_INF�NCIA MISSION�RIA by 94S5La

VIEWS: 16 PAGES: 15

									               INFÂNCIA MISSIONÁRIA - Diretrizes e Orientações


       INTRODUÇÃO

        Infância Missionária!
        Todos sabemos o que é infância. É a primeira etapa da vida de todas as pessoas. A criança
é o grande tesouro que Deus confiou à humanidade porque é uma vida a ser desenvolvida. É sempre
o símbolo vivo de uma nova criação.
        É na infância que se firmam as bases para uma juventude e vida adulta saudáveis. As
necessidades do crescimento da vida em Deus e da vocação cristã missionária estão intimamente
entrelaçadas com o desenvolvimento físico, afetivo, intelectual e social da personalidade da criança.

        E missionária?
        Vem de missão. Quer dizer enviado para realizar uma ação, uma tarefa. Mas, antes de ser
enviada a pessoa é convidada, é chamada.
        Na Bíblia encontramos muitas pessoas que foram chamadas e enviadas: Abraão, Moisés,
Elias, Samuel, Davi, Ester, Débora, Ana, Isaias, Jeremias, Ezequiel, os profetas todos. Também os
Anjos: o Anjo Gabriel foi enviado por Deus para anunciar a Maria que foi escolhida para ser mãe
de Jesus.
        Mas o grande Missionário, o Enviado por Deus Pai, é Jesus. “Deus nos amou tanto que nos
entregou o seu Filho único” (Jo 3,16).O próprio Jesus confirma: “Saí do Pai e vim ao mundo” (Jo
16,28). “Fui enviado para anunciar o Reino de Deus” (Lc 4,43).
        Esta missão recebida do Pai, Jesus a comunicou a todos os seus discípulos e discípulas e a
todos os seus seguidores e seguidoras.

       Quando?
       Durante a sua vida e, em toda a sua plenitude, depois da sua ressurreição: “Como o Pai me
enviou, assim também eu vos envio” (Jo 20,21). Antes de subir ao céu disse: “Toda a autoridade
me foi dada no céu e sobre a terra. Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos,
batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto
vos ordenei. E eis que eu estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,18-20).

        Então, o que é Missão?
        Missão, antes de ser uma tarefa a realizar, é vida a ser vivida. Antes de sermos enviados
para fazer missão, devemos existir e viver a vida em comunhão, no amor. Fomos criados à imagem
de Deus para viver a mesma comunhão e amor que existe na Trindade Santa: Pai, Filho e Espírito
Santo.
        Jesus primeiro chamou as pessoas - os Apóstolos, discípulos e discípulas - para segui-lo. Só
depois os enviou em missão.
        - Onde moras, perguntaram os primeiros discípulos.
        - Jesus disse-lhes: “Vinde e vede!” Então eles foram e viram onde Jesus morava e
permaneceram com ele aquele dia (Jo 1,38-39).
        Só depois de terem conhecido Jesus, vivido com Ele e visto o que Ele fazia e como fazia,
como amava e acolhia a todos, os apóstolos e os discípulos foram enviados em missão. VINDE,
VEDE E ANUNCIAI. Este foi o lema do 5º Congresso Missionário Latino-Americano - COMLA
5, realizado em julho de 1995, em Belo Horizonte - MG.
         Jesus fez assim com todos. Também com as crianças: “Deixai vir a mim as crianças; não as
impeçais, pois delas é o Reino de Deus. Em verdade vos digo, quem não acolhe o Reino de Deus
como uma criança, nele não entrará” (Lc 18,16-17; cf, Mt 19,14; Mc 10,13). “Em verdade eu vos
digo: se não mudardes e não vos tornardes como as crianças, não entrareis no Reino dos céus” (Mt
18,3-4).
         A Infância Missionária é esta “Escola de Jesus” que ensina aos meninos e meninas viver
como Jesus viveu. Praticar o amor e a comunhão com Deus, com os irmãos e irmãs e respeitar
todos os seres criados.
         Então podemos dizer: Missão é realizar o que Jesus nos pediu antes de subir ao céu: “Ide
por todo o mundo e proclamai o Evangelho a toda a criatura” (Mc 16,15).
         Quem realmente encontrou Jesus, viu onde Ele mora, permanece unido a Ele, não consegue
viver sem falar de Jesus, do amor de Deus Pai e do Espírito Santo.
         O menino e a menina da Infância Missionária anunciam Jesus com palavras. Mas, antes
disso, mostram com sua vida, com suas atitudes, pelo serviço fraterno e solidário que são amigos de
Jesus.
         Ser missionário, missionária é seguir Jesus e continuar aqui na terra a “missão de Jesus,
Filho de Deus e do Espírito Santo que tem origem em Deus Pai”.
         A Infância Missionária e as outras Pontifícias Obras Missionárias realizam esta tarefa de
conscientizar todos os católicos, desde a infância, com este espírito verdadeiramente universal e
missionário, no pleno sentido da palavra (cf. AG 38).
         As presentes Diretrizes e Orientações da Infância MIssionária desejam ser para as crianças e
pré-adolescentes, pais, educadores e assessores/assessoras uma ajuda prática para a animação,
formação e organização missionárias, para uma cooperação missionária: espiritual, de
disponibilidade pessoal e material.

