relproj34

Document Sample
relproj34 Powered By Docstoc
					PSI-2222 - PRÁTICAS DE ELETRICIDADE E
             ELETRÔNICA II

          2o. Semestre 2007




     DESCRIÇÃO DOS PROJETOS




              TURMA 3
PROJETO 3.A
Medidas de respostas acústicas                                         1 grupo
Orientador : Magno (PSI)                                        magno@lps.usp.br
Objetivos

O objetivo deste projeto é obter a resposta impulsiva do caminho entre uma caixa acústica e
um microfone. Em várias aplicações de processamento de sinais, é importante que se tenha
um modelo de tempo discreto do sistema que representa o caminho que o sinal que sai da
caixa acústica percorre até chegar ao microfone. Por exemplo, tal modelo pode ser usado
para determinar o número de coeficientes de um filtro adaptativo no cancelamento de eco
acústico de um terminal viva-voz. O projeto consiste em duas etapas principais: realização
de medidas em duas salas distintas, considerando diferentes posições do microfone e da
caixa acústica e processamento dos sinais medidos utilizando o software Matlab. A interface
gráfica do Matlab (Graphical User Interface – GUI) será utilizada para apresentação dos
resultados.

Metodologia

Os alunos deverão estudar os aspectos teóricos e práticos do projeto para realizar as
medidas necessárias e processá-las através de programas escritos em linguagem do
Matlab.

Etapas do projeto

    1- Estudo inicial de aspectos teóricos do projeto: sinais de tempo discreto, convolução,
    função de transferência e resposta impulsiva.
    2- Introdução ao Matlab e sua interface gráfica (GUI).
    3- Estudo de diferentes métodos para obtenção da resposta impulsiva: resposta a um
    sinal impulsivo, método dos mínimos quadrados, método da correlação cruzada.
    4- Realização de medidas na primeira sala.
    5- Desenvolvimento dos programas em Matlab e obtenção das respostas desejadas.
    6- Realização de medidas na segunda sala e obtenção das respostas.
    7- Comparação entre métodos e entre as respostas das duas salas.
Cronograma (os relatórios devem ser entregues no final do período indicado)


                            Tarefas          ago    set   out    nov
                       (Itens anteriores)

                                1             X

                                2             X

                                3             X      X

                                4                    X

                                5                    X     X

                                6                          X

                                7                          X      X

                   Relatórios                 X      X     X      X
PROJETO 3.B
Cancelamento de eco acústico                                    1 grupo
Orientadora : Maria D. Miranda (PTC)               maria@lcs.poli.usp.br


Objetivos
O projeto tem como objetivos a análise, a simulação e a implementação de um
sistema de cancelamento de eco acústico. Serão abordados conceitos teóricos de
processamento digital de sinais usualmente empregados em aplicações práticas,
além de simulação com o MatLab e uma possível implementação em um
processador digital de sinais.

Metodologia
Inicialmente, serão abordadas as ferramentas teóricas para a adequada
implementação do sistema. Posteriormente, será dada ênfase a implementação no
MatLab, destacando a captação do sinal de voz, a geração de uma resposta do
sistema que simule o eco acústico e a implementação de um algoritmo adaptativo
para anular os sinais de eco. Finalmente, visando o cancelamento do eco em tempo
real, será efetuada a implementação em um processador digital de sinais.

Pré-requisitos
bons conhecimentos de programação, gostar de cálculo,          ter boa capacidade
auditiva, curiosidade e paciência.

Cronograma

               Fase / Atividade                    Ago   Set   Out   Nov

 I Estudos preliminares: Sistemas de tempo
   discreto, algoritmo LMS, familiarização com o
   MatLab e com processador digital de sinais
II Implementação no MatLab
III Implementação no processador
IV Testes e avaliação
V Documentação
VI Relatório Final


Material necessário:
Computador com software Matlab,
dois DSPs,
caixa acústica,
microfone e fone de ouvido.
PROJETO 3.C
Cor: Especificação e Aferição – COR:EA                                    1 grupo
Orientadores :       Elvo (IEE/USP)                                  elvo@iee.usp.br
                     Aquiles (PEA/IEE)                            aquiles@iee.usp.br
                     Grupo de Eletrônica Molecular - GEM (LME-EPUSP)


Objetivos
Os objetivos que devem ser alcançados neste projeto são:
- os alunos deverão aprender conceitos básicos sobre cores (terminologia, fontes
   de luz, grandezas, fatores que influenciam a reprodução, métodos de
   determinação);
- os alunos deverão desenvolver instrumental simples capaz de estabelecer
   controle de uma fonte incandescente a ser utilizada como iluminante padrão na
   identificação da cor de objetos;
- os alunos devem implementar e testar (apresentar resultados) o projeto
   estabelecido, comparar e comentar os resultados obtidos a partir do ferramental
   utilizado.


Etapas de Desenvolvimento
-   Etapa 1: Estudar conceitos básicos da engenharia de iluminação relacionados à
    cor;
-   Etapa 2: Aprender a utilizar sistema desenvolvido para cores;
-   Etapa 3: Elaborar e discutir propostas de projetos para desenvolvimento de
    instrumental necessário ao controle e registro de parâmetros elétricos;
-   Etapa 4: Implementar pelo menos uma configuração instrumental definida;
-   Etapa 5: Utilizar a(s) ferramenta(s) construída(s) para a tarefa de identificar cor a
    partir de calorímetro, tabular os dados obtidos e fazer análise crítica do projeto.


Material Necessário
-   Microcomputador; Manuais e Livros da linguagem de programação, apostilas,
    artigos de Iluminação, manuais;
-   ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12694:
    Especificação de cores de acordo com sistema de notação Munsell,
    especificação, 22p., Rio de Janeiro, 1992;
-    COMMISSION INTERNATIONALE DE L’ÉCLAIRAGE CIE 15.2 Colorimetry,
    1986;
-    ILLUMINATING ENGINEERING SOCIETY OF NORTH AMERICA. IES Lighting
    Handbook em CD). New York: Illuminating Engineering Society of North America,
    9ª Ed., 2000.
-   Freewares (softwares) disponíveis.
PROJETO 3.D
Fotômetro para Caracterização de LEDs – FCLEDs
                                                                       1 grupo
Orientadores :     Elvo (IEE/USP)                              elvo@iee.usp.br
                   Aquiles (PEA/IEE)                         aquiles@iee.usp.br
                   Grupo de Eletrônica Molecular - GEM (LME-EPUSP)

Objetivos
Os objetivos que devem ser alcançados neste projeto são:
- os alunos deverão trabalhar com conceitos sobre diodos emissores de luz –
   LEDs (terminologia e grandezas);
- os alunos deverão definir projeto de instrumento simples capaz de estabelecer
   conhecimento quantitativo e registro eletrônico sobre o desempenho de LEDs;
- os alunos devem implementar e testar (apresentar resultados) o projeto
   estabelecido, comparar e comentar os resultados obtidos a partir do ferramental
   utilizado.


