Aditivos intencionais: �nfase para corantes

Document Sample
Aditivos intencionais: �nfase para corantes Powered By Docstoc
					Aditivos intencionais: ênfase
        para corantes
       Toxicologia de Alimentos
      Curso de pós-graduação em
        Segurança Alimentar e
         Qualidade Nutricional
     Lourdes Masson/ Maria Ivone Barbosa
               Ingrediente

• Qualquer substância, incluídos os aditivos
  alimentares, empregada na fabricação ou
  preparação de um alimento e que permanece
  no produto final, ainda que de forma
  modificada.




               Lourdes Masson/Maria Ivone      2
                 Aditivo alimentar

Definição:
       “Toda substância, que não apresenta valor
nutritivo, adicionada ao alimento com a finalidade de
impedir alterações, manter, conferir ou intensificar
seu aroma, cor e sabor; modificar ou manter seu
estado físico geral, ou exercer qualquer ação exigida
para uma boa tecnologia de fabricação do alimento.”
                                                 (FAO/WHO,1974)



                    Lourdes Masson/Maria Ivone                    3
                 Aditivo alimentar
 •Definição (Portaria nº 540, de 27 de outubro de 1997, SVS/MS-
 Regulamento Técnico: Aditivos Alimentares):

• Qualquer     ingrediente       adicionado               intencionalmente   aos
  alimentos:
   – sem propósito de nutrir,
   – com o objetivo de modificar as características físicas,
     químicas, biológicas ou sensoriais,
   – durante a fabricação, processamento, preparação,
     tratamento,       embalagem,        acondicionamento,
     armazenagem, transporte ou manipulação de um
     alimento.

   – Ao agregar-se poderá resultar em que o próprio aditivo ou seus
     derivados se convertam em um componente de tal alimento.
   – Esta definição não inclui os contaminantes ou substâncias
     nutritivas que sejam incorporadas ao alimento para manter ou
     melhorar suas propriedades nutricionais.

                             Lourdes Masson/Maria Ivone                            4
  Coadjuvante de Tecnologia de Fabricação
Definição      (Portaria nº 540, de 27 de outubro de 1997, SVS/MS- Regulamento
Técnico: Aditivos Alimentares):

        Toda substância, excluindo os equipamentos e os
utensílios utilizados na elaboração e/ou conservação de um
produto, que não se consome por si só como ingrediente
alimentar e que se emprega intencionalmente na elaboração
de matérias-primas, alimentos ou seus ingredientes, para obter
uma finalidade tecnológica durante o tratamento ou
fabricação. Deverá ser eliminada do alimento ou inativada,
podendo admitir-se no produto final a presença de traços de
substância ou seus derivados.
           FUNÇÕES DOS
       ADITIVOS ALIMENTARES
       Agente de Massa, Antiespumante,
     Antiumectante, Antioxidante, Corante,
     Conservador, Edulcorante, Espessante,
    Geleificante, Estabilizante, Aromatizante,
 Umectante, Regulador de Acidez, Acidulante,
  Emulsionante/Emulsificante, Melhorador de
Farinha, Realçador de Sabor, Fermento Químico,
  Glaceante, Agente de Firmeza, Seqüestrante,
        Estabilizante de cor, Espumante.
             FUNÇÕES DE
     COADJUVANTES DE TECNOLOGIA

         Catalisador, Fermento Biológico, Agente de
 Clarificação/Filtração, Agente de Coagulação, Agente de
    controle de microrganismos, Agente de floculação,
Agente e suporte de imobilização de enzimas, Agente de
          lavagem e/ou descascamento, Agente de
     resfriamento/Congelamento por contato, Agente
   degomante, Enzima ou preparação enzimática, Gás
  propelente, gás para embalagens, Lubrificante, agente
      de moldagem ou desmoldagem, Nutriente para
leveduras, Resina de troca iônica, membranas e peneiras
   moleculares, Solvente de extração e processamento,
     Agente de inibição enzimática antes da etapa de
                branqueamento, Detergente.
          Aditivos Alimentares
 Há, aproximadamente, 2.700 aditivos químicos para
alimentos disponíveis no comércio.

 A avaliação sistemática da inocuidade dos aditivos
(potencial tóxico, mutagenicidade e carcinogenicidade),
bem como a sua regulamentação são de responsabilidade
do JECFA, desde 1962.