       1. O QUE É A INFÂNCIA MISSIONÁRIA?

        A Pontifícia Obra da Infância Missionária foi fundada por Dom Carlos Forbin Janson,
Bispo de Nancy, França, no ano de 1843.
        Essa atividade missionária com as crianças foi motivada pelas cartas e notícias que
missionários, principalmente da China, escreviam contando a realidade triste e dura das crianças
naquelas regiões: doenças, mortalidade, analfabetismo, abandono...
        A finalidade desta Obra é suscitar o espírito missionário universal das crianças e
adolescentes, desenvolvendo seu protagonismo na solidariedade e na evangelização e, por meio
delas, em todo o povo de Deus: “Ajudar as crianças por meio das crianças”, ou “criança evangeliza
e ajuda criança”, foi o grande lema do Bispo fundador.
        Esta obra é, pois, um serviço em favor da animação, formação e comunhão missionárias das
crianças e de seus animadores, para que cooperem na evangelização universal, especialmente das
crianças de todo o mundo, e na solidariedade, partilhando os bens materiais.
        O nome origina-se da devoção, existente na França, à Infância do Menino Jesus.
        a) É uma OBRA: distingue-se de uma atividade apostólica transitória. Sua
           organização, a presença em todo o mundo e a experiência de mais de 150 anos
           testemunham sua validade e eficiência.
                                                                                                2
b) É MISSIONÁRIA: não é somente um organismo de solidariedade com as crianças
   pobres nas missões para oferecer-lhes comida, roupas, educação e assistência sanitária.
   Mas é missionária porque educa as crianças na fé, na abertura universal. Pelo
   compromisso do batismo partilham esta fé e seus bens com todas as crianças.
c) É PONTIFÍCIA: foi aprovada e assumida pelo Papa como Obra evangelizadora e
   colocada a serviço de toda a Igreja.
d) É da INFÂNCIA: os protagonistas são as crianças e os pré-adolescentes que se dedicam
   em favor de todas as crianças da terra, independentemente de cultura, raça ou religião.
e) É da INFÂNCIA MISSIONÁRIA: é obra das crianças em favor das
   crianças. Elas se organizam e se formam para serem bons missionários e missionárias
   para a evangelização e a fraternidade universal.

EXISTEM TRÊS OUTRAS OBRAS MISSIONÁRIAS TAMBÉM PONTIFÍCIAS:

   PROPAGAÇÃO DA FÉ, fundada em 1822 por Paulina Jaricot, tem como objetivo
    suscitar o interesse pela Evangelização universal em todos os setores do Povo de Deus:
    famílias, comunidades de base, paróquias, escolas, movimentos, associações, etc.
   SÃO PEDRO APÓSTOLO, fundada em 1889, por Estefânia e Joana Bigard,
    sensibiliza o povo cristão sobre a urgência da formação dos missionários e missionárias
    nativos na Igreja Missionária.
   UNIÃO MISSIONÁRIA, fundada em 1916 pelo Pe. Paulo Manna, busca a formação e
    a informação missionárias dos presbíteros, dos religiosos, das religiosas, seminaristas e
    vocacionados à vida religiosa; assim como das pessoas empenhadas no ministério
    pastoral da Igreja.

Estas três, com a Infância Missionária, formam as Pontifícias Obras Missionárias, que
infundem
entre os católicos, desde a infância, o sentido verdadeiramente missionário universal e
promovem a cooperação espiritual e material para a Missão no mundo inteiro.

2. QUAIS SÃO AS FINALIDADES DA INFÂNCIA MISSIONÁRIA?

A Infância Missionária propõe-se:
1. Ajudar pais, educadores, catequistas e assessores a despertar, progressivamente, nos
    meninos e meninas a consciência missionária universal, por meio de um plano de
    formação adequada para cada idade, com reuniões semanais, levando a compromissos
    missionários e testemunhando seu protagonismo na evangelização e na solidariedade.
2. Suscitar e promover o espírito missionário universal entre as crianças, levando-as a
    partilhar sua fé e os meios materiais com as crianças das regiões e das Igrejas mais
    necessitadas em todo o mundo.
3. Despertar e fortalecer as vocações missionárias, pois o conhecimento da vida e das
    necessidades das outras crianças suscita, necessariamente, o anseio de conhecer e amar a
    todos como irmãos e irmãs e de anunciar Jesus, para os que ainda não o conhecem.

                                                                                           3
       4. Promover a cooperação espiritual por meio da oração, sacrifícios e testemunho de
          vida. A criança missionária, como Jesus, “primeiro faz, depois anuncia”.
       5. Cooperar materialmente com ofertas, fruto de privações e mortificações pessoais, para
          as crianças necessitadas de todo o mundo.

