APRESENTA��O - Download Now DOC

Document Sample
APRESENTA��O - Download Now DOC Powered By Docstoc
					REFERÊNCIAS E RESUMOS DAS

 572 TESES E DISSERTAÇÕES
                                                                                                               37


        REFERÊNCIAS E RESUMOS DAS TESES E DISSERTAÇÕES



001
ABIB, Maria Lúcia Vital dos Santos.
   A interferência do nível de desenvolvimento cognitivo na aprendizagem de um conteúdo de Física. São Paulo,
   Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1983. 151p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Anna Maria
   Pessoa de Carvalho).

RESUMO - Estuda as relações entre o nível de desenvolvimento cognitivo e a aprendizagem de um conteúdo de
Física - a lei da Flutuação dos Corpos - resultante de uma metodologia fundamentada nas implicações da Teoria de
Piaget para o ensino de Ciências. O experimento foi realizado com 30 sujeitos da 2ª série do 2º Grau, da EEPSG
"Frei A.S. Galvão", São Paulo-SP. O diagnóstico do nível de desenvolvimento cognitivo dos sujeitos foi obtido
através da utilização da Escala de Desenvolvimento do Pensamento Lógico, de Longelot, que levou à formação de
dois grupos, formal e não-formal. Aplica pré e pós-teste para avaliar o desenvolvimento do grupo quanto a três
níveis de aprendizagem: conhecimento, compreensão e aplicação. Aplica, também, uma prova de retenção. Os
resultados apresentados pelos grupos e a análise estatística destes permitem concluir que não há interferência do
nível de desenvolvimento cognitivo na aprendizagem ao nível de conhecimento, enquanto há interferência para a
compreensão do conteúdo tratado, nas condições de metodologia utilizada e também aplicação. Outras variáveis
também interferem: falta de conhecimento matemático e da linguagem, falta de estudo em casa, período noturno,
trabalhadores, falta de local apropriado para experiências.


002
ABRAMOF, Patrícia Guimarães.
   Um estudo do Opticks de Newton: aspectos do pensamento newtoniano e seus métodos de trabalhar em Física.
   São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1989. 155p. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Amélia Império Hamburger).

RESUMO - Estuda a evolução das idéias de Newton sobre a ótica, destacando aspectos do seu pensamento nas
tentativas teóricas e nas precisas experiências contidas no Opticks. Usa como fonte do estudo o texto original do
Opticks e do Principia Matemática, junto com análises em História da Ciência de especialistas como Westfall,
Dobbs, Mc Mullin, Sabra, Shapiro, Cohen, Koyré e outros. Faz também um apanhado histórico com respeito às
questões sobre a natureza e comportamento da Luz, desde os Gregos (século V a. C.) até os contemporâneos de
Newton (séculos XVI e XVII). Subsidia a formação de professores de Física e Ciências, no sentido de mostrar a
construção dos conceitos e teorias científicas em sua dimensão histórica.


003
AGRA, João Tertuliano Nepomuceno.
   Ensino de Mecânica Quântica: uma interpretação de descrições de professores. São Paulo, Instituto de
   Física/Faculdade de Educação, USP, 1994. 133p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria Carolina Nemes).

RESUMO - Busca uma compreensão do Ensino de Mecânica Quântica (MQ) na perspectiva de professores que
lecionaram essa teoria para alunos de graduação e de pós-graduação em Física. Usa recursos e técnicas da
pesquisa qualitativa fundamentada na fenomenologia. Inicialmente obteve descrições de experiências com o Ensino
de MQ, através de entrevistas com professores, a partir das quais desenvolve análises individuais, segmentando
cada descrição em unidades de significado, e transformando essas unidades para uma linguagem mais geral que
permitisse fazer comparações entre unidades das várias descrições. Faz uma análise geral das entrevistas partindo
das unidades de significado agrupadas em três vertentes temáticas: MQ e outras teorias físicas, Ensino de MQ, e
Aprendizado de MQ. Lança alguma luz quanto às perspectivas dos professores entrevistados acerca das vertentes
temáticas relevadas, em especial quanto às características de cursos de MQ introdutórios (de graduação) e
avançados (de pós-graduação), e quanto aos limites da ação do professor para o aprendizado dessa teoria por seu
alunos.


004
ALBUQUERQUE, Ivone Freire da Mota e.
   Entropia e quantização da energia: cálculo termodinâmico de Planck. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de
   Educação, USP, 1988. 128p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Amélia Império Hamburger).
                                                                                                                 38

                                                                                                           a
RESUMO - Aborda a origem e o desenvolvimento epistemológico do conceito de entropia e da 2 lei da
termodinâmica e sua importância para o estabelecimento da quantização da energia. Enfoca a introdução da análise
probabilística na interpretação do conceito de entropia e as conseqüentes mudanças na teoria Física. Pesquisa e
apresenta a origem do conceito de entropia com R. Clausius que teve o trabalho de S. Carnot como ponto de
partida. Analisa e reorganiza de modo próprio o significado desse conceito. Analisa os trabalhos de L. Boltzmann,
                                                                            a
em que ele introduz a teoria de probabilidades para a compreensão de 2 lei. Registra a polêmica entre os atomistas
e energeticistas, as visões diferentes do mundo dentro da teoria Física, que estão sendo debatidas nesse momento
histórico. Aborda a quantização da energia por Planck, enfocando as modificações trazidas pelo cálculo
termodinâmico, as quais dão origem à Física Moderna. Utiliza como fontes principais alguns dos artigos originais de
Clausius, Boltzmann, Zermelo e Planck; artigos de historiadores da ciência como Blackmore, Brusch, Hermann,
Jammer, Klein, Kuhn e Pais (no que se refere as idéias de Einstein e artigos de alguns físicos como Bohm, Givvs,
Schemberg e Sommerfeld. Integrante do grupo de pesquisas em epistemologia da Física coordenado pela Prof.
Amélia I. Hamburger, o autor busca subsidiar tanto professores de Física de todos os graus, bem como estudantes
      o
do 3 grau, possibilitando o aprofundamento do conhecimento científico. Ao final apresenta formas de
aproveitamento deste subsídio conceitual e as linhas gerais da pesquisa desse grupo. Mostra, também, a intenção
                                                                                                   o
de fornecer subsídios para a introdução da Física Moderna principalmente no ensino de 2 grau, bem como a
necessidade de introduzir disciplinas de história e filosofia da ciência no ensino superior de Física.


005
ALMEIDA, Judite Fernandes de.
   Candidatos à área de Matemática, Ciências Físicas e Tecnologia (desempenho escolar no curso introdutório de
   Física). Salvador, Faculdade de Educação, UFBA, 1977. 159p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria
   David de Azevedo Brandão).

RESUMO - Faz uma análise das características individuais e de origem social dos candidatos ao Vestibular, ano de
1974, de modo a identificar possíveis associações entre tais características e o desempenho dos mesmos no Exame
Vestibular e no curso introdutório de Física. Envolve o levantamento de dados relacionados com o histórico escolar
destes candidatos bem como os dados referentes a seus pais. Os resultados indicam que a sub-população dos
classificados com indicação para recuperação possuem condições bastantes desfavoráveis quanto às
características citadas, provavelmente levando esses candidatos a optar de modo aleatório entre os cursos
oferecidos pela Universidade. Isto se faz notar por mudanças de opção não só dos cursos, mas também da área de
conhecimento, nos alunos que realizaram vestibular anteriormente. Ao que tudo indica, mais pesa a relação número
de vagas/número de candidatos do que um interesse intrínseco pelo curso ou pela carreira. Conclui que, devido ao
processo classificatório do exame Vestibular, quando as vagas dos diversos cursos são preenchidas levando em
                   a
consideração a 1 opção feita pelo candidato, relega a um plano inferior os conhecimentos específicos dos
candidatos.


006
ALMEIDA, Lúcia da Cruz de.
   Proposta para reformulação da Licenciatura em Física na Universidade Federal Fluminense. Rio de Janeiro,
   Faculdade de Educação, UFF, 1987. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Nilda Maria Guimarães Alves).
                                        o
RESUMO - O ensino de Física no 2 grau tem sido alvo de críticas tanto por parte de alunos, diretores e
                               o
coordenadores de escolas de 2 grau, como de professores do ensino superior. Muitos dos problemas no ensino de
Física decorrem da própria formação do futuro professor. Desse modo, é de extrema importância uma análise dos
cursos que formam esses profissionais. A autora trabalha diretamente com alunos do curso de Licenciatura de
Física da UFF na disciplina de Instrumentação para o Ensino de Física, o que justifica o seu interesse na formação
do professor nesta área. Como o assunto é amplo e possui características especiais, o trabalho restringe-se à
formação de professores de Física na UFF, incorporando todo o material acumulado nos últimos anos sobre a
Reformulação dos Cursos de Preparação de Recursos Humanos para a Educação.


007
ALMEIDA, Maria José Pereira Monteiro de.
    Introdução às Ciências Experimentais - análise de contingências; programa e avaliação de curso. São Paulo,
   Instituto de Psicologia, USP, 1979. 206p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Carolina Martucelli Bori).

RESUMO - Apresenta o planejamento, elaboração, aplicação e avaliação de um programa de contingências para
alunos de uma disciplina introdutória às ciências experimentais num curso de Licenciatura em Ciências. Estabelece
o programa a partir de uma análise de contingências. A avaliação de sua eficácia para atingir os objetivos propostos
se baseia nos dados obtidos durante sua aplicação. Os dados analisados são as avaliações indiretas do
desempenho dos alunos e o próprio produto das tarefas por eles realizadas. Faz três estudos específicos
                                                                                                                  39


destinados, o primeiro, a verificar a eficácia de uma grande parte do programa, o segundo, a verificar a retenção dos
comportamentos adquiridos pelos alunos e, o terceiro, a fornecer informações sobre a atividade de discussão em
grupo dentro da programação feita.


008
ALMEIDA, Maria José Pereira Monteiro de.
   Texto escrito no ensino da Física - a influência de proposições na solução de problemas. São Paulo, Instituto de
   Psicologia, USP, 1987. 148p. Tese de Doutorado. (Orientador: Carolina Martuscelli Bori).

RESUMO - Verifica a influência da instrução e proposições semelhantes às comumente incluídas em textos
elaborados para o ensino da Física, em grau médio, no Brasil. Foram planejadas, neste estudo, situações-problema
a serem resolvidas por estudantes. Analisa as respostas apresentadas por universitários e alunos de ensino médio e
as agrupa em classes de solução. Os resultados mostram diferentes aspectos da influência estudada, diferenciados
para cada proposição. Discute possíveis interpretações que esses resultados viabilizaram, a contribuição de estudo
exploratório, como o desenvolvimento, e a necessidade de se proceder à análise de funcionamento da linguagem
matemática (e cotidiana) no ensino da Física. Finalmente, considera alternativamente os papéis que têm sido
atribuídos ao professor, na identificação dos quais tornou-se aparente a contradição entre pressupostos, ideário
veiculado e processos efetivamente vividos em sala de aula.


009
ALMEIDA, Sônia Maria de.
   Estruturas de raciocínio nas provas de Física no vestibular da UFMG. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade
   de Educação, USP, 1985. 156p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Jesuína Lopes de Almeida Pacca).

RESUMO - Analisa as provas de Física do vestibular da UFMG, no que se refere à qualidade do raciocínio
empregado pelos alunos ao resolver questões numa prova escrita. Utiliza um instrumento de análise baseado na
teoria de Piaget sobre o desenvolvimento de estruturas mentais. Os resultados obtidos são de dois tipos principais:
um que revela a capacidade de resolver problemas de Física de uma população numerosa e variada como a dos
candidatos à Universidade; outro que mostra como o currículo de Física é ensinado no curso secundário e nos
cursos preparatórios (paralelos). Relaciona os níveis de raciocínio dos estudantes com fatores econômicos, culturais
                   o
e procedência do 2 grau.


010
ALMEIDA FILHO, Wilson Rocha de.
   Física, pedagogia e poder: uma análise histórica dos livros didáticos de Física (1940-1980). Salvador, Faculdade
   de Educação, UFBA, 1992. 116p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Luiz Felippe Perret Serpa).

RESUMO - Discute o processo histórico do ensino de Física que se dá constantemente com o desenvolvimento
histórico da Física, enquanto expressão do poder, por intermédio dos seus livros didáticos, no período de
1940-1980. Procura apreender a relação ciência-poder e a contribuição do ensino de Física na formação científica
do cidadão, mediante o estudo das transformações ocorridas nos conteúdos e métodos constantes nos manuais
didáticos, no período mencionado. As evidências demonstram que, à medida em que a comunidade científica
estreita seus laços com o poder, o ensino torna-se cada vez menos preocupado com a busca do convencimento do
aluno-leitor, em torno da validade de seus princípios ou leis, com sérios prejuízos para a formação do cidadão.


011
ALVES, Neila Guimarães.
   Direitos do cidadão: encontro da Educação com a Saúde na escola. Niterói, Faculdade de Educação, UFF, 1990.
   124p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Victor Vincent Valla).
                                                                                              o
RESUMO - Preocupa-se com a crítica aos conteúdos de Programas de Saúde para o 1 grau. Analisa livros
didáticos, procurando mostrar como a discussão acerca de saúde, que vem ocorrendo nas salas de aula, baseada
numa visão individualizante e biomédica, está distanciada da realidade de vida e dos interesses das classes
trabalhadoras brasileiras. Com isto, não ajudando em nada a que o aluno construa uma visão crítica acerca de si
mesmo e da sociedade. Em contrapartida, assinala como determinantes, para uma real compreensão da relação
saúde-doença, a qualidade de vida e condições de trabalho, indicando-as como fundamentais no redirecionamento
da discussão competente de saúde, na escola e a sua importância na luta pela construção da plena c idadania de
nosso povo.
                                                                                                                   40



012
ALVES, Virgínia Mello.
                                                         o
   Uma abordagem dialógica para o ensino de Física no 1 grau. Porto Alegre, Instituto de Física, UFRGS, 1992.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Bernardo Buchweitz).
                                                                                  a           o
RESUMO - Desenvolve um programa de ensino de Física com estudantes de 8 série do 1 grau, em uma escola
municipal de Porto Alegre. Segue uma metodologia de pesquisa-ação e, referenciando-se nas idéias de Paulo
Freire, busca um sentido para o ensino de Física numa perspectiva libertadora, através de uma abordagem dialógica
de educação. Realiza previamente um estudo da comunidade, de onde elege como tema gerador o abastecimento
deficitário de água na região e suas implicações no banho dos moradores. Organiza um programa de ensino de um
semestre, onde são abordadas noções básicas de termodinâmica, eletricidade e mecânica dos fluidos. Com base
em testes, questionários, entrevistas e observações, verifica a ocorrência de uma aprendizagem significativa, boa
receptividade dos estudantes ao programa e resultados satisfatórios de aproveitamento escolar. Conclui que o
ensino de Física pode ter um papel importante na conscientização, mas que, para seu pleno êxito, é necessária uma
atuação da escola junto à comunidade, parte, ainda, de um projeto mais amplo de democratização da sociedade.


013
ALVES FILHO, José de Pinho.
   Licenciatura em Física da UFSC: análise à luz do referencial de Eisner e Vallance. Florianópolis, Centro de
   Ciências da Educação, UFSC, 1990. 250p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: André Valdir Zunino).

RESUMO - Investiga, em estudo de caso feito com a Licenciatura em Física da UFSC, a existência ou não de uma
tendência curricular predominante e se ela coincide com aquela idealizada pelo grupo consultado. Utilizam-se como
referencial teórico as concepções curriculares de Eisner & Vallance e o processo de investigação é o proposto por
Parlett & Hamilton (Avaliação Iluminativa). Os resultados demonstraram que a concepção curricular predominante
no currículo atual (racionalismo acadêmico) não se identifica com a concepção curricular idealizada (reconstrução
social).


014
AMARAL, Ivan Amorosino do.
   O conteúdo e o enfoque dos livros de Geologia Introdutória: estudo descritivo e analítico com base na
   macro-estrutura das obras atuais destinadas ao nível superior de ensino. São Paulo, Instituto de Geociências,
   USP, 1981. 276p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Nabor Ricardo Rüegg).

RESUNO - O estudo inaugura a pesquisa acadêmica sobre a questão educacional na área geológica. Aborda a
temática relativa ao ensino de Geologia no nível superior com caráter introdutório. Descreve e analisa livros
didáticos destinados ao ensino de Geologia Introdutória. Utiliza um quadro teórico para análise, baseado na noção
de Geologia enquanto ciência e adota o significado de Geologia em seu sentido mais amplo, o que inclui as áreas
afins. De modo não específico descreve e analisa o conteúdo e o enfoque de um conjunto diversificado e
representativo de livros didáticos de edição recente e explicitamente destinados à Geologia Introdutória; Verifica
também a imagem da Geologia enquanto ciência. Discute os resultados do próprio estudo, os critérios originais de
classificação das obras e definição das linhas de conteúdo de Geologia Introdutória.


015
AMARAL, Ivan Amorosino do.
   Em busca da planetização: do ensino de Ciências para a Educação Ambiental. Campinas, Faculdade de
   Educação, UNICAMP, 1995. 2v., 650p. Tese de Doutorado. (Orientador: Sílvia Maria Manfredi).

RESUMO - Apresenta-se uma proposta metodológica curricular para o ensino de Ciências, tendo como metas
revelar o Ambiente e desvelar a Ciência e pretendendo constituir-se numa superação dos modelos anteriormente
existentes. O estudo coloca em questão a metodologia do ensino do modelo proposto, visando explicar sua origem e
principais características teóricas e técnico - operacionais. É realizada uma investigação histórico - retrospectiva,
onde é focalizada a trajetória profissional do autor, assim como dos grupos e instituições profissionais de que
participou, tendo como cenário as quatro últimas décadas de desenvolvimento do Ensino de Ciências e da
Educação Ambiental. A hipótese norteadora do estudo é que o modelo problematizado é fruto da evolução da idéia
de “planetização” (um jargão próprio) formulada no início da trajetória e depurada ao longo da mesma, servindo
simultaneamente de seu elo unificador e horizonte. A matriz analítica utilizada é constituída de quatro categorias: as
concepções de Ciência, Ambiente, Educação e Metodologia do Ensino, sendo esta última considerada uma
resultante das três primeiras. A suposição foi confirmada, mostrando-se o desdobramento da planetização em vários
sentidos e estágios de desenvolvimento, culminando no mais recente, onde aparece dando sustentação ao modelo
                                                                                                                   41


de Ciências focalizado, sob a forma de sete diretrizes metodológicas. A principal e original contribuição do modelo
preconizado parece situar-se no tratamento unificado das sete mencionadas diretrizes, que resulta numa particular
concepção educacional de Ambiente e Ciência, onde o Ensino de Ciências é entendido como Educação Ambiental.


016
AMBROZIO, Maria Lúcia.
   Outra óptica para o ensino de óptica. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1990. 2v.
   508p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Luis Carlos de Menezes).

RESUMO - Apresenta e discute uma proposta para o ensino de física no segundo grau, relativa ao conteúdo de
ótica. A proposta insere-se no projeto do Grupo de Reelaboração do Ensino de Física (GREF), sediado no Instituto
de Física da USP, que vem trabalhando na reconcepção dos conteúdos de física para o segundo grau e produção
de textos para o professor. A partir de uma visão crítica do atual sistema educacional brasileiro, concebe o ensino de
física vinculado a uma compreensão de situações reais, presentes tanto no cotidiano do cidadão como no sistema
produtivo. Defende e apresenta um tratamento para a ótica que lida com a natureza física da luz e com o caráter
prático da ótica na vida contemporânea. A proposta é comparada a outros projetos educacionais e textos didáticos
que abordam esse conteúdo. Apresenta, em Apêndice, um texto de ótica dirigido a professores de física do segundo
grau, elaborado no âmbito do projeto GREF.


017
AMORIM, Antônio Carlos Rodrigues de.
   O ensino de Biologia e as relações entre Ciência /Tecnologia /Sociedade: o que dizem os professores e o
   currículo do ensino médio?. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1995. 208p. Dissertação de
   Mestrado. (Orientador: Hilário Fracalanza).

RESUMO - Discute as relações entre Ciência/Tecnologia/Sociedade (CTS) e o ensino de Biologia no ensino médio.
Toma como referência as concepções de oito professoras sobre essas relações CTS e como elas se expressam na
sua prática em sala de aula, bem como as concepções presentes nos manuais didáticos e planejamentos de ensino.
A análise dos dados da entrevista foi derivada da escolha de três instâncias de análise: Apropriação do
Conhecimento Científico, Relação Pesquisa e Ensino, Relação entre Aulas Teóricas e Aulas Práticas. Em todas
essas instâncias, aponta diferentes perspectivas na interação entre Teoria e Prática. Reconhece a existência de
uma diferença entre o discurso e a prática das professoras no que se refere às interações CTS, ora havendo uma
aproximação. ora um distanciamento entre o idealizado e o realizado por elas. Conclui que a abordagem das
relações CTS que já existe no currículo de Biologia acontece sem que os elementos Ciência e Tecnologia sejam
contextualizados em uma específica Sociedade, o que geralmente não leva a um desenvolvimento da capacidade
crítica dos alunos frente aos diferentes papéis da Ciência e Tecnologia, a fim de garantir-lhes uma tomada de
decisões mais consciente. Identifica também que as estratégias utilizadas pelas professoras, no trabalho com os
alunos, oferecem pouca possibilidade para que eles venham a modificar concretamente a sua realidade, a partir de
um redimensionamento do significado das relações CTS.


018
ANDRADE, José Maurício de.
   Concepções alternativas em óptica. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1995. 156p. Dissertação de
   Mestrado. (Orientador: Décio Pacheco).
                                                                       o
RESUMO - Descreve as concepções alternativas de estudantes de 2 grau acerca da luz e do processo da visão.
Entrevista sete estudantes e aplica dois questionários a um total de 250 estudantes de escolas pública e particular
de Juiz de Fora -MG. As concepções alternativas apresentadas pelos sujeitos da pesquisa não diferiram muito
daquelas encontradas por Guesne com estudantes franceses e por La Rosa com estudantes italianos. Constata que
os estudantes são consistentes com a interpretação de que a função da luz é clarear o objeto mas ela (a luz) não
está diretamente envolvida com o processo da visão. Além disso, por fazer parte do cotidiano dos estudantes, a luz
não consegue chamar a atenção, por si própria, exceto em casos extremos da falta de luz ou de excesso de
claridade. Os estudantes não assimilam o comportamento dinâmico da luz e, embora utilizando o traçado de raios
luminosos e usando palavras como “entrar” e “chegar”, o máximo que eles conseguem é associar o movimento da
luz ao movimento da fonte luminosa; estes raios luminosos e estas palavras foram utilizadas no sentido
estático-geométrico. Os modelos alternativos sobre a luz e o processo da visão estão associados à chamada
“metodologia da superficialidade” onde o estudante interpreta o fenômeno superficialmente e em nível de sua
percepção imediata.


019
                                                                                                                 42


ANGOTTI, José André Peres.
  Solução alternativa para a formação de professores de Ciências - um projeto educacional desenvolvido na
  Guiné-Bissau. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1982. 282p. Dissertação de
  Mestrado. (Orientador: Luís Carlos de Menezes).

RESUMO - Na implantação de um curso de Ciências na Guiné-Bissau, a tarefa de Formação de Professores para
este curso (em oposição à idéia de "treinamento"), revelou aspectos de alcance amplo, cuja análise, ao lado da
descrição do trabalho, constitui a presente dissertação. A necessidade de uma prática experimental efetiva e do
desenvolvimento de um conceito unificador para o ensino de Ciências, assim como o problema da convivência e do
entrechoque de culturas, são aspectos cuja apreciação foi vital para o curso de formação, no âmbito sócio-cultural
em que se deu o projeto. Por outro lado, sua validade em diversos contextos brasileiros, mais do que plausível, é
clara.


020
ANGOTTI, José André Peres.
   Fragmentos e totalidades no conhecimento científico e no ensino de Ciências. São Paulo, Faculdade de
   Educação, USP, 1991. 233p. Tese de Doutorado. (Orientador: Luís Carlos de Menezes).

RESUMO - Analisa a tensão entre fragmentos e totalidades do conhecimento em Ciências Naturais e Tecnologia,
parte do conflito entre especialização e universalidade, tanto na criação científica quanto no seu ensinar-aprender.
Aprofunda a problemática do conflito parte/todo tanto no domínio epistemológico, quanto no pedagógico. Propõe a
adoção de conceitos supradisciplinares e unificadores para ancorar o tratamento didático-pedagógico desse
conhecimento. Justifica o tratamento de tais conceitos como ganchos teóricos que possibilitam articular
conhecimentos aparentemente distintos em níveis intra e interdisciplinares, minimizando o risco da fragmentação.
Apresenta e discute conceitos unificadores de primeira ordem - transformações e regularidades - e de segunda
ordem - energia e escalas. Mostra a importância de cada um dos conceitos levantados, apresentando exemplos de
aplicação didática. Indica as possibilidades de intervenção de forma coerente com sua proposta, nos diferentes
graus e níveis de ensino de Física e Ciências Naturais, na perspectiva da “ciência enquanto cultura”.


021
ARAGÃO, Jurandyr Gomes do.
   O ensino de Ciências na Região Metropolitana de Salvador e Recôncavo Baiano - condições de trabalho e
   caracterização docente. Salvador, Faculdade de Educação, UFBA, 1980. 236p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Maria Amélia Mattos).

RESUMO - Caracteriza o professor e o processo de ensino de Ciências do 1º grau, nas escolas da rede
administrativa estadual, em município da Região Metropolitana de Salvador e Recôncavo Baiano. Investiga as
condições do ambiente escolar quanto à disponibilidade de recursos materiais peculiares a este ensino, as
características profissionais e de atuação dos docentes. Aplica questionários à direção dos estabelecimentos de
ensino e outro a uma amostra estratificada de 107 professores, determinada através da seleção de 25 escolas
nessas regiões. Os resultados evidenciam que a efetivação do processo de ensino desta disciplina não vem
ocorrendo de modo eficiente, de acordo com o que preconiza a licenciatura e a legislação vigente relativas a este
campo de estudo, tendo em vista a precariedade das escolas. Verifica que os professores, ainda que a maioria seja
portadora de título universitário, não utilizam métodos e técnicas facilitadores da aprendizagem em Ciências,
caracterizando-se por uma prática pedagógica tradicional.


022
ARAÚJO, Carlos Henrique Medeiros de.
   Fermentação: um tema de reflexão no ensino de ciências. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1993.
   200p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Mansur Lutfi).

RESUMO - Estuda o tema fermentação sob enfoques diferentes, procurando caracterizar, além dos aspectos
tecnológicos que permeiam o fenômeno da fermentação, os aspectos históricos, sociais, econômicos. Caracteriza a
cidade de Ribeirão Preto-SP nos seus aspectos históricos, procurando localizar a fermentação como geradora de
várias atividades industriais e envolvendo um grande número de trabalhadores na produção de cerveja, panificação,
usinas de álcool e açúcar e destilarias. Em seguida, discute diferentes tipos de fermentações e a atuação de
microorganismos nestas atividades, ressaltando o aspecto econômico e ecológico da fermentação. Trata o
                                                                               o
conhecimento acadêmico relativo à fermentação numa atividade com alunos de 2 grau no Laboratório de Ensino de
Ciências (LEC). Estuda a fermentação alcoólica e láctica numa usina de álcool e açúcar e num laticínio,
respectivamente, caracterizando o modo de produção, a mão-de-obra e o mercado atendido por estas atividades
de trabalho, que envolvem o tema fermentação.
                                                                                                                    43




023
ARAÚJO, José Aparecido de.
   Conversando com imagens: tratamento de representações fixas de livros didáticos de Ciências. Campinas,
   Instituto de Psicologia, PUCCAMP, 1995. 127p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Eliana M. S. Rosado)

RESUMO - Realiza um estudo exploratório sobre o processo de leitura e interpretação de representações figurativas
                                                                       o
fixas de um livro didático de Ciências, por estudantes de escola de 1 grau, com enfoque na identificação dos
elementos utilizados e tipos de relações estabelecidas. Entrevista 24 alunos de uma escola de periferia de
Campinas-SP, a partir da observação de 3 pranchas contendo imagens retiradas de um livro didático de Ciências
utilizado na região. Os dados coletados foram tratados pelo método de análise de conteúdo e avaliados, quanto a
                              2
significância, pelo teste do X . Mostra que, no tratamento com imagens, os alunos são capazes de ler o dinâmico
através do estático, com tendência ao estabelecimento de relações de causa-efeito ligadas a experiências anteriores
e/ou entre os elementos/informações identificados nas imagens. Essas relações estabelecidas em sua maioria são
relações lógicas mas nem sempre coerentes com as expectativas ligadas ao assunto tratado.


024
ARAÚJO, Sandra Kelly de.
   Educação para a vida: uma proposta experimental de capacitação docente em Educação Ambiental através do
   rádio. Cuiabá, UFMT, 1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Germano Guarim Neto).
                                                                                                                a    a
RESUMO - Constitui uma proposta de capacitação docente em Educação Ambiental para professores de 1 a 4
            o                                                                               o
séries do 1 grau, integrando a Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Norte - 10 Núcleo Regional de
Ensino (NURE). Para o desenvolvimento da proposta, define como principal instrumento a veiculação sistemática de
programas radiofônicos apoiados por textos complementares, mediante os quais os professores previamente
inscritos podem conhecer a dinâmica ambiental local. Discute os fundamentos teóricos e práticos da Educação
Ambiental e apresenta sugestões didático-pedagógicas para subsidiar a incorporação da temática ambiental no
currículo escolar, por meio dos programas radiofônicos e dos textos complementares. Aborda problemas ambientais
locais numa experiência de capacitação docente em Educação Ambiental, usando métodos de educação a
distância. Ministra curso por meio de programas radiofônicos, abrangendo universo teórico-prático da Educação
Ambiental, as questões didático-pedagógicas escolares, bem como os problemas ambientais locais. Os programas
foram transmitidos aos domingos, com duração de uma hora cada, no período de setembro a novembro de 1994,
pela Rádio Caicó/AM. A abrangência dos programas dos professores inscritos estava circunscrita à cidade de Caicó
e outras cidades vizinhas totalizando 223 professores inscritos.


025
ARIAS, Asiel Villavicencio.
                                                               o
   Modelo para uma experiência de Ciências integradas no 1 ano do Ciclo Básico na Nicarágua. Campinas,
   Instituto de Matemática, Estatística e Ciência da Computação, UNICAMP, 1978. 95p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Luís Augusto Magalhães).

RESUMO - Elabora uma unidade de Ciência Integrada, através do conceito de Energia, correspondente ao
                o
programa do 1 ano do Ciclo Básico da Nicarágua. Utiliza como elemento didático para apresentar a atividade
escolar, os módulos instrucionais. Assim a unidade Energia foi constituída por oito módulos, cada um dos quais
apresentando conceitos relevantes da ciência, levando os estudantes à vivência de processos científicos e
                                                                                                              o
facilitando a avaliação do progresso através dos objetivos da unidade. Aplica a unidade nas quatro seções do 1 ano
do Ciclo Básico do Centro Experimental de Educação de Manágua durante os meses de março a junho de 1977. Os
resultados da aplicação foram avaliados mediante análises do rendimento no pré-teste e pós-teste aplicados aos
alunos acima mencionados. Faz também um controle da atuação dos estudantes através da observação dos
professores.


026
ARNONI, Maria Eliza Brefere.
   Ciências nas séries iniciais da escolarização: a construção do conhecimento. São Carlos, Centro de Educação e
   Ciências Humanas, UFSCar, 1992. 224p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria Aparecida Cória Sabini).

RESUMO - Realiza dois estudos: investiga o desempenho de crianças do Ciclo Básico em tarefas de classificação e
planeja, aplica e avalia uma proposta metodológica para o ensino de Ciências nesse ciclo, tendo como
epistemologia a teoria de Jean Piaget. Para isso, propicia condições para que a criança vivencie tarefas de
classificação por intermédio de jogos lúdicos, estabelecendo relações de identidade, de pertença partitiva e inclusiva
                                                                                                                    44


entre os elementos e suas classes. Desenvolve os conceitos relativos a Ciências a partir da possibilidade da criança
vivenciar atividades para depois contar, desenhar, dramatizar ou escrever o que vivenciou. Os resultados mostram
que as tarefas de classificação foram relevantes na construção das noções de Ciências. Mostram ainda que a
metodologia utilizada permitiu à criança adquirir o conhecimento não de forma memorizada, mas construindo-o de
maneira autônoma a partir da observação do meio.


027
ARRUDA, Miguel Augusto de Toledo.
   Análise dos objetivos das questões de Física nos vestibulares da FUVEST. São Paulo, Faculdade de
   Educação/Instituto de Física, USP, 1983. 122p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Sílvio Bruni Herdade).

RESUMO - Utiliza a Taxionomia de B.S. Bloom e outros (domínio cognitivo) para classificar e analisar os objetivos
educacionais inseridos nas questões das provas de Física dos exames vestibulares realizados pela FUVEST -
Fundação Universitária para o Vestibular, desde o do ano de 1977 até o de 1983. Avalia, desta maneira, o tipo de
ensino de Física nas escolas de 2º grau, endossado e promovido por essas questões do exame vestibular, que
exercem grande influência no ensino nesse nível. Discute ainda as funções do exame vestibular e propõe mudanças
que beneficiariam a todo o ensino.


028
ARRUDA, Ségio de Mello.
   Mudança conceitual na Teoria da Relatividade Especial. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação,
   USP, 1993. 123p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Alberto Villani).

