco Zalmora Garcia
“O Conselho de escola e a gestão participativa” – Ângela Antunes
“O projeto da Escola Cidadã frente ao projeto pedagógico neoliberal” – José Eustáquio Romão
“Necessidade e condições para a realização da avaliação institucional” – Moacir Gadotti
“A formação de diretores escolares na perspectiva da Escola Cidadã” – Antônio João Mânfio e Paulo Roberto Padilha
“Paulo Freire: da pedagogia do oprimido à ecopedagogia” – Moacir Gadotti
20
   “Polifonia: algumas teses tiradas das múltiplas leituras de Paulo Freire” – Ângela Antunes, Moacir Gadotti, Paulo
 Roberto Padilha e Sônia Couto Feitosa
“Da municipalização do ensino ao sistema único e descentralizado de educação básica” – José Eustáquio Romão e
 Moacir Gadotti
“Estratégias para a implantação do sistema municipal de educação” – Moacir Gadotti
“A educação e a integração no MERCOSUL” – Moacir Gadotti e Antônio João Mânfio
Leitura do mundo no contexto da planetarização: por uma pedagogia da sustentabilidade
Currículo Intertranscultural: por uma escola curiosa, prazerosa e aprendente.


                                    PRINCIPAIS ATIVIDADES REALIZADAS
Projeto Conselhos Escolares (1996), para o Instituto de Educação e Desporto do Município de Resende-RJ. Período:
12 meses. Objetivo: institucionalização e implantação de Conselhos Escolares na rede municipal de ensino.

Projeto Estadual de Educação de Jovens e Adultos (1996), para a Secretaria de Estado da Educação e Cultura -
SEDU - do Estado do Espírito Santo. Período: 12 meses. Objetivo: formulação e implantação do Plano Estadual de
EJA.

Projeto Sistema Único e Descentralizado de Educação Básica - SUDEB (1996), para a Secretaria de Estado da
Educação do Governo do Estado do Mato Grosso. Período: 6 meses. Objetivo: formulação e implantação do SUDEB.
Apoiando-se no parágrafo único, do artigo 11 da nova LDB (Lei 9394/96), o IPF subsidiou a SEED-MT com
documentos referenciais e cursos a discussão do SUDEB com vistas à reorganizar o Sistema de Educação do Estado,
colocando como foco referencial de suas ações a unidade escolar. O SUDEB objetiva romper com a forte dissociação
entre as redes estadual e municipais de ensino público e entre as próprias escolas, algumas das quais, de tão
fragmentadas, chegam a atuar concorrentemente.

Programa “Construindo a Escola Cidadã: Projeto Político-Pedagógico” (1997). Objetivo: elaboração de 7 (sete)
programas para a Fundação Roquette Pinto para a série Um Salto para o Futuro: 1. Projeto Político-Pedagógico da
Escola Cidadã, 2. Escola Cidadã: a hora da sociedade, 3. Carta Escolar: instrumento de planejamento coletivo, 4.
Conselhos de Escola: coletivos instituintes da Escola Cidadã, 5. Planejamento Socializado Ascendente, 6. Diretores
Escolares e Gestão Democrática da Escola, 7. Escola Cidadã: uma escola, muitas culturas.

Programa de Educação Continuada junto à SEE, com duração de 96 horas (Julho 1997 – agosto 1998), envolvendo
2.700 (dois mil e setecentos) educadores (Supervisores de Ensino, Diretores de Escola, Professores Coordenadores e
Assistentes Técnico-Pedagógicos) ligados a 20 (vinte) Delegacias de Ensino do Estado de São Paulo. O Projeto
desenvolveu reflexões e ações, em nível de educação continuada, a partir dos fundamentos e das diretrizes do Projeto
da Escola Cidadã, buscando alternativas educacionais que formem para a cidadania e para o desenvolvimento nacional
com solidariedade e justiça social.

Projeto de Informática na Escola junto à SEE-SP, em 1998, para 400 Professores Coordenadores dos pólos 9 (Região
de Sorocaba) e 13 (Região de Ribeirão Preto).

Projeto de Formação de Educadores de Jovens e Adultos em Santa Fé do Sul (1998) em parceria com a FUNEC
(Fundação de Educação e Cultura de Santa Fé do Sul) e Prefeitura Municipal. Público-beneficiário: educadores
populares.

Projeto de Formação Inicial de Educadores de Jovens e Adultos em Bragança e Marabá (1998), promovido pela
Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará). Público-alvo: Agrônomos responsáveis
pela alfabetização dos camponeses.

Programa de Educação Continuada de Educadores de Jovens e Adultos: a) no município de Bebedouro (1998),
promovido pela Secretaria Municipal de Educação de Bebedouro, SP. Público-beneficiário: educadores do curso de
suplência; b) no município de Governador Valadares (1998), promovido pela Secretaria Municipal de Educação de
Governador Valadares, MG. Público-beneficiário: educadores populares; c) no município de Franca (1998), promovido
pela Secretaria Municipal de Educação de Franca. Público-beneficiário: professores da rede municipal que atuam nos
cursos de suplência; d) no município de Guaíra (1999), promovido pela Secretaria de Educação de Guaíra. Público-
beneficiário: professores da rede municipal que atuam nos cursos de suplência e Educação Infantil; e) Projeto de
Formação de Inicial (60 horas) e Educação Continuada (9 meses) de Educadores de Jovens e Adultos junto à Prefeitura
Municipal de Fernandópolis - SP, em andamento - Público-beneficiário: 30 educadores. Período de realização:
mar/1999 a dez/1999; f) Projeto de Formação de Inicial (160 horas) e Educação Continuada (17 meses) de Educadores
                                                                                                                     21
de Jovens e Adultos junto ao SENAC-SP - Núcleos: São Paulo, Bauru e Campinas, envolvendo 30 municípios
paulistas. Público-beneficiário: 90 educadores. Período de realização: mar/1999 a set/2000; Olímpia (2000), Barueri –
Formação em Serviço de Educadores da Rede Municipal (2002).

Curso sobre Paulo Freire e Janusz Korczak – Curso de extensão universitária através de uma ação integrada da
Comissão de Direitos Humanos-USP, Instituto Paulo Freire e Associação Janusz Korczak do Brasil, realizado em São
Paulo, de 19 a 23 de outubro de 1998.

“Por Paulo Freire: Educação, um Salto para a Liberdade” – Participação no Movimento Paulo Freire na Avenida,
organizando a ala “Estudiosos” (Legado de Paulo Freire) para o desfile da escola de samba Leandro de Itaquera no
Carnaval 99 que homenageou Paulo Freire.

                        EVENTOS INTERNACIONAIS E MUNDIAIS JÁ REALIZADOS
I Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire - realizado nos dias 28, 29 e 30 de abril de 1998, em São Paulo,
com o apoio da UNESCO, tendo como tema central O legado de Paulo Freire.
II Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire - realizado nos dias 29, 30 e 31 de março e 1º de abril do ano
2000, na Universidade de Bologna, Itália, tendo como tema O Método Paulo Freire e as novas tecnologias.
III Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire - realizado nos dias 19, 20 e 21 de setembro, em Los Angeles,
EUA, tendo como tema Educação: um sonho possível
I Encontro Internacional da Carta da Terra na Perspectiva da Educação – realizado nos dias 23, 24, 25 e 26 de
agosto de 1999, em São Paulo, com o apoio da UNESCO e do Conselho da Terra.
I Encontro de Ecopedagogia realizado nos dias 24, 25 e 26 de março de 2000, na Faculdade de Psicologia e Ciências
da Educação da Universidade do Porto – Portugal.
Fórum Social Mundial (2001-2002-2003-2004) – o Instituto Paulo Freire participou de todos os FSMs, realizados em
Porto Alegre-RS, apresentando os Círculos de Cultura sobre Pedagogia da Terra, Escola Cidadã, Educação de Jovens e
Adultos e Movimentos Sociais.
Fórum Mundial de Educação (2002-2003-2004) - o Instituto Paulo Freire participou da organização de todos os
Fóruns Mundiais de Educação, realizados em Porto Alegre-RS, apresentando Círculos de Cultura sobre Pedagogia da
Terra, Escola Cidadã, Educação de Jovens e Adultos e Movimentos Sociais.
Fórum Mundial de Educação – São Paulo (2004) – O Instituto Paulo Freire participou da organização do Fórum
Mundial de Educação Temático, “Educação cidadã para uma cidade educadora”, ocorrido em abril de 2004, evento que
reuniu cento e seis mil pessoas, num encontro preparatório par o Fórum Mundial de Educação de Porto Alegre,
realizado em julho do mesmo ano.

                                           PROJETOS EM ANDAMENTO
Projeto MOVA-SP – Formação das equipes de DOT e NAEs sobre o MOVA-SP, formação inicial e continuada de
monitores do MOVA-SP e dos educadores de EJA da Rede Municipal; elaboração de material para formação de
educadores (Cadernos MOVA) – 2002-2004
Projeto de Reorientação Curricular de Educação de Jovens e Adultos –Formação inicial e continuada dos
educadores de EJA da Rede Municipal de São Paulo para reorientação curricular de EJA; elaboração de material para
formação de educadores – 2002-2004
Projeto Escola do Rádio – Formação inicial e continuada de alfabetizadores, supervisores e articuladores pedagógicos;
consultoria na elaboração de material didático (livros e vídeos). O projeto alcançou cerca de 80 mil analfabetos, jovens
e adultos, do estado da Paraíba. O processo de alfabetização inclui 42 programas de rádio, com duração média de trinta
minutos, transmitidos em parceria com emissoras de rádio da Paraíba. Para acompanhar as aulas, os alunos inscritos
receberam kits com um rádio à pilha, livro de estudos, lápis de cor e cartelas com o alfabeto. As aulas presenciais foram
desenvolvidas por 400 professores, uma vez por semana, nos próprios municípios. – 2002
Projeto de formação de gestores educacionais do Conselho de Escola – Coordenadoria de Educação de Perus –
Município de São Paulo. - Projeto de educação continuada de membros do Conselho de Escola de 22 escolas
municipais para a construção do Projeto Político-Pedagógico na perspectiva da Escola Cidadã (2003-2004) –
Patrocínio do Instituto C&A
Projeto da Escola Cidadã – E.E. Júlia Lopes de Almeida - Projeto de assessoria pedagógica e de formação inicial e
continuada de educadores e membros do Conselho de Escola e do Grêmio Estudantil para a construção do Projeto
Político-Pedagógico na perspectiva da Escola Cidadã (2000-2003) – Patrocínio do Instituto C&A
Projeto da Escola Cidadã – Várzea Grande - Projeto de assessoria à SEMEC e de formação inicial e continuada das
escolas da rede para a construção do Projeto Político-Pedagógico na perspectiva da Escola Cidadã e do Plano
Municipal de Educação (2002-2004)
Projeto de Assessoria ao Núcleo de Ação Educativa do Município de São Paulo e formação inicial e continuada,
presencial e a distância, à equipe pedagógica do NAE-3, para elaboração do Projeto Político-Pedagógico na perspectiva
da Escola Cidadã. (2002-2003)
22
   Avaliação do Programa Educação do Trabalhador – SESI Nacional – Projeto de avaliação do programa a partir
de estudos de caso, qualitativos, para análise dos processos de comunicação/interação para a formação intelectual,
política e psicossocial dos alunos. Pretende-se avaliar as competências dos supervisores e demais orientadores dos
professores, tendo em vista o foco de comunicação com os professores, o planejamento de ação de formação e de
orientações para reflexão sobre a prática e avaliar significados e problematizações elaboradas pelos parceiros do
Programa. (2002-2003)
Projeto JOVemPAZ - Formação de Educadores Sociais para a construção da Cultura da Paz e da Sustentabilidade a
partir dos seguintes eixos temáticos: sustentabilidade e cultura da paz; carta da terra e agenda 21; cultura, política e
comunicação; grêmio estudantil; rádio escolar e jornal escolar. (Patrocínio – PETROBRAS) – 2002-2003
Lições de Freire - Curso de Educação a distância sobre Paulo Freire através do campus virtual do Conselho Latino
Americano de Ciências Sociais - CLACSO (2001-2002-2003)
Orçamento Participativo Criança – OP Criança – Projeto desenvolvido em parceria com a Secretaria Municipal de
Educação de São Paulo (2003 a 2004), destinado a atender a todas as crianças e adolescentes matriculados nas Unidades
Educacionais do Ensino Fundamental os alunos das Escolas Municipais da cidade de São Paulo. É um mecanismo de
participação direta e de exercício da cidadania. Com ele, as crianças e adolescentes participam do governo da cidade e
da gestão democrática da escola pública.

                             ESTRUTURA ORGANIZATIVA DO IPF- Sede Mundial

1. Sócios Fundadores: Moacir Gadotti, José Eustáquio Romão, Carlos Alberto Torres.
2. Conselho Deliberativo: Moacir Gadotti (Presidente); Ângela Maria Biz Rosa Antunes Ciseski (Secretária); José
Eustáquio Romão, Carlos Alberto Torres, Paulo Roberto Padilha, Salete Valesan Camba e Francisco Gutierrez.
3. Secretaria Executiva: Ângela Maria Biz Rosa Antunes Ciseski (Secretária de Gestão Educacional), Paulo Roberto
Padilha (Secretário Administrativo-Financeiro e Salete Valezan Camba (Secretária de Relações Institucionais).
4. Conselho Fiscal: Valdete Aparecida Argentino Melo, Carlos Reginaldo Nogueira e José Xavier Cortez.
5. Associados Efetivos: Sônia Couto Souza Feitoza, Salete Valesan Camba, Jason Ferreira Mafra, Valdete Melo e Luiz
Carlos de Oliveira.
6. Associados Colaboradores: Edgard Pereira Coelho, Deo Pimenta Dutra, Maria Alice de Paula Santos, Reinaldo
Matias Fleuri, José Xavier Cortez e Carlos Reginaldo Nogueira.
7. Associado Vitalício: Lutgardes Costa Freire
Conselho Internacional de Assessores: Presidente: Budd Hall (Canadá), Vice-presidentes: Akira Kusuhara (Ásia),
Carlos Rodrigues Brandão (América Latina), Frank Youngman (África) e Jürgen Zimmer (Europa). Membros: Adriana
Puiggrós (Argentina), Adriano Nogueira (Brasil), Ahmet Duman (Turquia), Alfredo Ghiso (Colômbia), Antônio
Faúndez (Suíça), Antônio João Mânfio (Brasil), Antônio Monclús Estella (Espanha), Antônio Teodoro (Portugal),
Afonso Celso Scocuglia (Brasil), Arturo Ornelas (México), Azril Bacal (Suécia), Barbara Freitag Rouanet (República
Tcheca), Bartolomeo Bellanova (Itália), Benno Sander (Brasil), Bernardino Mata Garcia (México), Birgit Wingenroth
(Alemanha), Carlo Nanni (Itália), Carlos Lagoeiro (Holanda), Célia Linhares (Brasil), Célio da Cunha (Brasil), Celso de
Rui Beisiegel (Brasil), Daniel Schugurensky (Canadá), Danilo Streck (Brasil), Edna Serafim de Oliveira (Brasil),
Elizabeth Protacio-Marcelino (Filipinas), Fátima Freire (Brasil), Fausto Telleri (Itália), Francisco Vio Grossi (Chile),
Gaston Pineau (França), Genoino Bordignon (Brasil), Guilhermo Willianson (Chile), Heinz Schulze (Alemanha), Henry
Giroux (Estados Unidos), Hiroyuki Nomoto (Japão), Ilse Schrimpf Herken (Alemanha), Ira Shor (Estados Unidos),
Isabel Hernández (Argentina), Isolina Centeno Ubeda (Nicarágua), Ivor Baatjes (África do Sul), Jacques Chonchol
(Chile), João Francisco de Souza (Brasil), Jorge Werthein (Brasil), José Angel Pescador Osuna (México), José Miguel
Rodriguez Matos (Porto Rico), José Rivero (Peru), Ladislau Dowbor (Brasil), Liam Kane (Escócia), Licínio C. Lima
(Portugal), Lilians M. Lopes (Argentina), Luis Eduardo Wanderley (Brasil), Luiza Cortesão (Portugal), Marcela
Gajardo (Chile), Marcos Guerra (Brasil), Madalena Freire (Brasil), Maria da Glória Gohn (Brasil), María Teresa Sirvent
(Argentina), Martin Carnoy (Estados Unidos), Miguel Escobar Guerrero (México), Moema Viezzer (Brasil), Nestor
Alfredo Fuentes (Argentina), Orlando Fals Borda (Colômbia), Osmar Fávero (Brasil), Pedro Demo (Brasil), Pep
Aparício Guadas (Espanha), Peter Lownds (EUA), Peter Mayo (Malta), Peter McLaren (Estados Unidos), Peter Park
(Estados Unidos), Pierre Furter (Suíça), Pierre Marc (Suíça), Pilar O’Cadiz (EUA), Ramon Moncada (Colômbia),
Raymond Morrow (Canada), Reinaldo Matias Fleuri (Brasil), Roberto Orozco Canelo (Chile), Roger Dale (Nova
Zelândia), Rosa Maria Perez de Santos (Venezuela), Sergio Guimarães (Guiné-Bissau), Sergio Martinic (Chile), Steve
Stoer (Portugal), Sylvia Schmelkes (México), Teresa Penna Firme (Brasil), Torbjön Stockfelt (Suécia), Zelda Groener
(África do Sul).