        Na sua finalidade educadora e em seus métodos e organização, a Infância Missionária
adapta-se às necessidades locais e integra-se na ação pastoral e evangelizadora das Igrejas
particulares, infundindo-lhes ardor missionário e abrindo horizontes de universalidade.

       3. QUAL É A ORGANIZAÇÃO DA INFÂNCIA MISSIONÁRIA?

       1º. Mundial
       A Infância Missionária é uma Obra Pontifícia, por isso o Papa é o primeiro animador. O
Cardeal da Congregação para a Evangelização dos Povos, representa o Papa, e nomeia um
Secretário Geral, em Roma, para ser o coordenador mundial da Infância Missionária.

        2º. Nacional
        Em cada país existe uma Coordenação Nacional, que é presidida pelo Diretor Nacional das
Pontifícias Obras Missionárias.

        3º. Diocesana
        Em cada Diocese o Bispo é o principal animador. Ele convida uma pessoa para coordenar a
Infância Missionária na Diocese.

        4º. Paroquial
        Nas Paróquias o pároco é o coordenador e primeiro animador. Pode nomear um responsável
paroquial da Infância Missionária. Esta organiza-se em grupos, que devem funcionar muito unidos
entre si e com toda a ação evangelizadora, na paróquia, na diocese, no Brasil e em comunhão com
todos os países.

       4. QUEM PODE PERTENCER À INFÂNCIA MISSIONÁRIA?

        Todas as crianças e pré-adolescentes dos 7 aos 14 anos, que o desejarem, podem pertencer à
Infância Missionária. Devem gostar e mostrar interesse para concretizar as finalidades e objetivos
desta Obra.
        A Infância Missionária congrega meninos e meninas nas paróquias, escolas, comunidades
para animação e formação missionárias, vivendo e promovendo a comunhão e a cooperação
missionária universal.
        Antes dos 7 anos formam uma secção dos pequeninos que vão sendo introduzidos e
acompanhados por seus pais conforme sua capacidade de participação.
        Ao chegar à adolescência começa uma nova etapa, ingressando na juventude missionária.
        São condições para participar:
        - ter entusiasmo, generosidade e ser fiel aos compromissos;
        - assistir e participar ativamente nos encontros do grupo, rezando diariamente,
            cultivando a devoção à Eucaristia, a Nossa Senhora e ao Papa;
                                                                                                 4
       -   ser amigo e contribuir mensalmente em favor das crianças nas missões com ofertas
           materiais, fruto de gestos concretos de solidariedade.




       5. COMO SÃO FORMADOS OS GRUPOS DE INFÂNCIA MISSIONÁRIA?

        A Infância Missionária forma grupos de crianças e pré-adolescentes integrados por 12
crianças entre os que desejam pertencer à Infância Missionária.
        O número 12 é muito simbólico, pois lembra o grupo dos 12 Apóstolos, aos quais Jesus
confiou a missão da evangelização até os confins do mundo.
        A estrutura principal da Obra são os grupos, cujos membros tornam-se fermento
missionário na família, na escola, na comunidade eclesial e no ambiente em que vivem.
        As crianças, conscientes de sua vocação batismal, integram estes grupos, imitando os
Apóstolos em sua atitude de escuta da Palavra de Jesus. Tornam-se amigos de Jesus e colocam-se
ao serviço do Reino como pequenos grandes missionários.
        Organizados, desta forma, escolhem um Santo(a) missionário(a) como Patrono do grupo e
um lema que, além de identificá-los, os motiva a viver o ideal missionário.
        Por outra parte, a Infância Missionária não se reduz aos grupos, mas oferece a todas as
crianças serviços de animação missionária, para que sejam missionárias, mesmo não participando
de grupos de Infância Missionária. Pois, estes grupos não são grupos fechados, mas estão abertos e
prontos para ajudar todas as crianças. Seu ideal é partilhar a vida missionariamente.

       6. COORDENADOR/COORDENADORA DO GRUPO

        Todo o grupo possui a necessidade de uma certa organização. Foi, também, o que Jesus nos
ensinou. Ele escolheu Pedro para ser o coordenador do grupo dos Doze Apóstolos. Cada grupo de
Infância Missionária escolhe um coordenador.

       - O que faz a Criança Coordenadora do Grupo?
       * Prepara e dirige o encontro semanal, com a colaboração do assessor(a) e das crianças.
       * Motiva os integrantes do grupo para que participem e cumpram seus
         compromissos.
       * Coordena seu grupo, tornando o encontro animado, alegre, muito formativo e
         celebrativo.
       * Reza pelas crianças de seu grupo.
       * Prepara-se cada vez melhor e participa na Escola de liderança missionária infantil.
       * Motiva a todos para que façam mais amigos para Jesus.
       * Partilha, entre os demais          membros, as responsabilidades de: secretaria,
          tesouraria,
              animação, cronometrista, recreação e outras funções.

