Informa��es by 02298B57

VIEWS: 20 PAGES: 66

									                                            Informações

      AUTO-PROGRAMA/PLANILHA PARA AVALIAÇÃO

                 ECONÔMICA PRELIMINAR


  Este programa/planilha foi elaborado com o objetivo de
propiciar a analise econômica preliminar de uma
decisão gerencial que você pretende tomar. A estrutura
do programa e simples e contem as principais rubricas
básicas de uma planilha convencional de custos.
Dependendo da natureza das informações obtidas, bem
como do tipo de decisão que você estuda, o programa/
Planilha possibilitara a analise desde a aquisição de um
veiculo, ate a instalação completa de um médio
empreendimento comercial ou industrial. Portanto, você
poderá utilizar parte da estrutura apresentada a
seguir ou toda ela, segundo as circunstancias que
envolvam sua decisão. E recomendável que você elabore
seus cálculos por ano e que utilize as unidades
de valor, tempo, volume, medida e outras, de forma
padronizada, para possibilitar analise compatível
com as suas necessidades. Os resultados preliminares
obtidos com este programa não admitem a inflação, pois
tudo se passa como se você aferisse todos os dados num
determinado momento; como se "fotografasse" aquele
instante da formação dos custos. Numa outra fase, caso
necessite, você poderá elaborar um fluxo de caixa,
considerando, então, o efeito da inflação.

  A planilha e apresentada com a seguinte estrutura.

      I. PLANILHA DE CUSTOS E RECEITA.

  1. custos de investimento.

    1.1. Edificações.
    1.2. Maquinas e equipamentos.
    1.3. Instalações.

  2. custos de produção dos bens e/ou serviços.

    2.1. custos variáveis.
       2.1.1. custos variáveis diretos.
            2.1.1.1. Matérias primas.
            2.1.1.2. Mão-de-obra e encargos.
            2.1.1.3. Operação com maquinas.
               a) Depreciação.
               b) combustíveis,lubrificantes
                 e energia.
       2.1.2. custos variáveis indiretos.
            2.1.2.1. Manutenção e conservação
                  de maquinas/equipamentos.
            2.1.2.2. Salários da administração
                  e encargos.



                                                 Página 1
                                              Informações
            2.1.2.3. Energia elétrica.
            2.1.2.4. Agua.
    2.2. custos fixos.
       2.2.1. Depreciação das edificações.
       2.2.2. Manutenção e conservação das
            edificações.
       2.2.3. Depreciação das instalações.
       2.2.4. Manutenção e conservação das
            instalações.
       2.2.5. Salários da segurança e encargos.
       2.2.6. Alugueis.
       2.2.7. Arrendamentos.
       2.2.8. conta telefônica.

   3. custos de oportunidade.

     3.1. Remuneração do capital investido.
     3.2. Arrendamento mercantil.
     3.3. Remuneração gerencial.

   4. Receita.

   5. Ativo.

     5.1. Ativo operacional.

   Verificar-se-a durante a apresentação das
rubricas de custos e receita, que este planilha/programa e
elástico, isto e, você poderá utilizar ou não as
rubricas, de acordo com suas necessidades operacionais
e de decisão.
   A seguir, serão explicitadas as rubricas, com
alguns exemplos, para facilidade de interpretação e
alocação de custos.
   As empresas trabalham com um "plano de contas",
com rubricas padronizadas e detalhadas de acordo com
as necessidades de escrituração contábil. Neste
programa, o objetivo e agrupar as rubricas de maior
peso, possibilitando rápida conclusão sobre a
viabilidade econômica do que você pretende realizar.

  Os custos são divididos em três partes.

  1. custos de investimento,
  2. custos de produção dos bens e/ou serviços,
  3. custos de oportunidade.


  1. custos de investimento.

    Os custos de investimento representam o capital
aplicado na aquisição de imoveis, maquinas e
equipamentos e instalações. construção de edifícios,
compra de veículos, instalações especiais como camaras
frigorificas, sistema de caldeiras ou mesmo reforma ou



                                               Página 2
                                               Informações
divisórias de ambientes, constituem exemplos de
rubricas relacionadas com os custos
de investimento. Esses custos, conforme a estrutura
apresentada, subdividem-se em:

   1. custos de investimento.
       1.1. Edificações,
       1.2. Maquinas e Equipamentos,
       1.3. Instalações.

   1. custos de investimento.
       1.1. Edificações.

   Esses custos referem-se a compra ou construção de
prédios, como galpões industriais, conjunto de
escritórios ou edifícios de um modo geral.

   1. custos de investimento.
       1.2. Maquinas e Equipamentos.

    são representados por todo o tipo de maquinarias,
como motores, tornos mecânicos, serras elétricas,
maquinas de solda, guilhotinas para corte de metais,
tratores, acessórios para tratores, veículos, balanças
e cortadores de frios.

   1. custos de investimento.
       1.3. Instalações.

   são investimentos realizados para possibilitar o
funcionamento adequado do negocio ou atividade, como
instalação de transformador de forca, rede de energia
elétrica primaria, divisórias para organização
administrativa de escritório, sistema telefônico, rede
para condução de vapor ou fluido frio.

   2. custos de produção de bens e/ou serviços.

    Esses custos referem-se aqueles que estão
diretamente embutidos na produção de bens (por
exemplo, fabricação de doces) ou serviços (por
exemplo, a ocupação de apartamentos em hotéis). são
variáveis, quando os custos aumentam ou diminuem, de
forma direta e proporcional ao maior ou menor nível
de produção. Ou seja, a matéria-prima que e um custo
variável, terá seu custo aumentado caso o volume de
produção de doces aumente. caso contrario, em que a
produção de doces diminua, o custo da matéria-prima
também sera reduzido. Os custos variáveis podem ser
divididos, segundo sua relação de "intimidade" com a
produção de bens e/ou serviços. Quando o bem e/ou
serviço esta "incorporado", "embutido",     esta
carregando consigo o peso dos componentes, e
denominado custo variável direto. são exemplos dessa
categoria de custos, as matérias primas, a mão-de-



                                                  Página 3
                                               Informações
obra, "parte" das maquinas (depreciação) que esta
sendo levada ao produto e/ou serviço, bem como os
custos de combustíveis, lubrificantes e energia que
estão "embutidos" no bem e/ou serviço. Aqueles custos
que embora estejam relacionados com a produção de bens
e/ou serviços, mas que não apresentam uma "intimidade"
com os mesmos, são classificados como custos variáveis
indiretos. são aqueles custos que estão "próximos" do
bem e/ou serviço, mas que não estão "embutidos" nos
mesmos. Os salários do pessoal da administração (que
não estão trabalhando diretamente na produção); o
conserto e conservação de maquinas e equipamentos (que
não estão aplicados diretamente na produção), a
energia elétrica geral da empresa (alem daquela
consumida na produção) e a agua (nas mesmas
condições), são exemplos de custos variáveis
indiretos.
    Recapitulando, os custos variáveis dividem-se em
diretos e indiretos. Os diretos subdividem-se,
conforme abaixo, com as respectivas rubricas.

  2. custos de produção de bens e/ou serviços.
      2.1.1. custos variáveis diretos.
             2.1.1.1. Matérias primas.
             2.1.1.2. Mão-de-obra e encargos.
             2.1.1.3. Operação com maquinas.
                   a) Depreciação.
                   b) Combustíveis,
                      lubrificantes e
                      energia.

     2.1.1. custos variáveis diretos.
            2.1.1.1. Matérias primas.

   As matérias primas constituem os "ingredientes"
que estão incorporados diretamente no bem e/ou serviço
produzido. caso estivéssemos produzindo doce de
goiaba, os ingredientes seriam: açúcar, goiaba,
temperos.

     2.1.1. custos variáveis diretos.
            2.1.1.2. Mão-de-obra e encargos.

    A rubrica mão-de-obra e encargos refere-se ao
custo da folha de pagamento do pessoal diretamente
relacionado com a produção de bens e/ou serviços. Os
encargos sobre a folha de pagamentos, na atual
conjuntura brasileira, atingem aproximadamente 100,0%,
isto é, para cada unidade monetária paga em folha de
pagamento ao funcionário, a empresa gasta mais uma
unidade monetária com os encargos. Alem dos encargos
trabalhistas considerados normais, como ferias, decimo
terceiro salário, fim-de-semana remunerado, auxilio
maternidade/paternidade e outros, há também encargos
econômicos relevantes, que devem ser considerados,



                                                 Página 4
                                                 Informações
como: feriados, acidentes e aqueles gerados por
motivos de forca-maior, e assim por diante.

   A rubrica operação com maquinas desdobra-se em duas.

