CAMPUS DE PORTO VELHO by 6G7oZw4

VIEWS: 0 PAGES: 7

									                                                                                  1
                         CAMPUS DE PORTO VELHO
                          CURSO DE ENFERMAGEM

                            ÁREA: SAÚDE PÚBLICA

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

   1. Concepções sobre a saúde e a doença
   2. Saúde e doença e a Vigilância à saúde
   3. Sistema Único de Saúde
   4. Atenção Primária e a Estratégia Saúde da Família
   5. Educação em Saúde
   6. Assistência de enfermagem à família
   7. Atenção à criança em unidade básica de saúde
   8. Manejo e promoção do aleitamento materno
   9. Consulta de enfermagem à criança e ao adolescente na rede básica
   10. Assistência de enfermagem ao usuário hipertenso
   11. Assistência de enfermagem ao usuário diabético
   12. Assistência de enfermagem ao idoso na rede básica e no domicilio

BIBLIOGRAFIA
BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Incentivo ao Aleitamento
Materno. Manejo e promoção do aleitamento materno – Iniciativa Hospital Amigo
da Criança (IHAC). Brasília: MS/OMS/OPAS, 2003.
_____. Manual de Hipertensão arterial e diabetes melittus: plano de reorganização
da atenção à hipertensão arterial e ao diabetes melittus. Brasília: MS, 2002.
_____. Guia prático do programa saúde da família. Brasília: MS, 2001.
_____. Manual de enfermagem em saúde da família. Brasília: MS, 2001
_____. Manual de prática clínica em saúde da família. Brasília: MS, 2001.
CAMPOS, G.W. de S. et al. (Orgs). Tratado de saúde coletiva. São Paulo – Rio de
Janeiro: Hucitec – Fiocruz, 2006.
CUNHA, A.J.L.A. da.; BENGUIGUI, Y.; SILVA, M.A.S.F. e. (Orgs). Atenção
integrada às doenças prevalentes na infância: implantação e avaliação no Brasil. Rio
de Janeiro: Fiocruz, 2006.
COSTA, E.M.A.; CARBONE, M.H. Saúde da Família: uma abordagem
interdisciplinar. Rio de Janeiro: Rubio, 2004.
DESLANDES, S.F. Humanização dos cuidados em saúde: conceitos, dilemas e
práticas. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.
FONTES, B.; MARTINS, P.H. Redes, práticas associativas e gestão pública. Recife:
Ed. Universitária da UFPE, 2006.
GUTIERREZ, P.R.; OBERDIEK, H.I. Concepções sobre a saúde e a doença. In:
ANDRADE, S.M. et al. (Orgs). Bases da saúde coletiva. Londrina: Ed. UEL, 2001.
ROACH, S. Introdução à enfermagem gerontológica. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2003.
STARFIELD, B. Atenção primária e sua relação com a saúde. In: _____. Atenção
primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. 2. ed.
Brasília: UNESCO Brasil, Ministério da Saúde, 2004.
VASCONCELOS, E.M. Educação popular e a atenção à saúde da família. São
Paulo: Hucitec, 1999.
VERDI, M.; COELHO, E.B.S. Do higienismo ao SUS: a evolução histórica das
políticas de saúde no Brasil e o SUS. In: _____ et al. (Orgs). Enfermagem na atenção
primária de saúde. Textos fundamentais. Florianópolis: UFSC/NFR/SBP, 2005. Volume
I.
                                                                                  2
                         ÁREA: MATERNO INFANTIL