       7. OS ENCONTROS DE GRUPO

                                                                                                5
       Como Jesus reunia os Apóstolos para conviver com eles, rezar, testemunhar o amor do Pai
para com os pequenos e excluídos e para falar do Reino de Deus, assim as crianças da Infância
Missionária se reunem para:
       - Conviver como crianças e pré-adolescentes; alegrar-se com cantos, jogos e
           outras brincadeiras;
       - Partilhar suas experiências, seus ideais e suas vidas;
       - Escutar Jesus seu          grande     amigo,      através de sua palavra revelada
           e      testemunhada ao longo dos séculos;
       - Tornar-se parecido com Jesus, ser discípulo/discípula e missionário;
       - Estudar o tema do encontro, conforme os roteiros do Plano de Formação
           Missionária;
       - Rezar pelas missões e assumir compromissos concretos de ajuda missionária.

       Os encontros têm dinâmica e metodologia próprias. Deve-se, contudo, buscar sempre
novas técnicas, recursos pedagógicos e muita criatividade. Sem perder a estrutura própria, cada
encontro segue, fundamentalmente, o seguinte esquema:
       - acolhida
       - motivação (objetivo)
       - oração
       - comentário dos compromissos semanais
       - leitura da Palavra de Deus, reflexão e partilha, encenações
       - compromissos missionários (oferta material e/ou espiritual)
       - oração final
       - canto e despedida

        Cada um e cada uma têm seu “Caderno Missionário”, onde escrevem os temas dos
encontros, fazem ilustrações e registram os compromissos.
        Oferecem, cada mês, como fruto de seus sacrifícios, uma oferta em favor das crianças de
todo o mundo. Se o grupo decidir, este gesto pode ser semanal. O tesoureiro do grupo recebe estas
doações que, por sua vez, as entregará à coordenação local para serem ofertadas numa celebração.
        Outra maneira do grupo se encontrar é na celebração da missa na paróquia. É desejável que
esta celebração tenha a participação ativa das crianças.
        É conveniente que, periodicamente, se realize um encontro paroquial com todos os grupos
da Infância Missionária. E, uma vez por ano, realizar um encontro diocesano.
        É importante ter um pequeno plano de atividades: escrever para missionários e missionárias,
para outras crianças do mundo; visitar doentes, divulgar notícias missionárias, participar em
programas de Rádio, TV,...

       8. O QUE É O PLANO DE FORMAÇÃO MISSIONÁRIA?

       O Plano de Formação Missionária é uma Escola que ajuda as crianças a serem amigos e
seguidores de Jesus, desenvolvendo seu protagonismo na evangelização e na solidariedade. Esta
formação acontece, principalmente, nos encontros semanais e a partir deles. Estes encontros
compreendem quatro áreas integradas:
       - Catequese (primeira semana)
                                                                                           6
       - Espiritualidade (segunda semana)
       - Compromisso missionário (terceira semana)
       - Vida de grupo (quarta semana)

       Qual o objetivo das quatro áreas integradas?
       Ajudar a criança e o pré-adolescente se tornarem verdadeiros missionários. Por isso cada
encontro tem sua dinâmica e metodologias próprias.

       1ª. Semana: Catequese missionária

       - Em que consiste?
       É o estudo de um tema. É o contato direto com a Palavra de Deus, para que as crianças e
pré-adolescentes amadureçam na fé e no conhecimento da pessoa, da vida e obra de Jesus, da Igreja
e da missão. Aprendem os elementos básicos do ser missionário. Escrevem, desenham, tiram
conclusões, memorizam as principais mensagens. É um encontro de muito estudo. Para ser bom
missionário é necessário ter uma boa formação.

       2ª. Semana: Espiritualidade missionária

       - Em que consiste?
       É o esforço de assimilar, viver e celebrar o que se aprendeu na catequese missionária. Todos
procuram tornarem-se parecidos com Jesus. Aprendem a ver o caminho do seguimento de Jesus
iluminado pelo Espírito Santo. Trata-se de interiorizar a mensagem estudada. Mais do que estudo é
um encontro de celebração e de vivência espiritual.
       Existem muitas formas de realizar este encontro: Oração, reflexões, retiro, celebrações da
Palavra, representação de passagens bíblicas, celebração da Eucaristia, reflexões pessoais, etc...

       3ª. Semana: Compromisso missionário

        - Em que consiste?
        Este encontro quer encaminhar ações concretas. As crianças, os pré-adolescentes e os
assessores procuram colocar em prática o que aprenderam nos encontros anteriores. É o serviço e o
testemunho. É o encontro que leva a sair e evangelizar, comunicando o que foi aprendido e vivido.
Leva a perceber as necessidades das outras crianças pobres, abandonadas e excluídas,
experimentando o mesmo amor e misericórdia de Jesus que acolheu as crianças e foi em busca da
ovelha perdida.
        Este encontro deve ser preparado de acordo com as necessidades do lugar. Pode-se propor
visitar outros grupos, animar missionariamente outras crianças, visitar doentes, famílias
necessitadas, idosos, presos, etc...