      2.1.1. custos variáveis diretos.
             2.1.1.3. Operação com maquinas.
                a) Depreciação.
                b) Combustíveis, lubrificantes
                  e energia.

   A depreciação representa o custo de desgaste da
maquina, equipamento, instalação ou imóvel durante um
determinado período de tempo, que geralmente nos
nos cálculos de custos é de um ano. E o valor da reposição
do bem, que foi desgastado pelo uso e/ou tempo. Esse
custo, teoricamente, devera repor integralmente o
valor inicial (de compra) do bem. De um modo geral, a
depreciação anual de um bem pode ser calculada
conforme a formula seguinte.


               (n - k +1)
    D = (Vi - Vf) x ------------ x 2
                 n (n+1)

                      onde,

   D = Depreciação anual do bem, em R$/ano.
   Vi = Valor inicial (de compra) do bem, em R$.
   Vf = Valor final ou residual(sucata) do bem, apos
      consumida sua vida útil. O valor geralmente
      adotado como final, para maquinas e
      equipamentos sem motor, e de 10,0% (dez por
      cento),calculados sobre o valor inicial (Vi)
      e de 20,0% (vinte por cento ) quando o bem
      possui algum tipo de motor.
   K = Idade do bem. O valor de "K" e zero, quando
      o bem e considerado novo, em ano.

    E importante destacar que as previsões de valor
final (Vi) são realizadas segundo a natureza, tipo do
bem e mercado em que esta sendo utilizado. caso você
tenha um histórico da formação desses preços, e ótimo,
pois poderá utiliza-lo com mais segurança nos
cálculos. caso não tenha nenhum registro ou outro tipo
de histórico do comportamento desses preços, e
conveniente analisar bem a situação do mercado antes
de assumir os valores para o calculo da depreciação.
Há situações na conjuntura econômica que forcam os
preços dos bens em falta. Por exemplo, a época do
Governo “Sarney”, em função da falta de ofertas - pois a
população comprava de tudo - um caminhão “Mercedes Benz”
usado tinha o valor de compra maior do que um veiculo
zero quilometro. Então, nesse momento, o calculo do



                                                  Página 5
                                              Informações
valor final fica complexo, pois gera a duvida de qual
seria de fato o valor de sucata de um bem usado. Por
outro lado, há certas depreciações denominadas "por
obsolescência" ou "acelerada", que comprometem a
formação do valor final real do bem. E o caso, por
exemplo, do lançamento de um micro-computador com
características operacionais dinâmicas e de alta
velocidade, comparado com um determinado modelo
anterior. Nessas circunstancias, praticamente o valor
final (Vf) desaparece. Idêntico raciocínio pode ser
aplicado ao bem, que por circunstancia própria de
trabalho, tem reduzida sua vida útil e praticamente
aniquilado seu valor final, face a situação de
exaustão a que chegou. E o caso de um trator operando
em usina de açúcar, para a cultura da cana, durante o
ano todo, vinte e quatro horas por dia, sob quaisquer
condição climática. E evidente, que nessas condições,
o valor final praticamente desaparece.
    A idade do bem e identificada por "K". Se o bem
for novo, em estado de zero uso, o "K" e zero. caso
você venha a utilizar bem usado em seu negocio, e
importante lembrar que o valor inicial (Vi) e obtido
de um bem novo, isto e, em estado de zero uso. Depois,
na formula você informa a idade do bem, em "K", cuja
inter-relação "descontara" os anos de vida do bem
usado. Esse fato e relevante, pois como os preços no
Brasil não obedecem a quaisquer padrões quer relativos
ou absolutos, há necessidade permanente da revisão da
planilha de custos, para se aferir a viabilidade do
negocio.
    De acordo com sua necessidade, você poderá
calcular a depreciação por hora, por unidade de
produção, por volume, e assim por diante, bastando que
proceda aos cálculos com as devidas conversões,
utilizando as unidades indicadoras adequadas.


  b) Combustíveis, lubrificantes e energia.

   Esses referem-se aos custos gerados com a
movimentação das maquinas e equipamentos. Ao se
analisar, por exemplo, esses itens a partir do uso de
um trator, verificar-se-a que o combustível e o óleo
diesel para a movimentação do motor; os lubrificantes
serão o óleo para o motor e cambio e a graxa para os
diversos pontos de lubrificação. Em maquina industrial
- um torno mecânico, por exemplo, esses gastos serão o
óleo e graxa para lubrificação e energia elétrica para
movimentação, sendo que o torno não consome óleo
diesel ou outro tipo de combustível - alem da energia
elétrica - para seu funcionamento.

    Os custos variáveis indiretos são aqueles que
embora contidos no bem e/ou serviço, não estão
intimamente incorporados. são subdivididos conforme



                                               Página 6
                                                Informações
abaixo.

          2.1.2. custos variáveis indiretos.

              2.1.2.1. Manutenção e conservação
                    de maquinas/equipamentos.
              2.1.2.2. Salários da administração
                    e encargos.
              2.1.2.3. Energia elétrica.
              2.1.2.4. Agua.

        2.1.2.1. Manutenção e conservação de
maquinas
              e equipamentos.

   De proposito foi colocada esta rubrica, que se
refere aos custos de recuperação, pintura, reforma, e
consertos de maquinas, equipamentos e instalações.
Dependendo da natureza da produção, esta rubrica
poderia ser incluída como custo variável direto. E o
caso da empresa que fabrica produtos com intenso
consumo de maquinas e equipamentos, onde não fica bem
evidente a diferença entre os gastos com depreciação e
os de manutenção. Por exemplo, a moenda de britas de
uma pedreira. Esse comentário significa que você tem
mobilidade para a instalação ou eliminação de
rubricas, conforme sua necessidade.

           2.1.2.2. Salários da administração
                    e encargos.

   Nessa rubrica entram os custos da folha de
pagamento da administração - pessoal da empresa alem
daqueles da área de produção. são admitidos também os
encargos, como visto anteriormente.

           2.1.2.3. Energia elétrica.
           2.1.2.4. Agua.
    Esses são dois custos considerados como
energéticos. As contas de energia elétrica e agua
entram como custos variáveis indiretos. Porem, caso a
agua, por exemplo, seja um ingrediente de primeira na
formação do custo, pode ser considerada como matéria-
prima, sendo que nesse caso, seria classificada como
custo variável direto. E o caso de uma fabrica de
refrigerantes, em que a agua constitui a matéria-prima
principal. Idêntico raciocínio pode ser aplicado com a
energia elétrica.

    Os custos fixos são aqueles que independem do
nível de produção, isto e, a empresa produzindo o
máximo ou o minimo de produtos e/ou serviços, sera
onerada com o mesmo custo fixo, que se mantem no mesmo
nível. A diferenciação desses custos e importante, em
relação aos custos variáveis, porque terão influencia



                                                   Página 7
                                              Informações
significativa no calculo do ponto de equilíbrio, que e
um método de avaliação de projetos. Os custos fixos
são geralmente identificados nas seguintes rubricas.

        2.2. custos fixos.
        2.2.1. Depreciação das edificações.
        2.2.2. Manutenção e conservação das
             edificações.
        2.2.3. Depreciação das instalações.
        2.2.4. Manutenção e conservação das
             instalações.
        2.2.5. Salários da segurança e encargos.
        2.2.6. Alugueis.
        2.2.7. Arrendamentos.
        2.2.8. conta telefônica.


    Em vista da apresentação anterior, você
entendera facilmente o significado dessas rubricas,
que compõem os custos fixos. A rigor, varias rubricas
podem ser divididas em partes de "custos variáveis" e
outra de "custos fixos". E o caso, por exemplo, da
folha de pagamentos do pessoal da produção que recebe
por produtividade. A parte do salário base, que e
fixo, e classificado como custo fixo e a outra parte
que depende do aumento da produção, e classificado
como variável. Idêntica situação pode ser levantada no
caso dos salários da equipe de vendas, que apesar de
não constar nesta planilha, você poderá admiti-los.
Aquela parte do salário base e classificado como
fixo e a parte variável em função do aumento das
vendas, e classificada como "variável". De acordo com
a natureza do seu negocio ou da analise que esta
desenvolvendo, você poderá ampliar ou reduzir as
rubricas de custo fixo, lembrando sempre o fato
gerador das mesmas.

   O ultimo grupo de custos que utilizaremos nesta
planilha e de "custos de oportunidade". Esses custos
não são propriamente "gastos" que você vai ter que
realizar no seu negocio ou envolvido na decisão que
vai tomar. Na realidade, os custos de oportunidade
representam os valores alternativos que você obteria,
caso não aplicasse o dinheiro na atividade que esta
estudando. Isto e, que valores de remuneração seria
possível obter, em cada uma das rubricas, a preços de
mercado. Os custos de oportunidade dividem-se em três,
como a seguir.