Equipe Técnico-Pedagógica do IPF
Adriano Nogueira, Alexandro Fernando da Silva, Alice Akemi Yamasaki, Ana Maria do Vale Gomes, Afonso Celso
Scocuglia, Antônio João Mânfio, Bianco Zalmora Garcia, Custódio Gouvea da Motta, Débora Mazza, Delma Lúcia de
Mesquita, Deucélia Nunes, Dulce Ferreira, Edgar Pereira Coelho, Edilson Fernandes, Eliseu Cintra, Elisa Gracioli
Frigoli, Eliseu Muniz dos Santos, Fábio Cascino, Fernando J. M. de Araújo, Flávio Boleiz Junior, Gabriel Guimard,
                                                                                                                 23
Genoíno Bordignon, Gildean Silva Pereira, Gustavo Bélic Cherubine, Ilca Vianna, Jacira da Silva Paiva, Jason F.
Mafra, João R. Alves dos Santos, José Rubens Lima Jardilino, Júlio Wainer, Lourdes Milão Fernandez, Leda Leoni,
Lúcia Helena Couto, Luciano Carvalho Barbosa, Luiz Carlos de Oliveira, Luiz Marine José do Nascimento, Luiza
Christov, Lutgardes Costa Freire, Marcia Moraes, Márcia Trezza, Maria Alice de P. Santos, Maria de Lourdes M. Prais,
Maria do Socorro da Silva, Maria Aparecida Soares, Maria Isabel Orofino Schaefer, Maria José Pereira, Maria José
Vale, Maria Leila Alves, Maria Lizeth Acquist, Maria Luiza Peixoto Ferreira, Maria Rita Avanzi, Maria Stela Reis,
Marisa Fortunato, Margarita Victoria Gomez, Martha Carvalho, Misael Geraldo Souza Camargo, Mônica Braga,
Paulina Christov, Paulo Silveira, Regina Elena Pinto Ribeiro, Raiane Patrícia S. Assumpção, Reinaldo Matias Fleuri,
Reginaldo Oliveira Nogueira, Salete Valesan Camba, Sidney Nilton de Oliveira, Solange Lima, Sônia Couto Souza
Feitosa, Thaís Regianni, Valdete A. Melo.
24
                             6. A COMUNIDADE FREIRIANA MUNDIAL
         A Comunidade Freiriana Mundial se constitui no conjunto de instituições e pessoas que, por afinidade
ideológica, práticas político-pedagógicas e concepções de conhecimento, se inspiram no legado de Paulo Freire. Grande
parte dessas instituições elegeram Paulo Freire como patrono. Outras, porém, mesmo sem adotar o nome “Paulo
Freire”, assumem a vivência da educação libertadora, tendo como referencial uma concepção de conhecimento, de
estética e de uma ética que acentua a perspectiva da educação como prática da liberdade, o que mencionamos como
paradigma freiriano de educar.
         Compõem essa comunidade: institutos, cátedras, escolas, centros e núcleos de estudos e pesquisas, diretórios e
centros acadêmicos, faculdades, organizados/as em todos os continentes. Somam-se ainda a essa rede, variados espaços
culturais, tais como: bibliotecas, centros de convivência e de cultura, salas de estudo e encontro, periódicos e
publicações, teatros, auditórios, prêmios educacionais, ruas, avenidas, estradas conjuntos habitacionais, entre outros.
         O Instituto Paulo Freire, por meio da UNIFREIRE, vem sistematizando e mapeando as informações dessa
comunidade. Pessoas e instituições da nação freiriana vinculam-se ao Instituto Paulo Freire por várias formas, entre
outras, por e-mails, cartas, telefonemas, visitas a home page, ou à própria instituição. Além disso, tal vínculo se dá por
variados contatos com a equipe do instituto nos encontros, congressos, fóruns, palestras e outras atividades relacionadas
à educação no Brasil e no exterior.
         As demandas que levam ao vínculo dessas entidades com o IPF é também de natureza variada. Em geral,
referem-se:
      ao interesse em estabelecer parcerias educacionais com o IPF;
      a orientações sobre pesquisas ou consultas em educação;
      a instruções sobre como organizar uma instituição Paulo Freire, independente ou vinculada ao IPF;
      a assessoria do IPF em projetos educacionais com pareceres e/ou concepção e desenvolvimento de projetos;
      ao desejo de conhecimento das atividades do IPF;
      às solicitações de educadores do IPF para participar de alguma atividade relacionada à sua instituição
          (inauguração da sede, homenagens a Paulo Freire, etc.).
      apresentamos abaixo apenas um primeiro levantamento dessas principais instituições e pessoas da Comunidade
          Freiriana. Na verdade, essa rede é muito maior, pois ainda não sistematizamos todos os dados disponíveis nos
          movimentos do IPF. Porém, a partir deles, já é possível ter uma visão aproximada de como o legado de Freire
          penetrou no mundo.

         Sobre a sistematização do material da Comunidade Freiriana, fazemos as seguintes observações:
        este é um primeiro levantamento ainda precário em termos de sistematização de dados e informações da
         Comunidade. Muitas outras informações relativas a históricos institucionais, endereços, nomes e dados de
         pessoas vinculadas ao IPF enviadas a nós por várias instituições estão sendo sistematizadas, mas não foram
         incorporadas ainda nesta lista;
     nem todas as informações podem ser regularmente checadas em razão da quantidade de dados;
     os institutos e as cátedras Paulo Freire referem-se às instituições já formalizadas com sede e documento
         fundacional ou entidades ainda em fase de organização;
     esse material refere-se, basicamente, aos dados de apenas um computador que vem centralizando essas
         informações. Há cerca de mais 40 computadores (incluindo os computadores da Casa da Cidadania Planetária)
         vinculados aos movimentos do IPF, cujas informações serão incorporadas a esse material;
         Os endereços de home pages expostos aqui podem ter duas características, ou correspondem ao site oficial da
respectiva instituição ou não pertencem as entidades, mas contém alguma informação sobre elas na rede mundial de
computadores.



                                          6.1. O IPF PELO MUNDO
                                                     ALEMANHA
IPF- Berlin
Das Paulo Freire Institut (PFI) - Internationale Akademie
Home page: www.ina-fu.org/pfi1.html
Responsável geral: Ilse Schimpf Herken (professora Doutora na Universidade Livre de Berlin); E-mail: chimpf-
herken@gmx.de ; Fone: (DO 49 –30 8038965)
Equipe: Werner O. P.; E-mail: breede@tfh-berlin.de; Jürgen Zimmer - Prof. Dr. na Universidade Livre de Berlim;
Cristiane Bornemann - E-mail: icexicea@zedat.fu-berlin.de; Fone: (+49-30-8385 2149) - FAX (Work): +49-30-8335
2149
                                                                                                                     25
IPF- München
Kontakt: Arbeitskreis Freire – Paulo Freire Gesellschaft e.V. Heinz Schulze Augsburger
Home page: www.paulo-freire-ges.de
Str: 6, 80337 München
Tel: 0179/4214323
Fax: 089/770524
Ou http://home.t-online.de/home/Fritz.Letsch/paulo-fr.htm
E-mail: Paulo-Freire-Ges@link-m.de

                                                    ARGENTINA
IPF-Buenos Aires
Constituído, desde o final de julho de 2003. Organizado sob a coordenação e orientação de Walter Garcia, Carlos Torres
e Moacir Gadotti.
Responsáveis: Fabian Wagmister; Eduardo Favier Dubolis e Adriana Puiggrós: apuiggros@attglobal.net

IPF-Chacabuco
Instituto Superior de Educación Continua “Paulo Freire”
Responsável: Ana María Arias (Coordenadora) - E-mail: artor@cech.com.ar
Calle Avellaneda Nº 26 Ciudad Chacabuco - Código Postal 6740) Provincia Buenos Aires. República Argentina.
Funciona en el horario de 18.30 a 22.30 hs. T. E. 02352 - 428693./ 450934.
Obs: enviaram documento fundacional com os princípios do IPF

IPF-Rosário
Instituto de Investigaciones Paulo Freire
Universidad Nacional de Rosário (Faculdad de Derecho) Província de Santa Fé
Responsável: Lilians Mirtha Lopez - Professora Titular da Cátedra III “Introdución a la Filosofia y Ciencias Sociales”
na Faculdad de Derecho da Universidad Nacional de Rosario (UNR)
E-mails: ipfrosário@hotmail.com; liliansml@hotmail.com e ou catedratres@yahoo.com.ar
Tel: (0341) 4406123 ou (0341) 4402691 - Fax: 0341 – 4401097

IPF- Tandil
Faculdade de Ciências Humanas (Universidad Nacional Del Centro de La Provincia de Buenos Aires)
Responsável: Hugo Russo - Director Del Núcleo de Estúdios Educaconales y Sociales da Faculdad de Ciencias
Humanas (Universidad Nacional Del Centro de La Provincia de Buenos Aires)
E-mail: harusso@fch.unicen.edu.ar
Equipe: José L. Lens, Margarita Sgró, Cecília Dimarco, Sonia Araújo, Manuel Argumedo, Andrea Diaz
Home page: http://www.ipf.org.ar/

                                                        BRASIL
IPF-Ceará
1. Instituto Paulo Freire de Estudos Psicossociais Universidade Estadual do Ceará – (Centro de Educação)
Profª Ruth Cavalcante, Ana Célia ou Nila
E-mail: ipfce@secrel.com.br
Cássia Regina - cassiaregina@banconordeste.gov.br
Tel: (85) 264-5751
Centro de Educação – Av. Paranjana, 1700 – Campos do Itapevi
Tel: (85) 299-2774/2769
2. Centro de Desenvolvimento Humano
Rua: Professor Otávio Lobo, 324- Papicu
Tel: (85) 265-1674
Cezar Wagner de Lima Góis
(Doutor em Psicologia pela Universidade de Barcelona (Assessor do Instituto Paulo Freire de Estudos Psicossociais)

IPF-Maranhão
Reponsável: Roberto Mauro Gurgel Rocha
Tel (098) 235-05-07 ou celular (098) 9975-01-83
E-mail: rob.Mauro@zipmail.com.br ou umdimima@ig.com.br
Ou Jane Paiva: janepaiva@terra.com.br
26
  IPF-Juiz de Fora
Responsável: José Eustáquio Romão
E-mail: jer@terra.com.br
Membros: Edgard Pereira Coelho
E-mail: edgarsophia@bol.com.br

IPF-Rio de Janeiro
Responsável: Jane Paiva
E-mail: janepaiva@alternex.com.br

IPF-São Paulo (ver Sede Mundial do Instituto Paulo Freire na página 18 deste documento)
Site: www.paulofreire.org

IPF-Rio Grande do Sul
Instituto Estadual Paulo Freire (instituição pública estatal)
Escola de Ensino Médio em Uruguaiana/RS. A escola foi fruto da luta da comunidade da União das Vilas, área que
reúne cerca de 9 populosas vilas, durante a experiência do Orçamento Participaivo, entre 1999/2002 (Governo
Democrático e Popular). A escola funciona os três turnos utilizando os princípios freireanos em cada espaço e segundo
da ação dos educadores/as e educandos/as. Com a distribuição dos três anos do Ens. Médio em 7 etapas e com a
organização curricular baseada em áreas do conhecimento, fugindo da fragmentação e do bancarismo, trabalha junto
com mais de 500 educandos em três turnos de funcionamento.
Endereço: Rua Irmãos Galant, s/n - Chácara do Sol -Uruguaiana-RS - fone (55) 413 4970.
Contatos. E-mail: allmartins@ibest.com.br

                                                     CANADÁ
IPF-Canadá
Reponsável: Budd L. Hall
E-mail: bhall@oise.utotonto.ca
Daniel Schogurensky
E-mail: dschugurensky@oise.utoronto.k
Home page http://fcis.oise.utoronto.ca/~daniel_schugurensky/freire/freirebooks.html

                                                      CHILE
IPF-Santiago
Reponsável: Maria Elisa Castro Logomarsino, diretora do Centro Cultural Hispano Brasileiro
Home page: http://www.rebelion.org/sociales/freire260501.htm
Tel: (13) 3284-7833
E-mail: Marisa@ccbeunet.br
Contatos: Silvia Ângela Texeira Penteado – (Universidade Santa Cecília) - (CCHB)
Fone: (13) 3221-3242, Isabel Hernández - Asesora em investigación Sócio-Cultural (ISC) United Nations UNFPA
Suport Team Office for Latin America and the Caribbean
Fone: 208-0656, unfpachi@huelen.reuna.cl
Juan Carlos Tedesco (Diretor Regional de Educação da UNESCO)
Fone: 223 55 82 Claudio Muñoz Abaceta, E-mail: cmunoz@umce.cl, Daniel Tello (Fundación Cristo Vive),
daniel_tello_s@hotmail.com , www.fundacioncristovive.cl/

IPF-Temuco
Faculdad de Educación y Humanidades (Universidad de La Frontera)
Responsável: Guillermo Wiliamson - Prof. da Universidad de La Frontera (Secretario Regional Ministerial de
Educación -Fax (0056) 45-212971

                                                      CHINA
IPF-Hong Kong
Responsável: Lau Kin Chi
Universidade de Hong Kong
E-mail: laukc@in.edu.hk
Contato: Josette Mazella di Bosco Balsa
E-mail: laukc@in.edu.hk ou arena@asianexchange.org
                                                                                                                      27
                                                    COLÔMBIA
IPF- Bogotá
Responsável: Lúcia Tarazona de Niño E-mail:: danino@cable.net.co
Contatos: Guillermo Solart; E-mail:: vciudada@colnodo.apc.org
Jorge A. Bernal Medina – corporacion viva la ciudadania
E-mail:: misión@esap.edu.co
Alfredo Sepúlveda (Ministry representative)
Fone: 251-1701 - Ministry of Human Resources

                                                      EGITO
IPF-Egito
Coordenação: Linda Herrera (sob orientação de Carlos Torres e Moacir Gadotti)
E-Mail: eduegypt@yahoo.com

                                                        ESPANHA
IPF-Valência - Instituto Paulo Freire de España
Reponsável: Pep Aparicio Guadas - profesor de FPA, miembro del consejo directivo de la revista
DIALOGOS . E-mail: peaparicio@teleline.es
Home page: www.grupowebmedia.com/ipf
E-mail: ipfbarcelona@lamalla.net
Consejo Gestor: Manolo Collado - profesor de la Universidad de Sevilla, participante en diversos movimientos sociales,
culturales, de educación popular, miembro del comité de asesores de la revista DIALOGOS; miembro del consejo
gestor del Instituto Paulo Freire de España. E-mail: mcollado@us.es; manolo.collado@teleline.es .Colaboradores:
Vicenta Pérez - profesora de la Universidad de Córdoba; miembro del consejo de redacción de la revista DIALOGOS;
participante activa de los ámbitos feministas, político-sociales, miembro del consejo gestor del Instituto Paulo Freire de
España. E-mail: ue1pefem@uco.es . Emilio Lucio-Villegas - profesor de la universidad de Sevilla; miembro del consejo
de redacción de la revista DIALOGOS; miembro del consejo gestor del Instituto Paulo Freire de España. E-mail:
elucio@us.esSebas Parra - profesor de EPA y de la Universidad de Girona; participante y activista de diferentes
movimientos sociales, en la actualidad centrado en los tema de interculturalidad, inmigración, educación
popular,...miembro del consejo gestor del Instituto Paulo Freire de España. E-mail: sparra@solidaries.org
Los ámbitos de trabajo y investigación son:
1. Investigaciones; documentación y recursos; formación; asesoría; publicaciones Coordinadores equipo del CReC –
Isabel Aparicio Guadas-, email: crec@dva.gva.es
2. Sistemas territoriales y ecopedagogíaCoordinadores: Emilio Lucio-Villegas (Universidad de Sevilla), Angel Marzo (
profesor de FPA, miembro del consejo directivo de la revista DIALOGOS; participante y activista de diferentes
movimientos sociales en la actualidad centrado en los temas de educación popular, minorías étnicas; miembro de la
comisión de educación del centro UNESCO de Catalunya; miembro del Instituto Paulo Freire y coordinador por parte
de esta asociación del Fòrum Universal de les Cultures; E-mail: amarzo@pie.xtec.es ; Josefa Cabello (profesora de la
Universidad Complutense de Madrid, ; miembro del consejo de redacción de la revista DIALOGOS; participante activa
de los ámbitos de educación popular, político-sociales,... email: josefac@edu.ucm.es y Pascual Murcia Ortiz, profesor
de FPA, participante y activista de diferentes movimientos sociales en la actualidad centrado en los temas de educación
popular, miembro del Centro de Recursos y Educación Continua. CREC, miembro del Instituto Paulo Freire; email:
pascualmurcia@terra.es
3. Participación, democracia y ciudadanía Coordinadores: Jaume Martinez Bonafé (profesor de la Universitat de
Valencia, participante en diversos movimientos sociales y culturales, de renovación pedagógica,..., miembro del comité
de asesores de la revista Quaderns d’Educació Contínua; miembro del Instituto Paulo Freire de España; email:
jaume.martinez@uv.es, Tomás R. Villasante (profesor de la Universidad Complutense de Madrid, participante en
diversos movimientos sociales, ecológicos, políticos y culturales, de educación popular, miembro del comité de
asesores de la revista DIALOGOS; miembro del Instituto Paulo Freire de España; email: tvillasante@hotmail.com ,
Pedro Martin Gutierrez (Observatorio Internacional de Ciudadanía y Medio Ambiente Sostenible, de la UCM, profesor
en esta universidad, coordinador de diversos estudios de postgrado, participante en diversos movimientos sociales y
políticos, de educación popular; miembro del Instituto Paulo Freire de España; email: invpar@cps.ucm.es y Dolors
Monferrer Ferrando, profesora de FPA, miembro del consejo de la revista Quaderns d’Educació Contínua, participante
y activista de diferentes movimientos sociales en la actualidad centrada en los temas de educación popular, asesora de la
confederación sindical de CC.OO./PV en temas relacionados con el aprendizaje permanente, miembro del Instituto
Paulo Freire; email: monferrer@eresmas.net
4. Sexo, género y diferencia Coordinadoras: Alicia Gil Gómez (directora de la Fundación Isonomía-Universitat Jaume I
de Castelló, participante en diversos movimientos sociales y culturales, feministas,...; email: gil@isonomia.uji.es,
Vicenta Pérez (Universidad de Córdoba), Virginia Ferrer (profesora de la Universitat de Barcelona, participante en
diversos movimientos sociales y culturales, de educación popular; miembro del Instituto Paulo Freire de España,
28
   coordinadora por parte de esta asociación del Fòrum Universal de les Cultures; email: virginia.ferrer@doe.d5.ub.es y
Paqui Borox, profesora de FPA, participante participante y activista de diferentes movimientos sociales en la actualidad
centrada en los temas del aprendizaje permanente, miembro del consejo directivo de la revista DIALOGOS, miembro
de TAREPA; email: paquiborox@yahoo.es

                                                          GRÉCIA
IPF- Tessalónica
(discussão inicial para a organização do IPF na Grécia)

                                               GUINÉ-BISSAU
Intunda Na Montche (pretende fundar um IPF na Guiné)
Vic. O. della Magliana, 29
00148- Roma - Italia - intunda.namontche@engim.it - Tel- 0039- 3474117086/ 0039-06-6571417


                                                    ÍNDIA
IPF-Calcutá
Reponsável: Jaladhar Mullick
E-mail: polu1@vsnl.com ou polu@cal2.vsnl.net.in
IPF Fundado em 29-02-04. O IPF enviou, em nome dos Diretores, uma carta à Cerimônia de Abertura.
Advisory board: Shamik Bandhiopadhaya; Mohit Bhattacharya; Subhankar Chakraborty, Raghab Chattopadhaya;
Raneswar Bhattacharya, Bijam Chowdury, Habibur Rehman
Executive Committee: Jaladhar Mullick; Ashoka Bhattacharya; K P Gopkumar, V. Rhegu, Saibal Gupta, B. G. Bakil,
Ajoy Bhattacharya, Debaprasad Chakravarty, Anirudha Chowdury, Sri Kalyan Satpathi.