       4ª. Semana: Vida de grupo

       - Em que consiste?
       Este encontro quer proporcionar um conhecimento das próprias crianças e pré-adolescentes,
de sua realidade, estreitar os laços de amizade dos membros do grupo e dos grupos. Cria mais
                                                                                              7
unidade, fraternidade e ajuda mútua. É crescer juntos como amigos de Jesus. É também uma
oportunidade para revisar a vida do grupo, de vivência fraterna, de visitar as famílias, menores de
rua... É perceber aquilo que os ajuda a serem melhores missionários.
         Pode-se realizar diversos tipos de confraternizações, passeios, festas familiares, jogos,
concursos, celebrações dos aniversários, festas litúrgicas, etc...
         Toda esta dinâmica de encontros ajudam a formação integral de estudo, oração e
espiritualidade, ação, lazer e confraternização que se prolongam durante a semana, auxiliados pelos
princípios de ação.


       Quais são os princípios de ação?

        1º Conhecer Jesus. Ninguém ama o que não conhece. O conhecimento de Jesus leva a
dedicar-se em favor do Reino, dos pobres e pequeninos. A Infância Missionária é um meio para
conhecer e seguir Jesus, como os Apóstolos.
        2º Rezar. Deus ama as crianças. Foi Jesus quem nos ensinou. O que uma criança pode fazer
para as crianças é que elas conheçam Jesus e se sintam amadas por Deus. Por isso a oração é
importante na vida de uma criança missionária. Jesus disse: "Onde dois ou mais estiverem reunidos
em meu nome, ali estou eu no meio deles". Por isso, nos encontros de grupo sempre há momentos
de oração, pedindo, especialmente, pelas crianças do mundo inteiro.
        Na oração está a força da missão. Por isso toda criança missionária reza todos os dias pelas
missões e pelos missionários e missionárias.
        3º Oferecer Sacrifícios. Quando amamos alguém lhe damos um presente como
manifestação deste amor. O maior dom que Jesus ofereceu ao Pai foi sua própria vida.
        Perdoar, cumprir o dever, sacrificar coisas supérfluas e também necessárias, controlar o
temperamento, saber se relacionar e conviver com todos... são formas de ser missionário e de
oferecer sacrifícios para as missões.
        4º Comungar. Para viver e ter boa saúde é necessário alimentar-se. Também a vida
espiritual precisa se fortalecer. O melhor alimento é o próprio corpo de Jesus, recebido na
Eucaristia. “Quem come deste pão viverá para sempre” (Jo 6, 51). É este alimento que nos ajuda a
cumprir nossos deveres para com Deus e para com o próximo. A criança missionária aproxima-se
frequentemente de Jesus na Eucaristia e participa da Santa Missa.
        5º Ser missionários com Jesus. Viver a vocação batismal, a graça, o dom gratuito da fé,
tudo deve ser partilhado e não só possuído para si. "Vim trazer fogo à terra, quero que arda", disse
Jesus. Ser missionário é superar todo egoísmo e o fechamento em si mesmo para abrir-se aos
imensos horizontes da missão.
        A criança missionária faz amigos para Jesus, sendo missionária pelo serviço, testemunho e
palavras, partilhando a fé com os irmãos e irmãs.

       9. A INFÂNCIA MISSIONÁRIA COOPERA COM A
            EVANGELIZAÇÃO DOS NÃO-CRISTÃOS

        Membros da Igreja, por força do batismo, todos os cristãos são co-responsáveis pela
atividade missionária. É a cooperação missionária.

                                                                                                  8
     Tal cooperação fundamenta-se e se concretiza, antes de mais nada,
no estar pessoalmente unidos a Cristo. Se estivermos unidos a
Jesus, como o ramo à videira, podemos dar bons frutos.

       Quais são as formas de cooperação missionária?

        1ª. Cooperação espiritual
        A cooperação espiritual das crianças é para ajudar todas as crianças do mundo. Os
“pequenos grandes missionários” aprendem a amar como irmãos as crianças pobres, doentes,
abandonadas... de todas as raças, culturas, religiões... presentes em todos os lugares da terra, como
Jesus as amou.

       A cooperação há de ser, em primeiro lugar, espiritual (cf. RMi 78):
       - A oração deve acompanhar a vida dos missionários, para que a Evangelização
          se torne eficaz pela graça divina. O Missionário é um contemplativo na ação e dedica
          muitos momentos de oração.
       - O sacrifício une-se à oração. O valor salvífico dos sofrimentos aceitos e oferecidos a
          Deus com amor deriva do sacrifício de Cristo, que convida seus seguidores a unir-se aos
          seus padecimentos e a experimentá-los na própria carne.
       - O testemunho da vida cristã é a primeira forma de Evangelização. O homem de
          hoje crê mais nos fatos do que nas palavras. A primeira forma de dar testemunho é a
          própria vida do missionário e da missionária.