 O JECFA, baseado em dados experimentais, tem a
missão de recomendar, ou não, o uso de determinado
aditivo e de estabelecer o valor da IDA para cada aditivo.
     Risco dos Aditivos Alimentares
Podem ser considerados:

 GRAS (aditivos geralmente reconhecidos como
  seguros), sem limites de uso, ou seja, uso “quantun
  satis”.

 não-GRAS, são estabelecidos limites máximos
  permitidos (LMP) em diferentes alimentos e
  ingestão diária aceitável (IDA).

OBS.: Configura-se contaminação direta do alimento por aditivos
  intencionais não-GRAS sempre que o LMP for ultrapassado.
         Benefícios x Riscos
 Alimentos seguros e    Intoxicação provocada
nutritivos              por ingestão constante


 Diversidade de         Potencial tóxico de
produtos alimentícios   certos aditivos (efeitos
                        agudos e crônicos)
 Menor custo            Hipersensibilidade
                        imunológica individual
                 Aditivos alimentrares

1. Conservador: substância que impede ou retarda
  a   alteração      dos       alimentos           provocada   por
  microrganismos ou enzimas.
  1. propionato de cálcio,

  2. benzoato de sódio,

  3. sorbato de potássio,

  4. sulfitos,

  5. sais de nitratos e nitritos,
  6. etc.

                      Lourdes Masson/Maria Ivone                 11
                    Conservadores
• Ácido benzóico e seus sais (Na, K e Ca)
   presentes naturalmente em alimentos de origem vegetal
    ex.cravo, canela, maçãs, azeitonas, ameixas secas.
   aplicação: bebidas carbonatadas, xaropes, sucos de frutas,
    margarinas, conservas de frutas e vegetais.
   pH de ação: 2,5-4




                      Lourdes Masson/Maria Ivone           12
              Conservadores
• Ácido benzóico e seus sais
• Mecanismo de ação:
   – Efeito do pH (dissociação):
    atividade antimicrobiana aumenta quando o pH se
     aproxima de seu pKa 4,2
    faixa de atividade máxima de pH = 2,5 – 4,0;
    pH 6,0 =>apenas 1% da atividade que em pH 4,0.

    Atividade antimicrobiana => molécula não dissociada
    Atua parede celular microrganismos - inibe diferentes
     enzimas do ciclo de Krebs




                     Lourdes Masson/Maria Ivone         13
                Conservadores

• DL50 (ácido benzóico): 1,7 a 3,7 g/Kg, rata,
  administração oral.

• IDA: 0-5 mg/kg pc (1996)

• Concentração uso: 0,05 – 1,0%

• Usado em combinação com outros antimicrobianos
  para evitar desenvolvimento de flavor indesejável
Ex. Agem em sinergismo com: NaCl, sacarose, ácido
  bórico, calor, CO2, SO2 e sorbatos

                   Lourdes Masson/Maria Ivone   14
                   Conservadores
• Ex. Sabendo-se que a IDA do benzoato de sódio (0-5 mg/kg
  p.c.) e que foi utilizada uma concentração 0,01 g/100mL,
  calcule quantos copos de determinada marca de guaraná
  natural (285 mL), podem ser consumidos diariamente por uma
  criança de 16 Kg e por um adulto de 70 Kg?
 IDA do benzoato = 5 mg/Kg pc
               mg           kg          mg diário de BZ                  copos
   criança      5           16                80                          2,81
   adulto       5           70                350                        12,28
 Limite máximo da ANVISA = 0,05g/100 mL

   g BZ    Volume (mL) Volume (mL)            g BZ        mg BZ/copo
   0,01        100         285               0,0285              28,5
                         1 copo

   Se for utlizado o limite máximo??                mg BZ/copo
                                                                 142,5
                             Lourdes Masson/Maria Ivone                    15
                         Conservadores

• Ácido sórbico e sais sorbatos
  – Aplicação:queijo, produtos panificação, sucos, vinhos,
    margarinas, embutidos secos, outros
  – Ácidos monocarboxílicos


  – Leveduras e fungos filamentosos
     • ‘Clostridium botulium, Staphylococus aureus e Salmonella




                            Lourdes Masson/Maria Ivone            16
                    Conservadores

• DL50: 10,5 g/Kg administração oral, rata (Ácido sórbico).
   – ANVISA: composto de IDA (Ingestão Diária Aceitável) não
     especificada, totalmente metabolizado no organismo;