RESUMO - Considera que alguns conceitos científicos são apenas parcialmente entendidos por muitos estudantes
da graduação em Física, sendo em conseqüência fracamente ligados às suas ecologias conceituais. Observa que o
postulado da luz da teoria da relatividade especial (TRE), por exemplo, apesar de sua inteligibilidade, não é plausível
para eles, sendo aceito principalmente devido à “pressão externa” da comunidade e à autoridade dos livros e do
professor. A TRE também não foi inicialmente plausível para a comunidade científica. Entretanto a teoria era
altamente consistente para Einstein. Um estudo do programa einsteniano por volta de 1905, revela que a hipótese
do quantum de luz e a teoria da propagação da luz foram os elementos centrais que a tornaram plausível para ele.
Baseado nesse fato histórico, propõe uma estratégia que parece apropriada ao ensino de conceitos contra intuitivos
como os da Física Moderna. Argumentos históricos, que tornaram os conceitos ou teorias plausíveis no passado,
são usados para aumentar o seu “status”. A estratégia é aplicada à TRE, em especial ao postulado da luz.


029
ASSUNÇÃO, Terezinha Fróes.
                                                o
   Caracterização do professor de Ciências do 1 grau no Estado da Bahia. Salvador, Faculdade de Educação,
   UFBA, 1976. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Delmar Ewaldo Scheneider).

RESUMO - Caracteriza o professor de Ciências do 1º grau em exercício no sistema educacional do Estado da
Bahia, segundo as competências exigidas para o ensino dessa área no 1º grau. Delineia um modelo teórico do
professor em questão com base em documentos legais - referentes à formação do professor de Ciências do 1º grau,
e ao currículo do 1º grau, particularmente da área de Ciências - e em literatura selecionada sobre teoria de currículo
e experiências curriculares da área de Ciências, em desenvolvimento em diferentes países. O modelo
fundamenta-se no tipo ideal de Weber e se constitui num quadro conceitual para interpretação de dados obtidos
através de entrevistas. Entrevista 81 professores de Ciências, graduados pela Universidade Federal da Bahia.
Revela coincidências entre algumas características e discrepâncias entre outras, dentre aquelas apresentadas no
modelo e identificadas pelas respostas. O volume de discrepâncias é maior do que o de coincidências. Aponta,
ainda, possíveis fatores responsáveis por tais discrepâncias.


030
ASSUNÇÃO, Washington Luiz.
   A Educação Ambiental como um processo interdisciplinar: uma experiência com a coleta seletiva de lixo na
   Escola Estadual Joaquim Saraiva: Uberlândia, MG. Uberlândia, Centro de Ciências Humanas e Artes, UFU,
   1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Regina Célia de Santis Feltran).

RESUMO - Objetiva avaliar e descrever, no ensino formal, em condições rotineiras de uma escola pública de 1º
grau, as reais possibilidades de introdução da Educação Ambiental, como um projeto interdisciplinar envolvendo
professores, profissionais administrativos, alunos e seus familiares. Em consonância com este objetivo maior,
estabelece outro a respeito da intervenção pedagógica privilegiando, entre outros temas possíveis, a coleta seletiva
                                                                                                                    45


de lixo. Utiliza uma análise descritiva dos procedimentos da pesquisa-ação, busca avaliar a consecução e o alcance
dos objetivos educacionais dessa intervenção voltada para os objetivos da Educação Ambiental. Como hipótese,
tenta verificar a necessidade do coordenador de Educação Ambiental para a ocorrência de ganhos qualitativos no
desenvolvimento de um programa interdisciplinar dessa natureza. A pesquisa demonstra a comprovação dessa
hipótese, além dos ganhos com a ação-intervenção, principalmente em relação aos objetivos educacionais do
trabalho de Educação Ambiental desenvolvido.


031
ATHAYDE, Marly Ignez.
                                                                           o
   Desenvolvimento, aplicação e avaliação de coursewares de Física para o 2 grau: uma experiência piloto. Rio de
   Janeiro, Faculdade de Educação, UFRJ, 1990. 197p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Marcos da Fonseca
   Elia).

RESUMO - No contexto do Projeto EDUCOM/UFRJ, analisa os processos de elaboração de courseware e de sua
                                   o
aplicação no ensino de Física no 2 grau, bem como avalia o material desenvolvido. O processo de elaboração dos
coursewares teve como característica principal o trabalho interdisciplinar que possibilitou uma rica troca de
                                                                                      o    o
experiência entre analistas e programadores, de um lado, e professores de Física de 2 e 3 graus, de outro. Os 29
coursewares elaborados pela equipe do Projeto no período de setembro de 1986 a dezembro de 1989, seguem, em
sua maioria, uma linha pouco explorada na área da Informática aplicada ao ensino da Física: além de terem sido
desenvolvidos visando seu uso inserido numa proposta curricular inovadora, não tinham como objetivo principal a
transmissão de conteúdo específico, mas sim a de desequilibrar e explorar as concepções alternativas dos
estudantes a respeito do mundo físico. Aplica os coursewares de Física durante os anos letivos de 1987 e 1988,
como parte do experimento piloto realizado pelo Projeto no Colégio Estadual Souza Aguiar, atingindo todos os
            as   as
alunos da 1 e 2 séries da escola. Avalia os coursewares quanto as suas qualidades intrínsecas, através de uma
                                                                                      o    o
ficha de avaliação respondida por professores de Física, usuários e não usuários, de 2 e 3 graus. Avalia também
a opinião dos alunos e dos professores sobre os efeitos do uso do microcomputador/courseware, respectivamente,
no aprendizado e ensino de Física. Conclui que o material foi considerado de boa qualidade (cerca de 80% de
aprovação), que a grande maioria dos estudantes gostou muito de usar o microcomputador durante o curso de
Física e que houve uma relativa influência positiva sobre o trabalho do professor em sala de aula. Apresenta ainda
dados que podem auxiliar as pesquisas na área de concepções alternativas, uma vez que foram registradas todas
as respostas dadas pelos estudantes durante sua interação com os coursewares.


032
AURANI, Katia Margareth.
                                                     a
   Ensino de conceitos: estudos das origens da 2 Lei da Termodinâmica e do conceito de entropia a partir do
   século XVIII. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1986. 115p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Amélia Império Hamburger).

RESUMO - Recupera elementos históricos do estabelecimento da 2ª lei da Termodinâmica e do conceito de
entropia, visando à utilização no ensino de Física. Discute teorias do calor do século XVII - flogístico, calórico - do
ponto de vista dos elementos principais que as caracterizam como formas, coerentes e diferentes, de pensar os
fenômenos do calor. A seguir, comenta textos originais de S. Carnot e R. Clausius. Destaca questões que se
relacionam à interação entre ciência e sociedade, à visão da ciência do cientista, e ao papel da instituição da lógica
e da matemática no desenvolvimento do conhecimento científico. Ao longo do texto, são feitos alguns comentários
concernentes às apresentações dos conceitos encontrados nos livros didáticos. Espera com esse trabalho, voltado
para a formação de professores, dar subsídios para uma maior aproximação entre os modos de pensar dos alunos e
o conteúdo apresentado em sala de aula pelo professor. Descreve uma experiência de utilização desses estudos
num curso de extensão universitária para professores de 1º e 2º graus. Como parte do curso, identifica e classifica
                               o     o
concepções de alunos de 1 e 2 graus sobre aspectos pertinentes à termodinâmica. Durante o curso, os
professores manifestaram boa receptividade às propostas e verificou-se efeitos positivos com relação ao objetivo
original deste trabalho, de proporcionar ao professor visão mais ampla sobre os conceitos de Física e, em particular,
maior familiaridade com o conceito de entropia.


033
AVANCINI, Margaret Busse.
                                                                                                                    o
   Estudo comparativo entre o ensino expositivo tradicional e o ensino individualizado na disciplina de Física no 2
   grau. Porto Alegre, Faculdade de Educação, PUC-RS, 1990. 122p. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Henrique Justo).
                                                                                                   a            o
RESUMO - Investiga a existência ou não de diferenças de aprendizagem por parte de alunos da 1 série do 2 grau
na disciplina de Física, tendo em vista a utilização de dois métodos de ensino. Aplica um pré-teste para verificar o
                                                                                                                   46

                                                                                   a        o
nível de conhecimento da disciplina, uma vez que os alunos são oriundos da 8 série do 1 grau e não haviam tido
aulas específicas de Física. O grupo experimental teve contato com a disciplina através do ensino individualizado,
tendo como introdução ao estudo do módulo um experimento. Enquanto isto, o grupo controle teve contato com a
disciplina através do ensino expositivo. Ao término da unidade, ambos os grupos foram submetidos a um pós-teste,
o mesmo do pré. Com os dados obtidos, foi realizado o tratamento estatístico através da análise de covariância,
constatando-se pequena diferença, estatisticamente significativa, em favor do grupo experimental.


034
AXT, Rolando.
   Uso de um minicomputador como recurso de ensino em simulação de experiências. Porto Alegre, Instituto de
   Física, UFRGS, 1983. 68p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: John D. Rogers).

RESUMO - Descreve um experiência sobre o emprego de um minicomputador como um novo recurso de ensino em
Física. Analisa os modos de utilização de um computador no ensino de disciplinas da área científica em geral e, em
particular, procura ilustrar aplicações desses modos em Física, através da descrição de experiências relevantes
desenvolvidas em outros centros. Emprega o modo simulativo no estudo de uma experiência sobre o movimento de
satélites artificiais, algo extremamente difícil de tornar acessível aos alunos por meios convencionais. A experiência
desenvolvida foi apresentada a um grupo de alunos de Física Geral utilizando o computador HP2100 do Instituto de
Física da UFRGS. Faz uma análise dos resultados em termos de eficiência e aceitação. Apresenta, também, um
levantamento dos custos de um equipamento apropriado para ensino, bem como uma avaliação dos custos deste
material, por hora por aluno, excetuando-se os operacionais.


035
AYDOS, Maria Celina Recena.
   Prática de Ensino de Química: uma experiência educacional dialógica. Florianópolis, Centro de Ciências da
   Educação, UFSC, 1990. 205p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: André Valdir Zunino).

RESUMO - Desenvolve uma experiência educacional dialógica na disciplina de Prática de Ensino do curso de
Licenciatura em Química de uma Universidade Federal. Busca subsidiar os licenciandos em possíveis ações
transformadoras, no ensino de Química nas escolas públicas, durante seus estágios supervisionados. O trabalho
enquadra-se como um “estudo de caso” com características de pesquisa-ação e poderá escutar “generalizações
naturalísticas”.


036
AYRES, Ana Cléa Braga Moreira.
   Confrontando teoria e prática na formação de professores para o ensino de Ciências. Rio de Janeiro, Centro de
   Teologia e Ciências Humanas, PUC-RJ, 1990. 190p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Menga Lüdke).
                                                                               o                 o
RESUMO - Trata da formação em serviço de professores de Ciências do 2 segmento do 1 grau. Considera a
relação entre a escola, a ciência e a sociedade, buscando caminhos que permitam colocar o ensino de Ciências na
perspectiva de construção de uma nova ordem social, adequada aos interesses das camadas populares. Analisa o
papel da Universidade na formação de professores e também a problemática específica da formação de professores
                  a     a
de ciências de 5 a 8 séries. Entrevista pessoas comprometidas em repensar o ensino de Ciências e observa o
trabalho do professor, buscando levantar pontos a serem considerados em futuras tentativas de intervenção na
prática dos professores de Ciências. Conclui que o ensino de Ciências deve estar baseado nos problemas concretos
em que vivem os alunos das camadas populares, com vistas ao entendimento e atuação na realidade em que
vivem. Conclui ainda que os principais problemas do professor são o desestímulo e o isolamento em que se
encontra na escola. Sugere que as atividades que visem uma transformação no trabalho do professor devem
procurar situá-lo dentro da problemática educacional que existe hoje, mostrando-lhe a importância do seu papel na
escola, incentivando uma postura de compromisso com o trabalho e criando espaços capazes de romper o
isolamento que a escola lhe impõe.


037
AZEVEDO, Anatália Borges.
   A compreensão do texto didático de Ciências - proposta para um esquema de melhoria. Campinas, Instituto de
   Matemática, Estatística e Ciência da Computação, UNICAMP, 1982. 197p. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Ezequiel Theodoro da Silva).

RESUMO - Analisa a situação educacional das escolas públicas de 1º e 2º graus, em especial as dificuldades de
leitura dos textos de Ciências apresentadas por alunos da 5ª série, propondo atividades de estudo para minimizar
                                                                                                                  47


estas dificuldades. Analisa 21 livros de Ciências de 5ª a 8ª séries, existentes na Biblioteca de Ciências do Colégio
de Aplicação da Universidade de Goiás, no período de 1979 a 1980. Com base em Pfromn Neto, a análise é feita
quanto à linguagem, ilustrações, conteúdo e metodologia dos livros. Sugere, então, formas de utilização destes
livros e cuidados que os professores devem tomar na sua aplicação. A seguir, desenvolve uma pesquisa de campo
com um grupo de alunos (entre 55 e 66 alunos) da 5ª série, ingressantes no referido colégio, em 1979. Trabalha a
partir de material bibliográfico disponível e de textos suplementares, além de laboratório, investigando o rendimento
escolar dos alunos e sua adequação à nova proposta de ensinar Ciências, ressaltando a leitura e compreensão do
texto, a redação própria dos alunos sobre os tópicos programados e a auto-avaliação do aprendizado. O trabalho em
sala de aula compreendeu os períodos letivos de 1979 a 1980. Assinala três pontos positivos de toda a experiência:
enfrentamento do tabu de que ler e redigir restringe-se à área de Comunicação e Expressão; a libertação de um só
livro-texto para o aprendizado; a interferência desse trabalho em outros componentes curriculares, principalmente
quanto ao processo de alfabetização.


038
AZEVEDO, Elisa Carneiro.
   Medida do desempenho em aulas práticas de laboratório de Química, na área psicomotora. Rio de Janeiro,
   Faculdade de Educação, UFRJ, 1988. 132p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Lígia Gomes Elliot).

RESUMO - Objetiva construir e validar instrumentos - fichas de observação - para avaliar desempenho de alunos em
aulas práticas de laboratório de Química. Levanta as habilidades básicas para o desempenho em laboratório.
Elabora e avalia as fichas em um pré-teste, reelaborando-as a seguir. Por fim, determina a validade e a
fidedignidade dos instrumentos construídos. Concluí que as fichas elaboradas - para avaliação formativa e para
avaliação somativa - possuem validade de conteúdo e seus itens apresentam um alto índice de fidedignidade.
Segundo o julgamento dos professores que aplicaram as fichas, estas apresentam qualidade de usabilidade, pois
permite aplicação à avaliação de desempenho em aulas práticas, finalidade a que se destinam.


039
BAEDER, Angela Martins.
   O ensino da ciência: uma reflexão a partir dos clássicos modernos. São Carlos, Centro de Educação e Ciências
   Humanas, UFSCar, 1990. 166p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Paolo Nosella).

RESUMO - Problematiza o ensino de Ciências, buscando o seu significado histórico, alertando para o vínculo entre
o ensino dos conhecimentos acumulados pela humanidade, a produção deles e a história, abordando tanto a
metodologia quanto a concepção da ciência nele interiorizadas. Realiza uma reflexão sobre esse ensino, com base
no estudo de textos clássicos modernos. Divide o trabalho em duas partes: 1) exposição de características do
conhecimento científico e da concepção de ciência, transparentes nesse ensino, pela apresentação de situações
                                                           a     a                    o
freqüentes nas aulas e em livros didáticos de Ciências (5 a 8 séries) e de BPS (2 grau); 2) levantamento de
alguns aspectos do método de conhecimento e de seu significado histórico, em textos de Descartes, Francis Bacon
e d'Alembert. Destaca, nessa parte, as críticas de Rousseau ao enaltecimento iluminista dos conhecimentos.
Sintetiza as questões suscitadas pelo estudo desses clássicos e aponta para a necessidade de se resgatar o
significado histórico-social do ensino de Ciências. Entre os limites mais marcantes deste ensino se destacam: a
pouca (ou nenhuma) importância que nele é dada ao próprio processo de produção do conhecimento científico e a
redução da complexidade que envolve os fatos e/ou fenômenos estudados. Propõe colocar a discussão do ensino
de ciências para um espaço mais amplo, onde se perceba que o conhecimento objetivo surgiu num momento
revolucionário e de luta pela igualdade entre os homens. Nesse momento, era possível reconhecer a ligação entre a
produção científica e a satisfação das necessidades do homem. Entretanto, a desvinculação entre conhecimento e
relações concretas já começava a se evidenciar, conforme alerta Rousseau. Destaca a necessidade de se repensar
o ensino das ciências, hoje, uma vez que sequer esse alerta penetrou nas salas de aula.


040
BAGNATO, Maria Helena Salgado.
                                                       a          o
   A contribuição educativa dos Programas de Saúde na 5 série do 1 grau. São Carlos, Centro de Educação e
   Ciências Humanas, UFSCar, 1987. 160p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Rosália Maria Ribeiro de
   Aragão).

RESUMO - Configura a contribuição que as atividades desenvolvidas nos Programas de Saúde traz para o cotidiano
                  a            o
dos alunos da 5 série do 1 grau, de diferentes origens sócio-econômicas. Realiza, num primeiro momento, uma
retrospectiva da Educação da Saúde enquanto área, tendo como material de consulta a análise de documentos (leis
e pareceres) que tratam das proposições legais deste tema. Num segundo momento empreende uma investigação
para identificar e explicitar a Educação da Saúde na sala de aula e a operacionalização de conceitos da saúde no
cotidiano dos alunos. Para isso, são realizados três estudos. No Estudo 1, identifica as tendências do
                                                                                                                 48


comportamento verbal do professor no desenvolvimento das atividades de Programas de Saúde, pela aplicação da
Escala de Promoção de Sucesso de David Aspy. No Estudo 2, investiga as condições sócio-econômicas e de saúde
dos alunos, através de informações por eles prestadas em questionário específico. No Estudo 3, identifica as
condições de higiene física dos alunos e higiene da habitação de suas famílias, através de observação direta.
Conclui que: a) o conteúdo de Programas de Saúde abordado em sala de aula sofre significativa redução, em
termos do que é proposto pelo Guia Curricular; b) há o predomínio do método expositivo para transmissão de
informações científicas, as quais estão mais relacionadas aos aspectos de doença que aos de saúde; c) a
exposição do conteúdo é realizada somente pelo professor, que se preocupa na maior parte do tempo em alcançar
os objetivos por ele determinados, desconsiderando as experiências que todo aluno apresenta sobre a questão; d)
as informações que os alunos recebem configuram uma visão fragmentada da saúde deslocada do contexto mais
                                                                       o
amplo e da realidade que estes vivenciam; e) o ensino da Saúde no 1 grau parece pouco influir nos hábitos e
atitudes de higiene, nutrição, esporte e lazer que as crianças apresentam; f) as influências dos familiares, da
comunidade e do meio ambiente parecem afetar os hábitos e atitudes de saúde dos alunos, quer estes sejam
adequados ou não, reduzindo, em grande parte, a incorporação e vivência do novo conhecimento da saúde.


041
BAGNATO, Maria Helena Salgado.
   Licenciatura em Enfermagem: Para quê? Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1994. 236p. Tese de
   Doutorado. (Orientador: Gilberta Sampaio De Martino Jannuzzi).

RESUMO - Analisa o porquê da criação da Licenciatura em Enfermagem (L.E.) no Brasil. Para tanto situa as
análises nos contextos histórico, político e econômico das décadas de 60 e 70, períodos que antecederam e
sucederam a L.E. Busca nas políticas sociais, em especial as de educação e de saúde, no emprego da força de
trabalho em Enfermagem nas instituições, na evolução dos cursos de Licenciatura e do saber de Enfermagem,
elementos que tragam contribuições para a compreensão e apreensão dessa temática. Analisa a dinâmica dos
fatos da área da saúde, do ponto de vista da saúde pública e da previdência social e as relações que estas políticas
estabeleceram com o mercado de trabalho em Enfermagem e com a L.E. Trata da evolução dos cursos de
Licenciatura no país, do surgimento da L.E. e do saber de Enfermagem difundido através dos currículos dos cursos.
Ressalta que as vicissitudes pelas quais passou o país naquele período (décadas de 60 e 70) interferiram, direta ou
indiretamente, de maneira incisiva nos rumos tomados pelo ensino de Enfermagem e na criação da L.E., trazendo
em seu cerne conseqüências de difícil enfrentamento.


042
BAPTISTA, Joice de Aguiar.
   Ensinando Química pesquisando heveicultura: relato de uma prática pedagógica de Educação Ambiental no
   segundo grau. Cuiabá, UFMT, 1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Ermelinda Maria de L. Freire).

RESUMO - Relata uma proposta de ensino-pesquisa interdisciplinar, executada em 1994 com alunos do 2º grau de
escola pública de Rondonópolis, MT. Resulta da preocupação de como deve ser o ensino, tentando romper com o
quadro de fragmentação e neutralidade característicos da forma curricular tradicional da disciplina Química. Teve
como desafio verificar se questões ambientais podem ser despertadas através do conhecimento de um produto - a
borracha natural - e das relações sócio-culturais que emergem para sua obtenção, dentro do atual modelo de
desenvolvimento. Contando com a participação dos alunos e professores da escola particular da agro-empresa
pesquisada, foi possível trabalhar com conceitos de capital, mão-de-obra, técnica e mercado, segundo a
metodologia de Lufti.


043
BARBIERI, Marisa Ramos.
                                                                               o
   Subsídios para o estudo do planejamento do ensino de Biologia em nível de 2 grau. Ribeirão Preto, Faculdade
   de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, USP, 1973. 115p. Tese de Doutorado. (Orientador: Dair A. F.
   de Camargo).

RESUMO - Estudo realizado com toda a população de professores de Biologia das escolas estaduais de Ribeirão
Preto, onde observa que a avaliação de provas seguem critérios subjetivos ou a chamada “equação pessoal” do
professor, na qual ele considera como relevante as atitudes do aluno em aula, e na verdade deveria avaliá-lo pela
capacidade de tomar decisões e, até que ponto os objetivos foram atingidos. Observa também que os professores
adotam critérios diferentes de avaliação para um mesmo conteúdo, há variação de notas entre os professores para
a mesma resposta, há variação de notas de um professor ao corrigir a mesma avaliação com respostas livres duas
vezes, e há variação nas notas em provas com itens objetivos. Discute as conseqüências destas variações para o
sistema educacional.
                                                                                                                 49



044
BARCELOS, Nora-Ney Santos.
   A Prática de Ensino de Biologia na Universidade Federal de Uberlândia: uma contribuição para a formação
   didático-pedagógica do biólogo. Ribeirão Preto, Centro de Pós-Graduação, UNAERP, 1991. 246p. Dissertação
   de Mestrado. (Orientador: Tirsa Regazzini Peres).

RESUMO - Relata uma experiência realizada entre 1988 e 1990, junto à disciplina de Prática de Ensino de Biologia
na Universidade Federal de Uberlândia - MG, ministrada pela própria pesquisadora. Apresenta a trajetória do atual
Curso de Ciências Biológicas - Licenciatura Plena, cujas origens remontam a 1970. Descreve os modos de
realização da Prática de Ensino de Biologia neste Curso, no período de 1978 a 1987, com realce para os pontos
críticos que então atingiam os Estágios Supervisionados, como a falta de autonomia dos estagiários e a
fragmentação do ensino em "aulas teóricas" e aulas práticas". O propósito de superar tais pontos críticos, com vista
à melhoria da formação didático-pedagógica do Biólogo - futuro professor, orientou a experiência descrita.
Favorecida pela introdução do Projeto Integrado em 1990, a experiência docente, descrita na forma de Unidades de
Trabalho, representa, em última instância, uma tentativa de integração das dimensões teórico-práticas da docência,
bem como um esforço em estabelecer um enriquecedor intercâmbio entre ensino e pesquisa.


045
BAROLLI, Elisabeth.
   Mudança de referencial e os modelos espontâneos de movimento. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de
   Educação, USP, 1989. 194p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Yassuko Hosoume).

RESUMO - Verifica a compatibilidade e a abrangência do Modelo Espontâneo de Movimento, proposto por Y.
Hosoume em 1986. Aplica parte do mesmo instrumento de pesquisa e da mesma metodologia utilizados pela
                                                                                                       o
autora, a uma nova amostragem, revelando que os estudantes de níveis mais baixos de escolaridade (1 grau), ao
                                        o    o
contrário dos níveis mais elevados (2 e 3 graus), apresentam características espontâneas não previstas pelo
modelo. Em face deste resultado, investiga as regularidades e os aspectos mais comuns e fundamentais que
caracterizam este nível particular de instrução. A articulação destas caracterizações resulta num quadro coerente
                                                                                             o
que permite compreender o significado atribuído pela grande maioria dos estudantes de 1 grau, ao movimento.
Destaca que dependendo do nível de instrução (quase diretamente ligado com a idade e estruturação conceitual),
modelos espontâneos diferentes são utilizados; as transições de um modelo para outro são caracterizadas por
análises de movimento que enfocam aspectos de naturezas distintas.


046
 BARRA, Vilma Maria Marcassa.
   A utilização de módulos de ensino como metodologia para a mudança de conceito e atitudes de alunos do curso
   de Habilitação para o Magistério com relação à Ciências e ao seu ensino. Curitiba, UFPR, 1982. 145p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Karl Michael Lorenz).

RESUMO - Verifica se uma determinada metodologia do ensino de Ciências pode ser proposta por meio de módulos
de ensino e apreendida dessa forma pelas alunas do curso de Habilitação ao Magistério, em nível de 2º grau. A
população estudada abrangeu 100 alunas da 3ª série do curso de Habilitação ao Magistério do Instituto de
Educação do Paraná, divididas em três turmas: A, B, C. Dessas, foram selecionadas aleatoriamente as turmas A e B
para participarem da pesquisa e, também aleatoriamente, foi designada a turma A, com 36 alunas, como Grupo
Experimental, e a turma B, com 34 alunas, como Grupo de Controle. Verifica o efeito do tratamento na mudança de
atitudes das alunas em relação à Ciências e ao seu ensino, utilizando o esquema de pesquisa quase-experimental,
com aplicação de pré e pós-teste. Para verificar o efeito do tratamento na atribuição de valores aos objetivos do
ensino de Ciências, utiliza o esquema de pesquisa quase-experimental, unicamente com aplicação do pós-teste. Ao
Grupo Experimental aplica quatro módulos de Didática de Ciências. Em cada módulo eram fornecidas as
seqüências de aprendizagem autônomas e completas em si mesmas, estruturadas de maneira a possibilitar o
domínio do conteúdo e obedecendo a um critério de complexidade crescente, em função dos objetivos instrucionais
estabelecidos no módulo. Conclui que o ensino por módulos produz uma mudança significativa nas atitudes das
alunas em relação à Ciências e ao seu ensino. Conclui, também, que o ensino por módulos produz os mesmos
resultados que o ensino tradicional quanto à atribuição de valores aos objetivos do ensino de Ciências e à mudança
de atitudes em relação à Ciências e ao seu ensino. É importante, porém, observar que, apesar de os resultados
obtidos pelo ensino modular não terem sido superiores aos obtidos pelo ensino tradicional, foram alcançados com
menor freqüência de atendimento do professor às alunas e em espaço de tempo menor, com uma economia
significativa de horas-aula e, sobretudo, atendendo ao ritmo próprio de aprendizagem de cada aluna. Os resultados
sugerem, ainda, que o ensino por meio de módulos pode ser utilizado com sucesso na formação de professores de
Ciências para turmas de 1ª à 4ª série, uma vez que se mostrou apropriado à aprendizagem de uma metodologia
capaz de propiciar uma mudança na atitude dos professores em relação à Ciências e ao seu ensino, bem como à
                                                                                                                50


formação do conceito de Ciências como um sistema de investigação. Em relação ao Projeto HAPRONT, os
resultados e as conclusões deste estudo sugerem a possibilidade de sua eficácia como programa de habilitação de
docentes em nível de 1ª à 4ª série, nas circunstâncias especiais em que o mesmo se desenvolveu, ou seja, nas
circunstâncias de ensino à distância.


047
BARRETO, Márcio.
   Newton e a metafísica: uma proposta de ensino de Física para o segundo grau a partir do resgate das origens do
   conceito de força à distância. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1995. 121p. Dissertação de
   Mestrado. (Orientador: Laymert Garcia dos Santos).

RESUMO - Pretende resgatar aspectos que, sobretudo no século XIX, foram colocados à margem do corpo da
ciência moderna. Investigando as origens do conceito de força à distância em Newton, mostra que há um vínculo
considerável entre ciência e religião nas pesquisas desenvolvidas no século XVII e, em especial, na obra de
                                                              o
Newton. Os conceitos físicos hoje abordados nas escolas de 2 grau teriam significado maior se fossem levados em
conta os aspectos religiosos presentes nas investigações científicas da Renascença. A alquimia de Newton, os seus
estudos bíblicos e sua religiosidade estão nas origens do conceito de força à distância que serve como metáfora
para uma intenção religiosa entre professor e aluno. Esse texto propõe um resgate dessas origens e um exercício
de religiosidade dentro da sala de aula.


048
BARROS, Maria de Lourdes Moraes.
   Observações sobre educação preventiva de acidentes em alunos da segunda a oitava séries de escolas no
   município do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Faculdade de Educação, UERJ, 1989. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Hilton José de Salles Fonseca).

RESUMO - Estudo baseado em amostragem feita em hospitais e escolas da cidade do Rio de Janeiro, por meio de
Boletins de Acidentes dos hospitais, questionários dirigidos a alunos e professores da 2ª a 8ª séries, entrevistas
com pais de alunos acidentados e com diretores de escolas. O estudo indica a importância do ensino preventi vo de
acidentes, considerando os seguintes aspectos: 1) o ensino preventivo de acidentes deve ser feito aos alunos e
também a seus pais; 2) a escola deve ser o centro coordenador de atividades do ensino preventivo de acidentes,
apoiada por outras instituições como Centros de Saúde, Corpo de Bombeiros etc.; 3) é necessária a provisão de
recursos audiovisuais específicos, para facilitar o trabalho dos professores e a aprendizagem dos alunos; 4) é
necessária a ajuda dos meios de comunicação de massa tais como o jornal, o rádio e a televisão.


049
BARROS, Sérgio.
   Educação Ambiental no CEFET-RJ: um diagnóstico. Rio de Janeiro, Faculdade de Educação, UFRJ, 1992. 154p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Jorge Ferreira da Silva).
                                                                                              o
RESUMO - Identifica qual o nível de conhecimento sobre meio ambiente dos professores do 3 grau dos cursos de
Engenharia do CEFET-RJ e de que forma estas informações são colocadas para os alunos, visto que os mesmos,
quando se formarem, serão aqueles que estarão construindo hidrelétricas, altos-fornos, torres de transmissão, entre
outros. Entrevista uma amostra dos professores divididos pelos diversos Departamentos que constituem o
Departamento de Ensino Superior do CEFET-RJ.


050
BARROS, Terezinha de Jesus Moraes.
   A relação corpo x natureza numa proposta de Educação Ambiental. Rio de Janeiro, Centro de Teologia e
   Ciências Humanas, PUC-RJ, 1995. 253p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Hedy Silva Ramos de
   Vasconcellos).

RESUMO - Tem como núcleo a questão de como fazer despertar no homem “uma consciência ambientalista”.
Constatando que a problemática ambiental não é distinta da crise existencial humana e que o todo corporal do
homem vem sendo seriamente afetado pelas constantes modificações ambientais, entende que somente uma
percepção profunda de sua integralidade e de sua interdependência com a natureza poderá motivá-lo para uma
efetiva ação preservadora. Apresenta então uma proposta de Educação Ambiental, de cunho interdisciplinar, para a
escola de primeiro grau, que trabalha a relação corpo x natureza, principalmente por intermédio da afetividade,
sensibilidade e criatividade. Procura mostrar como um educador-orientador ambiental, por intermédio de processos
de reflexão e vivência, bem como de aprofundamento teórico e avaliação da sua prática, pode promover a
                                                                                                                  51


sensibilização de crianças e jovens para as “coisas da natureza”. Considera, assim, que ao se despertarem
potencialidades energéticas individuais e criativas prepara-se o despertar do homem integral do futuro.


051
BASTOS, Cadmo Souto.
   Abordagem evolutiva e não-evolutiva no ensino de Ciências (Botânica Elementar). Rio de Janeiro, Faculdade
   de Educação, UFRJ, 1978. 67p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: não identificado).

RESUMO - No contexto do ensino elementar de Botânica, compara um curso dado a partir dos vegetais inferiores
                                                                                             o
com outro que se iniciou pelos vegetais superiores, em duas turmas da 8ª série do ensino do 1 grau do Colégio
Pedro II. A hipótese testada é a de que "há diferença no aproveitamento de alunos submetidos a um curso de
noções elementares de Botânica, ministrado com uma abordagem evolutiva, comparados com alunos submetidos
ao mesmo curso, mas ensinado com abordagem não-evolutiva. Utiliza um teste para amostras não correlacionadas
e compara o ganho médio dos dois grupos. Os resultados confirmam a hipótese, sendo favoráveis à turma que
seguiu a abordagem evolutiva. Recomenda que sejam feitas novas pesquisas nas quais se procure controlar os
elementos motivadores, aumente-se o número de aulas dadas e se trabalhe com turmas randomicamente
selecionadas.


052
BASTOS, Fernando.
   O conceito de célula viva no ensino de segundo grau. São Paulo, Faculdade de Educação, USP, 1991. 114p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Myriam Krasilchik).

RESUMO - Parte da observação de alunos do curso secundário, que possuíam um conflito cognitivo para o
significado de célula, relacionando somente as unidades constituintes da água, e não relacionando-a com
constituintes dos seres vivos e brutos. Descreve a evolução histórica do conceito de célula desde os antigos
                                                        a           o            o
filósofos gregos até o século XX. Entrevista alunos de 8 série do 1 grau e de 2 grau, de escolas estaduais,
caracterizando suas concepções a respeito de célula viva. Constata que a visão dos alunos é fragmentada e
deformada com relação ao conteúdo em questão. Afirma ainda que não há uma caracterização sucinta de célula
viva e de sua função em textos para leigos em Biologia. Apresenta sugestões para a transmissão desse conceito
pelos professores.