   3. custos de oportunidade.

     3.1. Remuneração do capital investido.
     3.2. Arrendamento mercantil.
     3.3. Remuneração gerencial.




                                                Página 8
                                              Informações
   3. custos de oportunidade.

     3.1. Remuneração do capital investido.

   Nesta rubrica você considera a melhor remuneração
para o seu capital, durante o período em estudo. No
Brasil, a remuneração real do dinheiro, aplicado na
caderneta de poupança, e de 0,5% (meio por cento) ao
mês, ou seja, 6,0% (seis por cento) ao ano. Porem, a
nível de remuneração internacional, esse percentual e
bem variável, alcançando no máximo entre 10,0% (dez
por cento) a 12,0% (doze por cento) ao ano. Assim
sendo, aquele capital que você reservou para aplicar
no empreendimento para a compra de imoveis, maquinas e
equipamentos e capital-de-giro, que e o capital
investido, deve render, no minimo o juro real na faixa
considerada. A taxa minima que deve ser considerada em
transações internacionais, e de 8,5% ao ano.

   3. custos de oportunidade.

     3.2. Arrendamento mercantil.

   Idêntico raciocínio você desenvolve para com esta
rubrica. Nesse caso, você leva em consideração qual o
valor que o seu negocio alcançaria na modalidade de
arrendamento mercantil. Isto e, qual seria o valor
mensal ou anual, que você obteria no mercado, se
arrendasse ou alugasse o seu negocio? Para bares e
restaurantes, sabe-se que essa remuneração refere-se a
aproximadamente 30,0% (trinta por cento) calculados
sobre o lucro bruto. Na área rural, dependendo do tipo
de entendimento entre as partes, os arrendamentos
podem ser meio-a-meio, ou os insumos oferecidos pelo
arrendatário e 30% (trinta por cento) de participação,
e assim por diante.

   3. custos de oportunidade.

     3.3. Remuneração gerencial.

    Esta rubrica não e considerada pela maioria dos
empresários e e particularmente importante, pois
reflete o valor dos honorários que você deveria
receber, caso estivesse trabalhando como funcionário
ou consultor nesse ramos de negócios. Nesse caso, você
lança na planilha, um valor compatível que você
mereceria receber, caso viesse a trabalhar numa dessas
modalidades, de acordo com a responsabilidade e
atribuições que viesse a assumir. Ou seja, caso você
não estivesse administrando esse negocio que pretende
desenvolver, estaria disposto a trabalhar em outra
empresa, como funcionário/assessor ou consultor,
recebendo um salário de mercado para tal.




                                               Página 9
                                           Informações
  4. Receita operacional.

    Nesta rubrica você lançará o valor de faturamento
ou de venda. Necessariamente não e obrigatório que
trabalhe apenas com essas entradas. caso esteja
analisando a viabilidade de compra de uma maquina nova
em detrimento de uma usada, nesta rubrica você lançará
o valor positivo, ou seja, o fluxo diferencial
liquido, positivo, gerado pelo aumento da receita,
face a instalação de uma maquina nova. O calculo desse
diferencial e simples. Os custos, com suas implicações
de depreciação, e etc. você calculara conforme
demonstrado. A receita sera a diferença entre as
produções das maquinas nova e velha.
    No caso particular de um projeto para redução de
perdas de grãos de cereais, você lançará como receita,
o correspondente valor monetário que conseguiu
produzir, com a redução das perdas. Por exemplo, você
estava perdendo 15,0% de milho, por falta de
equipamento adequado para armazenagem. com a
instalação de equipamento, você conseguiu reduzir as
perdas para 5,0%. A diferença, portanto, de 10,0%,
correspondentes em valores monetários, você lançará
como receita.

  5. Ativo.

    5.1. Ativo operacional.

    Essa rubrica representa a soma dos recursos
financeiros que você pretende aplicar no negocio ou
atividade desejada. Significa todo o capital que você
investira no negocio, incluindo todas as rubricas,
para movimentar o negocio durante o ano. O elenco de
todos os custos apresentados, constitui exemplo de
ativo, como o capital necessário para os
investimentos, pagamento da mão-de-obra, matérias-
primas, impostos e assim por diante.
    Apos montada a planilha de custos, que terá seus
resultados automaticamente oferecidos pelo programa, e
importante a analise dos resultados, para que você
interprete se os números são favoráveis ao que
pretende realizar. como este programa foi elaborado
para atender os mais diversos tipos de empreendimentos
ou atividades, a rubrica IMPOSTOS não foi discriminada
de proposito, pois cada caso apresenta uma
especificidade fiscal e tributaria. Assim, passamos
ao segundo tópico, intitulado "II. ANALISE DOS
RESULTADOS", que conterá espaço apropriado para você
adotar o percentual de impostos que desejar.



        II. ANALISE DOS RESULTADOS




                                            Página 10
                                           Informações
   A analise, apresentada automaticamente no
programa, engloba um tipo de indicador: taxa de
retorno sobre o investimento total (TRIT).
   Neste texto sera apresentada a metodologia para o
calculo da taxa de retorno sobre o investimento total
(TRIT).
   A avaliação de projetos sob a visão da taxa de
retorno sobre o investimento total (TRIT), evidencia
em quanto tempo o empreendedor terá o seu capital de
volta, apos devidamente remunerados todos os
investimentos realizados. Em função da natureza do
negocio, essa taxa de retorno ou o tempo necessário
para o capital voltar as mãos do investidor e muito
variável. Um negocio de baixo investimento, que
propicie alta velocidade de giro do capital, em geral,
apresenta alta taxa de retorno, portanto, pouco tempo
para a recuperação do capital inicial. E o caso, por
exemplo, de bares, lanchonetes, padarias e
papelarias. Por outro lado, um negocio de grande
envergadura, que necessite de altos investimentos,
como por exemplo, uma fabrica de aparelhos e
equipamentos para o processamento de bebidas, exige um
grande esforço de vendas, apresentando ainda a
agravante da montagem do projeto, o que demanda tempo.
Nesse caso, em geral, a taxa de retorno e baixa,
evidenciando um longo prazo para recuperação do
capital.
   Assim sendo, acima de quaisquer método de
avaliação econômico-financeira, o que vale na tomada
de decisão e o bom senso do investidor, que certamente
comparara o indicador de retorno com outras
modalidades de investimentos de mercado.

   Para a montagem da analise, são necessárias as
seguintes rubricas, com os significados a seguir.


  Ativo operacional.
  Vendas ou faturamento.
  custos variáveis.
  custos fixos.
  Lucro operacional bruto (LOB).
  Margem operacional bruta (MOB).
  Impostos.
  Lucro operacional liquido (LOL).
  Margem operacional liquida (MOL).
  Giro.
  Taxa de retorno sobre o investimento total (TRIT).

     Ativo operacional.

   O ativo operacional significa todo o capital que
você aplicou no empreendimento naquele exercício
anual. Representa o dinheiro para a compra ou
construção de imoveis, instalações, moveis e



                                            Página 11
                                                   Informações
utensílios, compra de matérias-primas, pagamento de
todos os tipos de mão-de-obra, ou seja, e todo o
dinheiro necessário para a operação da empresa no
período considerado.

   Vendas ou faturamento.

       Também denominada, neste programa de Receita
operacional ou fluxo diferencial liquido, já foi
explicitado, conforme o item 4. Receita operacional.

   custos variáveis. (Já explicado, no item 2.1)

   custos fixos. (Já explicado, no item 2.2.)

   Lucro operacional bruto (LOB).

    O lucro operacional bruto (LOB) e obtido
deduzindo-se do valor das vendas, os custos fixos e
variáveis. Representa o lucro bruto do negocio ou
atividade, antes de deduzido o imposto de renda.

   Margem operacional bruta (MOB).

   A margem operacional bruta (MOL) é o próprio
lucro operacional bruto (LOB), expresso em termos
percentuais sobre as vendas.

   Impostos.

   A rubrica "impostos" e de extrema importância
para a analise do resultado do empreendimento, pois no
Brasil, há mais de cinqüenta tipos de tributos ou
impostos. Para essa rubrica, faca a parte os cálculos
de incidência geral, determinando um percentual a ser
calculado sobre as vendas, inserindo-o no campo
apropriado indicado no programa.
   Lucro operacional liquido (LOL).

   O lucro operacional liquido (LOL) e o próprio
lucro apos deduzidos os impostos do lucro operacional
bruto (LOB).

   Margem operacional liquida (MOL).

   A margem operacional liquida (MOL), nada mais e
do que o lucro operacional liquido (LOL) expresso em
termos percentuais sobre as vendas.