IPF- Mumbai
Mumbai
Creative Education & Resource Centre (Early Years Education)
Sophie Ahmed (Teacher Education) - Email: sophie_cerc@vsnl.net
Shivani Chaudhry - schaudhry@ciel.org
(IPF em construção)

                                                          ISRAEL
IPF-Israel
Mazkeret Batia
Coordenador: Davi Windholz
E-mail: Keshereq@bezeqint.net

                                                          ITÁLIA
IPF- Bolonha
Coordenação: Fausto Telleri
E-mail: ftelleri@ipazia.economia.unibo.it

IPF-Milão
Coordenação: Silvio Premoli e Piergiorgio Reggio (professor de Pedagogia Intercultural e Cooperação Educativa na
Universidade Católica)
E-mail: silvio.premoli@fastwebnet.it

                                                      MALTA
IPF-MALTA
Paulo Freire Institute
Executive Director: Fr Edgar Busuttil sj
Coordenação: Peter Mayo
Dar Ġużeppi Delia, 16, Misrah it-13 ta' Dicembru ZEJTUN
Home page: http://www.jesuit.org.mt/justice/freire.html E-mail: freire.@maltanet.net
 Tel: 2169 4583 Fax: 2180 1387
Contato: Peter Mayo,
E-mail: peter.mayo@um.edu.mt (University of Malta)
                                                                                                                  29
                                                    MÉXICO
IPF-Hermosillo (Sonora)
Instituto Paulo Freire A. C. Educación Arte y Cultura
Dirección: Profa. Miriam Vivian, Maestra Emérita ,Treinta años al servicio de la educación en México. (1968 – 1998),
Profesora en educación básica, Lic. En ciencias sociales, Maestra en educación. Mission institucional: solución al
problema de “inadaptación” social , Educar a los menores infractores en el manejo de su libertad.
Metas: Que dejen de ser seres de la adaptación y del ajuste, adquieran el compromiso necesario para el nacimiento del
nuevo hombre, viable, comprometido con él y con la sociedad que lo comprende. (Miriam Vivian enviou documento da
instituição ao IPF-Brasil)

                                                        PERÚ
Foro-Red Paulo Freire-Peru
Fundado em 18 de setembro de 2004, o “Foro-Red Paulo Freire – Perú” es un nuevo espacio plural de confluencia y
participación de personas e instituciones que se han dado por objetivo fundamental la promoción de una educación
liberadora inspirada en la obra de Paulo Freire, así como en otros educadores de la envergadura y proyección de José
Carlos Mariátegui, Augusto Salazar Bondy, José Encinas, Simón Rodríguez, José Martí, José Vasconcelos, Anísio
Texeira, Fernando de Azevedo, José Faustino Sarmiento, Iván Illich.
E-mail: foropaulofreire@yahoo.es; fororedpaulofreirep@yahoo.es

                                                    PORTUGAL
IPF-Portugal (Universidade do Porto)
Luiza Cortesão – Presidente do instituto Paulo Freire de Portugal e Professora catedrática da FPCE-UP) E-mail::
luizacortesao@hotmail.com
Centro de recursos Paulo Freire (Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação – UP) Rua do Campo Alegre, nº
1055, Sala 19, 4169-004 Porto – Tel.: 22.6079700
E-mail:: IPFPortugal@hotmail.com
Contatos:
Amélia Rosa Macedo E-mail:: ameliamacedo@netc.pt
Eunice Macedo E-mail: eunicemacedo@mail.pt
Lurdes Vasconcelos E-mail:: mlurdes@net.sapo.pt
Manuela Evans E-mail:: manevans@iol.pt
Centro de recursos Paulo Freire (Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação – UP) - Rua do Campo Alegre, nº
1055, Sala 19 - 4169-004 Porto - Tel.: 22.6079700 - E-mail:: IPFPortugal@hotmail.com
Agostinho dos Reis Monteiro – E-mail: a.reismonteiro@mail.telepac.pt

                                                   PORTO RICO
IPF-PORTO RICO
A organização do IPF-Porto Rico está sendo articulada por Carlos Alberto Torres e Moacir Gadotti.

                                                 REINO UNIDO
IPF- Escócia
Responsável pela organização: Liam Kane email: lkane@ace.gla.ac.uk

Inglaterra
IPF-Manchester
The Freire Institute for Economic, Social and Theological Analysis
Home page: http://freire.org
E-mail: info@freire.org
Fone: 44 (0)870 020 5577.
The Freire Institute - Luther King House
Brighton Grove - Manchester M14 5JP

                                           REPÚBLICA DOMINICANA
IPF-República Dominicana
Coordinador: Prof. Damian Morale E-mail:: hotdamian@hotmail.com
Endereço: Dr. Teofilo Ferry #35, Ens. Maria Rubio,
Tel. (809) 550-4873, E-mail: instituto_do_paulofreire@hotmail.com ou
Equipo Docentes:
Prof. Wandy Duverge, Prof. Scarlet Guerrero Santana, Isette Ivelissete Garcia de los Santos, Prof. Ruben Dario Felix
Morla, Prof. Geidy Luciano Grangerd, Prof. Berenice Santana
30
  Cuerpo de Ayundates Auxiliares:
Edwin Garrido Garcia, Jeneffer Morales de la Rosa, Mary Alejandrina Duverge, Carmen Antonia Dalmasi, Patricia
Morales Rosario

                                                        SUÉCIA
IPF-Suécia
Responsável: Azril Bacal - E-mail: bazril@hotmail.com, azril.bacal@rocketmail.com ou azril.bacal@soc.uu.se
Martin Ezpeleta - E-mail:: cetal.uppsala@swipnet.se - CETAL. Uppsala University Granitvagen
Endereço: 10 B 1 S-752 43 Uppsala SWEDEN Tel: +46 18 553 059 Fax: +46 18 101738
Contatos: (21)-2552 6921
E-mail: Torbjorn.Stockfelt@comhem.se ou E-mail: torbjorn.stockfelt@telia.com
Dados curriculares: Filosofie doktor at Uppsala university and, among other jobs, psychologist, specialised on work,
sport and competence growth, have been acting professor in educational psychology related topics at Stockholm
university, KTH (the technical university) in Stockholm and professor of Humanics and Pedagogics at Springfield
College, Massachusetts, USA. Has written about thirty books in different work psychological topics and in fiction.
Endereço: Nedre Kvarnbergsgatan 22, S-411 05 Göteborg, Sweden.
Telephones, 0046-(0)31-7434799 and (0)706-257766.
Martin Ezpeleta: E-mail: cetal.uppsala@swipnet.se
STUDIES AND WORK CENTRE LATIN AMERICA - CETAL
Endereço: S:t Johannesgatan 2, 2 tr
SE-753 11 Uppsala , Tel: 018-10 17 38, Fax: 018-10 17 38
CETAL is an adult alternative education centre which integrates Latin Americans and Swedes willing to help and
participate in educational, informative, cultural and solidarity projects in both Sweden and Latin America. Under the
principles of equality, democracy and solidarity, CETAL’s members and followers try to develop themselves in the
fields of education, communication and promotion of Lat.


                                  6.2. CÁTEDRAS PAULO FREIRE
                                                   ARGENTINA
Luján - Cátedra Abierta Paulo Freire
Responsável: Nestor Fuentes
E-mail: fuentesnestor@hotmail.com
Faculdad de Filosofia y Letras - Universidad Nacional de Luján
Dr. Maria Teresa Sirvent - Miembro de La Junta Departamental – Departamento de Ciencias da Educação (Universidad
de Buenos Aires – Faculdad de Filosofia y Letras)
Tel: 54-1-931-6244 Fax: 54-18865-4662.

Entre Rios - Cátedra Abierta Paulo Freire
Silvia Mariela Moreno
E-mail: mariemo@arnet.com.ar
Tel: 0343 4331545
Faculdad en Educación de La Universidad Nacional de Entre Rios

San Luis - Cátedra Libre de Alfabetización "Paulo Freire"
Sr. Francisco Suarez - Tel. 0657-20565
Endereço: Fuerte Constitucional 245 (5730) Villa Mercedes.
Universidad Nacional de San Luis
Home page: www.fices.unsl.edu.ar/alfabet.htm
Contatos: alfabet@fices.unsl.edu.ar ou bstinga@fices.unsl.edu.ar ou fsuarez@fices.unsl.edu.ar

                                                     BRASIL
Campo Grande - Cátedra Livre Paulo Freire
Coordenadoras: Aparecida de Fátima Tiradentes dos Santos, Dra em Educação pela UFRJ e, Raquel Mara
Lopes/Mestranda pela UCP
Faculdade de Filosofia de Campo Grande - FEUC
O núcleo da Cátedra é composto por alunos do curso superior de Pedagogia da Faculdade de Filosofia de Campo
Grande - FEUC.
A Cátedra está situada à Estrada da Caroba, 685 Campo Grande - Rio de Janeiro - RJ
Tel: 2413-5230
                                                                                                                   31
Home page: www.catedrapaulofreirefeuc.hpg.ig.com.br/ciencia_e_educacao/8/index_pri_1.html
E-mail: catedrapaulofreirefeuc@ieg.com.br

São Paulo - Cátedra do Oprimido (IPF)
Coordenação: José Eustáquio Romão
A Cátedra do Oprimido, coordenada por José Eustáquio Romão, compõe-se de um grupo de pesquisadores que, em
nível de pós-graduação, dedicam-se à pesquisa dos paradigmas do Oprimido. Seu objetivo maior é perscrutar em todos
os espaços e dimensões sociais a cultura do oprimido. Em meados de 2002, um grupo de pesquisadores e pesquisadoras
decidiu se reunir periodicamente através de círculos de cultura, para se discutir assuntos ligados ao processo
civilizatório do oprimido. O tema central de discussão é a hipótese: quando houve avanços na humanidade, estes vieram
do oprimido? Deverá, cada pesquisador e pesquisadora procurar comprovar esta hipótese, cada um em sua área. A
princípio foram criados dois Núcleos de trabalho, um na cidade de Juiz de Fora, no estado de Minas Gerais, que a cada
reunião cresce o número de integrantes. As dependências usadas são as salas do Núcleo de Pesquisa da pós-graduação
do Centro de Ensino Superior, que se localiza à Avenida Rio Branco, num imóvel tombado. O segundo núcleo está
instalado na moderna sede do Centro Universitário Nove de Julho, na cidade de São Paulo, também no centro de pós-
graduação do mesmo. Os primeiros encontros do grupo estabeleceram os seguintes encaminhamentos: Constituição e
instalação da “Cátedra do Oprimido”, no contexto da UNIFREIRE; Formulação coletiva do Programa “Civilização do
Oprimido” (PCO), que deverá desdobrar-se em planos e projetos de levantamentos, estudos, pesquisas, dissertações,
teses e cursos; Realização, no mínimo semestral, de um Círculo de Cultura, na sede do IPF em São Paulo, de todo o
grupo envolvido, para socialização dos resultados dos trabalhos desenvolvidos e discussão dos fundamentos do PCO, da
Cátedra do Oprimido, da UNIFREIRE e do próprio IPF; Formulação e implementação de cursos da “Cátedra do
Oprimido”, a partir dos resultados dos projetos de levantamentos, estudos, pesquisas. dissertações e teses. Home page:
http://www.paulofreire.org/unifreire/coprim.htm.

São Paulo - Cátedra Livre Paulo Freire (IPF).
Inaugurada em 2001, a Cátedra Livre Paulo Freire é coordenada por Jason Ferreira Mafra. Dedica-se à formação interna
e possui uma programação estruturada até para o ano de 2006. Tem como objetivo geral atualizar o legado de Freire por
meio de estudos e produções que atendam às demandas teórico-práticas da comunidade freiriana e do Instituto Paulo
Freire. Além disso, promove oficinas e encontros culturais com educadores, sobretudo de outros países, que visitam o
Instituto Paulo Freire. Home page: www.paulofreire.org
Contatos: unifreire@institutopaulofreire.org.br; catedraipf@institutopaulofreire.org.br; Ana Cândida P. Magalhães:
anapaoletti@uol.com.br; Andrea Marinho: andmarinho@universiabrasil.net; Angela Antunes: angela@paulofreire.org;
Delma Lucia Mesquita: sandroedelma@ig.com.br; Deucelia Nunes Lima: celia@institutopaulofreire.org.br; Flander A.
Calixto:     flander@ufu.br;     Jason     Mafra:     jmafra@institutopaulofreire.org.br;   Juliana    D.    Pastore:
jdpastore@institutopaulofreire.or.br:; Kathia Dudyk: kathia@institutopaulofreire.or.br; Luiz Carlos de Oliveira:
luizinho@institutopaulofreire.org.br; Maria Alice de Paula Santos: malice@institutopaulofreire.org.br; Paulo Roberto
Padilha: padilha@paulofreire.org; Renata Paredes: renata@institutopaulofreire.org.br; Sandro Alan R. Calvo:
sandro@institutopaulofreire.org.br; Sirley F. Alves: sftal@institutopaulofreire.org.br; Solange de Lima Oliveira:
solange@institutopaulofreire.org.br; Thais A. R. Sgroia: thais@institutopaulofreire.org.br

                                                  COLÔMBIA
Cauca-Popayán - Cátedra Livre
Dolores Cristina Montaño Arias dmontano@ucauca.edu.co
Universidad del Cauca - Facultad de Educación, Departamento de Educación y Pedagogía <lola0527@hotmail.com>
Dirección: Carrera 16 Norte #20N57 - Urbanización la Villa -Sector Campamento, Popayán, Cauca.

                                                    COSTA RICA
Heredia - Cátedra Paulo Freire
Coordenação: Dr. Jacinto Ordoñez
E-mail: Jacintoo@hotmail.com ou ireyes@irazu.uma.ac.cr ou ordonez229@hotmail.com
Universidad Nacional – Centro de Investigación e Docência em Educacion (CIDE)
Endereço: Apdo. 86-300 – Heredia - Costa Rica
Tel: 277-3363 ou 277-3373
Contatos: Mario Oliva Medina– Centro Estudios Generalis - Fone: (506) 260-8882 – Res.Comercial: 277-3916
Francisco Gutierrez – (Diretor do IPF) e Cruz Prado
E-mail: ilpeccr@racsa.co.cr
Danilo Pérez Zumbado (Universidad Nacional)
E-mail: dzumbado@una.ac.cr
Alicia Sequeira Rodriguez
E-mail: asequeira@cariari.ucr.ac.cr
32
     Lizette Brenes

                                                      CUBA
Holguín - Núcleo de Estudos sobre a obra de Paulo Freire
Coordinadora general: Dra. María Alicia Alvarez Reyes
Directora Relaciones Internacionales.
Avenida Libertadores Km 3,5
CP. 81000, Holguín, CUBA.
Teléfonos:(53)(24) 48 19 70 - 48 21 45
Fax: (53) (24) 48 11 68
E-mail: relinter@peda.hlg.sld.cu

Cienfuegos - Cátedra de Estudios Comunitario Paulo Freire
Centro Provincial de Superación para la Cultura de Cienfuegos.
Coordenação: Nidia González e Mariano Isla
Calle 68 # 903 el 9na y 11na. Playa.
Home page: http://www.azurina.cult.cu/app/convoca/convoca.asp?Id_convocas=138
Telefax: (53) 7- 203 5886 E-mail: apc@ceniai.inf.cu
Contato: Dirección: Ave 52 #2707. Cienfuegos.
Teléfono: (53) 1-432-51 9745
Telefax: (53) 1-432-51 8783
E-mail: superacion@azurina.cult.cu

                                                       ESPANHA
Valência - Cátedra Paulo Freire
Coordinadores: Manuel Collado (Universidad de Sevilla), Sebastián Parra (profesor de la Universitat de Girona,
miembro de, entre otras organizaciones, de la Universitat Popular Alternativa), Jordi Vallespir (profesor de la
Universitat de les Illes Balears, miembro del consejo asesor de la revista Quaderns d’Educació Contínua, participante en
diferentes movimientos sociales, en la actualidad centrado en el tema de interculturalidad, miembro del Instituto Paulo
Freire; email: dcejvs0@ps.uib.es y Pep Aparicio Guadas.