Etapas de Desenvolvimento
- Etapa 1: Estudar conceitos básicos da engenharia de iluminação relacionados à
   LEDs;
- Etapa 2: Aprender e utilizar sistema capaz de realizar medição de LEDs;
- Etapa 3: Elaborar e discutir propostas de projetos para desenvolvimento
   experimental que possibilite coletar dados sobre emissão luminosa;
- Etapa 4: Implementar a configuração instrumental definida;
- Etapa 5: Utilizar as dados obtidos a partir de experimentos realizados para
   calibrar e determinar a emissão de LEDs, apresentar os dados tratados,
   resultados significativos e fazer análise crítica do projeto.


Material Necessário
- Microcomputador; sensor de luz, interface com microcomputador;
- Manuais e Livros da linguagem de programação, apostilas, artigos técnicos,
  manuais;
- ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 5461
  Iluminação Terminologia, ABNT, 1992;
- COMMISSION INTERNATIONALE DE L’ÉCLAIRAGE CIE 127 Measurement of
  LEDs, 1997;
- ILLUMINATING ENGINEERING SOCIETY OF NORTH AMERICA. IES Lighting
  Handbook em CD). New York: Illuminating Engineering Society of North America,
  9ª Ed., 2000.
- Freewares (softwares) disponíveis.
PROJETO 3.E
Experimentos para Otimizar a Fabricação e o Desempenho de
dispositivos P/OLEDs (diodos poliméricos e orgânicos emissores
de luz) e LECs (Células Eletroquímicas emissoras de Luz)
                                                                        1 grupo
Orientadores :     Elvo (IEE/USP)                                elvo@iee.usp.br
                   Aquiles (PEA/IEE)                          aquiles@iee.usp.br
                   Grupo de Eletrônica Molecular - GEM (LME-EPUSP)
Objetivos
- Os alunos deverão trabalhar com conceitos sobre dispositivos, Diodos
  Poliméricos e Orgânicos emissores de luz (P/OLEDs) e Células Eletroquímicas
  Emissoras de Luz (LECs), terminologia e grandezas;
- Desenvolvimento e implementação de metodologias e experimentos simples
  capazes de estabelecer conhecimento qualitativo e quantitativo sobre qualidade
  e desempenho dos eletrodos alumínio e TCOs (Óxidos Transparentes
  Condutivos);
- Analisar e testar (apresentar resultados) do projeto estabelecido para
  encapsulamento dos dispositivos, comparar e comentar os resultados obtidos a
  partir do ferramental utilizado.

Etapas de Desenvolvimento
- Etapa 1: Estudar conceitos básicos da engenharia de iluminação relacionados à
   LEDs (P/OLED; LEC);
- Etapa 2: Aprender e utilizar sistema desenvolvido para construção desses
   dispositivos;
- Etapa 3: Elaborar e discutir propostas de projetos para desenvolvimento
   experimental que possibilite coletar dados sobre variação na camada de alumínio
   depositado para atuar como eletrodo e parâmetros que possibilitem identificar e
   segregar qualidades do filme condutivo transparente (ITO) utilizado como
   eletrodo;
- Etapa 4: Implementar cada configuração instrumental escolhida;
- Etapa 5: Utilizar as dados obtidos nos experimentos realizados para definir
   parâmetros construtivos aos eletrodos de LEDs, apresentar os dados tratados,
   resultados significativos e fazer análise crítica do projeto.

Material Necessário
- Microcomputador; equipamento para metalização em vácuo (evaporadora), AFM
  (microscopia de força atômica) para medida de rugosidade de superfície,
  Perfilômetro para medida de espessuras e quatro pontas para medidas de
  resistência de folha dos eletrodos; Manuais, livros, apostilas, artigos técnicos e
  softwares para utilização dos equipamentos e interface entre equipamentos.
- ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 5461
  Iluminação Terminologia, ABNT, 1992;
- COMMISSION INTERNATIONALE DE L’ÉCLAIRAGE CIE 127 Measurement of
  LEDs, 1997
-   ILLUMINATING ENGINEERING SOCIETY OF NORTH AMERICA. IES Lighting
    Handbook em CD). New York: Illuminating Engineering Society of North America,
    9ª Ed., 2000.
PROJETO 3.F
Software de Simulação de Usos e Hábitos de
Consumo Residencial                                             1 grupo
Orientador : Aquiles (PEA)                               aquiles@pea.usp.br

Objetivos

Os objetivos que devem ser alcançados pelos alunos neste projeto são:

-   os alunos deverão aprender conceitos básicos usos e hábitos de consumo de
    energia elétrica
-   os alunos deverão aprender uma linguagem de programação (VB, Delphi, Java,
    etc) que permita desenvolver o programa gráfico de simulação de usos e hábitos
    de consumo residencial;
-   os alunos deverão desenvolver e testar o programa gráfico de simulação de usos
    e hábitos de consumo residencial;

Etapas de Desenvolvimento

-   Etapa 1 : Estudar conceitos básicos usos e hábitos de consumo de energia
    elétrica
-   Etapa 2 : Escolher e Aprender a utilizar uma linguagem de programação
-   Etapa 3 : Desenvolver o programa gráfico de simulação de usos e hábitos de
    consumo residencial na linguagem de programação escolhida

Material Necessário

-   Microcomputador
-   Software de Linguagem de Programação
-   Manuais e Livros da linguagem de programação
-   Livros, apostilas, manuais, artigos de usos e hábitos de consumo de energia
    elétrica residencial
-   Manuais de fabricantes de eletrodomésticos
PROJETO 3.G
Maquete         sobre       Consumo            de     Energia           Elétrica
Residencial                                                    1 grupo
Orientador : Aquiles (PEA)                               aquiles@pea.usp.br

Objetivos

Os objetivos que devem ser alcançados pelos alunos neste projeto são:

-   os alunos deverão aprender conceitos básicos usos e hábitos de consumo de
    energia elétrica.
-   os alunos deverão pesquisar as características de tipos diferentes de
    eletrodomésticos utilizados em residências.
-   os alunos deverão desenvolver, montar e testar uma maquete que permita
    interatividade para selecionar eletrodomésticos por cômodo e que apresente o
    consumo destes em função da potência e tempo de utilização e o consumo
    acumulado

Etapas de Desenvolvimento

-   Etapa 1 : Estudar conceitos básicos usos e hábitos de consumo de energia
    elétrica
-   Etapa 2 : Pesquisar característica de diferentes tipos de eletrodomésticos .
-   Etapa 3 : Desenvolver, montar e testar a maquete.

