Chica da Silva - FAFICH by 1VM7vqTb

VIEWS: 109 PAGES: 23

									Henrique Rafael A.
      Costa
 Xica da Silva (filme):    O Contratador: João
Ficha Técnica               Fernandes de Oliveira
 Xica da Silva (novela):   Chica x Xica
Ficha Técnica
                             Pontos de Reflexão
 O Arraial do Tejuco
                             Galeria de Fotos
 A Sociedade e a Vida
Tejucanas                    Links e Indicações de
                            Leitura
 O Concubinato
 Chica da Silva: O que
diz a História?
www.pitoresco.com.br
www.adorocinemabrasileiro.com.br
www.planetaeducacao.com.br/cinema
www.bairrodocatete.com.br
tv.groups.yahoo.com/group/memoria_da_tv
 ABUD,  Kátia M. A Construção de uma Didática da História:
Algumas idéias sobre a utilização de filmes no ensino. História,
São Paulo, 2003.
 SOUZA, Lara de mello. Desclassificados do ouro: a pobreza
mineira no século XVII. Rio de Janeiro: Graal, 1982.
FERRO, Marc. Cinema e História. Rio de Janeiro: Terra e Paz,
1992.
 FURTADO, Junia F. Chica da Silva e o Contratador dos
Diamantes: O outro lado do mito. São Paulo: Cia. Das Letras,
2003.
 SCARANO, Julita. Cotidiano e Solidariedade: Vida diária da
gente de cor nas Minas Gerais Século XVIII. São Paulo:
Brasiliense, 1994.
 SCHVARZMAN, Sheila. As Encenações da História. História, São
Paulo, 2003.
            Fonte:
www.adorocinemabrasileiro.com.br

                             Título Original: Xica da Silva
                            Gênero: Comédia
                            Tempo de Duração: 117 min.
                            Ano de Lançamento (Brasil): 1976
                            Direção: Carlos Diegues
                            Roteiro: Carlos Diegues e João Felicio   dos
                            Santos
                            Música: Jorge Ben e Roberto Menescal
                            Fotografia: José Medeiros
                            Figurino: Luiz Carlos Ripper
                            Edição: Mair Tavares
                            Elenco: Zezé Motta, Walmor Chagas, Altair
                            Lima, Elke Maravilha, Stepan Nercessian,
                            Rodolfo Arena, José Wilker

                              Sinopse e Curiosidades
 Autor:   Walcyr      Carrasco    (sob   o
pseudônimo de Adelmo Rangel)
 Direção: Walter Avancini
 Produção: Rede Manchete, 1996
 Capítulos: 231 (exibida de 17/09/96 a
11/08/97)
 Elenco: Taís Araújo, Victor Wagner, Drica
Moraes, Murilo Rosa, Carla Regina,
Adriane Galisteu, Guilherme Piva, etc.
 Horário de Exibição: 22 h
 Classificação: 14 Anos
 Foi reapresentada em 2005 pelo SBT


Sinopse e Curiosidades
Clique nos mapas para ampliá-los!


                                    O   arraial é atualmente a cidade de
                                    Diamantina;
                                     Localização: Região Nordeste de MG;
                                    Pertencia, no século Xviii, à comarca do
                                    Serro do Frio, que possuía sede na Vila
                                    do Príncipe, atual cidade do Serro;
                                     Sua ocupação se deu mais tardiamente
                                    que a do centro da capitania (Vila Rica e
                                    Vila do Carmo, por exemplo);
                                    Para controlar a exploração de
                                    diamantes foi estabelecido, em 1734, a
                                    Demarcação Diamantina, que, além do
                                    Tejuco, incluía arraiais como Gouveia,
                                    Milho Verde, São Gonçalo, Rio Manso,
                 2000               Picada e Pé do Morro;


            O  Tejuco era dependente administrativamente da Vila do
            Príncipe. No entanto, a sede da Intendência dos Diamantes
            ficava em seu território.
Almanaque Abril 2000 CD-Rom




                              Amaioria das casas eram simples e
                            rústicas, feitas de taipa e pedra;
O arraial, como outras importantes localidades, contava com
várias igrejas, erguidas, principalmente, na segunda metade do
século XVIII;
 A população do Tejuco era considerável e superava a da Vila
do Príncipe, sede da Comarca do Serro do Frio;
 O arraial foi palco de uma vida cultural profícua. Muitos
tejucanos estudaram no exterior;
 Grande parte da população era formada por escravos, negros
e mulatos forros;
 A ascensão da camada forra da sociedade diamantina não era
incomum, muitos acumularam bens e prestígio no arraial.