       2ª. Vocações Missionárias
       Despertar e favorecer as vocações missionárias. O Evangelho necessita de anunciadores.
Ajudar é muito importante, mas ir até às crianças que ainda não conhecem Jesus e passam
necessidades e evangelizar diretamente é fazer como Jesus fez: Veio do seio da Trindade,
encarnou-se, viveu no meio de nós e deu a vida por nós.
       A Infância Missionária ensina as crianças a sair e evangelizar, envolvendo outros
companheiros e colegas para que todos sejam missionários onde vivem e para onde o Espírito Santo
os enviar.

        3ª. Cooperação material
        São muitas as necessidades materiais e econômicas das missões. Não só para auxiliar nas
estruturas mínimas das comunidades, tais como: capelas, escolas, seminários... mas também para
sustentar as obras de caridade, de educação e de promoção humana, principalmente nos países
pobres. A Igreja missionária dá aquilo que recebe, distribui aos pobres aquilo que seus filhos lhe
põem generosamente à disposição (cf. RMi 81).
        As crianças da Infância Missionária cooperam materialmente com ofertas que são fruto de
seus sacrifícios e se destinam para as obras dedicadas às crianças e para a evangelização. Estas
ajudas são necessárias. Estas colaborações econômicas destinam-se EXCLUSIVAMENTE em
favor das crianças.
        Cada mês (ou semana), as crianças, com alegria porque fruto de seus sacrifícios, entregam
uma oferta para as crianças necessitadas do mundo.

                                                                                                   9
       10. QUAIS SÃO OS COMPROMISSOS DA CRIANÇA MISSIONÁRIA?

       Cada criança, membro da Infância Missionária, além de observar os objetivos e princípios
de ação desta Obra, cumpre os seguintes compromissos:
       1) Participar das reuniões de seu grupo, para conhecer mais a Jesus, escutá-Lo e tornar-se
            seu discípulo.
       2) Rezar diariamente pelo êxito da atividade missionária da Igreja no mundo e
            particularmente pelos missionários que se dedicam às crianças nas missões.
       3) Oferecer a vida e os próprios sacrifícios para as missões.
       4) Fazer amigos para Jesus, entre as crianças de seu ambiente, da escola e do mundo
            inteiro.
       5) Dar com generosidade a oferta mensal (ou semanal) como ajuda às
            crianças necessitadas.


       Estes compromissos são vividos através dos seguintes pontos:
       1. A criança missionária olha todas as pessoas com olhos de irmão e irmã.
       2. A criança missionária conhece a Jesus, ama como Jesus, não se envergonha de falar de
           Jesus.
       3. A criança missionária reza todos os dias ao Pai do Céu pelas crianças do mundo
           inteiro e quer que todas conheçam Jesus e sua Mãe Maria, que é também nossa Mãe.
       4. A criança missionária sempre diz: Obrigado e louva o Senhor Deus.
       5. A criança missionária se alegra em partilhar e fica feliz quando as outras
           oferecem o que tem.
       6. A criança missionária é alegre e solidária no serviço aos irmãos.
       7. A criança missionária sabe que ela é mais importante e necessária do que seu dinheiro.
       8. A criança missionária é generosa mesmo que isso lhe custe.
       9. A criança missionária procura soluções e as encontra.
       10. A criança missionária sempre pensa em “Nós”.

       11. O ASSESSOR / ASSESSORA DA INFÂNCIA MISSIONÁRIA

        Quem é o Assessor/Assessora da Infância Missionária?
        O Assessor ou Assessora da Infância Missionária é, antes de tudo, um amigo de Jesus, que
ama a Deus e a todas as pessoas. Dá testemunho de uma autêntica vida cristã e está consciente de
sua missão evangelizadora. É pessoa aberta à ação do Espírito Santo, chamada por Deus, para
continuar a missão de Jesus, como missionário, profeta e pastor.
        A presença e a ação do assessor e da assessora é muito importante. Ele/ela acompanha,
orienta os grupos das crianças e dos pré-adolescentes para que assumam suas responsabilidades e o
protagonismo na ação solidária e na evangelização.

       Como deve ser o Assessor ou Assessora?
        Ser uma pessoa de oração, que viva o espírito das bem-aventuranças.


                                                                                             10
          Estar atualizado no que se refere ao seu papel de assessor, seja criativo e conheça a vida
           e a história das missões.
          Ser humilde e capaz de tornar-se criança com as crianças.
          Manifestar atitudes de doação e de serviço às crianças e adolescentes e grande amor às
           missões.
          Amar Maria, a Mãe de Jesus e Rainha dos Apóstolos.
          Ser apóstolo na família das crianças e com seus educadores.

       O que faz o Assessor ou Assessora da Infância Missionária?
        Orienta, motiva e coordena as crianças, deixando que elas mesmas
          assumam suas próprias responsabilidades e atuem com espontaneidade e liberdade.
        Impulsiona o espírito missionário universal dos grupos, sendo perseverante, criativo e
          formativo.