Material Necessário

-   Manuais e Livros da linguagem de programação
-   Livros, apostilas, manuais, artigos de usos e hábitos de consumo de energia
    elétrica residencial.
-   Manuais de fabricantes de eletrodomésticos.
-   Material para a construção de uma maquete
PROJETO 3.H
Análise da Influência de Modelos de Torres de Linhas de
Transmissão            quanto        aos       Efeitos       de      Descargas
Atmosféricas                                                          1 grupo
Orientador: Alexandre Piantini (IEE/USP)                  piantini@iee.usp.br

Objetivos

Os alunos deverão obter noções básicas a respeito de sistemas de transmissão de
energia, especialmente com relação:
- aos componentes de uma linha de transmissão;
- aos efeitos de descargas atmosféricas em sistemas de transmissão;
- aos principais conceitos relativos ao cálculo de sobretensões causadas por
   descargas atmosféricas, em particular no que se refere aos modelos
   simplificados para representação de torres de linhas de transmissão;
- à simulação de fenômenos transitórios em sistemas elétricos;
- à modelagem de componentes e à forma de avaliação dos resultados.

Etapas de Desenvolvimento
-   Etapa 1: estudo dos principais componentes de uma linha de transmissão e dos
    efeitos das descargas atmosféricas em sistemas elétricos;
-   Etapa 2: familiarização com os conceitos básicos relativos ao cálculo das
    sobretensões decorrentes da incidência de descargas atmosféricas em linhas de
    transmissão;
-   Etapa 3: estudo de modelos simplificados para representação de torres de linhas
    de transmissão;
-   Etapa 4: definição de software (PSPICE ou equivalente) e familiarização com os
    procedimentos para análise de fenômenos transitórios em circuitos elétricos;
-   Etapa 5: realização de simulações visando a comparação das sobretensões
    causadas por descargas atmosféricas considerando diferentes modelos para
    representação da torre;
-   Etapa 6: análise dos resultados e verificação da influência, nas sobretensões, do
    modelo escolhido para representação da torre em função do valor da resistência
    de terra.

Material Necessário

-   Microcomputador;
-   livros, apostilas e artigos sobre o efeito de descargas atmosféricas em sistemas
    elétricos e modelos de torres de linhas de transmissão;
-   software para simulação de transitórios em circuitos elétricos.
PROJETO 3.I
Link Óptico de Áudio                                                               1 grupo
Orientador : José Augusto (PSI)                                    jaugusto@lme.usp.br

Objetivos

O principal objetivo deste tema é apresentar o princípio de funcionamento de dispositivos
optoeletrônicos juntamente com o projeto de circuitos relacionados com a emissão/recepção
de radiação óptica na faixa do infravermelho próximo. Exemplos de aplicação desses
circuitos podem ser citados: acionamento de aparelhos com controle remoto, barreira
invisível para detectar a passagem de pessoas ou objetos, detector de presença,
transmissão/recepção de sinais (digitais ou analógicos), comunicação óptica entre
periféricos de computadores, etc.O projeto proposto tem diversas aplicações práticas
interessantes, uma delas é transmitir o som de um televisor a um fone remoto sem fios.
Outra aplicação consiste no envio dos sinais de um equipamento de áudio para um local
remoto, para captação e reprodução em um alto-falante. Uma caixa de som remota sem fio
do tipo “wireless system” pode ser alimentada por esse sistema. Opcionalmente, temos
também a possibilidade de se fazer a transmissão dos sinais através de fibras ópticas,
acoplando o emissor e o receptor de modo que esse meio possa ser usado, caso em que
seu alcance será muito maior (dependendo do tipo de fibra empregado).
Projeto

O projeto proposto é de baixa complexidade e bem abrangente envolvendo o uso de
circuitos integrados, dispositivos discretos (transistores), dispositivos ópticos (LED,
fototransistor), aplicados em filtros, amplificadores, osciladores, etc.. Basicamente o trabalho
consiste na simulação (PSpice) elétrica do circuito, montagem inicial do protótipo dos
módulos transmissor e receptor em protoboard, geração do leiaute e montagem definitiva do
transceptor em placa de circuito impresso, caracterização elétrica do circuito e elaboração
de relatório final.

Cronograma

Etapa 1: Apresentação inicial do orientador descrevendo o projeto a ser desenvolvido
contendo xerox das referências Será atribuição de cada elemento do grupo definir sua
participação no projeto e elaborar um cronograma de trabalho individual.
Etapa 2: Estudo inicial do princípio de funcionamento dos componentes usados no projeto.
Etapa 3: Simulação do circuito usando o programa PSpice, procurando entender o seu
funcionamento.
Etapa 4: Aquisição dos componentes necessários para a montagem do circuito.
Etapa 5: Montagem inicial do protótipo em “protoboard”. Medida de tensões, formas de
onda, etc.. Comparar resultados experimentais com os teóricos.
Etapa 6: Gerar o leiaute do circuito final e montá-lo em placa de circuito impresso e
(preferencialmente) acondicioná-lo numa caixa adequada.
Etapa 7: Testes e caracterização elétrica finais.
Etapa 8: Apresentação final do produto montado. Entrega do relatório final.

Obs:
  - As reuniões serão semanais.
  -  Os alunos deverão especificar quais são as suas atribuições no projeto, pois as
     avaliações finais serão individuais.
PROJETO 3.J
Transceptor Óptico de Sinais                                                   1 grupo
Orientador : José Augusto (PSI)                                 jaugusto@lme.usp.br

Objetivos

Este tema tem como objetivo apresentar o princípio de funcionamento de dispositivos
optoeletrônicos juntamente com o projeto de circuitos relacionados com a emissão/recepção
de radiação óptica na faixa do infravermelho próximo aplicados na construção de
transceptor (transmissor/receptor) de sinais de áudio modulados em FM (freqüência
modulada).
Exemplos de aplicação desses circuitos podem ser citados: acionamento de aparelhos com
controle remoto, barreira invisível para detectar ou contar passagem de pessoas ou objetos,
detector de presença, transmissão/recepção de sinais (digitais ou analógicos), comunicação
óptica entre periféricos de computadores, etc.

Projeto

O projeto proposto é de média complexidade e bem abrangente envolvendo o uso de
circuitos integrados, dispositivos discretos (transistores), dispositivos ópticos (LED,
fototransistor), aplicados em filtros, amplificadores, osciladores, etc..
Basicamente o trabalho consiste na simulação (PSpice) elétrica do circuito, montagem inicial
do protótipo dos módulos transmissor e receptor em protoboard, geração do leiaute e
montagem definitiva do transceptor em placa de circuito impresso, caracterização elétrica do
circuito e elaboração de relatório final.