               Perfil Populacional do Tejuco
         Fonte:
tv.groups.yahoo.com/gro
   up/memoria_da_tv
                     O relacionamento entre Chica da Silva e João
                    Fernandes se enquadra no que se convencionou
                    chamar de Concubinato;
                     O Estado Português não via com bons olhos o
                    casamento entre pessoas de condição desigual;
                     Esse tipo de ligação era geralmente feito por casais
                    que não podiam se unirem oficialmente através do
                    casamento. Os casos mais freqüentes aconteceram
                    entre senhores e escravas e entre brancos livres e
                    pardas e negras forras;
   Nas Minas Gerais, a escassa presença de mulheres brancas
  impulsionou relacionamentos ilícitos, como o concubinato;
   Muitos senhores libertaram suas companheiras escravas, o que
  fez com que a alforria fosse mais acessível às mulheres;
   Como conseqüência desse tipo de relacionamento, a sociedade
  mineira apresentou um quadro de miscigenação ímpar e uma grande
  camada de mulatos e negros forros.

                         Devassa no Tejuco
 Eram particulares, de famílias nobres       ou da alta
burguesia, que, em nome da Coroa Portuguesa, deveriam
controlar a produção de diamantes (estabilizando os
preços), limitar a área explorada, o número de escravos
empregados e reprimir o contrabando;
 Eles dispunham de enorme riqueza e prestígio frente ao
rei e as autoridades locais;
 Acumulavam grandes fortunas, o desembargador João
Fernandes tornou-se um dos homens mais ricos de
Portugal;
 Em 1771, a Coroa extingue o sistema de contrato e a
exploração de diamantes passa a ser monopólio
metropolitano, criando-se a Real Extração de Diamantes.



            Os Contratadores do Tejuco
                 Nascida entre 1731 e 1735. Filha de Maria da
                  Costa, escrava e do português Antônio
                  Caetano de Sá;
                   Local de Nascimento: Arraial de Milho
                  Verde;
                   Documentos atestam que Chica era mestiça,
                  descrita como mulata ou parda;
 Nascida entre 1731 e 1735. Filha de Maria da Costa,
escrava e do português Antônio Caetano de Sá;
 Local de Nascimento: Arraial de Milho Verde;
 Documentos atestam que Chica era mestiça, descrita como
mulata ou parda;
 Seu primeiro filho nasce em 1751, fruto do relacionamento
com seu dono até então: Manuel Pires Sardinha;
 Foi vendida, em 1753, para o desembargador João
Fernandes;
 Foi alforriada em 25 de dezembro de 1753, adotando o
nome de Francisca da Silva Oliveira;
Não há descrições exatas e retratos de Chica da Silva;
 O relacionamento com o contratador João Fernandes
durou 17 anos, de 1753 a 1770. Teve treze filhos, nove
mulheres e quatro homens;
 Foi proprietária de casas e de mais de cem escravos;
 Morreu no Tejuco em 16 de Fevereiro de 1796. Seu
corpo foi enterrado no interior da Igreja São Francisco
de Assis.
 Nasceu em 1927 na Vila do Carmo, atual Mariana;
 Estudou no Seminário de São Patrício, em Lisboa,   pertencente
aos Jesuítas;
 Seguiu estudos na Universidade de Coimbra em 1743;
 Em 1748, recebeu o título de Cavaleiro da Ordem de Cristo;
 Foi enviado para o Tejuco, em 1753, para administrar o
contrato do pai, que havia voltado para Portugal;
 Foi o contratador de mais longo tempo de administração no
Tejuco (1753/1771);
 Em fins de 1753 comprou, por 800 mil réis, a escrava Francisca
(futura Francisca da Silva) de Manuel Sardinha;
 Foi um contratador de sucesso, reconhecido no reino pela
exploração de grandes volumes de diamante;
 Deixou o Tejuco em novembro de 1770 para resolver problemas
relacionados ao testamento do pai e nunca mais voltou;
 Acometido de uma moléstia súbita em 1775, fica doente até
falecer em 21 de dezembro de 1779.
 Entre 1755 e 1770, Chica teve 13 filhos, o que desmonta a idéia
de uma mulher perfeita, sensual e de beleza incomparável;
 Assim como as mulheres brancas, ela não amamentou seus
filhos, deixando a tarefa a cargo das amas de leite;
 Sua casa era adornada como as da elite tejucana;
 Chegar às missas dominicais carregada em liteiras e trajando
vestidos luxuosos não era costume particular de Chica, mas um
hábito disseminado no arraial;
 Não era costumeiro o uso de perucas brancas entre as
mulheres, como por exemplo, sugere a novela;
 Ao contrário do retratado nos romances, Chica da Silva não
era uma heroína abolicionista. Na verdade foi dona de muitos
escravos e levou uma vida próxima às senhoras brancas,
desprezando o trabalho manual;
O Contratador, Chica e seus filhos participavam de Irmandades
de devoção a santos, onde só haviam brancos;
 Foi retratada como personagem histórica pela primeira vez
por Joaquim Felício dos Santos no livro Memórias do Distrito
Diamantino, de 1868;
 O autor construiu uma imagem muito negativa de Chica e João
Fernandes. Ele teria sido um terrível déspota, sempre sensível
aos desejos da ex-escrava, fazendo com que toda a população
do Tejuco se curvasse ao casal. Já Chica foi pintada como
maliciosa, vingativa, temerária e mandona;
 João Felício dos Santos, no romance Xica da Silva, agrega à
imagem da escrava o componente sexual por que passa a ser
conhecida;
 O cinema ajuda a perpetuar tal imagem com o lançamento do
filme Xica da Silva, em 1976. Seu nome fica conhecido para o
grande público com a grafia X de Xica;
 A novela da Rede Manchete produziu efeito semelhante ao
filme ao retratar Chica associada a sensualidade e beleza;
 Os romances, cinema e televisão ajudaram a construir o mito
em torno da personagem histórica, criando estereótipos que,
em grande parte, não correspondem ao perfil presente nos
relatos históricos.
 Clique no
logotipo ao
  lado e
 assista o
   vídeo:

              Como Xica foi recebida pelos
              habitantes do Tejuco? Que tipo
              de comportamento a ex-escrava
              tem em relação aos outros?
              Compare sua vestimenta com a
              dos outros habitantes do
              arraial.
          Se achar necessário, vá à Galeria de
          fotos e veja como a personagem foi
          caracterizada.
             “(...) alçadas à condição, muito
Observe o   comum na época, de concubinas de
 texto ao   homens      brancos,   as    forras
            procuravam      se   reinserir   na
   lado:    sociedade, usufruindo as vantagens
            que esta podia lhes oferecer, a fim
            de minimizar o estigma da cor e da
            escravidão. (FURTADO, 2003: p.22)”
                  De acordo com o texto, a
            presença de concubinas forras era
            comum na sociedade colonial
            mineira. Identifique, na trajetória de
            Chica da Silva, elementos que a
            aproximam e/ou a distanciam das
            trajetórias das mulheres forras
            comuns.
 Observe a letra da                  Xica da Silva (Jorge Benjor)
música de Jorge Benjor.
Que tipo de imagem de                Xica da (3x)   E uma luxuosa galera
Chica a música expressa?            Xica da Silva   Que seu amor, João
                                         A negra    Fernandes, o tratador
Ela está mais próxima do    De escrava a amante     Mandou fazer
cinema e televisão ou dos                Mulher     Só para ela
relatos históricos?           Mulher do fidalgo
                                   contratador      Xica da
                                João Fernandes      Xica da
                          A imperatriz do Tijuco    Xica da Silva
                           A dona de Diamantina     A negra
                        Morava com a sua côrte      Muito rica e invejada
                      Cercada de belas mucamas      Temida e odiada
                     Num castelo da Chácara da      Pois com as suas perucas
                                           Palha    Cada uma de uma cor,
                        De arquitetura sólida e     Jóias, roupas exóticas
                                     requintada     Das Índias, Lisboa e Paris
                         Onde tinha até um lago     A negra era obrigada a
                                       artifical    ser recebida
                          E uma luxuosa galera      Como uma grande
                             Que seu amor, João     senhora da côrte
                         Fernandes, o tratador      Do Reis Luís
                                  Mandou fazer      Da côrte do rei Luís
                                     Só para ela

                     Obs: Se quiser escutar a música clique no título!
  Clique no
 logotipo ao
  lado para
abrir o vídeo:



                 Observando o comportamento
                 de Xica, comente que tipo de
                 imagem a novela priorizou ao
                 caracterizar a personagem.
No final do filme Xica da Silva,
quando o contratador retorna ã
Portugal,    Chica   fica    numa
posição     desconfortável     em
relação à sociedade tejucana.
Compare o destino da personagem
no filme e no relato histórico de
Júnia Furtado.
             Clique nas figuras para ampliar!




Fonte: www.adorocinemabrasileiro.com.br, www.vilamariana.com.br/eventos
         Clique nas figuras para ampliar!




Fonte: http://ph.groups.yahoo.com/group/xicadasilva/photos,
   http://www.serials.ru/galleries/em/xica_da_silva.htm

								
To top