053
BASTOS, Wagner Gonçalves.
                                                          o
   Programa de Educação para a saúde para alunos do 1 grau. Rio de Janeiro, Faculdade de Educação, UFRJ,
   1989. 150p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Lyra Paixão).
                                                                                                                    o
RESUMO - Objetiva a elaboração e validação de um Programa de Saúde destinado a desenvolver, em alunos do 1
grau, hábitos de higiene, dentro da realidade do Município do Rio de Janeiro. O programa, a ser implementado por
professores de Ciências, visa melhorar os hábitos de higiene dos alunos e, conseqüentemente, seu nível de saúde.
Faz uma revisão de literatura com a intenção de identificar alguma iniciativa que servisse de ponto de partida para a
elaboração do programa objeto do estudo. Identifica um programa produzido pelo MEC em 1981. O Programa de
Saúde elaborado neste estudo foi estruturado em cinco unidades programáticas, cada uma delas relacionando o
homem com seus modos do morar e as condições de saúde daí resultantes. As unidades foram cobertas por meio
de estratégia de ensino que consiste em exploração de textos, por professores e alunos, e de tarefas específicas
destinadas aos alunos. Oferece sugestões para a avaliação da aprendizagem.


054
BATISTA, Irinéa de Lourdes.
   A concepção física de espaço e o ensino da Mecânica. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação,
   USP, 1993. 208p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria Regina Dubeux Kawamura).

RESUMO - Investiga o papel da História da Física no ensino da Mecânica e estratégias para sua utilização.
Desenvolve uma análise histórica e epistemológica da evolução do conceito de espaço e de sua importância no
                                                                                        o
ensino da Mecânica Clássica, tendo em vista particularmente os cursos básicos de 3 grau ou programas de
formação e atualização de professores. Para tanto, discute o conceito de espaço absoluto proposto por Newton e
realiza um levantamento das diversas concepções físicas de espaço ao longo da História, desde o pensamento
antigo até o final do século XIX. Revela a importância desse conceito na fundação da Mecânica enquanto elemento
estruturador, em contraste com o tratamento dado ao tema no ensino. Finalmente, discute o potencial da introdução
dessas discussões históricas no ensino, ilustrado através da elaboração de dois textos com objetivos específicos.
                                                                                                                  52


Pretende sobretudo mostrar a riqueza de um resgate conceitual para transformar a visão que os alunos têm da
Mecânica e, conseqüentemente, da Física.


055
BECK, Fábio de Lima.
   Ensino superior, ciência e tecnologia : concepção de ciência e de tecnologia dos alunos formandos da área de
   Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Campinas, Faculdade de
   Educação, UNICAMP, 1985. 240p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Dermeval Saviani).

RESUMO - Constitui um esforço para correlacionar Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, desde uma perspectiva
crítica. Parte da suposição de que os cursos de Ciências Exatas e Tecnologia, como integrantes da sociedade civil,
cumprem funções de reprodução da ordem dominante, reproduzindo diversos aspectos da sua ideologia. Realiza
uma investigação qualitativa, com utilização de uma amostra reduzida de sujeitos, entrevistas semi-estruturadas
feitas diretamente pelo investigador e análises intensivas das respostas obtidas. Conclui, em última instância, que a
universidade sob o ângulo analisado não atua nem como um aparelho ideológico destinado a reprodução massiva
de uma concepção ingênua da Ciência e da Tecnologia, nem como uma instância de formação de consciências
críticas a respeito do tema. O caráter insuficiente, heterogêneo e contraditório identificado no conteúdo das
respostas indica sim que, antes de tudo, a universidade funciona como um espaço de negações e de possibilidades,
reproduzindo, no seu interior, as contradições típicas da sociedade em que está inserida.


056
BEJARANO, Nelson Rui Ribas.
   Avaliação qualitativa em processos não-formais de ensino de Ciências: o Museu Dinâmico de Ciências de
   Campinas - SP. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1994. 236p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Carlos Alfredo Arguello).

RESUMO - O Museu Dinâmico de Ciências de Campinas desenvolve, há cerca de dez anos, atividades ligadas ao
ensino não-formal de Ciências, dirigidas a um público prioritariamente escolarizado. O estudo destaca as atividades
de curta duração, em função de sua constância durante todos estes anos, e por envolver a maior parte dos esforços
do corpo técnico e administrativo do Museu. Estas atividades envolvem tanto sessões do Planetário, quanto temas
diversos relacionados ao currículo das áreas de Ciências e Matemática, ou suas subdivisões curriculares, tais como:
Biologia, Física Geologia e Química. Avalia, de uma perspectiva qualitativa, as influências trocadas nesta relação
Museu/ensino-formal, bem como coloca esta experiência no âmbito dos paradigmas atuais do ensino não-formal e
da museologia moderna. Entrevista os professores representantes do corpo técnico-pedagógico do Museu, bem
como os professores que utilizam os seus serviços, em aspectos do ensino de Ciências, além, é claro, dos reflexos
por eles sentidos dessa relação. Conclui que os professores usuários, em grande parte, procuram o Museu para que
sejam oferecidas atividades, adaptando-as à realidade de sua escola. Alguns professores, após o contato com o
Museu, acabam por perceber a dimensão restrita do livro didático de Ciências. Uns chegam a admitir erros
conceituais nas publicações. Por outro lado, outros professores se utilizam das atividades para que seja dado um
contraponto real à dimensão abstrata dos livros. Salienta, por fim, que o Museu está procurando trabalhar com
aspectos da Proposta Curricular de Ciências, em situações que a escola hoje é deficitária.


057
BELLAVILLA, Eduardo Pablo.
   Educação Ambiental: um imperativo da nova relação homem-natureza. Niterói, Faculdade de Educação, UFF,
   1994. 119p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Gaudêncio Frigotto).

RESUMO - Analisa as concepções de Natureza presentes na história da civilização ocidental, desde a Europa até a
América Latina. Objetiva indagar como as Representações Sociais ao longo da história, incluindo a atualidade,
possibilitaram a construção de um conceito de Natureza que determina uma certa prática frente aos fatos e aos
fenômenos naturais. A partir desta compreensão, propõe a construção e/ou reconstrução do conceito de Educação
Ambiental, fundamentada no respeito à natureza, visualizando ao mesmo tempo as implicações políticas, sociais e
históricas do processo. Aborda, ainda, algumas correntes de pensamento sobre Educação Ambiental e como sua
problemática se produz e se estrutura no âmbito escolar.


058
BERNARDES FILHO, Rubens.
   Caos no trilho de ar: instrumentação para uma experiência didática. São Carlos, Instituto de Física e Química de
   São Carlos, USP, 1992. 132p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Dietrich Schiel).
                                                                                                                 53


RESUMO - Estuda a interação por meio de choques, entre um oscilador harmônico e um carro de trilho de ar
inclinado, análogo ao sistema descrito na literatura como bouncing-ball. A análise teórica e a simulação preveêm
estabilidade e bifurcação nas fases do oscilador em que ocorrem os choques, confirmados pela experiência. As
simulações indicam a ocorrência de caos, fato também confirmado experimentalmente. O sistema experimental de
aquisição de dados produzido permite a utilização no ensino de graduação. Os dados experimentais gerados pelo
sistema são coletados por uma interface de aquisição que trabalha acoplada a um microcomputador APPLLE II, e
transferidos para um microcomputador tipo IBM - PC, possibilitando uma análise rápida dos resultados obtidos. Os
programas de simulação permitem ao aluno realizar cálculos e gerar gráficos, variando os parâmetros de controle do
sistema.


059
BERNASIUK, Maria Emilia Baltar.
   Um estudo quase-experimental sobre o ensino de Física Aplicada à Biologia. Porto Alegre, Faculdade de
   Educação, PUC-RS, 1989. 144p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria Emilia Amaral Engers).

RESUMO - Procura averiguar se existe diferença quanto à atitude e aprendizagem cognitiva do aluno, em
conseqüência da metodologia de ensino utilizada. Para tal, dois enfoques distintos foram dados à organização dos
conteúdos abordados na disciplina de Física Aplicada à Biologia, oferecida no Curso de Ciências Biológicas da
PUC-RS. Aplica um teste de Mecânica a dois grupos, experimental e de controle, procurando detectar se os alunos
possuíam a concepção newtoniana a respeito de força e movimento. Paralelamente aplica uma escala de atitudes,
em relação a disciplina de Física Geral buscando verificar se o aluno possuía um posicionamento favorável ou
desfavorável com relação à disciplina da Física. O grupo experimental seguiu o enfoque que fundamentou a
metodologia de ensino proposta com base na teoria de Ausubel, considerando o resultado do teste de Mecânica
como ponto de partida para a instrução. Enquanto isto, o grupo de controle vivenciou, na maioria de suas atividades,
uma metodologia de ensino fundamentada na aprendizagem pela descoberta segundo Bruner. A coleta de dados foi
realizada antes e após a instrução, sem que os grupos fossem constituídos aleatoriamente. Os resultados obtidos
apoiam a metodologia fundamentada no enfoque de Ausubel, embora não tenha ocorrido uma grande diferença
entre as médias ajustadas dos escores obtidos tanto no teste sobre a concepção alternativa, quanto nos testes que
envolveram conteúdos de Física. Compara as médias ajustadas dos escores de atitudes dos dois grupos após a
instrução, não detectando diferenças estatisticamente significativas. Entretanto, verifica que, neste aspecto, ambos
os grupos aumentaram significativamente seus escores de atitude do pré-teste para o pós-teste.


060
BEZERRA, Paulo César.
   Extensão para um grande número de alunos e um modelo dinâmico probabilístico para o método Keller. Brasília,
   Instituto de Ciências Exatas, UnB, 1972. 63p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Luís Carlos Gomes).

RESUMO - Apresenta uma experiência de utilização do método Keller no 1º semestre de 1971, com alunos de
Ciências Exatas, Biomédicas e Humanas. Escolhe 570 alunos da disciplina Cálculo I e 536 alunos de Introdução à
Física. A primeira teve como livro-texto os cinco primeiros capítulos de Cálculo de E. Moise (Edgar Blucher, Ed.),
dividindo-se o curso em 17 unidades. A segunda utilizou os volumes II e IV de Física-PSSC (Edart, Ed.), sendo
dividido o curso em 12 unidades. Introduz duas características metodológicas no sistema de instrução programada:
o número de testes elaborados por unidade foi aumentado para nove e os alunos de uma disciplina foram divididos
em classes de 120 estudantes aproximadamente, sob orientação de instrutores (alunos de pós-graduação). Observa
que, apesar da atuação dos instrutores junto aos monitores de cada classe possibilitar um trabalho uniforme destes,
esta mesma atuação dos instrutores permite que as classes de uma mesma disciplina sofram diferenciações
qualitativas. Este efeito pode ser reduzido com reuniões semanais do professor do curso com os instrutores e
monitores de uma mesma classe. Apresenta, ainda, um modelo dinâmico probabilístico simples, que explica boa
parte do comportamento observado dos alunos nas disciplinas de Cálculo I e de Introdução à Física, programadas
pelo método Keller. Esse modelo serviu, também, de termo de comparação, permitindo uma análise mais profunda
do comportamento das classes. Assim, caracteriza, como um "curso fácil", o curso de Física para alunos de
Medicina e Engenharia, e como "difícil" o curso de Cálculo para alunos de Ciências Exatas e Biológicas.


061
BITTENCOURT, Diomar da Rocha Santos.
   Uma análise do Projeto de Ensino de Física - Mecânica. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação,
   USP, 1977. 151p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Ernst Wolfgang Hamburger).

RESUMO - Discute o surgimento de projetos de ensino de Física anteriores ao P.E.F., principalmente do projeto
norte-americano conhecido por PSSC. Descreve e analisa o processo de planejamento, elaboração e difusão do
P.E.F., principalmente de sua parte de Mecânica. Levanta e discute alguns problemas que surgiram neste processo.
                                                                                                                54


Finalmente, faz uma análise do material didático do P.E.F. de Mecânica e, por intermédio de uma pesquisa de
campo realizada em duas escolas de São Paulo, em 1975, identifica as dificuldades dos alunos na utilização do
capítulo 6, "Força, inércia e aceleração". Apresenta sugestões para uma futura revisão deste capítulo.


062
BITTENCOURT, Elizabeth Aparecida.
   Educação e Saúde no ensino básico: uma proposta holística na formação do professor. Salvador, Faculdade de
   Educação, UFBA, 1992. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Teresinha Froes Burnham).

RESUMO - A concepção predominante na prática da área de Saúde tem sido positivista desde sua origem em nosso
país, vinculada à preservação da economia mundial. Seus reflexos na educação se condensam num paradigma
mecanicista a que se reduziu o ser humano na prática da sala de aula. É trazida à tona esta parcela da pedagogia
tecnicista que se instala a partir da reforma do ensino de 1º e 2º graus, com a lei 5692/71, sob os nomes de
Programas de Saúde e de projeto de saúde escolar. Busca, na trilha histórica, a fundamentação para compreender
a realidade do ensino de Saúde hoje na escola.


063
BIZZO, Nélio Marco Vincenzo.
   Ensino de evolução e história do darwinismo. São Paulo, Faculdade de Educação, USP, 1991. 2v. 483p. Tese de
   Doutorado. (Orientador: Myriam Krasilchik).

RESUMO - Objetiva contribuir para os cursos de Biologia da escola secundária, focalizando o ensino de Evolução.
Estuda as concepções dos estudantes e as compara com alguns detalhes fundamentais do desenvolvimento das
teorias originais de Charles Darwin, bem como com escritos de quatro estudiosos de sua obra, que se mostraram
relevantes para os conteúdos escolares. Discute a presença do Homem no Origin of Species após pesquisas
realizadas com os manuscritos originais de Charles Darwin, particularmente com o capítulo 6 do “Longo Manuscrito”.
Apresenta livros escritos por Julian Huxley e Kettlewell, nos anos 60, e Richard Dawkins, mais recentemente.
Entrevista onze estudantes de nível secundário e aplica questionário a 192 estudantes, de maneira a explicitar suas
concepções após o ensino desse tópico. O livro didático utilizado nos seus cursos foi analisado, com o objetivo de
verificar se suas concepções errôneas poderiam ter sido confirmadas quando estudavam esse tópico. Analisa
também as recomendações de 19 Secretarias de Educação. Os resultados mostram pequeno entendimento das
teorias biológicas por parte dos estudantes. Assinala que existem algumas razões específicas para esses
resultados, uma vez que o conhecimento aparece distorcido nas escolas. Uma versão simplista do desenvolvimento
das teorias biológicas é apresentada aos estudantes, sem levar em consideração suas próprias concepções a esse
respeito. Versões que não são mais aceitas no campo acadêmico continuam a ser veiculadas por livros didáticos,
revistas de ampla circulação e livros destinados ao grande público. Destaca que novas estratégias de ensino se
mostram necessárias, bem como uma nova versão do desenvolvimento do darwinismo deveria ser oferecida aos
alunos. Nesse sentido, as obras de August Weismann e Herman Muller deveriam ser consideradas na reconstrução
do desenvolvimento das teorias biológicas entre 1837 e 1937.


064
BIZZO, Nélio Marco Vincenzo.
   Meninos do Brasil: Idéias de reprodução, eugenia e cidadania na escola. São Paulo, Faculdade de Educação,
   USP, 1994.171p. Tese de Livre Docência.

RESUMO - Explora as relações entre ciência/ética/cidadania tomando como referência o cenário escolar. A pergunta
central que o texto procura responder refere-se ao preparo dos estudantes de hoje para tomar decisões relativas à
clonagem de embriões humanos por exemplo, e o discurso eugênico de forma ampla. Traz um breve histórico das
idéias sobre reprodução sexual; são localizadas seis diferentes concepções de reprodução sexual, referidas
principalmente à obra de Aristóteles, Linneu, Scleiden, Darwin, Weismann e Morgan. Relata a origem e o
desenvolvimento das idéias sobre eugenia levando em consideração seu suporte matemático. O desenvolvimento
da regressão, método estatístico de vasta utilização ainda hoje, foi desenvolvido para a definição científica de
padrões raciais. Os pressupostos desse tipo de aplicação são discutidos. Em seguida, procurando acompanhar a
trajetória das teorias eugênicas, identifica a década de 1920 como referência importante e aponta o paradoxo
social-eugênico. Incluindo pensadores brasileiros, localiza na obra de Monteiro Lobato importante expressão da
imagem coletiva do brasileiro da época, e o entendimento que os líderes do movimento eugênico no Brasil tinham
sobre os efeitos hereditários das ações de saneamento. Investiga a ação dos eugenistas no seio das escolas,
                                                                                        a          o            o
principalmente na formação de professores. Identifica as concepções de estudantes da 5 série do 1 grau e de 2
grau, apresenta sugestões didáticas e discute as possíveis conseqüências políticas e sociais para a formação de
professores.
                                                                                                                   55



065
BLANCO, Jesuita Alvarado.
   Aplicação de Módulos com ênfase em Química, para estudantes do Liceu Vicente Lachner S. Campinas, Instituto
   de Matemática, Estatística e Ciência da Computação, UNICAMP, 1980. 139p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Ubiratan D'Ambrósio).

RESUMO - Apresenta um projeto denominado "Pacote Instrucional", baseado na metodologia "Aprendizagem para o
domínio", a qual proporciona uma ativa participação por parte dos alunos, permite a cada estudante avançar de
acordo com sua capacidade e interesse, proporciona, sistematicamente, uma avaliação formativa periódica, tanto
dos instrumentos utilizados como do aproveitamento dos estudantes e do trabalho do professor, faz com que a
maioria dos estudantes obtenham classificações mais altas e permite a individualização do ensino. O conteúdo do
Manual de Instruções do Projeto, apresenta-se em módulos auto-instrutivos, abordando os conteúdos
correspondentes ao primeiro trimestre do programa oficial de Química para o X ano. O projeto foi testado com 5
grupos de alunos do curso de Química do X ano, do Liceu Vicente Lachner S., Costa Rica.


066
BOAVENTURA, Yvone Inez Ricci.
   A natureza e a literatura infantil: um estudo de Educação Ambiental para a pré-escola através da literatura
   infantil. Cuiabá, UFMT, 1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Edinaldo Castro e Silva).

RESUMO - O homem, na atualidade, sinaliza uma vontade: estabelecer com o planeta Terra uma relação que
garanta a qualidade de vida. Para a fomentação de mentalidade que embase um relacionamento mais equilibrado
homem-mundo natural, incluindo-se a apropriação com consciência dos recursos naturais, a Educação Ambiental
mostra-se um dos caminhos mais propícios. Porém, para que esta tenha forma consistente e duradoura deve-se
privilegiar o processo ensino-aprendizagem a partir do seu início, ou seja, na educação infantil. A criança
pré-escolar, por sua vez, atravessa um momento crucial de vida e aprendizagem com características, interesses e
necessidades específicas que devem ser científicamente consideradas pela escola. Assim, o trabalho realiza um
estudo da Educação Ambiental por meio da literatura infantil, utilizando de linguagem, ao mesmo tempo lúdica,
atraente, inteligível à criança e que fala contextualizadamente da natureza, por enxergar nessa parceria amplas
possibilidades de predispor o pré-escolar à construção fértil e inteligente do saber ambiental. Privilegia a abordagem
construtivista e interdisciplinar, numa perspectiva aguçadora do sentido ético e da sensibilidade estética da criança.


067
BODIÃO, Idevaldo da Silva.
   Reflexões a respeito de um programa de aperfeiçoamento de professores de Física e pesquisa em ensino. São
   Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1993. 2v. 377p. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Jesuína Lopes de Almeida Pacca).

RESUMO - Trata de um programa de aperfeiçoamento de professores de Física, em serviço. A análise desenvolvida
procura compreender a evolução do programa, a partir dos movimentos dos envolvidos, quer sejam os
coordenadores, quer sejam os professores. Aprofunda aspectos da mudança profissional dos docentes
participantes, bem como de suas vinculações com as proposições da coordenação. Trabalhando “on line”, o
programa consegue construir uma forma própria de operar, obtendo resultados interessantes, que são comentados.


068
BOECHAT, Anna Pedreira.
   O perfil do professor de Ciências; um estudo na Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense.
   Niterói, Faculdade de Educação, UFF, 1979. 201p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Célia Lúcia Monteiro
   de Castro).

RESUMO - Traça o perfil do professor de Ciêncas, numa abordagem sobre o que a Universidade Federal
Fluminense vem fazendo. Evidencia que a formação do professor depende do preparo recebido na Universidade,
onde deve ser solicitado a dinamizar o "pensar científico", indispensável ao ensino das Ciências. Pesquisa de
campo, exploratória, em que se sobressaem as características e a metodologia científica, o suporte legal e as
contribuições psicopedagógicas atuais. Considera duas amostras no estudo: uma de docentes e outra de
licenciados, pertencentes aos Institutos de Matemática, de Física, de Química e da Faculdade de Educação da
Universidade Federal Fluminense. Aplica um questionário ao docente, para a seleção das características essenciais
ao preparo do professor de Ciências, com a finalidade de estruturar o questionário do licenciando, elaborado em
uma segunda etapa. No tratamento estatístico emprega o percentual e o qui-quadrado a nível de significância de
0,05. Os resultados evidenciam que os licenciandos não estão seguros de suas reais possibilidades quanto às
                                                                                                                56


características científicas selecionadas como necessárias à sua formação.


069
BOER, Noemi.
   Educação Ambiental em escolas de primeiro grau. Santa Maria, UFSM, 1993. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Neide Uchoa Xavier).

RESUMO - Aborda alguns aspectos da Educação Ambiental, fazendo referências às grandes conferências
internacionais realizadas pela ONU a partir da década de 70. Cita as bases legais de criação e implantação da
Educação Ambiental no Brasil. Tece considerações a respeito da educação e ensino e apresenta conceituações,
objetivos e finalidades da Educação Ambiental. Apresenta ainda os resultados de uma pesquisa realizada em cinco
escolas de Santa Maria-RS, que em 1991 e 1992 desenvolveram projetos nesta área. A pesquisa envolveu também
15 professores de primeiro grau e 15 alunos. Para cada uma das escolas pesquisadas, fez-se a descrição física e a
análise do projeto e/ou plano considerando os objetivos, as atividades e as estratégias de ensino usadas na prática
da Educação Ambiental. Os professores entrevistados opinaram sobre o comportamento do aluno diante das
atividades de Educação Ambiental, bem como sobre a contribuição desta na formação do aluno, na compreensão
da realidade e na solução de problemas ambientais. A participação dos alunos nesta pesquisa permitiu verificar
quais percepções de meio ambiente têm os alunos que recebem Educação Ambiental na escola.


070
BOLAÑOS, Edgar Suárez.
   El método de proyectos en la ensenanza de la Biologia Marina. Campinas, Instituto de Matemática, Estatística e
   Ciência da     Computação, UNICAMP, 1979. 133p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Oswaldo
   Frota-Pessoa).

RESUMO - Apresenta as atividades realizadas pelo autor durante o ano de 1978, na Escola de Ciências Biológicas
da Universidade Nacional, Costa Rica, as quais respondem à intenção de oferecer um curso sobre Introdução à
Biologia Marinha, baseado no método de projetos. Esse método pretende ser uma alternativa para sanar as
deficiências do método tradicional, aplicado ao ensino das Ciências. Descreve as etapas de tal método
(planejamento, execução e avaliação), apresentando, a seguir, o planejamento de três projetos referentes à Biologia
Marinha. Expõe detalhadamente a experiência realizada com um grupo de 12 estudantes no curso Introdução à
Biologia Marinha, baseado no Método de Projetos. São assinalados os planos do professor e dos alunos, as
atividades de laboratório, as excursões, os resultados da experiência e as conclusões obtidas.


071
BONANDO, Paulo Antônio.
                                              o
   Ensino de Ciências nas séries iniciais do 1 grau - descrição de um programa de ensino e assessoria ao
   professor. São Carlos, Centro de Educação e Ciências Humanas, UFSCar, 1994. 197p. Dissertação de
   Mestrado. (Orientador: Nivaldo Nale).
                                                                     o
RESUMO - Voltado para a ensino de Ciências nas séries iniciais do 1 grau, descreve e analisa a aplicação de um
curso de reciclagem, bem como o desenvolvimento de um programa de acompanhamento e assessoria ao professor
desse nível de ensino. Descreve o curso de reciclagem, fundamentos teóricos e os aspectos metodológicos relativos
à coleta de dados durante a implementação do programa de ensino. Relata as atividades desenvolvidas e a
participação dos professores nas mesmas. A seguir, descreve o procedimento e os resultados da implementação de
                                                               a    a            o
um programa de assessoria para o ensino de Ciências de 1 a 4 séries do 1 grau, programa este oferecido a
alguns professores voluntários. Aborda aspectos referentes a estratégia da aplicação de cursos seguidos de
programas de assessoria. Analisa os tipos de auxílios/contribuições que tais programas podem oferecer e discute as
concepções de assessoria detectadas nos professores que participaram do programa.


072
BONATTO, Maria Paula de Oliveira.
   Educação Ambiental em escolas públicas - fundamentos para o raciocínio ecológico. Rio de Janeiro, Instituto de
   Estudos Avançados em Educação, FGV, 1991. 291p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Circe Navarro Vital
   Brasil).

RESUMO - A urgente necessidade da ativação do equilíbrio ecológico, através da integração do homem aos
ecossistemas naturais, principalmente em países do terceiro mundo, requer uma revisão de valores sociais, políticos
e econômicos e uma reorganização do pensamento ocidental voltando-o para bases holísticas e dinâmicas. A
escola pública no Brasil, pode vir a ser uma peça fundamental neste processo, aproveitando-se deste movimento
                                                                                                                 57


para reestruturar as bases de seu sistema educativo. Para isto faz-se necessário que os professores conheçam, e
considerem em todas as disciplinas, os fundamentos das relações ecológicas na natureza, a integração do saber
formal, e o exercício de discussões que reconsiderem as funções de valores ético-sociais, tais como o bom e o
mau, a justiça, a identidade, a cidadania, a verdade e muitos outros. A combinação destes aspectos aplicados a
educação pode contribuir para a formação de pessoas que venham a propor novas opções de organização social.
Nestas, os conceitos de desenvolvimento e progresso estarão voltados para a qualidade de vida dos ecossiste mas
como um todo, e propiciarão a evolução do pensamento em bases mais ecológicas e concretas. Assim, as escolas
públicas estarão contribuindo para a capacitação de sociedades voltadas para uma convivência harmônica e
equilibrada com os ecossistemas naturais. O trabalho, direcionado a diretores e professores de escolas públicas do
  o    o
1 e 2 graus e do ensino universitário, pretende: a) sistematizar valores de sensibilização para os problemas
ambientais e de qualidade de vida; b) discutir um posicionamento educativo, político e ideológico mais consciente do
professor; c) apresentar ao professor informações de conteúdo ecológico; d) discutir experiências de educação
ambiental.


073
BORGES, Gilberto Luiz de Azevedo.
                                                                             o
   Utilização do método científico em livros didáticos de Ciências para o 1 grau. Campinas, Faculdade de
   Educação, UNICAMP, 1982. 2v. 380p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Newton Cesar Balzan).

RESUMO - Investiga se os livros didáticos de Ciências para o 1º grau, considerados de acordo com os guias
curriculares e vendidos no Estado de São Paulo em 1979 e 1980, estão organizados de forma a contribuir para que
os alunos desenvolvam um comportamento científico, através da habilidade de utilização do método científico.
                                                         a    a
Escolhe cinco coleções de livros-textos de Ciências de 1 a 4 série, e nove coleções de Ciências de 5ª a 8ª série
como objeto de estudo, procurando analisá-las quanto: a) as informações fornecidas pelo autor sobre
experimentação no laboratório, ciência e método científico; b) objetivos e metodologia que o autor considera
                                                 o
adequados para o ensino de Ciências para o 1 grau; c) estrutura do livro: quantidade de sentenças, questões,
atividades práticas com materiais improvisados ou não, exercícios; d) ao envolvimento do aluno nas resoluções de
questões, exercícios e atividades de laboratório. Estabelece, como síntese, que os livros didáticos não contribuem
efetivamente para o desenvolvimento do comportamento científico do aluno, em função de apresentarem: exercícios
e questões que exigem apenas memorização do conteúdo, atividades práticas demonstrativas de conceitos
previamente adquiridos, falta de adequação à idade do aluno e seu nível de escolaridade, falta de estímulo à
utilização do laboratório.


074
BORGES, Regina Maria Rabello.
   A natureza do conhecimento científico e a educação em Ciências. Florianópolis, Centro de Ciências da
   Educação, UFSC, 1991. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Arden Zylberstajn).

RESUMO - Realiza uma análise crítica das concepções relativas à natureza do conhecimento propiciadas por
cursos de formação de professores e sua relação com a educação em ciências. Parte de um levantamento das
disciplinas e bibliografias que permitem uma discussão epistemológica da natureza do conhecimento, junto a Cursos
de Licenciatura em Ciências, Química, Física e Biologia, no Rio Grande do Sul. Analisa as concepções de ciência
dos alunos concluintes desses cursos, identificando três concepções básicas: empirista, construtivista e indefinida,
com prevalência da primeira. Considera ainda as idéias dos alunos quanto a outros aspectos relacionados a
metodologia e desenvolvimento da ciência, mostrando que prevalece a aceitação da abordagem externalista, do
consenso entre cientistas e de uma metodologia flexível para as ciências. Procura relacionar essa análise com as
questões relativas ao processo de ensino-aprendizagem, discutindo a necessidade do debate sobre a epistemologia
da ciência entre alunos desses cursos e professores em serviço.


075
BOTAR, Eva Maria.
   Livros didáticos de Química : uma análise das percepções do estudante.             Distrito Federal, UnB, 1995.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: José Florêncio Rodrigues Júnior).

RESUMO - Objetiva apresentar o livro didático de Química, segundo as percepções de seu usuário, o estudante.
Parte da proposição de que um maior conhecimento acerca destas percepções permite avanços rumo à
demonstração e otimização da produção, análise e utilização do livro didático de Química. Inicialmente faz
entrevistas com os estudantes, por amostragem intencional e a técnica do incidente crítico (Flanagan, 1954). Deste
material, elabora um questionário aplicado por amostragem aleatória a alunos do curso de educação geral do ensino
médio da rede pública do DF. A análise dos dados segue um caráter exploratório e interpretativo dos significados
atribuídos pelo estudante-usuário do livro didático de Química com recursos qualitativos e quantitativos combinados,
                                                                                                                   58


tais como os da análise de conteúdo e da análise fatorial. Evidencia quatro fatores mais significativos: a) o caráter
didático do livro didático de Química; b) elementos condicionantes da importância do livro; c) aspectos de
praticidade; d) aspectos de aprendizagem criativa. Destaca a utilização dialógica do livro didático de Química, tanto
na sala de aula como fora dela. As entrevistas e os dados quantitativos sugerem uma ressonância entre as
percepções do estudante, as tendências contemporâneas de ensino das Ciências e a concepção de educação como
aprendizagem significativa da cultura.
________________________________________________________________________

076
BOTELHO, Affonso Celso Bazin.
                                                             o
   Proposta de uma metodologia para o ensino de Física no 2 grau. Rio de Janeiro, Faculdade de Educação, UFF,
   1988. 239p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Balina Bello Lima).
                                                                                               o
RESUMO - Trata da dificuldade apresentada pelos alunos no aprendizado da Física do 2 grau. Analisa quatro
fatores responsáveis por tal dificuldade: a) deficiência na área de Matemática; b) deficiência de leitura; c) falta de
capacidade de abstração; d) concepções prévias. Faz uma análise de cada um dos fatores e da forma como eles
afetam o aprendizado da Física. Apresenta uma proposta de solução, constituindo uma metodologia de ensino de
Física. Trata-se de uma metodologia construtivista, centrada no aluno, de caráter ativo e diretiva, no sentido em que
direciona os trabalhos segundo um alinhamento do que deve ser compreendido e dominado pelos aluno s e não no
sentido do que o aluno deve pensar ou como pensar. A característica fundamental da metodologia proposta é o
respeito às concepções prévias trazidas pelos alunos e a forma habilidosa com que as trata durante as atividades.
Usando uma linguagem simples e evitando o formalismo, geralmente utilizado no ensino da Física, apresenta uma
solução para a questão crucial do laboratório de ensino. A metodologia de ensino de Física proposta apresenta
textos próprios, material did
ático experimental adequado, além de toda sistemática de trabalho a ser seguida na sua aplicação. Foi utilizada no
                                         o          o
ensino da Estática, em duas turmas de 2 ano do 2 grau do Grafite-Vestibular e Colégio, na sede Grafite II, tendo os
resultados obtidos sido analisados isoladamente, e também comparados com outros resultados obtidos por essas
mesmas turmas, no aprendizado de outros conteúdos da Física, desenvolvidos segundo a metodologia tradicional,
pelo mesmo professor.


077
BOTTAN, Elisabete Rabaldo.
   A prática de ensino do curso de Ciências numa abordagem problematizadora: uma proposta utópica.
   Florianópolis, Centro de Ciências da Educação, UFSC, 1990. 176p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: José
   Erno Taglieber).
                                                                                                   o
RESUMO - Apresenta a trajetória de uma proposta de Prática de Ensino da Licenciatura de 1 grau em Ciências,
numa “abordagem problematizadora”, desenvolvida durante um ano letivo, junto a uma escola da rede estadual. A
proposta orienta-se nos princípios da “Educação Problematizadora”, defendida por Paulo Freire. A prática docente
embasada no pensamento freireano privilegia as situações vivenciadas pelos educandos, o diálogo entre educador
e educandos, a reflexão crítica e a reconstrução coletiva do conhecimento do educando, pelo próprio educando.
Fornece subsídios para as discussões sobre a formação de um educador comprometido e competente. Conclui que
a prática educativa problematizadora favorece a aprendizagem dos alunos, tornando-os questionadores, atuantes,
participativos. Daí porque dizê-la transformadora.


078
BRAGA, Alexandre Magno F.
   A reviravolta do lixo. Rio de Janeiro, Centro de Teologia e Ciências Humanas, PUC-RJ, 1993. Dissertação de
   Mestrado. (Orientador: Pedro Benjamin Garcia).