Cronograma

Etapa 1: Apresentação inicial do orientador descrevendo o projeto a ser desenvolvido
contendo xerox das referências Será atribuição de cada elemento do grupo definir sua
participação no projeto e elaborar um cronograma de trabalho individual.
Etapa 2: Estudo inicial do principio de funcionamento dos componentes usados no projeto.
Etapa 3: Simulação do circuito usando o programa PSpice, procurando entender o seu
funcionamento.
Etapa 4: Aquisição dos componentes necessários para a montagem do circuito.
Etapa 5: Montagem inicial do protótipo em “protoboard”. Medida de tensões, formas de
onda, etc.. Comparar resultados experimentais com os teóricos.
Etapa 6: Gerar o leiaute do circuito final e montá-lo em placa de circuito impresso e
(preferencialmente) acondicioná-lo numa caixa adequada.
Etapa 7: Testes e caracterização elétrica finais.
Etapa 8: Apresentação final do produto montado. Entrega do relatório final.


Obs:
- As reuniões serão semanais.
- Os alunos deverão especificar quais são as suas atribuições no projeto, pois as avaliações
finais serão individuais.
PROJETO 3.K
Filtro de microondas passa-faixa                                        1 grupo
Orientadora : Fátima Salete Correra (PSI)                   fcorrera@lme.usp.br

Objetivos

O objetivo deste tema é realizar o procedimento completo de desenvolvimento de um filtro
de microondas passa-faixa, incluindo as etapas de projeto, construção e medidas elétricas.
Durante essa atividade os alunos deverão compreender o princípio de funcionamento, bem
como a aplicação de filtros de microondas usados em sistemas de comunicação, como
telefones celulares e comunicação via satélite. Os alunos terão a oportunidade de utilizar
softwares de simulação eletro-magnética 3D para projeto de circuitos de microondas e
equipamentos de medidas de precisão em altas freqüências. O filtro será construído usando
tecnologia planar e substrato flexível para microondas.

Metodologia

As etapas de desenvolvimento deste tema são as seguintes:

   Estudo do princípio de funcionamento de filtros de microondas.
   Definição das especificações do filtro a ser projetado.
   Familiarização com o uso de programa de simulação de circuitos de microondas e com o
    simulador EM 3D planar Momentum.
   Projeto do filtro, considerando a viabilidade de sua construção em freqüências de
    microondas.
   Construção do filtro: elaboração do leiaute, fotogravação do circuito e montagem do
    filtro.
   Medida do filtro em microondas, usando analisador de redes.
   Discussão dos resultados experimentais, comparando-os com as especificações.

Cronograma

     Atividade/Mês                          Ago         Set       Out        Nov
     Estudo de filtros
     Especificação do filtro
     Familiarização com o software
     Projeto do filtro
     Construção do filtro
     Medida do filtro
     Discussão dos resultados
PSI-2222 - PRÁTICAS DE ELETRICIDADE E
             ELETRÔNICA II

          2o. Semestre 2007




     DESCRIÇÃO DOS PROJETOS




              TURMA 4
PROJETO 4.A
Contador Universal Programável                                  2 grupos
Orientador: Edson (PCS)               edson.midorikawa@poli.usp.br


Objetivos: Este projeto tem como objetivo auxiliar o aluno a projetar circuitos
digitais, interagindo com circuitos eletrônicos, sensores e displays.

Metodologia: Os alunos deverão escolher na literatura projetos envolvendo circuitos
de automação para contagem de peças, pessoas ou veículos, muito utilizados na
indústria. Com os projetos em mãos, deverão adequá-los ao escopo da disciplina.
Essa adequação pode ser efetuada por meio de simulações. Após o término do
projeto e simulação, os alunos deverão montar o protótipo do sistema e desenvolver
métodos de medidas eletrônicos e mecanismos para demonstrar a funcionalidade do
sistema.

Cronograma: O projeto deve seguir o seguinte cronograma proposto:
     1. Apresentação do projeto escolhido.
     2. Simulação do projeto.
     3. Montagem e testes dos módulos.
     4. Montagem do protótipo.
     5. Montagem do circuito final.
     6. Apresentação do sistema com testes.

Pré-requisitos: O projeto envolve tanto circuitos digitais como módulos com
sensores. O projeto deve ser dividido em módulos com funções bem definidas e as
interfaces entre estes módulos devem ser bem especificadas. Os projetos podem
envolver várias alternativas: passagem de pessoas por uma porta (sensor de
presença), de veículos por um local (sensor de pressão), etc.

Avaliação do Projeto: O projeto será avaliado segundo sua originalidade, qualidade
da montagem, qualidade e objetividade dos testes, funcionalidade do sistema,
qualidade do relatório técnico e qualidade da apresentação pública.
PROJETO 4.B
Controle de Luminosidade para LEDs de alto brilho
                                            1 grupo
Orientador : Minami (PSI)                               minami@lps.usp.br
                                                minami@pedreira-centro.org.br


Os LED’s de alto brilho (alto rendimento) começam a ser cada vez mais utilizados
em aplicações comerciais (automóveis, iluminação cirúrgica, sinalização pública,
etc.) pois suas características de durabilidade e rendimento associadas à
diminuição de custo têm tornado cada vez mais acessíveis estas implementações.
Alguns componentes de conjuntos ópticos de automóveis comerciais serão num
futuro breve substituídos por estes dispositivos.
O objetivo deste projeto é acionar LED´s de alto brilho via controle PWM (“Pulse
Width Modulation”), utilizando microcontroladores. Além da luminosidade total, pode-
se ter uma rede de LED’s de para mudar a “temperatura de cor” da luz emitida, para
tornar mais versátil a uma dada aplicação onde o contraste com o objeto iluminado
seja importante, como em aplicações cirúrgicas.
Uma interface acoplável a um PC (serial ou USB) também pode ser implementada
com o dispositivo de controle para facilitar a programação da intensidade luminosa,
o espectro da luz irradiada, e outras facilidades como controle auto-focal.
Elenco de Atividades:
      Estudo do microcontolador
      Estudo do Controle por PWM
      Estudo das características do LED de alto brilho
      Definição da Aplicação
      Projeto da Interface de acionamento (“driver”)
      Projeto da Interface de comunicação com o PC
      Montagem do protótipo eletrônico
      Montagem do conjunto óptico referente à aplicação desejada
      Elaboração do programa de controle PWM
      Elaboração do programa de comunicação com o PC
      Testes
      Ajustes no projeto
      Relatório final
      Apresentação
PROJETO 4.C
Conversor CC/CC Chaveado                                          1 grupo
Orientador: Spina (PCS)                        edison.spina@poli.usp.br

Objetivos: Este projeto tem como objetivo o projeto de um conversor CC/CC tendo
como entrada um sinal CC e fornecendo como saída um outro sinal CC. Este
componente tem várias utilidades e aplicações, como pode ser comprovado através
de uma pesquisa na biblioteca ou na internet. Como exemplo, podemos citar um
conversor para transformar a tensão da bateria do automóvel (12VCC) em uma
tensão de 19VCC para alimentação de um notebook, ou em uma tensão de 5VCC
para alimentação de um MP3 player.
Metodologia: Os alunos realizarão estudos de livros e artigos sobre a
implementação de circuitos conversores CC/CC, com o objetivo de definir a melhor
configuração para o projeto desejado. Definirão as especificações do projeto
(tensão, corrente e potência de entrada / tensão, corrente e potência de saída),
material necessário, e etapas do desenvolvimento. O projeto incluirá etapas de
projeto e simulação com o PSpice, montagem do protótipo e testes.