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

   1. Ciclo reprodutor feminino
   2. Assistência de enfermagem e principais aspectos das patologias ginecológicas
   3. Exame ginecológico de enfermagem
   4. Prevenção e Controle de câncer cérvico-uterino e de mama
   5. Planejamento familiar e métodos contraceptivos
   6. Fisiologia da concepção
   7. Alterações fisiológicas na gestação
   8. Trabalho de parto e nascimento
   9. Assistência de enfermagem no intraparto e pós-parto
   10. Cuidados imediatos ao recém-nascido
   11. Assistência de enfermagem no alojamento conjunto e aleitamento materno
   12. Assistência de enfermagem domiciliar, materna e infantil
   13. História Social da Criança. A criança a família e a sociedade. Aspectos
       psicológicos, fisiológicos e sociais do desenvolvimento humano.
   14. Crescimento e Desenvolvimento
   15. Programa Nacional de Imunização (PNI)
   16. Alimentação da Criança
   17. Violência contra crianças e adolescentes – Políticas Públicas de Prevenção
   18. Assistência de Enfermagem à criança hospitalizada
   19. Assistência de Enfermagem no Programa AIDPI (Assistência Integral as
       doenças Prevalentes na Infância).
        1. Doenças Respiratórias e AIDPI
        2. Doenças Diarréicas e AIDPI


BIBLIOGRAFIA

ALBUQUERQUE, Maria Amélia. Atividades da enfermeira obstetra no ciclo
gravídico-puerperal. São Paulo: EPU, 1990.
ARAÚJO, Maria José B. de. Ações de enfermagem ao recém nascido. 1.ed. Rio de
Janeiro: Bezerra de Araújo, 1992
BENSON, R. Manual de Obstetrícia e ginecologia. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 1989.
BRASIL. Saúde reprodutiva na América Latina. Caderno de Saúde Pública.
Ministério da Saúde/ENSP/FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 1997.
________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Gestação de alto
risco/Manual técnico. 3 ed.. Brasília, 2000.
________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Assistência ao pré-
natal de baixo risco/Manual técnico. 3 ed. Brasília, 2000.
________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Assistência ao
planejamento familiar. Brasília, 1991.
________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Urgências e
emergências maternas/Guia para diagnóstico e conduta em situações de risco de
morte materna. 1 ed. Brasília, 2000.
________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Parto, aborto e
puerpério/assistência humanizada à mulher. Brasília,
FEBRASCO/ABENFO/Ministério da Saúde, 2001.
                                                                                 3
________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Prevenção e
tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e
adolescentes/Norma técnica. 1 ed. Brasília, 1999.
FERNANDES, Rosa Áurea Quintella; NARCHI, Nádia Zanon. Enfermagem e saúde
da mulher. Barueri, SP: Manole, 2007.