RESUMO - Investiga a problemática do lixo segundo a ótica da Educação Ambiental. A partir do balanço
crítico-reflexivo do colapso civilizacional, dos discursos de Desenvolvimento Sustentável e da Ecopolítica. Privilegia
as referências sócio-políticas e ético-culturais, examinando o marketing ecológico, a qualidade de vida e a
cidadania. Pondera o contraditório e o eufemístico panorama existente e destaca a relevância de diversas
propostas, em especial, o caso do Projeto "A Natureza da Paisagem", promovido no curso de Formação para o
Magistério, no Sambódromo.


079
BRAGA, Marco Antônio Barbosa.
   Educação, ciência, tecnologia e produção: a educação científica como ideologia na formação dos trabalhadores
   técnicos. Rio de Janeiro, Centro de Teologia e Ciências Humanas, PUC-RJ, 1991. 137p. Dissertação de
                                                                                                                     59


   Mestrado. (Orientador: Pedro Benjamin Garcia).

RESUMO - Parte de um estudo histórico sobre a origem da ciência moderna (racionalidade técnica), procurando
mostrar que sua consolidação como sistema de produção de conhecimentos foi um processo simultâneo à
ascensão da sociedade burguesa. Este fato definiu um novo perfil para a educação científica no século XIX. A
confrontação deste estudo com as representações dos estudantes sobre as relações entre ciência, tecnologia e
produção mostra o caráter ideológico da educação científica. Procura indicar caminhos para a construção de uma
perspectiva histórico-filosófica para a educação científica.


080
BRANCO, Filinto dos Anjos Souto.
                                                                   o
   A persistência do senso comum no profissional de Ciências do 1 grau. Niterói, Faculdade de Educação, UFF,
   1991. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Lúcia Maria Moraes Moyses).
                                                                                         o
RESUMO - Verifica a persistência do senso comum no professor de Ciências do 1 grau e a influência da sua
formação acadêmica na compreensão do conhecimento científico. Verifica se há diferença em relação ao
conhecimento dos conceitos científicos entre professores que lecionam nas escolas públicas e nas particulares.
Utiliza como referência teórica a epistemologia genética de Piaget e a psicologia cognitiva de Vygotsky e Ausubel.
Traça um paralelo com a história da Ciência e analisa as dificuldades da mudança conceitual e a construção dos
modelos científicos na história do indivíduo. Conclui que há persistência do senso comum, existindo diferença entre
                                 o
professores com formação de 2 grau e aqueles com formação superior e a existência de diferença entre os que
lecionam na escola pública e os que lecionam na escola particular.


081
BRANDÃO, Sônia Maria Miranda.
   As operações mentais e a aprendizagem da Física Teórica. Rio de Janeiro, Instituto de Estudos Avançados em
   Educação, FGV, 1982. 123p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Circe Navarro Rivas).
                                                                   o
RESUMO - O ensino dos princípios de Física nas escolas de 1 grau oficial tem se mostrado ineficaz no que diz
respeito ao preparo do aluno para compreender a Física do 2º grau, dificultando a integração do indivíduo na
sociedade tecnológica contemporânea, quer no acesso a um mercado de trabalho de mão-de-obra especializada,
                                                                                                               o
como técnico, quer como candidato ao ensino de 3º grau. Estes princípios da Física lecionados nas escolas de 1
grau requerem para a sua compreensão, além do domínio do pensamento concreto, o do pensamento formal. Com
                                                                          o
isto em vista, realiza uma pesquisa com alunos de 7ª e 8ª séries do 1 grau e alunos da 2ª série do Curso de
Formação de Professores e verifica que esses sujeitos não haviam dominado as operações concretas nem tinham
ainda atingido o início do pensamento formal. Conseqüentemente, a aprendizagem dos princípios de Física que lhes
são ministrados acha-se seriamente comprometida, fazendo-se necessária uma mudança de atitude do professor
frente aos alunos, a fim de desenvolver o seu raciocínio, propiciando uma aprendizagem efetiva.


082
BRANQUINHO, Fátima Teresa Braga.
   Uma política de educação em ciência. Rio de Janeiro, Instituto de Estudos Avançados em Educação, FGV, 1992.
   149p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Jorge Ferreira da Silva).

RESUMO - Analisa uma experiência educacional iniciada a partir de um convênio entre a UERJ e a FIOCRUZ,
propiciando a formulação de uma política de educação voltada para a melhoria da formação básica em ciência. A
preocupação com o tema justifica-se pelo fato de que as sociedades científicas atuais impõem uma exigência para
que seus indivíduos compreendam e participem das discussões que determinam os rumos tomados por essas
sociedades: saber ciência. A cibernética e as ciências de cognição, raízes da última Revolução Científica, cederam
o paradigma holográfico para embasar a concepção da educação usada como fundamento para a política
                                                                            a
formulada. Descreve o Programa Vocação Científica para alunos da 1 série do Colégio de aplicação da UERJ,
consistindo de projetos de iniciação científica extracurriculares, realizados na FIOCRUZ em convênio com a UERJ.
Formula, finalmente, elementos norteadores para o estabelecimento futuro de uma política de melhoria da formação
científica, cujo objetivo principal é tornar os jovens mais conscientes do seu tempo e capacitá-los, assim, a interferir
nos rumos da sociedade.


083
BRAUN, Edy das Graças.
                                                                                                                o
   Entre o dito e o feito um lugar para o conceito - o espaço e o tempo no processo de ensino-aprendizagem no 2
   grau. Guarapuava - PR, Universidade do Centro-Oeste, Campinas, UNICAMP, 1995. 208p. Dissertação de
                                                                                                                  60


   Mestrado. (Orientador: Newton Aquiles Von Zuben).
                                                                                                 o
RESUMO - Considera o desejável para a aprendizagem das disciplinas de Física e História no 2 grau, expresso na
Proposta Paranaense vigente até o ano de 1992. Os dados da pesquisa permitem construir um referencial, mediante
a comparação realizada entre as transcrições, os filmes das aulas e os textos didáticos com o discurso do professor,
tanto de sala de aula como das entrevistas relativas à compreensão do processo de ensino-aprendizagem, na
perspectiva da proposta em vigor. Na consideração dos dados, os professores revelam não conduzir
deliberadamente para a aprendizagem, o seu trabalho. Do mesmo modo não explicitando a dinâmica da produção
do conhecimento sistematizado, nem transformando-o em instrumento de ensino ou informação para o aluno. O
professor demonstra ter abandonado o modelo tradicional de ensino, porém parece não estar em condições de
operar com os novos significados e metodologias indicados na proposta. Esta situação se revela às vezes como
resistência, noutras como desconhecimento do conteúdo, de uma teoria de aprendizagem ou da influência que
exerce sobre os alunos. O professor concebe o espaço como definido, pois consegue mais facilmente visualizar
seus limites, enquanto o tempo é causa de boa parte dos seus problemas.


084
BRAUNA, Rita de Cássia.
                                             o
   Em busca de novos rumos para a Física do 2 grau. Rio de Janeiro, Centro de Teologia e Ciências Humanas,
   PUC-RJ, 1990. 177p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Menga Lüdke).

RESUMO - Procede a uma reflexão crítica sobre a prática convencional do ensino de Física, com base na
epistemologia de Bachelard, buscando subsidiar o ensaio de uma proposta de ensino mais crítico e criativo. Verifica
                                                                  o
a possibilidade de se desenvolver o ensino desta disciplina, no 2 grau, em escolas pública estaduais do município
do Rio de Janeiro, de acordo com uma concepção mais atual de ciência, que focaliza a construção do conhecimento
numa perspectiva construtivista. Conclui ser possível a efetivação de tal prática; no entanto, é preciso que se tenha
em mente que qualquer tentativa de inovação neste grau de ensino deve levar em conta as idéias pré-concebidas
que os alunos têm a respeito do processo de construção do saber em Física, o que provoca fortes resistências a
uma prática inovadora.


085
BREUCKMANN, Henrique.
   Inovações no ensino de Ciências: estudo de um projeto. Porto Alegre, Faculdade de Educação, UFRGS, 1990.
   164p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Juan Antônio Tijiboy).

RESUMO - Estudo de caso relativo a uma proposta de melhoria no ensino de Ciências, desenvolvida na região do
Alto Uruguai Catarinense. Analisa alguns aspectos da experiência vivida pelo autor, como coordenador do Projeto
Melhoria do Ensino de Ciências, financiado pelo SPEC/PADCT, com o objetivo de contribuir para a otimização das
ações em empreendimentos desta natureza. Dentro da problemática do ensino de Ciências, coloca duas questões,
referentes à caracterização do processo inovativo e à relação entre o ensino ministrado nas escolas e a percepção
das pessoas a respeito, respectivamente. Os dados foram coletados através de observações, análise de
documentos, entrevistas, conversas e debates, no período de 1988-1989. Estabelece pontos de consenso e pontos
de conflito nas respostas à ambas as questões apresentadas. Verifica que o Projeto foi inovador dentro das
limitações ditadas pelo seu contexto, e pode ser levado a termo em função da flexibilidade adotada nos objetivos e
procedimentos. Considera que a diversidade das percepções atua como elemento provocativo e serve como
indicador para manter o processo em equilíbrio entre a resistência e a participação. Deixando-se em aberto este
processo, os participantes tendem a assumi-lo, reinterpretá-lo e partir para a criação de alternativas sempre novas,
que garantem a sua continuidade.


086
BROSS, Ana Maria Marques.
   Recuperação da memória do ensino experimental da Física na escola secundária brasileira: produção, utilização,
   evolução e preservação dos equipamentos. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1990.
   193p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Fuad Daher Saad).

RESUMO - Analisa a evolução histórica do processo de produção e utilização do material experimental utilizado no
ensino secundário de Física, particularmente no Brasil. Recupera o desenvolvimento do ensino experimental de
Física nas escolas superiores e sua gradativa passagem para o ensino secundário. Resume também as diversas
formas de abordagem do laboratório didático, sob a ótica da relação aluno-instrumental-professor, verificando num
primeiro momento a adequação do aluno ao instrumental e, posteriormente, a reversão desta ordem quando o
instrumental passa a ser planejado em função do aluno. Devido à falta de documentação escrita sobre a produção e
utilização dos equipamentos, desenvolve uma metodologia específica baseada na análise museológica de artefatos,
                                                                                                                61


de modo a extrair informações dos próprios aparelhos utilizados nos laboratórios. Para uma interpretação completa,
recupera fatos relevantes do macro-contexto do sistema educacional brasileiro, com particular atenção ao ensino
secundário de Física. Finalmente, através da união da análise museológica e do estudo mais detalhado do ensino
experimental de Física no Brasil, estabelece os momentos de ruptura dos processos de produção e utilização dos
equipamentos, analisando os fatores que influíram para tais mudanças.


087
BRUZZO, Cristina.
   Em nome da saúde ... da ordem e do progresso: discurso e prática dos médicos do Serviço Sanitarista paulista
   no final do século XIX. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1988. 172p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Milton José de Almeida)

RESUMO - Busca relatar como a higiene emergiu no espaço escolar e urbano, no Estado de São Paulo, no último
quartel do século XIX. Durante os primeiros anos do governo republicano paulista, a saúde da população urbana
mereceu atenção especial. O discurso sobre a higiene, voltado para os alunos da escola pública, como aquele
voltado à população urbana, acentuava a responsabilidade individual com os problemas sanitários. Examina os
relatórios dos médicos higienistas do século passado, percebendo sua visão das condições sanitárias no meio
urbano e de sua atuação nas cidades paulistas. Sua concordância com as diretrizes do poder público que, na
época, procurava se consolidar, por um lado resultava numa ação de conformidade com o governo e, por outro,
embaçava a atuação responsável e dedicada de um corpo médico que reforçava a imagem do Estado
comprometido com a população.


088
BUCHWEITZ, Bernardo.
   Estudo sobre os métodos Keller, audiotutorial e de estudo dirigido em Física. Porto Alegre, Instituto de Física,
   UFRGS, 1975. 129p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Anildo Bristoti).

RESUMO - Descreve uma experiência em que diferentes sistemas de ensino, usados em Física Geral na UFRGS,
são comparados. Dois destes métodos empregados, o Keller e o audiotutorial, são descritos e é incluído um resumo
de resultados com eles obtidos em outros trabalhos. Compara dois grupos, um egresso do sistema de ensino
tradicional e outro do sistema Keller, quando ambos são submetidos a cada um dos métodos: Keller, audiotutorial e
de estudo dirigido em grupo. Os sistemas Keller e audiotutorial também são comparados entre si, separadamente.
Procura avaliar o método Keller associado com o auditutorial, considerando o conhecimento adquirido, o número de
testes realizados por unidade, o tempo de curso, o índice de aprovação e a opinião dos alunos. Também avalia a
opinião dos monitores e dos professores sobre diversos aspectos relacionados com o método Keller. Fornece
indícios para algumas conclusões que podem trazer contribuições para futuras escolhas de procedimentos e de
sistemas de ensino e, ao mesmo tempo, levantar questões que merecem ser investigadas futuramente.


089
CABRAL, Norma Menezes.
   Uma alternativa de curso de treinamento de professores do 1º grau em Programas de Saúde. Campinas, Instituto
   de Matemática, Estatística e Ciência da Computação, UNICAMP, 1980. 232p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Eda Coutinho Barbosa).
                                                                                      a    a
RESUMO - Apresenta uma proposta de Curso de "Treinamento" de Professores de 5 a 8 séries do 1º grau, em
Programas de Saúde, utilizando a escola como instrumento de mudança. Propõe, a partir do curso, o
desenvolvimento de projetos de Educação da Saúde, precedido pelo diagnóstico da comunidade e
acompanhamento da ação do professor "treinado" após o curso. A metodologia utilizada no curso baseou-se em:
melhorar a eficácia da escola em Programas de Saúde através do aumento do sentimento de eficácia dos
participantes nos projetos com e na comunidade (professores, diretores, alunos e representantes da comunidade);
promover a integração dos professores e membros da comunidade através do desenvolvimento de atividades
conjuntas, fazer das necessidades da comunidade a razão central dos projetos, incentivar a realização de
experiências que oportunizem a prática democrática através da tomada de decisão, execução e avaliação das
atividades desenvolvidas. Coleta dados antes, durante e após o curso. Os resultados indicam que as estratégias
utilizadas foram bastante positivas, embora algumas variáveis tenham dificultado o sucesso total da alternativa
proposta para o "treinamento" de professores em Programas de Saúde. Por ter verificado que a escola constitui o
maior entrave às mudanças pretendidas, sugere que seja criado, em cada comunidade, um Conselho de Saúde da
Comunidade, como centro gerador de mudanças em Educação e Saúde. Este conselho deve ter representantes da
Secretaria de Educação através das Coordenadorias Regionais, da Secretaria da Saúde através do médico,
dentista, enfermeiro da comunidade, das universidades, das escolas (diretor, professor e alunos) e da comunidade
em geral.
                                                                                                                 62




090
CABRAL NETO, Antônio.
   O avesso da reforma de ensino de Ciências em Natal, Rio Grande do Norte. Rio de Janeiro, Faculdade de
   Educação, UFRJ, 1980. 117p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Lília da Rocha Bastos).

RESUMO - Avalia em que medida os objetivos contidos na Proposta Curricular da Secretaria de Educação e Cultura
do Estado do Rio Grande do Norte, para o ensino de Ciências Físicas e Biológicas, das duas últimas séries do
             o
ensino de 1 grau, estavam sendo alcançados pelos alunos. Simultaneamente, procedeu à caracterização do
                                                                     a     a
processo de ensino de Ciências adotado pelos professores nas 7 e 8 séries, na cidade de Natal. Testes de
rendimento foram construídos, assim como um questionário para caracterização do processo de ensino de Ciências.
Os testes cobriram todos os objetivos da proposta curricular e o questionário coletou informações quanto às
seguintes variáveis do processo de ensino de Ciências: qualificação de professores, métodos e técnicas adotadas e
assistência técnico-pedagógica prestada aos docentes. A amostra totalizou 828 alunos e o tratamento dos dados
fez-se por estatística descritiva. Participaram ainda, do presente estudo, sete professores que ministravam aulas
para os alunos constituintes da amostra. Os resultados obtidos demonstraram que é baixo o número de alunos que
dominaram os objetivos da proposta curricular de Ciências físicas e Biológicas. Os fatores que parecem prejudicar o
alcance desses objetivos dizem respeito, principalmente, à inadequação da qualificação de professores, da
metodologia de trabalho adotada e da assistência técnico-pedagógica.


091
CADEI, Marilene de Sá.
   Uma perspectiva de construção da cidadania: Educação Ambiental no Curso de Formação de Professores. Rio
   de Janeiro, UERJ, 1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Luís Cavalieri Basilio).

RESUMO - Investiga a situação da Educação Ambiental dentro do Curso de Formação de Professores, justificando
a sua implantação como a perspectiva de luta, para a construção de uma real e irrestrita cidadania. Em uma breve
caracterização da Educação Ambiental, revê conceitos como meio ambiente e cidadania, além de discutir os modos
pelos quais estes conceitos foram construídos ao longo da história e incorporados por professores e
professorandos. Propõe, ainda, algumas medidas que, se adotadas, possibilitariam ter como perspectiva da
construção da cidadania a Educação Ambiental no Curso de Formação de Professores.


092
CAFAGNE, Anildes.
   Concepções alternativas em Termodinâmica: a atribuição de causalidade. São Paulo, Faculdade de
   Educação/Instituto de Física, USP, 1991. 125p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Jesuína Lopes de Almeida
   Pacca).
                                                              o
RESUMO - Estuda as concepções alternativas de alunos do 2 grau da escola pública de São Paulo a respeito dos
conceitos de calor e temperatura, condutores e isolantes, equilíbrio térmico e condução de calor. Foram elaboradas
questões específicas abordando essa fenomenologia de forma qualitativa e com diferentes níveis de dificuldades. A
análise de conteúdo das respostas, obtidas através da aplicação de instrumento de coleta de dados que consta da
associação questionário-entrevista, resulta num Quadro de Idéias elaboradas a partir das expressões e explicações
dadas. Tais idéias possibilitam a identificação de modelos. A interpretação destes modelos, do ponto de vista da
causalidade de Piaget, é dada como decorrente da indiferenciação entre o real, o possível e o necessário. Da
indiferenciação total à diferenciação, observa quatro níveis em função de formas distintas de causalidade atribuídas
aos fenômenos térmicos.


093
CALDAS, Helena Maria da S. da C. C. Pereira.
   Avaliação diagnóstica do Departamento de Física e Química da Universidade Federal do Espírito Santo:
   aspectos do ensino-aprendizagem do curso básico ministrado pelo Departamento na área de Física. Vitória,
   UFES, 1988. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Obed Gonçalves).

RESUMO - Avalia a qualidade do ensino-aprendizagem e da vida acadêmica do DFQ da UFES, numa tentativa de
prover base para decisões que concorressem para a melhoria qualitativa do processo pedagógico do Departamento.
Conceitualmente orienta-se por pressupostos de integração entre as dimensões técnica, humana e sócio-política da
prática pedagógica, os quais suscitam a adoção de abordagem metodológica descritiva profunda. Combina
procedimentos de enquete envolvendo professores e alunos, observação, entrevistas e conversas informais,
apoiando-se em pressupostos de uma abordagem mais qualitativa em avaliação. De um modo geral, a falta de uma
                                                                                                                    63


filosofia clara que norteie a ação departamental foi identificada como um dos principais antecedentes dos problemas
específicos levantados pelo estudo, que se configura mediante os altos índices de reprovações e evasões. Levanta
também proposições com a intenção de desenvolver uma atmosfera de mudança auto-gerada na cultura
departamental, embora reconhecendo a multiplicidade de problemas que subjazem à educação superior no Brasil,
de natureza sócio-política e histórica, os quais têm impacto imediato na referida cultura departamental.


094
CAMARA, Maria Regina de Souza.
                                                                      o
   Problemas percebidos pelos professores de Química no ensino de 3 grau: delineando causas e apontando
   alternativas. Porto Alegre, Faculdade de Educação, UFRGS, 1985. 163p. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Maria das Graças Furtado Feldens).
                                                                                                   o
RESUMO - Identifica os problemas percebidos pelos professores de Química no ensino de 3 grau, bem como
investiga as causas apontadas como responsáveis pela existência dos problemas. Faz um levantamento de
soluções alternativas para a eliminação ou minimização das dificuldades percebidas. Os resultados permitem
identificar cinco grupos de problemas: a) problemas específicos do ensino de Química; b) problemas de
embasamento do aluno; c) problemas de desempenho/preparo profissional; d) problemas referentes à participação
                                                                            o
do aluno; e) problemas decorrentes da estrutura e organização do 3 grau. Aponta múltiplas causas para a
existência dos problemas percebidos, dentre as quais destacam-se três: a formação deficiente do professor; a falta
                                                                                                          o
de articulação com os níveis precedentes de ensino; a estrutura e o funcionamento do ensino de 3 grau. As
alternativas para solução dos problemas basicamente se encaminham no sentido de propiciar uma melhor formaçã o
e capacitação docente, de incrementar a integração entre os vários níveis de ensino e de conscientizar mais os
professores para a atual realidade do ensino superior, em particular, e da educação brasileira, em geral.


095
CAMARGO, Rubens Barbosa.
   Física para o Magistério - pressupostos e práticas: fragmentos. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP,
   1989. 294p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Luiz Carlos de Menezes).
                                                                             o
RESUMO - Trata do ensino de Física na formação do professor de 1 grau. Discute objetivos, conteúdos e
                                      o
abordagens do ensino de Física no 1 grau e no Magistério e aponta princípios norteadores para uma transformação
da escola atual e, nesta, do ensino de ciências, numa perspectiva emancipadora. Analisa livros didáticos, propostas
curriculares e projetos alternativos mais recentes. Apresenta um histórico dos cursos de Magistério no Estado de
São Paulo, e faz breve sistematização da criação dos CEFAM (Centros Específicos de Formação do Magistério).
Analisa duas experiências de ensino de Física na formação de professores da escola pública: um curso para turmas
de Magistério, onde se procurou elaborar uma proposta alternativa e outro de construção de casas e nos
automóveis. Ao final, sintetiza essas idéias e práticas, tecendo considerações e propostas que contribuam para a
discussão da qualidade de ensino da Habilitação Específica para o Magistério.


096
CAMBAR SUAZO, Carlos Alberto.
   Estudo dirigido como estratégia didática para o ensino de Ciências. Campinas, Instituto de Matemática,
   Estatística e Ciência da Computação, UNICAMP, 1980. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Osmar Salles
   Figueiredo).

RESUMO - Realiza uma série de experiências de natureza docente, técnica e administrativa, envolvendo uma
amostra de dez instituições do ensino médio da República de Honduras. A partir disto, planeja e elabora material
didático para o ensino de Ciências Naturais, com base na estratégia didática do estudo dirigido. A aplicação e
avaliação do material permite concluir que o estudo dirigido particularmente para a leitura: a) influi positivamente no
rendimento escolar do aluno; b) não induz à memorização; c) favorece a compreensão do processo de
aprendizagem; d) incentiva a criatividade didática do professor; e) favorece o pensamento crítico do aluno.


097
CANEN, Ana.
   Prática de Ensino: um espaço para a transformação da escola. Rio de Janeiro, Centro de Teologia e Ciências
   Humanas, PUC-RJ, 1984. 180p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Zélia D. Mediano).

RESUMO - Objetiva uma análise qualitativa da prática pedagógica do professor de Prática de Ensino de Ciências
Biológicas, tendo em vista a multi-dimensionalidade do processo ensino-aprendizagem e a busca de uma formação
do educador comprometida com a transformação da escola de hoje. A pesquisa foi realizada em duas turmas de
                                                                                                                   64


Prática de Ensino de Ciências Biológicas provenientes, respectivamente, de uma universidade pública e de uma
universidade particular, constituindo-se sujeitos do estudo os professores e licenciandos presentes em ambos os
cursos. Utiliza as seguintes estratégias metodológicas para a coleta de dados: observação direta de aulas
ministradas e dos estágios supervisionados, contatos informais e entrevistas formais com professores e licenciandos
e análise de documentos, tais como: programas, apostilas, fichas de observação e de avaliação. Indica que a prática
pedagógica em ambas as turmas observadas não inseriu o futuro educador no contexto onde certamente irá atuar,
nem o preparou para um projeto de transformação da realidade da grande maioria das escolas brasileiras, onde são
alarmantes os índices de evasão e repetência que atingem, na sua maior parte, as parcelas economicamente
desfavorecidas da população.


098
CANIATO, Rodolpho.
   Um Projeto Brasileiro para o Ensino de Física. Rio Claro, UNESP, 1973. 4v. 586p. Tese de Doutorado.
   (Orientador: José Goldemberg)

RESUMO - Busca mostrar a gênese e o desenvolvimento de "Um Projeto Brasileiro para o Ensino de Física",
explicitar e justificar sua orientação geral e seus movimentos colaterais. Situa a problemática do ensino de Física no
2º grau, principalmente quanto: à falta de conhecimento dos fenômenos físicos apresentada por alunos dos diversos
níveis de escolaridade, à dificuldade que apresentam na aplicação dos conceitos físicos à situações concretas e à
inadequação dos Projetos de Ensino de Física estrangeiros à realidade brasileira. Descreve as linhas gerais, etapas
de elaboração e metodologia de utilização do Projeto Brasileiro para o Ensino de Física. Apresenta algumas partes
desse projeto e resultados de sua aplicação com professores e estudantes. Mostra uma alternativa brasileira para o
ensino da Física no 2º grau, com possibilidade de aplicação imediata às condições de qualquer região do país.


099
CARABETTA JÚNIOR, Valter.
   A importância do espaço interativo no processo ensino-aprendizagem de Ciências na pré-escola: um estudo de
   caso. São Paulo, Faculdade de Educação, USP, 1995. 186p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Marieta
   Lúcia Machado Nicolau).

RESUMO - Analisa a importância do processo de interação social no cotidiano da sala de aula para a aquisição de
conhecimentos pelos alunos. Para tanto, fundamenta-se na obra sócio-interacionista de Vygostsky. Realiza
observações e registros das negociações ocorridas na dinâmica interativa em 8 aulas de Ciências, com a duração
aproximada de uma hora cada aula, em uma classe da pré-escola, com 23 alunos, de um estabelecimento de
ensino particular de São Paulo. A análise dos diálogos possibilitou a classificação em categorias demonstrativas do
processo interativo, e a constatação de que o campo interativo favorece um espaço socializado de análises e
reflexões que permitem iniciar a estruturação do conhecimento pelas crianças.


100
CARLI, Enio Borba.
   Jornalismo científico e o ensino de Ciências no Brasil: a utilização de notícias científicas no ensino de Biologia,
   Física e Química do segundo grau. São Bernardo do Campo, Instituto Metodista de Ensino Superior, 1988. 239p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Wilson da Costa Bueno).

RESUMO - Objetiva a compreensão das potencialidades e limitações da notícia científica presente nos meios de
comunicação de massa, enquanto recurso de ensino. Analisa a prática do jornalismo científico no Brasil, sua
possível contribuição para a educação científica e avalia movimentos nacionais e internacionais pela melhoria do
ensino de ciências no segundo grau. Aplica questionários a professores de Biologia, Física e Química da rede
pública do Estado de São Paulo, região do ABC, procurando identificar o grau de familiaridade, interesse e utilização
pelos professores das notícias científicas e investigar a visão dos mesmos quanto ao conteúdo e concepções do
conhecimento veiculados nessas notícias e sua validade no ensino. Verifica que na opinião dos professores a
utilização do noticiário científico em sala de aula é válida e atende aos objetivos: atualizar conhecimentos, avaliar
socialmente a ciência, compreender os mecanismos de funcionamento e produção do conhecimento científico,
ilustrar o conteúdo formal, motivar os alunos e mudar o comportamento em relação a aprendizagem de ciência.


101
CARLINI, Alda Luiza.
   Programas de Saúde: uma alternativa para a promoção da saúde do adolescente. São Paulo, Departamento de
   Educação, PUC-SP, 1988. 147p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Antônio Joaquim Severino).
                                                                                                                       65


RESUMO - Fundamentando-se em alguns pressupostos, ainda que implícitos, do referencial teórico materialista
dialético, pretende apontar uma alternativa, entre as possíveis, para o enfrentamento da questão da promoção da
saúde do adolescente. Identifica o percurso histórico pelo qual, na sociedade brasileira, os educadores e sanitaristas
                                                                                                                     o
vêm tentando reconhecer e responder aos desafios propostos pela educação para a saúde, no ensino regular de 1
    o                                                     o
e 2 graus. Recupera, com a legislação vigente (Lei n 5692/71), os percalços e desencontros decorrentes da
criação e implantação de “Programas de Saúde”. Esboça uma proposta de educação para a saúde, destinada a
crianças e adolescentes. O texto não está construído com a pretensão de esgotar o assunto, mas de trazer à tona
elementos que se constituam em um convite à reflexão e à crítica.


102
CARRASCO, Hernan David Jamett.
   Laboratório de Física: uma análise do currículo e da aprendizagem. Porto Alegre, Instituto de Física, UFRGS,
   1985. 208p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Bernardo Buchweitz e Marco Antônio Moreira).

RESUMO - Analisa o currículo de uma disciplina de laboratório de Física Geral e da aprendizagem decorrente da
realização das atividades desta disciplina. A análise do currículo consistiu, basicamente, de uma análise
epistemológica da estrutura metodológica e conceitual de dez experimentos de laboratório da disciplina "Física
Experimental IV" da UFRGS, visando determinar a aprendizagem que pode ocorrer com o seu desenvolvimento.
Mostra que essas aprendizagens possíveis podem ser classificadas nos seguintes tipos: de conteúdo, de método,
da estrutura da pesquisa científica, de habilidades (prática e intelectual) e de atitudes (científica e frente ao trabalho
de laboratório). A análise da aprendizagem, por sua vez, foi planejada para investigar em que grau os
conhecimentos desse currículo realmente foram aprendidos por estudantes que cursaram essa disciplina nos doi s
semestres de 1984. Mostra que os níveis de aprendizagem do grupo de alunos de cada semestre foram bons no
que se refere a conteúdo, método, estrutura da pesquisa científica, habilidade prática e atitude frente ao trabalho de
laboratório; e deixaram a desejar no que concerne à habilidade intelectual e atitude científica.


103
CARRIJO, Inês Luci Macchado.
   O professor “ideal” de Ciências: desafios à prática do ensino de Ciências. São Carlos, Centro de Educação e
   Ciências Humanas, UFSCar, 1994. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Petronilla B. G. e Silva).

RESUMO - Versa sobre o professor "ideal(?)" de Ciências. Considera o termo "ideal(?)", expresso através desta
pontuação, não como a expressão de algo inatingível ou irrealizável. Mas que revela, isto sim, as expectativas que
se constroem partindo do real, ou seja, a partir das próprias experiências e expectativas dos alunos e professores
envolvidos com o ensino-aprendizagem de Ciências. Desenvolve uma pesquisa bibliográfica e de campo, sendo a
coleta de dados feita por meio da aplicação de questionários, com questões abertas, e de entrevistas
                                                                        a   a
semi-estruturadas. Os grupos participantes da pesquisa são alunos de 5 a 8 séries e suas professoras de Ciências
da rede estadual de ensino, bem como alunos e professores da disciplina Prática de Ensino de Ciências da
Universidade Federal de Uberlândia. Aborda temas que dizem respeito à Ciência, à disciplina Ciências, às
manifestações dos alunos e professores sobre o professor "ideal(?)" de Ciências, à aprendizagem e à prática
pedagógica dos profissionais do ensino de Ciências. As reflexões resultam numa representação significada que diz
respeito ao como e ao que faz um professor "ideal(?)" de Ciências. Apresenta algumas linhas de ação propostas ao
professor de Prática de Ensino de Ciências, que refletem em sua formação profissional.


104
CARVALHO, Anna Maria Pessoa de.
   O ensino de Física na Grande São Paulo - estudo sobre um processo de transformação. São Paulo, Faculdade
   de Educação, USP, 1972. 173p. Tese de Doutorado. (Orientador: Amélia Domingues de Castro).

RESUMO - Investigar as tendências, potencialidades e qualidade do ensino de Física oferecido pelo sistema
educacional oficial de 2º grau, identificando fatores de resistência à implantação da "nova" metodologia dos projetos
de ensino de ciências, particularmente do projeto norte-americano para o ensino de Física, o PSSC. Apresenta um
relato sobre a formação e elaboração do referido projeto, bem como o processo de sua implantação no Brasil.
Realiza uma pesquisa de campo, mediante questionário aplicado aos professores de Física de 59 escolas da rede
oficial de ensino da Grande São Paulo, visando coletar dados sobre as características do ensino dessa disciplina,
como também das condições profissionais e didático-pedagógicas desses professores. Conclui que o potencial
humano do ensino de Física em nível de 2º grau, na região investigada, é de grande valor, ocorrendo, porém,
resistências à inovação nesse ensino, em função das condições inadequadas de trabalho a que os professores são
submetidos, quer condições materiais, quer profissionais. Por outro lado, observa que a maioria dos professores que
receberam influências do curso do PSSC não o adotam; entretanto, nota que esse Projeto provocou uma mudança
na metodologia empregada por esses professores no ensino da Física. Destaca que o PSSC influenciou, também,
                                                                                                                66


os projetos de ensino em elaboração no Brasil na época deste estudo.


105
CARVALHO, Anna Maria Pessoa de.
   A formação do conceito de quantidade de movimento e sua conservação. São Paulo, Faculdade de Educação,
   USP, 1986. 2v. Tese de Livre-Docência.