   Giro.

   Representa o numero de vezes que o capital (ativo
operacional) colocado em operação na empresa, gira
dentro do ano considerado. Isto e, quantas vezes o
dinheiro aplicado na atividade ou negocio gira



                                                    Página 12
                                              Informações
durante o ano. O giro e determinado com um calculo
simples, dividindo-se o valor de vendas (ou
equivalente, como explicado), pelo ativo operacional.

   Taxa de retorno sobre o investimento total (TRIT).

   E determinada em percentual e indica (em
percentagem), quanto a empresa terá de retorno ao
ano, em função dos dados apresentados. E obtida pelo
produto da MARGEM OPERACIONAL LIQUIDA (MOL) x GIRO.

   Vamos supor uma empresa que apresente, em
determinado ano de funcionamento, os seguintes dados.

      Rubricas       Valor em mil R$

    Ativo operacional      400.000
    Vendas              800.000
    custo fixo          400.000
    custo variável       200.000

   O procedimento de calculo e o seguinte.

    VENDAS .................. 800.000
    CUSTO FIXO .............. 400.000 (-)
    CUSTO Variável .......... 200.000 (-)
    LUCRO OPERACIONAL BRUTO . 200.000
    IMPOSTOS (15,0%) ........ 30.000 (-)
    LUCRO OPERACIONAL LIQUIDO 170.000

    Portanto,

                                              200000
                     MARGEM OPERACIONAL BRUTA = -------
                                              800000

    MOB = 25,0%
                                                170000
                     MARGEM OPERACIONAL LIQUIDA = -------
                                                800000

    MOL = 21,3%

                                                       800000
                                                  GIRO = -------
                                                       400000
  GIRO = 2,0 vezes

   Finalmente, a TRIT = 21,3 x 2,0

   TRIT = 42,6%, ou seja, o capital retorna 42,6% ao ano.

   Assim, através de uma simples regra de três, você
determina em quantos anos o capital terá retornado,
considerando-se o desempenho do empreendimento



                                               Página 13
                                               Informações
conforme os dados enunciados.

  42,6% de retorno em 1 ano.
  100,0% de retorno em x anos.


  Resultado - 2,34 anos.

   A pergunta, então que você mesmo faz, e a
seguinte. E interessante investir nesse
empreendimento, que aponta um retorno em 2,34 anos? E
exatamente essa questão de bom senso, em que você
pesara os pontos positivos e negativos que o levara a
decisão se assume ou não o empreendimento ou negocio
que deseja.

EXEMPLOS DE ALGUNS TIPOS DE CUSTOS


                           FIXOS


EPC

-Atenuadores de ruido
-cabines Acústicas
-cabines Audiométricas
-cortinas para cabines de Solda
-Exaustores
-Exaustores de Fumos de Solda
-Isolamentos Acústicos
-Pisos Anti-Derrapantes
-Portas Acústicas
-Purificadores de Ar
-Revestimentos Acústicos
-Revestimentos Térmicos
-Sistemas de Ventilação
-Sistemas de Ventilação p/Espaços confinados

EPI

Proteção para a cabeça (óculos, mascaras e capacetes);
Proteção para os membros superiores (luvas, mangas e/ou cremes protetores);
Proteção para os membros inferiores (calcados de proteção, calcados impermeáveis e perneiras)
Proteção contra quedas com diferença de nível (cinto de segurança, cadeira suspensa e trava-quedas)
Proteção auditiva (protetores auriculares)
Proteção respiratória (respiradores, mascaras de filtro químico e aparelhos de isolamento
 para locais com teor de oxigênio inferior a 18% em volume)
Proteção do tronco (aventais, jaquetas e capas)
Proteção do corpo inteiro (aparelhos de isolamento para locais onde haja exposição
 de agentes químicos)
Proteção de pele (cremes protetores)
Aventais
Blusões
cadeiras Suspensas


                                                Página 14
                                              Informações
calcados de Segurança Aluminizados
calcados de Segurança de Amianto
calcados de Segurança de Borracha
calcados de Segurança de couro
calcados de Segurança de PVc
calcados de Segurança Impermeabilizados
capacetes de Alumínio

capacetes de Plastico
capas de Proteção de couro
capas de Proteção em PVc
capuzes/Toucas de Proteção
cinto Abdominal Ergonômico
cinturões de Segurança de couro
cinturões de Segurança de Lona
cinturões de Segurança de Nylon
cremes Protetores
Japonas/Jaquetas em Nylon
Luvas Aluminizadas
Luvas Anti-corte
Luvas cirúrgicas
Luvas com Alma de Aço
Luvas de Algodão
Luvas de Amianto
Luvas de Borracha
Luvas de couro
Luvas de couro contra calor
Luvas de couro couro sem costura
Luvas de Grafatex
Luvas de Hexanol
Luvas de Kevlar
Luvas de Latex
Luvas de Lona
Luvas de Malha
Luvas de Malha de Aco
Luvas de Neoprene
Luvas de Nomex
Luvas de Nylon
Luvas de PVc
Luvas de Raspa
Luvas de Suedine
Luvas de Tyvek
Luvas de Vaqueta
Luvas Emborrachadas
Luvas Higienizaveis p/ cozinhas Industriais
Luvas Isolantes
Luvas Nitrilicas
Luvas Tricotadas
Luvas Vinilicas
Mangas/Mangotes
Mascaras de Solda
Mascaras Para Jateamento
Mascara para Pintura Automotiva
Óculos de Proteção de cristal
Óculos de Proteção de Policarbonato



                                               Página 15
                                            Informações
Óculos de Proteção com Lentes de Grau
Paletós de Proteção
Perneiras
Protetores Auriculares Tipo concha
Protetores Auriculares Tipo Plug
Protetores Faciais
Protetores Respiratórios Autônomos
Protetores Respiratórios de Adução de Ar
Protetores Respiratórios de Ar Motorizado
Protetores Respiratórios Descartáveis
Protetores Respiratórios - Mascaras Faciais
Protetores Respiratórios - Mascaras Semi-Faciais
Protetores Respiratórios - Mascaras de Escape
Roupas Especiais Aluminizadas
Roupas Especiais de Amianto
Roupas Especiais de couro
Roupas Especiais de couro contra calor
Roupas Especiais de Grafatex
Roupas Especiais de Kevlar
Roupas Especiais de Lona
Roupas Especiais de Malha de Aco
Roupas Especiais de Neoprene
Roupas Especiais de Nomex
Roupas Especiais de Nylon
Roupas Especiais de Polipropileno
Roupas Especiais de PVc
Roupas Especiais de Raspa
Roupas Especiais de Suedine
Roupas Especiais de Trevira
Roupas Especiais de Tyvek
Roupas Especiais de Viton
Roupas Especiais nível A
Roupas Especiais para Altas Temperaturas
Roupas Especiais para Baixas Temperaturas
Roupas Especiais Para Trabalho com Eletricidade
Talabartes de couro
Talabartes de Nylon
Talabartes Vulcanizados
Trava-Quedas
Uniformes


EQUIPAMENTOS DE PRODUTOS ESPECIAIS

Abafadores de Faisca
Acessórios Ergonômicos
Antiembaçante para óculos
Apoio Ergonômico de Pés
Armários corta-Fogo
Armários para EPI's
Armários para Extintores
Armários para Mangueiras
Armários para Primeiros Socorros
Balanças para Laboratórios
Barreiras de Segurança



                                             Página 16
                                             Informações
Biqueiras de Proteção
Blocos Autônomos para Iluminação
Bloqueadores para Disjuntores
Bloqueadores para Válvulas
Bolsas para Proteção de Equipamentos
Bonecos Infláveis para Treinamento
cabines Audiométricas
caçambas Estacionarias
cadeados Masterizados
cadeiras Ergonômicas
capas para Extintores
carretas de Ar de Suprimentos
chuveiros de Emergência
coletes de Imobilização
coletores de Resíduos
compressores para Recarga de cilindros de Ar
containers de Segurança
cordas P/Trabalhos em Alturas
cortinas para cabines de Solda
Embalagens
Equipamentos Autônomos Para Ar comprimido
Equipamentos contra calor
Equipamentos para Emergências
Equipamentos para Higiene Industrial
Equipamentos para Laboratórios
Equipamentos para Resgate
Equipamentos para controle de Vazamentos
Equipamentos para Trabalhos em Alturas
Ergonomia/Acessórios Ergonômicos
Ergonomia/Apoio de Pes
Ergonomia/cadeiras Ergonômicas
Ergonomia/cinto Abdominal
Ergonomia/mesas Ergonômicas
Ergonomia/Moveis Ergonômicos
Ergonomia/Suporte Ergonômico de cotovelo
Ergonomia/Suporte de Joelho
Ergonomia/Suporte de Punho
Ergonomia/Suporte para Monitores
Ergonomia/Suporte para Teclados
Escadas em Fiberglass
Escadas para Telhados
Escadas Telescópicas
Espelhos convexos
Filtros de Ar para Mascaras Respiratórias
Kits de Emergência
Kits para cozinhas Industrias
Lanternas Especiais
Lava-Olhos
Limpador p/óculos de Proteção
Macas
Materiais Isolantes para Trabalhos em Linha Viva
mesas e Moveis Ergonômicos
Moveis para Laboratórios
Pasta para Limpeza de Mãos
Pisos Anti-Fadiga