Cronograma: O projeto deverá seguir o seguinte cronograma proposto:
      Estudos preliminares sobre conversores CC/CC e suas possíveis topologias.
      Discussão das especificações e restrições do projeto.
      Definição do circuito, projeto e simulações.
      Elaboração da lista de material e de componentes necessários.
      Montagem do circuito e testes básicos de operação.
      Aperfeiçoamento do circuito projetado.
      Fabricação de placas e montagem final do circuito
      Testes finais e verificação das especificações
      Apresentação do projeto

Avaliação do Projeto: O projeto será avaliado segundo sua originalidade,
capacidade dos alunos em definir as especificações e limitações das suas escolhas,
qualidade da montagem do circuito, qualidade e poder ilustrativo dos testes e
roteiros gerados, qualidade do relatório técnico e qualidade da apresentação pública.
PROJETO 4.D

Implementação de Operadores Fuzzy em Hardware
                                                                         1 grupo
Orientador: Marco Túlio (PCS)                       marco.andrade@poli.usp.br

1.Objetivos
Em linhas gerais pretende-se com este projeto estudar os fundamentos teóricos que
permitam o estabelecimento de critérios concretos para a especificação e/ou obtenção de
métodos de implementação, de hardware, que possibilitem construir Sistemas de
Computação Nebulosa. Em poucas palavras, entendemos que a expressão “Sistema de
Computação Nebulosa” refere-se aos sistemas computacionais, implementados em software
e/ou hardware, que sejam capazes de dar uma resposta categórica aos problemas
submetidos a este, e que utilizem a Teoria dos Conjuntos Nebulosos para tratar e
representar, a imprecisão, o caráter “vago”, ou a incerteza, que são inerentes ao
conhecimento humano expresso em linguagem natural ou simbolicamente.

Como resultado prático pretende-se implementar circuitos que possam realizar a
“Fuzificação” de valores “crisp” de variáveis lingüísticas. Estes circuitos devem se comportar
como se fossem a própria função de pertinência dos conjuntos nebulosos associados à variável
lingüística em questão. Eles seriam a implementação em “hardware” da parte de “fuzificação”
de um sistema de inferência nebulosa. Em uma segunda etapa poderiam ser desenvolvidos
também os circuitos que implementassem os vários operadores nebulosos em “hardware”, que
complementariam o sistema de inferência nebulosa.

Este projeto está inserido em um outro de maior âmbito que é o do desenvolvimento de uma
plataforma computacional associada a uma placa de entrada/saída de sinais, para a
prototipação de sistemas de inferência fuzzy.

2. Justificativa do Projeto
A teoria dos Conjuntos Nebulosos, que muitos autores na literatura tratam como sendo a
teoria da Lógica Nebulosa, tem larga aplicação nos campos da representação de
conhecimento; gestão de conhecimento; sistemas especialistas e de apoio à decisão;
automação industrial, etc. Em alguns sistemas inteligentes é de importância vital, porque
permite modelar conhecimento e realizar inferências seguindo os moldes do raciocínio
humano, que é aproximado por natureza. De acordo com o Professor Enric Trillas1: “Se a
lógica é a ciência dos princípios formais e normativos do raciocínio, a Teoria da Lógica
Nebulosa se refere aos princípios formais do raciocínio aproximado, considerando-se o
raciocínio preciso como caso limite”. Neste sentido, a Lógica Nebulosa permite representar o
conhecimento de sentido comum em uma linguagem matemática especial, ou seja, a
linguagem da teoria dos Conjuntos Nebulosos e suas distribuições de possibilidade
associadas. Tal ferramenta teórica possibilita a concepção de núcleos de decisão baseados em

1
 Enric Trillas, Julio Gutiérrez Ríos, “Aplicaciones de la Lógica Borrosa”, Consejo Superior
de Investigaciones Científicas, Madrid, 1992.
regras onde estas são descritas em linguagem natural e consistem na verbalização do
conhecimento do especialista sobre o problema a ser tratado. Deste modo, por meio de um
cálculo lógico baseado em uma estrutura matemática perfeitamente definida que flexibiliza a
noção operacional de “verdade”, permite efetuar inferências aproximadas a partir de padrões
de raciocínio que reproduzem aceitávelmente os modos comuns de raciocínio humano,
principalmente de tipo lingüístico qualitativo e não necessariamente quantitativo. Este tipo de
raciocínio é particularmente comum nas áreas de controle de processos, automação industrial,
análise financeira e de crédito e de produtos de consumo que requeiram atuações
“inteligentes”. Enquanto um sistema baseado em lógica convencional trata os conceitos como
categorias discretas, quando em geral não é esta a intenção do especialista no sistema, a
Técnica Nebulosa permite que um conceito tenha simultaneamente diversos valores
lingüísticos, com diferentes graus de certeza associados.

3. Áreas de Estudo
Tópicos a serem abordados para a execução do projeto:

1. Introdução à Teoria Nebulosa (“Fuzzy”)
    1.a Definição
    1.b O que é a Teoria Nebulosa?
    1.c Como se opera com a Teoria Nebulosa?
2. Conceitos teóricos e notação
    2.a Revisão Matemática (conjuntos, relações, funções, linguagens)
    2.b Definições básicas
       2.b.1 Conjuntos Nebulosos
       2.b.2 Representação de Conjuntos Nebulosos
       2.b.3 Operações com Conjuntos Nebulosos
          2.b.3.a Operações básicas
       2.b.4 Variáveis lingüísticas
       2.b.5 Regras de inferência Nebulosa
    2.c Escolha de operadores básicos
3. Representação do conhecimento, raciocínio Nebuloso e inferências Nebulosas
    3.a Representação do conhecimento em Lógica Nebulosa
    3.b Raciocínio Nebuloso
    3.c Inferências Nebulosas
       3.c.1 “Modus Ponens” Nebuloso
       3.c.2 A máquina de inferências para Controle Nebuloso
          3.c.2.a Métodos de “Defuzzyficação”
4. Hardware Fuzzy
    4.a Implementação de células primitivas Nebulosas
       4.a.1 Implementação de operadores de uma Álgebra Nebulosa
    4.b Implementação de funções de pertinência em hardware.
       4.b.1 Tecnologias bipolar e CMOS.
    4.c Arquiteturas para implementação de inferências Nebulosas
    4.d Processadores Nebulosos
5. Bibliografia básica
[Aedo-2000] José Edinson AEDO Cobo; “Considerações e Modelos Arquiteturais Para
Prototipagem Rápida em Hardware de Modelos Nebulosos”, Tese de Doutorado em
Engenharia, área de concentração - Engenharia Eletrônica, Departamento de Engenharia de
Sistemas Eletrônicos, Escola Politécnica da USP 2.000.