          Programa a ação missionária, de forma continuada, no plano de evangelização da
           comunidade.
          É sinal de unidade, comunhão e coordenação com os demais grupos para o trabalhalho
           integrado na pastoral de conjunto.
          Está em comunhão e comunica-se com seu pároco, com a coordenação diocesana da
           Infância Missionária e da Dimensão Missionária: Conselho Missionário Diocesano
           (COMIDI), Conselho Missionário Regional (COMIRE) e Pontifícias Obras
           Missionárias, comunicando suas experiências e recebendo informações e subsídios
           pedagógicos.
          Transmite entusiasmo, amor a Deus e à Igreja, com seu carinho, compreensão e
           animação.
          Divulga notícias, subsídios e revistas missionárias.
          Prepara com as crianças-coordenadores de grupos os encontros semanais e outras
           atividades.
          Participa nos encontros e nas atividades da Infância Missionária, nos níveis
           correspondentes.
          Reza para viver o espírito evangélico das bem-aventuranças e ama. Tem amor à
           Eucaristia, à Virgem Maria e à Igreja.

       O assessor/assessora da Infância Missionária pode ter vários grupos sob sua coordenação, já
que seu papel é assessorar e orientar os coordenadores dos grupos.

       Quem pode ser Assessor ou Assessora?
       Podem ser jovens, educadores, catequistas, pais e mães de família, leigos e leigas,
seminaristas, vocacionadas, religiosas, religiosos, padres. O importante é que queiram
comprometer-se com a ação evangelizadora das crianças, despertando seu protagonismo na
evangelização e na solidariedade com todas as crianças da terra.

       12. ESCOLA DE LÍDERES MISSIONÁRIOS
                                                                                                 11
        A Infância Missionária é uma escola do seguimento de Jesus, porque leva a criança a
tornar-se um verdadeiro discípulo de Jesus, escutando, meditando e vivendo a Palavra de Deus e
anunciando Jesus.
        A Escola de liderança missionária destina-se às crianças e pré-adolescentes, coordenadores
dos grupos e outros. Visa capacitá-los para que sejam multiplicadores na formação de outras
crianças em suas respectivas paróquias e em outras comunidades.

       Quais são os objetivos específicos destas escolas?
        Propiciar uma intensa experiência missionária.
        Capacitar adequadamente para o serviço a outras crianças e aos grupos.
        Fomentar a integração, em nível diocesano e paroquial, concretizando alguns
          compromissos para realizar depois da Escola.




       13. CONSAGRAÇÃO NA INFÂNCIA MISSIONÁRIA

         A consagração é um entregar-se, decidir-se livremente, dizer sim. Na Infância Missionária a
consagração é uma forma de assumir pública e solenemente a decisão de ser missionário. É a
disposição de colaborar para que todas as crianças do mundo conheçam e amem a Jesus e se amem
entre si.
         A consagração realiza-se depois de um certo tempo (um ano) de participação nos grupos e
na atividade da Infância Missionária. Trata-se de um tempo necessário para conhecer a Obra, os
objetivos, os métodos e a espiritualidade. Esta consagração renova-se cada ano, para manter vivo o
entusiasmo missionário.

       14. BREVE HISTÓRIA DA INFÂNCIA MISSIONÁRIA

        Fundação e desenvolvimento:
        A Obra da Infância Missionária, fundada em 1843 por Dom Carlos Augusto Forbin Janson,
Bispo de Nancy, França, nasceu para sensibilizar as crianças e adolescentes desta realidade,
levando-as a colaborar com orações, sacrifícios e ajudas materiais.
        Paulina Jaricot que, em 1822, tinha fundado, em Lyon, a Obra da Propagação da Fé, apoiou
Dom Carlos Forbin e quis ser a primeira associada, divulgando sua finalidade: ajudar as crianças
através das crianças. Definiu a Infância Missionária como a Obra da Propagação da Fé para as
crianças.
        Dom Carlos morreu em 1844. Em tão pouco tempo, sua Obra já estava organizada em 65
Dioceses da Europa.
        Esta Obra recebeu imediatamente a aprovação e a recomendação dos Papas. Pio XI, no dia
3 de maio de 1922, declarou esta Obra “Pontifícia”, isto é: Obra do Papa e de todas as Dioceses do
mundo.

                                                                                                12
        No dia 4 de dezembro de 1950, Pio XII instituiu o Domingo Mundial da Infância
Missionária, a ser celebrado em todas as Igrejas.
        O Concílio Vaticano II declarou que as Pontifícias Obras Missionárias "devem ocupar o
primeiro lugar, porque são meios privilegiados para difundir nos católicos, desde a infância, o
sentido verdadeiramente universal e missionário"(Ad Gentes 38).
        Em 1979 e em 1994, o Papa João Paulo II enviou às coordenações e às crianças Cartas
sobre o valor da Infância Missionária na ação solidária e evangelizadora das crianças. O Papa
chama as crianças da Infância Missionária de “pequenos grandes missionários, no anúncio do
Evangelho de Jesus”.
        Nos últimos anos, a Infância Missionária conseguiu um grande desenvolvimento e
expansão. A celebração dos 150 anos de fundação (1993) deu-lhe renovado impulso. Hoje se
encontra em mais de 110 países de todos os Continentes e sua ação universal e eficaz beneficia
milhões de crianças na África, Ásia, Oceania, América e Europa.