• ANVISA limites permitidos máximos
   – Ex. queijos (cremoso, pasteurizado, fundido e requeijão)=
     0,1% (PORTARIA DETEN/MS Nº. 21, DE 15 DE JANEIRO DE
     1996)




                       Lourdes Masson/Maria Ivone         17
               Conservadores


• EUA = classificados como GRAS
• Atividade antimicrobiana: até pH 6,5
• Efeito pH:
 A atividade do sorbato é aumentada quando o pH
  se aproxima de sua constante de dissociação pKa
  = 4,76.
 pH máximo para atividade = 6,5, o que o torna um
  efetivo antimicrobiano para alimentos de baixa
  acidez.
• Ácido sórbico: inibe enzimas do ciclo de Krebs



                  Lourdes Masson/Maria Ivone     18
               Conservadores

• Propionatos (sais de K, Ca e Na)



• Ácido monocarboxílico, alifático, líquido oleoso com
  odor pungente e desagradável, ranço.

• Miscível em água, éter, álcool e clorofórmio.

• Propionato de sódio é mais solúvel em água (150%)
  que propionato de cálcio (50%).



                      Lourdes Masson/Maria Ivone    19
                  Conservadores


• Uso dos propionatos
   – Queijos
   – Produtos de panificação (pães, bolos tortas e
     recheios)
   – F rutas e vegetais.

   – Níveis de aplicação variam entre 0,1-0,38%.




                   Lourdes Masson/Maria Ivone        20
               Conservadores

• Ativos contra bolores e bactérias esporuladas.
• Pouco ativos contra leveduras, pois estas produzem
  ácido propiônico.
• Afetada pelo pH, com máxima atividade próxima
  ao pKa 4,9.
• Faixa máxima de eficiência – até pH 6,0.
• São considerados GRAS (não apresentam IDA)
• Relatos:    O   ácido    propiônico,   administrado
  repetidamente na dieta, em concentrações da
  ordem de 0,4% a 4%, também produz hiperplasia
  e neoplasias no estômago anterior do rato (Von
  Greim, 1985)


                    Lourdes Masson/Maria Ivone     21
              Conservadores
• Dióxido de enxofre              e      sais    de   sulfitos   e
  metabissulfito
   Produzidos por leveduras durante fermentação de
    vinhos e cerveja
   Previnir escurecimento enzimático (polifenoloxidase-
    PFO) e não enzimático (Reação de Maillard e oxidação
    da vitamina C)

              O termo sulfito refere-se:
                dióxido de enxofre (SO2)
                sulfito de sódio (Na2SO3)
              bissulfito de sódio (NaHSO3)
            metabissulfito de sódio (Na2S2O5)

   Todos esses sais liberam SO2 nas condições de uso
                    Lourdes Masson/Maria Ivone                   22
              Conservadores
• EUA (GRAS): SO2 e seus sais
• DL50 (via oral): até 1g/Kg (maioria animais
  laboratório)
• Intoxicações agudas com alimentos: improvável
• Toxicidade: varia com a forma de introdução no
  organismo:
 Gás: atmosfera (acima 33 mg/L): morte por
  disfunção pulmonar      (edema,     hemorragia    e
  congestão)
 Poluente atmosférico de alto risco (grandes cidades
  e ambientes de trabalho)

                   Lourdes Masson/Maria Ivone     23
  Alimentos em que
sulfitos são permitidos
Lourdes Masson/Maria Ivone   25
Lourdes Masson/Maria Ivone   26
Lourdes Masson/Maria Ivone   27
             Conservadores
• Toxicidade
• Reações     adversas:     anafilaxia,     urticária,
  angioedema,    hipotensão,     náusea,     irritação
  gástrica local, diarréia e crise asmática em
  indivíduos asmáticos sensíveis a sulfitos
• Broncoespasmos em asmáticos
• Deficiência no metabolismo sulfito (reduzida
  atividade da sulfito oxidase): acúmulo de sulfito
  no organismo



                     Lourdes Masson/Maria Ivone      28
            Antioxidantes

• Adicionados aos alimentos para retardar ou
  inibir a oxidação de óleos e gorduras e os
  resultantes odores e sabores indesejáveis
  conhecidos como “rancidez”.