                                                 PORTO RICO
Cátedra Paulo Freire
Coordenadora: María A. Irizarry
Faculdade de Educação da Universidade de Porto Rico
Home page: www.rrp.upr.edu/educa/educacion_files/mensaje.htm
José Miguel Rodriguez - E-mail: jmrm@coqui.net

                                                    MÉXICO
Chapingo - Cátedra Libre Paulo Freire
Contatos: Universidad Autonoma Chapingo (Departamento de Sociologia Rural)
Responsável: Dr. Bernardino Mata Garcia
E-mail: bmatag@hotmail.com Ou bmata@correo.chapingo.mx
Clodomir Santos de Morais y Jacinto Correa (Universidad Autônoma de Chapingo)
Km 38,5 Carr. México – Texcoco – CP 56230, Chapingo, Edo. De Mexico
Fone: 01 (595) 952-1625

Cuernavaca - Cátedra Paulo Freire
Dr. Arturo Ornelas Lizard - Professor e Diretor de Relações Internacionais da Universidade Autônoma do Estado de
Morelos
Coordenador Geral do Centro de Desarrolo Humano Hacia la Comunidad A. C.
E-mail: ornelas@buzon.uaem.mx
Tel: 01 – 73 – 297994, ext. 6108
Stella Araujo Oliveira: E-mail: araujoss@buzon.uaem.mx e catedrapaulofreire@yahoo.com
Home page: www.uaem.edu.mx/oferta/facultades/ice/icedoc/proyectos.htm#TOP

Guadalajara - Cátedra Paulo Freire-Morin
Coordenador: Aarq. Carlos Nuñez Hurtado (Universidad de Guadalajara - Departamento de Educación y Valores -
ITESO) - E-mail: carlosn@iteso.mx
Asistente de Coordinación: Lic. Lourdes Llama Glez; E-mail: llamalu@iteso.mx Fone: 33-36-69-35-21 ext.3268
                                                                                                                33
Conselho Consultivo: Lic. Andrés Pexioto; (Jefe del Departamente de Educación y Valores del Iteso); E-mail:
andres@iteso.mx - Fone: 33-36-69-35-21 ext. 3454; Mtra. Cecilia Herrerías (Coordinadora de la Licenciatura en
Ciencias de la Educación), E-mail: cecilia@iteso.mx - Fone: 33-36-69-35-21 ext. 3438; Mtra. Margarita Contreras
Coordinadora del Simposium de Educación, E-mail: mcontrer@iteso.mx - Fone: 33-36-69-35-21 ext. 3330; Mto. Jorge
Narro (Secretario Rectoria Iteso), email: jorgen@iteso.mx - Fone: 33-36-69-34-34 ext. 3538; Mtro. Miguel Bazdresh
(Procurador de Derechos Universitarios Iteso); E-mail: mbazdres@iteso.mx Fone: 33-36-69-35-21 ext. 3453; Mtro.
Felipe Alatorre (Académico del Centro de Investigación y Formación Humana de Iteso): E-mail: falatorr@iteso.mx,
Fone: 33-36-69-34-34 ext. 3326; Mtro. Rigoberto Gallardo (Académico del Centro de Investigación y Formación
Humana de Iteso): mail: rgallardo@iteso.mx Fone: 33-36-69-34-34 ext. 3118; Efrén Orozco, Instituto Mexicano para el
Desarrollo Comunitario, A. C. (IMDEC): E-mail: imdec@laneta.apc.org Fone: 33-38-10-45-36 Fone: 33-38-11-09-44;
Membros da equipe: Arq. Carlos Núñez, Lic. Adriana González Arias y Sandra Acosta Gamiño; Endereço: Periférico
Sur 8585 Tláquepaque, Jalisco C.P. 45090, Tel. 36 69 34 51 Ext. 3268

                                                  VENEZUELA
Caracas - Cátedra Paulo Freire y La Americanidad
(Universidad Central de Venezuela)
Rosa Maria Pérez dos Santos (fundadora e coordenadora): E-mail: rosamariaperez@hotmail.com
E-mail: catedrapfreire_97@yahoo.es
Contatos: Sonia P. de Linares; Elizabeth Safar; María Gorety E-mail: mariagorety@yahoo.com; Yoraima Salazar E-
mail: syoraima@hotmail.com; José Marín - josecmarind@yahoo.es; Irene Labraga E-mail: irelab@latinmail.com;
Osmerly Lobos: osmerlylobo@hotmail.com; Escuela de Educación. Edificio Transbordo. Piso 3, Departamento de
Administración Educativa. Ciudad Universitaria. Los Chaguaramos (Caracas)
Telefones: (0212) 605-29-65 – 6052883 - (Fax) 605-28-84; (Celulares) 0412- 7142795 (Rosa Maria) ; 0414-2595820
(Maria Gorety); 0416-8075709 (Osmerly); 0414-2563833 (Rosa Maria); 0416-6392030 (Jose Marin)



                            6.3. COMUNIDADE FREIRIANA NO BRASIL
                                                   BRASIL
CONCLAEA (Confederación Caribeña y Latino Americana de Estudiantes de Agronomía)
Organización Latinoamericana de Estudiantes de Agronomia (realizaram em 2003 mesas redondas sobre Paulo Freire e
a educação no campo e discutem Paulo Freire nas faculdades de agronomia) - E-mail: cgconclaea@yahoo.com.br -
FEAB – Brasil (Via Campesina).

                                                      AMAPÁ
Macapá
Grêmio Estudantil Paulo Freire Instituto de Educação do Território do Amapá

                                                    BAHIA
Dom Basílio
Educandário Paulo Freire
Avenida Senhor do Bonfim nº 09 – Bairro Probo Meira Júnior
CEP 46165-000 – Dom Basílio – Bahia - Responsável – Edite Caires da Silva
Fax.: 77-448-2121

Feira de Santana
Diretório Acadêmico Paulo Freire – Universidade Federal de Feira de Santana (UFFS)
E-mail: webmaster@uefs.br

Simões Filho
Fundação Crê
Contato: Ana Amélia Magalhães
(71) 496-6000 ou (71) 496-1807
Home page: www.fundacaocre.com.br

Salvador
1. Biblioteca Paulo Freire – Centro de Educação e Cultura Popular
O CECUP mantém uma biblioteca popular, a Biblioteca Paulo Freire, que se constitui num espaço de leitura e pesquisa
para educadores, estudantes e pesquisadores - Também mantém ainda uma videoteca que conta com um acervo sobre
34
   temáticas variadas: educação, cultura, criança e adolescente, questões raciais, questões de gênero, sexualidade,
doenças sexualmente transmissíveis, entre outras. Rua Chile, 22 - sala1.506 - Edifício Bráulio Xavier - Centro -
Salvador
Fundado em 04 de março de 1982 –
Tel/fax: (071)321-2604 - cecup@cecup.ong.org - Home page: www.cecup.ong.org - www.cecup.ong.org/biblio.htm

2. Escola Educação Internacional da Bahia
A concepção de ensino e aprendizagem da Escola de Educação Internacional se articula em dois importantes eixos: Em
primeiro lugar, a proposta valoriza múltiplas maneiras de ensinar, uma vez que cada criança possui recursos distintos e
um conjunto de necessidades especiais de aprendizagem. Não se adota, portanto, uma única maneira de ensinar para
todos. O fazer pedagógico da escola procura se ajustar, tanto quanto possível, não só às possibilidades individuais de
cada criança, mas também às suas limitações.
Diretor: Dr. Paulo Pèrissé - E-mail: pperisse@globalschool.com.br
Home Page: www.globalschool.com.br

                                                        CEARÁ
Fortaleza
1. Instituto Paulo Freire de Estudos Psicossociais (Universidade Estadual do Ceará – Centro de Educação)
Contatos: Profª Ruth Cavalcante ou Ana Célia ou Nila E-mail: ipfce@secrel.com.br
Cássia Regina - cassiaregina@banconordeste.gov.br
Tel: (85) 264-5751 Centro de Educação – Av. Paranjana, 1700 – Campos do Itapevi
Tel: (85) 299-2774/2769 - Centro de Desenvolvimento Humano
Rua: Professor Otávio Lobo, 324- Papicu - Tel: (85) 265-1674
Cezar Wagner de Lima Góis - Doutor em Psicologia pela Universidade de Barcelona (Assessor do Instituto Paulo Freire
de Estudos Psicossociais)
2. Centro De Educação De Jovens E Adultos Paulo Freire
Av. Olavo Bilac, 1300 – Bairro São Gerardo – Fone: 287-6244 – Fax.: 287-2355 – Secretaria da Educação Básica do
Estado do Ceará
Home page: www.geocities.com/cpaulofreire
E-mail: cpaulofreire@yahoo.com.br
Maria Delma Braga Fonteles (Diretora Geral)
E-mail: delmafont@aol.com
José Brasil De Matos Filho (Coordenador De Gestão)
E-mail: jbrasilfilho@bol.com.br
3. Curso Paulo Freire - Universidade Federal do Ceará - Faculdade de Direito
Rodrigo de A . Marques - E-mail: cursopaulofreire@grupos.com.br
Rua General Sampaio, s/n, Centro – Fortaleza – CE
4. Medalha Paulo Freire
A Medalha Paulo Freire é uma iniciativa da Câmara Municipal de Fortaleza.
Home page: www.joseairton.org.br/noticias/noticia.asp?ID=317
5. Núcleo de Tecnologia Educacional Paulo Freire (NTE)
A escolha do nome do NTE foi da equipe de professores multiplicadores do NTE. O NTE Paulo Freire faz parte do
CREDE 10 - Centro Regional de Desenvolvimento da Educação, órgão descentralizado da SEDUC - Secretaria de
Educação Básica do Ceará, atende uma região de 13 municípios e mais de 40 escolas públicas estaduais e faz parte do
PROINFO - Programa Nacional de Informática na Educação. Sua finalidade é dar suporte pedagógico e técnico às
escolas que estão recebendo laboratório de informática como capacitações, oficinas, desenvolvimento de projetos,
acompanhamentos na implantação da informática educativa nas escolas. A maior preocupação é procurar desenvolver
um trabalho amplo de educação libertadora e para tanto querem desenvolver um projeto sobre Leitura e Escrita nas
escolas onde o computador será usado como meio de pesquisa, bancos de dados, editoração de textos feitos por alunos e
professores e outros recursos também. A equipe é formada por quatro professores, todos especialistas em informática na
educação.
Contato: Luís Moreira de Oliveira Filho - Professor Especialista e Suporte em Informática - NTE Paulo Freire - E-mail:
lmoreira@secrel.com.br
6. Rua Paulo Freire
Conjunto Santa Filomena - Home page: http://diariodonordeste.globo.com/1999/06/29/010056.htm
7. Centro Acadêmico do Paulo Freire
Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará
Kátia Malena (Diretora do CA) (85) 32887663 e Auxiliadora Fortes: SoaresFortes@aol.com
8. Disciplina: Pedagogia de Paulo Freire.
No Curso de Pedagogia da Faculdade Federal do Ceará
                                                                                                              35
Sobral
Escola Paulo Freire de Ensino Fundamental e Educação Infantil

                                             DISTRITO FEDERAL
Brasília
Escola Municipal Paulo Freire
Bairro do Pedregal - Brasília

Brasília
Espaço Paulo Freire
SDS Edifício Boulevard Center 3º Andar - Brasília DF - CEP 70.391-900
Tel: 61 226 5661 - Fax: 61 225 1948
E-mail: fenabb@fenabb.org.br

Ceilândia
Centro de Educação Paulo Freire de Ceilândia (Cepafre)
Diretor: Gilberto Ribeiro - Endereço: CNN 01 BLOCO E SALA 21 - CEILANDIA
CEP: 72225000 - Fone / Fax: 615811433
Home page: www2.correioweb.com.br/cw/2001-09-19/mat_13264.htm - E-mail: (ADUnB) adunb@adunb.org.br

                                           ESPÍRITO SANTO
Cariacica
Centro Educacional Paulo Freire
Home page: www.cce.ufes.br/~olimpmat/Esc_Cad_2002.htm



Marataízes
Colégio Paulo Freire
Rua Neca Bom Gosto, s/nº - Bairro Ilmenita - Marataízes - Espírito Santo (ES) - Brasil - CEP 29.345-000 - E-mail:
colpaulofreire@ig.com.br
Home page: www.colpaulofreire.hpg.ig.com.br/ciencia_e_educacao/88/index_pri_1.html

Piúma
Centro Educacional Paulo Freire
Home page: www.cce.ufes.br/~olimpmat/Esc_Cad_2002.htm

Serra
EEF Paulo Freire
Home page: www.cce.ufes.br/~olimpmat/Esc_Cad_2002.htm

Vila Velha
Biblioteca Paulo Freire

                                                    GOIÁS
Goiânia
Centro Acadêmico Paulo Freire
Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás
Contato: Flávia Maria Cruvinel (Educadora musical na perspectiva freiriana) – apresentação de Colóquio de Recife
(2003) - Rua T- 37-A nº 37 Setor Bueno - CEP: 74-223-030 - Fone: (62)2414933 - E-mail:
flaviamariacruvinel@hotmail.com

                                                MARANHÃO
São Luís
IPF-Maranhão
Responsável: Roberto Mauro Gurgel Rocha
Tel (098) 235-05-07 ou celular (098) 9975-01-83
E-mail: rob.Mauro@zipmail.com.br ou umdimima@ig.com.br
Jane: janepaiva@terra.com.br
36
                                                 MATO GROSSO
Guarantã do Norte
1. Escola Paulo Freire
Diretora Marildes Tavares

Reserva Pimentel Barbosa
Colégio Paulo Freire
Home page: http://www.selltour.com.br/html/tser_outubro.htm

Tapurah
Escola Paulo Freire

                                             MATO GROSSO DO SUL
Campo Grande
1. Centro Acadêmico Paulo Freire
Universidade Católica Dom Bosco
Home page: www.unibosco.br
2. Escola Paulo Freire
Home page: www.escolapaulofreire.com.br/pf.asp
Fone: (67) 341.5256 - Rua Jeribá, 653 - Jd. Chácara Cachoeira - Campo Grande/MS - CEP 79040-120

                                                  MINAS GERAIS
Belo Horizonte
1. Prêmio Paulo Freire
Secretaria Municipal da Coordenação de Política Social - Secretaria Municipal de Educação
Prêmio "Paulo Freire 2003/2004" - Regulamento do Concurso - PRÊMIO "PAULO FREIRE 2003/2004"
Home page: http://bhz5.pbh.gov.br/dom.nsf/0/055b114193891d2283256da50070b4f3?OpenDocument
2. Bernardo Brant (direção de Vídeo)
E-mail: Bernardo@ipese.com.br
(31) 3213-2404
Rua Goitacazes, 333 – conj. 305 – Centro
Tel/Fax – (31) 3213-2404 – Belo Horizonte – MG
Home page: www.cpp.inf.br e Home page: www.oimacerus.org.br
3. E. M. Professor Paulo Freire
Fundada em 14/02/2001 - Rua Paulo Campos Mendes, 311 - B. Ribeiro de Abreu
Tel: 3277-7481- Belo Horizonte
Diretora: Maria Oneida Alves
4. Auditório Paulo Freire
Rua: Carangola, 288, 8º andar - Bairro St Antonio

Divinópolis
Escola Paulo Freire
Diretora: Rosa – Fone: (?) 3214-8707

Itabira
Esc. Centro Educacional Paulo Freire
Home page: http://www.itabira.com/servi_es.htm
Rua Gd. M. Custódio, 170 - Tel:(31) 3831-2766

Governador Valadares
Escola Professor Paulo Freire
Diretora Dminerva - Rua: Verona, nº 30
Bairro: Grã-Duquesa - CEP: 35057-740 – Fone: (33) 3276-2600

Juiz de Fora
Instituto Paulo Freiriana
Diretor Geral: José Eustáquio Romão
E-mail: jer@terra.com.br
Edgar: E-mail: edgarsophia@bol.com.br
                                                                                                                37
Monte Alegre de Minas
Educadores/as Freirianos
Ivone Coelho Ferreira; (34) 9973-7870; Ana Maria Ferreira D. J. Gimarães; (34) 3283-1028; Dulcinéia Freitas Costa;
(34) 3283-1228; Lucia Helena A. Silva (34) 3283-1547; Nelva A. Vieira Silvério Gouveia (34) 3283-0047; Divina
Helena P. David (34) 3283-1194; Irene Alves Faria (34) 3283-1130 Mail: irenealvesfaria@uol.com.br; Libia Gomes
Sandim Rosa

Patos de Minas
Educadores/as Freirianos
Lisbeth Nunes Coimbra Queiroz Fone: (34) 9665-2734;

Presidente Olegário
Educadores/as Freirianos
Cátia Rodrigues da Costa (34) 3257-2105 / 9917-0911

Uberlândia
Educadores/as Freirianos
Rosana Gonçalves Torquete, Mail: rosanagtrq@uol.com.br; Célia M. Nascimento Tavares, Mail:
celiamaria@netsite.com.br; Teodora A. Santos, Mail: teodora4@bol.com.br, Patrícia Resende de Souza, Mail:
patire.souza@bol.com.br; Marta Helena Reginaldo silva (34) 3257-2105 / 2357-4322 Lazara Maria Silva (34) 3811-
1820; Nilza Márcia M. S. Ferreira (34) 3283-6140 / 9103-3210; Paula Pereira R. Castro (34) 3211-2067 / 9127-2957;
Jaqueline Vilela Gusmão, Mail: jaquelinegusmao@netsite.com.br; Adriana Pettersen Coelho, Mail:
apettersen@netsite.com.br; Fabiana Castilho e Silva, Mail: fabianacasti@bol.com.br (34) 3283-172 / 9115-9761;
Patrícia Vieira Borges, Mail: patriciamineirinha@hotmail.com (34) 3214-1227; Izaulina da Silva Dias (34) 3215-5919,
Roberta Santos Teixeira (34) 3238-8430

                                                      PARÁ
Belém
Biblioteca Paulo Freire
Universidade Estadual do Pará (UEPA)
Campus - Centro de Ciências Sociais da Educação
Tv. Djalma Dutra, s/n – Telégrafo - 66113-200 Belém - Pará
E-Mail: bibccse@uepa.br
Home page: www.uepa.br/plug/biblioteca.htm#Campus%20I

Marabá
Biblioteca Paulo Freire
Escola Liberdade - End.: Travessa Duque de Caxias - Telefone: 324-2305

                                                      PARANÁ
Campo Mourão
Unespar
Cindy Miranda - E-mail: gottardo@start.com.br

Curitiba
1. Escola Municipal Paulo Freire - Educação Infantil/Ensino Fundamental
A escola conta com aproximadamente 1100 alunos, entre os turnos da manhã, tarde e noite com Educação de Jovens e
Adultos. Completou 3 anos em 27 de abril de 2001.
Julianna Cruz – Diretora da Escola - E-mail: julianna.cruz@bol.com.br - Fone: 289-5658
2. Grupo de Estudos e Pesquisas em Paulo Freire
Endereço: UPPR - r de Educação - Anf. 100 –
1º andar Rua Gal. Carneiro, 460 - Ed. Dom Pedro

Londrina
Colégio Paulo Freire
Home page: /www.unopar.br/portugues/publicacoes/junho2001/pag9.htm

                                                      PARAÍBA
João Pessoa
Biblioteca Digital Paulo Freire
38
   Universidade Federal da Paraíba
Home page: www.paulofreire.ufpb.br
Responsável: Maurício Linhares, E-mail: contato@paulofreire.ufpb.br
A biblioteca tem como objetivo principal disponibilizar materiais sobre o pensamento freireano, com o intuito de fazer
com que mais pessoas possam conhecer o trabalho de Freire e sua teoria da libertação. O projeto existe desde 2000,
quando foi apresentado pela Profª Drª Edna Gusmão de Góes Brennand (Programa de Pós-Graduação em Educação
PPGE/CEAD/UFPB ) e pelo Profº Drº Ed Porto Bezerra (Departamento de Informática - DI), na Universidade Federal
da Paraíba (UFPB). O trabalho se dá, na maior parte, na digitalização e disponibilização de materiais relacionados a
Freire, que vão desde impressos até arquivos de áudio e vídeo, onde podem ser encontrados depoimentos de Freire ou
de outras pessoas falando sobre sua obra e sua importância.