        A Infância Missionária no Brasil:
        A Obra da Infância Missionária chegou ao Brasil no ano de 1858. Foi muito bem acolhida e
produziu muitos frutos. Situações diversas (proclamação da República em 1889) fizeram
obscurecer seus objetivos e organização.
        Esta obra foi reorganizada oficialmente em 1955. Pe. Paulo van de Zandt, C.S.Sp foi
nomeado diretor nacional.
        A Ata da reunião acontecida em 16/03/1955 diz: “o Brasil precisa especialmente desta Obra
Pontifícia. Ela desperta as crianças para o trabalho missionário com outras crianças. As crianças
mais favorecidas ajudam assim as mais abandonadas. Com esta atitude, abrem seus corações para
largos horizontes de caridade e humanidade, ajudando-as no desenvolvimento de qualidades e
ações mais generosas e espontâneas.”
        Após as celebrações dos 150 anos, a Infância Missionária está sendo reanimada e atualizada
em diversas regiões e Dioceses do Brasil, conforme os objetivos, finalidades e a metodologia
própria desta Pontifícia Obra, como são apresentados nestas Diretrizes e Orientações.

       15. PADROEIROS DAS MISSÕES

        SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS
        Teresinha nasceu em Alençon, França, no dia 2 de janeiro de 1873. Sua família vivia no
amor a Deus e entre si e, por isso mesmo, muito solidária com os necessitados.
        Teresinha cresceu como todas as crianças, mas o que encantava a todos era sua vida simples
e o esforço que fazia para melhorar.
        Entrou, ainda muito jovem -16 anos - no mosteiro das Carmelitas de Lisieux e praticou de
modo exemplar a caridade, a simplicidade evangélica e a confiança em Deus. “Passarei meu céu
fazendo o bem na terra”, era seu desejo. Faleceu no dia 30 de setembro de 1897. Foi uma religiosa
carmelita, missionária da oração, do sofrimento e do amor. Teresinha transformou a vida fechada
no convento em luz, a dor em amor, o pequeno em grande, a terra em céu, o tempo em eternidade, a
vida contemplativa de convento de clausura num horizonte missionário, em Igreja universal .
        Nunca foi para as missões, no entanto o Papa Pio XI a nomeou Padroeira das Missões e dos
missionários, junto com São Francisco Xavier. Sua festa é celebrada no dia 1º. de outubro.

                                                                                              13
         SÃO FRANCISCO XAVIER
         Francisco Xavier nasceu no dia 7 de abril de 1506, em Navarra, Espanha. Era um menino
piedoso e estudioso. Para se preparar melhor foi estudar em Paris. Encontrou-se com Inácio de
Loyola e, junto com outros companheiros, fundaram a Companhia de Jesus. A esses primeiros
missionários juntaram-se outros que se espalharam pelo mundo para anunciar o Evangelho.
         Foi ordenado sacerdote em 1537 e enviado a evangelizar o Japão e Índia. Percorreu grandes
distâncias e falou do amor de Deus e do Reino, convertendo muitas pessoas e formando
comunidades cristãs. Seu grande desejo era anunciar Jesus na China. Faleceu, no ano de 1552, sem
poder chegar a esta terra que tanto amava.
         É um exemplo de missionário comparado com São Paulo por suas longas viagens
apostólicas. O Papa Pio XI o proclamou, junto com Santa Teresinha, Padroeiro das Missões. Sua
festa é celebrada todos os anos no dia 3 de dezembro.




                                 HINO DA INFÂNCIA MISSIONÁRIA

                      G                                                                    5G
       VIDA ABUNDANTE AO MUNDO OFEREÇO
                             G
       QUERO ACENDER A CHAMA DO AMOR
              5G                     C
       SOU MISSIONÁRIO (A) E MESMO PEQUENO (A)
             G       aS             G             5G
       SIRVO ALEGRE AO REINO DE DEUS

                                                  C                   5G               G
                 1. Mãe de Jesus e das crianças
                                                           C          5G           G
                    que mais precisam do nosso amor
                                                       C                       G
                    acolhe a todos sob o teu manto,
                                                       C       5G          G
                    guia-nos sempre para o Senhor.

       2. Seguindo os passos dos padroeiros
           vamos a vida inteira doar
           como Francisco e Teresinha,
           nossa missão é Cristo anunciar.

                 3. Com a alegria construiremos
                     Senhor Jesus teu Reino de amor!
                                                                                                14
A Boa Nova anunciaremos
com nossa vida, em teu nome, Senhor!




                                       15

								
To top