                                              Página 17
                                             Informações
Plataformas Elevatórias
Porta Ferramentas
Purificadores de Ar
Separadores de agua e óleo
Silos Estacionários p/Pos
Suportes para Extintores
Suportes para Monitores
Suportes para Teclados
Talas de Imobilização
Tanques Estacionários para Líquidos
Tecidos para Roupas Profissionais
Tecidos Especiais
Tecidos Especiais Anti-chama
Tecidos Especiais Anti-Estático
Tecidos Especiais Repelente agua e óleo
Tecidos Especiais Fluorescentes
Tintas Especiais
Tripes e Troles para Trava-Quedas

INCÊNDIO

Armários corta fogo
Armários para Extintores
Armários para Mangueiras
canhões Monitores
capas para Extintores
carreteis de Mangotinhos
conexões p/Mangueiras e Mangotes
cursos para Brigadas de Incêndio
Detectores de Fumaça
Detectores de Incêndio
Equipamentos contra-incêndio
Equipamentos de combate a Incêndio
Escadas de Incêndio
Esguicho de agua e Espuma
Espuma P/ combate a Incêndio
Extintores de Incêndio
Hidrantes
Instalação de Equipamentos de Incêndio
Mangueiras de incêndio
Mantas/Lençois p/ Proteção contra Incêndio
Para Raios
Po Químico p/ Incêndio
Sistemas contra Incêndio
Sistemas de Detecção de chama e Gás
Sistemas de Detecção de Incêndio
Sistemas de Proteção contra Explosões
Sprinklers
Suporte para Extintores
Tecidos Especiais Anti-chamas
Viaturas de combate a Incêndio
Sinalização para Rotas de Fuga

INSTRUMENTAÇÃO




                                              Página 18
                                            Informações
Analisadores de Gases
Anemômetros
Audiômetros
Bafômetros
Bombas de Amostragem de Ar
Bombas de Detecção de Gases
calibradores de Fluxo
cromatógrafos
Decibelímetros
Detectores de chamas
Detectores de Fumaça
Detectores de Gases
Dosímetros de Radiação
Dosímetros de Ruido
Explosímetros
Filtros de Banda
Geradores de Gases
Luxímetros
Manômetros
Medidores de PH
Medidores de Radiação
Monitores de IBUTG
Monitores de Ruido
Monitores Pessoais Para Detecção de Gases
Espirômetros
Termo-Higrômetros
Termômetros
Termômetros de Globo

SINALIZAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Bandeirolas de Sinalização
Birutas de Sinalização
Braçadeiras Reflexivas
Brindes para Sipat's
caixas para Sugestões
cartazes sobre Prevenção
cavaletes
coletes de Sinalização
cones de Sinalização
correntes de Sinalização
Etiquetas de Sinalização
Faixas de Sinalização
Fitas de Demarcação
Fitas Reflexivas
Fitas de Vídeo para Treinamento
Identificação pessoal/crachás
Lanternas de Sinalização
Livros Técnicos
Mastros de Sinalização
Painéis Indicativos
Placas de Sinalização
Revistas Técnicas
Sinalização de Emergência
Sinalização de Segurança



                                             Página 19
                                               Informações
Sinalização de Solo
Triângulos Sinalizadores
Urnas para Eleições

SERVIÇOS

Advocacia Trabalhista e Acidentaria
Analise de confiabilidade de Sistemas
Analise Química e Toxicológica
Assessoria e consultoria em Higiene Ocupacional
Assessoria e consultoria em Meio Ambiente
Assessoria e consultoria em Saúde Ocupacional
Assessoria e consultoria em Segurança do Trabalho
Avaliações Ambientais
calibração e Manutenção de Instrumentos de Medição
consultoria e Analise de Riscos
cursos p/Brigadas de Incêndio
cursos/Treinamentos
Inspeção de caldeiras
Inspeção de Vasos Sob Pressão
Instalação de Equipamentos de Incêndio
Laudos Ambientais
Lavanderias Industriais
Locação de Roupas Profissionais
Locação de Uniformes
Manutenção de Equipamentos de Segurança
Mapas de Risco
PcMSO
Perícias Técnicas
Planos de Emergência
PPRA
Projetos de Instalação de caldeiras e Vasos
Radiologia
SIPATs
Softwares

variáveis DIRETOS

-Proteção para os membros superiores(cremes protetores);
-Proteção respiratória (respiradores, mascaras de filtro químico)
-Proteção de pele (cremes protetores)

variáveis INDIRETOS

-Proteção para a cabeça (óculos, mascaras e capacetes);
-Proteção para os membros superiores (luvas, mangas e/ou cremes protetores);
-Proteção para os membros inferiores (calcados de proteção, calcados impermeáveis e perneiras)
-Proteção contra quedas com diferença de nível (cinto de segurança, cadeira suspensa e trava-quedas)
-Proteção auditiva (protetores auriculares)
-Proteção respiratória (respiradores, mascaras de filtro químico e aparelhos de isolamento
 para locais com teor de oxigênio inferior a 18% em volume)
-Proteção do tronco (aventais, jaquetas e capas)
-Proteção do corpo inteiro (aparelhos de isolamento para locais onde haja exposição
 de agentes químicos)
-Proteção de pele (cremes protetores)



                                                 Página 20
Informações




 Página 21
Informações




 Página 22
Informações




 Página 23
Informações




 Página 24
Informações




 Página 25
Informações




 Página 26
Informações




 Página 27
Informações




 Página 28
Informações




 Página 29
Informações




 Página 30
Informações




 Página 31
Informações




 Página 32
Informações




 Página 33
                                Informações




permeáveis e perneiras)
eira suspensa e trava-quedas)




                                 Página 34
Informações




 Página 35
Informações




 Página 36
Informações




 Página 37
Informações




 Página 38
Informações




 Página 39
                                Informações




permeáveis e perneiras)
eira suspensa e trava-quedas)




                                 Página 40
                                             Investimento

1. Custos de Investimento                                  Valor (Reais)   Resíduo %

Edificações - Prédio da Fabrica                             300,000.00      20.00%
Edificações – Prédio da Administração

1.1. Edificações - Total                                    300,000.00

Maquinas e Equipamentos para Produção                        20,000.00      20.00%
Maquinas e Equipamentos para Administração

1.2. Maquinas Equipamentos – Total                          20,000.00

Instalações do Prédio da Fabrica                             30,000.00      20.00%
Instalações do Prédio da Administração

1.3. Instalações – Total                                    30,000.00

Custos de Investimento – Totais                           R$ 350,000.00




                                              Página 41
                                   Investimento

Vida útil(anos)   Depreciação R$

      25            18,461.54




      25             1,230.77




      15             3,000.00




                   22,692.31




                                    Página 42
                                       ProduçãoBensServiços
2. Custos de Produção de Bens e/ou Serviços

Custos Variáveis Diretos (Matéria Prima)
Custos Variáveis Diretos (Mão-de-Obra e Encargos)
Custos Variáveis Diretos – Operação com Maquinas (Depreciação)
Custos Variáveis Diretos – Operação com Maquinas (Combustíveis, Lubrificante, Energia)

Custos Variáveis Indiretos (Manutenção e Conservação de Maquinas e Equipamentos)
Custos Variáveis Indiretos (Salários da Administração e Encargos)
Custos Variáveis Indiretos (Água, Energia elétrica)

2.1. Custos Variáveis – Total

Custos Fixos – Depreciação das Edificações
Custos Fixos – Manutenção e Conservação das Edificações
Custos Fixos – Depreciação das Instalações
Custos Fixos – Salários da Segurança e Encargos
Custos Fixos – Alugueis
Custos Fixos – Arrendamentos
Custos Fixos – Conta Telefônica

2.2. Custos Fixos – Total

Custos de Produção de Bens e/ou Serviços – Totais




                                              Página 43
                ProduçãoBensServiços
Valor (Reais)

  322,350.00




  322,350.00




     0.00

R$ 322,350.00




                     Página 44
                                       Oportunidade
3. Custos de Oportunidade                    Valor (Reais)