                                                 PERNAMBUCO
Recife
1. Centro Paulo Freire – Estudos e Pesquisas
Fundado por Paulo da Silveira Rosas
E-mail: cpaulofreire@zipmail.com.br
Diretoras: Maria Nayde dos Santos Lima e Argentina Rosas - gentarosas@uol.com.br
Home page: www.paulofreire.org.br
Fone: (81) 3271-8809
E-mail: cpaulofreire@zipmail.com.br
Endereço: Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco.
Rua: Acadêmico Hélio Ramos, s.n.
Cidade Universitária - CEP 50670-901.
Recife - PE - Brasil
Tele-fax: (81) 3271-8320
2. Núcleo Paulo Freire de Apoio Pedagógico
Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Pernambuco
Profa. Jurema Lisboa de Castro
Coordenadora do Núcleo de Apoio Pedagógico-CCS/UFPE
E-mail: juremalc@terra.com.br
3. Escola Municipal Educador Paulo Freire
Home page: www.netpe.com.br/pcr/emepf/EM.htm
4. Grêmio Estudantil Paulo Freire
Colégio Marista do Recife
5. Biblioteca Paulo Freire
Colégio Boa Viagem
Rua Prof. Eduardo Wanderley Filho, 539
Boa Viagem - 51020-170 - Recife - Pernambuco
PABX: 81 3465.4444 / 3466.4004 - Fax: 81 3326.1136
Home page: www.cbvweb.com.br
www.cbvweb.com.br/estruturainst/biblioteca.asp
6. Cine Teatro Paulo Freire
Av. Mal. Floriano Peixoto - Centro- PAULISTA
Home page: http://www.revista.cultura.pe.gov.br/agosto/cenicas_texto_ago.html


Santo Agostinho
Núcleo de Estudos Paulo Freire
Valdenir Colares (professora) - E--mail: v.colares@uol.com.br
(solicitação de informações para a formação do centro – 15/09/03)

Pontezinha
Escola Paulo Freire

                                                       PIAUÍ
Terezina
Centro Acadêmico de Pedagogia "Paulo Freire"
Universidade Federal do Piauí
                                                                                                                 39
Responsável: Marli Clementino, E-mail: marliclementino@bol.com.br

                                              RIO DE JANEIRO
Búzios
Colégio Paulo Freire
Home page: www.buzios.rj.gov.br/escolas/paulofreire.asp

Campo grande
Cátedra Livre Paulo Freire
Faculdade de Filosofia de Campo Grande - FEUC
Home page: www.catedrapaulofreirefeuc.hpg.ig.com.br/ciencia_e_educacao/8/index_pri_1.html
O núcleo da Cátedra é composto por alunos do curso superior de Pedagogia da Faculdade de Filosofia de Campo
Grande - FEUC e coordenada pelas professoras Aparecida de Fatima Tiradentes dos Santos - /Doutora em Educação
pela UFRJ e Raquel Mara Lopes/Mestranda pela UCP. A Cátedra fica situada à Estrada da Caroba, 685 Campo Grande
- Rio de Janeiro - RJ
Tel: 2413-5230 - E-mail: catedrapaulofreirefeuc@ieg.com.br

Rio de Janeiro
1. Centro Acadêmico Paulo Freire
Home page: www.capfuerj.hpg.ig.com.br/paginaindice.htm
E-mail: capf.uerj@bol.com.br
 2. Auditório Paulo Freire
NEPAA - Centro de Letras e Artes - UNIRIO - Av. Pasteur 436
fundos Rio de Janeiro, Brasil 22290- 240
E-mail: nepaa@unirio.br Tel:2541-8643
Coordenador: Prof. Dr. Zeca Ligiéro E-mail: zligiero@unirio.br
3. Núcleo Paulo Freire de Alfabetização e Pesquisa
Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Organização proponente: Movimento Cultural Letras pelas letras
Integrantes: Alice Morais Zuzarte Daniela Serruya Kohn, Daniel Gil, Diego Henrique Rezende, Fabio Saraiva Schott,
Genaro Neto, Gregory Magalhães Costa, Janda Montenegro de Silva, Rafael Nunes, Renato Capistrano Pardal.
Filosofia: O Núcleo de Alfabetização Paulo Freire pretende seguir, debater, ampliar, repensar e recriar os ideais do
educador Paulo Freire difundindo-os na Faculdade de Letras da UFRJ, Ilha do Fundão, Rio de Janeiro e posteriormente
Brasil. O Centro não tem hierarquia entre seus membros, como o Movimento Cultural Letras pelas Letras, e será aberto
para todos os interessados em pesquisar, debater, recriar e colocar em prática o pensamento do educador maior e uma
educação libertadora, cidadã e para todos baseando-se na autonomia, diálogo, complementaridade dos saberes e
conscientização crítica do educando.
4. Pacto (projetos sociais), Paulo Silveira, E-mail: psilveira@pactops.com.br
Luciana Savaget, E-mail: luciana.savaget@tvglobo.com.br
JWU (Promoção, Educação e Vigilância em Saúde), Julio Alberto Wong Un (21) 3826-1610 ou 9218-9496 - E-mail:
wong@uol.com.br
5. Biblioteca Paulo Freire
Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ
Faculdade de Direito - Rio de Janeiro
6. Instituto Paulo Freire - Rio de Janeiro
Coordenação: Jane Paiva - Tel.: (021) 587-7469 - Fax.: (021) - 587-5468
E-mail: janepaiva@alternex.com.br ou forumejario@domain.com.br
7. Espaço Paulo Freire
Faculdade de Educação da Universidade Estadual do Rio de Janeiro - R.São Francisco Xavier, 524/sala 12.034/Bloco A
Maracanã - Rio de Janeiro - RJ - CEP 22550-013
8. Universidade Federal do Rio de Janeiro
Ivone Cabral (Escola de Enfermagem Anna Nery – UFRJ) – apresentou tese sobre o referencial freiriano no tratamento
de saúde no III Encontro do Fórum Paulo Freire de Los Angeles
E-mail: icabral@ajato.com.br
9. Universidade Popular
Escola de Comunicação da UFRJ e no prédio do Diretório Central dos Estudantes
Home page: www.universidadepopular.hpg.com.br
E-mail: universidadepopular@ieg.com.br
Alexandre Bortolini
Fone: (21) 2561-0626
40
   10. Núcleo de Educação e Cultura – Lapa – Circo Voador
E-mails: lucashippolito@yahoo.com.br; lucasluzadaz@bol.com.br; dianamilman@yahoo.com.br
11. Biblioteca Virtual Mulher – BVM
A Biblioteca Virtual Mulher - BVM, do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher - CEDIM/RJ, é um site
especializado no tema Mulher e Relações de Gênero. Nela, encontram-se selecionadas as informações existentes na
Internet - do Brasil e do Exterior - sobre saúde, violência, trabalho, cultura, direitos e cidadania, educação e poder e
participação política.
Rua: Camerino, 51 - Centro - 20080-011 - Rio de Janeiro/RJ
Tel.: 0XX 21 2299-2008 / 2299-2007 - Fax: 0XX 21 2283-0617
E-mail: bvmulher@cedim.rj.gov.br
Eliza Marques (Coordenadora)

Rio das Ostras
Rua Educador Paulo Freire
Home page: http://www.riodasostras.rj.gov.br/poponline/formulario_B.htm

São Gonçalo
E.M. "Paulo Reglus Neves Freire"
Estrada da Conceição, 1111- Porto do Rosa - São Gonçalo, Rio de Janeiro
CEP: 24 461-840 Telefone:( 021) 723 2465

Volta Redonda
Escola Municipal Paulo Freire

                                             RIO GRANDE DO NORTE
Baía Formosa
Escola Prof. Paulo Freire
Contato: AuribertoNias@aol.com

Natal
Ana Maria do Vale (Universidade Federal do Rio Grande do Norte)
E-mail: anadovale@uol.com.br ou anadovale@institutopaulofreire.org.br
Vicente Madeira, Emília prestes, João Francisco de Souza, Eymard Mourão Vasconcelos, Margot Madeira, Afonso
Celso Scocuglia, E-mail: scocuglia@uol.com.br

                                               RIO GRANDE DO SUL
Alvorada
E. M. E. F. Paulo Freire
Bairro Santa Bárbara

Panambi
Escola Estadual Paulo Freire
Diretor: Jorge Fernando Schimidt
Bairro: Arco Íris

Porto Alegre
1. Grupo de Estudos Freirianos
Congregação de Santa Dorotéia do Brasil
Equipe: Marinice Souza Simon - E-mail: marinice@santadoroteia-rs.com.br; Flávia Fernanda Costa – E-mail:
flavia@santadoroteia-rs.com.br; Luciane dos Reis Campana – E-mail: luciane@santadoroteia-rs.com.br; Karen Wolff
de Oliveira – E-mail: karen@santadoroteia-rs.com.br
2. Centro Municipal de Educação de Trabalhadores Paulo Freire (CMET)
CMET – Secretaria Municipal de Porto Alegre
R. Jerônimo Coelho, 254
90010-240 Porto Alegre
Tel.: (51) 3227-4365
Daisy Beatriz Erig
Home page: www.nosbairros.com.br/utilidade/fundamental.htm
E-mail: isyerig@hotmail.com
3. Colégio Paulo Freire
                                                                                                               41
http://www.cpovo.net/jornal/A108/N111/HTML/09UNIJUI.htm
4. Movimento Paulo Freire dos Trabalhadores em Educação
Diretoria Executiva: Eliezer Pacheco e Janete Jachetti
E-mail: movimentopf@hotmail.com

Santa Maria
1. Prêmio Paulo Freire de Talentos em Educação
Prefeitura Municipal – Circe Rocha (Vereadora) - E-mail: circept@camara-sm.rs.gov.br
Michele Silveira - (55) 2207215, (55) 99720867
2. Biblioteca Paulo Freire: Projeto “Troca do Saber”Coordenação: Movimento Brasileiro de Educadores Cristãos
(MOBREC) – E-mail: mobrecsm@yahoo.coml.br – Fone: (55) 3026-1840
Rua do Rosário, Box 5, Bairro do Rosário – Santa Maria
Coordenação do projeto: Leda Maria Tasqueto; Coordenadora do Núcleo de Santa Maria: Lais Pasqualoto Canellas
Por meio do “Projeto Troca do Saber” – “Biblioteca Paulo Freire” o MOBREC tem prestado atendimento a alunos dos
bairros de Santa Maria, complementando o trabalho das escolas na busca de enriquecer a experiência educacional dos
alunos.
São Sebastião do Caí
Grêmio Estudantil Paulo Freire
Home page: www.gepaulofreire.hpg.ig.com.br/sociedade/30/index_pri_1.html
E-mail: gepaulofreire@ieg.com.br

São Leopoldo
1. Diretório Acadêmico Paulo Freire
Unisinos (Ciências Contábeis)
2. Rua Paulo Freire
Vereadora Iara Teresa Cardoso (projeto de criação da rua), Contato: Patrícia W. Argentini

Uruguaiana
Instituto Estadual Paulo Freire
Endereço:Rua Irmãos Galant, s/n - Chácara do Sol -Uruguaiana-RS;
Fone (55) 413 4970; E-mail: allmartins@ibest.com.br

                                                    RONDÔNIA
Porto Velho
Centro de Vivência Paulo Freire
Universidade Federal de Rondônia

                                                SANTA CATARINA
Blumenau
Escola de Formação Permanente Paulo Freire
Rua Hermann Hering, 247 - Bairro Bom Retiro

Chapecó
Escola Paulo Freire

Florianópolis
Instituto da Cultura Luso-Açoriana do Brasil
(ICLAB)
Marisol Paz (solicita palestra do IPF)
Fone: (48) 2266-967; E-mail: iclab@terra.com.br

Joinville
Núcleo de Educação Patrimonial "Paulo Freire"
Fundação Cultural de Joinville (Setor Educativo)
E-mail: sambaquieduca_masj@ig.com.br

                                                    SÃO PAULO
Americana
Diretório Acadêmico Paulo Freire da FAM
Faculdade de Americana –SP
42
     Responsável: Eliane Shinmachi – Curso de Pedagogia; E-mail: shinmachi@dglnet.com.br

Bertioga
Centro Educacional Paulo Freire
Prefeitura de Bertioga
Home page: http://www.jornaldigital.com/noticias.php/2/16/0/764/
E-mail: sebase@allnet.com.br
(Estância Balneária)
Roseli Diegues (Diretora de Educação e Cultura)
E-mail: dario@microgroup.com.br

Bauru
Centro Acadêmico Paulo Freire
Universidade do Estado de São Paulo - UNESP
Coordenador: Jean Douglas Zeferino (Secretário de Integração) - UNESP - CAMPUS BAURU
E-mail: jeanzefer@hotmail.com

Campinas
1. Biblioteca Popular Paulo Freire
Universidade Estadual de Campinas
Home page: www.campinas.sp.gov.br/smenet/fumec/destaques/noticias/noticia_2003_04_28a.htm
2. Universidade Popular
Coordenação: Carlos Rodrigues Brandão; E-mail: brandao08@ig.com.br
Rua Sampaio Ferraz, 392 Cambuí - 13024-431 – Campinas – SP
(19) 3252-5180 – ou - Rosa dos Ventos – Vale da Pedra Branca
Caldas – Minas Gerais - CP 12- 37780-970; Fone: (35) 9977-0159
3. Núcleo Freiriano (UNICAMP)
Reponsável: Adriano Nogueira (Instituto Paulo Freire)
E-mail: dmazza@lexxa.com.br
4. Instituto de Pesquisa Informações e Planejamento
Maria Adélia Aparecida de Souza (presidente)
E-mail: madelia@territorial.org.br

Diadema
Escola Paulo Freire
Diadema - São Paulo

Franca
1. Escola Paulo Freire
2. Unesp - Grupo PET de Serviço Social e Angelita L. Covre (visita ao IPF)
E-mail: angelita.mar@bol.com.br

Guarujá
Escola Paulo Freire
Bairro: Santa Clara

Itaquaquecetuba
Biblioteca Paulo Freire
Coordenadora: Marli Alvarez, presidente da "Sociedade Amigos do Bairro Jardim Paineiras”, onde está situada a
biblioteca Paulo Freire, inaugurada em 17 de abril de 2004.
Rua: Serra de Paranapiacaba, 367 – CEP: 08581 – Jardim Paineira
Itaquaquecetuba - SP

Jaboticabal
Escola Municipal Paulo Freire

Jundiaí
Colégio Paulo Freire - Cooperativa Educacional de Jundiaí
Av. Navarro de Andrade, 3401 Tel.Fax.: (011) 7392-3409 Parque Centenário - CEP 13201-970 Caixa Postal 313 -
Jundiaí - SP - Home page: http://www.paulofreire.g12.br/
                                                                                                                43
E-mail: colegiopaulofreire@terra.com.br
Telefone: (11) 4582-340

Lins
Centro de Educação Popular (CEP) "PAULO FREIRE"
Escola Municipal "Profa. Alice Melges Tinós"; Rua: Luís Jefferson Monteiro da Silva, 181; Bairro: Jardim Bom Viver;
Home page: www.linsnet.br/canais/pml/frepop/experiencias.php

Lorena
Centro Universitário Salesiano - Unisal
João Bosco Ribeiro Alvaremga
E-mail: jbralvarenga@hotmail.com

Mogi das Cruzes
Célia Aparecida Milleti M. Cury (supervisora escolar); Fone: 9418-7760; Rua Capistrano de Abreu, 166; 08810-190 –
Vila Suíça – Mogi Das Cruzes – SP; Tel. 4792-3569; Tel. 9418-7760

Osasco
Escola Estadual Educador Paulo Freire
Av. dos Bandeirantes s/n – Osasco – São Paulo

Ourinhos
EMEF Pedagogo Paulo Freire
Jd São Carlos - Home page: http://www.ourinhos.sp.gov.br/planejamento/reformaescolas.htm

Praia Grande
Colégio Paulo Freire/Anglo
Dir. Sr. Paulo – Coord. OBF na sede – Prof. Carlos Cáceres – Av. Pres. Kennedy, 2253-2263 – Praia Grande – Cep:
11702-200 – Tel: 13-473.7058
Home page: http: www.sbf1.if.usp.br/olimpiadas/obf1999/sp/sedes.htm

Pindamonhangaba
Escola Municipal Paulo Freire

Presidente Prudente
Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Ciências e Tecnologia (Departatmento de Educação)
Prof. Dr. Alberto Albuquerque Gomes (encontro do Fórum Paulo Freire no Porto – 2004)
E-mail: Alberto@prudente.unesp.br


Ribeirão Pires
Escola Profissionalizante Professor Paulo Freire
Avenida Francisco Monteiro, 2.940, Santa Luzia; Telefone: 4827-7467; Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
Escola Municipal Paulo Freire

Rio Grande da Serra
Escola Paulo Freire (projeto Mova)

Santo André
Espaço Paulo Freire
Rua Indianápolis, 96 – Vila Palmares

São Miguel Paulista
“ONG PAULO FREIRE”
Associação de Apoio às Pessoas Carentes “Prof. Paulo Freire” – Entidade Civil Beneficente de Direito Privado - Área
de Interesse: Cidadania, capacitação profissional e geração de renda.
Responsável: Celso de Souza (Presidente); E-mail: ongpaulofreire@aol.com;
Fone: 6135-6522 / 6135-4671.
44
Santos
1. Biblioteca "Prof. Paulo Freire".
Escola Municipal de Santos
Praça José Rebouças,s/n. Ponta da Praia.

1. Prof. Drauzio Costa Pires de Campos - Diretor doCentro de Ciências da Educação - Universidade Católica de Santos
Proposta de parceria com o IPF, no IV Encontro do Fórum Paulo Freire, em Lisboa.

