A UNIVERSIDADE E A INTERDISCIPLINARIDADE

Document Sample
A UNIVERSIDADE E A INTERDISCIPLINARIDADE Powered By Docstoc
					    Introdução histórica sobre
       interdisciplinariedade
   No Brasil, a interdisciplinaridade
    começou no final da década 70.

 Em 1976, Hilton Japiassu publicou o
  livro Interdisciplinaridade e a patologia
  do saber.
   Interdisciplinaridade,
    Os conceitos,
    Reflexões sobre a metodologia
      interdisciplinar.
   Ivani Catarina Arantes Fazenda
    Graduada pela Universidade de São Paulo (1963);
    Mestrado pela PUC-SP (1978);
    Doutorado pela USP (1984);
    Atualmente é professora da PUC-SP, onde
    coordena o GEPI (Grupo de Estudos e Pesquisas
    em Interdisciplinaridade), desenvolvendo
    pesquisas sobre Interdisciplinaridade e Novas
    tecnologias em Educação.
   Em 1976, Ivani Fazenda publicou a obra
    Integração e interdisciplinaridade no
    ensino brasileiro: efetividade ou
    ideologia.
    Buscando estabelecer um conceito para
    interdisciplinaridade.
“A necessidade de conceituar, explicitar,
 fazia-se presente por vários motivos:
 interdisciplinaridade era uma palavra
 difícil de ser pronunciada e, mais ainda,
 de ser decifrada. Certamente que antes
 de ser decifrada precisava ser traduzida e
 se não se chegava a um acordo sobre a
 forma correta de escrita, menor acordo
 havia sobre o significado e a repercussão
 dessa palavra que ao surgir anunciava a
 necessidade da construção de um novo
 paradigma de ciência, de conhecimento, e
 a elaboração de um novo projeto de
 educação, de escola e de vida.”
 (Fazenda,1999).
 interdisciplinaridadeé como uma
 atitude, um novo olhar que
 permite compreender e
 transformar o mundo, uma busca
 por restituir a unidade perdida do
 saber.
   Segundo Piaget, as relações entre as
    disciplinas podem-se dar em três
                  níveis:

Multidisciplinaridade;   Transdiciplinaridade;

Recorrer a informações     É a cooperação entre
       sobre várias       várias especialidades,
   especialidades para    disciplinas, ocorrendo
    estudar um único         a possibilidade de
     assunto, sem a       termos uma disciplina
     preocupação de       “imperialista”, ou seja
       interligar as      sobrepor-se às outras.
        disciplinas.
Segundo Piaget, as relações entre as
 disciplinas podem-se dar em três
               níveis:




3. interdisciplinaridade; interação
   entre duas ou mais
   especialidades / disciplinas.
   Ivani Fazenda, referência no
    Brasil, tem, nos últimos 20 anos,
    conduzido estudos sobre
    interdisciplinaridade. Ela
    compartilha que a prática da
    interdisciplinaridade envolveria o
    exercício de relações de
    associação, colaboração,
    cooperação, complementação e
    integração entre as disciplinas.
    (1979, p.30-37)
   Não existe interdisciplinaridade sem disciplinas.



“ é preciso haver um respeito entre as disciplinas”.
O problema é que são feitos recortes nos
conteúdos que não permitem compreender a sua
essencialidade. Fazenda relata que até as cartilhas
tradicionais são dignas de respeito, desde que
sejam vistas como ferramentas e usadas de forma
correta, no momento certo, para o aluno certo”.
   Baseada em Fazenda (1979) os profissionais
    devem exercer trocas não apenas entre seus
    conhecimentos e métodos, mas também
    entre suas experiências e visões de mundo,
    levando em consideração as riquezas e o
    crescimento mútuo desse movimento de
    interação entre as diversas áreas e entre as
    múltiplas possibilidades de conhecimento
    que as especialidades podem desdobrar.
Interdisciplinaridade seria um diálogo
interessado em descobertas e de mútua
transformação, ou seja, seria um meio de
renovação, reestruturação e ressignificação
das especialidades por meio da interação
das diversas possibilidades representadas
pelas especialidades.
  Ela propõe que os profissionais especialistas,
  reformulem práticas e métodos pedagógicos
  como forma de perceber os aspectos a serem
  transformados. Ou seja, enxergar nos outros
  além de si mesmos.
Sugere também a busca da leitura ampliada de
  suas práticas cotidianas, como fonte de
  autoconhecimento, base para explorar a
  dimensão complexa de interação
  intersubjetiva, humana, e não apenas
  intelectual.
Fazenda (1994, p.81-89), propõe os
   fundamentos para um ensino
         interdisciplinar:
   movimento do diálogo      preservação (registro)
    com o professor, com       da memória do trajeto
    suas práticas              percorrido,
    pedagógicas, com           possibilitando revisão
    seus conhecimentos e       e releitura crítica das
    elaborações.               experiências de
                               ensino.
   parceria para incitar o diálogo com outras
    formas e fontes de conhecimento.