3.1. Remuneração do Capital Aplicado           26,500.00

3.2. Arrendamento Mercantil

3.3. Remuneração Gerencial

Custos de Oportunidade – Totais             R$ 26,500.00




                                        Página 45
                                     ReceitaOperacional
4. Receita Operacional                Valor (Reais)

4.1. Vendas e Receitas Diferencial       675,000.00

Receita Operacional – Totais          R$ 675,000.00




                                         Página 46
                             AtivoOperacional
5. Ativo Operacional             Valor (Reais)

5.1. Ativo Operacional             350,000.00

Ativo Operacional – Totais      R$ 350,000.00




                                Página 47
                                           Segurança
6. Custos com Programas Geral de Saúde e Segurança do Trabalhador – PGSST

6.1. Custos com Equipamento de Proteção Coletiva
6.2. Custos com Equipamento de Proteção Individual
6.3. Custos com Edificações, Instalações e Manutenção com PGSST
6.4. Custos com Laudos, Análises e Consultorias
6.5. Custos com PGSST – Outros

PGSST – Totais




                                            Página 48
                Segurança
Valor (Reais)



  50,000.00




R$ 50,000.00




                Página 49
                                             Calculo

 Análise dos Resultados – Indicadores Financeiros do Projeto

    Principais Indicadores de Custos               Valores (R$)

                         Total – Investimentos 350,000.00

      Total – Custos_Produção_Bens_Serviços 322,350.00

                  Total – Receita_Operacional 675,000.00

                     Total – Ativo_Operacional 350,000.00

Outros Indicadores a serem Analisados              Valores (R$)     [não] – Utiliza Valor

                 Total – Custos_Oportunidade 26,500.00

              Total – Custos com Depreciações 22,692.31

                   Total – Custos com PGSST 50,000.00

          Análise dos Resultados                   Indicadores           Situação

                  Carga Tributária/Impostos %    36.00%           Carga Alta
                           Receita/Vendas R$     675,000.00
                          Total dos Custos R$    421,542.31
                Lucro Operacional Bruto (LOB)    253,457.69
                         Impostos e Taxas R$     91,244.77
              Lucro Operacional Liquido (LOL)    162,212.92
          Margem Operacional Bruta (MOB) %       37.55%
         Margem Operacional Liquida (MOL) %      24.03%
                                          Giro   1.93             Bom
Taxa de Retorno Sobre Investimento(Ao Ano) %     46.35%           Bom Retorno
                              Retorno em anos    2.16




                                            Página 50
                       Análise
Conforme a pesquisa e o orçamento dos custos e de acordo com o capital disponível
 (Ativo operacional) que totaliza o valor de           R$ 350,000.00
dos indicadores que segue, para o funcionamento da empresa na situação original,
isto é, antes da instalação do projeto ou equipamentos de engenharia de segurança do
trabalho. O Lucro operacional bruto (LOB) atingiu o valor de
 o que expressa a uma Margem Operacional Bruta (MOB) de
sobre as vendas. Após deduzidos os impostos que totalizam
gerados pela alíquota de 36.00% de carga tributária sobre as atividades da empresa
o Lucro Operacional Líquido (LOL) totalizou            R$ 162,212.92
uma Margem Operacional Liquida (M.O.L.) de             24.03%
O Giro de Capital calculado é de           1.93 vezes. Assim, a Taxa de Retorno Sobre o
Investimento Total (TRIT) é de,         46.35% ao ano.
O tempo de retorno do capital investido nessa situação original, é de

Com a nova estimativa de custo para a implantação do PGSST em
o que representa 7.41% sobre o valor total das vendas.
O impacto do custo de implantação desse programa é alto
pois o Lucro operacional bruto teve uma redução, passando para

o que indica a Margem operacional bruta (MOB) de 20,0% sobre as vendas.
Lembre-se que antes da implantação, a MOB era de 25,0%,
conseqüentemente, o Lucro operacional líquido (LOL) também caiu, de R$ 170, para R$ 136,
correspondendo a 17,0% de Margem operacional líquida (MOL) sobre as vendas,
enquanto que na situação original, representava 21,25%.
O Giro do capital manteve-se o mesmo ( 2 vezes) ,
pois é o resultado do quociente entre as rubricas vendas e ativo operacional.
O projeto de engenharia de segurança <não causou> nenhum efeito nessas duas rubricas.
A Taxa de retorno sobre o investimento total (TRIT), passou para 34,0% ao ano,
que corresponde ao tempo de retorno do capital em 2,94 anos, praticamente três anos.
A situação original possibilitava o retorno em 2,35 anos,
isto é, praticamente dois anos e cinco meses.
A instalação do projeto de engenharia atrasou o tempo de retorno do capital em aproximadamente 7 mes




                                                     Conforme a pesquisa e o orçamento de custos e
                                                     foi possível a previsão dos seguintes indicadores
                                                     antes da instalação de projeto ou equipamento de
                                                     O Lucro operacional bruto (LOB) atingiu R$ 200,
                                                     o que expressa a Margem operacional bruta (MO
                                                     Após deduzidos os impostos de R$ 30,
                                                     gerados pela alíquota de 15,0%,
                                                     o Lucro operacional líquido (LOL) representa R$
                                                     o que corresponde a 21,25%(MOL),
                                                     calculados sobre as vendas.
                                                     O giro do capital é de 2,0 vezes,
                                                     o que produz a Taxa de retorno sobre o investime
                                                     O tempo de retorno do capital nessa situação orig

                                                     A estimativa de custo para a implantação de proje
                                                     o que representa 5,0% sobre o valor total das ven
                                                     O impacto do custo de implantação desse progra
                                                     pois o Lucro operacional bruto (LOB) caiu <apena
                                                     o que indica a Margem operacional bruta (MOB)



                     Página 51
 Análise
            Lembre-se que antes da implantação, a MOB era
            conseqüentemente, o Lucro operacional líquido (
            correspondendo a 17,0% de Margem operaciona
            enquanto que na situação original, representava
            O Giro do capital manteve-se o mesmo ( 2 vezes
            pois é o resultado do quociente entre as rubricas
            O projeto de engenharia de segurança <não caus
            A Taxa de retorno sobre o investimento total (TRI
            que corresponde ao tempo de retorno do capital e
            A situação original possibilitava o retorno em 2,35
            isto é, praticamente dois anos e cinco meses.
            A instalação do projeto de engenharia atrasou o t




Página 52
                                                                       Análise
 e acordo com o capital disponível
                        foi possível a previsão
da empresa na situação original,
 tos de engenharia de segurança do
                        R$ 253,457.69
                        37.55%
                        R$ 91,244.77
 ária sobre as atividades da empresa
                        o que corresponde a
                        calculados sobre a venda.
      Assim, a Taxa de Retorno Sobre o

                       2.16               anos.

                       R$ 50,000.00

                            TRUE
                       R$ 253,457.69

 20,0% sobre as vendas.

OL) também caiu, de R$ 170, para R$ 136,
 quida (MOL) sobre as vendas,


  ndas e ativo operacional.
 u> nenhum efeito nessas duas rubricas.
  , passou para 34,0% ao ano,
m 2,94 anos, praticamente três anos.


mpo de retorno do capital em aproximadamente 7 meses.




     Conforme a pesquisa e o orçamento de custos e de acordo com o capital disponível (Ativo operacional) de R$ 400,
     foi possível a previsão dos seguintes indicadores, para o funcionamento da empresa, na situação original, isto é,
     antes da instalação de projeto ou equipamento de engenharia de segurança no trabalho.
     O Lucro operacional bruto (LOB) atingiu R$ 200,
     o que expressa a Margem operacional bruta (MOB) de 25,0% sobre as Vendas.
     Após deduzidos os impostos de R$ 30,
     gerados pela alíquota de 15,0%,
     o Lucro operacional líquido (LOL) representa R$ 170,
     o que corresponde a 21,25%(MOL),
     calculados sobre as vendas.
     O giro do capital é de 2,0 vezes,
     o que produz a Taxa de retorno sobre o investimento total (TRIT), de 42,5% ao ano.
     O tempo de retorno do capital nessa situação original, é de 2,35 anos.

     A estimativa de custo para a implantação de projeto de engenharia de segurança no trabalho, é de R$ 40,
     o que representa 5,0% sobre o valor total das vendas.
     O impacto do custo de implantação desse programa <é relevante>,
     pois o Lucro operacional bruto (LOB) caiu <apenas> para R$ 160,
     o que indica a Margem operacional bruta (MOB) de 20,0% sobre as vendas.