São Paulo
1. Instituto Paulo Freire; Biblioteca Paulo Freire, Cátedra Livre Paulo Freire e Cátedra do Oprimido
(Ver informações nesse mesmo documento, a partir da página 18, ou no site da instituição: www.paulofreire.org.br)
2. Sala Paulo Freire
Universidade de São Paulo – Museu de Arqueologia e Etnologia
Av. Prof. Almeida Prado, 1466 – Cidade Universitária – São Paulo
CEP: 05508-900 - Fone: (11) 3091-4905
3. Auditório Paulo Freire
Localizado na sede do PT Nacional (Rua Silveira Martins, 132 – próximo ao metrô Sé)
São Paulo
4. Biblioteca Paulo Freire
Escola Estadual Condessa Matarazzo
Home page: www.filomenamatarazzo.com.br/projeto_biblioteca.htm
5. USP – Escola do Futuro – Centro de Educação Transdisciplinar
Contato: Américo Sommerman, E-mail: cetrans@futuro.usp.br
6. Biblioteca Paulo Freire
Colégio Notre Dame
Rua Alegrete, 168, Sumaré – São Paulo, CEP: 01244-010, Fone: 38730366
Home page: www.colegionotredame.com.br/bibli/#
7. Biblioteca Paulo Freire
Responsável: José Carlos; Fone: 4979-4611 (Escola); Res.: 4421-9155
8. Sala para professores Paulo Freire
Universidade de São Paulo- Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE)
Av: Prof. Almeida Prado, 1466 – Cidade Universitária – São Paulo - CEP: 05508-900 –
Fone: (11) 3091-4905
9. Colégio Paulo Freire
Endereço: R Pedro Vitorato Nº 237 - Bairro: Jd Colorado - Cidade: São Paulo - Cep: 03387-010
Telefone 1: 6918.7738; Fax: 69187738
10. Biblioteca Paulo Freire
Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo - Av. da Universidade, 308
05508-900 - São Paulo - SP (Brasil) - Fone: (011) 818.3519
11. Grupo Paulo Freire
Universidade São Judas Tadeu (Cátedra em formação)
Responsável: I. Nache – Professora da Universidade São Judas Tadeu (Interessada em criar uma Cátedra Livre) - E-
mail: alcidesfreitas@uol.com.br
12. Grupo Paulo Freire
E-mail: grupopaulofreire@bol.com.br
Equipe: Cândido Luís Dias Ferreira; Eliete Nunes de Sousa; Maria Socorro Feitosa; Ileda Cavalcanti; Teresinha Bispo
de Lira Sousa (representante); Daniel Dias de Sousa; Solange Aparecida de Camargo; Cleonice Aparecida de Souza;
Maria de Lourdes Granto de Almeida
13. Cátedra Paulo Freire
Pontifícia Universidade Católica – PUC
Endereço: Rua Monte Alegre, 984 – Perdizes -CEP- 05014901 – São Paulo – Capital -            Fone: (11) 3670-8000
Responsável: Professora Dra Ana Maria Saul
Colaboração: Professora Dra Yvonne Khouri Professora Dra Ana Maria Freire
E-mail: cpfreire@pucsp.br
Home page: www.pucsp.br/paulofreire/index.html
14. Centro Acadêmico Paulo Freire
Faculdade de Educação da USP
Home page: http://www.geocities.com/CollegePark/Club/2282/
15. Conjunto Habitacional Mestre Paulo Freire
                                                                                                                   45
Reponsável: Janio Leal Silva Chaves (Pres. do Conselho Comunitário de Educação, Cultura e Ação Social do
Cangaíba - Pres. do Conjunto Habitacional Mestre Paulo Freire) - R. Serra Verde, 150 – Vila Sílvia – CEP 03821-230 –
São Paulo - E-mail: janio.leal@terra.com.br – Associação do Conjunto Habitacional Mestre Paulo Freire – E-mail:
mestrepf@terra.com.br
16. Escola Municipal de Educação Infantil Cingapura Chaparral “Professor Paulo Freire”
Criada em agosto de 2001 e localizada na Administração Regional da Penha, na zona leste de São Paulo
18. Escola Paulo Freire
Bárbara Martins Teixeira (Diretora)
(11) 3507-4469 - E-mail: barbaramt@uol.com.br
19. E.M.E.F. Paulo Freire
Escola municipal localizada em Paraisópoles, próximo ao bairro do Morumbi
20. Universidade Popular de São Paulo
Responsáveis: Renata Hummel (Coordenadora) do Núcleo Paulo Freire da Universidade Popular de São Paulo - Espaço
Cultural Tendal da Lapa - E-mail: rhummel@uol.com.br e Denise Barbosa da Silva - E-mail: maurodenise@ig.com.br ;
Fone: (11) 62324728
21. Jarbas Novelino Barato (Assessor de projetos especiais) – Enviou a tese “The conscientization Moviments in Brasil”
de Raimundo Vossio Brigido Filho” ao IPF
Fone: (11) 236-2000 - Fax: 236-2255SENAC.
Prof. Sandra Branco (vice-diretora da Faculdade de Educação – Universidade de Santos)
(11) 247-5522 / 5521-2830 - 5545-8882 - E-mail: sbranco@unisa.br
Takashi Yamauchi do Sistema de Apoio Institucional (SIAI) - (11) 5583-3775; E-mail: itec@matrix.com.br - E-mail:
siai-londrina@onda.com.br
Sheila Chainho - ABCeducatio (Revista de educação): Home page: www.abceducatio.com.br
E-mail: sheila@bcducatio.com.br
Carmen Lucia Rodrigues (Educadora ambiental) Ecoar
Fone: (11) 3871-0370 - (019) 3402-8669; E-mail: calurodrigues@uol.com.br
Filemon Galvão Lopes; E-mail: filemon_galvao@uol.com.br
Fedel García Rodrigues (Diretor) - Edições Loyola
Home page: www.loyola.com.br; E-mail: fidel@loyola.com.br
Hilda de Fátima Dubas - Vibration Music; E-mail: aleferreira@uol.com.br
22. Lúcia Helena Lins Volkart - Psicopedagoga do Colégio Santo Américo
Home Page: www.csasp.g12.be - E-mail: ivolkart@csasp.g12.be
23. Madalena Freire
Espaço Pedagógico
Endereço: R. Rua Indiana, 1197 – Brooklin - São Paulo
CEP: 04581-060 - Fone: 531-9239
Home Page: http://www.pedagogico.com.br
E-mail: ep@clm.com.br

Taboão da Serra
EMEF Paulo Freire
Reponsável: Dóris Aparecida Riganti - Av: Arlindo Genário de Freitas nº55; Jardim Saporito – Taboão da Serra – SP;
CEP: 06783-050; Fone: 4138-5183 ou 4138-0679

Taubaté
Celso Pinto de Andrade
E-mail: celtemae@terra.com.br

                                                  TOCANTINS
Palmas
Colégio Paulo Freire - Home page: http://www.selltour.com.br/html/tser_outubro.htm

Veleiros
EMEF Elza Maia Costa Freire
Espigao, R. Do,195 - Cep:04405-190 - Cidade Ademar
Fone:5565-5928 - Drem:06

                            6.4. COMUNIDADE FREIRIANA NO MUNDO
                                                 ÁFRICA DO SUL
Durban
46
   1.University of Natal
Duncan Hindle
Fone: 031-8161024 - E-mail: hindle@mtb.und.ac.za
Ivor Baatjes (responsável pela organização do IPF na África do Sul) - E-mail: BaatjesI@nu.ac.za
2. Farrel Hunter e Joy Hunter
(021) 689 7199 - E-mail: joy@dockda.org.za

Johannnesburg
1. (National Literacy Co-operation)
Enrico Fourie - National Director do National Literacy Co-operation (Working for adult elementary education and
development) - E-mail: enrico@nl.wn.apc.org - Tel: (11) 333-0583/9 Fax (11) 333-5847
2. Umtapo Centre
Responsavel: Deena Soliar (Mr) – A Umtapo, instituição de Duban dedica-se à educação para a paz. Em 2004 outorgou
a Paulo Freire o prêmio póstumo “Steve Biko Ward” por sua história de dedicação à cultura da paz.
Centro De Umtapo (Escritório Nacional) Tel.031-206 2609 - Fax.031-206 1768
E-mail: info@umtapo.co.za

Pretoria
Department of Welfare
Prof. Edith V. Vries -(Chief Director: Social Development)
Tel: (012) 312 7666 - E-mail: wels180@wlsptapwv.gov.za

Western Cape
EFSA – Ecumenical/foundation of Southern Africa
Dr. R. Koegelenberg (Director)
(Institute For Theological & Interdisciplinary Research) - E-mail: efsa@iafrica.com

                                                    ALEMANHA

Berlin – Oldenburg (DE)
Organização Paulo Freire (Paulo Freire Kooperation) in Zusammenarbeit mit dem Institut für enschenrechte (Berlin),
der Paulo Freire Kooperation und der Carl von Ossietzky Universität Oldenburg
Home page: http://www.freire.de/ E-mail: pfk@freire.de
Fakultät I, Erziehungs- und Bildungswissenschaften
Institut für Pädagogik
Forschungsprojekt: Paulo Freire Bildung in Europa
Telma Gharibian (M.A.) c/o Prof. Dr. Dieter Brühl
Postfach - 26111 Oldenburg
Tel.: +49-(0)441/798-37 93 – E-mail: telma.gharibian@uni-oldenburg.de

                                                    ANGOLA
Luanda
1. Associação Angolana para a Educação de Adultos (AAEA)
2. Universidade Agostinho Neto (Faculdade de Direito)
Vítor Barbosa – Fone: 091-519981 E-mail: barbosa@netangola.com
Fátima Ramos – Fone: 092-604036 – Arlete Lucas – Fone: 092-605310
Endereço: Rua 6 n°28 - Bairro – Cassenda, Zona 6 CP 2303 - tel. 351470 Luanda / Angola
AAEA: - E-mail: aaeadultos@netangola.com
José Octávio Serra van-Dúnem (Vice-Decano p/ assuntos acadêmicos)
Av: Ho Chi Minh - Tel: 32 61 62 / 32 60 62
Mail: otounem@hotmail.com - (visita ao IPF em 11/005/2004)

                                                   ARGENTINA
Avellaneda
Foro Social Educativo Paulo Freire Red de Asociaciones Comunitarias de Argentina
E-mail: boletinalfabeta@yahoo.com.ar - Alfabetization2002@yahoo.com.ar
Eduardo Marello (Prensa Foro Paulo Freire) - E-mail: Alfaedu53@yahoo.com.ar

Buenos Aires
1. Integrando Realidades (Educação ambiental)
                                                                                                            47
Schuchinsky Patricia - Cientista en Educacion
Paola Francini - Sociologa
E-mail:Aniquiu@aol.com
María Soledad Albístur - E-mail: albistur@ ciudad.com.ar
2. Instituto Internacional de Estúdios y Capacitacion Social Del Sur (INCASUR
Alicia Crescini (Equipo de Formación)
Rua Alberti 36 - 1082 – Capital Federal -Fone: 953 – 2776 - Incasur: 47-5442 ou 47-5689
3. Espacio Freire
Luis Roggi (E-mail comunicando a inauguración do espacio)
E-mail: luisrogg@ciudad.com.ar Ou info@nuevatierra.org.ar
Home page: http://www.infocivica.org/nota.asp?ID=1156&Ultimo=1

                                                AUSTRÁLIA
Sydney
University of Western Sydney
(Nepean) Professor Chris Duke (Deputy Vice-Chanceler and UWS Nepean President)
E-mail: c.duke@uws.edu.au

Vitoria
Monash University
Tony Townsend (Director) – South Pacific Centre for School and Community Development
Fone: (03) 784 4230 - Fax: (613) 784 4237

                                                 BOLÍVIA
Cochabamba
Colegio Paulo Freire
Home page: http://www.dialogo.gov.bo/dialogo2000/agendapolitica/htmls/id35.htm

San Simón
Universidad Mayor de San Simón
BIBLIOTECA HUMANIDADES: Paulo Freire
Especialidad: Psicología, lingüística y pedagogía
Ubicación: Edif. Fac. de Humanidades y Ciencias de la Educación
Plazuela Sucre acera Sud - Tel. 233891
Home page: http://www.umss.edu.bo/Sitios/bibliotecas.html#12

                                                       CHILE
Santiago
1. Núcleo de Pesquisa e Estudos Paulo Freire
Universidad Academia de Humanismo Cristiano – Home page: www.academia.cl/educacion/
Paulo Freire: Revista de Pedagogía Crítica
Domingo Bazán Campos (Diretor da Revista)
E-mail: dbazan@academia.cl Ou domingo_bazan@hotmail.com
Compañía 2015, Santiago-Chile - Fonos: 6954831-(09)2767789 - Fax: 6982478
2. Consejo de Educación de Adultos de América Latina (CEAL)
3. Contatos - Casilla 6257, Santiago 22
4. Maria Elisa Castro Logomarsino – diretora do Centro Cultural Hispano Brasileiro (CCHB)
E-mail: Marisa@ccbeunet.br - Fone: (13) 3284-7833
Silvia Ângela Texeira Penteado – (Universidade Santa Cecília) - (CCHB) - Fone: (13) 3221-3242
Isabel Hernández - Asesora em investigación Sócio-Cultural (ISC) United Nations UNFPA Suport Team Office for
Latin America and the Caribbean - Fone: 208-0656
E-mail: unfpachi@huelen.reuna.cl
Juan Carlos Tedesco (Diretor Regional de Educação da UNESCO) - Fone: 223 55 82
Claudio Muñoz Abaceta – E-mail: cmunoz@umce.cl
Daniel Tello (Fundación Cristo Vive) - E-mail:daniel_tello_s@hotmail.com
Home page: www.fundacioncristovive.cl/
5. Proyetos Regionalez de Bi-Alfabetización
Isabel Hernández - Directora Proyecto Regional de Bi-alfabetización sobre Temas Productivos, de Medio Ambiente,
Género y Salud Comunitaria (con énfasis en Salud Reproductiva)
48
   Actualmente a cargo del Programa de Investigación: Comunidades Indígenas, Políticas Públicas, Autonomía Cultural
y Ciudadanía (Fundación Ford-CEPAL)
E-mail: ihernandez@eclac.cl - Tel: (56-2) 210 2002; Fax: (56-2) 208 0196 - Casilla 179 D, Santiago, Chile


Valparaíso
Universidad Católica de Valparaíso
Claudia Carrasco Aguilar - Fone: (56) 32 - 491061
E-mail: claudiacarrascoaguilar@hotmail.com
RUT: 13.766.401 - 1
Claudia Cuneo Díaz - Fone: (56) 32 - 624955
E-mail: clacudi@yahoo.com
(Estudantes de Psicologia) - María Victoria Figueroa Silva (estudiante
de Pedagogía en Educación Básica en la Universidad de Playa Ancha de Ciencias de la Educación en Valparaíso) - E-
mail: silva@hotmail.com
                                                        CANADÁ
Sherbrooke
Université de Sherbrooke
Nancy Oliveira - Estudante de mestrado, pesquisadora sobre livros didáticos numa
                                                      COLÔMBIA
Bogotá
1. Universidad Pedagógica Nacional
Corporación Viva La Ciudadania
Fundación Volvamos a La Gente Jairo Arboleda – Director Ejecutivo
Fone: 245 55 90
Vicky Colbert de Arboleda – Directora - Fone: (57-1) 232-8164 ou 232-8136 Ou 245-2712
2. Instituto Para el Desarrollo Luis Carlo Galán
 Marco Raul (Calle de La Esperanza) - Fone: (91) 342-5000
E-mail: ileglsdc@colnodo.apc.org
Ricardo Sanchez (Director)
Calle de La Esperanza – Bairro La Candelaria
Calle 10 nº 4-21 Tel. Cod. Nal (91) 342-5000 Cod Int. (571) - Fax: 2-845 353
E-mail: ileglsdc@colnodo.apc.org
3. Misión Ciencia, Educación e Desarrollo
Carlos Eduardo Vasco - Fone: (57-1) 232-0785 – Resid. (CINEP) –
Fax Resid. 221-7393 ou 221-5963 - Fax Misión: 221-5963
4. Embajada del Brasil
Edgar Casciano (Secretario de Embajada) - Fone: 218-0800 - Calle 93 Nº 14-20 Piso 8º
5. Associcción Latinoamericana para los Derechos Humanos
Apolinar Diaz – Callejas (Doctor en Derecho y Ciencias Políticas)
6. Instituto Maria Cano – ISMAC
Luis Sandoval Moreno - Carrera 7 nº 19-38 Piso 2 - Fone: 286-2384 Ap. A. 27975
7. Movimiento Democrático Colombia Unida
Carlos Jimenez Gómez (Director) - Calle 12 Nº 5-32 Of. 1403 - Fone: -094-7977
8. Encontro Latinoamericano de Educación para la Democracia - CEAAL
Orlando Fals Borda (Presidente do CEAAL) - Fone: 282-2550 e 234-0967
9. A. A. 525089. Soacha – Cundinamarca
Francisco Tovar Garces (Alcalde Especial) Ap. A. 10106
Fone: 204379710. Universidad INCCA de Colombia – UNINCCA
10. Eduardo Cemenchónok
Calle, 12 nº 05-32 - Fone: 242-5572 ou 242-5297
11. Magnólia David Mazzo - Avenida Caracas nº 40-29 - Fone: 32-2533 ou 32-6285 ou 882313
A.A. 41253 – Bogotá
12. Corporación Integral para el Desarrollo Cultural y Social - CODECAL1. Mario Sequeda O.
Jaime Diaz (director) - Fone: (12) 21-8575 - ss. Felix Bonilla (Abogado de trabajadores)
A. A. 75 144 - Fax: 21 11 243
13. Universidad Pedagógica Nacional
Luis Facundo Maldonado Granados
(Educación e Informática – Ph D)
Fone: 2352044 Ext. 199
                                                                                                             49
Cartagena
Universidad Del Atlantico (Barranquilla)
Francisco Xavier - E-mail: fxcisco@hotmail.com Solicitou autorização para fundar una cátedra en Cartagena)

Cundinamarca
Colégio Paulo Freire
Laura Acosta (Diretora) - E-mail: giceicie@ndinet.com

Medelin
1. El Rastro – Antigüedades
Marta Acosta Sierra
Unicentro Loca 031 - Fone: 265-21-93 - Parque de Bolívar - 511-44-94
2.El Servicio International de Apoyo a la Alfabetización
Alfredo Ghiso (Regional Literacy Coordubator Latin America)
Fone: 231 71 79 - Apartado Aéreo, 65141

                                                  COSTA RICA
San José
Universidad de Costa Rica
Alicia Sequeira Rodríguez - E-mail: asequeira@cariari.ucr.ac.cr