   Lembrando sempre que as interações
    representam uma forma de experimentar
    outras nacionalidades, pois nenhuma é
    suficiente em si mesma.
   “ por mais que elabore um discurso
    racional e objetivo, jamais poderá estar
    inteiramente desvinculada de suas
    origens religiosas, místicas,
    alquimistas ou subjetivas.” (Japiassu,
    2001:53).
   É muito importante frisar que, apostar
    na interdisciplinaridade é apostar em
    pessoas    mais     polivalentes  para
    enfrentarem uma sociedade na qual a
    palavra transformação está sempre em
    evidência no mundo.
  A UNIVERSIDADE E A
INTERDISCIPLINARIDADE
    Segundo Morin, “a universidade deve conservar o
    conhecimento, no sentido de levar para o futuro o que já
    foi adquirido no passado, mas não pode ser conservadora a
    ponto de ser rígida e não aceitar idéias novas, ao mesmo
    tempo, ela deve conservar o conhecimento e gerar
    mudanças”;
   Faz-se necessário a reforma da universidade porque sua
    missão é formar cidadãos capazes de enfrentar os
    problemas de seu tempo;
   Instruir os alunos a pensar a complexidade;
   A organização de suas idéias também deve ter como
    critério a complexidade e não a simplicidade;
   A reforma deve ser orientada por valores da ética da
    civilidade.
            A Universidade e a
           Interdisciplinaridade
   A interdisciplinaridade compreende a troca e
    cooperação, uma verdadeira integração entre as
    disciplinas, de modo que as fronteiras entre elas
    tornem-se invisíveis, para que a complexidade do
    objeto de estudo se destaque.
               A Universidade e a
              Interdisciplinaridade
   Para Etges (in Jantsch, p74), a conseqüência mais radical da
    interdisciplinaridade aponta para uma rearticulação total da
    universidade atual;
   Há de ser um lugar de produção de saber e esta se faz mediante a
    criação de redes interdisciplinares de pesquisa;
   Pesquisadores sêniors de reconhecida liderança e produção científica,
    determinam livremente o que e como pesquisar e com quem querem
    trabalhar;
   Os pesquisadores adjuntos, das mais diversas áreas, se ligarão de
    maneira igualmente livre a eles;
   Os doutorandos e mestrandos, se vinculam livremente a estes;
   Todos juntos formarão uma rede de pesquisadores em torno de um
    grande projeto disciplinar;
   O exercício interdisciplinar dentro da universidade, aumenta a
    possibilidade do profissional otimizar sua prática diária.
              A Universidade e a
             Interdisciplinaridade
Um ensino pautado na prática interdisciplinar pretende formar alunos com
   uma visão global de mundo, aptos para “articular, religar,
   contextualizar e, se possível, globalizar, reunindo os conhecimentos
   adquiridos”,
A visão de mundo pautada entre todas as partes, dá o respaldo necessário
   ao conceito de interdisciplinaridade que concebemos.
A importância interdisciplinar não anula a importância disciplinar do
   conhecimento;
A riqueza da interdisciplinaridade depende do grau de desenvolvimento
   atingido pelas disciplinas;
A prática interdisciplinar não é oposta à prática disciplinar, mas sim
   complementar à essa, na medida em que “não pode existir sem ela e,
   mais ainda, alimenta-se dela”;
    Caracterização da Instituição
   CENTRO DIA DO IDOSO – Programa de
    Atenção ao Idoso do município de São
    Bernardo do Campo.
Exercício de Campo
   ÁREAS DE CONHECIMENTO

 Enfermagem
 Fonoaudiologia
 Psicologia
           Exercício de Campo
   Foi realizado uma observação geral para a escolha
    dos idosos a partir do enfoque fonoaudiológico em
    dinâmica de grupo, onde observou-se linguagem
    (fala espontânea) e compreensão, indícios de
    disfagia durante a refeição.
   Foram escolhidos 6 idosos,com idade entre 56 e
    74 anos, sendo dois do sexo feminino e 4 do sexo
    masculino.
   Dois idosos desse grupo freqüentam o Centro Dia
    diariamente e 4 deles 3 vezes por semana.
           Exercício de Campo
   Foram realizados no total 4 encontros.
   Todos os idosos atendidos apresentam uma ou
    mais patologias:
   Hipertensão       (02)
   Diabetes Mellitus (03)
   Hipotireoidismo (01)
   Doença Mental (02)
   Seqüela de AVE (02)
        Exercício de Campo -
            Enfermagem