  – Ex. BHA, BHT, galato de propila, TBHQ,
    tocoferóis

  – IDA (BHA): 0-0,5 mg/kg p.c;
  – IDA (BHT): 0-0,125 mg/kg p.c


                 Lourdes Masson/Maria Ivone    29
             Antioxidantes




Vitamina E




               Lourdes Masson/Maria Ivone   30
              Antioxidantes

• Efeito tóxico BHT:
• Agudo: DL 50 in mg/kg pc
ratos (1700-1970);
 porcos (10,700);
 gatos( 940-2100)
 camundongos (2000)




                 Lourdes Masson/Maria Ivone   31
             Edulcorantes
•   Artificiais: Sacarina , Ciclamato, Acesulfame K , Aspartame.

•   Naturais: Esteviosídeo, Sorbitol, Manitol


• Resolução RDC nº 18, de 24 de março de 2008.
  Dispõe sobre o "Regulamento Técnico que
  autoriza o uso de aditivos EDULCORANTES em
  alimentos,   com    seus     respectivos   limites
  máximos". D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder
  Executivo, de 25 de março de 2008 ANVISA -
  Agência Nacional de Vigilância Sanitária

                            Lourdes Masson/Maria Ivone             32
        Edulcorantes
                                           Acesulfame K
   sacarina




                                 aspartame




                                                   sucralose

ciclamato
              Lourdes Masson/Maria Ivone                   33
               Edulcorantes
                                                hemicelulose



                                                    xilose




                                               xilitol




Esteveosídeo                   manitol
                  Lourdes Masson/Maria Ivone                 34
                                Lourdes Masson/Maria Ivone           35
Fonte: http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/adocantes.pdf
                                Lourdes Masson/Maria Ivone           36
Fonte: http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/adocantes.pdf
                             Edulcorantes



Fonte: http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/adocantes.pdf




                                     Lourdes Masson/Maria Ivone      37
               Edulcorantes


Na pesquisa, o Idec avaliou as embalagens de 24
adoçantes de mesa, 25 bebidas dietéticas e 4 sucos em
pó: todos omitiam informações essenciais
O problema: Uma criança de 30 quilos, por exemplo,
atinge seu limite com apenas uma lata de refrigerante
diet ou light ou um adulto de 70 quilos pode fazê-lo
com apenas 2,8 latas da bebida.




                    Lourdes Masson/Maria Ivone          38
                   Edulcorantes
• Ciclamato sódico:
 Proibido nos Estados Unidos
 Brasil
    Indícios de que seja responsável por alterações genéticas e
    atrofia testicular.
• O produto é contra-indicado para hipertensos e portadores
  de problemas renais.
• Brasil : Coca-Cola Light Lemon, Sprite Zero, Dolly Guaraná
  Diet, Guaraná Diet, Soda Limonada Diet Antarctica, entre
                             outros.

• Fonte: IDEC


                         Lourdes Masson/Maria Ivone           39
           Edulcorantes




Cálculo da ingestão máxima de edulcorantes




                 Lourdes Masson/Maria Ivone   40
                                                              Edulcorante
                                                    Edulcorantes utilizados                CONSUMO DIÁRIO MÁXIMO
Produto                  Marca / Sabor                           Quant.         IDA
                                                  Nome                                      litros    latas (350ml)
                                                                 (mg/100ml)   (mg/kg dw)
                                          Aspartame                 24           40
                  Coca Cola Light                                                           5,81         16,61
                                          Acessulfame K             16           15                                   Para calcular o consumo máximo diário de
                                          Ciclamato sódico          80           11                                   cada um dos produtos basta inserir o peso da
                  Coca Cola Light Lemon                                                     0,85          2,44
                                          Sacarina sódica           10            5                                   pessoa na célula correspondente. Os
                                          Ciclamato sódico          64           11                                   cálculos aparecerão ao lado de cada produto.
                  Fanta Laranja Light                                                       1,07          3,04
                                          Sacarina sódica            8            5
                                          Ciclamato sódico          31           11                                   Os cálculos não consideram o consumo de
                  Guaraná Kuat Light      Aspartame                 12           40         2,20          6,29        outros produtos que contenham os mesmos
                                          Sacarina sódica            5            5                                   edulcorantes.
                                          Ciclamato sódico         107           11
  Refrigerantes