RESUMO - Estuda como a noção de quantidade de movimento e a de sua conservação se constituem no
pensamento da criança e do adolescente, procurando salientar as relações lógicas que as organizam. De modo
mais amplo, investiga como os alunos percebem e explicam os fenômenos do mundo ao seu redor. A hipótese do
trabalho assenta-se na proposição de que a quantidade de movimento é uma noção primitiva, cuja totalidade
conceitual comporta uma espécie de conservação necessária para o adolescente. Faz uma revisão da evolução
histórica do conceito de quantidade de movimento e da sua conservação, seguida de uma apresentação do
desenvolvimento das noções Físicas na criança, segundo a teoria piagetiana. Entrevista 41 alunos de pré-primário a
1º ano do 2º Grau, acerca da sua compreensão de fenômenos referentes a choques entre esferas, com utilização de
material experimental para manipulação pelos entrevistados. A análise dos dados foi realizada dividindo-se os
alunos em 5 grupos de acordo com suas respostas, independentemente da escolaridade e faixa etária dos mesmos.
Conclui que o desenvolvimento do conceito de quantidade de movimento nos alunos entrevistados segue um padrão
semelhante ao desenvolvimento encontrado por Piaget e seus colaboradores para outras noções Físicas. Além
disto, detecta que a expressão "quantidade de movimento" não faz parte do vocabulário dos alunos. Para suas
explicações, eles usam o conceito espontâneo de "impulso" que, ao longo de sua evolução no pensamento do
aluno, chega a ser relacionado com o conceito de força, ou como uma composição entre a massa e a velocidade do
corpo. Assim também, para os alunos a partir de 12-14 anos, nota-se a necessidade da conservação do impulso,
comprovando a hipótese inicial do trabalho.


106
CARVALHO, Guiomar Gomes de.
   Avaliação da eficácia de um curso experimental de licenciatura em Ciências para professores leigos do Estado
   do Rio de Janeiro . Rio de Janeiro, Faculdade de Educação, UFRJ, 1978. 96p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Não Identificado).

RESUMO - Avalia a modalidade de curso de licenciatura para professores leigos, instituída em caráter experimental,
em 1972. O curso tem como principal característica a possibilidade de freqüência ao curso dos professores leigos,
em serviço, sem afastá-los de sua escolas. Eles cursam a Universidade em 4 períodos consecutivos de férias
escolares, perfazendo 800 horas. As outras 800 horas do curso são completadas em serviço, nos períodos em que
os professores estão trabalhando em suas escolas. Conclui pela eficácia do curso no que se refere ao desempenho
dos professores leigos em situação real de sala de aula e quanto ao rendimento relativo ao conteúdo. Em relação à
atitude frente ao magistério, não houve modificação significativa entre as médias obtidas no pré e pós-teste.


107
CARVALHO, Heitor Garcia.
   Ensino de Ciências no 1º grau: condicionantes históricos e comentários sobre um livro-texto. Belo Horizonte,
   UFMG, 1982. 207p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Zenita Cunha Guenther).
                                                                            o
RESUMO - Estuda os condicionantes históricos do ensino de Ciências no 1 grau. Duas linhas foram exploradas:
evolução das ciências naturais e evolução do sistema de ensino formal no Brasil. O conteúdo do ensino científico
chega aos alunos através de um sistema de comunicações que tem no manual didático um dos elos mais
importantes. Esse manual está sendo influenciado em Minas Gerais pelas orientações do Conselho Federal de
Educação e da Secretaria de Educação. Conclui que a maneira de conceber as ciências muda através dos tempos;
que o sistema de ensino mistura elementos antigos e novos ao focalizar as ciências; e que, mediante o uso dos
manuais, não apresenta uma perspectiva correta da atividade científica. Outros elementos do sistema formal de
ensino, como a ênfase em conteúdos e a organização administrativa, prejudicam o aprendizado das ciências. Uma
apreciação sobre uma coletânea de livros didáticos atuais ilustra os problemas levantados no estudo dos
condicionantes históricos.


108
CARVALHO, Isabel Cristina Moura.
   Territorialidades em luta - uma análise dos discursos ecológicos. Rio de Janeiro, Instituto de Estudos Avançados
   em Educação, FGV, 1989. 141p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria Lúcia do Eirado Silva).
                                                                                                               67


RESUMO - Destaca duas matrizes discursivas que interpretam o acontecimento ecológico: o discurso ecológico
oficial e o discurso ecológico alternativo. O primeiro é aquele enunciado pelas instituições governamentais e
inter-governamentais. Opera dentro dos limites do pensamento liberal, propondo estratégias ecológicas compatíveis
com o desenvolvimento industrial capitalista. O segundo está ligado aos setores do movimento ecológico que
empreendem uma crítica radical ao modo de produção capitalista, à cultura urbano-industrial, e à razão ocidental.
Aponta soluções baseadas em modos não predatórios de produção, bem como numa outra ética das relações entre
os homens. Constitui-se no contexto dos chamados novos movimentos sociais e produz, por meio de uma prática
política diferenciada, novos valores e novos sujeitos sociais. Esses discursos lutam, de seus lugares antagônicos,
por territórios de significação, disputando a hegemonia da interpretação do acontecimento ecológico.


109
CARVALHO, Lizete Maria Orquiza de.
   Análise de um modelo de conceitos espontâneos em cinemática escalar. São Paulo, Instituto de
   Física/Faculdade de Educação, USP, 1986. 145p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Alberto Villani).

RESUMO - Analisa, através do Método de Análise de Conteúdo, o modelo de conceitos espontâneos em Cinemática
Elementar proposto por E. Saltiel. As principais idéias são: velocidade e movimento são definidos em relação às
causas; distância percorrida e trajetória são representadas num espaço absoluto. Apresenta, também, a idéia de
que o movimento é qualificado de "aparente" quando não corresponde a uma causa reconhecida. Faz uma tentativa
de classificação das respostas fornecidas por alunos segundo o esquema dado pelo modelo. Tal classificação não
pôde ser levada a termo devido a dificuldades encontradas. Introduz modificações no esquema de categorias que
possibilitaram a classificação das respostas. Conclui que o modelo tornar-se-ia mais adequado aos dados se fosse
considerado que a visão que os observadores têm da grandeza é um aspecto da conceituação espontânea, tão
relevante quanto o caráter intrínseco da grandeza. Os dados mostraram-se incompatíveis com o modelo somente a
nível de sua estrutura. A nível das idéias contidas, a maioria dos dados se mostrou compatível.


110
CARVALHO, Lizete Maria Orquiza de.
   Representações mentais e conflitos cognitivos: o caso das colisões em Mecânica. São Paulo, Faculdade de
   Educação, USP, 1994. 2v. 122p, 224p. Tese de Doutorado. (Orientador: Alberto Villani).
                                                                                                       o
RESUMO - Investiga os conflitos cognitivos e a evolução das representações mentais de estudantes de 2 grau com
relação ao estudo de colisões. Apóia-se em modelos de mudança conceitual e em proposições que sugerem que os
experimentos são fontes de conflito e, portanto, de desenvolvimento cognitivo. Analisa seis séries de interações
instrucionais individuais com estudantes entre 15 e 21 anos. Verifica que a bagagem cognitiva dos estudantes, os
experimentos simples e, ainda, as intervenções didáticas da entrevistadora, constituem os fatores fundamentais
para o desenvolvimento dos estudantes em direção ao conhecimento científico. Constata que a evolução das
representações mentais ocorre através de patamares, resistências e mudanças e ainda, que o conhecimento teórico
começa a evoluir apenas depois que o aluno adquire a compreensão experimental. Faz considerações acerca de
implicações educacionais, focalizando a busca de ressonâncias entre a iniciativa do professor e a bagagem
pessoal do estudante, entre esta última e o conhecimento científico e entre intervenções breves que objetivam
problematizar as idéias em estudo de acordo com as possibilidades cognitivas do estudante.


111
CARVALHO, Luis A. Ordónez.
   Um curso de Biologia universitário utilizando módulos instrucionais. Campinas, Instituto de Matemática,
   Estatística e Ciência da Computação, UNICAMP, 1980. 110p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Luis A.
   Magalhães).

RESUMO - Considera alguns aspectos da situação educacional universitária: a despreocupação e falta de interesse,
de boa parte dos professores universitários, pela docência, em virtude de maior dedicação à pesquisa; a baixa
utilização de novas metodologias de ensino, centrado principalmente em métodos tradicionais; os alarmantes
índices de reprovação nas diversas carreiras universitárias. Salienta a necessidade de se exigir uma maior
preocupação, por parte dos docentes, com o ensino profissional, de modo a se conseguir uma preparação mais
eficiente dos estudantes em sua carreira profissional. Aborda um aspecto dessa problemática, centrando-se no
ensino das ciências, particularmente da Biologia básica, oferecida nos primeiros níveis do sistema universitário.
Estrutura um curso de Biologia Geral, delineando um programa de acordo com as necessidades da carreira em que
se aplicará. Os temas são desenvolvidos, em boa parte, através de módulos instrucionais, realizando-se
posteriormente, uma análise dos resultados com a finalidade de se determinar o grau de êxito alcançado nesta
aplicação.
                                                                                                               68



112
CARVALHO, Luiz Marcelo de.
                                        o
 A temática ambiental e a escola de 1 grau. São Paulo, Faculdade de Educação, USP, 1989. 298p. Tese de
 Doutorado. (Orientador: Myriam Krasilchik).

RESUMO - Frente às diversas formas de degradação do ambiente, que vem chamando a atenção da população,
estuda os processos dinâmicos da natureza e das sociedades. Acredita que esse tipo de discussão e
conscientização do problema deva partir do ambiente escolar, com professores de Educação Ambiental. Os
                 a    a            o
professores de 1 a 4 séries do 1 grau das cidades de: São José do Rio Preto, São Paulo, São Vicente, Santos
e Ribeirão Preto, da rede oficial de ensino, foram analisados por meio de questionários que compreendiam
perguntas relacionadas com o meio ambiente. Suas respostas fundamentam as chamadas abordagens qualitativas.
Faz um breve histórico sobre a relação do homem em sociedade com a natureza, destacando as alterações que
essa relação produz no ambiente. Mostra as diferentes interpretações sobre as causas da degradação ambiental,
destacando aquelas centradas no modo de vida do homem ou das sociedades, ou nos aspectos econômicos.
Analisa o que o professor entende por Educação Ambiental, observando quais os significados desse termo para a
população estudada. Constata que a maioria possui uma visão tradicional, não diferenciando do que existe nos
livros didáticos e encarando a natureza como uma fonte de recursos para o homem, que deve explorá-la
“racionalmente”, ou mesmo generalizando esse termo dando conotação muito ampla ou ainda confundindo-o com
                                                                                                 o
ambiente, relação homem-natureza, etc. Propõe a incorporação da temática ambiental na escola de 1 grau, a partir
das problemáticas que existem na instituição “escola” e na visão dos professores.


113
CARVALHO, Maria Dalva de Barros.
   Professores das séries iniciais do primeiro grau: concepções de Saúde e Educação. São Carlos, Centro de
   Educação e Ciências Humanas, UFSCar, 1992. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria da Graça Nicoletti
   Mizukami).

RESUMO - Estudo analítico-descritivo que investiga as concepções dos professores das séries iniciais do 1º grau,
das escolas públicas de Maringá, Paraná, em relação à saúde, à doença, as suas múltiplas influências no ambiente
escolar e à ação educativa da escola em saúde. O objeto de preocupação é uma reflexão acerca das concepções
dos professores das séries iniciais do 1º grau, já que são os primeiros agentes educacionais a atuarem de modo
formal e estruturado com a criança e por serem os principais envolvidos nos cursos de capacitação de Educação em
Saúde a serem desenvolvidos nas escolas públicas do Estado do Paraná. A análise dos dados demonstra que: a) a
saúde e a doença não são compreendidas pelo professor no seu aspecto orgânico mas relacionadas às conjunturas
sócio-econômicas; b) a saúde, doença, desnutrição são fatores intervenientes da aprendizagem e não
determinantes; c) existe um certo fatalismo na concepção do professor sobre o fracasso escolar, cuja causa acaba
recaindo no aluno e no seu contexto; d) o professor acredita na força de penetração social da escola e na
importância do seu papel na saúde escolar; e) a ação conjunta entre os setores da Saúde e da Educação é a
maneira mais efetiva de se desenvolver um programa de saúde escolar.


114
CARVALHO, Rocine Castelo de.
   Da concepção de ciência ao ensino de Física. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP,
   1993. 183p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Yassuko Hosoume).

RESUMO - Investiga o ensino crítico de ciências na escola secundária, em especial no ensino de Física. Para isso,
analisa os aspectos epistemológicos do conhecimento científico em suas dimensões críticas. Realiza uma análise
histórica das propostas de ensino de Ciências no Brasil e do próprio papel da ciência no desenvolvimento nacional.
Desse quadro resulta a hipótese de que a ciência introduzida no Brasil sob a égide de uma razão instrumental, teve
seu ensino voltado à formação de um “espírito científico”, essencialmente acrítico, desvinculado das realidades
culturais. Nas duas últimas décadas, particularmente no ensino de Física, comparecem propostas atentas ao
cotidiano do aluno ou a aspectos históricos, mas que, em essência, são reconcepções parciais do paradigma
anterior. Conclui que a promoção da dimensão crítica no ensino requer uma revisão do próprio conteúdo a ser
ensinado, onde o resgate da ciência em sua totalidade é a condição primeira para um ensino crítico e
emancipatório.


115
CARVALHO, Wanderley.
   A técnica de projetos no ensino de Ciências da escola pública: recuperando o método científico. São Paulo,
   PUC-SP, 1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Isabel Franchi Cappelletti).
                                                                                                                    69



                                                                                                       o
RESUMO - Visa recuperar o emprego do método científico nos cursos de Ciências do ensino de 1 grau. Voltado
prioritariamente para a escola pública, procura apresentar um ensino menos livresco e verbalista, portanto, mais
atraente e agradável, bem como atribuir-lhe uma dimensão social, contribuindo para a formação de indivíduos
                                                                                             a   a
dotados de maior autonomia, criticidade e criatividade. Participam dos trabalhos alunos de 7 e 8 séries da EEPG
do “Jardim do Alto do Pinheirinho”, estabelecimento localizado em uma região pobre do Município de Várzea
Paulista. Entre os métodos e técnicas recomendados para o ensino por meio do método científico, opta pela “técnica
de projetos” com uso concomitante de algumas técnicas laboratoriais, escolha que se justificou pelo grande núm ero
de recursos oferecidos e pela sua adequação à situação apresentada. Estabelecido o tema, o qual emergiu de
questões experimentadas e advindas das necessidades sociais da comunidade escolar, constitui um grupo de
dezoitos alunos oriundos das séries citadas, o qual, por um período de quatro semanas, recebeu a fundamentação
teórico-prática necessária à realização da atividade investigadora subseqüente. Do grupo inicial, seis alunos
conduziram a investigação propriamente dita, trabalho que culminou com a produção de um texto científico. A partir
do referido texto, das observações realizadas ao longo do estudo e das discussões que se mantiveram entre os
participantes, obtém uma série de dados que permitem revelar repercussões bastante significativas, tanto para
alunos, quanto para professores.


116
CARVALHO, Washington Luiz Pacheco.
   Conceitos "intuitivos": relações entre força, velocidade, aceleração e trajetória. São Paulo, Instituto de
   Física/Faculdade de Educação, USP, 1985. 123p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Jesuína Lopes de
   Almeida Pacca).
                                                                                                              o
RESUMO - Apresenta alguns problemas especiais, de Mecânica Elementar, para mais de 500 alunos de 2 grau e
universitários, brasileiros, e analisa as respostas tentando obter informações sobre o aparato conceitual utilizado por
esses alunos. Resultados interessantes foram obtidos: força como algo que os objetos armazenam e gastam; força
proporcional à velocidade; trajetória sendo determinada pela composição de força ou pela composição de força e
velocidade; aceleração e velocidade como grandezas semelhantes; e força relacionada à velocidade através das
relações a = v/t e F = m.a, o que conduz ao raciocínio v  então a # então f #. Alguns desses resultados indicam
uma indiferenciação entre cinemática e dinâmica na Física intuitiva dos estudantes.


117
CARVALHO, Washington Luiz Pacheco de.
   O ensino de Ciências sob a perspectiva da criatividade: uma análise fenomenológica. Campinas, Faculdade de
   Educação, UNICAMP, 1991. 312p. Tese de Doutorado. (Orientador: Joel Martins).

RESUMO - Com ênfase à criatividade, interroga o fenômeno “Ensino de Ciências”, vivenciado por professores da
rede municipal de ensino de Campinas. Através da análise ideográfica de discursos - obtidos por entrevistas - e da
análise nomotética - onde convergências e divergências entre os discursos forma explicitadas -, foram possíveis a
reflexão e a aproximação à compreensão do fenômeno interrogado. A má formação dos professores, a falta de
sintonia entre partes do sistema educacional - refletindo no trabalho em sala de aula -, o não entendimento da
ciência como processo e a falta de abertura de possibilidades que permitam a expressão e a manifestação criativa
dos alunos são alguns dos aspectos deste fenômeno, que foram desocultados.


118
CASTELAN, Darcila de la Canal.
   Diagnóstico situacional para efetivar Programas de Saúde nos currículos das escolas públicas de 1º Grau. Santa
   Maria, Centro de Educação, UFSM, 1974. 162p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: não identificado).

RESUMO - Apresenta uma visão geral da interação do homem e o meio natural, focalizando aspectos de poluição e
suas implicações. Faz uma abordagem da importância dos principais componentes dos alimentos, destacando:
funções, elementos químicos do corpo humano e o valor nutritivo dos alimentos, valor das proteínas, hidratos de
carbono, gorduras, sais minerais e outros, na constituição do indivíduo. Enfoca alguns dos problemas decorrentes
de uma alimentação inadequada e a conseqüente necessidade de uma Assistência e Educação Alimentar,
objetivando construir uma geração capacitada intelectual e fisicamente. Aborda, por meio de pesquisa exploratória,
hábitos alimentares, educação sanitária e serviços de assistência ao educando, e de uma parte descritiva, onde é
feito um levantamento das condições das escolas para efetivar "Programas de Saúde". Dá um tratamento estatístico
aos dados coletados, a fim de explicitar e comprovar as hipóteses formuladas. Conclui pela deficiência de hábitos
alimentares e de educação sanitária, demonstrando, ainda, que as escolas não estão suficientemente
implementadas para efetivar "Programas de Saúde". Sugere um Projeto para estruturação de um "Centro
Comunitário de Saúde Escolar".
                                                                                                                    70




119
CASTILLO, Joaquim Marcial.
   Comparação da eficácia de três procedimentos instrucionais no ensino de dois conceitos de Física. São Paulo,
   Instituto de Física, USP, 1983. 188p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: José Fernando Bittencourt
   Lomônaco).

RESUMO - No ensino de dois conceitos de Física, investiga a eficiência de três procedimentos instrucionais: a)
dedutivo, consistindo na definição do conceito, indicação de seus atributos críticos e apresentação de exemplos e
contra-exemplos; b) indutivo, semelhante ao procedimento dedutivo, porém constituído apenas pelas séries de
exemplos e contra-exemplos, sendo que a definição e os atributos relevantes do conceito devem ser elaborados
pelos alunos após observarem a seqüência instrucional; c) tradicional, semelhante ao comumente empregado pelos
                                                                                               o
professores no ensino de conceitos. Participam dos programas instrucionais 132 alunos do 3 ano secundário de
uma escola pública venezuelana, com idades variando entre 13 e 17 anos e pertencentes à classe sócio-econômica
média. Os sujeitos foram distribuídos aleatoriamente em seis grupos, a três dos quais se ensinou o conceito de
refração da luz e aos demais o de movimento retilíneo uniforme. Todos os alunos responderam a um pré-teste
destinado a avaliar seus conhecimentos relativos aos conceitos em questão. Aplica os programas instrucionais, o
que determinou três grupos experimentais para cada conceito. Administra um pós-teste imediato e um retardado,
realizado seis semanas depois do imediato. Conclui que os três procedimentos foram eficientes tanto na
aprendizagem quanto na retenção a longo prazo dos conceitos ensinados. Contudo, o procedimento indutivo se
revelou superior aos demais tanto na aprendizagem quanto na retenção a longo prazo. Os procedimentos dedutivo e
tradicional mostraram semelhanças, porém o procedimento dedutivo revelou-se superior ao procedimento
tradicional.


120
CASTINEIRA, Matheus Petricelli.
   Projeção e teste de um sistema instrucional de Física para cursos de Zootecnia. São Paulo, Instituto de
   Física/Faculdade de Educação, USP, 1989. 220p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Fuad Daher Saad).

RESUMO - Apresenta uma proposta de um Sistema Instrucional de Física para Cursos de Zootecnia, da Faculdade
de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ/USP). Faz um breve histórico do
surgimento do zootecnista, como um profissional especializado em criação e melhoramento de animais domésticos.
Realiza um levantamento da situação do ensino de Física nas escolas de Zootecnia do Brasil e dos documentos
que levaram à inclusão da Física no currículo mínimo de Zootecnia. Aponta a necessidade de desenvolvimento de
material didático específico e a importância de pesquisar modelos alternativos de ensino. Projeta e avalia um
Sistema Instrucional de Física para Cursos de Zootecnia, baseado em módulos instrucionais, compostos de textos,
experiências didáticas, livros e artigos científicos, procurando integrar a disciplina de Física às demais do currículo
pleno, mediante a seleção criteriosa do conteúdo e a utilização de uma metodologia de ensino centrada no aluno.


121
CASTRO, Ronaldo de Souza.
   Proposta Metodológica de ensino de Biologia da Educação numa abordagem dialético-construtivista. Rio de
   Janeiro, Instituto de Estudos Avançados em Educação, FGV, 1993. 227p. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Anna Maria Bianchini Baeta).

RESUMO - Apresenta uma proposta metodológica para o ensino de Biologia da Educação. Analisa a epistemologia
da Biologia, com vistas à superação da racionalidade cartesiana. Esta racionalidade é elucidada por meio de uma
análise histórica de correntes presentes no pensamento biológico, através das quais se percebe a influência do
positivismo na lógica presente nessa ciência. Contrapondo-se à visão positivista e cartesiana ainda presente na
Biologia, propõe um paradigma sistêmico, holístico e dialético, que viabilize uma visão integradora dessa área de
conhecimento. Estuda a construção do conhecimento como subsídio para a elaboração de uma proposta
construtivista de ensino, desenvolvida numa Instituição Federal de Ensino Superior. Em paralelo, realiza
observações de campo em duas outras Universidades, com vistas à análise de procedimentos metodológicos de
ensino. A proposta de ensino segundo o construcionismo-dialético obtém êxito e recomenda-se o aprofundamento
teórico do construtivismo e amplo debate sobre a Biologia da Educação, com base na epistemologia da Biologia.


122
CASTRO, Ruth Schmitz de.
   História e epistemologia da ciência: investigando suas contribuições num curso de Física de segundo grau. São
   Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1993. 184p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Anna
                                                                                                                 71


   Maria Pessoa de Carvalho)
                                                                                                             o
RESUMO - Investiga as contribuições do uso da história e epistemologia da ciência num curso de Física de 2 grau.
Apresenta o desenvolvimento histórico das idéias e conceitos envolvidos nos estudos sobre a natureza do calor,
desde a construção das primeiras noções, na filosofia natural jônica e nos antigos atomistas gregos, até as
identificações de calor com energia, em Mayer e Joule, no século XIX. Estabelece referenciais teóricos em relação
ao ensino e aprendizagem, com base na epistemologia genética, enfocando a questão da causalidade. Analisa
atividades desenvolvidas em sala de aula e gravadas em vídeo, onde leituras de textos foram utilizadas como
principal meio de veiculação da história da ciência. Identifica três aspectos que representam contribuições
propiciadas pela abordagem histórica: como fio condutor das construções empreendidas pelos alunos, como
propiciadora das discussões sobre a natureza do conhecimento científico, e como forma de estabelecer uma diálogo
entre o processo de elaboração do conhecimento pelo aluno e este mesmo processo ao longo do desenvolvimento
científico. Confirma ser legítima, no processo de ensino, a utilização dessas diferentes abordagens.


123
CATALÃO, Vera Margarida Lessa.
   Educação Ambiental e escola - retorno ao naturalismo ou senha para transformação? Brasília, Faculdade de
   Educação, UnB, 1993. 197p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Isaura Belloni)

RESUMO - Discorre sobre o discurso ecológico contemporâneo através de uma abordagem histórica e interpretativa
da sua trajetória, visando inserir nesse movimento os princípios e objetivos colocados para a Educação Ambiental
nas últimas duas décadas. Os principais documentos produzidos por organismos nacionais e internacionais,
projetos desenvolvidos por órgãos públicos educacionais e ambientalistas, assim como o amparo legal fornecido
pela legislação específica referenciam o desenvolvimento da pesquisa e da análise documental. O conceito de
Educação Ambiental é reconstruído, tendo como parâmetro a indagação do seu caráter formativo e/ou informativo,
conservacionista ou transformador. Nesse sentido, a politização do discurso ecológico, os ideais da ecologia
profunda ou holística e as propostas do desenvolvimento sustentado subsidiam a análise e a interpretação. O
estudo de caso, em caráter exploratório, de algumas experiências de Educação Ambiental desenvolvidas no Distrito
Federal, exemplifica os principais obstáculos e as zonas de impasse que obstruem a inserção da EA no currículo
pleno das escolas.


124
CAZELLI, Sibele.
   Alfabetização científica e os museus interativos de ciência. Rio de Janeiro, Centro de Teologia e Ciências
   Humanas, PUC-RJ, 1992. 174p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Tânia Dauster).

RESUMO - Reflete e interpreta o papel social dos museus interativos de ciência enquanto espaços de educação
pública para a ciência e tecnologia e meios para ampliação e o aperfeiçoamento da alfabetização científica da
sociedade. Trata do Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST do Conselho Nacional de Desenvolvimento
Científico e Tecnológico - CNPq, no Rio de Janeiro. A análise da literatura especializada e a realização de uma
etnografia das visitas de professores e estudantes - freqüentadores regulares das exposições e atividades
educacionais do MAST -, no período de março a novembro de 1991 compõem a fundamentação para pensar a
relação entre esse modelo de museu e a alfabetização científica. Trata-se de um estudo exploratório voltado para o
estímulo à compreensão da natureza do processo de aprendizagem de ciências em fontes de ensino não
sistematizadas.


125
CESAR, Ruth de Oliveira.
   Análise e interpretação da correlação entre dois concursos vestibulares. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade
   de Educação, USP, 1978. 176p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Giorgi Moscati).

RESUMO - Utiliza um grupo de alunos para julgar sobre a adequação das provas de um concurso vestibular a um
dos seus objetivos - o de classificar níveis de capacitação ou habilidade dos candidatos. Coleta dados de um caso
relativamente raro, em que um mesmo grupo, com 34 alunos, praticamente na mesma ocasião prestou dois
                                                                             o    o
concursos organizados pela mesma entidade e com finalidades análogas (1 e 2 concursos FUVEST, São Paulo,
1977). Através do estudo da correlação entre as notas obtidas nos dois concursos por aqueles candidatos,
realizaram-se vários tipos de investigação. Como resultado, mostra, para o caso de Física, como as conclusões
obtidas podem ser usadas como subsídios a organizadores de concursos dessa natureza. Ao informar sobre
características classificatórias das provas analisadas e sobre a comparação do resultado de aplicação de duas
provas distintas, fornece um controle de determinadas qualidades das questões na composição de provas
classificatórias destinadas a populações semelhantes às estudadas.
                                                                                                              72




126
CHAGAS, Eva Regina Carrazoni.
   Concepção e contribuições dos/as professores/as das universidades da Grande Porto Alegre sobre Educação
   para a Saúde e Educação Sexual para a formação de especialistas em Educação. Porto Alegre, PUC-RS, 1995.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Claus Dieter Stobaus).

RESUMO - A investigação de cunho qualitativo verifica as concepções e contribuições dos/as professores/as das
universidades da Grande Porto Alegre sobre Educação para a Saúde e Educação Sexual para a formação de
especialistas em Educação. São 10 entrevistados: 8 professoras e 2 professores. No perfil dos/as entrevistados/as
destaca-se os que estão na faixa de 39-55 anos, vivendo todos/as a fase evolutiva denominada adultez média.
Provêm de diversos cursos de graduação e a maior parte cursou ou cursa algum curso de pós-graduação e/ou
segue estudando. Os dados são categorizados tematicamente através da técnica de análise de conteúdo de Bardin.
Sobre os aspectos da sexualidade nas disciplinas, destaca a importância da discussão sobre a sexualidade, que vai
do geral para o particular, e se os/as alunos/as gostam do assunto. Sobre as concepções de saúde, sexualidade e
Educação Sexual, as categorias e seus indicadores ressaltam os temas: saúde, sexualidade, Educação para saúde,
e Educação Sexual. Conclui com propostas pedagógicas, incluindo a Educação Sexual na educação formal, e
sugere bibliografia sobre os temas.


127
CHAKUR, Cilene Ribeiro de Sá Leite.
                                                                     o
   Desenvolvimento cognitivo do aluno e currículo da escola de 1 grau: um estudo das relações entre
   desenvolvimento das classificações e ensino de Ciências. São Carlos, Centro de Educação e Ciências
   Humanas, UFSCar, 1981. 337p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Durlei de Carvalho Cavicchia).

RESUMO - Investiga a possível adequação do desenvolvimento curricular, via trabalho docente, ao nível de
desenvolvimento cognitivo de crianças de escolas de 1º grau (1ª e 2ª séries). O trabalho docente foi analisado na
área de Ciências (Matemática e Ciências Físicas e Biológicas) e a partir do seu desdobramento nos seguintes
componentes: Objetivos, Conteúdo, Atividades, Procedimentos, Recursos Didáticos e Avaliação. O nível de
desenvolvimento cognitivo do aprendiz foi considerado em termos do grau dominante de desempenho de crianças
submetidas a provas piagetianas de aquisição da noção de classificação. Realiza pesquisa empírica em duas
escolas públicas da cidade de Araraquara-SP, tendo como sujeitos 95 alunos de quatro grupos-classe (dois de 1ª
série e dois de 2ª série), com idades variando entre 6 e 12 anos. Analisa tanto o trabalho docente, quanto o
desempenho das crianças, recorrendo a critérios que apareceram empiricamente e que foram combinados, quando
possível, com aqueles encontrados na teoria piagetiana.


128
CHASSOT, Attico Inácio.
   Comparação de dois instrumentos de avaliação: questões objetivas x questões de resposta livre. Porto Alegre,
   Faculdade de Educação, UFRGS, 1976. 163p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Ray Arthur Chesterfield).
                                                                                                                o
RESUMO - Compara dois dos mais usados instrumentos de avaliação da área cognitiva em Química Geral no 3
grau: questões de respostas livres e questões objetivas. A pesquisa foi realizada em uma disciplina de Química
                                                 o
Geral de uma Universidade de Porto Alegre, no 1 semestre de 76, onde os alunos de uma das turmas, escolhidos
aleatoriamente, foram divididos, também aleatoriamente, em dois grupos. Um dos grupos, grupo Alfa (N=32), fez
todas as verificações da disciplina com questões de respostas livres e para o grupo Beta (N=32) foram usadas
apenas questões objetivas. No final do semestre, ambos os grupos fizeram uma prova igual, com metade das
questões objetivas e metade das questões de respostas livres. Durante o semestre, os dois grupos tiveram todos os
demais tratamentos idênticos. Pergunta-se também aos estudantes as preferências pelo tipo de prova, crédito de
justiça que votaram a um e outro instrumento de avaliação. Avalia o tempo gasto nas diversas etapas, usando um e
outro instrumento de avaliação.


129
CHASSOT, Attico Inacio.
   Para que(m) é útil o nosso ensino de Química. Porto Alegre, UFRGS, 1995. Tese de Doutorado. (Orientador:
   Laetus Mário Veit).

RESUMO - Procura responder a questão: para que(m) e útil o nosso ensino de Química?, a partir de uma análise
do ensino de Química, particularizando o ensino médio brasileiro. Apoia a discussão do problema em textos legais,
em recomendações oficiais e em livros-textos. A análise é precedida de uma breve apresentação de duas histórias:
                                                                                                                 73


a história da construção do conhecimento, onde se mostra como a Química passa a ser considerada uma Ciência; a
História da Educação, onde se procura verificar quem definiu e como foram definidos os atuais conteúdos tidos
como necessários à formação química. No trabalho há uma teorização sobre o significado de ser útil e se conclui
que o atual ensino de Química não satisfaz às exigências de uma Educação que responda às necessidades de uma
adequada alfabetização científica. Como resposta à necessidade de um ensino menos esotérico, mais prazeroso e
mais vinculado com a realidade - mas também preocupado com apropriação do conhecimento formal apresenta-se
uma proposta diferenciada para fazer Educação por intermédio da Química.


130
CHAVES, Sílvia Nogueira.
   Evolução de idéias e idéias de evolução: a evolução dos seres vivos na ótica de aluno e professor de Biologia do
   ensino secundário. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1993. 121p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Roseli Pacheco Schnestzler).

RESUMO - Investiga um processo de ensino-aprendizagem de Evolução no qual concepções do professor e de
                                                                                                         o
seus alunos foram identificadas e analisadas. O processo foi desenvolvido em uma sala de aula de 2 ano de
Biologia, de uma escola pública estadual de ensino médio da cidade de Belém (PA). Identifica as concepções de
evolução, dos 24 alunos, antes, durante e ao final do período de instrução através de questionários, entrevistas e
resolução de exercícios. Detecta as concepções do professor com entrevistas e observação e análise de seis aulas
por ele ministradas. Aponta um nítido antagonismo entre as concepções prévias dos alunos e as aceitas atualmente
pela Ciência. Evidencia que, ao final do período de instrução, as concepções prévias e errôneas dos estudantes
sobre evolução foram mantidas. Razões para tal são atribuídas ao fato da prática pedagógica do professor ser
centrada no modelo transmissão-recepção, bem como à deficiências no domínio do conteúdo específico. Sugere a
necessidade de se promover mudança conceitual nos alunos e no professor, tanto no que diz respeito ao
conhecimento científico quanto no conhecimento pedagógico, a fim de que o processo de ensino-aprendizagem
possa constituir uma atividade significativa para alunos e professor.