________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Coordenação
Materno-Infantil. Plano de Ação para redução da mortalidade materna. Brasília,
1995.
________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Atenção humanizada
ao recém-nascido/Método canguru. Brasília, 2000, módulo 2.
________. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Manejo e promoção
do aleitamento materno. Brasília, 1993.
BURROUGHS, Arlete. Uma introdução à enfermagem materna. 6 ed. Porto Alegre :
Artes Médicas, 1995.
CARVALHO, Geraldo de. Guia prático para evitar a gravidez. São Paulo : EPU,
1987.
________. Enfermagem em obstetrícia. São Paulo: EPU, 1990.
________. Enfermagem em ginecologia. São Paulo: EPU, 1996.
CLAP/OPS/OMS. Atenção pré-natal e do parto de baixo-risco. Montevidéu, 1996.
COPELAND, Larry J. Tratado de Ginecologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
1996.
COSTA, F. Vaz. Assistência à gestante de alto risco e ao recém-nascido nas
primeiras horas. São Paulo: Atheneu, 1993.
FISCHBACH, F. Manual de Enfermagem: exames laboratoriais e diagnósticos. 7 ed.
Rio de Janeiro : Guanabara Koogan, 2005.
FREITAS, F., et. al. Rotinas em obstetrícia. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
JÀCOMO, A. J. D. Assistência ao recém-nascido: normas e rotinas. 2 ed. São Paulo:
Atheneu, 1998.
KING, F. S. Como ajudar as mães a amamentar. Londrina: VEL, 1991.
KNUPPEL, Robert A., et .al. Alto risco em obstetrícia: um enfoque multidiciplinar.
2.ed. Porto Alegre : Artes médicas, 1996.
MARIN, H. AIDS e enfermagem obstétrica. São Paulo: EPU, 1991.
MELSON, Kathryn A.; et. al. Enfermagem materno-infantil: planos e cuidados. Rio
de Janeiro: Reichmann & Affonso Ed., 2002.
MURAHOVISCHI, Jayme; et al. Amamentação: da teoria à prática. São Paulo:
Fundação Lusíada/Departamento de Pediatria da FMS, sd.
ORGANIZAÇÂO MUNDIAL DA SAÚDE. Assistência ao parto normal: um guia
prático. Genebra, 1996.
REZENDE, Jorge de. Obstetrícia. 8. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.
SANTOS, LC.; CARVALHO, M.A.; KATZ, Leila; ALBUQUERQUE, C. J. da M.
SANTOS, Nívea Cristina Moreira. Assistência de Enfermagem Materno-Infantil.
São Paulo: Iátria, 2004.
Terapia intensiva em obstetrícia. Rio de Janeiro: MEDSI, 2004.
SMITH, Roger P. Ginecologia e Obstetrícia. Porto Alegre: ARTMED, 2005.
TEDESCO, J. J. de A. A grávida: suas indagações e a dúvida do obstetra. São Paulo:
Atheneu, 1999.
VIEGAS, D. Neonatologia: para estudante de pediatria e enfermagem pediátrica.
São Paulo: Atheneu, 1996.
XAVIER, N. L.; et al. Manual de ginecologia. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
ZIEGEL, Erna. Enfermagem obstétrica. Rio de Janeiro: Interamericana, 1989.
ZUGAIB, M. Assistência à gestante de alto risco e ao recém-nascido nas primeiras
horas. São Paulo: Atheneu, 1993.
________. Obstetrícia psicossomática. São Paulo: Atheneu, 1997.
                                                                                   4