                  Sprite Zero                                                               0,64          1,82
                                          Sacarina sódica            7            5
                  Guaraná Diet e          Ciclamato sódico         67,7          11                                           Peso
                  Soda Limonada Diet
                                                                                            1,01          2,88                           62
                                          Sacarina sódica           16            5                                           (kg)
                                          Ciclamato sódico          55           11
                  Água Tônica Diet                                                          1,24          3,54
                                          Sacarina sódica           13            5
                                          Aspartame               34,96          40
                  Pepsi Light                                                               7,09         20,27
                                          Acessulfame K            8,99          15
                                          Aspartame                 35           40
                  Pepsi Twist Light                                                         7,09         20,24
                                          Acessulfame K              9           15
                                          Ciclamato sódico         87,3          11
                  Dolly Guaraná Diet                                                        0,78          2,23
                                          Sacarina sódica          17,2           5
                                          Ciclamato sódico         87,4          11
                  Dolly Limão Diet                                                          0,78          2,23
                                          Sacarina sódica          17,2           5
                                          Ciclamato sódico          50           11
  Chá




                  Nestea Light                                                              1,36          3,90
                                          Sacarina sódica            6            5
                  Edulcorantes
 Aspartame (artificial/não calórico) - contra-indicado aos
    portadores de fenilcetonúria, na qual o organismo é
    incapaz de metabolizar a fenilalanina


                                                      Dipeptídeo



 Detectada após o nascimento da criança pelo chamado
    "teste do pezinho“

    Obrigatória a advertência no rótulo dos alimentos com
    aspartame, em destaque e em negrito:
                    contém fenilalanina


                         Lourdes Masson/Maria Ivone                42
             Corantes de Alimentos
Definição     (Portaria nº 540, de 27 de outubro de 1997, SVS/MS.
Regulamento Técnico: Aditivos Alimentares)



                      CORANTE

      substância que confere,
    intensifica ou restaura a cor
          de um alimento.
               Classificação
        dos corantes alimentícios     1



 de acordo com a estrutura química:
   compostos que apresentam cromóforos
     em sistemas conjugados.
    Ex.: carotenóides, flavonóides, caramelos,
    corantes orgânicos artificiais etc.
   compostos que apresentam porfirinas metal
    coordenadas.
     Ex.:    mioglobina,      clorofila e  seus
     derivados.
                  Classificação dos
                corantes de alimentos
 De acordo com a origem:
   naturais:
  • vegetal – ex.: clorofila, bixina, β-caroteno e licopeno.
  • animal - cochonilha (ácido carmínico presente nos insetos fêmeas
    de Coccus cacti) e hemoglobina.
  • mineral – carbonato de cálcio, dióxido de titânio, óxidos e
    hidróxidos de ferro, alumínio, prata e ouro.

   sintéticos:
  • orgânicos artificiais - ex.: tartrazina, amarelo crepúsculo, amaranto
    ou bordeaux S, eritrosina, azul de indigotina, azul brilhante,
    ponceau 4R, vermelho 40.
  • orgânicos idênticos aos naturais – ex.: β-caroteno, β-apo-8’-
    carotenal, éster etílico do ácido β-apo-8’-carotênico, cantaxanteno,
    complexo cúprico de clorofila e clorofilina.
        Pigmentos ou corantes naturais
• Principais grupos de compostos:
   1. heterocíclicos com estrutura tetra-pirrólica
      • Porfirinas
          – clorofilas
          – heme compostos
   2. de estrutura isoprenóide
      • carotenóides
   3. heterocíclicos contendo oxigênio
      • flavonóides
• Grupos presentes apenas em vegetais:
   4. betalaínas
      • compostos nitrogenados
   5. taninos
      • diversos compostos de estruturas variadas
                                Corantes
                    Resolução - CNNPA nº 44, de 1977
             Publicada DOU - Seção I, 01/02/78 e 24/04/78
                                (ANVISA)

•   Corante orgânico natural - aquele obtido a partir de vegetal, ou eventualmente, de
    animal, cujo princípio corante tenha sido isolado com o emprego de processo
    tecnológico adequado.

•   Corante orgânico sintético - aquele obtido por síntese orgânica mediante o emprego
    de processo tecnológico adequado.

•   Corante artificial - é o corante orgânico sintético não encontrado em produtos
    naturais.

•   Corante orgânico sintético idêntico ao natural - é o corante orgânico sintético cuja
    estrutura química é semelhante à do princípio ativo isolado de corante orgânico
    natural.

•   Corante inorgânico - aquele obtido a partir de substâncias minerais e submetido a
    processos de elaboração e purificação adequados a seu emprego em alimento.

•   Caramelo - o corante natural obtido pelo aquecimento de açúcares à temperatura
    superior ao ponto de fusão.