                                                                      Página 53
                                                                Análise
Lembre-se que antes da implantação, a MOB era de 25,0%,
conseqüentemente, o Lucro operacional líquido (LOL) também caiu, de R$ 170, para R$ 136,
correspondendo a 17,0% de Margem operacional líquida (MOL) sobre as vendas,
enquanto que na situação original, representava 21,25%.
O Giro do capital manteve-se o mesmo ( 2 vezes) ,
pois é o resultado do quociente entre as rubricas vendas e ativo operacional.
O projeto de engenharia de segurança <não causou> nenhum efeito nessas duas rubricas.
A Taxa de retorno sobre o investimento total (TRIT), passou para 34,0% ao ano,
que corresponde ao tempo de retorno do capital em 2,94 anos, praticamente três anos.
A situação original possibilitava o retorno em 2,35 anos,
isto é, praticamente dois anos e cinco meses.
A instalação do projeto de engenharia atrasou o tempo de retorno do capital em aproximadamente 7 meses.




                                                               Página 54
                                             Exercicio
Exercício:
Dados da empresa: FABRICA DE BATERIAS – Motocicleta
Informações: http://www.cnae.ibge.gov.br/
Seção: C - INDÚSTRIAS DE TRANSFORMAÇÃO
Divisão: 27 - FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS
Grupo:272 - FABRICAÇÃO DE PILHAS, BATERIAS E ACUMULADORES ELÉTRICOS
Classe: 2722-8 - FABRICAÇÃO DE BATERIAS E ACUMULADORES PARA VEÍCULOS AUTOMOTORES
Subclasse: 2722-8/01 - FABRICAÇÃO DE BATERIAS E ACUMULADORES PARA VEÍCULOS AUTOMOTORES
Grau de Risco: 3
http://www.mte.gov.br/legislacao/portarias/1991/p_19911008_04.asp
Funcionários: 90
http://www.sato.adm.br/guiadp/paginas/paral_sesmt_nr4.htm

Cuidados com:
- Aferição da concentração de chumbo
- Calibragem do Exaustor

Tamanho do SESMT: Tem técnico Seg.Trab (Prestador de serviço)
 Quem lhe fiscaliza?
- CETESB (F)
- SEC. MEIO AMBIENTE / SP (F)
- MINISTÉRIO DO TRABALHO (dentro)
- INSS (PPP – análise para beneficio de aposentadoria especial)
Secretaria do meio ambiente e CETESB
ANÁLISE DO SÓLO E EMISSÃO DE GASES
ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (AR E LENÇOL FREATICO)(EXT)
MENSALMENTE ÍNDICE DE PRESENÇA DE METAIS PESADOS(INTERNO)


Custos de investimento – Setembro/2006
Edificações: R$ 300.000
Instalações: R$ 30.000
Máquinas e Equipamentos: R$ 200.000
Gastos c/ Planos e Programas de Segurança: R$ 25.000
Vendas ano (x 12 meses): 15.000 baterias
Preço de venda R$ 45,00 / Base:2006

Custos para fabricar 1 bateria (12V 7 Ah) no PE – Setembro/2006
1 - Matéria Prima
1.1 - Liga de Chumbo com 0,7% de Cálcio para Grades
1.2 - Liga de Chumbo com 2,0% de estanho para bornes e terminais
1.3 - Óxido de Chumbo para Massa Ativa
1.4 - Separador AGM
1.5 - Plástico ABS para conjunto caixa/tampa
1.6 - Cola Bi-componente para caixa/tampa
1.7 - Cola Monocomponente para caixa/tampa
1.8 - Solução ácida 1,3 g/cm3
1.9 - Embalagem de Papelão
1.10 - Terminal de Latão estanhado
1.11 - Outras Matérias Primas
2 - Mão de Obra Direta para Fabricação
3 - Energia Elétrica
4 - Gás (GLP)



                                            Página 55
                                                   Exercicio
5 - Manutenção predial e de equipamentos
6 - Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho
7 - Preservação Meio Ambiente
8 - Custos Indiretos ( administrativos )

TOTAIS

Impostos - 36% - Setembro/2006
 VALOR-IPI = 15% s/ no PE ou soma dos custos
      ICMS = 18% s/ VALOR-IPI, 15% fora de São Paulo
PIS/COFINS = 3,65 s/ VALOR-IPI
         IR = 1,2% s/ VALOR-IPI

DADOS PARA O EXERCÍCIO:

(valores mês, multiplicar por 12)
1. Considerar os valores sem (Remuneração gerencial, PSST, depreciação)
2. Considerar os valores + remuneração gerencial
3. Considerar os valores + depreciação
4. Considerar os valores + programa de Segurança




                                                                            Ano(k)

                                                                              1
                                                                              2
                                                                              3
                                                                              4
                                                                              5
                                                                              6
                                                                              7
                                                                              8
                                                                              9
                                                                              10

                                                                          Depreciações
                                                                              Residual
                                                                                 Total


Alguns Preços utilizados – Setembro/2006
FILTRO VO/GA 730-4 N LC(P/OXI.CHUMBO)
RESPIRADOR SF S710 1F SL LC(P/OXI.CHUMB)
LUVA NITRILICA PROMAT/LEAL XG(10)
OCULOS JAGUAR RJ INCOLOR KLP/OPP
OCULOS LEOPARDO INCOLOR KLP/OPA
AVENTAL PVC AM C/F C/B 1,20X0,70 LR
CREME PM 1000 120 GR NAVARO
EDUMAX(CREME) 3,0KG
PROTETOR AURICULAR 1110 C/CORDAO 3 M
PROTETOR AURICULAR PLUG SICICOLE KLP



                                                  Página 56
                                                 Exercicio
BOTINA CF300 RBA PU N.40(C/BICO ACO)

SIGLAS
CNAE – Classificação Nacional de Atividades Econômicas
SESMT – Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho(NR4)
PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional
PPP – Perfil Psicográfico Profissional
PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

Siglas da área: http://www.areaseg.com/siglas/




                                                 Página 57
                 Exercicio




R$          R$

     2.39
     0.64
     3.67
     0.96
     1.44
     1.12
     0.32
     0.26
     0.32
     0.16
     0.64
      5.1
     1.12
     0.64



                 Página 58
                                                   Exercicio
           0.8
                                           0.48
                                            0.8
         1.91

   R$ 21.49                            R$ 1.28




                    Calculo da Depreciação

                  D = (Vi - Vf) * (n - k +1) * 2
                                n (n+1)


                     Valores Lançados                              Descrição

                                R$ 20,000.00       =   Vi - Valor inicial (compra) – R$
                                      20.00%       =   Vf% do Valor final – Residual
                                 R$ 4,000.00       =   Vf – R$ Valor residual
                                           10      =   n - Vida útil – anos

  Ano(k)         Valor Depreciação – Ano(k)

    1                    R$ 2,909.09
    2                    R$ 2,618.18
    3                    R$ 2,327.27
    4                    R$ 2,036.36
    5                    R$ 1,745.45
    6                    R$ 1,454.55
    7                    R$ 1,163.64
    8                     R$ 872.73
    9                     R$ 581.82
    10                    R$ 290.91

Depreciações            R$ 16,000.00
    Residual            R$ 4,000.00
       Total            R$ 20,000.00



       15.17
       21.86
         8.7
        8.26
       12.66
        5.07
        5.62
       39.61
        1.11
        2.32



                                                   Página 59
        Exercicio
42.77




        Página 60
                                              Programa
*
* Programa escrito na linguagem “Clipper/Dbase” para Dissertação de Mestrado
* Roxael Junho/1997
*

Set talk off
Set delete on

@ 24,00
select 1
use PJEstrut index IPJEs1
select 2
use PJCadast index IPJCa1

ANOATUAL = CA_ANOPROJ
VALORM2 = CA_VALORM2
ALUNOS = CA_ALUNOS

IF ANOATUAL = 1999
  SALAS = 8
ELSE
  IF ANOATUAL = 2000
    SALAS = 12
  ELSE
    IF ANOATUAL = 1998
      SALAS = 5
    ELSE
      ? "================ ANO ERRADO ", ANOATUAL
      WAIT
    ENDIF
  ENDIF
ENDIF

SAIDA = "A"+STR(CA_ANOPROJ,4)+STR(CA_VALORM2,3)+"."+STR(CA_ALUNOS,2)

select 3
use PJProjet indeX IPJPr1
Reindex

 Select PJCadast

 Aimposto = 15.0
 AIss = 3.0
 AConfins = 2.0
 ACSocial = 1.0
 AProjeto = 1

Select PJEstrut
Goto top

Do while .not. eof()
 RUBRICA = TRIM(ES_RUBRICA)
 QUANT&RUBRICA = 0.0
 VAL&RUBRICA = 0.0
 SKIP