 Escala de Dependência-Autonomia.
 Esta tabela foi utilizada nas 3 especialidades
(Enfermagem – Fonoaudiologia – Psicologia)
        Exercício de Campo
           Enfermagem
 Constatou-se que todos os idosos tiveram
  uma classificação média, segundo a escala
  de dependência. (IMPAIRMENT)
 Propusemos uma orientação geral para as
  famílias e cuidadores da instituição.
 Elaboramos um roteiro para tornar o
  ambiente seguro.
          Exercício de Campo
        Enfermagem - Orientação
   Evitar chinelos largos e         Boa iluminação no
    escorregadios sem sola,           ambiente, inclusive
    utilizar sapatos e chinelos       escadas com corrimão.
    com sola antiderrapante.
                                     No WC utilizar tapete
   Utilizar bengalas e outros
    equipamentos de ajuda             anti-derrapante, barras no
    quando necessário.                box e próximo a vaso
   Evitar utilizar roupas            sanitário.
    longas, esvoaçantes,             No quarto manter uma luz
    largas, que possam causar         acesa à noite.
    tropeços.                        Manter caminho ao WC
   Não encerar o piso, não           livre à noite.
    utilizar tapetes.
           Exercício de Campo
              Enfermagem
   Todos os familiares e cuidadores devem
    incentivar o auto-cuidado do idoso nas
    tarefas diárias como: vestir-se, alimentar-se
    e participar das decisões domésticas.
Exercício de Campo -
Fonoaudiologia
   A identificação foi feita em grupo e
    individualmente.
   Durante avaliação alimentar, foi observado que
    os idosos não apresentam alteração de
    mastigação, deglutição e respiração.
   Não precisam de ajuda para se alimentar;
   Com relação a musculatura intra oral, foi
    possível observar hipotonia muscular.
   Toda alimentação no Centro Dia é balanceada.
Exercício de Campo
Fonoaudiologia
   Com relação a comunicação, foi possível
    identificar que a fala espontânea dos idosos é
    lentificada, apresenta déficit na
    compreensão, omissão de palavras,
    vocabulário diminuído.
   A comunicação ocorria quando estimulada.
   Todos os idosos avaliados apresentaram
    audição normal.
Exercício de Campo
Fonoaudiologia

   Após avaliação fonoaudiológica, foi
    possível observar o interesse que os idosos
    apresentaram em se comunicar por meio
    da fala.
Exercício de Campo
Fonoaudiologia
   A fonoaudiologia visa criar condições que
     resgatam a liberdade do idoso de ser ele
      mesmo, mantendo uma comunicação e
         linguagem ativa com o mundo, e
     conquistar o seu direito de uma velhice
                      plena.
           Exercício de Campo
               Psicologia
   Foi utilizado atendimento individual e em grupo
    para verificar processo de vinculação na
    instituição.
   Utilizou-se a técnica da psicoterapia breve nos
    atendimentos individuais.
   Percebeu-se que os idosos necessitam de apoio
    psicoterapêutico, alguns se encontram deprimidos,
    com tendência ao isolamento.
   Quanto aos resultados, verificou-se aceitação em
    relação ao processo psicoterapêutico; houve
    solicitação para continuidade nos atendimentos.
          Considerações Finais
   Para a realização deste exercício, faz-se
    necessário um sentimento de pertencimento,
    adesão e disponibilidade pessoal e de
    tempo, sendo necessário buscar
    constantemente novas áreas de
    conhecimento.
          Considerações Finais
   Houve troca de conhecimento entre as
    especialidades, interação com profissionais
    presentes na instituição, com intuito de
    ampliar a qualidade de atendimento aos
    idosos do Centro Dia de São Bernardo do
    Campo.
Referências Bibliográficas
   D’ Ambrosio,U. Transdisciplinaridade. 2a. Ed.São Paulo.
    Palas Athena. 2001.
   Domingues, I. Conhecimento e Transdisciplinaridade. Belo
    Horizonte-MG. Ed UFMG; IEAT, 2001.
   Fazenda, I.C.A. Interdisciplinaridade, História, Teoria e
    Pesquisa.12a.ed. Campinas-SP. Papirus, 2005.
   __________ Integração e Interdisciplinaridade no Ensino
    Brasileiro: Efetividade ou Ideologia. 4a. ed. São Paulo, Ed.
    Loyola,1996.
Referências Bibliográficas
   Jantsch, A.P., Bianchetti, L.(orgs) Interdisciplinaridade
    para Além da Filosofia do Sujeito. Petrópolis-RJ. Ed.
    Vozes, 1995.
   Japiassu, H. Interdisciplinaridade e Patologia do Saber. Rio
    de Janeiro-RJ. Ed.Imago,1997.
   Morin, E. Os Sete Saberes Necessários à Educação do
    Futuro. São Paulo. Ed.Cortez, 2000.
   Nicolescu, B.O Manifesto da Interdisciplinaridade. São
    Paulo. Ed.TRION, 1999.
   Roach, S. Introdução à Enfermagem Gerontológica. Rio de
    Janeiro-RJ. Ed. Guanabara,2001.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:141
posted:11/16/2011
language:Portuguese
pages:41