                                                         CUBA
Holguín
Instituto Superior Pedagógico "José De La Luz Y Caballero"
Catedra de Educacion de Adultos (Núcleo de Estudos sobre a obra de Paulo Freire)
Israel Mayo (Vicerrector de la Universidad Pedagogica de Holguin)
E-mail: mayo@isphlg.rimed.cu
Dra. María Alicia Alvarez Reyes - Coordinadora general - Directora Relaciones Internacionales.
Avenida Libertadores Km 3,5 - CP. 81000, Holguín, CUBA. E-mail: relinter@peda.hlg.sld.cu
Teléfonos:(53)(24) 48 19 70 - 48 21 45 - Fax: (53) (24) 48 11 68

                                                      DINAMARCA
Copenhague
Contatos Freirianos
1. Marina Jakobsen - E-mail: marina.jakobsen@get2net.dk
2. Manfred Hofmann – E-mail: manfred.Hofmann@teol.lu.se
3. Bo Jakobson Ute Lisbeth Nascimento
4. Rie Holmes e Soren Storm – E-mails: sorenstornm@ms.org.mz e rholmes@ms.org.mz – Associação Dinamarquesa
de Cooperação Internacional – Organização Não-Governamental que atua em Moçambique - visita ao IPF para
estabelecer contatos para futuros projetos e parcerias
AV. Filipe Samuel Magaia, 61 – Caixa Postal 725 – Nampula – Moçambique

                                                  EL SALVADOR
Sistema de Integración Centroamericana (Sica)
Marco Antonio Gonzalez (Director Politica e Legislación Ambiental)
Blv. Orden de Malta No. 470
Urb. Santa Elena, Antiguo Cuscatlán, El Salvador, C.A –
Tel.:(503) 289-6131 - Fax:(503) 289-6124/25
Home page: www.sgsica.org - E-mail: magonp@sgsica.org

                                                   EQUADOR
Quito
1.Carlos Crespo (Grupo de Apoio para Movimentos Sociais)
E-mail: carloscrespo@andinanet.net Ou carloscrespob@hotmail.com
Fernando Rosero - E-mail: rosero@hoy.net
Rosa Maria Torres (Ministra da Educação do Equador) E-mail: mtorres@fibertel.com.ar
2.Colégio Paulo Freire
Home page: /www.geocities.com/avesecuador/proyectos.htm
50
                                                      ESPANHA
Valência
Biblioteca Paulo Freire
Home page: www.grupowebmedia.com/ipf
Pep Aparicio Guadas - profesor de FPA, miembro del consejo directivo de la revista DIALOGOS
E-mail: peaparicio@teleline.es - E-mail: ipfbarcelona@lamalla.net

Sevilla
Cátedra Paulo Freire
Prevista em acordo firmado em 09 de setembro de 2004, por meio do “Convenio de colaboración acadêrmica, científica
y cultural entre el Instituto Paulo Freire y la Universidad de Sevilla”.
Reponsável: Sr. Dr. Miguel Florêncio Lora, Rector Magnífico de la Universidad de Sevilla.

Ilhas Baleares
Universitat de les Illes Balears
Jordi Vallespir Soler (Director Del Departament de Ciêncies de L’ Edocació)
E-mail: dcejvso@ps.uib.es

                                               ESTADOS UNIDOS
Chico (California)
California State University
Mr. Padraig Downey (mestrando em educação – Teatro do Oprimido)
333 West 6th Street, Apartment 6, Chico, California 95928 USA

Arlington (Virgínia)
National Defence University
Kevin J. Gormley (artigo publicado na Biblioteca Freiriana)
Arlington, Virginia - E.U.A. E-mail: GormleyK@ndu.edu

Los Angeles (California)
Jessica Kirsch E-mail: JCKUNC@aol.com
Lawrence Sampson (indio americano-ativista) E-mail: lsampson@setaim.com
Alayne Sullivan (Califórnia University State) E-mail: aby@all.com
E-mail: clynch@cougar.kean.edu; E-mail: Lynchowen@aol.com

Minneapolis
The Freire Center
P.O. Box 6250, Minneapolis, MN 55406 Phone: (612) 722-5790
Home page: www.freirecenter.org
Email: PopEd@freirecenter.org

Omaha
Nebrasca
Pedagogy & theatre of oppressed (PTO) University of Nebraska
Home page: www.unomaha.edu/~pto/index.htm
A global forum based on the ideologies and actions of Paulo Freire and Augusto Boal

Nova York
1. Bronx International High School (escola de filosofia freiriana)
Shael Polakow-Suransky (professor que deseja contatos com freirianos brasileiros)
E:mail: ShaelP@aol.com
2. Bronx Museun
Augusto Boal - Projeto educativo fundado na filosofia de Paulo Freire e de Augusto Boal. Este trabalho esta sendo
patrocinado pelo Bronx Museum e o crivo central sao as artes plasticas.
Sergio Bessa - Director of Education do Bronx Museum
E-mail: asbessa@bxma.org

Salem
Causa (In defense of the Larino/Immigrant Community)
Roberto Barraza (Speakers Bureau Coordinator)
                                                                                                                   51
Fone: (503) 763-1694 E-mail: robertobarraza@yahoo.com ou rblobolopez@yahoo.com

São Francisco (California)
Universidade de São Francisco
Juan Carlos Arauz (Doutorando pela Unversidade de São Francisco) E-mail: jcarauz@canalministry.org

Chapman (Orange)
Periódicos e Publicações Paulo Freire
Paulo Freire's publication (Paulo Freire Democratic Project) Chapman University
Elyse Froehlich - E-mail: efroehlich@aol.com
Chapman University School of Education One University Drive Orange, California 92866

Texas
University of North Texas
Eloiza Carman E-mail: mhncarman@sbcglobal.net
(prof. Universitária brasileira que mora e trabalha no Texas. Apresenta proposta para fundar uma cátedra ou um IPF, em
2004)

Washington
Seattle
University of Washington
Sandra Helena Hernandes
E-mail: sandrahh@u.washington.edu Fone: 206 – 543 66 36
(doutoranda, desenvolve estudo sobre Paulo Freire e Jung, pesquisa apresentada em visita ao IPF)

Georgia
Athens
1. The University of Georgia
Mariana Souto Manning - (pretende fundar uma cátedra na Universidade)
College of Education (school of Teacher Education)
(706) 542 – 6828 (706) 316 – 3953
2. The University of Geórgia
College of Education
Betsy Rymes, Ph. D. Associete Professor
Home Page: www.coe.uga.edu/language - E-mail: brymes@coe.uga.edu

                                                    FINLÂNDIA
Oulu
1. Tim Bedford (solicitação de informações sobre os Encontros dos Fóruns Paulo Freire)
E-mail: tbe@lyseo.edu.ouka.fi
1. Päivi Pelkonen (M. Ed., Researcher) - Educadora
University of Oulu – Faulty of Education
(Department of Educational Sciences and Teacher Education) - E-mail: Pelkonen@oulu.fi
Home page: www.oulu.fi - Kosovo: www.kec-ks.org - (Visita ao IPF em 29-04-2004. Trabalha com formação de
professores)

Taik
Lissu Lehtimaja - (Universidade das artes indútriais) pedagogia artìstica
E-mail: lissu@oranssi.net – Estudante de pedagogia que está desenvolvendo uma proposta de história em quadrinhos
sobre o Paulo Freire.


                                                    FRANÇA
Lyon
Suely Moreira Marques (defende tese na França sobre Paulo Freire)

Paris
Universidade de Sorbone
52
   Prof. Dr. José Marin (Graduado em Antropologia, Universidade da Sorbonne de Paris) Pesquisa a educação
intercultural na América Latina e as relações do Estado com os povos indígenas. Palestra em 2003 no IPF, inaugurando
a sala 08 do IPF.

Tours
Universidade François Rabelais de Tours
Gaston Pineau – E-mail : pineau@sympatico.ca

                                                       GANA

Acra
Educação popular
Hamza Ali (Educador popular- solicita material)
E-mail: macdarlingc@yahoo.com
                                                 GUINÉ-BISSAU
Sergio Guimarães (Guiné-Bissau)
Intunda Na Montche
Vic. O. della Magliana, 29
00148- Roma
Italia - intunda.namontche@engim.it - Tel- 0039- 3474117086/ 0039-06-6571417


                                                       ÍNDIA
Calcutá
Prof. Asoke Bhattacarya (Apresentou trabalho sobe Freire e Gandhi no encontro do Porto, em 2004)
Jadavpur University – Department of Adult, Continuing, Education & e Extension
E-mail: asokebhatacharya@yahoo.com
Mumbai
Creative Education & Resource Centre (Early Years Education)
Sophie Ahmed (Teacher Education) - Email: sophie_cerc@vsnl.net
Shivani Chaudhry - schaudhry@ciel.org
(pretendem para fundar IPF em Mumbai)

Orissa
Mahendra Kumar Mishra (tradutor dos trabalhos de Paulo Freire em língua Oriya)
E-mail: shibram@sancharnet.in
Home page: http://members.in.tripodasia.com/mahendra/index.html

                                                   INDONÉSIA
Jacarta
(SEKRETARIAT NASIONAL KIKIS)
Andik Hardiyanto (trabalha com a metodologia freiriana em educação com os pobres)
E-mail: kikis2002@cbn.net.id

                                                 IRLANDA
American Indian activist
Lawrence Sampson (índio americano que manteve contato com a pedagogia freiriana na Irlanda)
E-mail: lsampson@setaim.com

                                                        ISRAEL
Tel Aviv
The Center of Critical Pedagogy - Kibbutzim College of Education –
Haggith Gor Ziv <haggith_gor@smkb.ac.il>
149 Namir rd - Tel Aviv, Israel - tel: 972-3-6951952 - fax: 972-3-6917940

                                                        ITÁLIA
Bolonha
1.Fausto Telleri (assessor internacional do IPF e responsável pelo IPF em Bolonha)
E-mail: ftelleri@ipazia.economia.unibo.it
2. Simona Serina (amiga do Gadotti)
                                                                                                                       53
E-mail: simonaserina@mailcity.com

Milão
Centro de Formazione “Paulo Freire” (METODI Asscom&Aleph
Centro di Formazione "Paulo Freire". Oltre ai progetti realizzati su richiesta Metodi dà grande importanza all'attività
di studio, di ricerca e di innovazione. Per questa ragione Metodi, ha dato vita al Centro di Formazione "Paulo Freire". Il
Centro offre un calendario annuale di proposte formative ed è disponibile, su richiesta, come spazio per realizzare
incontri, workshop e conferenze.
Direttore del Centro di Formazione “Paulo Freire”: Piergiorgio Reggio (Università Cattolica del Sacro Cuore - Milano)
Endereço: Via Mauro Macchi, 27 - 20124 Milano (MM Centrale) - Orari: 9:30 – 13:00 / 14:00 – 17:30
Informazioni: telefono: (02) 670 95 56 – telefax: (02) 670 30 52
Home Page: www.metodi2000.it - E-mail: centrofreire@metodi2000.it ou freiredir@metodi2000.it
Contatos: Silvio Premoli – E-mail: silvio.premoli@fastwebnet.it; Silvia – E-mail: silmanf@hotmail.com
Massimo Campedelli (ASPEF Mantova); Roberto D’Alessio (CGM); Claudio Figini (CNCA); Elena Righetti (Instituto
Italiano di Valutazione); Enio Ripamont e Andrea Sammali (Metodi)



Napoli
Daniela Caramadre e Domenico diG ravina
E-mail: elenapl@interfree.it e tradizionipopolari@libero.it

Roma
Ivana Badolato (doutoranda sobre Freire)
E-mail: ivanabadolato@virgilio.it

                                                      MALTA
Universidade de Malta
Dar Ġużeppi Delia, 16, Misrah it-13 ta' Dicembru –ZEJTUN –
Executive Director: Fr Edgar Busuttil sj
Home page: http://www.jesuit.org.mt/justice/freire.html
Tel: 2169 4583 Fax: 2180 1387
E-mail: freire.@maltanet.net
Peter Mayo (University of Malta) - E-mail: peter.mayo@um.edu.mt

                                                    MÉXICO
Chapingo
Clodomir Santos de Morais y Jacinto Correa (Universidad Autônoma de Chapingo)
Apartado Postal, 148 - C. P. 56230, EDO De México. Fone: 0052595 216-25 / 216-27
E-mail: sruach@laneta.apc.org

Cuauhtemoc
1. Instituto Mexicano de Estúdios Sociales
2. Centro de Documentación Paulo Freire 1. Félix Juan de Dios (Coordinador Del Centro de Estúdios y Servicios em
Apoyo a la Educación y la Ciência Popular –
Fone: 5-24-24-48 ou 6-88-77-27 - Cuauhtemoc – 1486-501 – Mexico – DF
3. Contato: Ramón de la Peña Manrique
E-mail: tespinosa@inea.gob.mx
Home page: cdpaulofreire@inea.gob.mx (enviaram quatro ejemplares do boletín bibliográfico)

Cuautitlan
José Luis Ruiz Guzmán (Profesor/investigador do laboratório de Los Alimentos)
Fone: 519-73-40

Cuernavaca
1. Núcleo de Estudos – (Universidad Autónoma Del Estado De Morelos)
Home page: www.uaem.edu.mx/oferta/facultades/ice/icedoc/proyectos.htm#TOP
2. Susan Elisabeth Smith (Luz de Luna Internacional / Moonlight International Consulting – México e Canadá) - Apdo.
1983 - Cuernavaca, Morelos - C. P. 62000
Fone: (73) 11-77-95 - E-mail: luzdelun@intersur.com
54

Guadalajara
1. Renato Mosca (Jefe Del Setor Cultural y de Prensa da Embajada de Brasil)
E-mail: secult@ienlaces.com.mx
2. Esmeralda Matute (Instituto de Neurociências de Guadalajara)
E-mail: ematute@udgserv.cencar.udg.mx
3. Ma. Luisa Armendáriz (Directora General da Feria Internacional del Libro)
E-mail: dirdif@fil.com.mx - (52) 38 10 03 31
4. Silvia Alvarez Jimenez (Coordinacion General de Extensión - Universidad de Guadalajara)
E-mail: sialvare@cencar.udg.mx

Ciudad del México
1. Centro de Investigaciones Interdisciplinares en Ciências y Humanidades – CEIICH
Pablo Gonzales Casanova (Director do CEIICH) - Fax: 616-2988
Ma. Gladys Castillo G. (Jefe Departamento Difusión da Universidad Nacional Autonoma de México) - Fax: 00-525-
616-2988 e 623-0032
2. Revista Del Centro de Estudios Educativos
Horacio Chavez Olivares - Fone: 593-58-47 / 593-59-77
Márcio Luis Costa (Maestro en Filosofia) - Fone: 554-6310 / 554-5746 ou Brasil (Campo Grande MS) - (067) 765-4509
/ 382-2272 -E-mail: ifftpfse@iserve.net.mx ou cefil@alanet.com.br
3. Educal, S. A. De G. V (El correo del Livro)
Antonio Monzon Hernandez (Director General)
Av. Ceylan, 450 – Col. Euzkadi - Mexico, D. F. - C. R. 02660
Fone: 355-6772 / 556-8490 / 556-8395 - 556-8315 / 556-8822 / 556-8410

4. Instituto Nacional para la Educación de Los Adultos
Tomás Miklos (Director de Alfabetización)
Córdoba, 23 – 06700 – México, D. F. - Fone: 511-75-60
5. Promoción del desarrollo popular
Luis Lopezllera Méndez (Presidente) - Tlaloc 40-3 – Cp. 11370, D.F. - Fone: 55-35-03-25
E-mail: lopezllera@laneta.apc.org / www.vidadigna.net
6. Centro de Cooperacion Regional para la Educación de Adultos en America Latina y el Caribe (CREFAL)
Quinta Eréndina, 61600 Pátzcuaro, Michoacán – México -Fone: (434) 218-98 / 20005
7. Siglo Veintiuno Editores
Guadalupe Ortiz Elguea (Gerente General) - Cerro Del 248 -C. P. 04310, México, D. F.
Fone: 658-75-88
Arnaldo Orfila Reynal (Director General de Siglo Veintiuno Editores)
Apartado Postal 20626, Mexico, D.F.
8. Consulado Geral do México
Ricardo Ahuja (Cônsul) - Rua Holanda, 274 – Jardim Europa
01446-030 – São Paulo - Fone: (5511) 3081-41-44 - E-mail: rahuja
9. Fernandez Editores
José Félix Chavez Moreno (representante de vendas)
Home page: www.fernandezeditores.com.mx

Tuxtla Gutierrez
(Chiapas)
Jardin de Ninõs Colegio Paulo Freire
Home Page: http://sde-
chiapas.gob.mx/intranet/Quienes_Somos/ORGANIGRAMA/Oficina_Secretario/Anal_T%E9c_B/MarcoA_Barajas_Ca
mpos.html

Zapopan
1. Centro Educativo Freire - Bachillerato tecnológico en administración
Mario Isaac Gomez Medina - Coordinador de Secundaria do Centro Educativo Freire
avenida “d” numero 868 - colonia seattle -município Zapopan - estado de Jalisco
código postal 45150 - Tel: 3833-2264 - 3833-4480
Home page: http://www.sep.gob.mx/work/resources/LocalContent/1633/4/edutecnoindustrial_btytp_ok.pdf
2.El Colegio de Jalisco
                                                                                                                55
Ricardo Fletes Corona (Investigador) - E-mail: rfletes@coljal.edu.mx

                                                 MOÇAMBIQUE
One World University
Montserrat Cuña (professora espanhola que trabalha com educação popular em Moçambique e angola)
E-mail: owumap@teledata.mz

                                                   NICARÁGUA
Manágua
1. Complexo Cívico “Camilo Ortega”
Roberto S. Arguiello (Secretario General do Ministerio da Educação) Fone: 50391
2. Instituto de Estudios y Promoción de Autonomia Uraccan (IEPA)
César Paiz Coleman (Diretor)
E-mail: huracán@ibw.com.ni3.