[Driankov-93] Dimiter DRIANKOV, Hans Hellendoorn, Michael Reinfrank, “An
Introduction to Fuzzy Control”, Springer-Verlag, 1993.

[Klir-95] KLIR, George J.; YUAN Bo; “Fuzzy Sets and Fuzzy Logic: Theory and
Applications”, Prentice-Hall, 1995.

[Klir-97] KLIR, George J.; STE. CLAIR, Ute; YUAN Bo; “Fuzzy Set Theory: Foundations
and Applications”, Prentice-Hall, 1997.

[Lee-90] C. C. LEE, "Fuzzy Logic in controle Systems - Part I", IEEE Transactions on
Systems, Man and Cybernetics, Vol. 20, nº 2, pp. 404-418, March/April 1990.

[Lee-90-2] C. C. LEE, "Fuzzy Logic in controle Systems - Part II", IEEE Transactions on
Systems, Man and Cybernetics, Vol. 20, nº 2, pp. 419-435, March/April 1990.

[Pedrycz-98] PEDRYCZ, Witold; GOMIDE, Fernando; "An Introduction to Fuzzy Sets:
Analysis and Design", The MIT Press, Cambridge, Massachusetts, 1.998.

[Ruíz-94] A. RUIZ, "Hardware Básico de Motores de Inferência Fuzzy Utilizando Trapecios
Codificados", Tesis Doctoral, Departamento de Tecnología Fotónica, Facultad de Informática,
Universidad Politécnica de Madrid, España, 1994.

[Trillas-92] Enric TRILLAS, J. GUTIÉRREZ R., "Aplicaciones de la Lógica Borrosa",
editado por Enric Trillas e Julio Gutiérrez Ríos, Consejo Superior de Investigações Científicas
(CSIC), Madrid, España, 1992.

[Trillas-95] Enric TRILLAS, Claudi ALSINA, Josep-Maria TERRICABRAS, "Introducción
a la Lógica Borrosa", Colección Ariel Matemática, Editora Ariel S.A., Barcelona , España,
1995.

[Zadeh-65] L. A. ZADEH, "Fuzzy Sets", Information and Control, Vol. 8, pp. 338-353, 1965.

[Zadeh-68] L. A. ZADEH, "Fuzzy Algorithms", Information and Control, Vol. 12, pp. 94-
102, 1968.

[Zadeh-73] L. A. ZADEH, "Outline of a New Approach to the Analysis of Complex Systems
and Decision Processes", IEEE Transactions on System, Man and Cybernetics, Vol. 3, pp. 28-
44, 1973.

[Zadeh-96] Zadeh Lotfi A. “Fuzzy Logic = Computing with Words”. IEEE Transactions on
Fuzzy Systems, Vol. 4, nº 2, pp. 103-111, May 1.996.
Projeto 4.E

Estabilização de um sistema de suspensão
magnética
                                                                              1 grupo
Orientador: Rodrigo Alvite Romano (PTC)
                                                      rodrigo.romano@poli.usp.br

Objetivo

       Sistemas de suspensão magnética são inerentemente não-lineares e instáveis em
malha aberta. Logo se faz necessário um sistema de controle para que estes sejam
aplicados. O objetivo deste trabalho é a construção de um sistema de suspensão magnética
controlado eletronicamente. Este trabalho possibilita que o aluno de engenharia tenha
contato com aspectos teóricos e práticos da disciplina de Controle.




                   Figura 1 – Sistema de suspensão magnética.

Descrição

      Construir um sistema de suspensão magnética, composto por uma bobina
       enrolada com fio de cobre num núcleo ferromagnético, por um sensor de
       posição e por uma esfera de pequena massa (Figura 1).

      O sistema de controle deve gerar uma corrente elétrica para a bobina, de
       acordo com a posição da esfera, para que esta crie uma força para equilibrar
       a força peso da esfera e assim mantê-la suspensa.

      O controlador eletrônico será composto por amplificadores operacionais,
       resistores e capacitores.
PROJETO 4.F
Caracterização da transmissão de sinais de rádio em
banda estreita na freqüência de 3500 MHz                                       1 grupo

Orientador: Prof Antonio Fischer de Toledo (PTC)
                                                          aftoledo@lcs.poli.usp.br
Objetivo: Este trabalho contempla a investigação e a modelagem de propagação de sinais
de rádio em 3500 MHz para os cenários interno e externo a edificações.
Um outro objetivo é o desenvolvimento de ferramentas para fornecer a futuros planejadores
e projetistas uma visão preliminar dos processos mais sofisticados envolvidos nos
planejamentos dos sistemas celulares cada vez mais complexos, além de possibilitar a
criação de uma sólida base de ensino para os conceitos relacionados à propagação de
sinais de rádio através de canais de comunicação móveis.

Metodologia: O presente plano prevê a realização de medições em banda estreita, no
interior de edificações, estando o transmissor localizado no topo de um edifício e o receptor
no interior de um edifício diferente. Os experimentos deverão ser conduzidos com o objetivo
de determinar estatísticas relacionadas com a variação aleatória de uma onda contínua (i.e.,
CW, ou Continuous Wave), em ambiente interno. Os dados dos experimentos propiciarão o
desenvolvimento de modelos empíricos que permitirão predizer as perdas de percurso entre
transmissor e receptor.
Será planejada uma série de testes de campo utilizando salas e corredores dos Blocos A a
D do Edifício de Engenharia Elétrica da EPUSP e suas áreas externas. Para esses
experimentos, será utilizado um transmissor de CW, operando na freqüência de 3,45GHz,
com largura de banda de 10 kHz e EIRP (i.e., effective, or equivalent, isotropic radiated
power) de até 30 dBm.
Na apresentação dos resultados de dados experimentais em um canal de comunicação de
rádio entre um terminal móvel (no interior de uma edificação) e uma estação base
(localizada fora ou dentro do prédio) é essencial incluir uma descrição completa e precisa da
área sob teste. Considerando o envolvimento de um grande número de fatores, e que nem
sempre é possível descrever todos eles durante todo o tempo, é também objetivo deste
trabalho estabelecer algumas regras gerais para caracterizar condições de propagação de
forma a tornar sempre possíveis comparações entre os mais diferentes estudos, passados
presentes e futuros.