131
CHRISPINO, Álvaro.
   Didática Especial de Química e Prática de Ensino de Química: uma proposta voltada para a Química e
   sociedade. Rio de Janeiro, Centro de Filosofia e Ciências Humanas/Faculdade de Educação, UFRJ, 1992. 125p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Antônio Flávio Moreira).

RESUMO - Visa o ensino de Química ligada ao cotidiano do cidadão, considerando o professor de Química como
um agente produtor dessa visão crítica. Como os docentes nem sempre adotam métodos alternativos de ensino,
praticando o ensino tradicional, este grupo não foi considerado na pesquisa, e os licenciandos foram analisados
dentro da disciplina “Didática Especial de Química e Prática de Ensino de Química” por trabalhar propostas
envolvendo unidades de planejamento, metodologia de ensino, conteúdo programático e avaliação. Identifica: a) a
visão de ensino de Química e sociedade; b) a evolução de pesquisas atuais em currículos de Química; c) projetos
de metodologias alternativas para a formação do professor; d) a situação da licenciatura em Química no Brasil; e) os
temas cotidianos ligados ao estudo e aprendizagem de Química; f) a contribuição de outras disciplinas; g) vertentes
de pensamento que podem contribuir para a formação do cidadão.


132
CICILLINI, Graça Aparecida.
                                                                                o
   A evolução enquanto um componente metodológico para o ensino de Biologia no 2 grau - Análise da concepção
   de evolução em livros didáticos. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1991. 244p. Dissertação de
   Mestrado. (Orientador: Décio Pacheco).
                                                                                                             o
RESUMO - Realiza uma reflexão sobre a metodologia de ensino de Biologia nas escolas públicas de 2 grau.
Identifica as relações implícitas ou explícitas que têm sido estabelecidas entre a Biologia como produtora do
                                                                      o
conhecimento biológico e a Biologia como disciplina do ensino de 2 grau, principalmente no que se refere aos
conteúdos que envolvem, direta ou indiretamente, os conceitos de Evolução. A Teoria da Evolução, considerada
como um dos princípios ordenadores do conhecimento biológico, traz embutida em si características que podem ser
                           o
exploradas no ensino de 2 grau, como, por exemplo, historicidade e dimensão temporal. Sendo assim, verifica de
                                                                                o
que maneira os livros didáticos de Biologia usualmente utilizados no ensino de 2 grau tratam a Teoria da Evolução
enquanto um princípio ordenador dos conteúdos biológicos e, conseqüentemente, como um componente
metodológico deste ensino, na medida em que o conhecimento biológico tem na Teoria da Evolução o seu princípio
ordenador.
                                                                                                               74


133
CODENOTTI, Thais Leiroz.
   Projeto de Ensino de Zoologia com extensão sócio-educacional - elaboração, aplicação e avaliação de uma
   experiência de ensino no Rio Grande do Sul. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1979. 341p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Milton José de Almeida).

RESUMO - Elabora, aplica e avalia uma experiência de ensino inovadora, dirigida à escola brasileira
especificamente. Fornece subsídios aos professores e licenciandos da área de Ciências Biológicas, a fim de
auxiliá-los em sua formação humana e pedagógica, acrescentando elementos para o seu refletir sobre os problemas
sociais da comunidade. Elabora um Projeto Piloto de Ensino de Zoologia, aplicado e avaliado com alunos de 6ª série
do 1º grau. Após análise crítica e reelaboração do mesmo, obtém a versão definitiva: Projeto de Ensino de Zoologia
com Extensão Sócio-Educacional. Este consta de duas unidades de ensino: Unidade I - Estudo dos Insetos, com
atividades teóricas e práticas, e Unidade II - Extensão Social: Programa de Higiene e Saúde, com atuação junto à
comunidade. Treina 66 alunos do curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas da Universidade de Passo
Fundo/RS, para posterior aplicação do Projeto a alunos do 2º grau. Durante o período de março a maio/79, ele foi
aplicado em 48 escolas de 1º grau, envolvendo 1710 alunos. Num esforço conjunto de professores-aplicadores,
alunos de 6ª série, membros da escola e da comunidade, a extensão social do Projeto serviu cerca de 1000 famílias
carentes, moradoras de favelas e bairros periféricos. Os resultados da aplicação da Unidade I mostraram-se
satisfatórios em relação às metas propostas para a aprendizagem. Em relação à Unidade II, observou, após sua
aplicação, diversas campanhas de higiene nas escolas e higiene corporal, atendimento às famílias, pelos próprios
alunos, na solução dos problemas que afetam diretamente a saúde - o combate aos insetos, bem como um maior
grau de conscientização sobre as causas desses problemas.


134
COELHO, João de Vasconcellos.
   Física Moderna no ensino de nível médio. Cuiabá, Instituto de Educação e Instituto de Ciências Exatas e da
   Terra, UFMT, 1995. 137p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Sérgio Roberto de Paulo, Carlos Rinaldi).

RESUMO - Investiga e defende a possibilidade de se introduzir noções de Física Moderna, particularmente a
Mecânica Quântica, no ensino escolar de nível médio. Traçando considerações filosóficas e paralelos entre
diferentes interpretações da teoria quântica, apresenta uma breve história da Mecânica Quântica. Com vistas a
avaliar a capacidade intelectual dos alunos e as principais dificuldades na aprendizagem dessa teoria, descreve e
analisa uma proposta desenvolvida em um curso de extensão, realizado com um grupo de trinta alunos da Escola
Técnica de Mato Grosso. Apresenta as principais características dessa proposta, em termos de metodologia e
conteúdo. Revela uma receptividade e ressonância dos estudantes com o curso desenvolvido, dentro da necessária
adaptação ao seu nível cognitivo, levando-os a uma significativa mudança conceitual. Conclui pela viabilidade da
                                                                                            o
proposta, indicando ser possível a introdução da Mecânica Quântica no currículo escolar de 2 grau.


135
COELHO, Marília Martins.
                      o
   Escola pública de 1 grau: tendências didáticas do ensino de Ciências e Matemática. Campinas, Faculdade de
   Educação, UNICAMP, 1992. 2v. 412p. Tese de Doutorado. (Orientador: Maria Cecília de Oliveira Micotti).
                                                                                      a    a           o
RESUMO - Focaliza a atuação didática de professores de Ciências e Matemática de 5 e 7 séries do 1 grau, em
duas escolas estaduais de Rio Claro. Com observações de aulas, descrições feitas pelo professor de sua própria
prática e análise documental, identifica tendências didáticas e contrasta as intenções de ensino com a prática. Os
resultados permitem contrapor intenções e ações e distinguir algumas tendências que denotam diferentes posturas
epistemológicas subjacentes ao ensino. A pseudocientificidade e a centração do ensino na figura do professor são
tendências que se destacam. Estas - como manifestações da organização social do contexto em que a escola se
insere - sugerem a reprodução, das relações autoritárias, contrárias às condições necessárias à elaboração do
conhecimento. Do ponto de vista dos professores de Didática, o exame das relações entre as diferentes práticas e
os fins e objetivos propostos para o processo educativo, poderá orientar no estabelecimento de diretrizes para a
formação de professores.


136
COIMBRA FILHO, Aureliano.
   A reforma do ensino e a formação do professor de Ciências. São Paulo, Faculdade de Educação, USP, 1981.
   147p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Myriam Krasilchik).

RESUMO - Oferece subsídios para um debate sobre a reforma do ensino de 1º e 2º graus. Para isso trata, de modo
particular, do modelo de organização curricular prescrito pela lei 5692/71 e das proposições do CFE sobre a
                                                                                                                     75


formação dos professores para esses graus de ensino, principalmente dos professores da "matéria" Ciências.
Analisa o texto da lei 5692/71 com relação a: características e identidade do Método Curricular, a terminologia e o
significado das categorias curriculares, a conversão das "matérias" em "atividades", "áreas de estudo" e disciplinas,
distribuição das categorias curriculares ao longo das séries de 1º e 2º graus. Conclui que: a) devido à inconsistência
interna das proposições legais da referida lei, a reforma do ensino propagada por ela ficou bloqueada ao nível de
seu planejamento, tornando inviável o modelo de ensino por ela proposto; b) o modelo de formação do magistério,
destinado a elaborar e executar o "novo ensino", já surgiu marcado pelo vício original das homonímias, distorções e
equívocos; c) na "nova sistemática educacional" pretendida, não foi possível encontrar uma forma adequada à
habilitação dos docentes para o ensino das "atividades", não se chegando também à proposição da formação
pedagógica, metodologicamente adequada à habilitação do "professor polivalente" das "áreas de estudo" de
Ciências; d) o modelo da referida lei, tendo falhado na formação de docentes para "atividades" e "áreas de estudo",
também falhou na formação de docentes para "disciplinas", não se chegando a clarear o que seria a "disciplina", se
as Ciências Físicas e Biológicas como um todo, ou a Física, a Química, a Biologia separadamente.


137
COLACINO, Rubens César.
   A formação de professores na habilitação específica do Magistério da rede pública na região central do Estado
   de São Paulo no início dos anos 90: focalizando o ensino da Biologia. Marília, UNESP, 1994. Dissertação de
   Mestrado. (Orientador: Alda Junqueira Marin).

RESUMO - Estudo de caso que objetiva verificar em que condições o ensino da Biologia é ministrado nas Escolas
de Formação de Professores - Habilitação Específica para o Magistério (HEM), das séries iniciais, nas escolas
públicas do Estado de São Paulo, em corte feito para duas unidades da sua região central. Faz algumas
ponderações acerca do contexto e da situação da educação no Brasil, segundo algumas fontes disponíveis, em fase
de levantamento bibliográfico e leituras preliminares, permitindo igualmente delinear o estudo enfocado, bem como
permitir verificar o ensino de Ciências nas séries iniciais, onde se insere a disciplina de Biologia. Procura, por outro
lado, traçar alguns componentes do perfil do professor dessas escolas, apresentar e discutir a temática sobre os
componentes curriculares, a didática e a metodologia na área, ao lado da orientação oficial. Traça considerações
entre o ensino da Biologia e sua interface com a disciplina Conteúdo e Metodologia do Ensino de Ciências, que se
mostraram bastante sensíveis e expressivas. Por fim, formula algumas considerações necessárias, bem como
algumas sugestões de praxe sobre as questões levantadas.


138
COLLETO, Nires Matilde.
   Resultados da disciplina de Física no Vestibular como preditores de sucesso dos alunos na disciplina de Física
   Geral, na Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, Centro de Educação, UFSM, 1982. 125p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria Virgínia dos Santos Silva).

RESUMO - Verifica a correlação existente entre os resultados obtidos pelos alunos na disciplina de Física, no exame
vestibular, e os resultados obtidos pelos mesmos alunos na disciplina de Física Geral I, nos cursos de Graduação
de Física e Engenharia (Civil, Elétrica, Mecânica e Química), da Universidade Federal de Santa Maria. Participam da
pesquisa 289 alunos que prestaram vestibular e freqüentaram a disciplina nos anos de 1979 ou 1980. Aponta que
há diferença significativa entre os sexos no vestibular mas não na disciplina de Física Geral I; que há diferença
significativa entre os cursos, quer no vestibular quer na disciplina de Física Geral I; e que não há diferença
significativa entre os dois anos considerados. Os cursos que apresentam correlação positiva e significativa com os
resultados do vestibular foram Física, Engenharia Civil e Engenharia Mecânica. Os outros cursos não apresentam
correlação significativa.


139
COMPIANI, Maurício.
                                                                                       o       a   a
   O fazer Geologia com ênfase no campo na formação de professores de Ciências para o 1 grau (5 a 8 séries).
   Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1988. 244p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Newton
   Cesar Balzan).

RESUMO - A partir de várias inquietações surgidas da experiência de lecionar a disciplina “Elementos de Geologia”
                                                o
na formação de professores de Ciências para o 1 grau, elabora as linhas gerais de uma futura proposta sob a égide
do enfoque geológico, investigando e discutindo os métodos e princípios da Geologia relevantes para o ensino de
Ciências. Deixa claro o que se entende por fazer Geologia e como as especificidades do raciocínio científico
envolvem-se na elaboração das explicações históricas da evolução deste planeta. Procura, também, demonstrar
que a Geologia, como uma ciência histórica da natureza, pode propiciar à criança a consciência do planeta e de sua
história, bem como propiciar o entendimento da apropriação do meio ambiente pelo homem. Busca ainda uma
                                                                                                                  76


inovação metodológica com as atividades de campo, proporcionando a integração da Geologia, sociedade e
natureza, tendo as mesmas um papel gerador, centralizador e sintetizador da produção do conhecimento geológico.


140
CORONEL, João Alberto Carmo.
                                                      o
   Análise quali-quantitativa do ensino de Física do 2 grau das escolas dos municípios de origem do curso de
   Licenciatura em Física da Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, Faculdade Interamericana de
   Educação, UFSM, 1976. 292p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Neide Uchoa Xavier).

RESUMO - Caracteriza o desempenho docente dos professores de Física em exercício no 2º grau nos municípios
de origem dos alunos do curso de Licenciatura em Física da UFSM, segundo a habilitação profissional. A população
foi formada de 88 professores de Física de todos os estabelecimentos de ensino de 2º grau dos 24 municípios de
origem dos alunos do curso de Licenciatura em Física da UFSM. O instrumento utilizado para coleta dos dados na
pesquisa de campo foi um questionário aplicado aos professores. Conclui que há existência de uma diferença
qualitativa, quantitativa e uma hierarquização devido aos resultados obtidos através de indicadores da variável
"desempenho docente" dos professores de Física em exercício de 2º grau na região em estudo, segundo as
diferentes categorias de titulação estudadas.


141
COSTA, Arlindo.
   Mostra de Ciência, Tecnologia e Sociedade como estratégia para viragem de código de seleção para código de
   interação nas escolas. Florianópolis, Centro de Ciências da Educação, UFSC, 1994. 148p. Dissertação de
   Mestrado. (Orientador: André Valdir Zunino).
                                                                                   o    o
RESUMO - Pesquisa do tipo ação participante, desenvolvida com professores de 1 e 2 graus da rede estadual de
ensino do Estado de Santa Catarina, atuantes nas disciplinas de Ciências Físicas e Biológicas: Química, Física,
Biologia e Matemática. Busca verificar a possibilidade da viragem dos códigos educacionais de coleção para o
código educacional de integração, com base em Bernstein, por meio do desenvolvimento de trabalhos para um
evento científico denominado Mostra de Ciência e Tecnologia, a partir da idéia relacionadora Ciência, Tecnologia e
Sociedade. Utiliza inúmeras estratégias de trabalho e, em relação à coleta de dados utiliza, também, instrumentos
de pesquisa qualitativa e quantitativa. O problema investigado na pesquisa revela a importância de eventos
científicos, a Mostra de Ciência, Tecnologia e Sociedade, para a viragem dos códigos. A teoria de Bernstein
forneceu subsídios aos professores para que esses buscassem mudanças significativas nas suas práticas
pedagógicas, resultando então na viragem dos códigos de coleção para o código de integração em suas escolas.
Em suma, pode-se afirmar que o evento científico Mostra de Ciência, Tecnologia e Sociedade provocou mudanças
paradigmáticas no que tange ao trabalho desenvolvido pelos professores participantes da pesquisa.


142
COSTA, Maria do Rosário.
   Testes com referência a critério para medir competências básicas de Ciências Físicas e Biológicas na 4ª série do
   1º grau. Rio de Janeiro, Faculdade de Educação, UFRJ, 1983. 166p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Lígia
   Gomes Elliot).

RESUMO - Define competências básicas de Ciências Físicas e Biológicas a serem dominadas por alunos da 4ª
série do 1º grau e construir testes com referência a critério (TRC) para medir essas competências. Na primeira etapa
do estudo, foram validadas competências básicas, três das quais foram mensuradas por meio de TRC: descrição d e
fenômenos científicos, interpretação de experimentação e interpretação de situações que envolvem fenômenos
científicos. Aplica os testes a 223 alunos novatos da 5ª série do 1º grau de seis escolas estaduais de Belo Horizonte
(MG). Calcula a fidedignidade dos testes pelo estimador K1 de Huynh (1976), que informa com que consistência o
examinado se coloca nas posições de domínio ou não domínio das competências mensuradas. Aponta que os
testes atingiram índices de fidedignidade muito baixos, o que provavelmente é devido ao fato de o ensino das
competências não ter ocorrido antes da testagem como o estimador K1 supõe. Os resultados da aplicação dos TRC
evidenciaram que os examinados não dominam as competências mensuradas nos níveis mínimos de proficiência
propostos no estudo, possivelmente, por não terem recebido instrução específica para o domínio dessas
competências.


143
COSTA, Nayde Baptista.
   Microensino como uma alternativa de treinamento de habilidades técnicas específicas do ensino de Biologia:
   um estudo experimental. Rio de Janeiro, Centro de Teologia e Ciências Humanas, PUC-RJ, 1984. 214p.
                                                                                                                77


   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Nícia Maria Bessa).

RESUMO - Testa a validade do Microensino, em um curso de formação de professores. Além da fundamentação
teórica, descreve a experiência realizada com alunos de Estágio Supervisionado II, da Licenciatura Plena em
Biologia. Os resultados evidenciam diferenças significativas entre o desempenho docente de estagiários treinados
através do Microensino e o desempenho docente dos que seguiram o Ensino Tradicional, a favor dos primeiros.


144
COSTA, Regina Calderipe.
   Estudo comparativo entre a estrutura de conteúdo e a estrutura cognitiva do professor e do aluno. Porto Alegre,
   Instituto de Física, UFRGS, 1980. 192p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Marco Antônio Moreira).

RESUMO - Compara a estrutura do conteúdo e a estrutura cognitiva do professor e a do aluno, a fim de investigar
até que ponto tais estruturas convergiriam antes e após a instrução. Desenvolve o estudo junto a um curso de Física
Geral em nível universitário, abrangendo o conteúdo de eletricidade. A estrutura do conteúdo foi determinada
através da teoria dos dígrafos, enquanto que a estrutura cognitiva do professor e a do aluno foram obtidas com o
auxílio de testes de associação de conceitos. Tanto os dados obtidos a partir da teoria dos dígrafos, como aqueles
obtidos através dos testes de associação foram submetidos a Análise Multidimensional a fim de obter-se uma
representação gráfica das estruturas investigadas. Sugere que os instrumentos e técnicas utilizados para a
determinação das estruturas são adequados e que, de um modo geral, a estrutura cognitiva do aluno, após a
instrução, tende a aproximar-se da estrutura do conteúdo e da estrutura cognitiva do professor, as quais, por sua
vez, apresentam boa convergência.


145
COSTA, Renata de Sá Osborne da.
   A questão social e humana do lixo em um contexto de Educação Ambiental. Rio de Janeiro, Centro de Teologia e
   Ciências Humanas, PUC-RJ, 1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Hedy Silva Ramos de Vasconcellos).

RESUMO - Trata a Educação Ambiental como uma tendência atual da educação, inscrita nos paradigmas
holonômicos (Gadotti, 1993). No contexto da Educação Ambiental para a melhoria da qualidade de vida, aborda
duas questões: os resíduos sólidos e a pobreza. Três experiências distintas são desenvolvidas em quatro centros do
Serviço Social do Comércio, na própria universidade e em uma escola pública na favela. Os três exemplos mostram
a Educação Ambiental que se faz em ambiente formal e não-formal, que se dirige à criança, ao adulto e ao velho e
que se apresenta a classes sociais distintas. Aponta o estímulo do estudo para futuras ações e pesquisas neste
campo.


146
COSTA, Tônia.
   O conceito de saúde numa escola de zona insalubre. Rio de Janeiro, PUC-RJ, 1992. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Maria Aparecida Campos Mamede Neves).

RESUMO - Analisa o conceito de saúde existente em uma escola de zona insalubre, tendo como pano de fundo a
história da Educação em Saúde no Brasil e aspectos da legislação que nortearam esse tema. Mediante investigação
qualitativa sob forma de estudo de caso, ouve os diversos atores dessa escola, tais como direção, funcionários,
alunos e a professora de Ciências. Nesse sentido, suas falas foram cotejadas com os diferentes momentos da
história. Fica claro que o conceito de saúde dos alunos reflete apenas o trabalho realizado pela professora de
Ciências e não uma política holística de saúde.


147
COSTA, Valter Ferrer.
   Influência do grau de estrutura cinética de um texto de ensino no rendimento discente em Física. Curitiba, UFPR,
   1983. 79p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Karl Michael Lorenz).

RESUMO - Verifica se a teoria cinética, aplicada a uma amostra particular de alunos de 1ª série do 2º grau de
escola brasileira, notadamente com o trecho didático de Física, tem a mesma validade encontrada por Anderson e
outros autores. Foram cinqüenta os sujeitos da pesquisa, equiparados em nível de inteligência e grau de
compreensão de leitura, mediante aplicação prévia de testes especializados, confirmados pelo teste t student.
Forma, então, aleatoriamente, dois grupos de 25 alunos. Elabora um par de textos de ensino: um com alta e outro
com baixa estrutura, ambos na modalidade escrita, baseados em trechos de livro didático. Aplica um texto em cada
grupo. Demonstra que o rendimento do grupo que recebeu o texto de ensino com alta estrutura foi significativamente
                                                                                                                     78


maior que o ocorrido no grupo que recebeu o texto com baixa estrutura. Reitera a validade da teoria cinética de
Anderson também neste caso, mostrando que, dentro dos limites da pesquisa, o rendimento adquirido está
diretamente relacionado ao grau de estrutura de uma comunicação.


148
CUBILLOS, Sérgio Pascoal Zamora.
   Influência do conhecimento prévio sobre o desempenho do aluno em um curso de Física Geral individualizado.
   Porto Alegre, Instituto de Física, UFRGS, 1981. 78p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Marco Antônio
   Moreira).

RESUMO - Estuda a influência dos conceitos subsunçores preexistentes na estrutura cognitiva do aprendiz, na área
de Eletricidade e Magnetismo, sobre seu desempenho em um curso individualizado, nessa área, em nível
universitário básico. Investiga tal influência por meio do cálculo de coeficientes de correlação entre os escores em
testes destinados a medir a disponibilidade de subsunçores adequados na estrutura cognitiva dos alunos, e seu
desempenho medido em termos de conceitos obtidos, tempo de preparação de cada unidade de estudo e número
de testes de avaliação feitos por unidade. Conclui que os alunos, que possuem em sua estrutura cognitiva um maior
grau de subsunçores adequados, têm melhor desempenho em termos de rendimento e eficiência na aprendizagem.


149
CUNHA, Ana Maria de Oliveira.
   Educação e Saúde: um estudo das explicações das crianças, adolescentes e adultos para as doenças
   infecciosas. São Paulo, Faculdade de Educação, USP, 1993. 297p. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Myriam Krasilchik).

RESUMO - Verifica como os sujeitos em várias faixas etárias explicam as doenças infecciosas. Para isso foram
realizadas entrevistas clínicas com vinte e três sujeitos representantes de cinco faixas etárias, a saber: seis, nove,
doze, quinze anos e um grupo de adultos. A retrospectiva feita na História da Microbiologia, discussões
epistemológicas, o estudo da causalidade na Filosofia e os estudos piagetianos sobre a evolução da causalidade na
criança possibilitam o estabelecimento de alguns níveis de explicações causais em que foram classificados os
sujeitos da amostra. Para essa classificação foram considerados tanto os conteúdos das idéias dos sujeitos, como
os raciocínios a elas implícitos. Encontra quatro níveis de explicações: I) explicações artificialistas; II) explicações
naturais com resíduos de artificialismo; III) explicações microbiológicas parciais; IV) explicações microbiológicas
probabilísticas. Aponta algumas semelhanças entre a filogênese e a ontogênese de algumas noções relacionadas
ao tema. Sugere implicações para o ensino, bem como pontos que poderão ser explorados em futuras pesquisas.


150
CUNHA, Carlos Alberto Lobão da Silveira.
   A Geologia introdutória dos livros didáticos no Brasil - um estudo da coerência interna dos textos através do
   conceito de geossinclinal. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1986. 296p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Rosália Maria de Aragão).

RESUMO - Examina os livros didáticos adotados em Geologia Introdutória no país, no que se refere à sua coerência
interna. Os textos foram examinados a partir de seus conteúdos sobre objeto de investigação, método e objeto da
Geologia, verificando-se suas utilizações no conceito de geossinclinal. Procura: a) identificar as obras didáticas
efetivamente adotadas em Geologia Introdutória, no país; b) identificar a caracterização explicitada pelos autores
dos conteúdos de objeto de investigação, método e objeto de estudo da Geologia; c) comparar as obras entre si,
em relação aos seus conteúdos de objeto de investigação, método e objeto de estudo em Geologia; d) identificar
parâmetros para análise do interior das obras; e) analisar a presença desses parâmetros nos textos através do
conceito de geossinclinal; f) comparar as obras entre si, em relação à utilização dos referidos parâmetros nos
respectivos desenvolvimentos do conceito de geossinclinal.


151
CUNHA, Carlos Alberto Lobão de Silveira.
   Geologia introdutória nas instituições de ensino superior no Brasil: análise dos cursos de Ciências e Geologia.
   Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1995. Tese de Doutorado. (Orientador: Hilário Fracalanza).

RESUMO - Identifica, diagnostica e analisa o conteúdo geológico veiculado em disciplinas de geologia introdutória
nos cursos de Ciências e Geografia, no Brasil. Busca também identificar os elementos que influem, de modo
significativo, nessa veiculação. Esses cursos, dos onze identificados em publicações específicas do MEC, e que
potencialmente ministram disciplinas geológicas, são examinados a partir de respostas a dois instrumentos de
                                                                                                                   79


coleta de dados formulados e aplicados por projeto específico: Projeto Universo da Geologia Introdutória (PUGI),
executado entre 1988 e 1993 na UNICAMP. As análises contemplam as características gerais dos cursos, e das
Instituições de Ensino Superior (IES) onde são ministrados, por meio das discriminações conforme sua dependência
administrativa, natureza e região geográfica onde se localizam; contemplam, especificamente, os próprios
conteúdos programáticos, o corpo docente de cada curso, e o material didático neles utilizado. Tais aspectos são
comparados, entre si, nos dois cursos, assim como ao quadro geral das IES, quando possível.


152
DE BASTOS, Fábio da Purificação.
   "Alfabetização técnica" na disciplina de Física: uma experiência educacional dialógica. Florianópolis, Centro de
   Ciências da Educação, UFSC, 1990. 248p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria Oly Pey).
                                                                                               a           o
RESUMO - Desenvolve uma experiência educacional dialógica na disciplina de Física, na 3 série do 2 grau, de
uma escola pública, período noturno, majoritariamente com alunos-trabalhadores. A proposta, centrada na temática
da eletricidade, foi apoiada na experiência de “alfabetização técnica” desenvolvida pelo professor Maurice Bazin e
na concepção educacional do professor Paulo Freire, operacionalizando estas idéias no espaço escolar
institucionalizado, como alternativa para intervenção curricular transformadora no ensino de ciências naturais.


153
DE BASTOS, Fábio da Purificação.
   Pesquisa-ação emancipatória e prática educacional dialógica em Ciências Naturais. São Paulo, Faculdade de
   Educação, USP, 1995. 197p. Tese de Doutorado. (Orientador: José André Angotti).

RESUMO - Tendo a educação dialógica freiriana como a base de um programa de pesquisa-ação educacional em
ciências naturais, destaca a influência que as visões naturalista, interpretativa e crítica tem exercido sobre o
desenvolvimento do conhecimento educativo e das práticas escolares. Elabora e vivencia um programa de
pesquisa-ação educacional, o qual se torna objeto de reflexão de um grupo de professores de ciências naturais.
Desenvolve interpretações das referidas ações sócio-educacionais vividas, à luz da concepção de pesquisa-ação
emancipatória, com o intuito de parametrizar as bases epistemológicas e metodológicas do conhecimento educativo
envolvido na prática educacional dialógica na sub-área de educação em ciências naturais.


154
DEL PINO, Ronimar Scapini.
   Educação e meio ambiente: possibilidades e limites da educação ecológica e da educação ambiental a nível
   escolar. Porto Alegre, Faculdade de Educação, UFRGS, 1988. 122p. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Maria Beatriz Luce).

RESUMO - Analisa alguns projetos de Educação e Meio Ambiente quanto à importância, possibilidades e limites
face às características e necessidades da educação escolar e da sociedade brasileira. Explicita projetos já
desenvolvidos no Rio Grande do Sul, em especial o Projeto Natureza, da Secretaria de Educação do Rio Grande do
Sul, e o Projeto da UNESCO (1977), ponto de referência no estudo, além de vários encontros sobre o tema, em
nível estadual e nacional. Averigua, por intermédio de questionários e entrevistas, como professores de diversas
           a   a            o            o
áreas de 5 a 8 séries do 1 grau e do 2 grau (Ciências, Biologia, Educação Física, Educação Artística, Geografia)
vêm trabalhando temas e/ou projetos de Educação Ambiental em suas aulas e escolas. Numa totalidade que inclui a
categoria da contradição ecológica, aborda criticamente o planejamento da educação brasileira numa perspectiva
que possibilite a interdisciplinaridade na escola, assim como a necessidade de os profissionais da educação
acreditarem na sala de aula como espaço democrático de conscientização e de luta.


155
DELIZOICOV, Nadir Castilho.
   O professor de Ciências Naturais e o livro didático (no ensino de Programas de Saúde). Florianópolis, UFSC,
   1995. 160p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Arden Zylbersztajn).
                                                                                                               o
RESUMO - Estuda a interação do professor com o livro didático em Ciências Naturais destinado a alunos do 1 grau.
A partir de uma amostra de 30 professores em escolas públicas, identifica aqueles que desvelam as idéias
subjacentes nos conteúdos dos livros didáticos. Emprega, como parte do instrumento de investigação, dois capítulos
referentes a Programas de Saúde extraídos de um livro didático de Ciências Naturais, os quais foram submetidos ao
exame crítico dos professores da amostra. Estes foram posteriormente entrevistados. Da análise das entrevistas,
traça um perfil destes docentes tendo como referência as categorias utilizadas por Giroux para analisar a função
social do professor como intelectual, permitindo assim distribuí-los em três distintos grupos: os transformadores, não
                                                                                                               80


transformadores e aqueles em transição. Considera, por fim, as possibilidades a serem implementadas nos cursos
de formação, bem como na formação continuada dos professores em serviço, visando a superação do estilo de
pensamento pedagógico vigente na escola pública, de tal modo a capacitar os docentes para uma prática
pedagógica transformadora, particularmente na interação com o livro didático.


156
DELIZOICOV NETO, Demétrio.
   Concepção problematizadora para o ensino da Ciência na educação formal. São Paulo, Instituto de
   Física/Faculdade de Educação, USP, 1982. 234p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Luís Carlos de
   Menezes).

RESUMO - A partir da educação dialógica, originalmente concebida por Paulo Freire para programas alternativos de
alfabetização de adultos, estabelece um projeto de educação em Ciências em nível básico escolar (5ª e 6ª séries)
num contexto africano. Esta iniciativa na Guiné-Bissau, apoiada tanto pelo governo local como pelo IRFED (Institut
de Rechearche, Formation, Education et Development), é exaustivamente descrita e submetida à análise crítica
neste trabalho.


157
DELIZOICOV NETO, Demétrio.
   Conhecimento, tensões e transições. São Paulo, Faculdade de Educação, USP, 1991. 217p. Tese de Doutorado.
   (Orientador: Luís Carlos de Menezes).

RESUMO - Analisa as rupturas entre os conhecimentos vulgar (ou do senso comum) e o científico, propondo um
                                                                                      o   o
modelo didático-pedagógico para o ensino-aprendizagem das Ciências Naturais no 1 e 2 graus. Com base em
dados historiográficos e epistemológicos, examina as rupturas na produção do conhecimento científico. Essas
rupturas direcionam a investigação das que devem ocorrer entre o conhecimento prevalecente do aluno e o da
Ciência veiculado pelos conteúdos programáticos escolares. O modelo didático-pedagógico proposto, que considera
as rupturas para que haja apropriação de conhecimentos científicos pelo educando, é fundamentado por parâmetros
epistemológicos, pelo prisma pedagógico de educadores progressistas e por práticas educacionais efetivadas em
projetos de ensino de Ciências Naturais.


158
DENIGRES, Regina Helena Zerbini.
   Avaliação de um programa com conteúdos curriculares integrados de Ciências e Matemática. São Paulo,
   PUC-SP, 1976. 3v. 413p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria Amélia Azevedo Goldberg).

RESUMO - Objetiva apresentar uma definição de integração de conteúdos curriculares a fim de tornar claros os
aspectos principais envolvidos no processo, possibilitando sua abordagem objetiva. Também, elaborar,
cientificamente, um programa particular com conteúdos curriculares integrados em Ciências e Matemática, para
uma amostra de alunos da 8ª série do 1º grau em uma escola da rede oficial do Estado de São Paulo. Apresenta e
discute os fundamentos teóricos da problemática de integração de conteúdos curriculares. Usando a técnica da
"análise de faceta", considera uma definição de integração de conteúdos curriculares de Ciências e Matemática
formulada em termos de uma "sentença mapeada". Compara os efeitos de dois programas curriculares para a 8ª
série do 1º grau: um com conteúdos curriculares integrados de Ciências e Matemática, outro com os mesmos
conteúdos apresentados, porém, de forma não integrada. Seleciona dois conteúdos curriculares para a aplicação da
pesquisa: Movimento Uniforme e Função Linear. Os objetivos dos dois programas curriculares foram classificados,
de acordo com a terminologia de Bloom, em categorias de compreensão, aplicação e uso de procedimentos e
processos. Conclui que: a) os alunos dos dois grupos (integrado e não-integrado) não diferiram significativamente
quanto ao rendimento; b) não houve diferenças significativas entre os dois grupos quanto às três categorias de
comportamentos cognitivos; c) parece ter havido um efeito diferencial do programa integrado, no sentido de
aumentar a rapidez dos alunos para enfrentar tarefas de natureza cognitiva em termos das três categorias
mencionadas.