                                             Página 61
                                        Programa
Enddo

DEP11 = 0.0
DEP12 = 0.0
DEP13 = 0.0

Select PJProjet
Goto Top
Do while .not. eof()

  if PR_PROJETO <> INT(AProjeto)
     SKIP
     Loop
  endif

 If PR_DESC="Mensalidades".or.PR_DESC="Cantina".or.PR_DESC="Taxas"
    VAL_AUX = PR_QUANT * PR_VALUNIT * ALUNOS * SALAS*2.0
 else
    IF PR_DESC="Construcao "
        VAL_AUX = VALORM2 * PR_QUANT * PR_VALUNIT
    else
        If PR_DESC="Salas de aula"
            VAL_AUX = VALORM2 * SALAS * PR_VALUNIT
        else
            VAL_AUX = PR_QUANT * PR_VALUNIT
        endif
     endif
 Endif

 If PR_PROPORC
    VAL_AUX = VAL_AUX * (SALAS/5.000)
 Endif

 RUBRICA = TRIM(PR_RUBRICA)
 QUANT&RUBRICA = QUANT&RUBRICA + 1.0
 VAL&RUBRICA = VAL&RUBRICA + VAL_AUX

 IF SUBSTR(RUBRICA,1,1)="1" .AND. PR_PERCVF > 0
    K = ANOATUAL - PR_INCORP
    N = PR_VIDAUTI
  IF SUBSTR(RUBRICA,1,2)="11"
     DEP11 = DEP11 + (VAL_AUX-VAL_AUX * PR_PERCVF) * 1.000/N
    ELSE
   IF SUBSTR(RUBRICA,1,2)="12"
     DEP12 = DEP12 + (VAL_AUX-VAL_AUX * PR_PERCVF) * 1.000/N
    ELSE
    IF SUBSTR(RUBRICA,1,2)="13"
     DEP13 = DEP13 + (VAL_AUX-VAL_AUX * PR_PERCVF) * 1.000/N
    ENDIF
   ENDIF
  ENDIF
 ENDIF

 SKIP




                                        Página 62
                                             Programa
ENDDO

Select PJEstrut
Goto Top

  V1 = 0
  V21 = 0
  V22 = 0
  V3 = 0
  V4 = 0
  V5 = 0

  If File("&SAIDA")
     run del &SAIDA
  EndIf
  run prn2file &SAIDA

** run prn2file xqualif.prt

   Set Console off
   Set Print on
   Eject
? " Unesp/Bauru/FAAC - Curso de Pos-Graduacao ïProjeto Arte e Sociedadeï"
? " -------------------------------------------------------------------"
?"       Mestrando : Roxael Antonio Castro - Resultados da Dissertacao"
? " ------------------------------------------------------------------------"
? " Dissertacao: Viabilidade Economica de Projetos de Assentamentos Humanos:"
?"             Implantacao de Escola com Ensino Fundamental de 1. Grau."



  ?
  ?
  ? SPACE(09)+"Previsao para "+STR(ANOATUAL,4)+" com media de "
  ?? STR(ALUNOS,4,1)+" alunos por turma,"
  ? SPACE(09)+"e valor da construcao de R$ "+STR(VALORM2,6,2)+" o m2."
  ? SPACE(09)+"______________________________________________________"
  ?""
  ?""

  ?""
  ?""
  ?"    RUBRICA"
  ?? SPACE(31)+" LANC         V.TOTAL"
  ?""

Do while .not. eof()

  RUBRICA = TRIM(ES_RUBRICA)

  IF VAL&RUBRICA > 0
    IF VAL(RUBRICA) < 6
      ? ""
      ? " "+ES_RUBRICA
      ?? " "+ES_NOME



                                            Página 63
                                             Programa
      ENDIF
      ?"     "
      ?? " "+ES_NOME
      ?? " "+STR(QUANT&RUBRICA,3,0)
      ?? " "+STR(VAL&RUBRICA,14,2)

      R = SUBSTR(RUBRICA,1,1)

     IF R="1"
        V1 = V1 + VAL&RUBRICA
     ELSE
     IF R="2"
        IF SUBSTR(ES_RUBRICA,1,2) = "21"
          V21 = V21 + VAL&RUBRICA
        ELSE
          V22 = V22 + VAL&RUBRICA
        ENDIF
     ELSE
      IF R="3"
         V3 = V3 + VAL&RUBRICA
      ELSE
       IF R="4"
         V4 = V4 + VAL&RUBRICA
       ELSE
         R="5"
          V5 = V5 + VAL&RUBRICA
        ENDIF
       ENDIF
      ENDIF
     ENDIF
     ENDIF

     SKIP

ENDDO

**   DEP11,DEP12,DEP13 = DEPRECIACAO
**   V1 = CUSTOS DE INVESTIMENTO
**   V2 = CUSTOS DE PRODUCAO
**   V21 = VARIAVEIS
**   V22 = FIXOS
**   V3 = CUSTO DE OPORTUNIDADE
**   V4 = FATURAMENTO
**   V5 = ATIVO

     V2 = V21 + V22

     Iss = AIss/100.0 * V4
     Confins = AConfins/100.0 * V4
     CSocial = ACSocial/100.0 * V4
     LOB = V4 - (V2+V3) - (DEP11 + DEP12 + DEP13)
     If LOB > 0.0
        Imposto = AImposto/100.0 * LOB
     else
        Imposto = 0.0



                                             Página 64
                                              Programa
  Endif
  LOL = LOB - (Imposto+Iss+Confins+CSocial)
  MOB = LOB / V4 * 100.0
  MOL = ROUND(LOL*1.0000/V4, 3) * 100.0
  V5 = V1 + V2 + Imposto + Iss + Confins + CSocial
  GIRO = V4 / V5
  TRIT = (GIRO * MOL)

  ?"     5   Ativo Operacional"+space(21)+"1 "+str(V5,14,2)

?""
?""
?"    Principais Indicadores, expresso em Reais com previsao Anual"
?"    ------------------------------------------------------------"
?""
?""
? SPACE(10)+"Receitas/Mensalidas................ "
?? STR(V4,14,2)
? SPACE(10)+"Custos da manutencao dos servicos . "
?? STR(V2,14,2)
? SPACE(10)+"Custos de Investimento ............ "
?? STR(V1,14,2)
? SPACE(10)+"Depreciacoes ...................... "
?? STR(DEP11+DEP12+DEP13,14,2)
?"       --------------------------------------------------"
? SPACE(10)+"Imposto ....................."+STR(Aimposto,5,1)+"%"
?? SPACE(1)+STR(Imposto,14,2)
? SPACE(10)+"I.S.S. ....................."+STR(AIss,5,1)+"%"
?? SPACE(1)+STR(Iss,14,2)
? SPACE(10)+"Confins ....................."+STR(AConfins,5,1)+"%"
?? SPACE(1)+STR(Confins,14,2)
? SPACE(10)+"Contribuicao Social.........."+STR(ACSocial,5,1)+"%"
?? SPACE(1)+STR(CSocial,14,2)
? SPACE(10)+"Totais dos tributos ..............."
?? SPACE(1)+STR(Imposto+Iss+Confins+CSocial,14,2)
?"       --------------------------------------------------"
? SPACE(10)+"Lucro Operacional Bruto (L.O.B.) .. "
?? STR(LOB,14,2)
? SPACE(10)+"Lucro Operacional Liquido (L.O.L.). "
?? STR(LOL,14,2)
? SPACE(10)+"Margem Operacional Bruta (M.O.B.) . "
?? STR(MOB,13,1)+"%"
? SPACE(10)+"Margem Operacional Liquida (M.O.L.) "
?? STR(MOL,13,1)+"%"
? SPACE(10)+"Giro .............................. "
?? STR(GIRO,7,2)+" vezes"
? SPACE(10)+"Taxa de Retorno Sobre Investimento. "
?? STR(TRIT,6,1)+"% ao ano"
XPE = V22 / ( 1.000000 - ( V4 - ( V22 + LOB )) / V4)
? SPACE(10)+"Ponto de Equilibrio em Reais ...... "
?? STR(XPE,14,2)
?"       --------------------------------------------------"
?""
SET PRINT OFF
SET CONSOLE ON



                                              Página 65
                                              Programa

run prn2file

Select 4
Use resumo
append blank
replace xanoatual with anoatual
replace xalunos with alunos
replace xvalorm2 with valorm2
replace xreceita with v4
replace xc_invest with v1
replace xc_produc with v2
replace xlob with lob
replace xlol with lol
replace xmob with mob
replace xmol with mol
replace xgiro with giro
replace xtrit with trit
replace pe with xpe
replace pe_alunos with xpe*xalunos/xreceita
close data
RETURN




                                              Página 66

								
To top