Cronograma:
    Entendimento do problema.
    Pesquisa bibliográfica.
    Elaboração de relatório sobre o método de medida e os resultados da calibração do
      receptor, utilizando analisador de espectros.
    Elaboração de relatório sobre propagação de rádio móvel, incluindo perdas de
      propagação de larga escala, multipercurso e desvanecimento de pequena escala.
    Realização dos testes.
    Elaboração de programas (e.g., em Matlab) para análise dos dados obtidos em
      campo.
    Processamento dos dados, e proposição de modelos de propagação.
    Elaboração de relatório final.
PROJETO 4.G
Visualizador contextual WEB para imagens mineradas por redes
neurais artificiais do tipo mapa auto-organizáveis                            1 grupo
Orientador: Leandro Augusto da Silva (PSI)                     leandro@lsi.usp.br

Objetivo
       Este projeto tem como objetivo implementar uma interface web para visualização
contextual de dados minerados a partir de redes neurais artificiais com base no conteúdo de
imagens.

Metodologia
         Os alunos realizarão estudos de artigos pré-definidos, abordando redes neurais
artificiais em mineração de imagens médicas para o agrupamento de imagens com base em
características como cor, forma ou textura semelhantes. Com resultado de tais estudos,
definirão junto ao orientador um conjunto de imagens e ferramentas para experimentos com
a rede neural de mapa auto-organizável. Após as leituras iniciais e experimentos de
mineração de imagens, os alunos deverão extrair informações contextuais das imagens e
transformá-las em padrão de fácil leitura para interfaces web. Definirão também a forma
como as imagens e os dados contextuais serão exibidos no visualizador, como também,
realizar medidas estatísticas básicas para quantificar a semelhança dos dados em imagens
organizadas em mesmo grupo. Os passos seguintes serão a integração da rede neural
treinada com a interface e a obtenção dos resultados experimentais através do visualizador.
A fase de realização de demonstrações e do registro de experimentos ilustrativos principais
será realizada com a documentação simples, que permitam a reprodução de tais
experimentos por outros alunos. Como resultados finais esperados, teremos:
     - Análise investigativa para avaliar dados contextuais de imagens em mesmos grupos.
     - Visualizador contextual WEB de dados médicos com motivação para uso futuro na
         rotina de um hospital.
     - Arcabouço para estudos futuros de correlações de dados (idade, sexo, exames,
         patologias e etc) com o objetivo de definir variáveis que influenciam em
         determinadas patologias, freqüência de patologia em regiões do país, etc.

Cronograma
       O projeto deve seguir o seguinte cronograma proposto:
       1. Apresentação do projeto escolhido.
       2. Estudo de redes neurais artificiais do tipo mapa auto-organizáveis.
       3. Definição de ensaios de demonstração e de simulações preliminares.
       4. Estudo dos principais ambientes de desenvolvimento WEB (HTML / Java Script /
       XML).
       5. Implementação de interface interagindo com a rede neural artificial.
       6. Definição de métricas para quantificar a similaridade dos dados contextuais de
       imagens em grupo semelhantes.
       7. Realização de ensaios escolhidos e registro dos mesmos.
       8. Documentação do projeto desenvolvido.

Avaliação do Projeto

       O projeto será avaliado segundo sua originalidade, qualidade de implementação,
qualidade e poder ilustrativo dos testes e documentos gerados, qualidade do relatório
técnico e qualidade da apresentação pública.
PROJETO 4.H
Fluxo de potência em redes trifásicas desequilibradas de
distribuição de energia elétrica                   1 grupo

Orientadores:          Hernán Prieto Schmidt (PEA)               hernanps@usp.br
                       Denise Consonni (PSI)                     dconsoni@lme.usp.br


Objetivos

O principal objetivo do projeto é desenvolver programa computacional para resolução de
redes de Distribuição de energia elétrica. Uma característica fundamental da ferramenta
computacional será sua capacidade de resolver redes trifásicas desequilibradas operando
em malha. O desequilíbrio próprio das redes e das cargas encontradas nos sistemas de
Distribuição exige uma representação trifásica, usualmente a 4 fios (3 fases mais o condutor
neutro). Já o fato de as redes operarem em malha exige a aplicação sistemática das Leis de
Kirchhoff e da Lei de Ohm, e a melhor forma de fazer isso é através da matriz de
admitâncias nodais da rede elétrica.


Metodologia

O Plano de Trabalho está organizado em 5 Etapas, descritas a seguir, cujo desenvolvimento
no tempo é descrito pelo correspondente Cronograma de Desenvolvimento (cfr. item 3).


Etapa 1 - Estudo das redes primárias de Distribuição de energia elétrica

A ferramenta a ser desenvolvida no trabalho destina-se principalmente à resolução de redes
primárias subterrâneas de Distribuição, as quais operam normalmente em níveis de
tensão próximos de 15 kV. Este tipo de redes existe na cidade de São Paulo na região
central e nas regiões da Av. Paulista e do Parque do Ibirapuera. Nesta etapa serão
estudados os principais aspectos construtivos e operacionais das redes primárias
subterrâneas. Cabe destacar que a metodologia a ser implementada pode também ser
aplicada em qualquer outro tipo de rede que opere em malha, por exemplo redes de
transmissão de energia elétrica que operam em tensões iguais ou acima de 230 kV, embora
nesses casos normalmente seja utilizada uma representação equilibrada da rede (1 fase
apenas).

Etapa 2 - Modelo matemático para resolução da rede

Nesta etapa será estabelecido o modelo matemático para resolução da rede elétrica, que é
a equação nodal do sistema (relação entre correntes nodais e tensões nodais, através da
matriz de admitâncias nodais).

Inicialmente será considerada a representação dos trechos de rede, através da matriz
primitiva de impedâncias de elementos (que relaciona as quedas de tensão em um
determinado trecho de rede com as correntes que circulam no trecho). Será estudada a
contribuição da matriz de impedâncias de elementos na matriz de admitâncias nodais global
do sistema.
Em seguida será abordada a representação das cargas conectadas à rede elétrica. Prevê-
se utilizar somente o modelo de impedância constante, cuja inclusão na matriz de
admitâncias nodais do sistema é muito simples.

Finalmente será analisada a classificação dos nós em nós de carga e nós de geração. Nos
nós de carga as injeções externas são todas nulas devido ao fato de as cargas terem sido
incorporadas à matriz de admitâncias nodais, sendo que nestes nós deseja-se calcular a
tensão resultante. Por outro lado, nos nós de geração conhece-se a tensão imposta e
deseja-se calcular a corrente injetada pelos geradores. Em vista da separação dos nós, o
sistema global de equações poderá ser particionado e resolvido nas seguintes etapas:

    1.    Resolução do subsistema relativo aos nós de carga: processo iterativo através do
          Método da Eliminação de Gauss;
    2.    Resolução do subsistema relativo aos nós de geração: processo direto executado
          após a determinação da tensão nos nós de carga.