159
DIB, Cláudio Zaki.
   Tecnologia da Educação e a aprendizagem de Física. São Paulo, Instituto de Física, USP, 1972. 241p. Tese de
   Doutorado. (Orientador: Ernst Wolfgang Hamburger)

RESUMO - Apresenta o desenvolvimento de um sistema de aprendizagem de Física, com a aplicação sistemática
de tecnologia da educação. Discute fundamentos de psicologia, de análise de sistemas e de teoria da comunicaç ão,
                                                                                                                   81


0relevantes à aprendizagem. A partir de elementos derivados da teoria comportamentalista, do modelo de
comunicação de Shannon e do modelo de sistemas de Glasser, elabora princípios da tecnologia da educação e faz
sua aplicação à aprendizagem de Física. Propõe modelos para o desenvolvimento e utilização de um sistema de
aprendizagem sob o ponto de vista tecnológico. Faz breve análise de taxonomias de objetivos, apontando-se alguns
problemas relativos ao seu emprego na tecnologia da educação. A taxonomia de Bloom, Krathwohl e colaboradores
é, a título de exemplificação, aplicada à Física. Mostra que, apesar de não existir óbice à aplicação de tecnologia da
educação à aprendizagem de encadeamentos em Física - particularmente quanto à técnica de "encadeamento para
trás", é insustentável, sob o ponto de vista de uma "filosofia" de ensino, a sua aplicação na área científica. Faz
considerações sobre como contornar essas dificuldades, assim como o emprego de análise comportamental de
encadeamentos no desenvolvimento de sistemas de aprendizagem em Física. Formula uma conceituação mais
ampla de "Sistemas de Multimeios", a partir de uma abordagem tecnológica. Desenvolve um sistema de
aprendizagem em Física, segundo os princípios da tecnologia da educação, relativo ao tema "Forças Fictícias em
Sistemas de Referência Não-Inerciais". Emprega a técnica de instrução programada, sendo que a utilização do
sistema requer a realização de experiências individuais pelo estudante e o uso de filmes cinematográficos repetidos.


160
DIETRICHKEIT, Glória Bergier.
                                        a    a
   O cientista na visão de crianças de 1 a 4 séries do primeiro grau. São Paulo, Faculdade de Educação, USP,
   1988. 228p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Myriam Krasilchik).
                                                                                           a    a          o
RESUMO - Investiga as concepções de ciência e de cientista na visão de estudantes de 1 a 4 série do 1 grau. Os
sujeitos pertencem à classe média e à zona urbana da cidade de São Paulo-SP. Conclui que as crianças, na sua
maioria, vêem a ciência como fruto do trabalho humano, porém, do trabalho humano individual. Parecem ver o
                                                                                                                  as
cientista como uma pessoa que possui qualidades que não são facultadas a todos os seres humanos. Nas 4
séries, entretanto, algumas crianças conseguem destacar o papel da “curiosidade” científica, da indagação e busca
                                                                                                                  as
de respostas, tentam enxergar os aspectos positivos e negativos das pesquisas e descobertas científicas. Nas 3
    as
e 4 séries da escola pública, os alunos vêem o cientistas como um pesquisador de doenças, elaborando um
trabalho para uso coletivo. Ressalta que os professores, muitas vezes, sequer têm consciência sobre as imagens da
ciência e do cientista, tais como são apresentadas pela mídia, livros didáticos e pelas próprias crianças. Ao final,
comenta sobre as Propostas Curriculares para o ensino de Ciências e Saúde da Secretaria Municipal de Educação
de São Paulo.


161
DINIZ, Renato Eugênio da Silva.
                                               o                                        a
   A experimentação e o ensino de Ciências no 1 grau: analisando a experimentoteca de 7 série. São Carlos,
   Centro de Educação e Ciências Humanas, UFSCar, 1992. 240p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria da
   Graça Nicoletti Mizukami).

RESUMO - Estudo descritivo e analítico do uso de Kits do Projeto "Experimentoteca Pública" para o
                                                                                    o
desenvolvimento de atividades práticas de laboratório no ensino de Ciências do 1 grau. Recupera fatos históricos
importantes com relação ao uso da experimentação em Ciências, na evolução dessa disciplina dentro do quadro
educacional brasileiro nas últimas quatro décadas. Destaca, na relevância da utilização de Atividades Experimentais
no ensino, dois pontos fundamentais: a possibilidade de atuação concreta e mental do aluno e a perspectiva de
                                                                                                 a
envolvimento desse em procedimentos básicos da metodologia científica. Acompanha uma 7 série em que se
utilizou o material investigado, entrevistando o professor e os alunos da mesma. Observa, nesse processo, a
importância do papel do professor como elemento propiciador e coordenador de momentos significativos para a
aprendizagem dos alunos, principalmente quando se trabalha com material previamente estruturado, como no caso
dos Kits do projeto analisado. Verifica também que, mesmo tendo um grande valor motivacional, a atividade
experimental deve se enquadrar num planejamento prévio da ação pedagógica, para que se explore de modo
satisfatório as potencialidades da mesma.


162
DION, Sônia Maria.
   Vetor velocidade angular - um estudo de aspectos tridimensionais envolvidos em sua conceituação. São Paulo,
   Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1992. 114p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Jesuína
   Lopes de Almeida Pacca).

RESUMO - Parte das dificuldades no ensino-aprendizagem de conceitos de rotação, particularmente as que dizem
respeito à atribuição de um vetor para se caracterizar a velocidade angular. Seu desenvolvimento se faz a partir de
informações extraídas da própria conceituação física daquela grandeza, da concepção espontânea dos estudantes e
da história da matemática que levou à construção de vetores. Identifica, nas concepções dos estudantes, aquilo que
                                                                                                                82


é compatível e também aquilo que não é compatível com esta conceituação. Ao mesmo tempo, estudando a história
da representação vetorial, procura compreender como as dificuldades na aprendizagem dos conceitos de rotação
podem estar associadas a dificuldades de concepção do conceito de vetor e do produto vetorial, operação
empregada na descrição de rotações. Fornece alguns subsídios para auxiliar o planejamento pedagógico do
conteúdo de rotações.


163
DIONÍSIO, Paulo Henrique.
   O método Keller e sua aplicação no ensino de Física Geral na universidade. Instituto de Física, UFRGS, 1976.
   165p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Fernando C. Zawislak).

RESUMO - Analisa o método Keller como uma possível solução para os problemas do ensino de Física na
Universidade. Descreve o sistema e expõe sua fundamentação teórica, com base nos princípios da Teoria do
Reforço. Apresenta ainda uma experiência em que se comparam alunos submetidos ao método Keller e ao ensino
convencional por aulas expositivas, quanto aos seguintes aspectos: nível de aquisição de conhecimento, retenção
dos conhecimentos adquiridos, índice de aprovação, índice de desistências, atitude perante a Física e opinião sobre
o curso. Conclui que não ocorre melhoria apreciável nos níveis de aprendizagem e de retenção com o método
Keller, embora haja um aumento no índice de aprovação. Os alunos mostram-se, em geral, favoráveis ao novo
sistema de ensino, embora declarem despender mais tempo no estudo de Física, o que, em alguns casos, pode ter
prejudicado o desempenho em outras disciplinas. Observa, ainda, que o sistema, da forma como vem sendo usado,
prende demasiadamente o aluno ao livro de texto, não estimulando a pesquisa por conta própria em outras fontes
de informação. Considera que o método Keller é uma alternativa válida para o ensino. Ao optar pelo novo sistema, o
professor deve levar em conta a disponibilidade de tempo e de recursos para a produção do material necessário,
bem como a existência de monitores em número suficiente.


164
DISCHER, Maysa Wolff.
   Educação para Saúde: opiniões de profissionais da Educação e da Saúde atuantes nas escolas. Porto Alegre,
   PUC-RS, 1992. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Claus Dieter Stobaus).

RESUMO - Pesquisa de caráter exploratório-descritivo, realizada com profissionais da Educação e da Saúde
                          o   o
atuantes nas escolas de 1 e 2 graus da rede pública das cidades de Florianópolis e São José, do Estado de Santa
Catarina. Escolhe a população intencionalmente entre diretores escolares, orientadores educacionais, professores
de Ciências Biológicas e odontólogos, em um total de 28 sujeitos. Os instrumentos constituíram-se em questionário
de opiniões, contendo uma ficha informativa pessoal e um roteiro de entrevista, analisados através da técnica de
Bardin de análise de conteúdo. Conclui que a Educação para Saúde encontra-se em estágio embrionário, sendo
abordada de forma superficial e assistemática. Recomenda seu aprimoramento por meio de uma ampla revisão nos
currículos de todos os graus de ensino, bem como que se empreenda mudanças significativas na formação de
recursos humanos e intensificação de ações integradas entre Saúde e Educação.


165
DOMINGUES, Dominique Colinvaux de.
   A formação de conhecimento físico - um estudo de causalidade em J. Piaget. Rio de Janeiro, Instituto de
   Estudos Avançados em Educação, FGV, 1987. 149p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Franco L.P.
   Seminerio).

RESUMO - No contexto dos estudos psicogenéticos de J. Piaget, as investigações sobre o conhecimento físico
abrangem diferentes temas, oriundos predominantemente da mecânica clássica. Há, no entanto, um tema
específico que, ainda no contexto dos estudos psicogenéticos, é abordado de forma circunscrita: a causalidade, ou
explicação causal, que é entendida por Piaget como sinônimo do conhecimento físico. Este ensaio parte, em uma
primeira etapa, dos três textos por ele escritos sobre este tema: “La causalité physique chez l‟enfant” (1927); “Le
développement de la causalité sensori-motrice”, analisado em “La constriction du réel chez l‟enfant” (1937); e “Les
explications causales” (1971). Depreende a origem e evolução de alguns conceitos básicos de seu modelo teórico,
bem como os limites de uma psicologia cognitiva que se volta para o estudo do sujeito epistêmico. Acrescenta
observações e comentários críticos, originados de pesquisas atuais que, desenvolvidas no contexto do ensino e
aprendizagem de Física, focalizam as concepções espontâneas ou alternativas em Mecânica. Finalmente, aborda o
tema da formação do conhecimento físico, a partir da perspectiva de uma psicologia cognitiva, baseada em uma
análise crítica dos estudos de J. Piaget.


166
                                                                                                                   83


DOMINGUES, Maria Eugênia.
  Detecção de alguns conceitos intuitivos em eletricidade através de entrevistas clínicas. Porto Alegre, Instituto de
  Física, UFRGS, 1985. 247p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Marco Antônio Moreira).

RESUMO - Utiliza a entrevista clínica para detectar conceitos intuitivos tidos pelos estudantes, relativos a campo e
potencial elétricos e intensidade de corrente e diferença de potencial em circuitos elétricos simples, assim como
também para estudar a permanência desses conceitos intuitivos após um curso básico de Eletromagnetismo na
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em l984. Conclui que as entrevistas clínicas realizadas permitem
identificar certos conceitos intuitivos e que, em geral, eles permanecem praticamente inalterados depois da
instrução.


167
DUEÑAS PEÑA, Elizabeth.
   Perfil de competências do professor de Ciências Naturais a nível secundário do Departamento de Cusco, Peru.
   Brasília, Faculdade de Educação, UnB, 1982. 449p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Ediruald de Mello).

RESUMO - Estudo motivado pela necessidade de conhecer que competências deve possuir o professor de
Ciências Naturais a nível de educação secundária, do Departamento de Cusco - Peru, para o desempenho
adequado de suas funções, e de saber em que medida existe adequação entre a preparação profissional dos
professores de Ciências Naturais, egressos do Programa Acadêmico de Educação da Universidade San Antônio
Abad del Cusco, com as funções que realmente desempenham em seu trabalho. Caracteriza um perfil
profissiográfico real e ideal do professor de Ciências Naturais sob a forma de competências, que fornecerá
informações às instituições formadoras de professores, especialmente para uma reformulação curricular na futura
Faculdade de Educação da UNSAAC, de acordo com a atual Lei de Educação. Conclui que não existe discrepância
entre as percepções do Diretor e do Professor quanto ao perfil ideal. O professor de Ciências Naturais utiliza,
freqüentemente, a grande maioria das competências estudadas, com exceção das competências de especialidade,
em que se nota uma diferença na intensidade da utilização por parte das subpopulações de professores.


168
DURAN, Victor Manuel.
   Mejoramiento de la enseñanza de Biologia General a nível universitário. Campinas, Instituto de Matemática,
   Estatística e Ciência da Computação, UNICAMP. 148p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Luis A.
   Magalhães).

RESUMO - Apresenta um anteprojeto de Ensino Personalizado de Biologia Geral, com base no Método Keller.
Pretende contribuir com o ensino, de modo a desenvolver no estudante a capacidade de pensar e resolver
problemas, tanto teóricos como os da vida prática.


169
ECHENIQUE, Vera Lúcia Lemos Basto.
   O ensino e a vocação científica do professor - supostos da aprendizagem eficiente em Ciências - 8ª série - 1º
   grau. Santa Maria, Faculdade Interamericana de Educação, UFSM, 1974. 117p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Ladyr Anchieta da Silveira).

RESUMO - Estuda o ensino na área de Ciências, 8ª série, visando detectar dificuldades encontradas no processo de
ensino-aprendizagem, verificar a relação existente entre a eficiência do ensino e a vocação científica do professor,
constatar a utilização do método científico, oferecer sugestões para incrementar o interesse pelas Ciências. Realiza
pesquisa de campo com professores e alunos. Constata que: a) o ensino científico, na concepção adotada, não está
sendo desenvolvido eficientemente; b) que o método científico, quando utilizado, não o é eficientemente; c) que os
professores não realizam experimentos científicos; d) que, com base nos testes estatísticos, a aprendizagem
eficiente na área de Ciências está relacionada ao ensino científico e, este, com a vocação científica do professor; e)
que não está sendo alcançado o objetivo da área de Ciências: "Desenvolvimento do pensamento lógico e vivência
do método científico".


170
ECHEVERRIA, Augustina Rosa.
   Dimensão empírico-teórica no processo de ensino-aprendizagem do conceito soluções no ensino médio.
   Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1993. 283p. Tese de Doutorado. (Orientador: Roseli Pacheco
   Schnetzler).
                                                                                                               84


RESUMO - Tem como objetivo fundamental investigar a relação das dimensões empírico-teórica no processo de
ensino-aprendizagem do conceito químico soluções. Parte do pressuposto de que, em se tratando do ensino de
Química em geral, e de soluções em particular, um tratamento adequado das idéias emergidas da observação
empírica e dos raciocínios teóricos poderia contribuir para promover nos alunos a formação do pensamento teórico,
cuja responsabilidade recai, fundamentalmente, na Escola. Os dados desta investigação são obtidos a partir de: a)
transcrição de entrevistas com professores de escolas públicas da cidade de Campinas-SP; b) análise de testes
                           o       o
aplicados a alunos do 1 e do 2 anos do ensino médio de uma escola técnica de Química, antes e depois do
processo de ensino de soluções; e) análise do processo de ensino-aprendizagem de soluções, constando de três
                                                    o
estudos: análise de testes aplicados a alunos do 2 ano do ensino médio antes de serem submetidos ao ensino de
soluções; análise da observação das aulas do mencionado ensino feita mediante registros de observação;
transcrição e análise de entrevistas realizadas com uma amostra de alunos que estavam passando pelo processo
de ensino-aprendizagem de soluções. Efetua uma análise de conteúdo tanto dos dados emergidos dos testes
quanto das entrevistas. As análises deste conjunto de dados apontam a preponderância de uma visão
empiricista-utilitária dos professores com respeito ao tema soluções, em detrimento dos aspectos teóricos do
mesmo. Esta visão, por sua vez, se reflete nos dados de aprendizagem, que mostram a dificuldade dos alunos em
construir explicações teóricas para os fenômenos relacionados com soluções. Os dados de aprendizagem
mostram, também, uma grande potencialidade dos alunos em trabalhar com raciocínios teóricos, o que não está
sendo aproveitado pelo ensino no que poderia ser uma tentativa de promover, nos alunos, o pensamento teórico.


171
ELLIOT, Lígia Gomes.
                                                                             o
   Nível de integração dos currículos de Ciências e Matemática no ensino de 1 grau oficial no município do Rio de
   Janeiro. Rio de Janeiro, Faculdade de Educação, UFRJ, 1976. 97p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Lyra
   Paixão).

RESUMO - Investiga o nível de integração existente nos currículos de Ciências e Matemática nas quatro séries do 1º
grau, Rio de Janeiro, 1976. Estabelece uma amostra de professores e supervisores, sendo distribuído um
questionário aos mesmos. De posse dos resultados, observa que não existe integração curricular total entre os
referidos currículos, havendo, entretanto, indícios de integração parcial. Aponta algumas dificuldades para essa
integração, em especial quanto à organização curricular dos conteúdos.


172
ENZ, Waldemar.
   Experiência realizada pela Universidade Federal do Paraná abre novo caminho para a formação do professor de
   1º grau na área de Ciências. Curitiba, Faculdade de Educação, UFPR, 1981. 140p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Zélia Milleo Pavão).

RESUMO - Descreve e avalia o Curso de Licenciatura Parcelada Experimental de Ciências, desenvolvido pela
UFPR. Sugere, com base na experiência analisada, a implantação de cursos regulares para a formação de
professores de Ciências de 1º grau, não integralmente nos moldes daquele analisado, mas em cursos que poderiam
ser inspirados naquela experiência. Apresenta um retrospecto histórico dos cursos que formavam e dos que formam
os professores de Ciências. Aponta uma série de aspectos problemáticos inseridos no esquema de formação do
professor de Ciências de 1º grau e externa várias dúvidas através de indagações, cujas respostas poderiam emergir
na medida em que os responsáveis pela educação, nos diferentes níveis, passassem a ver na formação do
professor o ponto de partida para uma educação mais eficiente, oferecendo condições para novas experiências e
aproveitando as bem sucedidas.


173
FALCÃO, Eulina Rosa.
   Um programa de educação sexual - a informação da pesquisa sexual como subsídio para reformulação de
   atitudes. Campinas, Instituto de Matemática, Estatística e Ciências da Computação, UNICAMP, 1977. 149p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Alejandro Engel Bratter).

RESUMO - Discute a importância da informação científica na compreensão do desenvolvimento da função sexual,
dentro de um contexto de educação geral. A partir de um estudo a respeito de educação sexual, desenvolve uma
experimentação com 177 indivíduos universitários de formação profissional variada e com experiência profissional
de 2 a 7 anos. A experimentação processa-se tomando por base as pressuposições seguintes: - a informação
científica é básica e fundamental na compreensão da sexualidade humana e na aceitação de comportamentos
pertinentes a evolução da sexualidade; - o profissional da educação desconhece a informação científica e a
importância dela na compreensão do comportamento do educando e na prevenção de disfunções sexuais. Conclui
que, sendo a reeducação a base para o êxito terapêutico no tratamento das disfunções sexuais e a informação
                                                                                                                   85


científica a base dessa reeducação, talvez a educação possa trabalhar no sentido de prevenir problemas de
desajustamento e de disfunções sexuais. O trabalho resulta de estudo sobre a Resposta Sexual Humana e de
experiência realizada em Cursos com profissionais de Educação.


174
FALCÃO, Jorge Tarcísio da Rocha.
   Da Física intuitiva à dinâmica newtoniana: relevância de simulações em computador como auxiliares
   instrucionais. Recife, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, UFPE, 1987. 228p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientadores: David William Carraher, Manoel Agamemnon Lopes).

RESUMO - Estuda a relevância da utilização de programa de computador para o desenvolvimento do conceito de
força e da compreensão da composição vetorial. O programa utilizado simula o ambiente no qual um corpo físico
(representado por cursor triangular) move-se pela tela do monitor em conformidade com as duas primeiras Leis da
Dinâmica newtoniana. Constitui um grupo experimental, submetido à realização de 14 tarefas no computador
envolvendo composição vetorial em contexto dinâmico, e um grupo controle não submetido a esta atividade. Ambos
                                                                        o
os grupos foram compostos por alunos das duas últimas séries do 2 grau, submetidos previamente à instrução
formal em Dinâmica (Leis de Newton). Avalia os sujeitos de ambos os grupos por intermédio de problemas de três
tipos: 1) problemas dinâmicos em contexto idêntico àquele utilizado na prática com o computador (nave
deslocando-se pelo espaço); 2) problemas dinâmicos em contextos diversos daquele utilizado na prática
supramencionada; 3) problemas envolvendo composição vetorial em situações de equilíbrio estático. Constata
diferenciação significativa de desempenho entre os grupos experimental e controle apenas em algumas questões
constituintes do primeiro tipo de problema, o que foi interpretado como indicador do desenvolvimento de estratégias
eficazes porém restritas ao „fazer‟ (Piaget), sem que se tenha podido detectar avanços significativos na
compreensão dos princípios subjacentes à realização destas ações.


175
FALEIROS, Ana Maria.
   Comparação do efeito de duas condições externas na aprendizagem de uma hierarquia de conceitos e
   princípios. Rio de Janeiro, Centro de Teologia e Ciências Humanas, PUC-RJ, 1977. 209p. Dissertação de
   Mestrado. (Orientador: Abigail Alvarenga Mahoney).

RESUMO - Visa à contraposição de duas condições capazes de promover a aprendizagem de um conteúdo
                                                              a           o
ordenado em seqüência lógica. Prevê sua aplicação na 4 série do 1 grau com dois grupos experimentais, nos
quais se verificará o efeito dessas condições. Verifica a existência ou não de diferença significativa de aprendizagem
entre as duas condições. Consideradas as limitações advindas de pesquisa em situação de sala de aula de uma
escola da rede pública de ensino, espera que os resultados possam ser úteis aos professores, quando forem tomar
decisões relativas à organização do conteúdo e condições de aprendizagem em seus planos de ensino. O estudo
feito em uma unidade escolar não permite generalizações para outras. A escola selecionada tem características
peculiares que a distingue das demais: foi criada com objetivos de experimentação, no sentido de se adotar
procedimentos científicos a cada revisão de trabalho e de adequar-se aos seus objetivos.


176
FARIAS, Antônio Carlos da Silva.
   O ensino de Ciências em Macapá: diagnóstico de situação e alternativas para melhoria do processo de
   ensino-aprendizagem. Campinas, Instituto de Matemática, Estatística e Ciência da Computação, UNICAMP,
   1982. 145p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Sérgio Aparecido Lorenzato).

RESUMO - Analisa a atual situação do ensino de Ciências na cidade de Macapá, nas oito séries do ensino de 1º
Grau, bem como a proposta curricular de Ciências. Faz levantamento do número de escolas de 1º grau existentes
na zona urbana de Macapá,obtendo 33 unidades
de ensino. Elege, por distribuição geográfica, 70% delas como amostra para pesquisa inicial. Procede, então, à
elaboração dos instrumentos para coleta de dados, os quais, após testados, são aplicados nas 23 escolas
escolhidas. Assim, preenche 94 questionários e realiza 10 entrevistas. Caracteriza a atual situação do ensino de
Ciências na cidade de Macapá. Sugere que, na segunda etapa do projeto, seja implantado um laboratório de
ensino-aprendizagem, cuja meta principal é a produção de material didático concreto para experiências no ensino de
Ciências, a ser utilizado em salas de aula.


177
FARIAS, Antônio José Ornellas.
   Mapeamento cognitivo em um curso individualizado: um estudo sobre o efeito da abordagem ao conteúdo. Porto
                                                                                                                  86


   Alegre, Instituto de Física, UFRGS, 1982. 472p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Marco Antônio Moreira).

RESUMO - Analisa a evolução da estrutura cognitiva do aluno, em função da abordagem organizacional do
conteúdo, realizando um estudo no qual duas abordagens foram utilizadas em um curso de Física Geral
individualizado. O conteúdo foi Eletricidade e Magnetismo: para o grupo de controle ele foi apresentado da maneira
usualmente encontrada nos livros de texto, enquanto que para o grupo experimental a apresentação esteve baseada
na teoria de aprendizagem de David Ausubel. A investigação do possível efeito de uma ou outra dessas abordagens
sobre a estrutura cognitiva do aluno foi feita em termos do mapeamento cognitivo, para o qual foram utilizados um
teste de associação numérica de conceitos e a técnica estatística da análise multidimensional. Procedeu-se o
mapeamento cognitivo de cada aluno antes e após a instrução e procurou-se detectar diferenças entre os dois
mapas. Além disso, procede também ao mapeamento cognitivo de cada grupo antes e após a instrução. Os
resultados obtidos parecem prover alguma evidência de que uma abordagem ausubeliana, em um curso
individualizado, contribui, mais efetivamente do que a abordagem convencional, para uma mais adequada
estruturação conceitual do conteúdo na mente do aluno.


178
FASOLO, Plínio.
   Educação científica: metodologias alternativas para o ensino de Ciências. Porto Alegre, PUC-RS, 1987. 120p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Ingeborg Grunwaldt).

RESUMO - Aborda algumas estratégias que procuram desenvolver a educação científica dos estudantes que,
                                                                                            a     a           o
comumente, se submetem as nossas estruturas educacionais, em particular no ensino de 5 a 8 série do 1 grau.
Faz uma crítica sobre o professor de Ciências e seu mais freqüente recurso: o livro-texto. Sugere alternativas
metodológicas consubstanciadas na substituição de grande parte do espaço-tempo dedicado às aulas tradicionais
de Ciências pelo envolvimento dos estudantes em programas de atividades do tipo Feiras de Ciências, Museus de
Ciências, Clubes de Ciências e Projetos Integrados. Uma pesquisa realizada com uma população constituída por
professores de Ciências e Supervisores desta área permitiu: a) caracterizar distorções na nossa educação científica;
b) levantar algumas atividades que seriam exeqüíveis e eficientes para servirem de alternativa às aulas tradicionais;
c) verificar a eficiência de um modelo de treinamento de professores em serviço; d) conhecer o grau de percepção
dos Supervisores de Ciências relativamente ao quadro descrito pelos professores desta mesma área.


179
FAUSTINO, Maria da Conceição.
   Ciência na pré-escola - um estudo de caso. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1994.
   151p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Norberto Cardoso Ferreira).

RESUMO - Proposta de ensino de Ciências a partir da pré-escola, visando a pré-alfabetização em Ciências
explorando e incentivando a curiosidade da criança através da observação de fenômenos científicos e construção
de experimentos e, assim, verificar a possibilidade de ocorrência de aprendizagem. Traça uma breve análise do
ensino de Ciências no Brasil e, em seguida, descreve as etapas do trabalho com suas devidas conclusões. Ressalta
a importância da Ciência/Física na pré-escola, no Brasil, com sugestões para uma modificação positiva no atual
quadro. Utiliza o sócio-interacionismo de Vygotsky fazendo, assim, a análise dos dados em relação ao objetivo a ser
alcançado.


180
FAVARI, Álvaro de.
                                                                                     o
   Análise de um procedimento instrucional para o ensino de observação em Ciências (1 grau). São Carlos, Centro
   de Educação e Ciências Humanas, UFSCar, 1989. 159p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Nivaldo Nale).
                                                                                                                  a
RESUMO - Relata uma pesquisa na área de metodologia de ensino de Ciências. Alunos de algumas classes de 5 e
 a                                     o
6 séries de uma escola pública de 1 grau participaram de aulas em que se visava ensiná-los a observar e
descrever suas observações. A atividade básica desenvolvida nessas aulas foi proposta tendo por inspiração a
"hora da novidade" da pré-escola: alunos eram solicitados a trazer para a classe plantas, animais ou partes dos
mesmos, vivos ou conservados de alguma forma; o material trazido era observado pela classe devendo cada aluno
apresentar um pequeno relatório descritivo dos aspectos que conseguira identificar. Em cinco estudos relata a
evolução nos procedimentos específicos segundo os quais a atividade foi desenvolvida. Essa variação nos
procedimentos relacionava-se principalmente com a natureza das explicações e auxílios dados pelo professor para
ajudar os alunos em sua tarefa. Procedimentos simples de coleta e tratamento de dados permitiram avaliar o
desempenho dos participantes. Aponta os progressos dos alunos em sua capacidade de notar aspectos os mais
diversos do material apresentado, assim como na forma de relatarem suas observações. Analisa o potencial do
recurso didático em questão como alternativa metodológica simples e flexível para se desenvolver aulas práticas de
                                                                                                                   87


Ciências mesmo nas precárias condições de nossas escolas públicas, permitindo que se ensine uma habilidade
importante tanto para o cotidiano do aluno como para sua formação básica em Ciências. Analisa, também, as
possibilidades do recurso no sentido da melhoria do nível de comunicação escrita e oral dos alunos.


181
FERNANDES, Simone Grellet Pereira.
   O estudo das ondas: avaliação de um programa de ensino. São Carlos, Centro de Educação e Ciências
   Humanas, UFSCar, 1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Nivaldo Nale).

RESUMO - Objetiva avaliar um conjunto de procedimentos elaborados com o propósito de introduzir o aluno no
estudo das ondas, valorizando seu conhecimento prévio e sua participação ativa no processo ensino-aprendizagem.
Esse conjunto de procedimentos constituiu o que foi chamado de Programa de Ensino e foi elaborado a partir de
alguns pressupostos que são fundamentados principalmente em certos aspectos da teoria de Ausubel, juntamente
com Novak e Hanesian. Seguindo a concepção ausubeliana, segundo a qual o que mais influencia a aprendizagem
significativa é o conhecimento prévio do aluno, supõe que a melhor maneira para que o professor conheça algo
sobre esses conceitos, já presentes na sua estrutura cognitiva é fazer com que o aluno fale, explique, exponha suas
dúvidas, ou seja, que o aluno participe. Assim, desenvolve o programa de ensino em torno de atividades que
requerem a participação ativa do aluno. Participam do estudo cinco alunos que freqüentavam a disciplina Física
Geral Teórica III, do curso de Ciências, habilitação em Química, da Universidade do Sagrado Coração, Bauru-SP.
Aplica o programa nas aulas noturnas, em encontros de 2h30min, durante seis semanas. Elabora três atividades de
sondagem e seis etapas de atividades práticas, questões e discussões. Constata uma evolução do conhecimento
teórico dos alunos.


182
FERRAÇO, Carlos Eduardo.
   Conhecimento empírico x conhecimento sistematizado: a busca por uma unidade entre teoria e prática. Niterói,
   Faculdade de Educação, UFF, 1982. 472p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: não identificado)
                                                                                            o
RESUMO - Representa o esforço coletivo na construção de uma escola pública de 1 grau mais científica e
democrática. O aspecto científico pretendido tenta extrapolar a discussão do conhecimento sistematizado e da
ênfase no cientificismo. Aponta para a totalidade do processo educacional percebendo a escola, com seus
conteúdos e métodos, como um dado momento desse processo. Apresenta fundamentos teóricos para o ensino de
                                                                                                                   a
Ciências com base no materialismo dialético. Relata cursos de aperfeiçoamento/capacitação de professores de 1 a
 a             o
4 série do 1 grau, bem como reuniões e assessorias a especialistas de ensino da Secretaria de Educação de
Vitória - ES. Descreve um Projeto de Análise de livros didáticos destas mesmas séries, cujo intuito foi de estabelecer
como os aspectos de forma e conteúdo no âmbito da Física eram tratados nesses manuais. Descreve, também, um
                                                                         a  a            o
processo de assessoria a professores e alunos da Rede Municipal de 1 a 4 séries do 1 grau, de Vitória - ES, em
que busca identificar o conhecimento empírico sobre conteúdos de Física e Matemática e auxiliar mudanças no
processo educacional dessas áreas.


183
FERRARO, Concetta Schifino.
   Estudo comparativo entre duas técnicas de laboratório de Química: a da redescoberta e a tradicional. Porto
   Alegre, PUC-RS, 1990. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Icara da Silva Holmesland).

RESUMO - Verifica a viabilidade da utilização da técnica da redescoberta no ensino de Química, em laboratório,
como atividade capaz de desenvolver habilidades e atitudes científicas nos alunos. Faz um estudo sobre os
posicionamentos dos alunos que utilizaram a técnica da redescoberta diante da técnica tradicional de ensino.
Trata-se de uma pesquisa realizada com alunos da disciplina de Química Orgânica II da PUCRS. Utiliza dois
instrumentos: uma escala de posicionamentos, constituída por 30 itens, destinada a detectar as diferenças nos
posicionamentos dos alunos dos dois grupos e um questionário aberto, onde os alunos deveriam expressar sua
percepção sobre as aulas de laboratório ministradas, para identificar e comparar os posicionamentos dos alunos dos
grupos experimental e de controle. Constata que os alunos do grupo experimental manifestaram-se favoráveis à
utilização da técnica da redescoberta, destacando, principalmente, o fato de que ela proporciona melhores
condições de aprendizagem e retenção de informações.


184
FERREIRA, Eraldo Costa.
   Contribuição de problemas complexos para a formação de habilidades de pesquisa, no curso de bacharelado em
   Física. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1980. 59p. Dissertação de Mestrado.
                                                                                                                88


   (Orientador: Joseph Max Cohenca).

RESUMO - Levanta, de trabalhos de pesquisa em Física, habilidades envolvidas nos mesmos. Procura identificar
tais habilidades na abordagem de problemas complexos por estudantes de um curso de mecânica intermediária,
                      o
deste Instituto, no 1 semestre de 1978. Caracteriza estes problemas pelos seguintes atributos: natureza realística,
formulação aberta e carência conceitual e/ou matemática encontrada no abordador. As habilidades mais freqüentes
detectadas foram: localizar o problema, extrair informações bibliográficas, resolver equações numericamente,
interpretar fisicamente uma solução matemática e avaliar os resultados da pesquisa. Em virtude do caráter teórico
dos problemas, as habilidades de natureza experimental não foram encontradas. Acredita que, com uma escolha
mais cuidadosa dos problemas, uma definição mais clara e objetiva das habilidades e atributos e um controle maior
de influência da literatura sobre a abordagem, pode-se conseguir excelentes resultados na formação de habilidades
de pesquisa com problemas complexos.


185
FERREIRA, Hilda Regina.
   Prática de ensino: a importância do exercício da atividade docente na formação do professor de Ciências. São
   Paulo, Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, 1979. 193p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Lia Rosemberg).