BIBLIOGRAFIA DA ÁREA DE PEDIATRIA
ABRAMOVAY, M.; et al. Gangues, galeras, chegados e rappers. Rio de Janeiro:
Garamond, 1999.
ABRAMOVAY, M. et al. Violências nas escolas. Brasília: UNESCO, Coordenação
DST/AIDS do Ministério d Saúde, Secretaria do Estado dos Direitos Humanos do
Ministério da Justiça, CNPq, Instituto Airton Senna, UNAIDS, Banco Mundial,
USAID, Fundação Ford, CONSED, UNDIME, 2002. 400p.
ABRAMOBAY, M. et al. Juventude, violência e vulnerabilidade social na América
latina - desafios para políticas públicas. Brasília, UNESCO, BID, 2002b.
AQUINO, J. G. A violência escolar e a crise da autoridade docente. Cadernos Cedes,
ano 19, n. 47, p. 7-19, 1998BARROS, M.B.A .et al. Evaluation of nutritional status of
1st-year school children in Campinas,Brazil. Ann. Trop. Paediatr., v. 10, p.75-84,
1990.
BOWDEN, V. R & GREENBERG, C.S. Procedimentos de enfermagem pediátrica.
Ed.Guanabara, Rio de Janeiro, 2005.
BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Fundação de Assistência ao Estudante.
Algumas considerações preliminares sobre o Programa de Saúde do Escolar da
FAE. Brasília, 1987.
BRASIL. Constituição, 1988. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988.
São Paulo, Editora Revista Tribunais, 1988.
BRASIL. Ministério da Saúde. Ministério da Criança/Projeto Minha Gente. Estatuto
da Criança e do Adolescente. Lei n.º 8069/90. Brasília, 1990.
BRASIL. Ministério da Saúde. FNS. Programa de Agentes Comunitários de Saúde.
Brasília, setembro de 1994.
BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. PCN. Introdução aos parâmetros
curriculares nacionais. Brasília, Secretaria de Educação Fundamental, MEC/SEF,
1997.
CHAUD M. N et al. O Cotidiano da prática de enfermagem pediátrica. Ed.
Atheneu, São Paulo, 1999.
COLLARES, C.; MOYSÉS, M.; Preconceitos no cotidiano escolar: ensino e
medicalização. São Paulo, Cortez, 1996.
DEBARBIEUX, E. B. C. (Org.). Violências nas escolas: dez abordagens européias.
Brasília: UNESCO, 2002.
DEBARBIEUX, E. A violência na escola francesa: 30 anos de construção social do
objeto. In: Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 27, n.1, p. 163-193, jan/jun. 2001.
_______. BLAYA C. (ORG.) Violências nas escolas–dez abordagens européias.
Brasília: UNESCO, 2002.
DESLANDES, S. Drogas e vulnerabilidade às violências. In: MINAYO, M. C. S.;
SOUZA, R. E. (Org.). Violência sob o olhar da saúde: a infrapolítica da
contemporaneidade brasileira. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ, 2003.
FERRIANI, M. G. A inserção do enfermeiro na saúde escolar. São Paulo, EDUSP,
1991.
FERRIANI, M. G. Percepções dos atores sociais que utilizam o Programa de
Assistência primária da Saúde Escolar (PROASE) no Município de Ribeirão
Preto: análise crítica. Ribeirão Preto, 1994. Tese (Livre Docência)-Escola de
Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.
FERRIANI, M. G.; GOMES, R. Saúde escolar contradições e desafios. Ed. AB,
1997.
                                                                                   5
FREITAS, M. C. A história social da infância no Brasil. São Paulo, Cortez, 1997.
JARVIS, C. Exame físico e avaliação de saúde. Janeiro, 2005.
KRUGMAN, S. et al. Doenças infecciosas em pediatria. Rio de Janeiro – São Paulo.
Atheneu, 1991.
LIMA, G. Z. Saúde escolar e educação. São Paulo, CEDES/CORTEZ, 1985.
MIRANDA, M.I.F. et al. Avaliação do estado nutricional , peso e altura de escolares
de Porto Velho/RO e Santa Maria /RS. Ribeirão Preto, 1997. 52 p. Monografia
(apresentada ao Departamento de Pediatria) - Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto,
Universidade de São Paulo.
________Programa de assistência integral à saúde do escolar - leitura de uma
prática/Porto Velho/RO. Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de pós-
graduação da EERP/USP, para obtenção do título de Mestre. Ribeirão Preto. 1998.
MIRANDA, M. I. F.; FERRIANI, M. G. C. Políticas públicas sociais para crianças e
adolescentes. Goiânia: AB, 2001.
MIRANDA, M. I. F. et. al. Exclusão social e racismo – violência consentida na escola.
In: Encontro internacional de pesquisa em enfermagem, 2. Anais... Águas de
Lindóia. 28 a 30 de outubro de 2002. São Paulo: EE/USP, 2002.
_______, Violências nas escolas sob o olhar da saúde: das indisciplinas e
incivilidades as morbimortalidades por causas externas. Tese de Doutorado apresentada
ao programa de Pós-graduação da EERP/USP, para obtenção do Título de Doutora.
Ribeirão Preto. 2004.
MOTA, M.G.C. et al Enfermagem pediátrica. Ed. Luzzato, São Paulo, 1989.
NOGUEIRA, P.L. Estatuto da criança e do adolescente comentado. 3.ed. São Paulo,
Saraiva, 1996.
PENNA, H.A.O . Neonatologia Ed. Sarvier, São Paulo, 1989.
SOUZA, E.F. Administração de medicamentos e preparo de soluções. Ed. Cultura
Médica. Rio de Janeiro, 1987.
SCHMITZ, E.M. A enfermagem em pediatria e puericultura. Ed. Atheneu Livrarias.
Rio de Janeiro, 1990.
SUDDARTH, D. S. Moderna prática de enfermagem. Ed. Guanabara. Rio de Janeiro,
1996
                                                                                              6
                  ÁREA: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM



CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

    1.   Estrutura Organizacional do Serviço de Enfermagem
    2.   Ações de Planejamento
    3.   Gerenciamento de Recursos Materiais
    4.   Planejamento de Recursos Humanos
    5.   Legislação da Saúde, de Pessoal, e de Enfermagem
    6.   Ações de Comando e Execução/Controle e Avaliação


BIBLIOGRAFIA


BRASIL. Ministério da Súde. O SUS e o controle social: guia de referência para conselheiros
Municipais/ Eugênia Lacerda, et all,...Brasília: 1998.

BRASIL. C.L.T- Consolidação das Leis Trabalhistas. Coordenador: Nello Andreotti idel, 1991.
BRASIL. Constituição da República Federativa do- Brasília: Gráfica do Congresso nacional,
1988.
BRASIL. Ministério da Saúde. Biossegurança : atualidades em DST/AIDS. Secretaria de Estado
da Saúde de São Paulo, sem data.
BULHÕES, Ivone. Riscos do trabalho de enfermagem. 2ª ed. Rio de Janeiro, 1998.
CAMPOS, Juarez de Queiroz, Peinado, Maciel. Planejamento hospitalar. São Paulo: JOTACÊ.
1995.
CHIAVENATO, Idalberto. Teoria geral da administração. São Paulo: Ma GRAW HILL, 1979.
VOL. I e II.
COREN-RO. Caderno de Legislação. Porto Velho/RO, 1996.
CONSTITUIÇÃO e LEGISLAÇÃO RELACIONADA. Estatuto da Criança e do Adolescente.
Iª Edição, Cortez, São Paulo: 1991.
FELDMAN, Liliane Bauer. Como alcançar a qualidade nas instituições de saúde. Critérios de
avaliações, procedimentos de controle, gerenciamento de riscos hospitalares até a certificação.
São Paulo: L.B. Felman; Martinari, 2004.
FIDELIS, G. J; BANOV, M.R. Gestão de Recursos Humanos: tradicional e estratégica. 1ª ed.
São Paulo: Érica, 2006.
FORMIGA, Jacinta Morais; GERMANO, Raimunda Medeiros. Por dentro da História: o ensino
de Administração em Enfermagem. Rev.Bras.Enferm. 2005 mar – abr;58(2):222-6.
JUNIOR, Klinger Fontinele. Administração Hospitalar. Goiânia: AB, 2002.
LIBERATI, Wilson Donizeti. O estatuto da criança e do adolescente: comentários. Coleção
estudos Jurídicos- Sociais. IBPS, Brasília. 1991.
MANUAIS DE LEGISLAÇÃO ATLAS. Código de defesa do consumidor: Lei nº 8.078, de
11/09/90. Atlas, vol.33, São Paulo, 1990.
MARQUIS, Bessie L & HUSTON, Carol J; trad. Regina Machado Garcez e Eduardo Schaan.
Administração e Liderança em Enfermagem.: teoria e aplicação. 2ª ed. Porto Alegre; Artmed,
1999.
MOTTA, Ana Letícia Carnevalli. Auditoria de Enfermagem nos Hospitais e Operadoras de
Planos de Saúde. São Paulo: látria, 2003.
NEWMAN, Willian H. Ação administrativa: as técnicas de organização e gerência. São
Paulo: Atlas, 1981.
NICOLA, Anair Lazzari; ANSELMI, Maria Luiza. Dimensionamento de Pessoal de
enfermagem em um hospital universitário. Rev. Bras. Enferm 2005 mar – abr; 58 (2): 186 – 90.
KURCGANT,Paulina. Administração em Enfermagem. São Paulo: EPU, 1991.
KURCGANT, Paulina et al., Gerenciamento em Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2005.
                                                                                         7
RTREVISAN, Maria Auxiliadora et al., Trajetória do enfermeiro em um hospital universitário
em quatro décadas: pressupostos de inovação de seu papel gerencial. Rev. Bras. Enferm. 2005
mar – abr; 58(2): 200-2..
ZANON, Uriel. Qualidade da Assistência Médico-Hospitalar. Conceito, Avaliação e Discussão
dos Indicadores de Qualidade. Rio de Janeiro. Medsi, 2001.

								
To top