Docstoc

Slide 1 - Disaster-Info

Document Sample
Slide 1 - Disaster-Info Powered By Docstoc
					CAP PM ANTÔNIO JÚLIO NASCIMENTO SILVA
1) O TRAUMA, OS DESASTRES OU CATÁSTROFES E A NATUREZA
   HUMANA;
2) ATENDIMENTO A MÚLTIPLAS VÍTIMAS = UM DOS MAIORES
   DESAFIOS DE UMA ESTRUTURA ASSISTENCIAL;
3) A NECESSIDADE DE INTEGRAÇÃO;
4) OS BOMBEIROS.
1) IDENTIFICAR A DIFERENÇA ENTRE DESASTRE OU CATÁSTROFE E
   ACIDENTES COM MÚLTIPLAS VÍTIMAS;
2) PREPARAR AS EQUIPES DE BOMBEIROS PARA ATUAR EM
   EMERGÊNCIAS COM MÚLTIPLAS VÍTIMAS;
3) DIFUNDIR NO ÂMBITO DA SOCIEDADE, MECANISMOS DE DEFESA
   A FIM DE PREPARÁ-LA PARA OS EVENTOS REAIS, ATRAVÉS DE:
   a. SIMULADOS
   b. SIMULACROS
   c. PALESTRAS
   d. ALGORITMO DE EMERGÊNCIA
   e. PROGRAMAS EDUCATIVOS.
1) APÓS A CONFIRMAÇÃO, PELA CENTRAL DE COMUNICAÇÕES, A
   INFORMAÇÃO DE UMA OCORRÊNCIA DE GRANDE VULTO, O
   PLANO DE EMERGÊNCIA É ACIONADO;
2) O CHEFE DE OPERAÇÕES DO CORPO DE BOMBEIROS ACIONA:
   a. O “TREM DE SOCORRO”, DE ACORDO COM A NATUREZA DO
      EVENTO;
   b. A DEFESA CIVIL E A POLÍCIA MILITAR;
   c. OUTROS SERVIÇOS DE UTILIDADE PÚBLICA.
3) APÓS CHEGADA NO LOCAL DO EVENTO TEM-SE A CONFIRMAÇÃO
   E O “DESENHO DO DESASTRE”
4) É REPASSADO À CENTRAL O DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO.
O “START” (SIMPLE TRIAGE AND RAPID TRATAMENT) É O
MÉTODO MAIS UTILIZADO NO BRASIL. SÃO UTILIZADAS CORES
PARA IDENTIFCAR A GRAVIDADE DA VÍTIMA:
 a. VERMELHO – 1ª PRIORIDADE OU PRIORIDADE ABSOLUTA;
 b. AMARELO – 2ª PRIORIDADE OU PRIORIDADE RELATIVA;
 c. VERDE – 3ª PRIORIDADE OU PRIORIDADE BAIXA;
 d. NEGRO – 4ª PRIORIDADE OU PRIORIDADE NULA.
                                                        CONSEGUE
                                               N          ANDAR

                                                                                  S

                               RESPIRA
                                                             S                          PODE AGUARDAR
                                                                 <30 rpm
                    N
                                     >30 rpm

                                     CRÍTICO
                                                                           ENCHIMENTO CAPILAR
            POSICIONAR A VIA
                 AÉREA
                                                     >2 seg

                                                                                          <2 seg


                                                   CRÍTICO
                        RESPIRA                                             RESPONDE A ORDENS
                                                                                 SIMPLES


                                 S                                N                                S
        N


CRÍTICO INVIÁVEL        CRÍTICO                                  CRÍTICO              URGENTE
1) LOCAL ONDE DEVEM ESTAR OS PROFISSIONAIS MAIS
EXPERIENTES E QUALIFICADOS, BEM COMO, OS MATERIAIS DE
SOCORRO E IDENTIFICAÇÃO DAS VÍTIMAS E OS MEIOS DE
TRANSPORTE;
2) AS VÍTIMAS TRIADAS DEVERÃO SER AGRUPADAS NO POSTO
MÉDICO AVANÇADO, CONFORME A GRAVIDADE;
3) AS DE RISCO VERMELHO RECEBERÃO PRIORIDADE NO
ATENDIMENTO.
OS PROBLEMAS MAIS COMUNS NOS ATENDIMENTOS AOS
DESASTRES DE MASSA SÃO:
 a. A INSUFICIÊNCIA DE PESSOAL E MATERIAL;
 b. AS CONDIÇÕES AMBIENTAIS;
 c. AS INTERFERÊNCIAS EXTERNAS;
 d. AS CARACTERÍSTICAS RELACIONADAS AOS MECANISMOS
    DO TRAUMA;
 e. AS DIFICULDADES COM AS PESSOAS TRAUMATIZADAS
    PSICOLOGICAMENTE.
1) PLANEJAMENTO:
   a. O PLANO DE EMERGÊNCIA DEVE OBEDECER A UM
      COMANDO.
2) COMANDO:
   a. O COORDENADOR DO ATENDIMENTO DEVE ESTAR EM
      POSIÇÃO DE DESTAQUE EM RELAÇÃO AOS DEMAIS
      SOCORRISTAS.
3) COMUNICAÇÃO
   a. AS ALTERNATIVAS DE COMUNICAÇÃO DEVEM SER AS MAIS
      VARIADAS POSSÍVEIS.
                                             Continua …
                      (Continuação)
                                                        P.M.A.
                                      Zona Fria

4) SEGURANÇA:
   a. ZONA VERMELHA (OU QUENTE);           Zona          Acesso
                                          Quente
   b. ZONA LARANJA (OU MORNA);
   c. ZONA VERDE (OU FRIA).               Zona Morna
5) TRIAGEM:
   a. AUMENTA A PERCENTAGEM DE SOBREVIVENTES;
                                                         P. C.
   b. RACIONALIZA OS MEIOS;
   c. DISTRIBUI ADEQUADAMENTE OS FERIDOS PARA OS
      HOSPITAIS CERTOS.
                                                  Continua …
                     (Continuação)


6) TRANSPORTE E EVACUAÇÃO:
   a. O TRANSPORTE DEVE SER RACIONALIZADO E UTILIZADO
      DENTRO DOS CRITÉRIOS ESTABELECIDOS PELO COMANDO
      DO PLANO.
7) RECEPÇÃO HOSPITALAR:
   a. CONFIRMAÇÃO DA CHEGADA DAS VÍTIMAS;
   b. ACIONAMENTO DO PLANO DE ATENDIMENTO.
1) RASTREAMENTO DO LOCAL DA OCORRÊNCIA.
2) VIATURAS RETORNAM ÀS SUAS BASES:
   a. LIMPEZA TERMINAL;
   b. REPOSIÇÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS;
   c. BALANÇO DA OCORRÊNCIA.
3) A CENTRAL DE REGULAÇÃO MÉDICA DO APH ELABORARÁ UM
   DOCUMENTO DE BALANÇO DA OCORRÊNCIA QUE DEVERÁ SER
   ENCAMINHADO ÀS AUTORIDADES COMPETENTES.
OBRIGADO

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:1
posted:10/26/2011
language:
pages:25