                                                  NORUEGA
Oslo
University College of Oslo
Anne Linn Giskeødeegaard (University College of Oslo) Pesquisadora sobre a temática do oprimido em Freire e
Augusto Boal
E-mail: annepannelinn@hotmail.com


                                               NOVA ZELÂNDIA
Auckland
Simpósio Paulo Freire - University of Auckland
Grupo de pesquisadores australianos de várias áreas (indígenas, alfabetização, feminismo teologia) realizaram um
seminário sobre Freire, logo após a sua morte. Trabalho publicado no livro “Paulo Freire, politics and pedagogy:
refections from Aotearoa – New Zealand”” (1999)
Organizador: Peter Roberts

                                                   PAÍS VASCO
Vitoria-Gasteiz
Centro Público de Educación de Personas Adultas “Paulo Freire”
Criado em 1984, adotou o nome Paulo Freire em 1986. Atende milhares de crianças e adultos entre 16 e 70 anos,
procedentes de diversos segmentos sociais.
                                                    PAQUISTÃO
Trust for Rural Development [TRD]
Zafar Iqbal – Director - Trust for Rural Development – C - 73, GMB Colony, Cidades: Qasimabad, Hyderabad.
Sindh. Pakistan. - Ph: 0092 - 221 - 655 021

                                                  PORTUGAL
Algarve
Núcleo Paulo Freire do Algarve
Representante:
Representante: Rosanna Barros (Gabinete 88)
E-mail: rmbarros@ualg.pt
Sede: Escola Superior de Educação da Universidade do Algarve (Sala 94)
Campus da Penha – Estrada da Penha – 8000-117 – Faro – Portugal

Évora
Centro de Investigação Transdisciplinar Paulo Freire
Maria Nazaret Trindade - Tel:351.266.744522 - Fax: 351.266.744521
E-mail: mnt@uevora.pt
Home page: www.eventos.uevora.pt/ilb/CIPF/

Coimbra
1. Universidade de Coimbra
Boaventura Sousa Santos - Mail: bsantos@fe.uc.pt ou bsantos@sonata.fe.uc.pt
2. Antônio Castro Fonseca
56
Lisboa
1. Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa – Ciências da Educação
Maria do Loreto P. Paiva Couceiro
2. Escola Superior de Educação de Lisboa
Lucília Lourenço (professora adjunta) – formadora de formadores
Rua da Guarda Mor, 40 – 1º Dist. - 1200 – Lisboa - Fone: 395 0304
Universidade do Minho - (Instituto de Educação e Psicologia)
3. Almerindo J. Afonso - Mail: ajafonso@iep.uminho.pt
4. Universidade de Lisboa (departamento de Educação)
Maria de Fátima Chorão Cavaleiro Sanches
Fone: (01) 70 02 43 ou 757 31 41
5. Luis Moita

Porto
Universidade do Porto
Centro de recursos Paulo Freire (Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação – UP) e Instituto Paulo Freire de
Portugal
Rua do Campo Alegre, nº 1055, Sala 19
4169-004 Porto – Portugal - Tel.: 22.6079700
E-mail: IPFPortugal@hotmail.com
Luisa Cortesão – Presidente do instituto Paulo Freire de Portugal e Professora catedrática da FPCE-UP) - E-mail:
luizacortesao@hotmail.com
Amélia Rosa Macedo - E-mail: ameliamacedo@netc.pt
Eunice Macedo - E-mail eunicemacedo@mail.pt
Lurdes Vasconcelos - E-mail: mlurdes@net.sapo.pt
Manuela Evans - E-mail: manevans@iol.pt
Centro de recursos Paulo Freire (Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação – UP)
Rua do Campo Alegre, nº 1055, Sala 19 - 4169-004 Porto – Portugal - Tel.: 22.6079700
E-mail: IPFPortugal@hotmail.com
Agostinho dos Reis Monteiro - a.reismonteiro@mail.telepac.pt

                                                   QUÊNIA
Nairobi
Kenya Adult Learners Association
Magdalene Gathoni Motsi (National Co-ordinator/Founder)
E-mail: kala@kenyaweb.com - E-mail: kala@form-net.com

                                                  REINO UNIDO
Escócia
Liam Kane email: lkane@ace.gla.ac.uk

Inglaterra
Manchester
1. The Freire Institute
The Freire Institute for Economic, Social and Theological Analysis
Home page: http://freire.org/ - E-mail info@freire.org
Fone: 44 (0)870 020 5577.

2. The Freire Institute - Luther King House
Brighton Grove - Manchester M14 5JP - United Kingdom

London
Michael Berry
E-mail: note_for_michael@hotmail.com
Assistente social freiriano com atividades em Londres e no Timor Leste.

                                                      SENEGAL
Association Nationale pour l’alphbetsation et la formation des adultes – ANAFA
                                                                                                                     57
Charles Owens Ndiaye (Oumar Dia) - Secretário da Rede de Alfabetização de ANAFA – Solicitou participação do
IPF no seminário de Educação em 2003 no Senegal.

                                                        SUÉCIA
Estocolmo
1.Azril Bacal - E-mail bazril@hotmail.com
2.Martin Ezpeleta - E-mail: cetal.uppsala@swipnet.se
E-mail: cetal.uppsala@swipnet.se
STUDIES AND WORK CENTRE LATIN AMERICA - CETAL
Endereço: S:t Johannesgatan 2, 2 tr - SE-753 11 Uppsala - Tel: 018-10 17 38, Fax: 018-10 17 38
CETAL is an adult alternative education centre which integrates Latin Americans and Swedes willing to help and
participate in educational, informative, cultural and solidarity projects in both Sweden and Latin America. Under the
principles of equality, democracy and solidarity, CETAL’s members and followers try to develop themselves in the
fields of education, communication and promotion of Lat
3. Torbjörn Stockfelt - E-mail: Torbjorn.Stockfelt@comhem.se
E-mail: torbjorn.stockfelt@telia.com
Dados curriculares: Filosofie doktor at Uppsala university and, among other jobs, psychologist, specialised on work,
sport and competence growth, have been acting professor in educational psychology related topics at Stockholm
university, KTH (the technical university) in Stockholm and professor of Humanics and Pedagogics at Springfield
College, Massachusetts, USA. Has written about thirty books in different work psychological topics and in fiction.
Endereço: Nedre Kvarnbergsgatan 22, S-411 05 Göteborg, Sweden.
Telephones, 0046-(0)31-7434799 and (0)706-257766.
Ana, Jorge Godoy e Gerd (contatos de Tobjorn)
4. LO/TO Consejo de Cooperación Sindical Internacional
Kristina Persson (projetos de América Latina)
10553 Estocolmo/Suécia (AIE) Telefono: 08/225580
5. Young Left (revista)
National Office: Fone: +46-8-654 31 00 - Endereço: Box 126660 - 112 93 Stockholm
site: www.ungvanster.se - E-mail: info@ungvanster.se
Jenny Lindahl (president) - Mobile tel: + 46-70-652 14 92
E-mail: jenny@ungvanster.se
Asa Brunius (General Sectretary)
Mobile tel: +46-70-238 14 00 - E-mail: info@ungvanster.se
6. SIDA (Agência Sueca paro Desenvolvimento Internacional)
Ring, faxa, skicka - e-post eller besök oss på Sveavägen 20 i Stockholm, T-bana Hötorget!
Tel: 08-698 50 00 - Fax: 08-20 88 64
E-mail: sida@sida.se
7. Emma Maldonado GAC (Chapter Organizer Latin America)
LOVHOLMSV 21, 55 - 117 43 Stocholm
8. Luis Ajagan – Lester - Kristallstigen 6 - 196 33 Kungsangen
9. Jose Mário Contreras R. (University of Stockholm – Department of Education)
Frescati Hagvãg, 20, 24 - Fone: 08 – 16 20 00 - S-106 91 Stockholm
10. Staffan Selander
Skiftesägen 72 (S-183 38 Taby)
(Stockholm Institute of Education) - Dep. of Educational Research
Box 34 103 - S-100 26 Stockholm
11. Arvid Löfberg (professor associado do Departamento de Educação de Adultos da Universidade de Estocolmo)
12. Äke W. Edfeldt (professor de Education - University of Stockholm)

                                                     URUGUAI
Montevidéu
1. Cooperativa Paulo Freire
Home page: http://webs.montevideo.com.uy/fenapes/ADES/ades.htm
2. Centro de Investigaciones e Desarrollo Cultural
Pilar Ubilla Montevideo - Coloni 1936 - Tel: 49 10 45

Ciudad de la Costa
Canelones
Congreso nacional de educación (autorización para abrir una representación en Uruguay del Instituto Paulo Freire);
58
                                                    VENEZUELA
Caracas
1.World University Service (WUS)
Rosa Maria Pérez dos Santos (fundadora e coordenadora)
E-mail: rosamariaperez@hotmail.com
2. Contatos
María Gorety - E-mail: mariagorety@yahoo.com
Yoraima Salazar - E-mail: syoraima@hotmail.com
José Marín - josecmarind@yahoo.es
Sonia P. de Linares - Elizabeth Safar
Irene Labraga - E-mail: irelab@latinmail.com
Osmerly Lobos - osmerlylobo@hotmail.com
3. Universidad Central de Venezuela - Escuela de Educación.
Edificio Transbordo. Piso 3, Departamento de Administración Educativa.
Ciudad Universitaria. Los Chaguaramos (Caracas)
Telefones: (0212) 605-29-65 – 605-28-83 - (Fax) 605-28-84
(Celulares) 0412- 7142795 (Rosa Maria) 0414-2595820 (Maria Gorety)
0416-8075709 (Osmerly) - 0414-2563833 (Rosa Maria) - 0416-6392030 (Jose Marin)

                                                   ZIMBÁBUE
ELCZ- Non-Formal Education
Lawyers Moyo (Director) - P. B. - West Nicholson - Tel: 02931
                                                                                                                    59
                                                  7. ANEXO

                                     CARTA DE BOLOGNA
          MOVIMENTO PELA UNIVERSITAS PAULO FREIRE (UNIFREIRE)


                                                   PREÂMBULO


          O Renascimento Feudal do século XIII determinou uma ampla movimentação dos habitantes dos burgos, de
uma classe ascendente cujas demandas forçaram a Igreja a exteriorizar suas tarefas pedagógicas, antes voltadas para a
formação de seus próprios quadros nas escolas monásticas. O aparecimento das escolas catedrais respondeu, portanto, à
necessidade inicial de organização corporativa de mestres e aprendizes. Delas derivou a maioria das universidades
medievais. A universidade nasceu no mundo ocidental e suas denominações matriciais – quer seja a prévia de studium
generale, quer seja a definitiva de universitas studiorum – já denunciavam sua transnacionalidade.
          Não se discute mais que Bolonha è o berço universitário. Também não se levantam dúvidas sobre o fato de que
ela impregnou-se do espírito democrático e supranacional. Os estudiosos da história da educação são unânimes em
afirmar que, se não foi a primeira em ordem cronológica, esta Universidade foi a mais antiga organização universitária
no sentido etimológico do termo: várias “nações” de estudantes se reuniram e contrataram seus mestres. Ou seja, as
diferenças das nacionalidades dos aprendizes foram superadas pela organização e institucionalização da universitas.
          Paulo Freire (1921-1997) foi o educador do final do século XX que mais se destacou na defesa dos oprimidos e
na proposição da bandeira da libertação através de um processo pedagógico em que o educando e os educadores se
promovem como seres humanos em comunhão. O reconhecimento mundial desse educador encontrou sua mais alta
expressão na promulgação da “Década Paulo Freire”, pela UNESCO, na Conferência Mundial de Educação de Jovens e
Adultos, realizada em Hamburgo, em 1998.
          No mundo ocidental, coincidentemente, a Universidade nasceu sob a égide de alguns princípios que também
são significativos no legado das idéias e ações de Paulo Freire: organização da resistência de minorias oprimidas;
superação das diferenças de origem geopolítica; multiculturalismo; compromisso com o rigor científico. No caso
particular de Bologna, os estudantes proclamaram o caráter contrário às ordens instituídas verticalmente, tomando uma
“iniciativa educanda”, em lugar de uma “iniciativa docente”.
          Por isso, nada mais emblemático do que retomar, numa perspectiva freiriana, a discussão da Universidade em
Bologna. E, revendo esses quase mil anos de História, buscar, nas suas fontes mais libertárias, a seiva que deverá
alimentar a concepção de uma nova Universidade, a ser construída num contexto de aggiornarmento tecnológico e
comprometida com a libertação de todos os povos.
          As preocupações de Paulo Freire, expressas em vários momentos, sobre “a contingência do individual e a
transcendência do coletivo”, acalentava a idéia de constituir uma organização que desse continuidade as suas propostas.
Daí, com um grupo de educadores, criou o Instituto Paulo Freire.
          O Instituto Paulo Freire (IPF) está sendo chamado a envolver-se com a formação de pesquisadores e
educadores, inclusive com a incorporação dos modernos meios de comunicação, com profundo rigor científico, mas
sem os exageros do credencialismo. Pensou-se, desde os primórdios do IPF, na "Cátedra Paulo Freire". Paulatinamente,
a idéia foi evoluindo para a constituição de uma verdadeira Universidade. E o que é uma universidade? Certamente não
se limita a um conjunto de professores e de alunos; não é somente a biblioteca, laboratórios e currículos. Ela não se
confunde com suas paredes, seus equipamentos, suas quadras de esporte. Uma Universidade é um conjunto de relações
sociais e humanas. Enfim, ela se caracteriza por um espírito. Paulo Freire também não deixou como legado livros,
artigos, vídeos. Não deixou discípulos como seguidores de suas idéias. Deixou um espírito que une, hoje, em muitas
partes do mundo, um conjunto de pessoas e de instituições, que passamos a denominar Universidade Paulo Freire
(UNIFREIRE).
          E o que é a Universidade Paulo Freire? Ela se constitui de uma rede de núcleos, espalhados por todo o Planeta
e linkados entre si pelo espírito do legado de Freire e por todos os modernos meios de comunicação, desenvolvendo
programas e projetos para a libertação e promoção dos oprimidos. É uma Universidade fundada “no sonho por um
mundo menos malvado, menos feio, menos autoritário, mais democrático, mais humano”, segundo as próprias palavras
de Freire.
60
                                                   COMPROMISSOS

          Face ao exposto, nós, participantes do II Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire, reunidos em Bologna
(Itália), de 29 de março a 1.º de abril do ano 2000, inspirados no legado de Paulo Freire e dando continuidade aos
compromissos assumidos na “Carta de São Paulo”, elaborada por época do I Encontro Internacional do mesmo Fórum,
em 30 de abril de 1998, comprometemo-nos com os seguintes princípios, teses e encaminhamentos:
          I - Trabalhar para criar, em cada Instituição de Ensino Superior, um núcleo da Universitas Paulo Freire
(UNIFREIRE), voltado para a formação de pesquisadores e educadores, comprometidos com a causa dos oprimidos, de
modo a constituir, organizar e consolidar uma rede de pólos de revisão crítica do papel da Universidade no novo
milênio.
          II - A Universitas voltar-se-á para a formulação e concretização dos princípios e dimensões da planetaridade,
do processo civilizatório, da eticidade e da democracia. Por isto, há de transcender fronteiras e “alfândegas” criadas
pelas discriminações de gênero, étnicas, nacionais, econômicas, culturais, políticas e religiosas, superando limites
físicos, através da cultura digital, da utilização da presença virtual que diferentes meios de comunicação modernos
colocam à nossa disposição, para a configuração de uma inteligência coletiva; há de superar a barreira do tempo e da
alienação pelo resgate e incorporação das contribuições da pedagogia crítica ao longo de toda a História, visando à
construção de uma universidade simultânea e, por isso mesmo, uma meta universidade; há de denunciar toda e qualquer
ameaça às relações orientadas pela ética e, finalmente, deverá trabalhar pela expansão da democracia que se limita hoje,
na maioria dos países, aos direitos da institucionalidade política, construindo a democracia econômica, social e cultural.
          III - Além da cibercultura, além dos recursos que a eletrônica colocou à disposição da telecomunicação, serão
buscados, pela UNIFREIRE, outros procedimentos que permitam a construção do saber – confundido nas atuais
instituições de ensino com a informação e o conhecimento – uma vez que a sabedoria só surge no momento em que
somos capazes de, associando dados recolhidos pela informação e processos formulados pelo conhecimento, construir
nossa própria inteligência do universo, pronunciando-a como movimento recriador da vida.
          IV - A UNIFREIRE só terá o saber instituído como ponto de partida para o instituinte, através de processos
dinâmicos de incorporação da sabedoria de todos os segmentos sociais, tomando os universos simbólicos de construção
da existência dos oprimidos como contextos geradores dos seus próprios processos pedagógicos.
          V - A UNIFREIRE terá como meta a reinvenção do espírito universitas da instituição, como estratégia para
neutralizar o caráter corporativo que acabou por nela predominar em muitos lugares, através da construção da dimensão
da planetaridade, também contraposta ao globalismo, voltado para forjar um projeto de sociedade individualista,
meritocrático, discriminatório e excludente.
          VI - A UNIFREIRE, no espírito de universidades populares, será desenvolvida na linha da Escola Superior
Cidadã, portanto, inspirada no princípio de que a informação é um direito primário fundamental – o primeiro de todos
os direitos – pois sem ele não chegamos à consciência, nem, conseqüentemente, ao acesso a outras conquistas.
          VII - Cientificamente, a UNIFREIRE não considerará como verdade definitiva as afirmações e observações
que se dizem “imparciais”, pois quem afirma e observa sempre o faz de determinado ponto de vista. “E o erro não é ter
um certo ponto de vista, mas absolutizá-lo”, como dizia Paulo Freire. O ponto de vista da UNIFREIRE será o da
objetividade científica, que só se obtém com a leitura do mundo, isto é, com uma rigorosa abordagem, através do
método científico, das determinações naturais e sociais.
          VIII - Se a prática da formação deve estar, numa perspectiva freireana, impregnada da ética universal do ser
humano, a UNIFREIRE condenará toda e qualquer forma de discriminação, dominação e exclusão.
          IX - “Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para sua produção e construção” e
“quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender”. A UNIFREIRE observará os seguintes
princípios: aprender precede a ensinar e ensinar se dilui na experiência fundante de aprender; não se ensina apenas
conteúdos, mas a aprender, isto é, a pensar certo; pensar certo é estar sempre em dúvida com as próprias certezas, a
partir da observação do mundo; a curiosidade ingênua deve ser substituída pela curiosidade epistemológica.
          X - A UNIFREIRE buscará o reconhecimento de todas as titulações e certificações de quem, formal ou
informalmente, concluir estudos, pesquisas e práticas caracterizadas pelos princípios contidos nesta Carta.

                                                                                          Bologna, primavera de 2000.
61
62

								
To top