RESUMO - A licenciatura pode e deve preparar eficientemente o futuro professor para o desempenho de sua
função. Entretanto, as disciplinas de Formação Pedagógica, que deveriam ter papel preponderante na integração
dos futuros mestres à vida profissional, são quase sempre desvinculadas da prática docente e convertem-se assim
em desperdício de tempo, esforço e recursos. Por intermédio de atividades que possibilitem ao futuro professor o
                          o     o
contato com alunos de 1 e 2 graus em situações concretas de sala de aula, a Prática de Ensino e o Estágio
Supervisionado podem contribuir decisivamente para a formação de professores capacitados a desempenhar
integralmente sua função. O presente trabalho contém algumas propostas de atividades, procedimentos e situações
que propiciam esse contato. Essas propostas foram executadas com um grupo de alunos e, a partir dos resultados
obtidos, foi possível compor o elenco de atividades aqui apresentado, não como um modelo, mas como uma
sugestão a ser estudada e adaptada a cada situação particular.


186
FERREIRA, Márcia Serra.
   As relações de crianças e adolescentes com os animais da Rocinha: contribuições para o ensino de Ciências.
   Rio de Janeiro, Centro de Teologia e Ciências Humanas, PUC-RJ, 1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Pedro Benjamin Garcia).

RESUMO - Discute a relação entre saber erudito/saber popular a partir das representações e classificações que as
crianças e adolescentes das camadas populares elaboram sobre os animais que dividem com elas seu espaço de
moradia. Realiza uma pesquisa, de inspiração etnográfica, na Rua l, na comunidade da Rocinha, Rio de Janeiro, e
tem como ponto de partida a inquietação da pesquisadora frente ao contraste entre os interesses demonstrados por
seus alunos sobre os animais e os fracos resultados no ensino de Ciências, particularmente, da Zoologia.
Interpretando essas falas à luz de diferentes áreas do conhecimento, como a Antropologia, a Filosofia e a Ecologia
                                                                              o
Política, pretende subsidiar as discussões em torno do ensino de Ciências no 1 grau. Espera com a apropriação de
diferentes saberes, elaborados em contextos culturais tão próximos e ao mesmo tempo tão distantes de muitos
professores, contribuir para o repensar sobre o papel dos educadores no trato com as Ciências, bem como sobre a
escola que se tem e a que se deseja na sociedade atual.


187
FERREIRA, Martha Tristao.
   Pedagogia ambiental: uma proposta baseada na interação. Vitória, UFES, 1992. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Jaime Roy Doxsey).

RESUMO - Desenvolve um modelo de aprendizagem em Educação Ambiental numa perspectiva interdisciplinar, a
                                                                                                           o
partir da ação interativa envolvendo um grupo de alunos e professores do curso de Magistério da Escola de 2 grau
Professor Fernando Duarte Rabelo. Essa ação foi realizada em quatro etapas. Na primeira etapa, de formação do
grupo, foram trabalhadas as interações entre os participantes; na segunda etapa, de percepção da questão
ambiental, foram observadas e analisadas, a partir da análise do discurso, as relações de poder da sociedade por
intermédio do conhecimento cotidiano do grupo; na terceira etapa, a fase de vivência, deu-se o contato direto do
grupo com áreas ambientais degradadas e conservadas; e, na quarta etapa, foram levantadas sugestões para
intervenções na prática, a partir de trabalhos em Educação Ambiental.
                                                                                                               89



188
FERREIRA, Norberto Cardoso.
   Proposta de laboratório para a escola brasileira: um ensaio sobre a instrumentalização no ensino médio de
   Física. São Paulo, Instituto de Física/Faculdade de Educação, USP, 1978. 138p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Iuda Dawid Goldman vel Lejbman).

RESUMO - Ensaio sobre a confecção de aparelhagem para o ensino médio em Física experimental. Com base nas
análises da situação educacional brasileira no tocante ao laboratório, e nos trabalhos desenvolvidos em outros
países com respeito às atividades experimentais, chega a uma proposta adaptável ao nosso país - conjunto de
módulos experimentais construídos com sucata, material de baixo custo e fácil obtenção e destinado,
principalmente, às escolas carentes de nossas redes de ensino. O material evoluiu e continua evoluindo com
relação ao tempo, e tem sido aplicado durante os últimos nove anos, em um grande número de colégios e mesmo
em cursos universitários. Analisa algumas tentativas de novas abordagens do ensino experimental da Física em
outros países e suas influências no Brasil. Descreve a aparelhagem e justifica a utilização dos módulos como apoio
da aprendizagem. Finalmente, analisa a interação professor-aluno-instrumento como um sistema dinâmico, no qual
cada componente é modificado no sentido de melhorar a eficiência do mesmo como material de ensino.


189
FERREIRA, Norberto Cardoso.
   Equipes de laboratório e estudo em grupo. São Paulo, Faculdade de Educação, USP, 1985. 235p. Tese de
   Doutorado. (Orientador: Myriam Krasilchik).

RESUMO - Apresenta uma análise de utilização de equipes para a realização de atividades experimentais num
laboratório didático de Física de 2º grau. Tal procedimento metodológico tem como pressuposto básico que os
arranjos grupais favorecem o aprendizado. Faz uma revisão de diversas formas de abordagem dentro de um
contexto experimental, para poder situar aquelas que se valem dos grupos como forma de atuação. Descreve
algumas teorias relativas ao estudo de pequenos grupos, partindo de Kurt Lewin até chegar àquelas que estão
fundamentadas em modelos matemáticos e que constituem o eixo básico da pesquisa. Mostra, por meio da
utilização do modelo matemático de French e de conceitos oriundos da teoria dos grafos, o esfacelamento de
equipes no laboratório. Constata, dessa maneira, que as interações sociais, que suportariam a existência de um
aprendizado baseado nas mesmas, não se verificam. Analisa as causas da ruptura de tais equipes ao lado dos
objetivos do professor e chega a uma importante causa da falácia da utilização de equipes num laboratório didático
de Física de 2º grau. Os estudantes pressionados pelo cumprimento da tarefa ou com a avaliação da mesma têm
comportamentos que rompem toda estrutura dos grupos formados. Seus esforços estão mais voltados para a
execução do experimento do que para uma interação que possa intervir no aprendizado de um seus colegas. Faz
sugestões que podem servir de opções aos professores interessados na aplicação de tal metodologia, para
suplantar o impasse.


190
FIGUEIREDO NETO, Aníbal Fonseca de.
                                      o
   A Física, o lúdico e a ciência no 1 grau. São Paulo, Faculdade de Educação/Instituto de Física, USP, 1988. 2v.
   488p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Yassuko Hosoume).
                                                                                                  o
RESUMO - Apresenta breve análise da atual situação do ensino de Ciências em escolas de 1 grau, em São
Paulo-SP, dos seus métodos e recursos, como também da nova proposta curricular deste ensino. Apresenta uma
                                 o
proposta de ensino de Física no 1 grau, dando ênfase à experimentação e relevado a presença da criatividade e do
lúdico como elementos essenciais no desenvolvimento integral de uma criança. Aponta para a formação necessária
desse novo educador, em particular na área de Física. Concretiza a proposta através do conteúdo de Óptica.
Elabora um texto, onde são apresentados elementos desde a clássica Óptica Geométrica até a moderna Óptica
Física, culminando com questões de ilusão de óptica e percepção visual. Tudo isso disposto em atividades que, por
um lado desafiam a imaginação lúdica da criança e por outro, vão de encontro às expectativas de seu cotidiano,
como a construção de uma “falsa máquina de raio X” ou a projeção de estranhas sombras coloridas; sem no
entanto, diminuir em nada a compreensão dos modelos físicos explicativos.


191
FISCHER, Bernadete de Oliveira.
   Repensando o fazer pedagógico no ensino de Ciências: participação ativa do aluno. Florianópolis, Centro de
   Ciências da Educação, UFSC, 1990. 136p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: José Erno Taglieber).

RESUMO - Apresenta os resultados e as reflexões de uma prática pedagógica com o Ensino de Ciências, baseada
                                                                                                                 90


na "participação ativa do aluno", na Escola Básica "Dom João Becker", sediada em Brusque - SC. No estudo da
relação professor-aluno, prioriza algumas características da relação não-autoritária, como: autonomia/liberdade,
disciplina, diálogo e alegria na escola. Os conteúdos são estudados segundo sua contextualização, consistência e
adequação com a idade do aluno. A coleta de dados deu-se através da observação direta e indireta, entrevista com
professores de Ciências e com os alunos que participaram da pesquisa e análise de documentos. Analisa os dados
segundo categorias estudadas na fundamentação teórica,                 consideradas fundamentais para um ensino
participativo, visando a satisfação dos alunos pela cultura científica, a reconstrução do conhecimento e a tomada de
consciência de que são sujeitos construtores e transformadores da realidade.


192
FONSECA NETTO, Antônio Machado.
   A indução como processo de ensino de Química. Araraquara, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de
   Araraquara - UNESP, 1973. 226p. Tese de Doutorado. (Orientador: Amélia A. Domingues de Castro).

RESUMO - Aplica método indutivo no estudo, consistindo em rever a teoria (formação de hipóteses), incluir
observações (dedução-revisão de hipóteses) e verificar a teoria no experimento. Constata que, mantendo o aluno
em atividade pode-se: a) estimular o aprendizado, b) conseguir que o aluno consulte o professor espontaneamente,
c) desenvolver seu raciocínio, d) despertar seu interesse para os experimentos de laboratório e os resultados que
deles advém, e) levantar hipóteses sobre os fenômenos, e f) entendendo que seu trabalho individual tem
finalidades altamente sociais, tomar consciência de sua responsabilidade, além de respeitar a opinião dos demais
educandos.


193
FORESTI, Miriam Celi Pimentel Porto.
   Diagnóstico do curso de licenciatura em Ciências Biológicas do campus universitário de Botucatu - UNESP: um
   estudo de ex-alunos com experiência no magistério. São Paulo, PUC-SP, 1982. 228p. Dissertação de Mestrado.
   (Orientador: Arlette D‟Antola).

RESUMO - Busca subsídios para o aperfeiçoamento da formação de professores de Ciências Biológicas no Campus
de Botucatu-UNESP. Realiza um diagnóstico do curso de Licenciatura daquele Campus, com base em opiniões de
ex-alunos com experiência docente. Resultados desse estudo são utilizados em futuras tomadas de decisão acerca
do currículo e em propostas de reformulações de curso. As informações solicitadas relacionam-se com a formação
na Licenciatura e com o trabalho docente desenvolvido e foram obtidas através das fichas cadastrais dos alunos e
do preenchimento de um questionário específico. A análise das informações foi predominantemente descritiva,
prevendo-se tratamento estatístico para analisar as variáveis "opinião sobre as disciplinas do currículo" e
"necessidades docentes percebidas". Conclui que um dos aspectos críticos da Licenciatura é a despreocupação
geral dos professores da área científica com a formação do professor de Ciências do 1º e 2º graus; também é crítica
a situação da maioria das disciplinas "básicas" e "biológicas", mais necessárias ao professor de Ciências ou de
Biologia que as da área "biomédica". Outro aspecto crítico é a falta de adequação das disciplinas científicas aos
objetivos de Ciências do 1º e 2º graus, sendo essencialmente voltadas para a pesquisa. Também é crítico o
desinteresse inicial dos alunos pela área "pedagógica" e o despreparo dos egressos para atividades básicas do
ensino de Ciências, indicando a inadequação da formação pedagógica em relação a esses aspectos do trabalho
docente, revelado pelo levantamento de necessidades dos ex-alunos ao ministrarem aulas. O diagnóstico evidencia
a necessidade de conscientizar professores e alunos para a importância da Licenciatura, dando-lhe o mesmo
tratamento do Bacharelado. Cumpre integrar o trabalho das disciplinas do currículo em um projeto para a
Licenciatura.


194
FRACALANZA, Dorotéa Cuevas.
   Crise ambiental e ensino de ecologia: o conflito na relação homem-mundo natural. Campinas, Faculdade de
   Educação, UNICAMP, 1992. 315p. Tese de Doutorado. (Orientador: Sérgio Aparecido Lorenzato).
                                                                         o
RESUMO - Há duas décadas o currículo de Biologia para as escolas de 2 grau não incluía, com o mesmo destaque
de hoje, temas como a Ecologia e a Questão Ambiental. A crescente importância desses assuntos e a estreita
vinculação entre eles, são sinais de uma mudança de sensibilidade na relação entre o Homem e o Mundo Natural.
Atualmente, esta se apresenta sob a influência de dois pontos de vista conflitantes: o domínio do Homem sobre a
Natureza e a sujeição do mesmo às leis enunciadas pela Ciência Ecológica. Esta representa o ramo do
conhecimento científico que mais diretamente tem influído na elaboração de categorias com as quais, recentemente,
o Homem passou a apreender e interpretar o Mundo Natural. Admite-se que a atual perspectiva que norteia a
relação Homem-Natureza tenha se organizado a partir da compreensão sistêmica do Mundo Natural. Considerando
que a escola representa uma instância social privilegiada de divulgação de conhecimento ecológico, busca-se
                                                                                                                   91


identificar nos livros didáticos de Biologia e nas fontes bibliográficas neles referidas: quando e como eles abordam a
Teoria dos Ecossistemas; se incluem o Homem como parte dos Ecossistemas; se apresentam e discutem as
questões ambientais; como manifestam a relação entre Homem e Natureza, principalmente no que se refere ao
conflito a ela inerente e às suas implicações.


195
FRACALANZA, Hilário.
   O conceito de ciência veiculado por atuais livros didáticos de Biologia. Campinas, Faculdade de Educação,
   UNICAMP, 1982. 203p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Joaquim Brasil Fontes Júnior).

RESUMO - Constata inúmeras controvérsias e confusões existentes entre as várias concepções de ensino de
Ciências e suas relações com as ciências - quer enquanto área de conhecimento, quer enquanto bem de produção -
decorrentes principalmente das propostas metodológicas difundidas nas últimas décadas. Assim, verifica a
concepção de ciência, particularmente de Biologia, veiculada nas escolas de 2º grau do Brasil, por intermédio dos
atuais livros didáticos disponíveis no mercado. Deseja, com isto, perceber até que ponto os atuais manuais
escolares brasileiros para o ensino de Biologia incorporaram as "inovações" no ensino de ciências difundidas a partir
da década de 60. Arrola 16 livros didáticos brasileiros de Biologia que contém a unidade "Origem da Vida". Estes
são caracterizados segundo: o conteúdo programático que desenvolvem e a relação desse conteúdo com os
currículos oficiais; a apresentação da Biologia aos leitores e a unidade "Origem da Vida". Identifica as concepções
explícitas de Biologia nesses manuais, seguindo-se uma análise da referida unidade, buscando-se explicitar as
concepções de Biologia veiculada por esse capítulo em especial, nos livros analisados. Dessa análise decorre que
os livros analisados, em linhas gerais, apresentam a Biologia como uma ciência a qual: busca substituir os relatos
da experiência empírica vulgar decorrente de "simples observação" pelas explicações científicas assentadas na
experimentação; é construída a partir das investigações desinteressadas de personalidades ilustres - ou cujo
interesse se reduz apenas à busca da verdade e/ou do bem estar da humanidade; é organizada mediante
procedimentos exemplares seqüenciados num conjunto estereotipado e conhecido como "método científico".


196
FRACALANZA, Hilário.
   O que sabemos sobre livros didáticos para o ensino de Ciências no Brasil. Campinas, Faculdade de Educação,
   UNICAMP, 1993. 302p. Tese de Doutorado. (Orientador: Décio Pacheco).

RESUMO - Descreve os principais aspectos e resultados do Projeto Livro Didático e do Serviço de Informação sobre
Livro Didático da Biblioteca Central da UNICAMP. Classifica e descreve a produção acadêmica e científica sobre o
livro didático no Brasil utilizando, como descritores: o tipo de documento; a área do currículo escolar à qual o
documento se refere; o nível de escolaridade abrangido pelo documento; o foco privilegiado de atenção do autor do
documento; e os gêneros da produção. Analisa a produção científica e didática sobre o livro escolar de Ciências no
Brasil. Em especial, analisa as propostas de metodologia de ensino implícita ou explicitamente consideradas nos
documentos.


197
FRAGA, Catarina Fernandes de Oliveira.
   O ensino de Ciências e o livro-texto no cotidiano escolar. Recife, Centro de Educação, UFPE, 1994. 180p.
   Dissertação de Mestrado. (Orientador: Paulo Gileno Cysneiros).

RESUMO - Analisa como os professores de Ciências trabalham o livro-texto na sala de aula, levando em
consideração a esfera escolar onde este livro está presente. Observa aulas e entrevista quatro professoras de
              a      a
Ciências de 5 a 8 séries de duas escolas da rede pública estadual de Pernambuco, localizadas na cidade de
Olinda. Além dessas professoras, entrevista diretores e funcionários dos dois estabelecimentos, de forma a obter
uma visão mais ampliada dos fatores que incidem diretamente na prática do professor. O fato de, aproximadamente,
90% dos alunos não possuírem os referidos livros, levou esses professores a criarem alternativas, as quais
passaram a constituir parte integrante do estudo. A falta de livros-textos, evidenciada entre os alunos e nas
respectivas bibliotecas escolares, constitui um dos determinantes das práticas pedagógicas estudadas. Porém, as
estratégias desenvolvidas pelos docentes faziam com que os livros-textos se “concretizassem” nas salas de aula,
revelando um ensino tradicional, pautado nos livros de baixa qualidade, o que, por sua vez, compromete ainda mais
o ensino de Ciências.


198
FRANCO, Jacy Lins e Silva.
   Multiprogramação com o método Keller. Salvador, Faculdade de Educação, UFBA, 1979. Dissertação de
                                                                                                                 92


   Mestrado. (Orientador: Delmar Ewaldo Scheneider et al).

RESUMO - Estuda as possíveis influências do planejamento de um curso com método individualizado programado
com alternativas de procedimento de estudo, tendo em vista a heterogeneidade inicial da classe. Pretende verificar
as possibilidades de superação das deficiências dos alunos, decorrentes de seus antecedentes sócio-culturais,
reduzindo-se as limitações até se conseguir, para cada aluno, uma curva de aproveitamento final satisfatório. Estuda
duas populações compostas de turmas do 1º e 2º semestre do ano de 1978, da disciplina BIO 007 - Biologia, do
Instituto de Biologia da UFBA, sendo que apenas aos alunos do 2º semestre aplica a programação com alternativas.
As alternativas oferecidas ao segundo grupo foram desenvolvidas a partir dos resultados do trabalho com o 1º
grupo. A avaliação do desempenho do 2º grupo apresentou indícios de resposta favorável ao trabalho.


199
FRANCO JÚNIOR, Creso.
   Contribuição da história da Física à didática - o caso da lei de queda dos corpos. Rio de Janeiro, Centro de
   Teologia e Ciências Humanas, PUC-RJ, 1988. 106p. Dissertação de Mestrado (Orientador: Vera Candau).

RESUMO - Desenvolve contribuições para a didática derivadas da história da Física, em especial da lei de queda
dos corpos. Apóia-se teoricamente na concepção de obstáculo epistemológico de Bachelard. Analisa trabalhos de
Galileu sobre a queda dos corpos, sob diferentes abordagens, optando pelos estudos e análises de Koyré. Examina
                                                           o
quais as repercussões da história nos livros didáticos de 2 grau. Conclui que parte dos livros expõe uma concepção
de ciência influenciada pelo empirismo, mas sem desenvolver uma metodologia didática coerente com este
posicionamento. A outra parte dos livros, assumindo a concepção de que a cinemática não é uma forma de
                                                                                                             o
explicação dos fenômenos, não apresenta a lei de queda dos corpos. Sugere que o estudo de cinemática no 2 grau
seja realizado com metodologia que explicite os problemas cruciais e evidencie as relações entre o problema da
queda dos corpos, bem como o debate sobre os sistemas de mundo.


200
FRANKLIN, Bonifácio Pires.
   Criação e implantação do Museu de Ciências Naturais da Universidade Federal do Piauí - síntese histórica e
   evidência educacional. Campinas, Instituto de Matemática, Estatística e Ciências da Computação, UNICAMP,
   1981, 132p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Fernando Dias de Ávila Pires).

RESUMO - Descreve a trajetória profissional do autor, desde 1977, como professor de Ciências Naturais junto ao
Departamento de Biologia da Universidade Federal do Piauí (UFPI), com destaque para a criação e implantação do
Museu de Ciências Naturais da UFPI. Aponta algumas atividades desenvolvidas como apoio ao ensino de Ciências,
bem como visando oferecer informações ao público em geral.


201
FREIRE, Vanda Lima Bellard.
   Comparação entre o ensino tradicional e o ensino tradicional com reforço por módulos, com ênfase na possível
   influência de valores e características sócio-econômicas no rendimento escolar. Rio de Janeiro, Instituto de
   Estudos Avançados em Educação, FGV, 1980. 107p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Maria Ângela
   Vinagre de Almeida).

RESUMO - Analisa a utilização do ensino por módulos, utilizado como reforço de ensino, em Física e em
Matemática, por alunos da 1ª série do 2º grau, da Rede de Ensino Estadual do Rio de Janeiro. Avalia a utilização
dessa metodologia quanto ao rendimento dos alunos e, também, relaciona-a à cosmovisão (tratada em termos de
níveis de consciência, segundo Reich e à situação sócio-econômica desses alunos (segundo escala de Guidi e
Duarte. Constitui grupos experimentais e de controle em quatro colégios estaduais dos municípios de Valença,
Friburgo e Rio de Janeiro. Aplica os seguintes instrumentos: a) testes diagnóstico e pós-testes, em Física e em
Matemática, aos dois grupos de cada colégio; b) escalas destinadas à classificação dos alunos dos grupos
experimentais em níveis de consciência e em classes sociais. Estabelece relação entre o rendimento obtido em
Física e em Matemática e: a) metodologia utilizada; b) níveis de consciência apresentados pelos alunos; c)
classificação sócio-econômica desses alunos. Conclui pela validade da aplicação do reforço de ensino por módulos,
em condições semelhantes e à clientela semelhantes às consideradas no estudo.


202
FREIRE JÚNIOR, Olival.
   Estudo sobre interpretações (1927-1949) da teoria quântica: epistemologia e Física. São Paulo, Instituto de
   Física/Faculdade de Educação, USP, 1990. 95p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Amélia Império
                                                                                                                  93


   Hamburger).
                                                                                                           o
RESUMO - Objetiva a elaboração de subsídios para currículos de formação de professores de 2 grau e
bacharelado num assunto chave do moderno conhecimento científico. Trata-se de um estudo epistemológico, com
forte apoio na pesquisa histórica. Estuda a formação da teoria quântica e os principais debates e interpretações
ocorridos no período que vai de 1900 a 1949. Destaca, em especial, as interpretações sustentadas por Bohr e
Einstein, buscando detectar uma articulação mais explícita entre Física e filosofia, estudando interpretações
matizadas ou mesmo diferenciadas das sustentadas pelos dois autores referidos. Em especial, foram examinadas
visões de Jordan, Heisenberg, Blokhintzev, Tyerletsky, Langevin, Fock e Taketani. No estudo destas interpretações
concentra o exame em alguns problemas como: dualidade onda-partícula, interação entre objeto e os meios de
investigação, o conceito de realidade Física, descrição probabilística da natureza, completude de teoria quântica,
adequação teoria/objeto e o conceito de não-separabilidade. Destacam-se como principais resultados: a) a
necessidade de distinguir a diversidade de contribuições epistemológicas significantes contidas no debate e
entender a riqueza dos significados científicos e filosóficos de suas posições relacionadas com seus respectivos
programas científicos: Bohr clarificando a consistência da teoria quântica e precisando seu objeto e Einstein olhando
para a evolução da teoria numa perspectiva de um objeto mais amplo; b) destacar em uma base filosófica mais
sistematizada - materialismo dialético - a riqueza de novos significados epistemológicos expressos nas
interpretações da teoria quântica de Fock, Taketani e Langevin.


203
FREITAS, Denise de.
   O aperfeiçoamento de professores em exercício no ensino de Ciências: a quem interessam os resultados? São
   Carlos, Centro de Educação e Ciências Humanas, UFSCar, 1988. 270p. Dissertação de Mestrado. (Orientador:
   Rosália Maria Ribeiro de Aragão).

RESUMO - Estudo de caso de cunho descritivo-analítico, trata de um Curso de Especialização em Ensino de
Ciências (CEEC), ministrado numa Instituição de Ensino Superior do Estado de São Paulo, em convênio com a
CAPES/MEC. O Curso, concernente ao aperfeiçoamento de professores de Ciências em exercício, objetiva a
                                           o
projeção e implementação no ensino de 1 grau de propostas inovadoras de caráter metodológico e programático
numa abordagem de pesquisa-ação. Configura o impacto da proposta inovadora desse modelo de curso, bem como
a natureza das contribuições advindas do CEEC, evidenciando as inovações pretendidas em função da explicitação
de parâmetros de análise. As percepções e análises realizadas se situam no nível da visão dos participantes
enquanto grupo e as informações - obtidas informalmente - são de caráter cognitivo e afetivo, advindas de várias
fontes: - documentos, depoimentos e observações “in loco”. Conclui que: a) as contribuições efetivas do CEEC
situam-se e permanecem em nível mais geral de reflexão ou de elaboração intelectual da ação de ensino; b) a ação
inovadora parece bloquear-se quando se projeta a prática efetiva, pois que, justamente aí, inconsistências e
desarticulações surgem. Isto significa que se inovam as intenções de ensino, mas ainda não propriamente a prática
de ensino, uma vez que esta parece exigir mais que reflexão e implica certos níveis de operacionalização
conceituais que não parecem ter sido atingidos.


204
FROTA, Paulo Romulo de Oliveira.
   Integração da distância como função da velocidade e do tempo em crianças de duas diferentes escolas.
   Teresina, UFPI, 1995. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Antônio Roazzi).

RESUMO - Investiga a integração dos conceitos físicos, distância, velocidade e tempo, em 192 crianças de 7 a 14
anos, 12 por cada série, em função da idade, escolaridade e sexo. Como teste de controle, foram ministrados os
testes de inteligência Wisce Raven. A tarefa experimental consistiu em estimar a distância percorrida por um homem
a pé, de bicicleta e de carro, em função do toque intermitente de uma sirene nas modalidades de tempo curto 2
segundos, tempo médio 5 segundos e tempo longo 8 segundos. Os resultados apontam que, enquanto as crianças
da escola particular adquiriram o conceito integrado de distância em função da velocidade e do tempo, a partir de 8
            a                                                                                                a
anos, na 2 série, esse mesmo conceito foi adquirido por crianças da escola pública a partir de 11 anos, 6 série,
sem discrepância significativa em função do sexo. As evidências empíricas permitem supor que a defasagem na
aquisição dos conceitos integrados de distância em função da velocidade e do tempo, entre o sujeito da escola
pública e da escola privada, deve-se à idade escolar e aos contatos de superfície - vivências e experiências
conseguidas no lar e na escola. Tais resultados sugerem que os conceitos físicos estudados, podem ser
trabalhados a partir dos 8 anos de idade e que os processos escolares formais podem concorrer para a sua
aquisição.


205
FRUET, Maria Silvia Bruni.
                                                                                                                94


   Adolescência, sexualidade e AIDS. Campinas, Faculdade de Educação, UNICAMP, 1995. 125p. Dissertação
   de Mestrado. (Orientador: Ana Maria Faccioli de Camargo).

RESUMO - Busca entender através de gestos, sinais e principalmente palavras, como os adolescentes representam
a sexualidade e a AIDS, considerando-se as influências exercidas pela família, escola, amigos e meios de
comunicação. Coleta informações mediante depoimentos pessoais de 15 adolescentes, colhidos em entrevistas
                                           o   o
realizadas em duas escolas estaduais de 1 e 2 graus de Campinas, bem como por meio de observações feitas a
partir de um Programa de Prevenção em AIDS desenvolvido nas mesmas escolas e da análise de artigos relativos
ao tema, publicados recentemente em jornais de São Paulo. Constata que os adolescentes são fortemente
influenciados pelos meios de comunicação, assumindo as representações sociais da sexualidade como suas. Seu
discurso aparece como a reprodução de um outro já estabelecido, normatizado pelo social, onde a singularidade
praticamente não existe. O estudo explicita estas representações para poder entender, e não apenas explicar ou
revelar e então propor uma forma de trabalhar estas questões trazidas pela sexualidade e AIDS com os
adolescentes. Não deseja criar uma nova ordem social, mas dar a oportunidade de discutirem, reconhecerem e se
colocarem em processos de singularização que levariam a outros processos, rompendo os equilíbrios estabelecidos,
compondo novos afetos, práticas, discursos e comportamentos.


206
FURLANI, Jimena.
   A formação do professor de Biologia no curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Santa
   Catarina: uma contribuição à reflexão. Florianópolis, Centro de Ciências da Educação, UFSC, 1993. Dissertação
   de Mestrado. (Orientador: Vera Lúcia Chacon Valença).

RESUMO - Apresenta um diagnóstico das características do professor de Biologia formado no Curso de Licenciatura
da Universidade Federal de Santa Catarina, bem como os aspectos da sua formação. Orienta-se na análise de dois
aspectos básicos: a estrutura do curso e seu enfoque disciplinar, bem como o perfil do corpo docente que atua
neste processo de formação. Utiliza referencial teórico baseado em Habermas que, por meio da teoria crítica em
educação, define os conceitos de interdisciplinaridade, confrontando-os com o processo de fragmentação do
conhecimento científico. Também apóia-se em Gusdorf que apresenta seus conceitos de forma aplicada no ato
                                                                                                             a   a
pedagógico. Como prática metodológica para obtenção de dados, utiliza questionários dirigidos aos alunos de 4 , 6 ,
 a     a
7 , e 8 Fases do Curso, licenciados atuando na área de ensino básico e professores do Departamento de Biologia,
Departamento de Botânica e outros departamentos que participam da formação deste professor.


207
FUSINATO, Polonia Altoé.
   O ensino de Física no município de Maringá (PR) - um estudo empírico de diagnóstico . São Paulo, Instituto de
   Física/Faculdade de Educação, USP, 1985. 198p. Dissertação de Mestrado. (Orientador: Fuad Daher Saad).

RESUMO - Descreve o desenvolvimento de um estudo-diagnóstico do distanciamento entre os ensinos ministrados
no Município de Maringá (PR), no 2º e 3º graus em Física. O estudo consiste na implantação de um programa para o
conhecimento empírico da situação de realidade deste ensino, sob avaliação de seus autores. Estuda o processo do
desenvolvimento histórico da Região Geo-Educacional de Maringá. Mediante entrevistas, questionários e
observações de aulas, analisa currículos desenvolvidos na Fundação Universidade Estadual de Maringá - FUEM,
bem como os currículos desenvolvidos em escolas de 2º grau, oficiais e particulares, também do Município de
Maringá, Compara os resultados com elementos de análise dos textos didáticos adotados no ensino de Física em
Maringá e de aspectos da legislação em vigor (5540/68, 5692/71, 7042/82, etc.). Demonstra uma precária
articulação do ensino de Física entre os níveis de 2º e 3º graus e, em contrapartida, a existência de regiões de
semelhança nas atuações de professores nos dois níveis, e de interesses e expectativas de professores e alunos de
Física em geral. Os dados levantados foram interpretados como sustentando prognóstico de solução para o
problema apontado da desarticulação de ensino, assentados sobre estratégias de aproximação dos atores em
exercício nos diferentes níveis de ensino. Formula propostas de intervenção sobre o problema em questão,
consideradas compatíveis com estas estratégias.


208
FUSINATO, Polônia Altoé.
   Panorama do curso de Física da USP no perfil de seus alunos: um estudo do desempenho acadêmico no
   período de 1989 a 1995. São Paulo, Faculdade de Educação, USP, 1995. 207p. Tese de Doutorado.
   (Orientador: Ernest Wofgang Hamburger).

RESUMO - Objetiva verificar a intensidade da evasão nos três primeiros semestres, identificar as disciplinas que
oferecem maiores dificuldades ou pontos de acumulação, detectar os problemas vivenciados pelos alunos tanto de
                                                                                                                95


ordem pessoal como institucional. Investiga aspectos da evasão escolar, valendo-se de três estudos diferentes,
desenvolvidos em ordem cronológica. O primeiro, busca verificar a evasão nos primeiros semestres do curso,
analisando o desempenho dos alunos por meio dos créditos acumulados em cada semestre e relacionando este
desempenho com a classificação no vestibular. Analisa ainda a performance dos alunos nas disciplinas dos três
primeiros semestres, relacionando os resultados com a evasão. Obteve por questionário aplicado na matrícula de
1990, a opinião dos alunos o que permitiu a elaboração de um projeto de acompanhamento de alunos. Este projeto,
                                                                                               o
relatado no estudo II, foi realizado em 1991 com os alunos matriculados nas disciplinas de 1 semestre do curso.
Elabora um plano de ação envolvendo os docentes da disciplina e o grupo de acompanhamento (responsáveis pelo
projeto). Desenvolve um conjunto de atividades paralelas às aulas normais, tais como aulas de reforço, listas de
exercícios sobre unidades de conteúdo, palestras, visitas a exposições e laboratórios didáticos e de pesquisa.
Estuda, ainda, a correlação entre as disciplinas entre si e com o vestibular (classificação, notas de Física e
Matemática no vestibular), utilizando o modelo da correlação linear de Pearson. O estudo II mostra os resultados de
três questionários aplicados no primeiro semestre de 1991, com a finalidade de obter, do aluno, informações sobre o
andamento das disciplinas iniciais do curso. No terceiro estudo, retoma os ingressantes de 1989, decorridos cinco
anos e meio de curso, complementando ainda com uma atualização sobre o número de formados, incluindo dados
     o
do 1 semestre de 1995. Os estudos fornecem dados que permitem traçar um quadro da evasão no Instituto de
Física da Universidade de São Paulo no período estudado, sugerindo possíveis intervenções e soluções.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:63
posted:11/16/2011
language:Portuguese
pages:60