•   Caramelo (processo amônia) - é o corante orgânico sintético idêntico ao natural
    obtido pelo processo amônia, desde que o teor de 4-metil, imidazol não exceda no
    mesmo a 200mg/kg (duzentos miligramas por quilo).



                                 Lourdes Masson/Maria Ivone                         47
                 Corantes
Naturais:
Grupos: Carotenóides, Clorofilas, Antocianinas,
 Betalaínas, Mioglobina

    Corante      Fontes principais                Cor associada
 Carotenóides    Frutas, vegetais,              Amarelo-vermelho
                 animais, fungos                    intenso
    Clorofila         Vegetais                   Verde – Verde
                                                   brilhante
  Antocianinas    Flores e frutas                Azul, roxo,Lilás
   Betalaínas        Beterraba                        Lilás
  Mioglobina            Carne                      Vermelho

                   Lourdes Masson/Maria Ivone                       48
Carotenóides




  Lourdes Masson/Maria Ivone   49
              ESTRUTURAS QUÍMICAS


                                        Cátion
   Antocianinas                       flavilium




                                            Fontes: uva, cereja, ameixa,
                                            framboesa,    morango,     amora,
                                            maçã,     pêssego,     tamarindo,
                                            batata,    groselha    preta    e
                                            vermelha,     mirtilo,   oxicoco,
                                            repolho roxo, rabanete, vagem,
                                            sementes de cereais...
(palavras gregas anthos, flor e
kianos, azul)               Lourdes Masson/Maria Ivone                     50
            Corantes

Clorofila                                Mioglobina




            Lourdes Masson/Maria Ivone                51
                TOXICOLOGIA DE
                  ALIMENTOS
      • Efeitos tóxicos


Estudos “in vitro”: Verificar se extrato de chá
  verde (rico em catequinas) e suco cenoura
preta(rico em antocianinas) apresentam efeito
            citotóxico e genotóxico

               Resultado:Extrato de cenoura:
               citotóxico e genotóxico;
               Extrato de cenoura e chá verde:
               efeito genotóxico Ivone
                       Lourdes Masson/Maria       52
Lourdes Masson/Maria Ivone   53
Lourdes Masson/Maria Ivone   54
                         Corantes

2. Corantes sintéticos (Corantes AZO)
Os azocorantes representam cerca de 60 % dos
corantes atualmente utilizados no mundo,
 Vantagens:
 Estabilidade
 Custo
 Poder corante
 Solubilidade em água




                         Lourdes Masson/Maria Ivone   55
                Algumas estruturas

                                                  Amarelo 2G




  Amarelo
 tartrazina                                      Ponceau
                                                   4R

Sunset Yellow




                    Lourdes Masson/Maria Ivone     Brilliant Black
                                                             56
Lourdes Masson/Maria Ivone   57
Lourdes Masson/Maria Ivone   58
                           Corantes

    • Efeito tóxico: Amarelo Tartrazina
    IDA (humanos): 0–7,5 mg/kg pc (JECFA, 1996).
   Estudo                Efeitos                          Dieta         animal


Davis et al.            tumores                    0,5-5%/2 anos         ratos
  (1964)
Maekawa et        Efeito carcinogênico                Água (1.0–         ratos
 al. (1987)                                         2.0%)/ 2 anos


Collins et al.     Efeito teratogêncio              drinking water       ratos
   (1992                                             (0.05–0.7%)
Ward (1997)      Agressividade, redução           Bebida contendo    23 estudantes
                 da coordenação, asma e               corante
                         eczema
                             Lourdes Masson/Maria Ivone                      59
Amarelo tartrazina x Medicamentos




           Lourdes Masson/Maria Ivone   60
Amarelo tartrazina x Medicamentos




           Lourdes Masson/Maria Ivone   61
Lourdes Masson/Maria Ivone   62
Lourdes Masson/Maria Ivone   63
Urticárias




                    Eczema

   Lourdes Masson/Maria Ivone   64
• Análise: 224 produtos alimentícios (Supermercados)
• Bebidas, batatas fritas, doces, chicletes, sobremesas, gelatinas,
  etc.
• Análise dos rótulos




                        Lourdes Masson/Maria Ivone            65
(continuação...)

           Resumo dos efeitos secundários




                    Lourdes Masson/Maria Ivone   66

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:251
posted:11/18/2011
language:Portuguese
pages:66