Etapa 3 - Implementação computacional

Esta é a principal etapa do projeto, na qual os alunos especificarão e implementarão a
ferramenta computacional que constitui o objetivo principal do projeto. A linguagem e o
ambiente de desenvolvimento serão escolhidos pelos alunos de acordo com sua experiência
anterior em desenvolvimento de software. A participação dos orientadores nesta etapa será
importante para especificar detalhadamente os dados a serem utilizados (tipo, formato e
origem) e os resultados a serem produzidos pela ferramenta (relatórios texto, janelas tipo
“spy”, etc.). Uma característica importante do software deverá ser o tratamento da matriz de
admitâncias nodais utilizando técnicas de matrizes esparsas (neste caso, os alunos não
deverão se preocupar com o desenvolvimento de tais técnicas; os professores
disponibilizarão biblioteca computacional já implementada para esse fim).

Etapa 4 - Estudo de rede elétrica

Nesta etapa, a ferramenta computacional implementada na etapa anterior será utilizada em
alguns casos de estudo, de forma a permitir a eliminação de erros de programação e
também a validação dos resultados alcançados. Serão utilizadas duas redes elétricas: uma
rede de pequeno porte que permita a realização de verificações manuais simples, e uma
rede real de Distribuição, com centenas de nós.


Etapa 5 - Documentação

Nesta etapa será elaborado o Relatório Final do Projeto.

Cronograma Previsto

     Etapa                               Agosto    Setembro    Outubro    Novembro
     Mês 
     1. Redes de Distribuição
     2. Modelo matemático
     3. Implementação computacional
     4. Estudo
     5. Documentação
Referências Bibliográficas

[1]   W. D. Stevenson Jr.: Elementos de análise de sistemas de potência. São Paulo,
      McGraw-Hill, 1986.

[2]   L. Q. Orsini, D. Consonni: Curso de circuitos elétricos. São Paulo, Edgard Blücher,
      2002-2004, 2v.

[3]   N. Kagan, C. C. B. de Oliveira e E. J. Robba: Introdução aos sistemas de distribuição
      de energia elétrica. São Paulo, Edgard Blücher, 2004.

[4]   C. C. B. de Oliveira, H. P. Schmidt, N. Kagan e E. J. Robba: Introdução a sistemas
      elétricos de potência - componentes simétricas, 2. ed. São Paulo, Edgard Blücher,
      1996. v. 1. 467 p.

[5]   H. P. Schmidt: Notas de aula/projetos.
PROJETO 4.I

Bússola eletrônica para deficientes visuais
                                         1 grupo
Orientador: Julio Ribeiro                          julio.rb@uol.com.br
O presente projeto consiste em desenhar, desenvolver, testar e construir uma
bússola eletrônica para deficientes visuais.

Este é um grande desafio e uma ótima oportunidade de conhecer
microcomputadores embarcados, linguagem de máquina, linguagem C, construção
de placas de CI e sensores magnéticos.

Este projeto também permite aos interessados se envolverem no desenvolvimento
de tecnologia assistiva e aprender com pessoas que realmente se beneficiarão do
uso do aparelho.

Grande parte dos deficientes visuais tem pouco ou nenhum acesso a tecnologias
assistivas. Os equipamentos existentes são em geral importados.

O presente aparelho permite aos deficientes melhorar suas habilidade de navegação
na cidade assim como serve de instrumento para lazer em campos e áreas abertas.

Há neste projeto um desafio de criar uma unidade portátil fácil de ser produzida em
série e não apenas um protótipo de laboratório.

No desenho do aparelho, os alunos devem, entre outras coisas, pesquisar e
desenvolver uma interface com som, voz ou táctil, desenvolver software do
controlador, resolver questões de montagem e embalagem, consumo de bateria etc.

O equipamento de bancada necessário é padrão assim como um PC para
desenvolvimento de software e desenho da placa.

No cronograma do protótipo a maior parte do tempo será gasto no desenho e
especificação da interface, construção e teste de software.

Da mesma maneira que em outros projetos desta disciplina, os envolvidos se
predispõem a doar os protótipos e os direitos do projeto para uma entidade
assistencial.


Links de interesse
www.tiresias.org/equipment/index.htm
www.fundacaodorina.org.br
www.laramara.org.br/
PROJETO 4.J
Garçom Eletrônico                                                1 grupo
Orientador: Roberto Onmori (PSI)              roberto.onmori@poli.usp.br


Objetivos

O objetivo deste projeto é fazer um pedido em um restaurante sem a necessidade
de chamar um garçom. O projeto consiste na construção de um sistema utilizando
um transmissor e um receptor prontos – que podem ser os da Telecontrolli – e um
CODEC, codificador/decodificador já pronto como os MC145026 e MC145027, da
Motorola. O cardápio deve possuir um código pré-definido (“pratos disponíveis”) e
este código será transmitido via ondas de rádio. O sinal será captado pelo receptor
na cozinha identificando a mesa e o pedido solicitado pelo freguês.


Material Necessário


Para este projeto serão necessários um transmissor e um receptor comerciais
pequenos, CODEC e material de consumo (resistores, transistores, relés,
potenciômetros, capacitores, etc).


Cronograma



                    Atividade/Mês                     Ago Set Out Nov Dez
Escolha do sistema a ser controlado e definição das   X
funções que serão implementadas
Projeto e simulação dos circuitos de codificação de        X    X
controle e de acionamento
Implementação e teste do transmissor                            X     X
Implementação e teste do receptor                               X     X
Teste do sistema completo e relatório final                           X    X
PROJETO 4.K
Sistema de automação ambiental                                   1 grupo
Orientador: Roberto Onmori (PSI)                roberto.onmori@poli.usp.br


Objetivos

O objetivo deste projeto é desenvolver um dispositivo que funcione como uma
central de informações de uma residência ou escritório. Ele será capaz de medir a
temperatura na sala e então ligar o ar condicionado ou o aquecedor, verificar a
iluminação ambiente, perceber quantas janelas estão abertas, funcionar como um
alarme residencial entre outras aplicações. Será capaz de acionar funções pré-
programadas como economizar luz (apagar as luzes depois das 22:00h se não
houver pessoas presentes). O cérebro dos controles estará baseado em um
microcontrolador.


Material Necessário


Para este projeto serão necessários: microcontrolador, display de LCD, sensores
diversos e material de consumo (resistores, transistores, relés, potenciômetros,
capacitores, etc).


Cronograma



                    Atividade/Mês                       Ago Set Out Nov Dez
Escolha do local a ser monitorado e definição das       X
funções a serem implementadas
Projeto e simulação dos circuitos de controle               X    X
Implementação e teste                                            X    X
Projeto final e implementação                                    X    X
Teste do sistema completo e relatório final                           X      X

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:4
posted:11/9/2011
language:
pages:30